Defender Lula é defender a esquerda da sanha fascista

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

atlas

 

Não têm faltado ponderações de amigos e de adversários ideológicos/políticos no sentido de que abandonar Lula seria o “melhor caminho” em um momento em que o mundo desaba sobre a cabeça daquele que, pisoteado, escorraçado, difamado impiedosamente, sem trégua, estaria condenado, inapelavelmente, ao cadafalso político, ideológico, moral e físico.

Um amigo me diz que estaria na hora de “desmamar” de Lula. Outro, argumenta, quase como um favor ao alvo da sanha reacionária, que a hora seria propícia ao surgimento de “novas lideranças”…

Há pouco tempo, outro amigo disse que Lula, mesmo que não tenha recebido tríplex ou sítio, que não tenha sido aliciado de qualquer forma por donos de empreiteiras, não deveria ter se aproximado deles por tudo que representa.

E por aí vai.

Não existe, em parte alguma do mundo, um ex-presidente que não tenha estabelecido relações com empresários, grandes empresas, com todo tipo de instituições ao longo de seu mandato, sobretudo quando se trata de um mandato tão exitoso quanto o de Lula, quem, em 2010, deixou o poder quase como uma unanimidade nacional.

Não é racional cobrar dele o que jamais foi cobrado de qualquer outro ex-mandatário. E não é justo.

Até hoje Bill Clinton é celebrado e lucra sem parar com suas palestras, muitas delas com empresas que tiveram negócios com o governo norte-americano durante o seu mandato.

O modelo de Estado imposto pelo capitalismo encerra esse tipo de relação. Um ex-presidente tem direito a lucrar com seu sucesso como pessoa pública. Não se pode exigir de uma importante liderança política que obteve sucesso em suas administrações públicas que jamais obtenha lucro com as vitórias que obteve na vida.

O que exigem de Lula jamais foi exigido de outro ex-chefe de Estado e/ou de governo.

É hipocrisia, é canalhice. É autoritarismo. É, acima de tudo, discriminação. A “boa” e velha discriminação de que Lula sempre foi alvo por não ser “dotô”, por sua origem humilde, em parte, mas, principalmente, por ter ousado dar aos pobres e miseráveis o que a elite brasileira jamais aceitou: direito de sonhar, esperança, oportunidade.

Na verdade, a grande diferença entre Lula e os tucanos ou peemedebês reside no fato de que acusam Lula pela propina que teria recebido, não pelo crime que teria cometido.

Quando se fala de Alckmin e Serra, fala-se de roubalheira no metrô e no Rodoanel; quando se fala de Aécio, fala-se de roubo na construção da Cidade Administrativa; quando se fala de Lula, fala-se que ele recebeu um triplex e um sítio de propina.

Quem não enxerga a diferença não merece o trabalho de explicá-la.

Claro, Lula tem 72 anos, está sobre tremenda pressão, talvez sua saúde não resista a tanta selvageria, a tanto ódio. Que ser humano normal suportaria tudo que ele tem suportado? Lula é um gigante, mas, em algum momento, terá que abrir espaço, sim, para alguma nova liderança.

Mas o momento é este? O mundo e, em particular, o Brasil atravessam momento em que a extrema-direita se fortalece e vende à humanidade que é melhor abrir mão de direitos trabalhistas, de direitos civis, de programas sociais em prol de um capitalismo inclemente que considera as pessoas meras engrenagens de máquinas de fazer dinheiro para poucos.

Em termos de Brasil, à exceção de Lula não existe qualquer outra liderança política de esquerda capaz de enfrentar a extrema-direita e o ultracapitalismo que tentam implantar por aqui.

Em plena febre reacionária e ultracapitalista, é momento de “criar novas lideranças”?

Só Lula separa o Brasil das trevas ultrarreacionárias, da extrema-direita, do capitalismo inclemente, desumano, que nos quer transformar em robôs desalmados, em peças de uma máquina de fazer dinheiro para poucos.

Será tão difícil enxergar que os impérios de mídia e a “justiça” não estão perseguindo Lula por ele ser alguém que basta a esquerda querer que pode substituir? Querem destruí-lo porque, se conseguirem, destruirão a  esquerda brasileira. Para destruírem Lula acabaram com a economia. Farão qualquer coisa alcançar esse objetivo. Se Lula tombar, não sobrará nada da esquerda.

Toda essa guerra insana, todo o desmonte da economia brasileira, toda destruição do Estado Democrático de Direito por que passa o Brasil, tudo isso está sendo feito para destruir um único homem que virou símbolo de esperança dos desvalidos de um dia terem O-POR-TU-NI-DA-DE na vida.

A ditadura que se apossou do Brasil PRECISA destruir Lula para destruir a esquerda. Que não se enganem os esquerdistas que julgam que ele pode ser descartado que “novas lideranças” surgirão. Que tenham inteligência para entender que tudo que estão fazendo para destruir Lula é porque sabem que se ele for destruído, a esquerda também será.

Tags: ,

93 Comentário

  1. Texto impecável, Edu. Continue firme.

  2. Continuo te apoiando. Força, Edu.

  3. Eduardo, boa noite. Embora concorde com a linha que você defende (sou favorável, sim, a que o Lula dispute com todas as forças a eleição de 2018), gostaria de trazer uma reflexão que fiz há algumas semanas. A questão não é abandonar ou não o Lula, mas sim se ele vai conseguir ou não ser candidato. Hoje não tenho dúvidas de que tem gente disposta a TUDO para tirar o Lula da disputa! Eu torço intensamente para estar errado, mas não tenho como ser otimista neste momento: acho que Lula será impedido de disputar as próximas eleições, de um jeito ou de outro…

    Por isso, defendi (e ainda defendo) que tenhamos “plano B” e, até, “plano C” para o caso de Lula ser alijado da disputa. Caso contrário, corremos o risco de, em 2018, termos um segundo turno igual o da França de hoje: um direitista (PSDB) disputando contra a extrema-direita (Bolsonaro). É isso que queremos? Claro que não; logo, devemos nos preparar para evitar isso. Sou favorável à candidatura do Ciro Gomes e, se houver outro nome com potencial no campo da centro-esquerda, acho que deveríamos estimulá-lo a competir também.

    Grande abraço, Fábio Faiad

  4. Como sempre vejo em você um analista lúcido desse tempo de sombras que escurece um país que tem tudo para brilhar.
    Me manifestei no blog conversaafiada argumentando sobre uma crítica inoportuna ao grande ex presidente Lula e afirmei que a melhor maneira do blog colocar sua opinião seria diante do próprio ex presidente para que ele tivesse a oportunidade de expor seu modo de agir enquanto político e indivíduo e defender seu ponto de vista. Eu disse ainda que foi desnecessário e injusto. Não houve qualquer resposta a minha manifestação.
    Com esse tipo de atitude o campo progressista jamais cumprirá com sua obrigação de defender a democracia, o Brasil e o povo brasileiro. Por outro lado não aceito essa Luciana genro em cujas manifestações me permite ver nela não mais que uma menina birrentinha e irresponsável.. Não esquecerei o fato dela, e outros integrantes do psol, ter ido ao instituto millenium pedir a benção ao fhc por ocasião do impeachment. Nessa ocasião ela fez reverência ao fhc dizendo que ele era um grande democrata por tê-los recebido tão “generosamente ” , não sabemos até hoje o que ela e seus colegas foram conversar com o fhc. Fiquei bem enojada. Assim fica difícil ver luz no fim do túnel, aqueles que deveriam ser parceiros fazendo “alianças” com os “inimigo”.
    Meus parabéns Edu e obrigada por persistir nessa luta inglória, isso nos dá forças para resistir.

  5. Eduardo, acredito que o ex-presidente Lula deva ser defendido por seus acertos, e não execrado por seus erros. Ambos foram grandes, mas se você colocar numa balança, os acertos são muito, muito maiores. A migração gigantesca de milhões de pessoas das classes D e E para a classe C evitou que muitas criancinhas crescessem com seus cérebros prejudicados pela falta de nutrientes. Isso faz grande diferença e não venham me dizer que não faz. Os filhos das classes menos favorecidas também merecem a chance de crescerem bem.

    E é profundamente irritante ver algumas pessoas dizendo que o ex-presidente e o PT deveriam fazer o “mea culpa”, mas por que somente ele? Ora!… E os outros partidos, especialmente o PSDB e PMDB? Deles nada se cobra? Nada? Como assim? Alguém pode dizer e até mostrar vídeos dizendo que o ex-presidente e seu partido, o PT, prometeram honestidade. E quem mais não prometeu? Há pouco tempo atrás, víamos Aécio, Serra, Alckmin e outros luminares defenderem práticas honestas, quando a lista de Fachin e várias delações sugerem que a história pode ter sido bem outra.

    Voltando ao ex-presidente Lula, ele saiu com 85% de aprovação (80%, conforme o instituto de pesquisa). Estes não são percentuais apenas de classes menos favorecidas: a classe média, em grande medida, também gostou do governo Lula, vamos combinar. A ex-presidente Dilma Roussef recebeu 56% dos votos na eleição de 2010, o que significa que nem todos que aprovavam o ex-presidente Lula migraram automaticamente seus votos para ela.

    E cobram de Lula coisas que nunca cobraram de outros dirigentes, como por exemplo, Fernando Henrique Cardoso, cujo governo também teve acertos e erros grandes, cuja balança é favorável no primeiro governo FHC e francamente desfavorável no segundo mandato (os dois mandatos devem ser analisados de forma diferente). Se esquecem de que a forma como o nosso sistema político é construído requer uma “pequena e básica coisinha” chamada base aliada. E se esquecem que existe uma coisa chamada “real politik”, que é a política do mundo real.

    Ainda sobre o ex-presidente Lula, espero que ele não seja punido sem provas, por que por tudo o que temos visto na mídia, até agora, não existem provas concretas ou indícios fortes de corrupção. Isso colocaria o Brasil, atualmente em péssima situação no mundo, em nível da quinta camada abaixo do subsolo, por que instituições internacionais estão acompanhando o que acontece aqui, além da mídia mais séria.

    Já sobre o ex-presidente Lula se candidatar em 2018, eu realmente gostaria que ele apoiasse outra liderança. Por que ele fez a parte dele, saiu com a maior aprovação do Planeta, a maior que um político já teve. Ele deveria hoje ser um grande conselheiro de outros políticos. Um País não pode depender de um único líder para criar seu destino. Se esse é o nosso caso, estamos muito mal.

  6. Somos Todos Lula. Lula representa a esquerda.

  7. Concordo plenamente. Apoiado.

  8. As madames e os deslumbrados da Globo só têm um assunto: O LULA. Repetem a mesma ladainha manhã, tarde e noite. Isso prova a necessidade de convencer por repetição ad infinitum, mas também banaliza, satura, anestesia, a ponto ensurdecer os telespectadores.

  9. Edu, corroboro inteiramente com sua opinião, o texto reflete igualmente meus pensamentos. Força Lula, força Edu!

  10. Muito bom o texto. Força Edu, conte conosco nessa luta por um Brasil mais justo e melhor.

  11. Loucura não tem limites. Comparar Bill Clinton a Luis Inácio, o homem de Garanhuns. O cara mal escreve o próprio nome…

  12. Edu, você é genial!

  13. Eduardo Guimarães,

    Estou atrasado, mas estou com você. Força Eduardo. Avante Esquerda. Avante Lula.
    Os psitacídeos(papagaios) repetem o que ouvem. E os papagaios alfabetizados replicam, pelas redes sociais, as bobagens com as quais concordam. Quem viu, a dois metros de distância, no distante ano de 1981, o homem de Garanhuns escrevendo em um bloco de papel equivalente ao A4, uma página inteira de argumentos para o debate com professores universitários e alunos, vê a baboseira que foi insuflada na cachola de imbecis.

  14. O avanço da direita, ao som de uma mídia de direita em um senso comum que pende para um misto ultraconservadorismo de direita com ultraneoliberalismo econômico já causa estragos que podem ser irreversíveis: os desmontes, disfarçados de “reformas”, sob uma maioria de população apática e conversas de trabalhadores em trens e whatsapps sentenciando que “trabalhadores têm direitos demais” nos levam rápido ao cenário de caos e miséria do qual Lula, em seus mandatos, conseguiu ser exatamente o contraponto, revertendo este quadro e sendo exemplo para o mundo.
    Os governos Lula não foram governos de esquerda – e não foram porque o senso comum e a opinião pública do país não consegue enxergar que foi hipocritamente moldado para não estar preparado para governos de esquerda -, mas foram os governos que o Brasil precisava naquele momento. Hoje, com a noção de que muitos pactos ali feitos não garantiriam a melhora consistente e duradoura para os brasileiros que se queria ter – mas garantiriam a prevalência do grande capital -, certamente Lula tem condições para voltar melhor, mais preparado e, de fato, de esquerda. Esse é certamente o temor do grande capital e das forças que ganham com o desespero e a exploração do povo trabalhador – e por isso querem aniquilá-lo, aniquilando qualquer possibilidade de um governo de esquerda por anos, talvez décadas no país, como você colocou de forma super pertinente em seu texto.
    Essa nossa luta continua. Estamos juntos!

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.