PMDB pode ter que voltar ao governo com o rabo entre as pernas

 

 

pmdb

 

“Não foi uma decisão muito inteligente”, disse Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, sobre a debandada do PMDB na semana que finda. Para ele, a decisão majoritária do partido de entregar os cargos no governo Dilma e passar à oposição pode ter vida curta, daí a precipitação que viu nessa atitude. Fatos posteriores mostrariam que Renan sabe das coisas.

Some-se a isso declaração de outro presidente do Legislativo federal, o também peemedebista e presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no sentido de que “Se por acaso o governo conseguir evitar a abertura do processo de impeachment, ele vai ter que governar no outro dia, e não vai governar com esse número”.

Renan e Cunha têm razão. E a fala de um explica a do outro. Renan disse que a decisão do PMDB de deixar o governo foi pouco inteligente e precipitada e Cunha disse o óbvio, que Dilma “não vai governar com esse número” de parlamentares que ficarão do seu lado contra o impeachment. E não vai mesmo.

O que Cunha não disse, mas sabe, é que Dilma não vai governar com esse número de aliados, mas vai governar com número muito maior pelo que explicou Renan em sua fala sobre a falta de inteligência da decisão do PMDB de pular do barco antes de o naufrágio se mostrar irreversível.

Ao ser questionado sobre qual seria a situação do PMDB caso a presidente Dilma consiga uma “salvação” ao evitar o processo de impeachment que enfrenta no Congresso Nacional, Renan disse não acreditar que o partido passe a liderar uma corrende de oposição ao governo.

Renan é uma das duas raposas políticas que comandam o Poder Legislativo brasileiro. Ele e Cunha sabem muito bem que o PMDB não sobrevive fora do Poder. Por conta disso, integra todos os governos desde a redemocratização.

Dilma está recompondo a base aliada. Partidos que estavam de fora do arranjo anterior, agora correm para o governo em busca dos melhores cargos, os quais estavam todos nas mãos do PMDB. A oportunidade é única e os movimentos todos contra o impeachment vistos no Brasil e no exterior criaram a narrativa perfeita para quem estava de fora da festa governista finalmente assumir o filé deixado pelo PMDB.

Ah, você, golpista de plantão, qual virgem na zona vai dizer agora que esse arranjo político – e, se for bem cara-de-pau, pode chamar de “loteamento político” mesmo – é “imoral”. É mesmo, é? Ora, vá se catar! É assim que funciona o governo brasileiro desde sempre e é assim que funcionará com ou sem Dilma no Poder.

Simplesmente porque ninguém governa o Brasil sem maioria no Legislativo. Todos estão vendo o país afundar justamente por falta de governabilidade, palavra que andou demonizada mas que simboliza as condições de o governo manter o país funcionando ou até de fazê-lo avançar.

Não gostam do “loteamento de cargos”? Vamos mudar a estrutura político-administrativa do país, vamos fazer uma reforma político-administrativa no país. Agora, o que não dá é para alguns caras-de-pau ficarem dando uma (repito) de virgens na zona, monstrando-se “escandalizados” com a forma como o poder tem que ser exercido por quem governa.

Seja como for, o impeachment subiu (de novo) no telhado. Pode descer, claro. A Lava Jato está aí para ficar caçando factoides para permitir o golpe político. Mas quem ouviu a fala do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), a estudantes contendo uma crítica ao PMDB como “alternativa de poder”, sabe por que o golpe está difícil de sair.

Há um roteiro muito provável para o fim dessa novela.

Os partidos que ficavam com as sobras do PMDB pulam no barco governista para repartirem o filé, agora amparados pelo repúdio estridente ao golpe que está sendo entoado no Brasil (com menos sucesso, devido à crise) e no exterior (com muito mais sucesso devido ao caráter golpista do golpe).

Com isso, o impeachment não passa por falta de votos a favor, mesmo sem ter votos suficientes contra – mesmo que o governo não obtenha 171 votos a favor de Dilma na Câmara, deputados podem faltar à votação, negando os 342 votos contra a presidente necessários à abertura do impeachment.

O PMDB, na verdade, ainda não entregou nada. Continua sentadinho nos seus ministérios. Até agora, só fez um showzinho. Com a reversão das expectativas pró impeachment, vai continuar sentadinho onde está. Contudo, os palhaços que deram o showzinho mostrado na foto no alto da página terão que voltar ao colo da mamãe Dilma com o rabinho entre as pernas.

Tags: , , , , ,

96 Comentário

  1. ENTREM: fACEBOOCK.COM/eU-moro-com-ele. Fantástico

  2. “A política morreu” ????? Só porque ele decepcionou-se com a turma que ele imaginava, ou queria no poder, não era dos sonhos dele? Onde ele estava? Em outro país? Não acompanha as notícias?
    Um juiz precisa saber ponderar, não deve emitir opinião partidária.
    Quanto ao PMDB, quero que a maioria suma. É preciso mostrar energia, doa a quem doer.
    Há, ainda, muitos políticos aproveitáveis. É só saber escolher com critério.
    Há frouxidão demais. É preciso firmeza. Só espero que não tentem fazer acordos com o psdb.

  3. O Deputado Marcelo Aro (PHS) indicou o Eduardo Cunha para cidadão honorário de BH. Entre no Face do deputado e pergunte a ele: Voce é contra corrupção ? O que acha de Eduardo Cunha?

    http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2015/01/22/interna_politica,610613/eduardo-cunha-vem-a-bh-para-homenagem-e-articular-presidencia-da-camar.shtml

  4. A extrema direita não quer ninguém além dela. Bastou Ciro aparecer um pouco e já veio um tal Ricardo Aquino Salles sugerir um ataque a ele num restaurante. ( e olhem o currículo do sujeito, igual a maioria dis revoltados. Revoltado mesmo)

  5. Quando leio as notícias sobre a Europa e as crises políticas que prejudicam as populações de diversos países, não chego ao cúmulo de dizer que a política morreu, mas que temos de repensar seriamente sobre as armadilhas dos acordos de transição política que nos trouxeram até ao ponto de partida mais uma vez. Lutamos pelas Diretas Já. Conseguimos? Acho que ainda não. Nos acordos vem embutida a obrigação de carregarmos as malas do período anterior e ainda acrescentar umas novas tão velhas quanto as antigas. Resultado: o projeto social ganha, as malas boicotam mais da metade do projeto. Quem ganha a eleição no final? Não dá para prosseguirmos com tanto peso morto. Morto e mortal. Não dá.

  6. Mais assuntos para pensar!!!!!
    Época revela como governo Obama subsidia a Lava Jato.
    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/223682/%C3%89poca-revela-como-governo-Obama-subsidia-a-Lava-Jato.htm
    Operação “Carbono14″: mandados ficaram um mês na gaveta. Por quê? Marcelo Auler.
    http://www.marceloauler.com.br/author/marceloa-2/

  7. A mídia sempre escondeu isto de você, mas, agora, eu revelo:

    FHC, O GENOCIDA!!!

    Saiba, porque, muito além dos escândalos de corrupção que patrocinou em seu governo, este Sr. OBSCENO, deveria estar trancafiado a SETE CHAVES!

    https://rebeldesilente.wordpress.com/2016/03/24/fhc-o-genocida/

  8. Todos, agora, compreendem: DESTRUIR A GLOBO É SALVAR A DEMOCRACIA!!!

    AGORA A GLOBO É NOSSO ALVO!!!

    https://rebeldesilente.wordpress.com/2016/03/23/agora-a-globo-e-nosso-alvo/

  9. A verdade é uma só: NÃO VAI TER GOLPE, NÃO VAI TER GOLPE, NÃO VAI TER GOLPE! …

  10. Quem votar contra o impedimento nunca mais se elege, em resumo é isso.
    Interessante que para “vocês” pró petrolão, acham que o povo não é ator neste filme.
    Para “vocês” o povo é apenas platéia.

  11. O povo tem que nunca mais votar em qualquer um desses políticos que querem roubar a presidência da Dilma, falo em roubar por que quem tira a força estão roubando.
    Ai eu quero ver nem um deles reeleito em 2018 e para as eleições municipais ninguém votar em candidatos do PMDB .

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.