Entidade dos EUA protesta contra prisão de Eduardo Guimarães

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

cpj

 

Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ) para as Américas, organização internacional que atua na defesa dos direitos de comunicadores, divulgou nota em que afirma que a prisão temporária do blogueiro Eduardo Guimarães foi “uma violação alarmante do direito dos jornalistas”.

O Comitê em questão é a 5ª entidade de proteção de jornalistas a criticar a ação das autoridades brasileiras contra o blogueiro.

Antes dessa entidade, a organização Repórteres Sem Fronteiras, com sede na França, a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, da OEA, e as entidades brasileiras Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), Sindicato dos Jornalistas  de São Paulo e a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) também se pronunciaram contra a ação que invadiu a  residência de  Guimarães em São Paulo na manhã de 21 de março e confiscou seu laptop, seu telefone celular e o celular de sua esposa antes de escoltá-lo para a sede da Polícia Federal.

“Estamos preocupados que a incursão na casa de Eduardo Guimarães possa enviar uma mensagem alarmante para os jornalistas”, diz nota da entidade.

Outros, incluindo a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo e o grupo de advocacia Artigo 19, também chamaram a detenção de Guimarães e a busca em seus aparelhos eletrônicos de “ataques à liberdade de expressão e ao jornalismo”.

A entidade cita que a polícia não ofereceu nenhuma informação sobre o paradeiro de Guimarães e começou o interrogá-lo sem esperar seu advogado chegar.

O CPJ foi criado em 1981 por um grupo de correspondentes norte-americanos com o objetivo de defender os direitos de colegas que atuavam em ambientes repressivos e perigosos.

A primeira campanha resultou na libertação de três jornalistas britânicos presos na Argentina em 1982 durante a cobertura da Guerra das Malvinas. Desde então, a missão do comitê se estendeu não apenas a jornalistas, mas a todos os que atuam na área de difusão de informações, jornalistas de carreira ou não.

Tags: , , , , ,

12 Comentário

  1. Boa notícia!

  2. Caramba!!!

    Pq insistir nesse versão mentirosa q vc foi preso, ainda q temporariamente?

    Condução coercitiva não é e nunca foi prisão!!!!!!!!!!!!

    Pra q isso, cara?

    • E, mais uma vez, a crítica q foi feita foi em relação à tentativa de se descobrir a fonte da sua informação!

      Pela lei, um jornalista tem o direito de preservar a sua fonte… e o juiz Sergio Moro já excluiu do processo este aspecto!

      Nenhuma crítica ou questionamento em relação à ação q investiga se vc obstruiu a justiça ou não…

      Aliás, conta pra gente aí:

      Vc avisou Lula ou não?

    • Conta pra gente, Paulo Soares, o que vem a ser condução coercitiva, como se dá e em que situação!

  3. A partir do momento, que você e colocado dentro de um veículo das forças de segurança, contra a sua vontade
    em qualquer lugar do mundo isto se chama Prisão.

  4. Paulo Soares deixe de ser idiota,condução coercitiva dentro da lei,somente se for intimidado e não comparecer o que ocorreu foi prisão sem crime algum,mas,partido do parcial entreguista de curitiba tá valendo.

  5. Paulo Soares figuras igual a você só matando.

  6. Que pena! Lastimável, alguem procurar conhecimentos no google e ainda aconselhar aos outros o mesmo. Sou de uma epoca em que cultura e conhecimento se buscavam nos livros. Uma folha de sufite é mais profunda do que certo comentário acima.

  7. Moro só tem apoio da globo. do judiciário, MP até que seu serviço sujo seja concluído. Já quebrou o país ,falta a prisão de Lula. Se não conseguir,pois não há provas, será descartado como aconteceu com Joaquim Barbosa.

    • companheiro vou ser breve. o juiz moro não e novo na praça. e conhecido desde a cpi e o processo d0 banestado, de curutiba em 2003. o unico que foi condenado foi alberto yyussef . condenado a 2 dois anos de prisão domiciliar e a devolver em torno de 200 mil reais . vejamos senhores, esse condenado voltou a praticar os mesmos crimes em 2013, junto com diretores da petrobras . esse juiz vinha monitorando esse doleiro alberto yussef, desde quando ele foi solto. porque senhores só foi aberto processo na petrobras no ano das eleições? porque esse juiz que não é caçador de corruptos porra nenhuma, começou aparecer na grobo de televsão. isso tem cara de carne fraca , pobre e fudida. volto amanhã com mais noticias.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.