Gestão Dória será investigada por cárcere privado de servidores

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

mpt capa

Matéria da jornalista Monica Bergamo publicada na Folha de São Paulo online na tarde da última quinta-feira (27) revelou que o prefeito regional de Pinheiros (São  Paulo), Paulo Mathias, afirmou em vídeo que parte de seus funcionários dormiria no prédio da prefeitura regional para não ter que enfrentar a paralisação dos transportes marcada para esta sexta-feira (28) em várias cidades, inclusive São Paulo.

O vídeo mostra Mathias acompanhado de seis funcionários da área de manutenção e dizendo que foi surpreendido e ficou “arrepiado, emocionado” com a decisão dos funcionários de passar a noite no local de trabalho:

O seu João para vocês terem uma ideia mora em Ibiúna, a mais de 50 km de São Paulo, e não vai conseguir vir para cá porque algumas pessoas resolveram atrapalhar a vida dos outros. Nós somos a favor do direito à greve, mas não em dia de trabalho“, diz Mathias.

Para concluir, Mathias afirmou: “aqui na Prefeitura de Pinheiros, amanhã é dia de trabalho“.

O vídeo gerou comoção nas redes por vários fatores. Especialistas de direito do trabalho estão considerando “ilegal e criminosa” a postura do subprefeito em questão, que se conecta com a postura do prefeito João Dória, que insultou os munícipes e servidores que eventualmente decidam exercer o direito de greve. Para esses especialistas, a gestão Doria pratica “cárcere privado” contra os servidores.

O Blog da Cidadania consultou o Ministério Público do Trabalho de São Paulo e um procurador que não quis se identificar até que os procedimentos todos tenham sido adotados informou que dezenas de denúncias estão sendo feitas em relação a esse caso e que procedimento investigativo está sendo aberto.

Para entender o que motiva essa investigação que estaria sendo aberta contra a gestão Doria o Blog entrevistou o especialista em Direito Trabalhista Júlio Francisco Caetano Ramos. No vídeo a seguir você assistirá ao vídeo do subprefeito de Pinheiros que gerou a polêmica e ouvirá a análise do especialista em direito do trabalho sobre a postura vergonhosa do governo da Capital Paulista.

ATUALIZAÇÃO  – 29/04/2017

No final da  tarde da última sexta-feira, 28 de  abril, o Ministério Público do Trabalho emitiu nota confirmando a abertura da investigação.

MPT nota

Tags: , , ,

62 Comentário

  1. Eita. Fazer greve em horário de folga é o mesmo que praticar surf na piscina do condomínio!

    • Como tinha numa divulgação de postagem de facebook em outro blog: “Greve é para incomodar, se fosse pra fazer graça a gente se vestia de verde e amarelo e dançava ao redor de pato gigante.”

    • Exato. O que querem é que se tenha a sensação de que estamos “fazendo algo” por nossos direitos, mas que seja inócua para o poder. Desobediencia civil é o caminho. Mas com os “comprados”(e sejamos justos, alguns coagidos diretamente ou pelas circunstâncias, como familia, etc) fica dificil uma adesão da esmagadora maioria.

  2. A greve é direito constitucional. O direito de ir e vir, também é direito constitucional.
    Se estas pessoas ficaram na sede da prefeitura por livre e espontânea vontade, onde esta o carcere privado?
    O que estamos vendo, é uma meia duzia de caraminguados, tentando impor sua vontade,(queimando peneus, partindo para as vias de fato). O Brasil já perdeu muito nestes últimos 13 anos, a classe política, (GERAL E DE TODOS OS PARTIDOS), acabou com o Brasil. Necessitamos sim, reformas urgentes! Necessitamos acabar com estes pelegos inúteis, que vivem as custas do sindicalismo. Deve ser sindicalizado aquele que quer, que deseja. Este dinheiro que nos tomam todo o ano, que não justificam ou explicam em que é aplicado, deve terminar.

    • Caro,

      Se você fosse só analfabeto político eu entenderia. O fato é que você age de má-fé.
      Primeiro porque você nem sabe o que é pelego. Este termo foi cunhado pelo sindicalismo que combatia os pelegos, tipo Joaquinzão. Quanto ao desconto de um dia em decorrência das negociações eu queria saber se você devolve o aumento conquistado pela luta sindical. Então meu camarada, antes de escrever bobagens, busque saber sobre o assunto que vai dar “pitaco”. Só o fato de negar a política já mostra o quanto você defende uma determinada ideologia. Provavelmente a tal escola sem partido. Só não dizem que sem o partido com o qual você não concorda. Mas pode ser o partido do consenso de Washington… Vai te catar PELEGO!!!

    • Eu não sou obrigado a me sindicalizar. Sou sindicalizado porque quero ser. O sindicato não me obrigou a filiar. A parcela com que contribuo com um dia do meu trabalho, e mais o que é descontado por mês, é um dinheiro dado de boa vontade.

      Está entendido?

    • Antes de criticar organização trabalhista, cobre dos seus representantes no Legislativo e Executivo maior seriedade.xom as despesas públicas que NÓS, trabalhadores, pagamos!
      Muito fácil fazer farra com.dinheito do trabalhador,sustentar banquetes e luxo enquanto o povo não tem direito à mínimas condições de sobrevivência. Sem falar em.congelamento de gastos em Educação, saúde…

    • Meia dúzia?
      Tadim.

  3. João dólar prova a cada dia que é um homunculo asqueroso e desprezivel

  4. E ,ainda obriga os funcionários dá depoimento
    dizendo que estão felizes ao serem intimidados.
    Síndrome de Estocolmo?
    É preciso investigar em que condições estes
    trabalhadores dormiram.Se alimentaram?
    Situação análoga a trabalho escravo.

  5. Que eu saiba, Eduardo, só na época da ditadura civil-oligárquico-militarizada coisas assim aconteciam. Mas numa democracia tal fato é intolerável! Mas como conheço bem o que pensa essa gente da classe dominante como o Dória para mim não é surpresa. O desprezo atávico dos dominantes em relação aos trabalhadores e ao próprio trabalho é secular. Afinal, quando o colonizador aqui chegava a primeira coisa que fazia era comprar um escravo para explorá-lo até a morte enquanto o mesmo gozava o pleno ócio. Trabalhar era considerado indigno e infame para o colonizador. Um fardo que só cabia ao escravo. E esse triste país infelizmente ainda levará gerações para superar a vergonhosa herança escravista da qual padecemos e que nos assombra há séculos.

  6. Absurdos e mais absurdos, é. Isto que estamos vendo dia a dia após o golpe, e só acontece pela certeza que os golpistas tem de que tudo eles podem. Somente o trabalhador mobilizado e decidido poderá reverter o é caminho para a escravidão.

  7. pensei que já tinha visto tudo em relação a

    ignorante político e puxa-saco.

    pelo menos o golpe tá servindo pra mostrar

    a que ponto desce a podridão humana.

    tão sinalizando que a meta é revogar a lei Áurea

    • Revogar a Lei Áurea?
      Não haverá a revogação da tal lei. Haverá sim a extensão da escravidão para todos. Antes só negros eram escravos, o que não era pouco.
      Agora todo trabalhador será escravo.
      Em uma só penada, pretendem acabar também com a lei de ventre livre, pois nossos filhos continuarão a ser escravos e com a lei do sexagenário, pois a escravidão só vai terminar aos 80.

  8. A Direita é isso aí… Ilegalidade, imoralidade, estupidez e exploração!
    Pena que tantos oprimidos ainda não conseguiram se libertar do jogo do opressor.

    Dia 9 e 10 eu e a Mari estaremos no Paranáguai do Moro!
    Levaremos nossas bandeiras do Brasil e de Lula além de uma faixa sobre a luta de classes.

  9. Os que aceitam, são chamados de “pelegos de baby-dool”, dormem com o chefe (o patrão pede helicóptero) e ferram com os colegas.

  10. Se esses imbecis não querem saber o que está escrito na nossa Constituição, recorramos ao dicionário.
    Greve sf. Recusa coletiva de trabalhadores, funcionários, etc., a comparecer ao trabalho ou a trabalhar, para forçar a aceitação de suas reivindicações; (Minidiconário da Língua Portuguesa/ Sérgio Ximenes- 2a. ed.rev. e ampl. – Aão Paulo, Ediouro, 2.000) Será que é preciso desenhar?

    • Certamente. Li mais de uma vez e não consegui ver nada que diga que a greve permite cercear o direito de ir e vir, de queimar pneus e ônibus, de arrombar vitrines e bancos, enfim de usar meios terroristas para impedir quem queira trabalhar. Enfim, essa definição do Aurélio não cabe no que hoje aconteceu e ainda acontece por aqui. O que aconteceu aqui vai contra a Constituição, é crime.

  11. Qua Qua Qua Qua!
    Mais uma matéria tosca e ridícula do bloguinho chinfrim do Dudu, aquele que se diz um “jornalista” admirado até pelos Repórteres sem Fronteira.
    O negócio dos PaTetas esquerdopatas é dar porrada no Dória a qualquer custo. É o grande alvo a ser batido.
    Cárcere privado é o que os pelegos fazem queimando pneus e fechando as ruas deixando as pessoas presas durante horas no trânsito até a tropa de choque desobstruir a rua ou os pneus terminarem de queimar.
    Não tem jeito, o imposto sindical vai acabar. Será o segundo grande golpe na verba pra compra da mortadela. KKKKKK!!!

    • Parabéns prestigiado JORNALISTA Eduardo Guimarães por mais este excelente trabalho jornalístico. Nota-se que a contundência e a acuidade analítica dos seus textos acabam causando espasmos mentais e consequentemente disenteria verbal naqueles que se deixaram AMESTRAR pela rede Globo.

  12. Prezado Eduardo:

    28 de abril de 2017

    Elisabet Moreira

    Refletindo sobre posicionamentos, fotos, coberturas jornalísticas, dores e alegrias de protestos contra – e a favor – da reforma da previdência em curso… A causa dos patrões está clara, mas, para os trabalhadores, há muito a ser entendido para que a história possa ser devidamente assimilada. Pois bem, a intelectual que tem dificuldades para caminhar em manifestações coloca aqui algum embasamento para o momento do depois, para que o presente não lhe tenha passado desapercebido. Assinalei trechos do “Discurso da Servidão Voluntária” (São Paulo: Matin Claret, 2009) de Étienne de La Boétie, que viveu no século XVI, numa França dividida por guerras religiosas, entre católicos e protestantes ou huguenotes.
    • Quais irão com mais coragem ao combate?
    Coloquem-se frente a frente cinquenta mil homens armados, dispostos em posição de combate. Ao chegar o momento do ataque, uns, livres, lutam por sua liberdade; os outros, para tirá-la deles. A favor de quem se prevê a vitória? Quais irão com mais coragem ao combate: aqueles que esperam como recompensa de seus sacrifícios manter sua liberdade, ou aqueles que só podem esperar a servidão de outrem como salário dos golpes que dão ou recebem? (p.34/35)
    Teremos a resposta? A liberdade também é uma metáfora de uma vida digna, respeitosa, com direitos conquistados e cumpridos, pois temos consciência de que somos livres e de que lado estamos e prosseguimos.
    • Quem poderia acreditar, se só tivesse ouvido e não tivesse visto, que um só homem oprime cem mil e os priva de sua liberdade?
    Não é preciso combater nem derrubar este tirano. Ele se destrói sozinho, se o país não consentir com sua servidão. Nem é preciso tirar-lhe algo, mas só não lhe dar nada. O país não precisa esforçar-se para fazer algo em seu próprio benefício, basta que não faça nada contra si mesmo. São, por conseguinte, os próprios povos que se deixam, ou melhor, que se fazem maltratar, pois seriam livres se parassem de servir. É o próprio povo que se escraviza e se suicida quando, podendo escolher entre ser submisso ou ser livre, renuncia à liberdade e aceita o jugo; quando consente com seu sofrimento, ou melhor, o procura. (p. 36)
    Estas afirmações podem parecer incoerentes, mas, mostram que o oprimido (lembrando também das lições de Paulo Freire) só se libertará se o quiser, se tiver a coragem de se posicionar por ele mesmo. Este século XXI, de tantos pós, marca o consumismo como alienação e privação da liberdade.
    • Os tiranos, quanto mais pilham mais exigem.
    Mais arruínam e destroem quanto mais é dado a eles. Quanto mais servidos mais se fortalecem e se tornam cada vez mais fortes e dispostos a aniquilar e destruir tudo. Mas basta não lhes dar nada e não lhes obedecer, sem combatê-los ou atacá-los, e eles ficam nus e são derrotados, e não são mais nada, assim como o ramo que, não tendo mais sumo nem alimento em sua raiz, seca e morre. (p.39)

    Palavras são palavras e podem ser interpretadas em vários níveis, em tempos e espaços diferentes… as lições de La Boétie, no entanto, são proféticas. Neste espaço de FB, onde tudo deve ser rápido, indago ainda, somos livres ou não?

    E Valdir-Ba, acrescenta uma frase de Péricles, orador ateniense, no enterro de jovens que haviam morrido em batalha.
    ” Não há felicidade sem liberdade e o fundamento da liberdade é a coragem”. Quem quiser morrer como escravo trabalhando e sem direitos, aprove as reformas propostas pelo governo fascista e Michel Temer e deixe de ir para as ruas defender os seus direitos.

    • Parabéns, muito bom. Às vezes acho que tudo isso vai acabar nos moldes dá Revolução Francesa. Não há mais espaços para tanta hipocrisia. Não tem pão dê brioches ao povo. São inúmeros papagaios de pirata que ficam reverberando a fala da mídia. Ora, por todos os comentários, a proposta era refletirmos sobre o cárcere privado. Sim, estamos há anos em cárcere, só não desconfiávamos, bastou tentarmos por os pés na rua e dizer chega!

  13. Todo mundo tem direito de descanso, desde que não seja no dia de folga!

  14. A GREVE DO DIA 28 EM FORTALEZA FOI/ESTÁ SENDO UM TREMENDO SUCESSO

    Mesmo sem ônibus circulando entre os bairros e o centro da cidade, e apesar da chuva que começou a cair a partir das 11;20 h, da imprensa local que escondeu a notícia e da rede Globo de Televisão que fez o mesmo, a manifestação em Fortaleza foi a maior de todos os tempos. No mínimo 80 mil pessoas percorreram as rua do centro da cidade, nessa sexta-feira, dia 28 de abril.

    Uma vez que quem morava nos bairros afastados não teve muita facilidade em chegar à Praça da Bandeira, local da concentração inicial, é mais do que razoável supor que foi a classe média que compareceu maciçamente ao centro da cidade.

    No centro da cidade, local de onde acabo de sair há poucos instantes, praticamente nada funcionou, com exceção de um ou dois barzinhos, e mesmo assim no final da manifestação. Ainda no Centro, todo o comércio fechou as portas, e se antes de começar a manifestação alguma farmácia qualquer vendeu alguma tipo de medicamento, tratou-se provavelmente de um envelope de melhoral.

    Portanto, a nota da greve geral em Fortaleza foi/esta sendo 10.

  15. Edu,

    todo mundo tem direito de descanso, desde que não seja no dia de folga.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!

  16. E ele queria que fizesse greve no dia de Natal?

  17. Cárcere privado??? Que piada é essa?? Hahahaha.

    Essa Greve GERAL foi excessivamente parcial não????

    Já que vc está vidrado no Dória, comenta o episódio dos “grevistas” que quiseram impedi-lo de trabalhar e chegaram atrasados… e foram devidamente chamados do que são: VAGABUNDOS.

    Querem fazer greve? Façam. Mas não encham o saco.

    Eu trabalhei normalmente. Fora certo inconveniente causado pelos lixos – humanos nas ruas, com bloqueios e outras atitudes crimimosas- que nada tem a ver com “greve”- foi tudo bem. Meus filhos tiveram aula normalmente, eu ganhei meu dinheiro numa boa….

    A unica greve que pega mesmo é a dos metroviarios… logo quem sabe, com a privatizacao completa do metrô tenhamos o fim deste LIXO SINDICAL. Viram a linha amarela que beleza?

    Aposto que eduguim não vai parar suas atividades comerciais…. não é bobo.

    Aposto que o advogado Zanin estava trabalhando normalmente. Assim como Lulinha filho…. e a pelegada fazendo baderna, quebrando aeroportos, tentando bloquear estradas… lixo puro, peneirado…

  18. Dória é um filhinho de papai que nunca trabalhou na vida, por isso comete esses crimes de cárcere privado e escravidão. Galera paulista, no canal TVT(44.1) está noticiando sobre a greve e é notícia de verdade e não da mídia nativa sem vergonha que está tentando diminuir a greve.

  19. E olha o post que saiu no blog do jornalista Paulo Nogueira sobre a subprefeitura de Pinheiros: “Exclusivo: fiscal de Trabalho Escravo encontra graves irregularidades em subprefeitura de Doria. Por Joaquim de Carvalho”. Cito os primeiros parágrafos: “Um fiscal do Programa de Erradicação do Trabalho Escravo, do Ministério do Trabalho, esteve hoje na Prefeitura Regional de Pinheiros e notificou o departamento jurídico de irregularidades graves.

    “Não podemos dizer que constatamos trabalho escravo, isso não, mas encontramos graves irregularidades ao verificarmos as condições precárias de acomodação para funcionários pernoitarem, precariedade total, ainda que por uma noite”, disse o fiscal Luiz Alexandre de Faria.

    O fiscal está no Ministério do Trabalho há mais de 20 anos e já conduziu algumas das operações de maior repercussão no País, como a de costureiras que trabalham na produção de roupas para marcas famosas, em ambiente fechado e insalubre”.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/exclusivo-fiscal-de-trabalho-escravo-encontra-graves-irregularidades-em-subprefeitura-de-doria-por-joaquim-de-carvalho/

  20. E essa coisa ainda quer ser presidente. Hoje o Recife parou. A greve foi um sucesso doa a quem doer. Fora Temer.

  21. Quando “Stanislaw Ponte Preta (Sergio Porto) vivo, sua fonte de inspiração e galhofa,
    era o Ibrahim Sued, “colunista social” – Ídolo das dondocas da época, na sua “Coluna Social d’Globo”
    Constantemente o “Stanislaw” afirmava, na capa do “Ultima Hora” (do também jornalista Samuel Wainer): ” Ibrahim, Ibrahim, se não fosse você o que seria de mim?
    Hoje quem fornece ”matéria” assemelhada para os Blogueiros, a frente deles, o Eduardo, é o Prefeito dos paulistanos inteligentes.
    Coitado. Creio que o problema dele seja oxiúros enroscados nas pilordas. (Termo indecoro que ouvi na infância)

  22. Mais uma vergonha desse grupo que se apoderou do poder. É exatamente o que eles farão daqui pra frente depois que eles conseguirem passar todas as reformas juntamente à terceirização.
    Volta à escravidão, quando todos os empregados se submeterão ao chicote do patrão para não perderem o emprego, pois o que não faltará é gente desempregada se submetendo para não morrer de fome.
    Continuo indignada com essa escória que domina o país, com a ajuda da mídia golpista.

  23. A greve, a revolta e os roubos que destruíram o país
    Maiores responsáveis pelos saques ao Brasil deveriam estar trancafiados nos porões mais sombrios
    Jornal do Brasil
    http://www.jb.com.br/opiniao/noticias/2017/04/28/a-greve-a-revolta-e-os-roubos-que-destruiram-o-pais/

    Depois de Sérgio Cabral, de mais de R$ 1 bilhão em roubo, depois de alguns bancos terem operado no imposto de renda, depois da velocidade dos depoimentos na Operação Lava Jato, que realmente é a grande responsável pela crise que o país vive, com as acusações de corrupção, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, fraudes em licitações, formação de cartel, superfaturamento e mais um rol de crimes que desnorteiam a sociedade, não se entende a demora e a falta de informações sobre os crimes dos banqueiros. Não se entende como os grandes responsáveis pela destruição dos país, os empreiteiros, fundamentalmente os presidentes das empresas, possam ainda estar fazendo delações não na justiça, mas na imprensa, como se fossem verdadeiros heróis da pátria.

    Eles já deviam estar trancafiados nos porões mais sombrios, para que pudessem sofrer o que os desempregados, os mortos pela falta de remédio e hospitais – até mesmo numa classe mais elitizada – estão sofrendo. Deveriam estar trancafiados para que também não sofressem moradores de prédios em que viviam esses ladrões, como reclamaram os vizinhos do também desqualificado membro da quadrilha que golpeou o Rio de Janeiro durante 12 anos, doutor Sérgio Côrtes – tão importante em seu tempo e tão protegido por médicos importantes do Rio de Janeiro.

    Manifestantes são dispersados com bombas de efeito moral
    Manifestantes são dispersados com bombas de efeito moral

    A greve é o simbolismo de tudo isso que estamos vivendo em nosso país, e principalmente nesse estado que já foi cartão postal da maravilha vista pelo mundo. Hoje é um cartão postal distribuído no mundo para não ser visitado.

    Não serão precisos anos, mas sim gerações para que um dia esse estado seja recuperado. Só não esperamos que também seja preciso o mesmo tempo para recuperar o Brasil.

  24. Prefeito Doriana reinstituiu a senzala, obrigando os servidores a dormirem no local de trabalho. Se continuarem isso é só o começo, já, já trazem de volta o pelourinho, e outras lembranças tão caras para essas elites escravocratas.

  25. Greve dos pneus.
    Violência.
    Se não pode conscientizar , use a violência contra as pessoas.
    Só assim para colocar o comunismo-socialismo-nazismo-fascismo só pela violência.
    Não é pelos “20 reais” é pelo fim do imposto sindical que lutam, por causa de uma lei fascista.
    Não foi na greve Edu?

  26. Tenho um escritório com vista privilegiada do Largo da Carioca. Sou testemunha da covardia da PM atirando bombas de efeito moras e gás lacrimogêneo a esmo, em cima de pessoas que estavam passando. Vergonha

  27. Salvador João Ferreira [Postado no facebook]
    Agora mesmo ·

    Não tendo outra coisa prá fazer; não conseguindo provar nada, fica tomando objetos que todos os outros presidentes conquistaram e da mesma maneira. Isso, excelentíssimo tem nome e eu não atrevo-me dizer. Não sou amigo do rei.

    Moro confisca bens de Lula e defesa aponta mais uma prova da perseguição judicial
    O juiz Sergio Moro, que conduz a Lava Jato, confiscou 21 bens que o ex-presidente Lula recebeu de outros chefes de Estado e determinou que fossem devolvidos à união; entre os bens, semelhantes aos que estão expostos no Instituto FHC, constam itens como moedas, espadas e outros presentes que, geralme…
    BRASIL247.COM

  28. QUEM CONHECEU A GLOBO POR DENTRO: UM PARALELO ENTRE AS NOTÍCIAS SOBRE AS DIRETAS JÁ E SOBRE A EXITOSA GREVE DE ONTEM

    Na histórica Greve Geral de 2017, Globo fez pior do que nas Diretas Já de 1984
    Por Luiz Carlos Azenha, no Vi o Mundo

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/na-historica-greve-geral-de-2017-globo-fez-pior-do-que-nas-diretas-ja-de-1984.html

    por Luiz Carlos Azenha

    Em 1983 eu era repórter da TV Bauru, afiliada da Globo no interior paulista. Porém, vivia “cedido” à emissora em São Paulo, cobrindo férias de colegas. Morava no Hotel Eldorado da rua Marquês de Itu, no Higienópolis, na capital paulista, como repórter do chão de fábrica.

    Fui, como pessoa física, à primeira manifestação pelas Diretas Já em São Paulo, diante do estádio do Pacaembu, à qual compareceram cerca de 15 mil pessoas. Foi em 27 de novembro de 1983, poucos dias depois de meu aniversário.

    Outros protestos já tinham acontecido antes, pedindo que a ditadura estabelecida em 1964 tivesse fim com eleições presidenciais diretas. Outras aconteceriam depois, com destaque para Curitiba, onde se reuniram cerca de 40 mil pessoas.

    Portanto, posso dizer que eu estava lá vivendo a realidade paralela pela primeira vez: enquanto as notícias fundamentais para o futuro do Brasil aconteciam do lado de fora, a TV Globo desconhecia as notícias do lado de dentro — especificamente, na sede da emissora em São Paulo, na praça Marechal Deodoro.

    Era uma sensação bizarra. As ordens vinham do Rio: na Globo, nada de Diretas Já.

    Portanto, não houve exatamente surpresa quando, no aniversário de São Paulo, em 25 de janeiro de 1984, o repórter Ernesto Paglia falou sobre a manifestação de cerca de 300 mil pessoas na praça da Sé, que reivindicava outra vez Diretas Já, como se fosse a comemoração da efeméride. Sim, é fato que a reportagem tratou dos discursos e da manifestação em si, mas foi embalada pelos editores, a mando da direção da Globo no Rio, como se fosse a cobertura de uma festa.

    A maneira como a TV Globo tratou a histórica Greve Geral do 28 de abril de 2017 é, na minha avaliação, muito pior do que aconteceu com a cobertura das Diretas Já em 1983/1984.

    Àquela época, a emissora poderia alegar — como alguns globais chegaram a alegar — que vivíamos os estertores de uma ditadura militar e que desafiar o regime poderia ter consequências para a própria abertura “lenta, gradual e segura” prometida pelo ditador João Figueiredo.

    Agora, não. Graças às redes sociais — facebook, twitter, whatsapp — qualquer pessoa pode avaliar o grau de descontentamento com as medidas de impacto social tomadas por um governo que tem o presidente da República e nove de seus ministros sob suspeita e/ou investigação, medidas que por sua vez são submetidas a um Congresso igualmente sob suspeita.

    Mesmo os mais devotos apoiadores do impeachment de Dilma Rousseff e antipetistas vários sabem que Michel Temer não foi eleito vice-presidente para tomar o rumo que tomou, nem tem legitimidade para golpear os direitos sociais da forma como pretende fazê-lo.

    Age em nome do 1% do topo, com 4% de ótimo/bom na pesquisa de opinião pública mais recente e desemprego na casa dos 14%, quando a promessa era de que a derrubada de Dilma provocaria um cavalo-de-pau imediato na economia.

    Portanto, desta feita a TV Globo e seus satélites não tem onde se esconder: o apoio dado às medidas do governo Temer expressa acima de tudo o interesse político e econômico dos próprios donos da mídia e dos usurpadores do poder no Planalto e no Congresso que os representam.

    No caso da emissora, é absolutamente impossível do ponto-de-vista jornalístico que uma organização com tantos tentáculos espalhados por todo o Brasil tenha sido incapaz de registrar o descontentamento popular ANTES da greve geral, de forma a expressá-lo em seu noticiário.

    Será que só nós, internautas, vimos por exemplo as manifestações da CNBB e de um terço dos 100 bispos da Igreja Católica?, os quais certamente não podemos acusar de agirem a mando do anarco-sindicalismo?

    A Globo, para ficar apenas na nave mãe, simplesmente fez mau jornalismo. Não foi pela primeira, nem será pela última vez.

    Agora, porém, não tem como se esconder atrás da ditadura, da qual foi a principal beneficiária, como fez em 1984.

    Agora, fez mau jornalismo — distorcido, omisso, descontextualizado — porque coloca seus interesses empresariais, representados pelo governo Temer, acima do interesse da maioria dos brasileiros.

    PS: Que fique registrado. Quando Lula se elegeu presidente e foi à Globo do Rio dar entrevista ao Jornal Nacional — estava em minha segunda passagem pela emissora — eu fui um dos poucos jornalistas presentes que não o aplaudiram na entrada. Não acho que o papel de jornalista seja bater palma para autoridade.

  29. Igor Felippe: Antecedendo fala de Temer, mídia fecha “acordo” sobre como tratar greve geral com o Planalto; “ela não aconteceu”
    28 de abril de 2017 às 18h25

    “OPERAÇÃO MÍDIA” CONTRA A GREVE

    Por Igor Felippe Santos, no Vi o Mundo

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/igor-felippe-antecedendo-discurso-de-temer-midia-fecha-acordo-sobre-como-tratar-greve-geral-com-o-planalto-ela-nao-aconteceu.html

    As “informações de bastidores” divulgadas na grande mídia sobre as avaliações do Palácio do Planalto em relação à Greve Geral dão o tom de como o governo vai tratar a maior paralisação das últimas décadas no país.

    O que os chamados “jornalistas influentes”, que na verdade são porta-vozes oficiais, dizem é que o governo avaliava que a mobilização seria muito maior e que não existiu uma Greve Geral.

    A cobertura da mídia tenta transformar a paralisação das atividades nas grandes cidades em atos isolados de uma minoria, de caráter político, de constrangimento e imposição do medo à maioria da população.

    A cobertura abusa de imagens de helicópteros de pequenos grupos em piquetes e trancamentos de ruas, avenidas e rodovias.

    Assim, as TVs tentam convencer seus públicos que a mobilização não passa de ações isoladas, escondendo que o sistema de transporte público (ônibus, metrô, trens), bancos, escolas, fábricas, centros comerciais, serviços públicos (como os Correios) não funcionaram e que os trabalhadores ficaram em casa.

    Ao focar nas ações auxiliares da paralisação (os piquetes, trancamentos de vias e atos de rua), secundarizam a força, extensão e caráter de massa da Greve Geral, que transformou uma sexta-feira qualquer de trabalho em feriado em todo o Brasil.

    A mídia, especialmente as TVs, atua como instrumento auxiliar do governo e cria uma válvula de escape para Temer, que fará pronunciamento para diminuir a amplitude da greve e dizer que a manifestação não envolveu a maioria da sociedade.

    A ação sofisticada da mídia mais a contumaz cara de pau dos golpistas serão utilizadas para que não admitam que a Greve Geral teve um impacto de massa, que todos os brasileiros sentiram os seus efeitos e que a maioria apoia as manifestações contra as reformas da Previdência e Trabalhista do governo Temer.

    O problema é que a experiência vivida por milhões de brasileiros neste 28 de abril vale mais que manchetes e minutos no Jornal Nacional, que não terão êxito nessa cruzada para esconder que a Greve Geral foi um sucesso e que as pessoas comuns se colocam em movimento contra a retirada de direitos.

  30. Olha aí Eduardo Guimarães, é só suspeita, mas …:

    “Mulher de Moro, procuradores e delegados da Lava Jato envolvidos em suspeita de corrupção”. http://blogdomello.blogspot.com.br/2017/04/mulher-de-moro-procuradores-e-delegados-da-lava-jato-corrupcao-no-parana.html

  31. Esse fato é (mais) uma prova de como funciona a tal norma, que consta na “reforma trabalhista”, do negociado (entre patrão e empregado) acima do legislado (fruto de lutas históricas entre patrões e empregados).
    O patrão sugere que o empregado durma no emprego e o funcionário tem que achar que é uma ótima ideia.
    Amanhã, patrões poderão negociar com seus empregados que durmam no trabalho pois não têm como pagar o vale transporte. Ou o empregado aceita, ou o patrão o troca por um outro que more mais perto do serviço.
    E a dignidade da pessoa trabalhadora não vale nem meio centavo…

  32. Em materia de Cárcere, os tucanos são falam de cátedra.
    No item cárcere público, com o Marcola, fizeram um sólido acordo.
    No item cárcere privado, com os empregados, não tem acordo.

  33. Pessoal, sejamos práticos, o objetivo da Greve Geral foi deixar claro para nosso ilustre parlamento que: Se tirarem nossos direitos tiraremos vocês do poder ano que vem. O Governo Temer diz a Greve fracassou, velha estratégia, já que ignorando o voto popular, o sistema democrático e legitimidade das últimas eleições, usurpou o poder. Mas a pressão maior temos que exercer contra as bancadas. Ou atendem as reinvindicações popular ou irão perder o poder junto com o golpista.

  34. Após ler vários comentários, a favor da greve e contra, só tenho algo a dizer: senti na pele uma tentativa de terceirização que roubava os direitos dos trabalhadores. Entrei nessa empresa (PROSERVI) em 1995, localizada na Rua Barão de Limeira, Sta Cecília. O banco Real demitiu em massa funcionários e ofereceu vagas dentro da Proservi. Eu mesma não era do banco. O salário passaria ser por horas trabalhadas. Sem direito à férias, 13 salário, recolhimento do INSS e FGTS. Quanto mais vc trabalhava, mais ganhava. Mas quanto mais trabalhavam , mais tendinite, dores e outras doenças. Obrigavam -nos a ficar até 3 horas da manhã em dias de pico. Processávamos todos os documentos que todas as agências recebiam. Nesse lugar tinham os registrados ( banco) e meia dúzia da empresa para disfarçar perante a justiça do trabalho. Se ficássemos doentes, perdíamos o ponto. Comecei a ligar para o sindicato dos bancários. Após receberem a denúncia e averiguarem começaram a mobilizar junto aos funcionários reuniões e tentativas de paralização. Todos com medo ( 1999) e trabalhando há 4 anos nessa condição não conseguiam fazer a greve ( havia muito desemprego nessa época). Eu , por sorte, tive que ser registrada, pois fui trabalhar de caixa no mesmo prédio para outro banco que exigiu o registro de quem fosse operar o caixa do banco. Os demais não conseguiram. Éramos humilhados todos os dias. Chefias carregavam no bolso listas com os nomes dos funcionários que seriam demitidos, pasmem, além de não pagarem um direito ao trabalhador, faziam ameaças. O dono Sr. Olívio não fazia por menos, mandava a corja dos capangas ameaçar os funcionários todos os dias. Teve gente que saiu sem movimento do braço… não havia uma autoridade que acabasse com aquele inferno. Precisou, após anos de negociação , ameaças de fechar a empresa , para que os funcionários fossem registrados. Teve gente que conseguiu o primeiro registro após 6 anos servindo a empresa. Não houve multa retroativa. Não foram obrigados a recolher os direitos deixados para trás.
    Todos perderam! Menos os patrões. Operaram essa maldade de 1995 a 2002, quando finalmente a farra acabou.
    Queria compartilhar para os que são contra a greve e a favor das reformas trabalhistas do Temer. Assim, o mínimo não será exigido e o máximo de trabalho e esforço será. Eu ouvia muito: graças a Deus vc tem esse emprego. Sim Deus é muito bom, talvez tenha no céu meu FGTS para sacar.

    Pensem muito antes de sair falando coisas que não sabem. Principalmente os NIGROS da vida. Já estamos caminhando para um desesperador mundo cão. Não olhemos só o nosso país, mas o mundo.

    Toda reforma tem seu peso e sua medida. A reforma não está direcionada aos vagabundos , mas à classe trabalhadora.

    Permitam- se olhar para aqueles que não têm e não terão chance alguma de estarem inseridos na cidadania regulada.
    Antes de se apoiarem nos discursos prontos de alguns personagens, reflitam sobre o todo. Pois quem vê somente a parte, pode restringir uma boa parte da história.

    Acredito que o espaço presenteado pelo Edu , seja tão único que usemos para somar e não dividir. Aqui não é um ringue para traçarmos socos e pontapés, aqui não é um consultório de terapia para falarmos sobre os nossos loucos desejos ….aqui é um espaço que pode ser uma arena , a qual traz para o debate os problemas sociais enfrentados por todos nós. Que maravilha podermos entender esse sistema por meio de troca de informações.
    Não se iludam! Teremos mais pressões. Seremos fortes, nossa maior arma é a urna, nossa bala o voto.

    Abraço Edu, você é muito bom!

    Estamos juntos.

  35. NASSIF em vídeo, um poder de síntese extraordinário

    https://www.youtube.com/watch?v=AScGN80K3w8

    Se você não assistir, vai perder muita coisa.

  36. Esses sujeitos nem sabem o que é greve, pois nunca trabalharam de verdade.

  37. João Dória é o Chiquinho Scarpa de amanhã. O que eles têm em comum: fortuna suspeita, implante, plástica, botox e gomalina em excesso. Todos esses procedimentos estéticos dos dois parecem ter sido feito pelo mesmo profissional até os ternos têm o mesmo corte e padrão. O Ciro disse que o Dória tem areia no c… Ele errou tem mais na cabeça

  38. Pelegada !!!!!

    O riquinho quer ser pelego !!!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  39. Falando no crupiê… uma ciclista entregou um buquê de flores ao prefeitim em homenagem aos mortos nas bikes e ele simplesmente jogou fora. A sensação que fica é a seguinte: eles(da direita) roubam e são denunciados, são citados em delação com provas, são pegos fazendo cárcere privado de funcionários, sã descobertos valores absurdos de dinheiro em bancos resultado de corrupção, ajustiça sabe de tudo isso e nada acontece com eles, são inimputáveis e no poder então..estamos como que sem poder fazer nada, anestesiados e desprotegidos totalmente enquanto os onipotentes no poder com a corrupção onipresente imperam sem nenhum freio nem pudor..prá eles tudo podem….até DEUS eles não obedecem. Só tá faltando o povo dar um basta nessas cabeças privilegiadas no voto.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.