Como se deu minha prisão. E o interrogatório

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

juiz-sergio-moro-e1440708927391

 

 

O juiz Sergio Moro, nesta quinta-feira 23, recuou de sua decisão para reconhecer que sou jornalista e, como consequência, mandar excluir as provas obtidas mediante violação do sigilo de fonte.

Todavia, em sua decisão, ele faz afirmações sobre como se deu meu depoimento as quais não correspondem aos fatos e devem ser esclarecidas.

Às 6 horas do dia 21 de março deste ano, eu e minha esposa dormíamos quando escutamos um barulho semelhante a arrombamento da porta da frente do nosso apartamento.

Achei que era algum vizinho começando alguma obra antes da hora e, como fora dormir poucas horas antes, virei-me para o lado e voltei a dormir. Segundos depois, ouço minha esposa dizer, desesperada, que tinham vindo me prender.

Minha filha Victoria, 18 anos, 26 quilos, portadora de paralisia cerebral, que dormia no quarto ao lado, assustou-se com os golpes desferidos pelos policiais na porta e começou a reclamar, como faz quando está nervosa.

Levanto-me assustado, corro para a sala e encontro minha mulher à porta, entreaberta. Termino de abrir a porta, vejo quatro policiais federais. E o porteiro do prédio com expressão assustada no rosto

Detalhe: minha mulher vestia roupas sumárias de dormir. Pediu para se trocar. Não obteve permissão dos policiais.

Enquanto isso, Victoria assistia a tudo com olhos arregalados.

Os policiais comunicaram que tinham uma ordem de busca e apreensão e começaram a vasculhar o apartamento. Obrigaram o porteiro a entrar no meu quarto de dormir, que começaram a vasculhar, abrindo gavetas, portas de armário e qualquer outro lugar possível.

Acharam meu computador (notebook), exigiram a senha para ligá-lo e, assim, poderem mudar essa senha para terem acesso quando quisessem. Pedi para copiar alguns dados pessoais, mas não me foi permitido. Pediram para desbloquear meu celular com a mesma finalidade.

Após a busca, nada tendo sido encontrado, os policiais anunciaram minha condução coercitiva.

Tentei ligar para meu advogado, doutor Fernando Hideo, mas não consegui. Passava um pouco das 6 horas. Minha esposa pediu para esperarem que eu conseguisse falar com o advogado, mas não permitiram. Exigiram que eu me vestisse e os acompanhasse.

Eu e minha esposa entramos no quarto de Victoria, onde respeitaram mais, para nos abraçarmos. Ela chorava, minha filha fazia seus sons característicos, pois não fala.

Imaginei se voltaria a vê-las.

Tentei, porém, aparentar calma. Até então, achava que estava sendo conduzido por conta da denúncia de ameaça contra Moro, feita por ele.

No meio do caminho, fui informado pelos policiais de que estava sendo detido por conta do post que publiquei em 26 de fevereiro do ano passado divulgando a quebra de sigilo de Lula.

Como não estava ainda raciocinando direito, pois fora dormir tarde e depois fui acordado daquele jeito poucas horas depois, comecei a debater a operação Lava Jato com os policiais. Enquanto eu dizia que era uma operação de caráter partidário contra o PT, eles defendiam as investigações com as argumentações que todos conhecem.

Chegamos à sala do delegado que me interrogou. Eu já não tinha mais telefone, já não tinha mais como me comunicar. O delegado iniciou o interrogatório sem a presença de qualquer advogado.

O delegado me comunicou que já sabia quem fora a minha fonte, mostrou-me o nome da fonte, contou-me que ela obtivera a informação que me passara de uma “auditora da Receita” (fonte da minha fonte), mas não quis me dizer a profissão da pessoa que entrou em contato comigo.

Mostrou-me a foto da “auditora da Receita” que vazou a informação. Perguntou se eu a conhecia e me disse que estava tentando determinar se nós três agíamos juntos.

Fiquei surpreso, pois a fonte, o tal jornalista, dissera-me que obtivera as informações com a imprensa. Disse-me que toda a imprensa de São Paulo já tinha aquelas informações que me estava passando. Então, descubro que uma servidora da Receita subtraiu de lá as informações ilegalmente.

O delegado deixou claro que eu era suspeito de ser “cúmplice” daquelas pessoas. Eu disse que isso não era verdade e me perguntei, em voz alta, por que o tal jornalista me dera informação inverídica.

O delegado respondeu minha pergunta retórica. Disse que, provavelmente, fora para me “induzir” a divulgar os dados sem medo de estar cometendo um crime. Repito: o delegado me disse  que minha  fonte me enganou.

Enquanto isso, minha esposa tentava falar com o doutor Fernando, mas não conseguia. Então, NO DESESPERO, recorreu a uma parente que é advogada da área de Direito da Família e não tem maiores conhecimentos sobre a área criminal.

A  nossa familiar chegou à sede da PF em São Paulo, à sala em que eu era interrogado, lá pela metade do depoimento. Porém, não teve condição técnica de me passar qualquer orientação enquanto eu respondia. Apenas assistiu à oitiva.

O meu interrogador deu a entender que eu teria que provar não ser cúmplice do tal jornalista e da auditora da Receita Federal, ambos de Curitiba. Nesse momento, decidi dizer ao delegado que tinha o telefone no qual recebera as mensagens e que elas poderiam demonstrar que eu não conhecia o jornalista curitibano dos quais eles tinham todos os dados, pois, nas mensagens, ele se apresentava  a mim e eu fazia perguntas a ele sobre sua identidade.

Contudo, cerca de dois meses após a condução coercitiva de Lula, o aparelho travou.

No segundo semestre de 2016, o celular de minha esposa se quebrou e ela precisava de um novo. Achando que não iria precisar mais do celular no qual estava registrada a conversa com o jornalista de Curitiba, minha fonte, levei o aparelho à assistência técnica. Lá, fui informado de que, para consertá-lo, teriam que apagar todos os dados.

Concordei e o celular teve sua memória “formatada” e me foi devolvido absolutamente “em branco”.

De volta ao interrogatório a que fui submetido no último dia 21. Colocado diante da hipótese de ser preso se não provasse que não tinha relações com o jornalista de Curitiba que me passou as informações sobre Lula, disse a ele que tinha provas, sim, de que não conhecia a pessoa, pois ele me dissera que “já sabia tudo”.

Eis a informação que o juiz Sergio Moro divulgou nesta data e que não corresponde aos fatos, apesar de que não se sabe como ele foi informado da forma como transcorreu meu interrogatório. Ele diz que não fui pressionado, eu digo o contrário.

Só o que posso afirmar é que não havia fonte a preservar porque as autoridades me disseram mais sobre elas do que eu sabia. Antes de começar a depor, fui informado de que meus interrogadores sabiam quem era a fonte.

Ora, vamos repassar os fatos.

Fui ouvido sem um advogado com condições de me orientar sobre o que eu precisava ou não responder. Tudo isso após o trauma pelo qual eu, minha esposa e minha filha doente passamos ao raiar do dia.

Avisei ao delegado que me interrogou que a familiar de minha esposa não tinha conhecimentos da área criminal e que estava lá mais para eu não ficar sozinho em um depoimento, mas ela nem sequer se manifestou durante a oitiva.

Como se diz, ela “pegou o bonde andando”, ou seja, apesar de ser uma excelente advogada em sua área, nem conhecia o caso a fundo e nunca atuou na área criminal.

Fui informado de que, se não provasse que não tinha relações com as pessoas de Curitiba que conseguiram os dados que recebi, eu seria considerado parte de um grupo, ou uma quadrilha.

Meu advogado que atua nessa área, doutor Fernando Hideo Lacerda, chegou bem depois do fim do depoimento, no exato momento em que eu iria firmá-lo. Doutor Fernando descobriu vários pontos que haviam sido inseridos indevidamente no depoimento e pediu retificação, após eu informar que não havia dito certas coisas que lá constavam.

O delegado aceitou os pedidos de retificação e reconheceu que eram justificados. Se meu advogado não tivesse  chegado a tempo, meus direitos civis teriam sido violados de forma  ainda mais séria.

Sobre eu ter avisado o instituto Lula, o juiz Sergio Moro dá a impressão de que a Lava Jato apurou alguma coisa. Não é o que ocorreu.

Eis os fatos.

Em 23 de fevereiro de 2016 recebi as informações do jornalista de Curitiba. Recebi uma relação de mais de 40 nomes de pessoas e empresas que seriam ligadas ao ex-presidente Lula. Precisava saber se não era alguma armação – eu corria o risco de divulgar mentiras sobre o ex-presidente.

Procurei o assessor de imprensa do instituto Lula para saber se o ex-presidente conhecia aqueles nomes. Nada disse a ele sobre condução coercitiva. O assessor de imprensa do ex-presidente pediu prazo para verificar as informações antes que eu as divulgasse.

Concordei, ressaltando que não poderia demorar muito para divulgar as informações.

Em resumo: se eu não tivesse publicado a matéria de 26 de fevereiro de 2016, na qual EU disse que informei o Instituto Lula os 40 nomes de empresas e pessoas, Sergio Moro e a Lava Jato nunca saberiam que o ex-presidente foi informado de alguma coisa.

Aliás, vale dizer que o Instituto Lula só foi informado dos nomes que teriam sigilos quebrados. Mais nada. E com a finalidade de ser perguntado sobre se, de fato, aquelas pessoas e empresas tinham alguma ligação consigo ou com pessoas próximas a si, de modo que eu não divulgasse mentiras.

O juiz Sergio Moro parece muito preocupado em negar arbitrariedades, mas não se cansa de cometê-las. A nota que soltou demonstra intenção clara de me acusar de ter revelado informações que não me foram pedidas. Ou seja: ele procura me atingir moralmente.

Bem, eu digo o que realmente aconteceu: ele quebrou meu sigilo de forma irremediável ao determinar a quebra de sigilo de meu extrato telefônico.

O magistrado determinou que a operadora de celular informasse o meu extrato telefônico, com o objetivo claro de identificar a fonte que teria me passado a informação divulgada no blog.

Portanto, a decisão não corresponde à realidade ao afirmar que eu teria revelado “de pronto, ao ser indagado pela autoridade policial e sem qualquer espécie de coação, quem seria a sua fonte de informação”.

Basta perceber que o próprio juiz Sérgio Moro agora reconhece a ilegalidade das medidas tomadas visando à obtenção prévia da fonte de informação, para concluir que houve nítida coação ilegal no meu depoimento.

Está devidamente comprovado que, na ocasião do depoimento, as autoridades já tinham conhecimento da sua fonte de informação, obtido mediante o emprego de meios que o próprio magistrado agora assume serem ilegais.

O juiz Sergio Moro se converteu em meu inimigo. Está me processando depois de ter sido por mim representado no CNJ e depois de ter representado criminalmente contra mim em razão de uma publicação em rede social, em que se considera vítima de ameaça praticada por mim.

Não é mais juiz, é parte de um litígio. Não posso ser julgado por um inimigo. Isso é uma aberração, isso é coisa de ditaduras.

Você gostaria de ser julgado por um desafeto? Isso é Justiça?!!

E mais: quero lembrar a todos os brasileiros que, até o momento, ninguém nem mesmo ousou afirmar que informei alguma coisa ao ex-presidente Lula com a finalidade de obter qualquer lucro.

Não fui acusado de me corromper, de corromper alguém, de ter feito qualquer coisa para obter benefícios. Agi de acordo com a minha consciência sem visar lucro pessoal. Tenho a consciência tranquila.

Considero uma honra lutar contra todo esse arbítrio. Estou lutando em defesa da democracia brasileira, ameaçada por processos Kafkianos como esse do qual sou vítima simplesmente por fazer jornalismo, ainda que o juiz me negue a condição de jornalista.

Por fim, o mais irônico em toda essa história é que aqueles que me acusam de vazamento, eles mesmos vazaram meu processo, então sigiloso, para um site que se dedica a atacar o PT, Lula, a esquerda. Todo santo dia. E que é ligado ao PSDB e ao governo Temer.

O mundo precisa saber do que está acontecendo no Brasil e, enquanto eu tiver vida e voz (liberdade), vou me dedicar a denunciar a ditadura que se abateu sobre o nosso país. Para que minhas três netas – e outros netos que virão – não vivam em uma ditadura.

Tags: , , ,

286 Comentário

  1. Caro Eduardo,
    Você precisa ser claro, quando tratar do crime que foi cometido pelo capitão do mato da Casa Grande, Sérgio Moro contra você. Você não foi preso, visto que não cometeu nenhum crime e portanto, dentro da lei que ora vige na Constituição, o ato cometido pelos jagunços a mando do capitão do mato foi arbitrário, e embora tenha tido aparência de legalidade, uma vez que foi praticado à luz do dia, a vista de todos, você foi sim, sequestrado. corrigindo o título do post — como se deu meu SEQUESTRO — e o CRIMINOSO interrogatório. Eu entendo que você esteja preocupado e abalado emocionalmente, e certamente, apreensivo quanto a supressão de sua vida, e, de que modo sua família, vai tocar suas vidas sem você. Contudo, quando um homem está determinado a destruir a vida de cidadãos comuns e para isso tem sob seu controle todo o aparato do Estado para sustentar seu desejo, sua vontade, de que vale termos cuidados com algum tempo a mais de vida, se sobre ela não temos qualquer direito e controle, pois esta se encontra sob o tacão daqueles que dentro da legalidade constituída pelas leis e com a benção dos setores do judiciário e da mídia que o aprova e o revigora, todos os dias a violá-la em suas ações de justiçaria?! Como ter esperança em dias melhores, se sua melhora depende do funcionamento justo e normal das leis que foram criadas para nos garantir direitos e deveres, no entanto, todos os dias vemos essas práticas serem desrespeitadas sem qualquer possibilidade de punição para aqueles que as violam, e nesse caso, o capitão do mato Sérgio Moro?! Nunca, em tempo algum, acreditei na “justiça” brasileira, hoje então, para mim ela não existe.
    Abraços
    Maria Antônia

  2. Sr. Eduardo, conte com a minha solidariedade esta fase horrorosa da (in)justiça e seus doentios justiceiros passarão e serão punidos, quem sabe,
    em uma outra esfera.

  3. É uma vergonha. Esse cara que se acha juiz é um criminoso usando toga. Que vergonha para a classe judiciária. Que vergonha para o Brasil. É um baita retrocesso a nossa democracia.

  4. Grande Edu…sinto por vc e a família…mas esses quero-quero…é só pulando em volta e vão se FUDER….

  5. Edu,
    Seus textos precisam urgentemente serem TRADUZIDOS para diversas línguas.
    Como você escreveu no final, O MUNDO precisa saber o que está acontecendo no Brasil.
    Saudações,
    Hudson

  6. Eduardo, minha TOTAL solidariedade nessa hora difícil. Estou fazendo uma oração e pedindo especialmente por sua segurança!!! Grande abraço, Fábio Faiad

  7. Edu, todo o meu apoio a você e sua família. Todos contra o arbítrio. Força e luta, Companheiro.

  8. Eduardo, boa noite!

    Vc e suas meninas tem minha solidariedade e, precisando, ajuda.
    Estamos na margem certa do rio… Não sou otimista em relação ao presente ou ao porvir, mas tenho certeza que a nossa missão é escrever e legar às próximas gerações informações que não alcançarão nos arquivos da mídia alternativa.

    abraços,

    Pedro Maciel

  9. Eduardo Guimarães, cidadão brasileiro!

    Tem uma música gauchesca que diz: “E ser gaúcho me basta pra ser feliz no universo!” Quando poderemos voltar a dizer: “E ser brasileiro me basta pra ser feliz no universo!” Parece que essa matilha de lobos furiosos e tresloucados não suporta ver um povo alegre, com um sorriso largo, assobiando e cantando pelas ruas, apesar de essa corja querer jogar nossa gente no esgoto. Não podemos esquecer que esse justiceiro, como diz Wadih Damous, foi quem proferiu a sentença (como assessor da Ministra Rosa Weber) que encarcerou José Dirceu. Disse não haver provas contra ele, mas se baseava na literatura. Então, sua lista de diatribes e besteiras é extensa e antiga.
    Meu abraço solidário e afetuoso a tua família.

  10. Você é um ser humano e cidadão de primeira qualidade, um grande homem, Eduardo. Suas qualidades evidenciam a pequenez e a mediocridade dos que que te perseguem (Meu Deus, que pesadelo virou este país!). Continue forte, precisamos de pessoas como você. Toda a solidariedade pra você e sua família.

  11. O policial tentou inverter o ônus da prova ao pressionar o acusado a provar sua inocência. O que é isso? Arábia Saudita, Iêmen, Iraque? Não. É o Brasil da ditadura pós-moderna de Michel Temer! Ele é treinado pelos estadunidenses, mas é apenas um medíocre seguidor dos manuais que lhe ensinaram. Seja altivo e sapateie moralmente na cara daquela figura patética. É disso que ele tem medo: a exposição de sua mediocridade. Então, faça com que ele se perceba inferior a cada palavra que você proferir em direção a ele, e também em sua postura corporal. Procure praticar atividades que reforcem a produção de endorfinas pelo seu organismo. Não se esqueça que eles estão moralmente errados, e por isso, tentam inverter a sua posição desforável procurando abater o moral do inimigo. Estamos contigo na luta contra o arbítrio “mourisco”.

  12. Edu ,receba toda nossa solidariedade. Estamos aqui para o que precisar. Força ! O Brasil precisa de pessoas como você.

  13. O que Moro está a fazer com Eduardo Guimarães é uma inominável abominação jurídica.
    Já discordei de Eduardo Guimarães aqui mesmo, nessas caixas de comentários, por diversas vezes. Fui contraditado até com dureza pelo mesmo, em várias ocasiões.
    Hoje, com muita tranquilidade, o que posso me dizer é que me solidarizo com o blogueiro por conta da violência que sofreu ao longo desses últimos dias.
    E que assisto com terror ao que o juiz (juiz mesmo? Será?) Moro vem fazendo. Hoje foi Eduardo Guimarães.
    Amanhã, a continuarem a acontecer coisas como as que vêm ocorrendo no Brasil, poderá ser qualquer um de nós.
    O Brasil atual caminha a passadas largas para virar algo próximo ao mundo de “1984”, retratado por George Orwell, ou ao Brasil de “Não verás país nenhum”, de Ignácio Loyola Brandão (conhece esse livro, Eduardo Guimarães? Vale a pena lê-lo e comparar com o quadro que temos diante de nossos olhos!).
    Estendo aqui, mesmo que metaforicamente, a mão a Eduardo Guimarães. Não podemos compactuar com as violências que o juiz (juiz mesmo? Será?) Moro vem praticando.
    Força, Eduardo Guimarães!
    Dias melhores, um dia, virão. Pela resistência. Pela contestação. Coisas que são possibilitadas, pelo menos por enquanto (dentre outros fatores, claro), pela liberdade de expressão.
    Chega de deixar agentes públicos arbitrários brincarem de Deus. Chega.
    Ninguém é Deus. Ninguém é maior que o Estado Democrático. Ninguém é dono de garantias processuais, para usá-las a seu bel prazer aplicando a fórmula “para os amigos tudo, para os inimigos a lei”.
    Força a todos que não concordam com arbitrariedades e que sonham com um mundo em que ninguém que se ache um Deus cruel e todo poderoso permaneça impune. Força, Eduardo Guimarães!

    • Claus Casto:
      O teu comentário merece aplauso.
      Muitos aplausos.

      Meus cumprimentos.

    • O moro é agente da cia como demonstro o wikileaks. Só isso. Ops, além disso foi filiado ao psdb até 2015 (o que é vedado a um juiz) em pleno vazamento da vaza a jato e, a mulher dele, presta serviços jurídicos para subsidiária da shell no Brasil. Ou seja, faz parte de uma quadrilha de piratas de nossos riquezas. É pouco? https://wikileaks.org/plusd/cables/09BRASILIA1282_a.html

      • Nunca vi tanto cinismo numa otoridade-celebridade….,..a imagem que ilustra o post mostra isso….dá prá entender que os atos de Moro são todos pensado neste filme….quer dizer, o filme está ocorrendo em tempo real, o script foi traçado pela Globo….tudo o que acontece é cinematográfico: o sequestro de Lula e de um blogueiro, por exemplos. E como exemplo de que a “Lei é para Todos”,, desde que o mesmo não seja válido para um certo espectro politico…que nojo.

      • Acompanho este blog há muitos anos. Fiquei triste quando eu soube da condição coercitiva de Eduardo Guimarães, um cidadão de respeito que tem feito excelente trabalho de informação em seu blog. Para piorar, o sequestro (acho que este nome é melhor para definir o que aconteceu) de Edu ocorreu no dia do meu aniversário, 21 de março. Um péssimo presente para quem acompanhou o trabalho de Edu e conhece a sua integridade como profissional e ser humano.

        Ainda bem que o caso repercutiu bem e serviu para mostrar que estamos sim, em uma nova ditadura, diferente dos estereótipos tradicionais, mas que promete ser ainda mais cruel, devolvendo o Brasil para os velhos tempos coloniais em sua essência. De moderno mesmo só teremos a tecnologia das máquinas.

        Eduardo, estamos do teu lado e fico feliz em saber que muita gente te apoia. Você é um lutador e não será um juizeco de quinta categoria, papagaio das elites plutocratas, que irá te derrubar. Edu, os grandes homens como você ficam para a História como grandes homens. Um abraço!

        • Marcelo e demais companheiros, ficou inviável responder e agradecer a cada leitor devido ao grande número de mensagens, mas agradeço a todos de coração

    • Minha sincera solidariedade. CENSURA NUNCA MAIS! Vc é outro mártir, q a Historia escrevera como defenspor do povo! Força, companheiro! (P.S.: Seu blog ainda esta bloqueado. Qd tentei me cadastrar mostrou pagina não encontrada. Tempos tenebrosos… Mas não nos calaremos, nem nos deixaremos abater!)

    • Eduardo parabéns pela sua luta, precisamos de pessoas como você para que nosso Brasil possa ter um futuro. sem que esses Pseudos paladinos da justiça dominem uma população sem cultura e escravos da midia.

    • A questão é: Com tantas arbitrariedades cometidas por este inimigo da democracia e da CF/88 quem o sustenta na ativa?? Comtanta arbitrariedade, sem lastro, já teria sido afastado, no mínimo.

    • No caminho com Maiakóvski

      “[…]
      Na primeira noite eles se aproximam
      e roubam uma flor
      do nosso jardim.
      E não dizemos nada.
      Na segunda noite, já não se escondem;
      pisam as flores,
      matam nosso cão,
      e não dizemos nada.
      Até que um dia,
      o mais frágil deles
      entra sozinho em nossa casa,
      rouba-nos a luz, e,
      conhecendo nosso medo,
      arranca-nos a voz da garganta.
      E já não podemos dizer nada.
      […]”

  14. Eduardo, minha solidariedade a voce e familia.
    Continue com sua força democratica.
    abs

  15. a historia esta nas maos de quem escreve
    a verdade esta nas maos de quem combate a mentira
    o ovo da serpente esta entre nos

  16. Meu caro Eduardo,
    Parabéns pela coragem, pela calma e pela extrema objetividade jornalistica em todo esse pesadelo vivido por você e sua família! Esse canalha desse juiz psicopata não há de vencer essa guerra pela Democracia! Força e luta é o que ele terá de você, caro companheiro! Sucesso e vitória pra você e sua família!

  17. Minha total solidariedade a você e sua família, Eduardo Guimarães. Não sei como reagiria meu filho excepcional (já não mais se encontra entre nós) que durante os seus 34 anos nunca falou, diante de uma agressão ignominiosa como essa.
    Cada vez fica mais claro, e é bom que as novas gerações pensem sobre isso, que quando se quebra a normalidade institucional através de um golpe, essa quebra nunca se satisfaz com os primeiros arbítrios. Arbítrio leva sempre a mais arbítrio. Muita gente achou legal, normal, derrubarem Dilma.

    Hoje já sabemos que Cunha recebeu dinheiro para comprar pelo menos 130 deputados para votar nele para presidente da Câmara a fim de perpetrar o golpe. Moro, em sua atuação seletiva, jogou papel decisivo criando os fatos e argumentos que justificaram o clima favorável ao crime. Portanto, o que você está sofrendo nada mais é do que o efeito do estado de exceção implantado.

    O STF também achou bonito, e até dirigiu a sessão de cassação de Dilma, quando teve até senador que disse que não houve crime mas ele votou pela sua destituição, mesmo assim! A afirmação do Acir Gurgacz desmoraliza o STF.
    Falo isso tudo para dizer que, ou reagimos logo, ou esse caso vai virar mais um de uma série interminável que já ocorreu e de muitos que irão ocorrer. (ver lista de violações catalogadas por Renata Mielli: http://www.pt.org.br/ato-em-solidariedade-ao-jornalista-eduardo-guimaraes/

    Abraço você e sua família nesse momento angustiante que estão enfrentando.
    Zilton Rocha

  18. É preciso uma reação contundente de toda a Sociedade contra essa MONSTRUOSIDADE que o coronel de toga praticou contra você! Esse candidato a Hitler e sua legião de nazistas do MP e da PF convertem cada vez mais este país em um clima de terror, onde a arbitrariedade tenta ganhar ares de “normalidade”, os quais, são sempre a desculpa usada pelas ditaduras mais sombrias. MORO ESTÁ USANDO VOCÊ NÃO APENAS PARA VINGANÇA; É CLARO QUE ELE TE ODEIA E TAMBÉM DESEJA ISSO; MAS TAMBÉM PARA ARRUMAR MAIS UMA ACUSAÇÃO SEM PROVAS E SEQUER LÓGICA CONTRA LULA. O fascista curitibano, com sua inteligência limitada e mesquinharia que salta aos olhos, percebe cada vez mais que não conseguirá entregar aos seus amos a “encomenda” que lhe foi determinada, a prisão de Lula ou ao menos sua inabilitação(está ficando difícil devido ao crescimento vertiginoso do apoio a Lula – o apoio do Nordeste politizado a Lula fez o afscista engolir seco); à denúncia internacional das arbitrariedades da lava(golep)a jato contra Lula e à inconsistência das acusaçõesabsurdas que esses verme inventaram contra Lula. Portanto, tornou-se urgenmte a Moro tentar um Palno B, uma boia de salvação, para inventar um novo crime contra Lula, novamente usando o jargão aterrorizador de “quadrilha”(fabricado pela m´diia canalha na farsa do mensalão)e por isso ele decidiu atacar você primeiro, descarregando assim seu ódio e tendo o mote do post em que você denunciou q a quebra dos sigilo telefênico e bancário de Lula; para em seguida atacar a única oposição real que enfrenta as farsas da lava(golep)a jato, a mídia alternativa; ; fechar esse novo arbítrio com mais uma “acusação” farsesca contra lula : obstrução de justiça. CLARO QUE É IMPROTANTE DESMORALZIAR A FARSA DE MORO, SUAS MENTIARS E O ABSURDO DA CACUSAÇÃO, JÁ QUE SEU POST DE 2016 APENAS ANUNCIOUA QUEBRA DOS SIGILOS TELEFÔNICO E BANCÁRIO, QUE ESTÃO EM POSSES DE BANCOS E OPERADORAS DE TELEFONIA, PORTANTO INACESSÍVEIS PARA LULA OU QUALQUER UM DESTRUÍ-LOS;; MAS AINDA MAIS IMPROTANTE ÉD ENUNCIAR MORO EM TODO O MUNDO, LEVANDO SEU NOME, E DO RESTANTE DOS FASCISTAS DA LAVA(GOLPE)A JATO, PARA AS RUAS, COISA QUE PEÇO DESDE ANTES DO GOLPE. SÓ A POPULAÇÃO COMUM SENDO CONSCIENTIZADA DAS ARBITRARIEDADES QUE A DIREITA E SEUS AGENTES PRATICAM PODERÁ IMPEDIR QUE CONTINUEM A PRATICÁ-LOS E, O QUE É PIOR, Q

  19. É preciso uma reação contundente de toda a Sociedade contra essa MONSTRUOSIDADE que o coronel de toga praticou contra você! Esse candidato a Hitler e sua legião de nazistas do MP e da PF convertem cada vez mais este país em um clima de terror, onde a arbitrariedade tenta ganhar ares de “normalidade”, os quais, são sempre a desculpa usada pelas ditaduras mais sombrias. MORO ESTÁ USANDO VOCÊ NÃO APENAS PARA VINGANÇA; É CLARO QUE ELE TE ODEIA E TAMBÉM DESEJA ISSO; MAS TAMBÉM PARA ARRUMAR MAIS UMA ACUSAÇÃO SEM PROVAS E SEQUER LÓGICA CONTRA LULA. O fascista curitibano, com sua inteligência limitada e mesquinharia que salta aos olhos, percebe cada vez mais que não conseguirá entregar aos seus amos a “encomenda” que lhe foi determinada, a prisão de Lula ou ao menos sua inabilitação. Esta ficando difícil devido ao crescimento vertiginoso do apoio a Lula(o apoio do Nordeste politizado a Lula fez o fascista engolir seco); à denúncia internacional das arbitrariedades da lava(golpe)a jato contra Lula e à inconsistência das acusações absurdas que esses verme inventaram contra Lula. Portanto, tornou-se urgente a Moro tentar um Plano B, uma boia de salvação, para inventar um novo crime contra Lula, novamente usando o jargão aterrorizador de “quadrilha”(fabricado pela mídia canalha na farsa do mensalão)e por isso ele decidiu atacar você primeiro, descarregando assim seu ódio e tendo o mote do post em que você denunciou a quebra dos sigilos telefônico e bancário de Lula; para em seguida atacar a única oposição real que enfrenta as farsas da lava(golpe)a jato, a mídia alternativa e posteriormente fechar esse novo arbítrio com mais uma “acusação” farsesca contra Lula : obstrução de justiça. CLARO QUE É IMPORTANTE DESMORALIZAR A FARSA DE MORO, SUAS MENTIRAS E O ABSURDO DA ACUSAÇÃO, JÁ QUE SEU POST DE 2016 APENAS ANUNCIOU A QUEBRA DOS SIGILOS TELEFÔNICO E BANCÁRIO, QUE ESTÃO EM POSSE DE BANCOS E OPERADORAS DE TELEFONIA, PORTANTO INACESSÍVEIS PARA LULA OU QUALQUER UM DESTRUÍ-LOS; MAS AINDA MAIS IMPORTANTE É DENUNCIAR MORO EM TODO O MUNDO, LEVANDO SEU NOME, E DO RESTANTE DOS FASCISTAS DA LAVA(GOLPE)A JATO, PARA A IMPRENSA INTERNACIONAL E PARA AS RUAS, COISA QUE PEÇO DESDE ANTES DO GOLPE. SÓ A CONSCIENTIZAÇÃO DA POPULAÇÃO COMUM SOBRE AS ARBITRARIEDADES QUE A DIREITA E SEUS AGENTES PRATICAM PODERÁ LEVAR IMPEDIR QUE ESSES ARBÍTRIOS CONTINUEM SENDO PRATICADOS E, O QUE É PIOR, QUE OUTROS PIORES ACONTEÇAM, POIS TENHA CERTEZA QUE FARÃO SE NÃO FOREM DETIDOS AGORA. O mesmo vale para a mídia, já propus atos em frente às sedes da globo em todo o Brasil. Os dois, mídia e golpe a jato, estão mancomunados na arbitrariedade e denunciar um sem denunciar o outro, nas ruas e na mídia alternativa, é fazer um desmascaramento incompleto que não exporá a Verdade para os brasileiros. Por último, peço a você que não esmoreça e use a arrogância desse déspota e seus lacaios como combustível para combatê-los ainda mais.

  20. Minha solidariedade. Essa é a pior das ditaduras, porque é disfarçada de democracia.

  21. Jornalista

    Para Eduardo Guimarães

    Leonardo Leão

    Vil
    o vilão apodrece
    o que vale:
    planeja, determina, executa
    e escancara:
    “vossa vida, vela
    que assopro”.
    Já houve uma:
    caça vidas,
    produz morte.
    A mente não mente:
    é livre.
    A meta da batalha,
    longe do insignificante,
    é civilização:
    nenhum de nós
    pode exercer pessoal
    limite
    fora da lei
    impunimente.

    Recife, 24 de março de 2017

    Poderia, até deveria, servir-me do singular de palavra usada recentemente por Suas Excelências, Senadores dá República, Roberto Requião e Lindberg Farias, mas doeu tão fundo em mim que preferi não resumir ao óbvio, apenas.

  22. Estamos contigo nesta luta contra a Ditadura implementada por este JUIZ, é Juiz?

  23. Tenho orado para que a perversidade não prevaleça.

  24. Eduardo,
    Todo meu apoio e solidariedade.
    Continue na luta e tenha certeza que tem muita gente do seu lado.
    Sérgio Moro não é Juiz de Direito, é cúmplice do golpe.

  25. A AÇÃO TRESLOUCADA DE MORO AO DETER O BLOGUEIRO EDUARDO GUIMARÃES ONTEM, 21/03, TEVE REPERCUSSÃO NO TWITTER MUITO MAIOR QUE O ESPERADO.

    A participação das pessoas debatendo e criticando a ordem judicial do juiz Sérgio Moro na detenção provisória para interrogação do blogueiro Eduardo Guimarães foi intensa durante o dia de ontem nas redes sociais e no Twitter. A ação ilegal do juiz(?) Sérgio Moro que determinou de forma arbitrária a condução coercitiva para interrogatório do blogueiro Eduardo Guimarães ontem, 21/03, teve repercussão nacional muito maior do que seria esperado, principalmente em se tratando de um blogueiro que não esta entre os mais conhecidos e seguidos, como seria o caso de dos blogs “Conversa Afiada”, “Viomundo” e “Tijolaço” dentre outros.

    Maior exemplo da repercussão e da dimensão que o ato tresloucado de Moro teve pôde ser constatado nas redes sociais no decorrer de ontem culminando em um processo de mobilização da sociedade civil em defesa de Eduardo Guimarães que envolveu amplos segmentos, que transcendeu as expectativas e teve como conseqüência a consequente pressão da opinião pública que inevitavelmente colocou Moro e seus comandados, principalmente da Policia Federal, na defensiva.

    No entanto, foi no Twitter que a repercussão na internet da ação de Moro pôde ser constatada com mais intensidade, na medida em que o assunto “Eduardo Guimarães” permaneceu em destaque praticamente a maior parte do dia de ontem entre os dez assuntos do momento em todo o Brasil. O assunto “Eduardo Guimarães” entrou no Twitter logo pela manhã ali pelas dez horas e foi ficando na medida em que as pessoas repercutiam até à tarde próximo as 18 horas, com opiniões contrárias e a favor, sendo que os defensores de Eduardo Guimarães eram ampla maioria.

    O fato é que milhares de “twitteiros” aderiram ao assunto com suas opiniões e isso deve ser considerado um importante fator de mobilização da opinião pública sem a participação dos grandes grupos de comunicação tradicionais que apoiaram o golpe parlamentar do ano passado no Brasil contra uma presidenta eleita e inocente. A repercussão da tentativa de intimidação de Moro contra Eduardo Guimarães nas redes sociais e no Twitter foi tão real praticamente todo o dia de ontem, que mesmo fingindo que não estavam sabendo do fato durante a maior parte do dia, ao final da tarde, a Globo dos irmãos Marinho, a Folha UOL e o Estadão dentre outros, foram obrigados a repercutir o assunto “Eduardo Guimarães”, mesmo que tenha sido sem destacar o caráter ilegal e autoritário do ato inconsequente de Moro.

    Conclusão, a cada momento que passa, mais e mais pessoas passam a se informar pela internet alem de participar das redes sociais com suas próprias opiniões, em um processo que já é, a muito tempo, irreversível. blog fazer

  26. Juristas sérios entendem que não há previsão legal para a jabuticaba denominada condução coercitiva, pelo menos na forma que vem sendo aplicada.
    É mero expediente de exceção.
    Veja o que diz, por exemplo, Luis Flávio Gomes, estudioso do Direito Penal – e, ao que tudo indica, muito pouco simpático em relação à pessoa de Lula – sobre a condução coercitiva empreendida ano passado contra o grande nome do Partido dos Trabalhadores:
    “O art. 260 do CPP [Código de Processo Penal] diz o seguinte: “Se o acusado não atender a intimação para o interrogatório (…) a autoridade poderá mandar conduzi-lo à sua presença”. Repita-se: “Se o acusado não atender a intimação”.
    A condução coercitiva só pode ocorrer nas situações expressamente descritas no art. 260.
    O problema: não houve intimação prévia (que é o núcleo essencial da condução coercitiva). Sem intimação prévia desatendida, a condução é fragrantemente ilegal (disse o ministro do STF, Marco Aurélio).
    Todos queremos que o Lula preste contas de tudo de que é acusado. Mas em sã consciência, se a lei exige intimação prévia para se decretar a condução coercitiva, não tendo havido essa intimação, não pode acontecer a condução”. (LINK: http://luizflaviogomes.com/conducao-coercitiva-do-lula-ilegalidade-e-a-busca-da-verdade-aletheia/)
    Passado esse furor anti-PT, se é que isso acabará algum dia, nunca mais ouviremos falar no malsinado expediente. Destruído o PT – e por consequência disso enquadrado o “juiz” Moro (“estancando a sangria”) -, nunca mais ouviremos falar nessa jabuticaba indigesta para a democracia.
    Democracia… Quanta saudade.
    (Podemos mesmo contar com eleições no ano que vem?)

  27. Está aí um típico caso de ABUSO DE AUTORIDADE que dever ser coibido através da votação de lei específica pelo Congresso.

  28. Eu com meus familiares e muitos amigos estamos solidários com você, Eduardo Guimarães.Força e coragem, sempre!

  29. ♫ A Falha de São Paulo noticia que “Fiscais do Ministério da Agricultura ganhavam peru de Natal da BRF” e só me deixa comentar se eu assinar a droga.

    Bela merda! Eu também ganho peru de Natal. Serei preso pelo peru? Espero que não; deve doer muito…

  30. Com 68 anos eu pensei nunca mais falar essa frase. CENSURA NUNCA MAIS.

  31. “(…) o preso será informado de seus direitos, entre os quais o de permanecer calado, sendo-lhe assegurada a assistência da família e de advogado.” Está assinalado na constituição. “Nemu tenetur se detegere.” Trata-se do direito CONSTITUCIONAL de não produzir prova contra si mesmo.
    Eis aí o grande motivador da tal condução coercitiva: os criadores da jabuticaba entendem que a pessoa não pode ser previamente notificada para comparecer a depoimento perante a autoridade policial para não receber orientação de seus advogados. Não há nenhuma preocupação no que diz respeito à exposição dessa motivação. Os procuradores da Lava Jato e delegados federais envolvidos com a prática têm reiteradamente afirmado que ela se dá para impedir o acesso das partes à assistência judiciária.
    A mesma constituição diz: “O advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei”. De repente, aparecem os “heróis” da Lava Jato e dizem que as pessoas não devem ter acesso aos advogados, pois não teriam o direito de receber orientações para se defender. Isso seria, pura e simplesmente, combinar versões para produzir mentiras.
    Coisa típica de regimes inquisitoriais, próprios de ditaduras. Em procedimentos meramente inquisitivos, a figura do julgador se confunde com a de acusação e de defesa. É o juiz três em um. Depois certos operadores jurídicos reclamam quando são comparados a figuras tais como Torquemada, quando fazem paralelos entre a atuação da polícia brasileira e a da Gestapo – ou da KGB. Qual é mesmo a diferença?
    ejam como essa turma também sabe atuar como defesa, quando a ela convém: vocês estão vendo o papel de eterno Advogado Geral da União que o ministro do STF Gilmar Mendes vem fazendo no julgamento perante o TSE da chapa Dilma/Temer? Viram Moro todo risos ao lado de Aécio Neves? Observam o povo da Lava Jato diferenciando PSDB de PT na hora da aplicação de medidas de exceção? Alguém consegue digerir a atuação daqueles que grotescamente diferenciam o caixa 2 do PT – do mal – do caixa 2 do PSDB – do bem? Cabe esse tipo de distinção meramente casuística numa democracia? Claro que não.
    O fato é este: não há mais democracia no Brasil. Podemos mesmo contar com eleições em 2018?

  32. Não quero me meter nessa confusão e nem julgar quem está certo ou errado. Há razões dos dois lados. O que me parece sensato seria pedir ao Eduardo Guimarães a sua opinião sobre a roubalheira, sobre o assalto à Petrobras, sobre os danos causados ao País nos últimos 15 anos. Não precisa falar em governo do PT ou coisa parecida, nem dar nomes aos bois. Não precisa citar “a” ou “b” como ex presidentes, ex-ministros ou ex-qualquer coisa. Apenas falar da corrupção e desses danos que irão borrar e envergonhar os futuros livros de História do Brasil. Sem essa roubalheira não teríamos Lava Jato nem nada. O juiz Moro estaria lá no seu gabinete julgando os processos comuns que imagino que sempre tenha julgado.
    Pode ser Eduardo ? Algumas linhas apenas.

  33. Tu passou para a história…

  34. Caro Amigo! Força nesse momento de luto, melhor morrer em pé, do que viver de joelhos. Enquanto ao Moro juiz tendencioso, criminoso, articulista, mal caráter, pilantra e por fim vagabundo!

  35. Depois de todo o excarcéu feito neste caso….

    Sou favorável à liberdade total e irrestrita de todos se expressarem.

    Não existe imprensa blog ou o escambau que seja isento ou imparcial isso é utopia imbecil.

    Mas há sim uma discussão sobre a fronteira entre a divulgação de um furo e a obstrução da justiça. Pergunto: hipoteticamente, se um jornalista publicasse “amanhã Roger Abdelmassih será preso”- e os mesmo fugisse (sem precisar claro do HC fajuto do Gilmar Mendes)- o que achariam? E se o mesmo jornalista ligasse para o cara e avisasse “Vaza logo você vai ser preso amanhã”?

    Não digo que seja o caso, mas apurar o que houve é sim necessário. O sigilo de investigação deve ocorrer para todos os lados.

    Mas no caso não houve “prisão˜- houve sim a condução coercitiva para depoimento. Ainda que já estivesse com depoimento marcado, a maneira bruta serviu para pegar computadores, dados e etc. Sinceramente acho que não acharão grande coisa nos computadores e celulares além do já divulgado.

  36. Eu cometi um equívoco em meu primeiro comentário.
    Disse que pessoas como o “juiz” Moro invocam o dístico “para os amigos tudo, para os inimigos a lei”. Equivoquei-me. Quem dera a coisa se passasse assim!
    O que o “juiz” faz é ainda mais brutal, pois se invocasse a lei contra os inimigos jamais poderia fazer o que está a praticar. O Deus Judiciário simplesmente atualizou o dito para “para os amigos tudo, para os inimigos a lei que invento, que crio de acordo com as circunstâncias – a lei da exceção, advinda da minha fértil imaginação judiciária”.
    É essa a natureza do pensamento do “grande herói”.
    Liberdade de imprensa? Só se for para proteger vazamentos – espúrios – que o Deus Judiciário aprove. Caso a liberdade de expressão seja invocada por um Eduardo Guimarães, que encontra-se no outro lado do espectro político predileto de Moro, ela não poderá ser invocada, com base em “argumentos” com a qualidade de “ele não é jornalista para ter liberdade de imprensa”. São essas as razões das pessoas que muitos brasileiros consideram heróis.
    Não, prezados, a Lava Jato não está aí para salvar P.N. Muito pelo contrário. A Lava Jato criou um Estado de Polícia em nosso país que o levará, quase que de forma inexorável, ao abismo – o recente caso da carne que o diga. Vejamos quantos bilhões deixarão de ingressar na economia brasileira pela atitude dantesca de uma “autoridade policial” açodada e sequiosa, ávida pelo brilho dos holofotes da Rede Globo.
    Pobre Brasil.
    Está difícil alimentar nossa esperança. Tudo parece ruir. O caminho parece sem volta. Mas há solução. Não acredito que o destino do Brasil esteja traçado, que seja esse mar de mediocridade que estamos a ver. Não acredito. Não é possível.

  37. Os funcionários públicos do mundo jurídico, juízes, membros do MP e delegados – com honrosas exceções -, viraram o que os militares foram no período autoritário que o Brasil viveu no pós-64.

  38. Prezado Eduardo,

    Sugiro fazermos uma campanha pública de arrecadação financeira que auxilie a você e a sua família a suportarem os danos causados por esta barbárie. Continue firme.

  39. Sandro,
    Primeiro ,só uma sugestão,
    se alfabetize primeiro,e, depois você volta, e
    escreva alguma frase que faça sentido
    gramatical e intelectual.

  40. Sérgio Moro,
    O juiz Fora da Lei. (Wadih Damous)

  41. Moro é um psicopata, e um sociopata. Pela forma como fala e se expressa é possível perceber isso. Não precisa ter diploma de psicologia para enxergar. Ele é um cara que se acha “mais inteligente que todo mundo neste país” por ter certificado de escola americana da CIA, e vai continuar aqui (campo aberto pra ele) a perseguir você e todos os inocentes e críticos dele (e críticos da lava jato) até quando quiser.

    Isto só está ocorrendo no Brasil por que não temos STF. Não temos “justiça de verdade”, nem juízes que querem de fato fazer valer a constituição. Os juízes do STF morrem de medo e se rendem a “constituição” da Globo.

    Ninguem é bobo, e todo mundo tá careca de saber que a morte de Teori Zavarski foi para deixar um “recado” aos outros ministros do STF para que ficassem “pianinhos”, “calados e quietinhos”, e deixassem passar – fingindo que não veem -toda essa arbitrariedade que acontece hoje em dia no Brasil. Esses sequestros, esses assaltos, esse desrespeito – na cara deles e da OAB – à Constituição.

    Neste país de bandidos, em que uma quadrilha verdadeiramente organizada se apossou do palácio do planalto, através de um “golpe de Estado” se faz tudo conforme “a Bíblia dos Marinhos” e enquanto esse câncer da Rede Globo existir, nunca haverá democracia neste país.

    A perseguição de Moro, o novo filho dos Marinhos, à você e a nós, críticos dos métodos dele e da Lava Jato, vai continuar existindo, mas, mesmo com ele fazendo isso com o apoio de muitos jornalistas e colunistas capachos de patrão, mesmo assim, isso não vai mudar uma coisa: a falta de caráter dele.

    Um cara que se vende ao oligopólio (os 10% dos mais ricos do país) em troca de dinheiro, aposentadoria e fama, e que agora precisa “correr” para entregar à esses 10%, a “encomenda” que lhe pediram, e que lhe garantirá sua aposentadoria feliz nos EUA – assim como fez Carlos Lacerda à época – não mudará o fato de que o Sergio Moro é um covarde, desonesto e traidor do Brasil.

  42. Sérgio Moro se converteu no Coronel Brilhante Ultra! Só lhe falta os fios do choque elétrico! Nada mais, porque em ternos morais, já são irmãos siameses!

  43. Eduardo Guimarães, amigo de longas eras, a quem eu nunca encontrei, lembre que eu lhe dei muitos conselhos, temi muito pela sua segurança e de sua família. E agora mais do que nunca. Você foi exposto, inconvenientemente misturado aos bandidos, pela TV. E pelos blogs, sites etc.

    “Eles” jamais teriam a audácia de prender um PHA, mas você é mais frágil do ponto de vista deles.

    Isso foi um ato que os cangaceiros usavam, chamado de “exemplar”. A Mafia, também. Os nazistas também. E outros mais. Pega um, para exemplar em praça pública , para fazer medo aos outros.E hoje,para desmoralizar, porque enrolam todas as notícias, de modo que, no fim de tudo, ninguém saiba quem era corrupto ou não.

    Talvez eu seja um “Ubaldo, o paranoico”, mas para mim toda essa coisa me parece uma armação. Desde a “revelação”, até o cancelamento feito por Moro, agora.

    Já pensou em ter um Cabo Anselmo, no meio desses telefonemas? Afinal essa era uma coisa que todos já esperavam mais ou menos, há um bocado de tempo. Só faltava a acreditar que “eles” teriam a cara de pau de fazer.

    E quanto a essas suas frases, “(,,,)Não é mais juiz, é parte de um litígio. Não posso ser julgado por um inimigo. Isso é uma aberração, isso é coisa de ditaduras(…)”, devo lembrar que é muito mais antigo do que uma ditadura.

    Nos livros de “contos de faz de conta”, encontramos muitos tiranos cuja “justiça” era feita assim.

    E muito antes, Hamurabi criou o seu célebre código, “para dar o Direito a quem tinha Direito”, porque os juízes julgavam a favor de seus interesses, contra os escravos e pobres.

    E tem mais, mesmo anulando, as informações já estão enfurnadas em todas formas de cópia que existem, aguardando o seu devido “timing”, palavra muito do agrado da nossa PF.

    E eu espero que a OAB proteste de alguma forma pelo fato de se obrigar alguém a falar sem a presença do seu advogado e a revelar as suas senhas “para produzir provas contra si mesmo”.

  44. Empenho meu apoio e solidariedade ao grande lutador pela liberdade e direito de expressão que é Eduardo Guimarães. Esta máquina de moer direitos e consciências que tomou conta do Brasil se transformou em forma inédita de ditadura fascista. Mais do que nunca o Brasil precisa de pessoas de coragem e discernimento. Caro Eduardo, saiba que não está sozinho.

  45. Eduardo, não acompanhava seu trabalho antes, pois só recentemente li um artigo seu no livro Golpe 16. Quero prestar minha solidariedade e dizer o quanto seu relato me sensibilizou… Por hora, teremos que suportar com coragem e ousadia a ofensiva desse Estado Policialesco e sádico que nossos tempos produziram… Venceremos! Estou certo disso! E você passará para a história desse país como um exemplo de resistência… Um abraço!

  46. Acompanhei essa crucificação do Blogueiro e agora, ao ler dele próprio como se deram os passos da perseguição ilegal, tal como antes, digo que o Senhor, Eduardo, pode não valer nada para Moro, se todo o episódio transcorreu para se chegar a Lula, este, sim, de grande valia para Moro e uma montanha de gente que tanto o odeia. Por outro lado, ao mexerem com o Senhor, pensando que seria o mesmo que mexer com uma mosca, os algozes de Lula deram mais um tiro no pé.
    A partir dessa prisão coercitiva, do Doi, Eduardo Guimarães será muito mais visto, seguido, e considerado. Enquanto Moro, e seus subordinados, todos cupinchas, terão que se ver mais uma vez com suas lambanças.
    Sinto profundamente pelo Senhor, pela sua esposa, e em especial pela sua filha, considerando que faltar com respeito a uma pessoa tão doente foi o de mais grave que vimos nessa história, porque só aumentou em nós o sentimento de pavor que devemos ter por essa gente.
    Não será pouca luta que nos trará de volta a liberdade e a tranquilidade.

  47. No relatório de Eduardo ai só de agressões, ilegalidades e pos verdades dá uma dúzia delas.
    O desrespeito contra sua esposa, que não era a procurada no caso – igual só havia antes no Doi Codi.
    Existem alguns nomes em dicionários que ninguem usa: maldade dolosa, mascarada torpeza, cínica vilania.
    Enfim vendo este relato, o leitor fica entre o pavor e a ânsia de vômito.

  48. Canto
    Como canta o sabiá
    Canta preso na gaiola (bis)
    Porque não sabe chorar

  49. Bom dia!
    Como diria o grande Chico Buarque de Holanda, “atordoado permaneço atento para ver emergir o monstro da lagoa”! Eu era feliz no meu período “pré-adâmico”, em minha absoluta ignorância, mas, para lástima dos déspotas de plantão, obtive educação e conhecimento (fato este que desagrada imensamente à estes!!!) e enxergo (ou assim penso) um pouco mais e vejo com nitidez a verdade por trás de tudo: – Entregar tudo, todas as nossas riquezas! Lembro-me de uma frase:
    “Ao mesmo tempo em que nos regozijamos pela vitória alcançada, queremos lançar um brado de alerta. A campanha do petróleo prossegue, pois o inimigo ainda voltará à investida.”
    — General Felicíssimo Cardoso
    A questão é simples: – Se um boi tem carrapatos, os eliminamos, e não matamos o boi! Aqui estão usando o pseudo-argumento de que temos que matar o boi por causa dos carrapatos! Ora direi: – Matem-se os carrapatos! Só porque não queremos entregar, usam de subterfúgios, enganando o povo, com a benção sagrada da grande mídia para, uma vez mais, continuar e dilapidar o patrimônio da nação e dos miseráveis cidadãos brasileiros, sim, afinal, tudo faz parte do grande plano; Vamos endividar o povo, depois, vamos liberar o FGTS para que este dinheiro venha a nós de todo modo! Poderia discutir sobre isto por meses a fio…
    Por outro lado, o mais estranho é que, embora houvesse a suposta e alegada corrupção na Petrobrás (aliás, em minha inocente opinião é endêmica desde o primeiro instante da criação da lei 2004/53, ou seja, sempre houve!), não significa isto que devemos matar o boi, ou seja, entregar a Petrobrás que, em verdade vale trilhões, afinal, o que tem valor são as reservas e não os prédios físicos ou “números criados” por canalhas usurpadores e usurários (destes que fariam “Shylock” parecer um bebê inocente) em que se valora a Petrobrás. Valorar??? Como é feito isto? Em que se baseia??? Querem “comprar”??? Ótimo! Nosso preço é de R$ 1.000.000.000.000.000,00 (um quatrilhão de reais), sendo 50% à vista e restante em trinta dias! Se for assim, podemos pensar, mas, nos termos que são feitos como em outros carnavais, onde se dá à título gratuito, não!!!
    A bem da verdade é que há “algo de podre no reino da Dinamarca”, quer seja, repentinamente se “descobriu” um suposto “mar de lama” e vamos passar tudo à limpo! Ótimo, então comecemos fazendo justiça:
    – Decretemos moratória aos bancos, verdadeiros cânceres da sociedade, que com seus juros usurários dilapidam o patrimônio do povo e do governo. Apenas para referência, se todos os números forem verídicos, pagamos só de juros, à banqueiros, 400 bilhões de reais ao ano. Este valor é absurdamente fora de qualquer padrão, pois com este dinheiro, poderíamos resolver imediatamente necessidades do país!
    – Diminuamos imediatamente os juros, tanto os padrões quanto os do varejo, à níveis da Europa (Alemanha, Holanda, Bélgica, Noruega, Dinamarca) ou da Oceania (Nova Zelândia e Austrália)
    – Taxemos imediatamente o capital volátil que aporta em nosso país (aquele dinheiro “motel” em que o sujeito – vide Soros, Buffet, além dos tupiniquins e etc. – entra com bilhões e deixa algumas horas e cai fora de manhã (igual ao motel, depois de ter fu**** o povo, após lucrar milhões, nos dando o dedo do meio) em valores de 50% de IR, ou mais!
    – Taxemos imediatamente as grandes fortunas e os lucros das empresas midiáticas e especuladores e banqueiros e outro tipo de lixo humano em valores de 50% de IR, ou mais!
    – Isentemos imediatamente todos os assalariados e aposentados e pensionistas abaixo de R$ 10.000,00 mensais.

    Com simples atitudes como estas, a arrecadação do erário aumenta imensamente e se distribui renda!

  50. Parece relatos da época da ditadura militar.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.