Mainardi fugiu, sim, para poder atacar impunemente

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

mainardi capa

 

 

Em 28 de agosto de 2008, Diogo Briso Mainardi, 54 anos, natural de São Paulo, foi condenado pela 13ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo por injúria e difamação contra o jornalista Paulo Henrique Amorim.

Em seu voto, o desembargador relator Miguel Marques e Silva destacou:

“(…) o querelado fez veicular em sua habitual coluna, texto alusivo ao blog que, com dinheiro público, estaria sendo utilizado por ex-ministros de Estado filiados ao Partido dos Trabalhadores. No referido texto, segundo a inicial, foi o querelante ofendido acintosamente pelo querelado, com evidente dolus manus, com sucessivas e vilipendiosas acusações de formação de autêntica camarilha que, em troca de um punhado de dinheiro, tornar-se-ia refém da propaganda oficial, depois de ‘financiamento ilegal de campanha, espionagem, chantagem, achaque e propina…’, importando consignar que, ao inverso, tem o querelante imagem e profissionalismo públicos atestados por predicados de moralidade e idoneidade ímpares. Agindo dessa maneira, é manifesto que o querelado cometeu incontroversas difamação e injúria, imputando ao querelante fatos sumamente desairosos para qualquer cidadão, com manifesta repercussão na sua honra subjetiva e objetiva, como ao taxa-lo de jornalista decadente, censor afinado com o ‘DIP’ de Luiz Gushiken, de que pessoalmente tenha-se engajado na batalha comercial do lulismo contra Daniel Dantas, recebendo 80.000 reais do portal ‘iG’, além de outras manifestações injuriosas”.

Os fatos narrados pelo relator, desembargador Miguel Marques e Silva, guardam efetiva semelhança com a presente conduta de Mainardi em seu site “O Antagonista”. Entretanto, à época, inconformado, recorreu ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo Tribunal Federal para tentar a reforma da decisão que lhe foi desfavorável.

Os recursos nos tribunais de Brasília, entretanto, foram infrutíferos.

Em 2010, Mainardi deixou o Brasil. À época, litigava em diversas contendas judiciais, muitas de natureza criminal, o que motivou outra das vítimas de seus métodos difamatórios a publicar um texto em que, de forma otimista, decretou que a saída de Mainardi do Brasil representaria “O Fim de uma era de infâmia”.

Confira o texto do jornalista Luis Nassif publicado em julho de 2010.

O fim de uma era de infâmia

Por Luis Nassif

DOM, 25/07/2010 – 11:59

ATUALIZADO EM 03/08/2010 – 17:29

Diogo Mainardi está saindo do país. Na sua crônica, brinca com o medo de ser preso. É medo real. Condenado a três meses de prisão pelas calúnias contra Paulo Henrique Amorim, perdeu a condição de réu primário. Há uma lista de ações contra ele. As cíveis, a Abril paga – como parte do trato. As criminais são intransferíveis. E há muitas pelo caminho.

Há meses e meses meus advogados tentam citá-lo, em vão. Foge para todo lado. A intimação foi entregue na portaria do seu prédio, mas os advogados da Abril querem impugnar, alegando que não foi entregue em mãos. Tudo isso na era da Internet, quando todo mundo sabe que ele está sendo procurado para ser intimado.

A outra ação, contra Reinaldo Azevedo, esbarra em manobras protelatórias dos advogados da Abril. A ação prosperou porque colocada no Fórum da Freguesia do Ó – região da sede da Abril. Os advogados da Abril insistem em transferi-la para a Vara de Pinheiros.

Minha ação de Direito de Resposta contra a Veja vaga há quase dois anos, devido à ação da juíza de Pinheiros. Primeiro, considerou a inicial inepta. Atrasou por mais de ano a ação. Em Segunda Instância, por unanimidade o Tribunal considerou a ação válida e devolveu para a juíza julgar. Ela se recusou, alegando que a revogação da Lei de Imprensa a impedia – o direito de resposta está inscrito na Constituição Federal.

No caso da ação Mainardi-Paulo Henrique Amorim, ela absolveu Mainardi, alegando que as ofensas não passavam de mero estilo de linguagem que não deveriam ser levadas a sério. O disparate da sentença foi revelado pelo próprio TJ-SP ao considerar que o autor merecia uma condenação de três meses de prisão.

O problema não é Mainardi. É apenas uma figura menor que, em uma ação orquestrada, ganhou visibilidade nacional para poder efetuar os ataques encomendados por Roberto Civita e José Serra.

Quando passar o fragor da batalha, ainda será contado o que foram esses anos de infâmia no jornalismo brasileiro.

Leia o que interessa da decisão em tela

mainardi 3

Contudo, Mainardi, por ter tido muita sorte, acabou recuperando a primariedade, ou seja, se sofrer nova condenação criminal ainda se beneficiará da condição de réu primário por conta da queda da Lei da Imprensa um ano antes da condenação, que estendia os prazos prescricionais, maiores do que os da lei penal comum.

O que ocorreu foi o seguinte: em 2011, o Supremo Tribunal Federal extinguiu a pena de Mainardi e lhe devolveu a condição de réu primário. Contudo, não pelo mérito da questão, ou seja, o STF não considerou Mainardi inocente. Extinguiu a punibilidade (a condição para punir Mainardi, por a própria Justiça ter demorado para julgá-lo).

Apesar disso, Reinaldo Azevedo, parceiro de Mainardi, tentou apresentar a questão como se o STF tivesse inocentado Mainardi das calúnias contra Paulo Henrique Amorim.

mainardi 2

Balela. A mera leitura da decisão do STF mostra que Mainardi se safou porque o prazo para puni-lo acabou devido à queda da Lei de Imprensa, em 2009.
mainardi 4

Contudo, ainda assim Mainardi se mandou do Brasil e continua fora daqui porque, caluniando, difamando e injuriando de fora do país é mais difícil e custoso citá-lo. Eia a razão da “valentia” com que ele ameaça e injuria os que elege como alvos.

Em post recente, o Blog mostrou a agressão criminosa de Mainardi ao jornalista Renato Rovai por simplesmente ter registrado que ele foi citado nas delações da Odebrecht, sem, sequer, ter feito qualquer juízo de valor

Mainardi se vale de estar vivendo fora do país para fazer ataques criminosos como esse que você acaba de ver.

Ele acha que não conseguirão citá-lo judicialmente por viver em Veneza e se vale do fato de viver lá para promover agressões criminosas como as que moveu contra o editor desta página, difamado e citado injuriosa e caluniosamente por Mainardi em incríveis VINTE E NOVE POSTS do site Antagonista.

Bem, Mainardi está enganado. Recentemente – talvez ele ainda nem saiba disso – um dos muitos demandantes contra Mainardi conseguiu citá-lo apesar de ele viver na Europa. Afinal, há dezenas e dezenas de cidadãos brasileiros que buscam Justiça contra esse indivíduo. E, ainda que ele pense que está fora do alcance da lei, engana-se.

Ele e bandidos que vêm a esta página para caluniar, injuriar e difamar seu autor julgando-se protegidos pelo anonimato. Vão descobrir que o braço da lei é mais longo do que imaginam.

Tags: , , , ,

104 Comentário

  1. Edu, vc sabe muito bem que o problema que levou o Mainardi para a Itália acomete sua família também, né?

    • Comentário típico de um cretino.

    • Qual seria o problema? Explica aí.

    • Zanchetta, aqui não é revista Contigo. Fofoca não cabe neste espaço. Assuma que você não passa de um reles COXINHA!!!!!

    • Não entendi. Explica melhor. Sem assunto ou sem razão.

    • Pois eu vou explicar, já que vc está jogando uma possível falácia no ar. O Mainardi não foi para a Itália por causa do problema do filho. O filho nasceu na Itália e, devido a erro médico no parto, a criança ficou sem oxigenação por 45 minutos o que resultou em paralisia cerebral. Depois dessa ele deixou a Itália, veio de volta ao Brasil a conselho de médicos americanos, especificamente para o RJ, por causa da praia e do clima quente. O segundo filho nasceu no Brasil, sem nenhuma intercorrência. A vida ia muito bem para o filho aqui, só que ele teve que deixar o Brasil pelas razões expostas aqui e pelo Nassif: Fuga. E só podia ir para a Itália onde tem cidadania. Foi viver na mesma Veneza onde o filho nasceu.
      O interessante é que não se houve um pio da parte dele sobre o péssimo atendimento que sua esposa teve no parto de seu primogênito. Não pode admitir em público que num país de 1o mundo acontece o que ele acusa de só acontecer no Brasil. Ele desqualifica o Brasil em tudo para justificar sua ida para a Itália, tentando esconder a real razão da transferência: fuga.
      Uma pessoa que vive em negação, que vive uma mentira, só pode se tonar um amargo que destila ódio como ele.

    • Bem que eu quereria (não posso mais) não ter lido os comentários. Logo de cara encontro um fascista devidamente assumido mexendo com a família de Eduardo Guimarães e se esquecendo de que ele fez um postagem evidenciando a verdade e nada mais. Não citou a esposa como salvaguarda, nem sua prole tão persistente e resistente. Não fez nada disso. Apenas escreveu a verdade e veio um fascista de merda (me perdoem por não achar outro termo) atacar sua família.
      Por que o tal fascistinha (que deve morar em São Paulo) não faz um projeto que ligue Dória a Berlusconi e exporte todo o expertise do tratamento de esgoto do Rio Tietê para Veneza? Vai ser um sucesso no Estadão e na Folha: “São Paulo já mandou o esgoto para Veneza! Agora só falta o tratamento!”

  2. E a sanha do pessoal da Lava Jato contra Lula continua. Li o comentário de um internauta, o Joseph, no blog do Nassif que diz o seguinte: “Jean Wyllys (deputado do PSOL-RJ) está denunciando pressões de todos os tipos sobre os fornecedores e clientes do Instituto Lula:

    https://t.co/VUwoGid3aB

    Pois é, essa turma da Lava Jato quer destruir Lula e seu Instituto. Pelo visto não vão descansar enquanto não conseguirem isso. Estão cercando Lula de todos os lados. E somente o povo poderá fazer parar essa perseguição contra Lula.

  3. Esse senhor utiliza a calúnia e a difamação como fundamento de suas análises fracas e superficiais.

  4. O que fica bem claro, na comparação entre os dois citados acima, Mainardi e Reinaldo, é que os dois são lixo produzido pela globo e seus asseclas.
    Pessoas sedentas por notoriedade, mas não que não possuem inteligência suficiente para conquistarem a admiração pública pelo lado correto do caminho.
    E jamais conseguirão, porque ficaram do lado sujo da história.
    Na verdade, são duas cabeças à procura dos respectivos cérebros.

  5. Somos todos avisados: divulgar noticias falsas nas redes sociais pode ter consequências graves.

    Pergunta: como é possivel que um bunda mole como o Doria, um muquirana que nem o partido dele leva a sério, possa afirmar nas redes, impunemente, que a recessão atual e os 13 milhões de desempregados são os resultados dos governos do Lula? Diz ele com aquela cara de peido vestido na moda «O ex-presidente Lula quase destruiu o Brasil. Então, é inadmissível um homem que quase destruiu a nação, que impôs o maior assalto ao dinheiro público jamais visto na história da humanidade (Sic), que ofereceu três anos de recessão, 13 milhões de desempregados, queira agora voltar a ser candidato»

    Sobre os governos do Lula o Eduguim e outros blogs publicaram dados do IBGE e da ONU; agora temos um ”gaspar de randevú” paulista que diz falsidades e nada acontece com ele. Alias esse cara só engana os pouco informados. Por exemplo, quando ele vende a sua própria imagem como de “self made man” diz outra falsidade como esclarece o artigo publicado no blog Carta maior – Washington Cinel, o empresário polêmico por trás de Doria, http://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Washington-Cinel-o-empresario-polemico-por-tras-de-Doria/4/36943&utm_source=emailmanager&utm_medium=email&utm_campaign=Boletim_Carta_Maior_Doacao_06102016)

    Mas não é dificil entender a impunidade desse bunda. Como bem escreveu um leitor do blog da Cidadania a base do fascismo no Brasil é a classe média. A mídia manipula o falso moralismo dessa classe para que sirva de “tropa de choque” dos interesses inconfessos das elites. O grande elemento aí, que é sempre esquecido, é a mídia. A mídia é o partido da elite que rapina o país. Esse enganador e falsificador diz o que diz impunemente porque a midia cobre ele.

    Aqui mesmo no Cidadania volta e meia aparecem fascistas que afirmam absurdos tipo ”FHC foi o presidente que mudou o Brasil para melhor. Criou os programas sociais existentes, estabilizou a economia, acabando com a hiperinflação, organizou o Estado, etc. etc. Esses canalhas vivem reescrevendo o presente ininterruptamente.

    Tenho que reconhecer o esforço descomunal do Eduardo Guimarães (que não é o de Sisifo porque estou certo que muitos leitores informam-se e educam-se no blog da Cidadania, portanto algum resultado ele obtém).

    Aproveito para citar Erwin Panofsky, um importante histórico de arte: « Por que interessar-se do passado? A resposta é porque nos interessamos da realidade. Aquele que passa desembestado num automóvel é na verdade trasportado pela matematica, pela fisica e pela química (Euclides, Arquimedes e Lavoisier. A roda veio muito antes e foi inventada cerca de 4500 anos antes de Cristo na região chamada Sumer entre a Siria e o Iraque de hoje).» Não existe nada de menos real que o presente. Horas atrás esse post pertencia ao futuro. Nos próximos quatro minutos pertencerá ao passado.

    Um calhorda qualquer escreveu que FHC (eleito ”Dick of the Year” em 2014 concedido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos) foi o presidente que mudou o Brasil para melhor? O Doria afirma que o Lula impôs o maior assalto ao dinheiro público jamais visto na história da humanidade?

    Então vamos ler o que escreveu sobre isso o cientista politico Antonio Lassance:

    «O maior escândalo de corrupção da História do Brasil foi a privataria tucana. O país teve um prejuízo de pelo menos R$ 2,4 bilhões com as privatizações do patrimônio público dado a preço de banana a grandes corporações privadas, durante o governo FHC. A estimativa foi feita no clássico estudo escrito pelo jornalista Aloysio Biondi, que, em seu livro “O Brasil privatizado”, afirma: 

     “O governo diz que arrecadou 85,2 bilhões de reais com as privatizações. Mas contas “escondidas” mostram que há um valor maior, de 87,6 bilhões de reais, a ser descontado daquela ‘entrada de caixa'”(p. 68)  A obra essencial de Biondi, que chegou a vender mais de 140 mil cópias, acaba de ganhar uma nova edição na coleção História Agora, da Geração Editorial  (256 págs, R$ 29,90).
 
    O cálculo dos prejuízos das privatizações não considera os possíveis ganhos e valorizações posteriores, cujos montantes Biondi reputa incalculáveis.  As privatizações da mineradora estatal Vale do Rio Doce, em 1997, e do sistema Telebrás, em 1998, foram as mais emblemáticas e vultosas.  Além de as empresas terem sido subavaliadas, foram entregues com dinheiro em caixa aos que as arremataram em leilões. É como alguém vender uma casa com dinheiro no cofre.
     
    A análise de Biondi expõe a importância crucial dos meios de comunicação para criar a indiferença ou mesmo incitar o apoio da população à venda desenfreada das estatais, feita por aquele governo:
 
    “Sem sombra de dúvida, os meios de comunicação, com seu apoio incondicional às privatizações, foram um aliado poderoso. Houve a campanha de desmoralização das estatais e a ladainha do ‘esgotamento dos recursos do Estado’.” (p. 21). O alerta de Biondi é absolutamente atual, haja vista a sanha desencadeada contra toda a empresa Petrobrás em um escândalo no qual o acusado por falcatruas está preso e indiciado por seus crimes, bem diferente do padrão anterior de conivência dos governos diante da corrupção.

    O ódio insuflado pelo mercado contra o atual governo Dilma se presta ao infame papel de distorcer a compreensão sobre essa página infeliz de nossa história. O livro de Biondi, relançado, nos dá a chance de nunca esquecer o que fizeram com o Brasil, para jamais permitir que isso se repita.
 
    Referências Bibliográficas: BIONDI, Aloysio. O Brasil Privatizado: um balanço do desmonte do Estado. 11ª edição. São Paulo: Editora da Fundação Perseu Abramo, 1999.

    Link para o Brasil Privatizado pelos tucanos: http://www.fpabramo.org.br/uploads/brasil_privatizado.pdf

    ———-

    Tijolaço:

    Na entrevista ao Roda Viva, feita em 2012, Janio de Freitas, um dos jornalistas políticos mais experientes da imprensa brasileira, afirma que a compra de votos na era FHC foi o pior crime da República. Muito pior do que qualquer suposto crime praticado no governo Lula/Dilma. Janio também denuncia que a imprensa brasileira, sob a era FHC, aderiu de maneira muito pouco crítica ao projeto tucano. A imprensa rasgou sua fantasia de imparcialidade e se tornou “suporte” do governo.

    ———-

    O BRASIL REAL – De 2002 a 2013

    Por Luiz Alberto de Vianna Moniz Bandeira.
    Fonte: Pátria Latina

    1 — Produto Interno Bruto:

    2002 —– R$ 1,48 trilhões
    2013 —– R$ 4,84 trilhões

    2 — PIB per capita:

    2002 —– R$ 7,6 mil
    2013 —– R$ 24,1 mil

    3 — Dívida líquida do setor público:

    2002 —– 60% do PIB
    2013 —– 34% do PIB

    4 — Lucro do BNDES:

    2002 —– R$ 550 milhões
    2013 —– R$ 8,15 bilhões

    5 — Lucro do Banco do Brasil:

    200 —– R$ 2 bilhões
    2013 —– R$ 15,8 bilhões

    6 — Lucro da Caixa Econômica Federal:

    2002 —– R$ 1,1 bilhões
    2013 —– R$ 6,7 bilhões

    7 — Produção de veículos:

    2002 —– 1,8 milhões
    2013 —– 3,7 milhões

    8 — Safra Agrícola:
    2002 —– 97 milhões de toneladas
    2013 —– 188 milhões de toneladas

    9 — Investimento Estrangeiro Direto:

    2002 —– 6,6 bilhões de dólares
    2013 —– 64 bilhões de dólares

    10 — Reservas Internacionais:

    2002 —– 37 bilhões de dólares
    2013 —– 375,8 bilhões de dólares

    11 — Índice Bovespa:

    2002 —– 11.268 pontos
    2013 —– 51.507 pontos

    12 — Empregos Gerados:

    FHC —– 627 mil/ano
    Lula e Dilma —– 1,79 milhões/ano

    13 — Taxa de Desemprego:

    2002 —– 12,2%
    2013 —– 5,4%

    14 — Valor de Mercado da Petrobras:

    2002 —– R$ 15,5 bilhões
    2014 —– R$ 104,9 bilhões

    15 — Lucro médio da Petrobras:

    Governo FHC —– R$ 4,2 bilhões/ano
    Governos Lula e Dilma —– R$ 25,6 bilhões/ano

    16 — Falências Requeridas em Média/ano:

    Governo FHC —– 25.587
    Governos Lula e Dilma —– 5.795

    17 — Salário Mínimo:

    2002 —– R$ 200 (1,42 cestas básicas)
    2014 —– R$ 724 (2,24 cestas básicas)

    18 — Dívida Externa em Relação às Reservas:

    2002 —– 557%
    2014 —– 81%

    19 — Posição entre as Economias do Mundo:

    2002 —– 13ª
    2014 —– 7ª

    20 — PROUNI —– 1,2 milhões de bolsas

    21 — Salário Mínimo Convertido em Dólares:

    2002 —– 86,21
    2014 —– 305,00

    22 — Passagens Aéreas Vendidas:

    2002 —– 33 milhões
    2013 —– 100 milhões

    23 — Exportações:

    2002 —– 60,3 bilhões de dólares
    2013 —– 242 bilhões de dólares

    24 — Inflação Anual Média:

    Governo FHC —– 9,1%
    Governos Lula e Dilma —– 5,8%

    25 — PRONATEC —– cerca de 6 Milhões de pessoas

    26 — Taxa Selic:

    2002 —– 8,9%
    2012 —– 8,5%

    27 — FIES – 1,3 milhões de pessoas com financiamento universitário

    28 — Minha Casa Minha Vida – 1,5 milhões de famílias beneficiadas

    29 — Luz Para Todos – 9,5 milhões de pessoas beneficiadas

    30 — Capacidade Energética:

    2001 —– 74.800 MW
    2013 —– 122.900 MW

    31 — Criação de 6.427 creches

    32 — Ciência Sem Fronteiras – 100 mil beneficiados

    33 — Mais Médicos (Aproximadamente 14 mil novos profissionais): 50 milhões de beneficiados

    34 — Brasil Sem Miséria – Retirou 22 milhões da extrema pobreza

    35 — Criação de Universidades Federais:

    FHC —– zero
    Lula e Dilma —– 18

    36 — Criação de Escolas Técnicas:

    FHC —– 11
    De 1500 até 1994 —– 140
    Lula e Dilma —– 214

    37 — Desigualdade Social:

    Governo FHC —– Queda de 2,2%
    Governo PT —– Queda de 11,4%

    38 — Produtividade:

    Governo FHC —– Aumento de 0,3%
    Governos Lula e Dilma —– Aumento de 13,2%

    39 — Taxa de Pobreza:

    2002 —– 34%
    2012 —– 15%

    40 — Taxa de Extrema Pobreza:

    2003 —– 15%
    2012 —– 5,2%

    41 — Índice de Desenvolvimento Humano:

    2000 —– 0,669
    2005 —– 0,699
    2012 —– 0,730

    42 — Mortalidade Infantil:

    2002 —– 25,3 em 1000 nascidos vivos
    2012 —– 12,9 em 1000 nascidos vivos

    43 — Gastos Públicos em Saúde:

    2002 —– R$ 28 bilhões
    2013 —– R$ 106 bilhões

    44 — Gastos Públicos em Educação:

    2002 —– R$ 17 bilhões
    2013 —– R$ 94 bilhões

    45 — Estudantes no Ensino Superior:

    2003 —– 583.800
    2012 —– 1.087.400

    46 — Risco Brasil (IPEA):

    2002 —– 1.446
    2013 —– 224

    47 — Operações da Polícia Federal:

    Governo FHC —– 48
    Governo PT —– 1.273 (15 mil presos)

    48 — Varas da Justiça Federal:

    2003 —– 100
    2010 —– 513

    49 — 38 milhões de pessoas ascenderam à Nova Classe Média (Classe C)

    50 — 42 milhões de pessoas saíram da miséria

    FONTES:

    47/48 – http://www.dpf.gov.br/agencia/estatisticas
    39/40 – http://www.washingtonpost.com/
    42 – OMS, Unicef, Banco Mundial e ONU
    37 – índice de GINI: http://www.ipeadata.gov.br
    45 – Ministério da Educação
    13 – IBGE
    26 – Banco Mundial

    ———-

    Voces lembram da PETROBRAX e da Plataforma P-36??

    FHC roubou até a paternidade do Real, plano que ele não continuou e endividou o pais com empréstimos ao FMI. Foi Lula que pagou aquela conta abnorme. O ex-FHC, atual nada, deixou o Brasil quebrado. No seu governo o Brasil virou ”casa de mãe joana” para o pessoal da Cia e do NSA que nem precisavam escutar na moita. O ex-FHC é implicado com a sabotagem do Sivam.

    FHC sempre foi um capacho dos Estados Unidos e continua servil aos interesses dos EUA. Adotou a política do “alinhamento automático” aos gangsters, tentou entregar a base militar de Alcântara (MA) ao Pentagono e defendeu e defende o tratado neocolonial da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). O ex-FHC, atual nada, deveria ser processado por crime de lesa-patria.

    Vale resumir os 45 escândalos que marcaram o governo dele, elencados por José Dirceu:

    1 — Conivência com a corrupção
FHC ao assumir a Presidência, em 1995, extinguiu, por decreto, a Comissão Especial de Investigação, instituída no governo Itamar e composta por representantes da sociedade civil, que tinha como objetivo combater a corrupção.

    2 — O escândalo do Sivam
    O contrato para execução do projeto Sivam foi marcado por escândalos.

    3 — A farra do Proer
    Para economistas da Cepal, os gastos chegaram a 12,3% do PIB, ou R$ 111,3 bilhões, incluindo a recapitalização do Banco do Brasil, da CEF e o socorro aos bancos estaduais.

    4 — Caixa-dois de campanhas
    As campanhas de FHC em 1994 e em 1998 teriam se beneficiado de um esquema de caixa-dois

    5 — Propina na privatização
    A privatização do sistema Telebrás e da Vale do Rio Doce foi marcada pela suspeição.

    6 — A emenda da reeleição
    O instituto da reeleição foi obtido por FHC a preços altos.

    7 — Grampos telefônicos
    Conversas gravadas de forma ilegal foram um capítulo à parte no governo FHC.

    8 — TRT paulista
    A construção da sede do TRT paulista representou um desvio de R$ 169 milhões aos cofres públicos.

    9 — Os ralos do DNER
    O DNER foi o principal foco de corrupção no governo de FHC.

    10 — O “caladão”
    O Brasil calou no início de julho de 1999 quando o governo FHC implementou o novo sistema de Discagem Direta a Distância (DDD). Uma pane geral deixou os telefones mudos.

    11 — Desvalorização do real
    FHC se reelegeu em 1998 com um discurso que pregava “ou eu ou o caos”. Segurou a quase paridade entre o real e o dólar até passar o pleito. Vencida a eleição, teve de desvalorizar a moeda.

    12 — O caso Marka/FonteCindam
    Durante a desvalorização do real, os bancos Marka e FonteCindam foram socorridos pelo Banco Central com R$ 1,6 bilhão. Salvatore Cacciola, ex-dono do Banco Marka, retornou à sua Itália natal, onde vive ”grattando i coglioni” e rindo do Brasil ”terra di coglioni”.

    13 — Base de Alcântara
    O governo FHC enfrenta resistências para aprovar o acordo de cooperação internacional que permite aos EUA de usarem a Base de Lançamentos Espaciais de Alcântara (MA). Os termos do acordo são lesivos aos interesses nacionais.

    14 — Biopirataria oficial
    Antigamente, os exploradores levavam nosso ouro e pedras preciosas. Hoje, levam nosso patrimônio genético.

    15 — O fiasco dos 500 anos
    As festividades dos 500 anos de descobrimento do Brasil, sob coordenação do ex-ministro do Esporte e Turismo, Rafael Greca (PFL-PR), se transformaram num fiasco monumental. Índios e sem-terra apanharam da polícia quando tentaram entrar em Porto Seguro (BA), palco das comemorações.

    16 — Eduardo Jorge, um personagem suspeito
    O ex-secretário-geral da Presidência, é um dos personagens mais sombrios que freqüentou o Palácio do Planalto na era FHC.

    17 — Drible na reforma tributária
    Pedro Malan, e o Palácio do Planalto impediram a tramitação.

    18 — Rombo transamazônico na Sudam
    O rombo causado pelo festival de fraudes transamazônicas na Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia, a Sudam, no período de 1994 a 1999, ultrapassa R$ 2 bilhões.

    19 — Os desvios na Sudene
    Foram apurados desvios de R$ 1,4 bilhão em 653 projetos da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste, a Sudene.

    20 — Calote no Fundef
    O governo FHC desrespeita a lei que criou o Fundef.

    21 — Abuso de MPs
    Enquanto senador, FHC combatia o abuso nas edições e reedições de Medidas Provisórias por parte Sarney e Collor. Os dois juntos editaram e reeditaram 298 MPs. FHC cedeu à tentação autoritária. Editou e reeditou, em seus dois mandatos, 5.491 medidas.

    22 — Acidentes na Petrobras
    A Petrobras protagonizou uma série de acidentes ambientais no governo FHC que viraram notícia no Brasil e no mundo.

    23 — Apoio a Fujimori
    O presidente FHC apoiou o terceiro mandato consecutivo do corrupto ditador peruano Alberto Fujimori.

    24 — Desmatamento na Amazônia
    Por meio de decretos e medidas provisórias, o governo FHC desmontou a legislação ambiental existente no País.

    25 — Os computadores do FUST
    A idéia de equipar todas as escolas públicas de ensino médio com 290 mil computadores se transformou numa grande negociata.

    26 — Arapongagem
    O governo FHC montou uma verdadeira rede de espionagem para vasculhar a vida de seus adversários e monitorar os passos dos movimentos sociais. Essa máquina de destruir reputações é constituída por ex-agentes do antigo SNI ou por empresas de fachada.

    27 — O esquema do FAT
    A Fundação Teotônio Vilela, presidida por ele mesmo, tinha como conselheiro o presidente FHC. Foi acusada de envolvimento em desvios de R$ 4,5 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

    28 — Mudanças na CLT
    A maioria governista na Câmara dos Deputados aprovou, contra o voto da bancada do PT, projeto que flexibiliza a CLT, ameaçando direitos consagrados dos trabalhadores, como férias, décimo terceiro e licença maternidade.

    29 — Obras irregulares
    Um levantamento do Tribunal de Contas da União, feito em 2001, indicou a existência de 121 obras federais com indícios de irregularidades graves.

    30 — Explosão da dívida pública

    31 — Avanço da dengue
    A omissão do Ministério da Saúde é apontada como principal causa da epidemia de dengue no Rio de Janeiro.

    32 — Verbas do BNDES
    Além de queimar o patrimônio público, o governo FHC, por meio do BNDES, destinou cerca de R$ 10 bilhões para socorrer empresas que assumiram o controle de ex-estatais privatizadas.

    33 — Crescimento pífio do PIB
    Na “Era FHC”, a média anual de crescimento da economia brasileira estacionou em pífios 2%, incapaz de gerar os empregos que o País necessita e de impulsionar o setor produtivo.

    34 — Renúncias no Senado
    A disputa política entre Antônio Carlos Magalhães e o Senador Jader Barbalho, em torno da presidência do Senado expôs publicamente as divergências da base de sustentação do governo.

    35 — Racionamento de energia
    A imprevidência do governo FHC e das empresas do setor elétrico gerou o apagão.

    36 — Assalto ao bolso do consumidor
    FHC quer que o seu governo seja lembrado como aquele que deu proteção social ao povo brasileiro.

    37 — Explosão da violência
    A Unesco coloca o País em terceiro lugar no ranking dos mais violentos, entre 60 nações pesquisadas.

    38 — A falácia da Reforma agrária
    O governo FHC apresentou ao Brasil e ao mundo números mentirosos sobre a reforma agrária.

    39 — Subserviência internacional
    ”Abaixar as calças” marcou a política de comércio exterior do governo FHC. Num gesto unilateral, os Estados Unidos sobretaxaram o aço brasileiro. O governo do PSDB foi acanhado nos protestos e hesitou em recorrer à OMC.

    40 — Renda em queda e desemprego em alta
    Para o emprego e a renda do trabalhador, a Era FHC pode ser considerada perdida.

    41 — Relações perigosas
    As relações suspeitas do presidenciável tucano José Serra com três figuras que estiveram na berlinda nos últimos dias. O economista Ricardo Sérgio de Oliveira, ex-caixa de campanha de Serra e de FHC, foi acusado de exercer tráfico de influência quando era diretor do Banco do Brasil e de ter cobrado propina no processo de privatização.

    42 — Violação aos direitos humanos
    Massacres como o de Eldorado do Carajás, no sul do Pará, onde 19 sem-terra foram assassinados pela polícia militar do governo do PSDB em 1996, figuram nos relatórios da Anistia Internacional, que recentemente denunciou o governo FHC de violação aos direitos humanos.

    43 — Correção da tabela do IR
    O governo FHC congelou por seis anos a tabela do Imposto de Renda.

    44 — Intervenção na Previ
    FHC aproveitou o dia de estréia do Brasil na Copa do Mundo de 2002 para decretar intervenção na Previ, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, com patrimônio de R$ 38 bilhões e participação em dezenas de empresas.

    45 — Barbeiragens do Banco Central
    O Banco Central – e não o crescimento de Lula nas pesquisas – tem sido o principal causador de turbulências no mercado financeiro. Ao antecipar de setembro para junho o ajuste nas regras dos fundos de investimento, que perderam R$ 2 bilhões, o BC deixou o mercado em polvorosa. Outro fator de instabilidade foi a decisão de rolar parte da dívida pública estimulando a venda de títulos LFTs de curto prazo e a compra desses mesmos papéis de longo prazo. Isto fez subir de R$ 17,2 bilhões para R$ 30,4 bilhões a concentração de vencimentos da dívida nos primeiros meses de 2003. O dólar e o risco Brasil dispararam. Combinado com os especuladores e o comando da campanha de José Serra, Armínio Fraga não vacilou em jogar a culpa no PT e nas eleições.

    ———

  6. Esse Mainardi tem cara de gente doida. Aliás, se pararmos para observar, todo tucano ou simpatizante da extrema-direita tem a cara ruim (vide Serra, Aécio, Aluísio Nunes, Bolsonaro, etc). Agem sorrateiramente no campo político. Nunca esquecerei da eleição de 2010 cujo qual, nunca havia visto tanta injúria, calúnia e difamação partindo de propagandas do PSDB contra a Dilma. Não sabem mais e nem conseguem ganhar no voto, pois ninguém cai mais na conversa deles. Agora “terceirizam” a propaganda partidária com esse boneco Chuck de ventríloquo que é esse Diogo Mainardi. Meu Deus, como a direita está a cada dia decadentemente desesperada!!!

  7. Este jornalista precisa ser pressionado sim é um boca mole que fala, fala e não tem como provar nada.

  8. Uma matéria para você morrer de rir da cara dos coxinhas que não podem sair do Brasil

    Rico que gritava “vai para Cuba” foi para Portugal, por Sérgio Saraiva

    Burguês endinheirado se protege da crise no Brasil indo morar em país de governo socialista. E você coxinha, ainda achando que prender o Lula é a solução para o Brasil?

    EM 24/04/2017 – 15:56

    http://jornalggn.com.br/blog/sergio-saraiva/rico-que-gritava-%E2%80%9Cvai-para-cuba%E2%80%9D-foi-para-portugal-por-sergio-saraiva

    Duas notícias, neste mês de abril, complementares com uma distância de três semanas, mostram como pensam as classes dominantes neste país: “farinha pouca, meu pirão primeiro”.

    No início de abril, a BBC-Brasil, repercutindo a The Economist, trazia uma notícia que ia contra a corrente do que se prega no Brasil para sairmos da crise.

    ”Portugal está superando a crise econômica sem recorrer a fórmulas de austeridade, diz Economist”.

    Portugal 1

    “Segundo reportagem desta semana da revista britânica The Economist, Portugal conseguiu reduzir seu deficit orçamentário à metade em 2016, chegando a 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB). Trata-se do melhor resultado registrado desde a transição para a democracia, em 1974.

    O governo português do primeiro-ministro António Costa, do Partido Socialista, no poder desde novembro de 2015, conseguiu reduzir o deficit fiscal ao mesmo tempo em que aumentou os salários e aposentadorias.

    Sob o comando de Costa, o país também atingiu pela primeira vez a meta estabelecida para as nações da chamada zona do euro e conseguiu reestabelecer salários, aposentadorias e horas trabalhadas aos níveis anteriores à crise econômica de 2008. Além disso, a economia portuguesa cresce há três anos seguidos”.

    Você pode concordar ou discordar de Lula e de Lorde Keynes. Mas a notícia é essa.

    Agora, em 23 de abril de 2017, a Folha de São Paulo traz uma matéria que mostra como reagiram as classes dominantes brasileiras em relação a isso.

    ”Desencanto e crise impulsionam êxodo de brasileiros abastados para Lisboa”.

    Portugal 1

    “Hoje, 85 mil brasileiros são residentes regulares em Portugal, com visto de trabalho e estudo.

    Para ter direito ao visto especial, o “golden visa” (Autorização de Residência para Atividade de Investimento), é preciso investir € 1 milhão (R$ 3,4 milhões) ou adquirir imóvel que custe pelo menos € 350 mil (em áreas de reabilitação urbana) ou € 500 mil nas demais zonas. Após cinco anos de residência, o beneficiário pode solicitar cidadania portuguesa”.

    Não é para qualquer um.

    Mas veja só quem já está por lá, o dono da Empiricus, um nome bastante conhecido dos coxinhas que vestiram camisa amarela e bateram panelas.

    “Recomendamos fortemente o investimento em imóveis em Portugal. Você paga barato, está na Europa, forma um patrimônio em euros e o retorno varia de 5% até 15%”, avalia Renato Breia, sócio da Empiricus, consultoria financeira que abriu filial em Lisboa”.

    Portugal 2

    “O economista de 32 anos se mudou há um ano e meio para lá e seguiu o conselho dado aos clientes, ao comprar por € 270 mil um apartamento de 90 m²”.

    Perto de um milhão de reais por um apartamento de 90m². Mas vale a pena.

    “O jovem e as duas famílias fazem parte de uma leva de brasileiros de classe média alta e ricos que, nos últimos três anos, encontraram além-mar um Eldorado para fugir da insegurança, do desencanto com a política e da crise econômica no Brasil”.

    Para saber o que leva os brasileiros ricos para Portugal, deve se ouvir a cônsul-geral-adjunta do Brasil em Lisboa:

    “Aqui, desfrutam do seu nível de vida, as crianças andam sozinhas em segurança, contam com boas escolas internacionais, além de saúde e educação públicas de qualidade.”

    Saúde e educação públicas de qualidade. Parece escárnio, quando lembrarmos das críticas que esse pessoal fez aos governos Lula e Dilma e o que apontam como erros – os gastos sociais.

    Errado, não parece escárnio – é escarnio. Vejamos o que diz uma dessas pessoas, dono de uma produtora de vídeo que passa 40 dias em Portugal e 20 em Brasília, onde fica a sede da produtora: “ganho dinheiro no Brasil e vivo em Portugal”.

    Esse é o melhor dos dois mundos para a plutocracia brasileira, ganhar dinheiro em país comandado pelo PSDB e morar em um país que governa como o PT.

    Um recado para quem ainda acredita na Lava Jato como solução do país?

    “A mulher mais rica de Portugal é uma brasileira, Regina Camargo, 66, herdeira da Camargo Corrêa. Com fortuna estimada em US$ 1,9 bilhão, ela e o marido, Carlos Pires, dono da rede Raia-Drogasil, escolheram viver em um prédio restaurado no Chiado, zona mais nobre do centro histórico de Lisboa”.

    Camargo Correia, para quem ainda não ligou o nome à pessoa.

    Não estão sós: “expoentes das novas gerações, como Ana Maria Diniz, filha mais velha de Abilio Diniz (atual BRF e ex-Pão de Açúcar), e o marido, Luiz Felipe D’Ávila, estão reformando um imóvel também no Chiado, onde o metro quadrado pode chegar a € 10 mil”.

    Comentou-se muito por aqui quando Joaquim Barbosa usou suas economias para comprar um apartamento em Miami com alguma controvérsia quanto ao registro de imóveis e aos impostos decorrentes, mas o padrão português atual não é nem mesmo para ministro do Supremo. Um ministro do STF ganha algo perto de R$ 40 mil. É um bom salário, mas não o suficiente para bancar uma ponte aérea Brasília-Lisboa, algo em torno de R$ 13 mil. Porém:

    “Gilmar Mendes, ministro do STF, optou por Príncipe Real, outra zona nobre, onde comprou apartamento no ano passado. Com voo direto de Brasília para Lisboa, costuma passar feriados e planeja usufruir ainda mais do imóvel quando se aposentar”.

    Portugal 4

    Obviamente, o cidadão brasileiro Gilmar Mendes tem outras fontes de renda além do salário de ministro do STF. Trata-se de um empresário de sucesso na área da educação.

    Mas, e você coxinha de classe média baixa, que ficou sabendo que não vai poder se aposentar e que será terceirizado, perderá o convênio médico bancado pela empresa e passará a emitir nota fiscal para o patrão no lugar de receber holerith, ainda tem raiva do Lula?

    Viu no que dá cair do conto do pato amarelo e ir fazer acampamento em frente da FIESP achando que poderia chamar patrão de companheiro de lutas? Você perdeu o lugar e teu patrão foi para Portugal.

    Lembra-se de quando você invadia Miami para fazer compras achando que estava no primeiro mundo? Bons tempos. Não tem jeito, coxinha, reconheça, você foi feito de trouxa. Encha seu peito de ar e grite conosco: Fora, Temer – Volta, querida.

    Ou, ao seu estilo: “vai tomar no cu”.

  9. Esse sujeito é tão desagradável e agressivo, que os seus argumentos se perdem nessa atitude incriminatória em relação ao mundo. O pensamento crítico é outra coisa, pois frutifica deixa brotar o que há de verdadeiro. Não dá para ouvi-lo, nem mesmo quem tem alguma boa vontade ou condescendência.
    Se continuar assim, mais dia-menos dia, estará novamente nas barras da justiça.

  10. Edu, além de tudo aquilo que você colocou em seu texto, existem outros aspectos comportamentais de Mainardi que vão no mesmo sentido de suas colocações. Vejamos dois deles:

    Se Mainardi odeia tanto o Brasil a ponto de fixar residência na Itália, por qual razão, agora que “optou” por morar em Veneza, ele não esquece o Brasil e passa a cuidar exclusivamente de sua vida veneziana ?

    Por outro lado, se sua “opção” por Veneza tem relação com alguma incompatibilidade ideológica de administração do país, uma vez afastado o PT, que motivo o impediria de voltar ao Brasil para testemunhar o desmonte do país e vivenciar tudo aquilo que sempre sonhou e pregou para o Estado brasileiro ?

    Percebe que as palavras de Mainardi não se compatibilizam com o seu comportamento ?
    Se de um lado ele ostenta desprezo pelo Brasil, por outro, no lugar de colocar em pratica esse desprezo e simplesmente ignorar tudo aquilo que aqui se passa, ao contrário, insiste em continuar a falar e falar sobre o Brasil expondo sua incontrolável dor de cotovelo por constatar sua pequenez em relação ao povo brasileiro.

  11. É um idiota metido a jornalista,não passa de um fofoqueiro puxa saco de ladrão do psdb,golpista sujo e invejoso,tem inveja do lula ter sido Presidente da Republica,o maior Presidente que este País já teve.

  12. Esse Mainardi é um grande lambe-botas.

  13. Dá prá ver o nível das pessoas que caluniam as pessoas do bem..quando inquiridas, como covardes correm, fogem com medo da justiça, são valentes, mas como cão medroso só ladra e como covarde ataca reputações ilibadas, escondendo a sua na lata do lixo. Quanto mais vejo isso me convenço: o PT e as esquerdas estão no lado certo da HISTÓRIA: a lado dos mais POBRES, igual ao nosso mestre Jesus Cristo.

  14. Esse bosta tem origem em um país que é o c* do primeiro mundo. Faz parte daqueles que os verdadeiros ricos da Europa chamam de PIG (porcos). País de mafiosos e que uma penca deles deles vieram para o Brasil com uma mão na frente e outra atrás, mortos de fome. Mesmo assim, os rebentos dessa escumalha se acham e têm a petulância de vomitar seus preconceitos sobre os verdadeiros nacionais. Canalha, gosta de se esconder sob sua dupla nacionalidade, morando como rato que é num esgoto malcheiroso que é Veneza. Dizer que a MPB é o símbolo de atraso do Brasil, desnuda toda ignorância desse ser abominável.

  15. Caro Edu, estamos sempre alerta conta estes fascistas. Conte comigo para o que der e vier.

  16. Miguel Silva,
    dizer que os italianos são mafiosos é como dizer que todos os brasileiros são traidores corruptos informantes e lacaios do governo estadunidense como micha Temer. Voce acha que todo e qualquer brasileiro é um alienado e cretino, capaz de fantasiar-se de Batman como representação da lei e da justiça (!), e sair pelas ruas ofendendo Lula, Dilma e o PT?

    Voce acha que todo e qualquer brasileiro vai empunhar a bandeira do Brasil com a escrita ”MERDA”?

    E no entanto alguns foram e são capazes disso e muito mais. A Italia é pais irmão e amigo. Veneza é uma das cidades mais bonitas e ricas de historia do mundo ocidental. Mainardi e sobretudo o juiz Sergio Moro (que foi treinado nos EUA no laboratorio de Mani Pulite) não passam de dois ”caga cazzo”.

    Assista – legendado em portugues – a fala do professor Luigi Ferraioli, teórico do direito italiano na Camara dos Deputados da Republica Italiana, na presença dos advogados do Lula.
    https://www.pandoratv.it/?p=15982

    Assista também a parte da advogada do Lula na mesma Camara
    https://www.pandoratv.it/?p=15970&doing_wp_cron=1493284907.8220820426940917968750

    Assista a parte do Adv. Cristiano Zanin Martins, defensor de Lula
    https://www.pandoratv.it/?p=15956

    Conheça o Collettivo Garibaldi: https://controilgolpebrasiliano.wordpress.com/

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.