Médicos furiosos com Dilma podem afundar o PSDB e o DEM

Em maio deste ano, o Brasil recebeu um alerta da Organização Mundial de Saúde (OMS): o país tem apenas 17,6 médicos para cada 10 mil pessoas – ou 1,76 médico para cada mil habitantes – e esse número, segundo a organização, é metade do encontrado em países europeus. No Maranhão, por exemplo, teríamos índice comparável aos de Iraque ou Índia.

O número da OMS parece superestimado quando se sabe que o número de médicos em atividade no Brasil chegou a 388.015 em outubro de 2012, segundo registros do Conselho Federal de Medicina (CFM). Contudo, grande parte dos médicos com registro que permite atuarem na profissão, não a exercem.

As estimativas não-oficiais do número de médicos no país giram em torno de 300 mil profissionais atuando regularmente. Pelo critério da OMS, pois, teríamos um número ainda pior: 14,9 médicos por cada 10 mil brasileiros, ou 1,49 por grupos de mil.

Nos países europeus, por exemplo, o número de médicos beira a três por grupos de mil habitantes.

Em julho último, matéria da revista IstoÉ antecipou a chegada de programa governamental que já vinha em gestação quando a OMS alertou para a situação de extrema carência de médicos no país, sobretudo nas regiões ermas ou nas periferias dos grandes centros urbanos, problema que ameaçava deprimir ainda mais a situação do Desenvolvimento Humano no país.

O programa Mais Médicos traria milhares de profissionais de saúde para cá de forma a mitigar efetivamente um dos maiores problemas que o Brasil tem na área de saúde: o estudo de medicina é caro, acessível somente para pessoas das classes sociais mais altas, que chegam a ter que se dedicar somente ao estudo durante ao menos 8 anos, sem poder trabalhar.

Programas governamentais como o de cotas nas universidades deverá aumentar, nos próximos anos, a diversificação de classe social e até de etnia entre a classe médica, além de aumentar o número de médicos formados. Contudo, a ampla resistência a uma política que visa popularizar mais uma profissão que se faz imprescindível em qualquer grotão do país vem atrasando a formação de um perfil de médicos que se disponham a ir trabalhar onde os de classe social mais alta não querem.

Surpreendentemente, os médicos que não se dispõem a ir trabalhar nas regiões desassistidas por esse tipo de profissional – e que são os mais organizados em corporações de classe – passaram a combater furiosamente o novo programa governamental que responderia aos alertas internacionais para a carência de médicos no país.

O nível de irritação da classe médica com o programa do governo federal foi aumentando a níveis antes insuspeitos. Em 31 de julho, quase um mês após a matéria da revista IstoÉ sobre o programa Mais Médicos, o colunista do jornal O Globo Ilimar Franco noticiou no portal daquele veículo uma manifestação impressionante de médicos de Brasília:

Um grupo de médicos protestava ontem na frente do Ministério da Saúde contra o programa Mais Médicos, que abre postos de trabalho para médicos estrangeiros. O grito de guerra: “Somos ricos, somos cultos. Fora os imbecis corruptos“.

A atitude dos médicos, como era previsível ao usarem o “argumento” de que são “ricos e cultos” fez com que a maioria da população ficasse a favor do que começaram a pregar que fosse repudiado.

No Ceará, o presidente do Sindicato dos Médicos daquele Estado convocou um protesto contra médicos cubanos então reunidos em um evento do Ministério da Saúde. À saída, os médicos organizados passaram a vaiar seus colegas cubanos chamando-os de “escravos” por parte dos salários deles no Brasil ficar retida pelo governo de seu país.

Confira, aqui, a entrevista que o presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, José Maria Pontes, deu ao Blog à época dos fatos.

Mais adiante, como parte do enredo, uma jornalista divulgou na internet a surpreendente “opinião” de que as médicas cubanas negras que estavam chegando ao país se pareceriam com “empregadas domésticas”. Essa afirmação foi vista como racista e quase gerou denúncia do Ministério Público.

Por essas e por outras, a guerra que esse setor organizado e estridente da classe médica vem travando para desacreditar o programa Mais Médicos vem sendo perdida para o governo. De acordo com pesquisa Datafolha divulgada em 12 de agosto, 54% dos entrevistados se disseram favoráveis ao Mais Médicos. A mesma pesquisa, realizada em junho, registrou índice de aprovação de 47%. Ao mesmo tempo, a rejeição ao programa diminuiu de 48% em junho para 40% em agosto.

E esse apoio continua crescendo. Em setembro, o Instituto Paraná de Pesquisas entrevistou 2,5 mil pessoas em todo país e aquele apoio de agosto ao programa Mais Médicos agora chegava aos 70,38%, corroborando dados de pesquisa Ibope feita pouco antes para a Confederação Nacional dos Transportes, que apontou que 74% dos brasileiros apoiavam a vinda de médicos estrangeiros para o país.

O fracasso (até aqui) dos médicos em influir na sociedade para obrigar o governo federal a interromper o programa Mais Médicos só fez estimular as entidades representantes da categoria a intensificar suas ações políticas. Os médicos que não conseguiram chantagear o governo agora querem derrotá-lo na eleição presidencial do ano que vem.

Segundo matéria do jornal O Globo, entidades de classe como a Associação Médica Brasileira vêm estimulando médicos a se filiarem a partidos políticos de oposição ao governo federal e a induzirem pacientes humildes a votarem contra Dilma Rousseff na eleição presidencial do ano que vem.

Sob estímulo das entidades de classe, estão ocorrendo filiações em massa de médicos a partidos de oposição, principalmente ao PSDB e ao DEM.

Segundo a AMB, pelo menos 300 médicos já se filiaram ao PSDB do Ceará, a convite do ex-senador tucano Tasso lereissati (CE). No Mato Grosso do Sul e em Goiás, o DEM já articula um número grande de filiações até novembro. O deputado Luiz Henrique Mandetta (MS) trabalha junto ao líder do partido na Câmara, Ronaldo Caiado (GO), para fazer um ato político e filiar, em um dia, cerca de mil profissionais.

Com base no número de quase 400 mil médicos com registro no país, o presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Florentino Cardoso, afirmou ao jornal carioca que a maior parte dos médicos em atividade no país vai influenciar o eleitorado. A classe médica teria capacidade de movimentar 40 milhões de votos em 2014 (400 mil médicos influenciariam 100 pessoas cada um).

A conta, porém, é absolutamente inverossímil. Em primeiro lugar, os médicos dizem, claramente, que têm capacidade de influenciar pessoas pobres que, durante os processos eleitorais, viriam consultá-los sobre para quem devem dar seus votos. Pessoas humildes, porém, são justamente as pessoas que sofrem com a ausência de… Médicos (!!?).

Como os médicos vão dar conselhos em lugares aos quais sequer querem ir?

Os médicos que aceitarem fazer essa pregação abjeta e, em boa medida, imoral – médicos dizem que querem se aproveitar da baixa escolaridade de pessoas humildes para fazê-las votar de forma que beneficia só a eles mesmos – estão superfaturando a própria influência política, como mostram as pesquisas.

A ameaça que alguns médicos – seguramente não todos e, talvez, não tantos – estão fazendo à presidente da República pode produzir efeito oposto, pois com o programa Mais Médicos tendo se tornado tão popular os partidos que estão filiando em massa médicos contrários a esse programa certamente colarão em si mesmos a pecha de serem contra o desejo da maioria votante.

O que fica da nova ofensiva de parte da classe médica é uma certa perplexidade com profissionais que deveriam ser humanistas por definição, mas que, com a postura que estão adotando de forma crescente, vêm desmoralizando a sua profissão, fazendo com que seja vista como exercida por pessoas insensíveis, arrogantes e gananciosas.

Os médicos dificilmente influirão na decisão eleitoral da sociedade, ao menos como pretendem. O mais provável é que aqueles que pretendem influenciar se sintam chocados ao receberem pregação contra um programa social que quem precisa de médico sabe que é bom para si. Assim, os alvos eleitorais dos médicos votarão de forma oposta à que recomendarem.

Tags: , , , , , ,

149 Comentário

  1. Sou a favor do Mais Médicos, acho que há uma boa dose de corporativismo nas críticas ao programa por parte dos médicos, mas peralá, gente, agora os médicos, no geral, são burros, incapazes, desumanos, crápulas insensíveis, e tudo mais de ruim que possa existir? Devagar com o andor, esse maniqueísmo de vocês tá muito exagerado.
    Qualquer programa do governo (aliás, de qualquer governo) está sujeito a críticas e quem critica não é necessariamente um reacionário e torturador babão. É possível criticar as cotas raciais sem ser racista, é possível criticar o bolsa família sem ser classista, e, claro, criticar o mais médicos sem ser um crápula.
    Um pouco mais de racionalidade não faz mal à discussão.

    • Wagner, concordo em tese. Aliás, eu mesmo tenho um caminhão de críticas ao governo Dilma, assim como tive ao governo Lula.

      O que ocorre, no caso dos médicos, é que as ENTIDADES médicas estão criticando. O Conselho Federal de Medicina e os conselhos regionais REPRESENTAM os médicos. Então, se algum grupo de médicos brasileiros apoia o Mais Médicos, eles precisam se colocar publicamente. Caso contrário, o CFM determina qual a posição DOS MÉDICOS.

      • Essa ideia de ‘representação’ é muito discutível. Conheço médicos (e mesmo não conhecidos, vê-se muitos deles em comentários em diversos blogs) que apoiam (com ou sem críticas) o programa do Governo.
        Dizer que o CRM representa os médicos e que quem não concordar que reclame é muito simplista. Eu, por exemplo, sou engenheiro, não acho nem um pouco que o CREA me represente, acho que como entidade é uma droga, mas eu não tenho tempo a perder com isso.

        Não dá pra desprezar o poder midiático e político dessas entidades, e o profissional que está na briga diária tentando levar a vida dignamente nem sempre tem tempo ou saco pra ficar nessa briga inglória. E, parece que ninguém aqui quer pensar nisso, vida de médico não é nada fácil, tirando os medalhões. Como é que vocês acham que o SUS (considerado a 7a maravilha por Lula e petistas) funciona, quem é que põe aquilo pra funcionar?

        • Wagner, o SUS não funciona apenas com médicos, não esqueças que tem enfermeiros, técnicos, assistentes sociais, fisoterapeutas e por aí vai. Essa idéia de que o médico é imprescindível é uma falácia. Que tal se faltar enfermeiros num hospital? O que esses médicos fariam sem eles, por exemplo? Acho que todos tem sua importância e que estão supervalorizando essa profissão.

        • no mesmo diapasão inarredável Dilma não me representa tampouco os deputados.

        • É, sou obrigado a reconhecer que em matéria de “representar”, muitas entidades deixam a desejar.

          Acho que se tivéssemos organizações mais representativas, sejam sindicatos, conselhos ou movimentos, já teríamos conseguido pressionar os governos (federal, estaduais e municipais) e conquistado muitas de nossas reivindicações.

        • Quanto ao SUS, é muito bom. Pode ser ainda melhor, se os médicos pararem de usar dedos de silicone e outras artimanhas e passarem a trabalhar de verdade as horas pelas quais recebem seu salário. Mas a maioria não fará isso porque tem a mente formatada pelos grandes laboratórios, tanto os produtores de fármacos como os laboratórios de análises clínicas. Na formação dos médicos, humanismo não é parte do currículo.

          Embora reconhecendo que as entidades médicas representam mais as empresas médicas do que os médicos, o fato é que o Conselho Federal de Medicina, assim como os conselhos regionais, são a representação OFICIAL da categoria médica.

          • Quem tem oferecido espetáculos degradantes de preconceito irracional de classe retratando a reconhecida pretensão da classe média de ser elite são os médicos, em carne e osso, com apoio de suas entidades, ou não. Quem protagonizou aquele espetáculo horripilante de absoluta falta de respeito com pessoas dignas, até que se prove algo contra a dignidade delas, em Fortaleza, foram MÉDICOS. Se não foram, os médicos deveriam ter denunciado aquelas peruas ensandecidas. Quem transformou o trabalho da saúde no Brasil em “industria da doença” foram os médicos comerciantes da saúde. Então, não venham falar em exagero ou falta de bom senso de ninguém que não sejam os médicos e seus representantes mercenários servidores da industria privada, corretores de laboratórios e farmaceuticas. Mesmo as pessoas com alto poder aquisitivo beneficiárias dos chamados bons planos de saúde deparam-se com péssimo atendimento por parte de médicos muito bem remunerados nos grandes centros. Em breve teremos inveja do atendimento prestado aos habitantes dos rincões!!!

    • Os médicos do Ceará, (burros, incapazes, desumanos, crápulas insensíveis) parece que SIM, sem maniqueísmo nenhum, segundo o presidente do CRM de lá, e lider dessa classe “rica e culta”.

    • Wagner,

      Critica pela crítica? Porque o CRM durante todos estes anos não propôs nada de diferente para solucionar o problema??? Porque não fez a defesa da CPMF por exemplo…porque não cassou o Roger, porque no RJ não cassou o Neurocirurgião que faltou ao plantão e acabou gerando a morte da menina??? Aliás depois descobriu que na realidade quase ele não trabalhava e mesmo assim recebia o salário….neste caso seria conivência do Diretor da Unidade que também é médico.

      Acreditar nos CRMs é o mesmo que acreditar em papai noel e no coelhinho da páscoa.

      • Pois é, os conselhos pintam e bordam e os médicos fingem que não é com eles. Se o Conselho Federal de Medicina, entidade que legalmente representa a categoria médica, tem uma posição, é a posição DOS MÉDICOS.

        • Exatamente como o Engenheiro Wagner…

          Ele também não se sente “representado” pelo CREA, acha a entidade uma droga, mas diz “não ter tempo” para fazer qualquer coisa à respeito.

          É por isto que “os conselhos pintam e bordam”, é facil, pois seus associados sempre ‘fingem que não é com eles”…

          Mas quem cala, consente.

    • Sr. Eduardo, por acaso o dia de ontem não foi marcado por um importante acontecimento no Rio de Janeiro ???

      Um acontecimento que caracteriza uma reviravolta na política petista em assuntos, ditos, “nacionalisteiros”?

      Não seria interessante abordarmos o tema, só para variar um pouco ?

  2. Os médicos vivem se alimentando de veja, globo e toda imprensa golpista. E ainda levam para os consultórios, clínicas e em todo local de trabalho essas mesmas porcarias para seus clientes terem acesso. São burgueses, despolitizados e metidos ! Acredito que Dilma e Padilha devem ficar bem atentos pq são agressivos , raivosos e tem contato direto com a população ! Vão se organizar em cartel e vão trabalhar mto para tentar tirar os votos da presidenta. Convivo com mtos médicos na minha família e a maioria odeia o Padilha, a Dilma , o PT. #ApoioDilma

  3. O medico coxinha atendendo a dona Maria, coloca o estetoscópio e começa o exame:
    – Fala 33, dona Maria
    – 33
    – Agora fala “vou votar na Tucarina’
    – o que doutor?
    – Fala “vou votar na Tucarina”, senão não prescrevo o remédio
    – tá bom, “vou votar na Tucarina”
    – Toma a receita, passar bem, dona Maria
    Dona Maria saindo do consultório, para si mesma:
    – Que doutor doido, sou Maria, mas não Maria vai com as outras. Voto em que eu quiser. E vai ser na dona Dilma
    Esses médicos reaças acham que só porque é humilde, a pessoa não tem vontade própria. Essa elite não sabe nada de povo brasileiro.

    • Juliano Santos, Você descreveu muito bem a cena dramática. Os “pobres” e cheios de sabedoria se empoderaram. Os “pobres” não são mais como na senzala e a casa grande e tudo leva a sugerir que parte dos portadores de CRM se esqueceram de estudar a atualização dessa parte da História recente do Brasil que iniciou-se mais precisamente em 2003.

  4. “MAUS MÉDICOS”

    ‘Mais Médicos’ atrai o que há de pior na medicina. Com isso, Revalida tem reprovação recorde e governo esconde o resultado.

    O governo adiou a divulgação do resultado da primeira fase do Revalida –exame federal de revalidação de diplomas de profissionais formados no exterior– para depois da votação do programa Mais Médicos no Congresso. Interlocutores presidenciais afirmam que o índice de aprovação deve ficar próximo de 8% –seria o pior desempenho nessa fase da prova desde que o exame foi oficializado, em 2011. Naquele ano, a aprovação na primeira fase atingiu 14,2% dos 677 inscritos. No ano seguinte, dos 884 candidatos que fizeram a prova, apenas 12,5% passaram para a prova prática. Ou seja: nos dois anos do exame, o índice médio ficou em torno de 13%.

    Nos bastidores, integrantes do próprio governo estranham a demora no anúncio do resultado. A hipótese deles é que a divulgação de um índice ruim poderia tumultuar o debate no Legislativo. O texto da medida provisória já foi aprovado na Câmara e pode ser apreciado hoje pelo Senado. Uma das principais críticas de entidades médicas e de congressistas ao programa é justamente a permissão para que médicos formados no exterior atuem no Brasil sem revalidar o diploma. Com isso, representantes da categoria dizem que não seria possível avaliar com precisão a qualidade da formação desses profissionais.

    De acordo com a medida, a atuação sem Revalida será aceita em local específico e por um determinado período. O governo justifica que, se o exame fosse exigido no programa, os médicos aprovados poderiam trabalhar em qualquer lugar do país, o que poderia inviabilizar a medida. A proposta do Mais Médicos é reduzir o deficit de profissionais de saúde em cidades do interior e na periferia.

    EVENTO

    Inicialmente previsto para 11 de setembro, o resultado da primeira fase do exame foi adiado para 26 de setembro e, duas semanas depois, para 28 de outubro. No ano passado, a prova dos 884 candidatos que compareceram ao teste foi corrigida em 30 dias. Seguindo essa média, neste ano o tempo de correção da prova seria de 54 dias. Com as prorrogações, o prazo será de 64. A justificativa oficial para a segunda prorrogação, segundo nota técnica obtida pela Folha, foi a realização, no mesmo período, de congresso médico em Pernambuco. “É um evento de grande porte, que conta com a participação de um grande número de médicos, e sua realização dificulta a definição da banca de examinadores para a segunda fase”, diz trecho.

    Procurado, o Inep (órgão responsável pela prova) informou que o grande número de médicos inscritos no Revalida “superou a estimativa de tempo para análise dos recursos interpostos pelos candidatos”. Neste ano, 1.582 candidatos fizeram a prova. O órgão disse ainda que o congresso foi um “fator que, associado aos demais motivos já expostos, levou, por solicitação da comissão e dos aplicadores, à prorrogação”.

    PERFIL

    Dos médicos inscritos no Revalida neste ano, 55,8% são de profissionais formados na Bolívia. Em seguida, aparecem candidatos graduados em Cuba e Paraguai. Do total de candidatos que tentam a revalidação, brasileiros são maioria (52,8%). (Folha de São Paulo).”

    Diante disso, é mais do que compreensível que os lulau-petistas (devotos do Lulausconi da Silva) , a qualquer dor de barriga, de cotovelo ou de corno recorram a médicos brasileiros e, não, aos escravos-brancos cubanos, que não conseguem aprovação num reles Revalida..

    • noooooossa… é mesmo? num brinca….

      • Laulau-petistas (devotos do Lulausconi da Silva)
        Com argumentos como esses, cada vez sou mais a favor dos Mais Médicos, Bolsa Família, etc.
        Voto em Dilma em 2014 e Lula 2018.
        Não por acaso os ricos médicos que cobram com ou sem recibo foram a favor do fim da CPMF ou nada fizeram para evitar o fim.Tributo que destinava grande parcela da arrecadação dos recursos financeiros à saúde e idealizado por um dos mais conceituados médicos brasileiro, Adib Jatene, que apoia o programa Mais Médicos.

        • Anac , devemos lembrar a todos que além de tudo, através da CPMF, poderiam identificar os sonegadores. Claro que queriam e conseguiram derrubá-la.

    • Enquanto isso, vcs se estrebucham de raiva pelo fato de o programa “Mais Médicos” ser um sucesso total. Vidas vão sendo salvas – vidas de pobres, o que deixa os “maus direitóides” com mais raiva ainda – e a reeleição de Dilma se consagra, cada vez mais, em primeiro turno. Que venham o serrote ou o aébrio, a bláblárina e o campriles.

    • voa dilma e ministerio da saude coloca furanesses medicos elitistas e metidos..

    • Que tal o Revalida para os formados no Brasil, também ? A taxa seria igual ou pior! Até parece que médicos brasileiros nunca erram e atendem bem!

    • E os médicos coxinhad brasileiros? Será que dariam show no revalida? Duvido!

  5. Olha, amigos e desamigos todos: parem de revolver essa amarguissima , (ou amarissima, sei lá) bilis contra a tchurma de branco, a parte dela que vem pisando sistematicamente na bola.

    Pensem na figura de uma medica que conhecemos.
    aquele sorriso imenso.
    aquela voz que acalma, coraçao enorme que acolhe, mãos que salvam.

    Dra. Zilda Arns.
    Pronto!
    Sarei.

  6. A Paris cida de Goânia, 16 de outubro de 2013

    PROJETO: ACOLHIMENTO (MOTEL) GOSTOSO

    Caros amigos (as) o Brasil está envelhecendo e os governos não estão trabalhando unidos, para tentar resolver um grande problema o caso déficit populacional, que reduz a população ativa do país. Vamos tirar os casais das praças públicas e lhes propiciar um cantinho para o lazer. O marmanjo sem grana pro vuco-vuco é um ser, sem voz e sem direitos, que infelizmente no nosso país não tem nenhuma ajuda, por parte dos nossos governantes. Pensando nisso, gostaria de sugerir o Projeto: ACOLHIMENTO (MOTEL) GOSTOSO onde o governo construiria pequenos motéis, para a turma que tá literalmente a piriguete, que não tem grana, onde com uma parte do seu esforço, essa turma possa gozar com dignidade. Essa política para a rapaziada tem que ser implementada com urgência, pois o Brasil precisa aumentar sua população ativa. Para administrar e comandar esses motéis o governo colocaria algumas moçoilas, que já fazem esse serviço de “ajuda” aos marmanjos sem muita ajuda dos governos.

    Atenciosamente:

    Wilsoleaks Alves, um amigo do povo necessitado.

  7. Está explicado de ter tanta Veja nos consultórios médicos. Estão perdendo todas e vão perder em 2014.

  8. É o retorno do voto de cabresto, só que em vez de coronéis nordestinos, temos os coronéis de branco? Qualquer pessoa minimamente inteligente verá em tais atitudes a total falltaa de ética, a traição ao juramento de Hipócrates, o preconceitoto de classel, cor e ideologia e, sobretudo. o grande medo de, confirmado o sucesso do projeto, com a mecina básica fazendo uma verdadeira revolução erm todos os rincões do país, seus pacientes de classe média e média alta começarem a exigir também o Mais Médicos para terem um atendimento mais humanizado e com muitissimo menos ônus para os seus bolsos, pois o diagnóstico certo e em tempo hábilo evitará desde cirurgias a exames caros e desnecessários.
    Escreevo isso sem desmerecer os milhares de médicos abnegados e preparadíssimos da rede pública, que trtatam com dignidade e paciencia seus pacientes, apesar dos baixos salários e da precária infraestrutura. A maioria deles está a favor do programa Mias Médicos e saberá responder a campanha da oposição e de seus mentor, o PIG.

  9. A classe médica é conhecida, infelizmente, pela alcunha de “máfia de branco”. Eles pedirão votos pra quem mesmo?

  10. Sr. Eduardo Guimarães sou aquele que pediu autorização sua para copiar seus Testos e Colar no meu Facebook para que mais pessoas os lessem. Estou tendo um problema estranho: toda vez que o texto tem o nome Aecio( o texto some e usando O candidato a Presidente ( mineiro do PSDB) ) em substituição o texto funciona. Pode ver o que está acontecendo?

  11. Interessante foi observar a interpretação das entidades ao acordo estabecido entre algumas delas e o governo federal. Acho que foram a AMB e associação dos medicos residentes. Finalmente parecia haver um entendimento com ambas as partes cedendo. Os emails do sindicato e conselho regional diziam algo como “eentramos em acordo, mas não apoiamos o mais médicos. mas já Impedimos a catástrofe inicial.
    Cara, que vergonha das entidades (como médico que sou). É muita arrogância

  12. Desigualdade em queda inibe a poupança.

    Famílias mais pobres, em particular naquelas em que os filhos estudaram mais tendem a consumir uma parte maior de sua renda. Na década passada a renda da metade mais pobre cresceu 588% mais que a dos 10% mais ricos. A desigualdade de renda brasileira continua caindo pelo efeito combinado de melhoria na distribuição de educação e de programas sociais.

    Poupança precaucional é desincentivada pela crescente estabilidade macroeconômica e pela ampliação do Estado de bem-estar.

    Para além de melhora das rendas correntes, elas provocam redução dos riscos de renda das famílias. A conquista do “investiment grade” e os novos programas sociais sob a égide do Brasil Sem Miséria implicam menor motivação a poupar. Se redistribuir é preciso, Bolsa Família com incentivos à poupança, tipo fundos de pensão, também é preciso.

    Envelhecimento diminui a poupança.

    Na teoria do Ciclo de Vida do Nobel Franco Modigliani, idosos despoupam, em particular sob nossas regras constitucionais. Na transição demográfica em curso, a população idosa cresce três vezes mais rápido que a total. O aumento de renda dos idosos anunciado pelo gatilho do salário mínimo, acaba de disparar reajuste de 14%, prova fumegante do nosso viés gerocrático, ferindo de morte a poupança.
    Juros mais baixos, em particular na captação, desestimulam a poupança.

    As sucessivas quedas da Selic e a pressão sobre os spreads bancários configuram outro viés de baixa poupança.

    Crédito é despoupança.

    Apesar da razão crédito/PIB ter dobrado nos últimos oito anos, é ainda baixa para padrões internacionais. A diminuição das restrições de crédito como no consignado são exemplares.

    Fatia do trabalho e formalização maiores desestimulam a poupança
    Dadas garantias do aviso prévio, FGTS e seguro desemprego.

    Minha Casa, Minha Vida sem incentivos à acumulação prévia também.

    Países quase sem crédito imobiliário, como Japão e Itália, apresentam taxas de poupança financeiras mais altas, voltadas à compra prospectiva de imóveis. Por outro lado, imóveis (e educação) sintetizam bem o hábito construído ao longo de décadas de instabilidade inflacionária de alocar o binômio poupança/investimento em ativos reais.

    São as idéias de Marcelo Côrtes Neri no Valor Econômico – 24/04/2012

    O restante do texto:

    http://ricardogallo.ig.com.br/index.php/2013/10/08/mais-sobre-a-nossa-falta-de-poupanca/

    Na minha opinião existe mesmo uma classe média alta muito consumista, que esta gastando muito em Miami e Nova Iorque, queimando nossas divisas, e também há desperdício com assinaturas da Veja, Folha, Estadão, Zero Hora, O Globo, e outras.
    Muita grana sendo gasta com plásticas, Botox, e lipo.

    Agora: “Desigualdade em queda inibe a poupança”.
    Puxa! mas quanta franqueza, não esconde mesmo o objetivo final é a desigualdade

    Os filhos dos trabalhadores estudando mais tempo e retardando sua entrada no mercado de trabalho, segundo o economista: inibe a poupança. E no texto ele afirma: “A baixa taxa de poupança familiar inibe o financiamento do investimento requerido para sustentar altas taxas de crescimento”.

    E quanto a: “Envelhecimento diminui a poupança”. Que tal o elixir da juventude eterna. Não creio que alguém sugeriria matar os velhinhos, claro que não.

    Sr Eduardo, desculpe, não deu pra aguentar, tinha que postar isso aqui, mesmo fugindo do tema do texto, obrigado pela espaço democrático.

  13. Fiquei com pena ,do médico Argentino,parece que prescreveu, uma dose, errada de medicamento…No entanto os nacionais podem :serem omissos,negligentes,assinarem ponto sem trabalhar,errar na dose e no medicamento e nós ,só podemos reclamar pra ANS,que por sua vez, nem aceita denúncias contra o procedimentos médicos.Só contra, alguns, planos de saúde…ANS, faz de conta que fiscaliza e nós fazemos de conta que acreditamos.Se as agências funcionassem não estariamos reféns do CRM…E de fato poderiamos ter uma saúde melhor.Ou vamos poder denunciar tbém ao Ministério da Saúde,como faz o CRM?

    • Regina, o caso está mal contado. Era um antibiótico. Normalmente o antibiótico é usado de 12 em 12 horas. Em alguns casos usa-se de 8 em 8 horas, pelo visto foi o que o médico receitou. Resta saber se realmente era o caso para receituário de 8 em 8 horas. Claro que a mídia vai ficar em cima tentando achar pelo em ovo.

      • Pelo que ouvi, Regina, o caso do doente era de água nos pulmões. Claro que tinha que tomar dose alta de antibiótico além de diuréticos.

        • Por falar nisso, Regina, não sei em que deu o caso aqui, no Rio, minha cidade, onde um médico brasileiro e formado no BRASIL, amputou a perna esquerda de um paciente, invés da direita. Depois do alarme, resolveu amputar a outra também. E não era médico estrangeiro! Não ouvi mais nada sobre o assunto!

  14. O lula e a dilma sabe que tem que fazer mais para melhorar o sus do que seus adversarios da oposicao que sao a favor que os cidadaos assalariados paguem injustamente a maior parte da conta da sua saude e por isso aceitam a sugestao da organizacao mundial de saude para aumentarmos o numeros de medicos por 10 mil pessoas. A maioria dos medicos nao aceita ir a lugares mais longicos da cidade. Mas ha medicos que aceitam por ter uma visao sociologica e antropologica os faz mais preparados para integrar ao local que prestara seus conhecimentos “… Aos medicos humanitarios, saude publica e bons salarios aos medicos que acreditam so no hospital privado bons negocios…… “

  15. Boa tarde a todos.
    Cabe salientar que não sou do PT, mas apoio o programa mais médicos. Faz um mês e chegou um colega novo para trabalhar, não vem ao caso a nacionalidade. Ótimo profissional, bem preparado, companheiro irreprensível, trata muito bem aos pacientes e é uma ótima pessoa humana. Proponho um novo programa..ja temos o mais médicos…este meu novo programa seria chamado de “menos hipócritas”, seriam inscritos todos os “doutores” que enumeram mil razões, sem razão; se fazendo contra o mais médicos. Todos os mercenarios de branco, que repetem a mentira,(como um mantra), dizendo que o que os move não é o preconceito e o corporativismo, serião parte do programa. Nas costas junto ao jaleco, levarião penas de pavão. Penas de pavão para aparecer, para se pavonear, para chamar a atenção. Para ser o centro das atenções, não por conhecimento, mérito, dedicação, respeito, amor…não… Mas o centro das atenções pela soberba que os move. Quanto a filiação dos colegas esculapios ao DEM e PMDB, penso que só vai colaborar para que estes dois partidos naufraguem antes.

    • SAUL parabéns!QUANDO …AQUI NA MINHA CIDADE FIZERAM PASSEATA CONTRA O MAIS MÉDICOS ,tinha uma medica que colocou a faixa que simbolizava o luto no lado esquerdo , então o colega coxinha perguntou: ´porque no lado esquerdo? ela uma médica que só trabalha com os menos favorecidoa respondeu; é o lado do coração!!!!!

  16. Pois é. A elite brasileira continua batendo a cabeça contra a parede. Um dia eles vão entender. Prá arrematar, como a coisa é vista fora do país: http://news.yahoo.com/cuban-doctors-tend-brazils-poor-giving-rousseff-boost-141952665.html

  17. É uma história muito complicada. Tem o lado dos médicos sem estrutura, tem o do governo com alguns profissionais que não se dão ao respeito… No meio de tudo fica o povo, refém de uma falta de estrutura e de um grupo de espertos que dominam a parada….

  18. Edu, um ano de 2014 cheio de boas novas para você e tua família. É risível o desespero do PIG com a aproximação das eleições, tanto é que estão disparando cegamente para todos os lados prá ver se acertam em alguma coisa que valha a pena. Para comprovar, vai abaixo uma publicação da Musa da febre amarela ou da Massa cheirosa, uma das representantes mor da tal “entidade”:
    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/125713/Eliane-teme-hegemonia-do-PT-na-pol%C3%ADtica.htm?ls-acm0=30&acid=969150

  19. Não sou contra o programa mais médicos do governo internacional (OMS), não gosto de ficar filosofando com palavras escabrosas num teor de cultura e tal.
    Vamos entender essa merda!
    O brasileiro é ignorante que não pode aprender medicina ou ele não tem oportunidade?
    Mais médicos? os hospitais estão caindo os pedaços em grande parte do país!
    Agora temos dois times, vamos jogar bola, mas onde esta a bola? onde esta o gol? e ai como faz?
    Não faz, se mantém faça de conta!
    A demanda de gente doente é grande e eu acho pouco, mesmo porque o povo é foda!
    Epidemia ou surto de dengue, o povo cria o animal, preguiça de limpar o quintal e depois não quer ser atacado por ele, depois lotam os hospitais dizendo cadê o médico? sumiu na multidão de ignorantes e preguiçosos.
    Não nada ai essa água é suja! a resposta vem de imediato, da nada não!
    depois esta lá cadê o doutor e o pior o ignorante morre a família fica levantando cartazes na porta do hospital, a mesma família que deveria estar sabendo o que o moleque estava fazendo.
    Mas se o povo deixar de ser ignorante como fica a situação dos políticos?
    O brasileiro tinha que ter vergonha na cara e parar com essa coisa de auto piedade, doente é uma coisa ignorante tem que se f……
    Para ser honesto eu ficaria feliz de saber que o governo federal criou o sistema de estudo mais médicos, dando mais oportunidade ao próprio povo brasileiro.
    Isso se chama inviabilizar a educação!
    Quanto mais ignorância, mais violência e quanto mais violência mais políticos prometendo resolver o problema, quanto mais ignorante mais doença, e quanto mais doentes mais políticos prometendo melhorar o sistema de saúde.
    Agora quanto mais ignorante as pessoas, mais votos e quando resolvem fazer alguma coisa que não deixa de ser nada mais do que uma obrigação o FDP do político é visto como um herói nacional.
    Por quem? pelos ignorantes.
    Sinceramente é um descaso muito grande com a falta de oportunidade, mas se quiser uma bolsa tem que ser afro descendente!
    Muito médicos fazem as coisas nas “coxas” pois sabem que são peças raras e como todo e qualquer profissional querem crescer dentro daquilo o que se dedicaram.
    O sentimento de brasileiro ao ver estrangeiros tendo que vir cuidar de nós é humilhante, degradante e quem garante que não irá levar um tiro ao sair todo feliz do hospital depois de ser atendido?
    Quem sabe nessa você se depara com um di menor armado kkkkk
    Pessoal esta na hora de entender a origem da coisa, fazer valer um país e não um politico, sentimento de pátria, amor a nossa casa a nossa terra a nossa família brasileira.
    Tendo amor a pátria não precisa de político, o senhor (a) é uma vergonha para essa nação! (já pensou ouvir isso e sentir vergonha?)
    É isso!
    Pessoal um forte abraço, não sou médico, nunca entrei em um hospital tão pouco sou diplomado em alguma coisa 3º colegial completo, sabe o que me falta?
    Oportunidade!
    Mas reconheço que vivo em um país cujo o governo tem como meta criar dificuldade para vender facilidade.

  20. Ola Sr. Eduardo Guimarães
    gostaria de parabeniza-lo pela
    iniciativa de mover um processo contra o Sr. Gilmar mendes pela suas acusações
    contra quem ajudou os preso a pagar suas dividas com a justiça que não foi justa
    diga de passagem gostaria de compartilhar um link com o seu blog pelo o impeachment
    de Joaquim Barbosa
    http://www.avaaz.org/po/petition/Senado_Federal_Impeachment_de_Joaquim_Barbosa/?copy
    gostaria de contar com o apoio de todos os leitores deste blog .(Obs NÃO SOU POLITICO NÃO SOU FILIADO
    A NENHUM PARTIDO POLITICO )

  21. Seria ótimo, poder subir em um palanque e afirmar que os médicos que SÃO CONTRA o PROGRAMA MAIS MÉDICO da PRESIDENTE DILMA, são filiados aos partidos DEM e PSDB.

  22. Infelizmente esse programa só vai beneficiar o partido de oposição , afinal esses pseudomédicos vão atender justamente a população pobre que esta feliz com o o bolsa esmola e que por isso vota no PT reduzindo assim o eleitorado , já que muitos irão padecer nas mãos desses ” médicos”.
    Infelizmente isso ocorrerá. A maioria que é a favor dos mais médicos usam planos de saúde. Se pobre não tem nada, melhor isso do que nada , esse é o pensamento do povo brasileiro, enquanto os políticos que sugam nossos impostos se tratam no Sírio Libanês, assim como a PresidAnta. Todos falam em números como essa reportagem , só não mostrou que o Brasil dentre todos esses países é o que menos investe em saúde. Vamos criticar mas com argumentos. Alias , podia ter o programa mais engenheiros, mais advogados, todas essas áreas são carentes de profissionais e menos políticos já que desses estamos com fartura. Podíamos importar políticos da Suécia para acabar com a corrupção desse país que infelizmente esta no sangue.

  23. Agora, com a campanha eleitoral em pleno vapor posso dizer que os médicos estão sim, influenciando e de forma covarde e deliberada e que este texto tinha boa parte razão. Trabalho na área da saúde e chega a ser insuportável o quanto ouço quase todos os dias críticas ao governo atual e que precisamos votar no candidato Aécio para acabar com a corrupção. Ondas de boatos e teorias de conspiração de que o PT está coagindo o filho da amiga de… da funcionária da médica tal…. a amiga de fulano vai ficar sem casa do programa minha casa minha vida se Aécio for eleito….e assim por diante , todos postados por médicos. Eu mesma fui fazer uma consulta com um cardiologista Dr. Alvaro Paiva Oliveira e a primeira coisa que ouvi ao adentrar o consultório foi “40 ou 45″, em seguida uma avalanche críticas ao atual governo. Ao fim da consulta me senti na liberdade de questioná-lo sobre em quem votaria, mesmo já sabendo qual seria a resposta. E é claro o candidato do PSDB. É um absurdo o ponto que chegou o desespero da grande maioria da classe médica!!!!

Trackbacks

  1. Médicos furiosos com Dilma podem afundar...
  2. Médicos furiosos com Dilma podem afundar o PSDB e o DEM | EVS NOTÍCIAS.
  3. Ruins de rima, também, e cada vez mais ridículos e agressivos, médicos furiosos com Dilma podem afundar o PSDB e o DEM. | Taperoá decente – O Cariri da gente
  4. Médicos furiosos com Dilma podem afundar...

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.