Perversidade contra blogueiro enojou o país que pensa

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

edumoro

 

 

Precisei tirar o fim de semana para me recuperar de uma violência tão colossal que jamais pensei que me atingiria. Todos podemos ser vítimas de todo tipo de violência – urbana, vingativa, criminosa –, mas o tipo que me atingiu parecia erradicado, retornou nos últimos anos, mas achei que jamais me atingiria: a violência policial…

Ou melhor, violência policialesca.

É um tipo de violência que pode ser moral, mental e até física. Fui vítima das duas primeiras – moral e mental.

A perversidade do ato contra mim vem sendo empregada em larga escala, contra inocentes e culpados. Na verdade, trata-se de tortura.

Não estão usando pau-de-arara, cadeira-do-dragão ou afogamentos, entre outras técnicas desumanas de quebrar espíritos de quem diverge ou de quem se recusa a revelar o que a meganhagem possa querer saber. Usam a tortura psicológica. Talvez o tipo mais eficiente  de sevícia.

Mas por que a devassa da minha vida, da minha mente o do meu espírito uniu aliados improváveis, à direita e à esquerda.

Comecemos pelas entidades representativas do jornalismo.

No exterior, a entidade Repórteres Sem Fronteiras, vista como aliada dos grandes grupos de mídia mundiais, deu dimensão internacional à minha prisão ao criticá-la duramente. À Repórteres Sem Fronteiras uniu-se à Comissão Interamericana de Direitos Humanos e a OEA.

No Brasil, Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sindicato dos Jornalistas de São Paulo e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) criticaram minha prisão arbitrária.

Entre os profissionais da imprensa, pela direita Reinaldo Azevedo, Ricardo Noblat, Demétrio Magnoli e tantos outros colunistas insuspeitos de simpatia em relação a mim criticaram minha prisão ilegal.

Claro que tiraram uma casquinha de nossas diferenças políticas e ideológicas, mas discordaram veementemente do que fizeram comigo.

Pela esquerda, só não houve unanimidade total porque o ódio de alguns é maior do que a razão – e o ódio, como se sabe, não tem ideologia.

Não é preciso gostar de mim para ficar chocado com a perversidade que me atingiu. É uma perversidade tão visceral, tão desumana que não teve compaixão nem da dor da família de dona Marisa Letícia Lula da Silva, a quem foi negada a absolvição in totum simplesmente por estar morta. Perversidade que exigiu depoimento de seu esposo no dia de sua missa de sétimo dia.

À luz de perversidade tão completa, tão colossal, tão sobrenatural, o que fizeram comigo não foi nada.

No jornalismo, apenas os descerebrados e medíocres tiraram uma casquinha do meu momento de fragilidade. Chacais e abutres não podem ver algum ser indefeso que atacam com sofreguidão.

Até o ex-ministro de FHC Nelson Jobim, insuspeito de “esquerdismo”, criticou o ato de  arbítrio que me vitimou.

Não foi o cidadão, o homem, o pai, o esposo, o avô, o jornalista, o comerciante, o brasileiro Eduardo Guimarães que uniu até adversários políticos e entidades representativas tão diversas. O que uniu a todos foi o instinto de preservação.

Para explicar o que uniu a tantos atores distintos, recorro ao surrado – porém extremamente verdadeiro – poema do pastor luterano alemão Martin Niemöller sobre o nazismo.

Quando os nazistas levaram os comunistas, calei-me porque, afinal, eu não era comunista.

Quando prenderam os sociais-democratas, calei-me porque, afinal, eu não era social-democrata.

Quando levaram os sindicalistas eu não protestei porque, afinal, eu não era sindicalista.

Quando levaram os judeus eu não protestei porque, afinal, eu não era judeu.

Quando me levaram, não havia mais quem protestasse

Você se regozijou com minha prisão arbitrária porque não gosta de mim ou porque de mim diverge? Você é um idiota. Não sabe que o arbítrio não se contenta. Não conhece a história da humanidade e nem a do Brasil.

Carlos Lacerda foi um dos mais ferrenhos inimigos do socialismo. Ajudou a implantar o golpe de 1964 e acabou preso pela ditadura. Porque ditaduras só são boas para os ditadores. E para mais ninguém. Você só desfruta de ditaduras enquanto não discordar. E, como todos sabem, é impossível concordar com tudo que qualquer regime faça.

 

Tags: , , , , ,

99 Comentário

  1. Nossa solidariedade Eduardo. Que você continue lutando contra as arbitrariedades e trazendo a nós informação honesta e inteligente.

  2. Caro Eduardo ..persevere

    O cidadão Sergio Moro, penso estar demonstrado, abusou da autoridade ..conspurcou a LEI, os procedimentos mais elementares ..a Constituição do BRASIL

    ..indiretamente praticou e/ou insuflou o crime da tortura emocional e MORAL, não só a você, mas a outros tantos tb ..feriu direitos sagrados ..quis se IMPOR como autoridade que desconhece a sua própria interinidade, transitoriedade na vida e no cargo

    Isso não pode, e não vai durar pra sempre

    A primeira providencia que se espera é que o seu caso saia da esfera dele

    ..e depois ..que pelas ações e arbitrariedades cometidas por ele sejam levadas a ouros brasileiros que, conscientes da responsabilidade em se viver numa sociedade amparada pela lei, pela ISONOMIA e pelo direito, saberão com certeza fazer ele pagar por seus defeitos.

    BOM DIA ..e bola pra frente

  3. Edu, estou sabendo que o Moro mantém uma investigação contra voce. Além do processo por suposta ameaça. Pelo que vi quer incluí-lo no crime de obstrução de justiça. E formação de quadrilha para esse fim. Pelo que entendi, essa tal “quadrilha” seria voce, a moça da receita, o jornalista e membros do instituto Lula. Tem que ser mais de quatro.
    Isso é muito preocupante. Ele aparentemente recuou, dando um de “bonzinho” ao reconhecer seu direito como jornalista. Espera a solidariedade a voce amainar, e ataca com esse processo que segundo a GGN está em sigilo.
    Não é impossível que ele tente jogá-lo nas masmorras de Curitiba, esperando que voce delate o Lula, ou coisa parecida. Já que sua família depende de voce, com a Victória.
    Estou bastante preocupado.

  4. Quero me solidarizar ao jornalista e dizer que o Juiz Moro é motivo de vergonha.
    Um juiz julga segundo as matérias que constituem a acusação e a defesa.
    Quando um servidor público se julga dono dos instrumentos legais que norteiam sua função, estamos diante da perversão profissional.
    Senhor Moro, até quando vamos assistir os membros do PSDB impunes?

  5. Eduardo.
    Primeiramente, parabéns pelo texto que seguiu a reportagem do exterior.
    Os fascista são ‘corajosos’ ou imbecis?
    Ler o monte de lixo expelido com baba viscosa de ódio que vi na pagina de hoje, jamais pensei ler.
    Será que esses(essas) ”mamutes” não tem miolos de pensar?
    Ter seu lar invadido, seus armários revirados, gavetas esvaziadas,a cama do casal remexida, seu quarto invadido sob o olhar aterrorizado de uma jovem que nem sabe e não pode avaliar esse momento, é querer aparecer? Ter um grupo armado, como os grupos que serviram à fanfarra da ditadura, invadindo seu lar as seis hora da manhã, é querer aparecer?.
    Será que tantos quantos textos emitidos por inúmeras autoridades, Jornalistas e inúmeras pessoas de moral ilibada, são idiotas ou refugos da sociedade, quando emitem suas opiniões condenando tudo isso?
    Somente pessoas de má índole vomitam o que li hoje aqui.
    Haja alfafa.

  6. Eduardo bom dia muita força para todos em casa queria saber se eles já devolveram os equipamentos?
    Grande abraço.

  7. Eu fico só imaginando o tanto que voce deve ter se borrado de medo de ficar por lá preso.
    É assim que funciona a justiça. Fala tanta porcaria e ajuda criminoso investigado.
    Já diz o ditado : “Diga-me com quem tu andas, que direi quem tu és !”
    Chega de internet por hoje !

  8. O sr. Moro (recuso-me a chama-lo de juiz) é movido a ódio e vingança ao Luiz Inácio. Ele deveria se lembrar que “cultivar ódio a alguém é como beber veneno e esperar que a outra pessoa morra (Shakespeare, conhecido aqui no Sul de Minas como Chico Pires). Esse ódio irá devorá-lo por dentro. Azar dele. E mais: se ele não entregar a mercadoria, irá para a lata de lixo.

  9. Caro Edu,
    muita força, amigo!
    Cada vez mais você se agiganta diante desses protozoários da (in)justiça!
    Minha solidariedade, sempre!
    Grande abraço!

  10. Eduardo, temos orgulho de você. O arbítrio a que esse juiz o submeteu é a prova do quanto é pequeno. Você, no entanto, é do tamanho que a verdade conter: Grande! O juiz e seus pitbulls terão o destino que a História reserva aos medíocres e covardes: o esquecimento . Salve Eduardo!

  11. Parabéns, Edu! Texto primoroso. Simplesmente espetacular. Parabéns pelo seu trabalho incansável em defesa da democracia. Você é grande entre os grandes. Quanto aos abutres da mídia, estes padecem do nanismo moral que assola boa parte da direita brasileira. Grande abraço.

  12. Fiquei sabendo dos detalhes de sua condução coercitiva por artigo do ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão. E, agora, vamos percebendo o quanto o país regrediu com o golpe. O quanto retrocedemos com as práticas ilegais de um juiz e das ações da PF, e o quanto que teremos que lutar para reconquistar aquilo que já tivemos e que, talvez, não tenhamos valorizado como como deveríamos. Porém, as marcas de momentos de tortura psicológica e moral que você vivenciou devem ter sido muito fortes. Abraços!

  13. Juiz sacripanta, de coluio com a emissora Glopista e com essa tucanada que nada fizeram pelo Brasil, estamos solidário com você Eduardo!

  14. O GOLPE ATUAL DO BRASIL MOSTRA CLARAMENTE O CARÁTER NU E CRU DOS SEUS AUTORES. VIVA A INTERNET. TODOS SABEM. O MUNDO SABE.
    TENHO A CERTEZA QUE ESSA FACE SOMBRIA DO BRASIL VAI PASSAR, E LOGO, PORQUE A GENTE NÃO VAI AGUENTAR MUITO NÃO. UM DIA VEREMOS UM FILME SOBRE TODAS AS TRAMAS DO GOLPE. O QUE VEMOS, HOJE, É INDIGESTO. MAS ESSE FILME VAI SER LINDO DE ASSISTIR. NADA MELHOR QUE UM DIA APÓS O OUTRO. HOJE ELES RIEM, DEITAM, ROLAM E SE DIVERTEM. AMANHÃ, SEREMOS NÓS A RIR MUITO E COM A ALMA LAVADA. E ELES, T-O-D-O-S, JULGADOS, CONDENADOS E PRESOS. E ESPERO QUE QUALQUER GANHO QUE TENHAM ESPETACULAR EM SUAS CONTAS AQUI OU EM PARAÍSOS FISCAIS SEJAM CONFISCADAS E DEVOLVIDAS AO POVO BRASILEIRO.
    O POVO DE BEM ESTÁ CONTIGO, EDUARDO GUIMARÃES.

  15. A caneta e mais forte que o fuzil.

    Existem duas Justiça uma para politicos corruptos e afins é branda a outra para o povo é porrada na porta e condução coercitiva.

  16. Cara de maneira alguma vc deveria ter entregado a fonte, esse sem vergonha ainda ta zombando de vc dizendo que vc nao e tao jornalista assim ja que foi logo entregando a fonte, Pega pesado Eduardo, o povo por mais ignorantes que sejam estão se ligando que esse Safado de Imparcial num tem nada, quelo e um Lixo total, ta acabando com a credibilidade da Operaçao

    • Incrível como o tem gente que acredita em tudo que lê sem sequer ouvir o outro lado. Não entreguei coisa nenhuma. Eles tinham tudo lá. Moro divulgou essa versão para atacar minha moral. É óbvio que você é reaça e vem dar uma de esperto. Publico porque ninguém acreditou nele. Todos me conhecem. Você perde seu tempo, pilantra

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.