Petista “arrependido” (ou hesitante) é pior que ex-marido ou ex-mulher

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

antipetismo

É preciso muita força moral para manter convicções políticas e ideológicas minoritárias nos dias de hoje e não se vergar na direção que as conjunturas impõem aos ventos da opinião pública, para não desdizer a si mesmo quando a conveniência requer.

A fila diante do altar antipetista cresceu muito. Cristãos-novos chegam todos os dias, aterrorizados com o som das panelas do vizinho de cima ou de baixo ou da parentada e dos “colegas” de trabalho, ou, terror dos terrores, com o som das panelas douradas do patrão.

Algum nível de antipetismo, antilulismo ou antidilmismo há que exibir para não se mostrar “alienado”.

O meio de se desvincular de responsabilidades pelas próprias opiniões é simples, não requer prática ou habilidade: você critica “todosuspuliticu” e tudo bem, ganha um passaporte moral que lhe dá direito a passear em paz por aí sem ser chamado de “ladrão” por ter uma opinião política diferente da da maioria.

Esse tipo de canalhice caracteriza petistas e “petistas” arrependidos (as aspas diferenciam os simpatizantes dos filiados ao PT), dos quais o exemplo máximo, hoje, é Marta Suplicy, quem, com uma desfaçatez de fazer vomitar, desfere críticas ao ex-partido como se jamais tivesse sequer passado perto dele.

Mas o exército dos que ou viraram a casaca ou adotaram a tática do morde e assopra (para não parecerem petistas demais) não para de crescer.

O petista arrependido profere insultos pesados àqueles que apoiava ou com os quais caminhava, dizendo-os, eufemisticamente, “críticas construtivas”, como se fosse admissível engrossar o atual coro dos linchadores sem se tornar um deles.

Esse ser transmudado intelectualmente parece ex-marido ou ex-mulher: não rompe de vez com o ex-cônjuge porque ainda tem algum tipo de laço com ele, mas não perde oportunidade de espicaçá-lo.

O petista arrependido justifica sua mudança de atitude lembrando afagos que fazia a Lula, a Dilma ou ao PT quando os presidentes petistas tinham 60, 70, 80 por cento de popularidade e, então, era fácil defendê-los e/ou elogiá-los.

Ser petista ou “petista” antes da conjuntural “derrocada” do petismo ou do lulismo – fenômeno que os oportunistas enxergam de forma superdimensionada – rendia bons contratos e muitos contatos, prestígio, muitos cliques, curtidas e compartilhamentos.

Hoje, a conjuntura impõe uma situação diferente. Quem não fizer algum nível de profissão de fé no antipetismo, no antilulismo ou no antidilmismo se expõe a ser caracterizado como alheio à “realidade”.

Hoje, virou moda menosprezar os feitos de Lula. A inédita redução da desigualdade, da pobreza e da miséria que promoveu, a possibilidade que deu aos negros e aos pobres em geral de chegarem ao ensino superior, tudo isso se reduziu a dar bens de consumo aos que sempre estiveram alijados do mercado de consumo de massas.

A revolução no combate à corrupção que permite que hoje ninguém esteja acima da lei, virou mero acesso a geladeira ou a celular novos.

De líder político que governou de mãos dadas com o povo, Lula transformou-se em estelionatário que vence eleição pela esquerda e governa pela direita, como se fosse possível a qualquer governante administrar o Brasil só com dogmas esquerdistas.

A realidade imposta pela necessidade de maioria parlamentar para conseguir governar deixa de existir na retórica do petista arrependido ou do esquerdista que prega “revolução” enquanto se lambuza de caviar em seu condomínio-mansão contíguo ao de FHC.

Funciona assim: você se elege e não faz aliança com ninguém. Governa em minoria e, ainda assim, aprova tudo o que quer no Congresso. Como? Essa fórmula o discurso do petista arrependido não dá. Só diz o que há que fazer, não COMO fazer.

Só muda de convicção de acordo com a direção em que sopra o vento aquele que, em verdade, nunca a teve. Quem acredita mesmo no que diz, não muda hoje o que disse ontem, não passa a “enxergar”, do nada, o que jamais enxergou.

Voto em Lula e no PT desde 1989, quando eu tinha 30 anos. Hoje, tenho 56 anos e continuo pensando a política exatamente como pensava há um quarto e pouco de século porque o resultado dos governos do PT foi extremamente favorável a este país.

Dos 13 anos em que o PT está no poder, durante 12 o nível de emprego, a renda e os salários subiram como nunca, a desigualdade, a pobreza e a miséria despencaram como jamais se viu.

O “belo” discurso de ultraesquerda produziu o quê, ao longo dos últimos 500 anos? Sem alianças ao centro, os governos Lula e Dilma teriam conseguido aprovar medidas no Congresso de modo a lograrem tanta melhora no padrão de vida dos brasileiros?

Os governos petistas tiveram um ano de estagnação social contra doze de progresso que nunca se viu no país. E esse ano ruim decorre de quê, basicamente? Não existe sabotagem da economia?

Até se admite que Dilma possa ter esticado demais as desonerações fiscais, fazendo a arrecadação cair e produzindo o déficit fiscal que hoje há que combater. Mas elas foram feitas para preservar emprego e renda.

Reduzir a conta de luz ou os juros, investir montanhas de dinheiro público na economia, fazer o Estado ser indutor do crescimento, tudo isso é governar “pela direita”? Só se for no nariz (para usar um local decente da anatomia) de quem diz tal barbaridade.

Estou muito lúcido em minhas convicções. Debato com qualquer um, na hora em que qualquer um quiser. Mas só debato se o nível do debate for elevado. Não vou me meter em arengas porque elas não levam a lugar algum.

Quem quiser debater meus pontos de vista, faça-o de frente e de forma civilizada e respeitosa que terá em mim um debatedor leal, intelectualmente honesto, porém cheio, lotado de argumentos, o que, muitas vezes, levam o divergente a preferir o insulto.

217 Comentário

  1. Por conta do meu trabalho converso com muitas pessoas que não conheço, todos os dias.

    A maioria desce a lenha no PT. Porém são argumentos ridículos, que eu desmonto em 1 minuto.

    Não que eu seja dono da verdade, só que os caras querem discutir ética. Direitão discutir ética

    fica parecendo Santos x Barcelona. Faço questão de deixar bem claro, seja onde for, com quem for,

    que sou de esquerda, PT desde o primeiro dia, etc. Agora, o que não entra na minha cabeça é a Dilma

    deixar esse meu xará na Justiça. Sujeito incompetente, vagulino, sem visão política, parece que trabalha

    em causa própria. Outra coisa que a Dilma já cansou é não se importar com a Comunicação. Metade do

    desgaste do país e da militância é porque a dona Dilma é cabeça-dura, ou sem visão política, ou sofre da

    síndrome de Estocolmo!!!

    • Que volte a ser o PT de 2002: sonhador,revolucionário,com os movimentos sociais no comando. Com menos Zé Cardozo, menos Rui Falcão e muito mais Lula, Paulo Teixeira,Paulo Pimenta, Bia Lula. Os burocratas obedecendo a militância. “Data vênia”( como diz aquele I. causídico de DIamantino), Eduardo,permita cumprimentá-lo pelo lindo texto.

      • mas quase tudo o q conseguimos foi a partir de 2003, até 2002 era o sonho, de 2003 em diante foi a realidade.

        • EXATAMENTE meu caro Eloi Beneduzi se não mudássemos um pouco, não teríamos o Brasil que temos hoje.
          Concordo com o José Eduardo, mas a ressalva do Eloi é PREPONDERANTEMENTE importante. Acho que não há alternativa pelo menos por enquanto. O PT não pode voltar a ser o que foi antes de 2002 porque estaremos fadados a ser APENAS e tão somente OPOSIÇÃO. Temos de fazer um balanço uma reflexão e todos precisam se convencer que jamais chegaríamos ao poder sem perder uma parte de nossa identidade. Há que se fazer concessões para termos o poder e CONTINUARMOS A MUDAR O BRASIL, o nosso povo merece este sacrifício ideológico para ficar livre dessa elite perversa que nos governou por 502 anos.

      • Que samba do crioulo doido. Colocar Zé Edurado e Rui Falcao do mesmo lado não dá.

    • Wadih Damous, Min.da Justiça!!! Caíria como uma “luva” no queixo dessa mídia golpistas e seus asseclas!

    • Prezado José Eduardo,

      Faço suas as minhas palavras. Já fiz essa crítica aqui mesmo neste blog, em outras ocasiões. A manutenção desse Zé no Ministério da Justiça é um verdadeiro tiro no pé da presidenta.

      Vá entender…

      Stella

  2. Concordo plenamente. Melhor texto dos últimos tempos.

  3. Perfeito, Eduardo. Sem tirar nem por.
    Parabéns!

  4. Caro Edu,
    Você é incrível! Diz sempre, com clareza e discernimento, aquilo que vai pelo pensamento da gente (e que, às vezes, não conseguimos expressar). Eu sou “petista”, nunca me filiei, mas voto, faço campanha e ajudo financeiramente o PT. Tenho a maior tranquilidade em defender o trabalhismo e tudo que o PT fez pelo país. Não sou nenhuma néscia, pelo contrário, na escala valorativa dos meus “colegas de trabalho” e dos analfabetos políticos em geral, eu sou a “cara”. Tenho duas graduações, quatro especializações, um mestrado e me preparo para o doutorado (por isso meus “colegas” tem um grande respeito por mim, mal sabem eles que sabedoria e escolarização não são farinha do mesmo saco, tadinhos). Sou professora, Deus olhe pelos professores do Brasil! Que categoria… Temos tudo para mudar o mundo, mas a maioria de nós opta por se abster ou ababacar-se, é um terror ficar dia após dia na sala dos professores ouvindo excrescências e obtusidades. Perto de mim ninguém fala nada, ou fala “gracinhas”, que eu rebato na lata! Antes eu era mais afoita (comprava umas discussões acaloradas). Hoje, sou bastante sutil (porque já aprendi que com essa gente o melhor é usar luva de pelica), sempre começo elogiando a/o indivíduo, depois vou desconstruindo o discursinho deles ponto a ponto. Tenho até cópias de um apanhado que você postou aqui com as realizações do PT em contraposição com aquelas da direita “enrustida” (leia-se PSDBPSBPPS e cia. ltda.). Com toda a classe, sem alterar a voz, vou discorrendo sobre a história do Brasil (minha especialidade) e sobre o país de hoje e aquele em que nasci, cresci, estudei e no qual lutei muito pela volta da democracia e da justiça social. Calo todo mundo! Ninguém debate comigo e ainda recebo aplausos dos poucos que não sucumbiram à onda conservadora/hipócrita. Na sala de aula é a mesma coisa, aluno falou besteira… Na lata! Aula sobre a história do Brasil, seminários, debates, filmes, livros, apresentações coletivas e individuais, rodão de conversas. Finda o ano e sei que ajudei a abrir um pouco a cabeça de uns 100/150 meninos e meninas. É discussão política que falta, sabe, política e cultura! Duas faces da mesma moeda, sem uma não se pode usufruir da outra e vice-versa. Pois é, discordo de algumas coisas que o PT fez (ou não fez), como comprar a discussão política e levá-la ao povo ou não ter dado um fim aos “esquemas” deixados pelo PSDB e Cia. Ltda. Entendo a necessidade das alianças (por mais esdrúxulas – Maluf/Sarney) e sei que não há como “governar” sozinho. Por isso, faço minhas as suas palavras! Passou da hora de as pessoas esclarecidas (culturalmente/politicamente) pararem com o chicote e a autoflagelação, o momento é de luta para garantir a democracia e isso passa, necessariamente, pela defesa do mandato da presidenta Dilma e na defesa da honra do presidente Lula (que eu espero ver de novo com a faixa presidencial). Um abraço!

  5. Edu, conhecemos já a muito tempo, pior que um comunista, só um ex-comunista(?)!
    Podemos tembém dizer que, pior que um petista, só um ex-petista(?)!
    Na verdade não existe ex-petista, pois quem é petista não muda, bem como, quem é comunista não muda!
    Quem tem convicção política, tem ideologia firme, não se deixa mudar por acidentes!
    No caso do petismo, temos mais vitórias que derrotas, pois quem ganha quatro eleições seguidas, tem o atestado de vencedor!
    O que sabemos todos os petistas é que na luta política não há só vitórias, há também derrotas e principalmente quando se luta contra a direita capitalista, pois esta não tem ética, só tem interesses financeiros! A direita não tem interesse de ajudar ao povo, só a si mesmo!

  6. Não sou pessoa de trocar de camisa…fui,sou e serei petista….com críticas é claro!Estou com Lula em 2018…mas não vou votar mais na sigla como sempre fiz…ignorando a pessoa.Os erros foram muitos e é preciso corrigir….é uma pena que as pessoas não entendam que….sem o pt o país perde.Perde no debate,perde nas ideias,perde na criatividade,perde a oposição,perde o servidor público,perde o empresário e perde o trabalhador.Sem o pt vai ocorrer um vazio terrível…que nenhum outro partido vai ocupar…nem pstu,psol,pco,pdt ou outros.Sem Lula ,na política, haverá uma fragilidade no processo democrático…ninguém ganha. A existência do pt, evita, uma convulsão social,evita a exclusão do cidadão…que com ou sem seus direitos a cidadania ainda vai ser lembrado e ainda vai ter voz! Não entendo como podem alguns querem tirar a sigla do pt de circulação…pois tbém não entendo o país sem o psdb!e olhe que não gosto deles).Lula/2018

  7. Esse texto eu vou guardar! A ele recorrerei sempre que necessário. Por sua clareza, por sua lucidez, por sua sólida riqueza em argumentos. Pena que ele só serve para quem realmente quer pensar, o que parece não ser o caso da maioria em nosso país hoje em dia… até do lado de cá, da esquerda. Parabéns, Edu, pela melhor análise de conjuntura de nossa história recente. Forte abraço!

  8. Podes fazer o teste. Quando tu dizes a uma pessoa qualquer que a Midia e a Casa Grande sao ou estao contra o PT, ela concorda. Quando dizes que isso NAO É por ser “PT”, mas porque é trabalhista. No sentido de ter levado prioridades e dinheiro para o lado do trabalhador e do mais pobre.
    E que se fosse qualquer outro partido q ousasse executar a mesma coisa seria combatido com igual ferocidade.
    As pessoas sao tomadas de surpresa: nunca tinham pensado nisso. Podes checar.

  9. Rio de Janeiro 23 de janeiro de 2016

    PROJETO: A REDE DO BEM

    Caros amigos (as) gosto de ajudar quem precisa se ajuda, por isso gostaria de sugerir um projeto: A REDE DO BEM, onde os blogs e quem tem alguma rede social, poderia colocar em destaque (como uma propaganda) uma instituição de caridade, que ele ajuda ou confia, com essa iniciativa do bem, nós poderíamos quem sabe ajudar muitas crianças, idosos, e animais, que precisam de ajuda, pois fazer o bem, faz bem.

    Amigos (as) com a união de todos e um pouco de criatividade, nós podemos tentar melhorar esse mundo tão injusto e cruel com muitos dos nossos semelhantes.

    Atenciosamente:
    Cláudio José um amigo do povo, da paz, da ONU e um Beija-Flor da floresta do Betinho.

  10. Edu,

    nunca fui petista, meu primeiro voto, em 89, no primeiro turno, foi para o Roberto Freire, e me arrependo.Não sou comunista, mas acreditei no seu discurso.A partir do segundo turno sempre votei ( para presidente) no PT, e não me arrependo justamente por tudo que disseste.
    Se aparecer alguém melhor , votarei nele.Mas por enquanto não vi ninguém melhor do que o Lula para 2018.

    É pena não ter você na minha família, porque é difícil argumentar sozinho.Muito desgastante.Mas continuo lutando pelo país.

    PS Você me fez lembrar do meu pai , que usava esta palavra: arenga.

    Valeu!

  11. Penso exatamente como você. Não mudo nenhuma virgula.

  12. Muito bom, Edu.
    Minha filiação é anterior ao do Lula.
    E me orgulho disso.
    No primeiro dia de governo Lula disse: se eu conseguir que as pessoas façam três refeições por dia estarei satisfeito. Ele fez. E – para mim – a mais estupenda realização. Não combater a fome é o pior absurdo que um governante pode cometer.
    Parabéns, Edu.
    Se alguém aceitar o debate, que seja público, e com público. Convide-me.
    Forte abraço.

  13. Edu,

    Muito bom !!!!!!

    Desconstruir este discurso, criado pela extrema direita e azeitado por ex petistas – que buscavam satisfazer seus interesses pessoais ,e não foram contemplados- são os mais cáusticos ( ex.Marta e Bicudo) . Seu
    texto esclarece bem a questão!!!!
    Vamos em frente!!!!
    Abs.
    Marta

  14. Prefiro dizer (aqui e no meu ambiente diário) que não sou petista, já que nunca me filiei, nem ao PT nem a qualquer outro partido. Mas posso GARANTIR que sou de esquerda. Não por opção, mas pela minha essência. Inquieto-me com todo tipo de desigualdade. Imposição e discriminação me ferem profundamente. Tenho 66 anos, dos quais quase 30 fui gestor de pessoas (sou administrador), e, por sempre me posicionar do lado dos mais fracos, fui muito criticado e confrontado. Isso só fez consolidar minhas convicções. Sempre votei nos candidatos do PT (de presidente a distrital – moro em Brasília). Vivo num ambiente que, de uns tempos pra cá, se tornou muito hostil a eleitores como eu. Já encarei discussões febris, quase descontroladas, inclusive com parentes. Hoje me contenho, evito confrontos, mas nunca arredei pé do que acredito. Me abasteço em blogs como o seu, o DCM, o Tijolaço, o CAf e outros da linha progressista. Textos como este aqui e aquele seu que lista os feitos dos últimos 13 anos eu arquivo para voltar a ler outras vezes ou mostrar a alguém. Costumo dizer que de tanto perseguirem e “fuçarem” na vida do Lula, os adversários (MP, PF, PSDB, DEM, PiG) vão terminar provando os desconfiados que ele é o único candidato confiável para 2018. Obrigado por mais esse belo texto. Abraço.

  15. Se não depurar, ineviltavelmente o PT ainda terá outras Martas!….

  16. Concordo plenamente com este texto. Fui um cara avesso à política mas sensível aos problemas sociais do Brasil. No entanto, nos últimos anos aderi ao PT, devido justamente ao seu olhar para os problemas do povo, que é a bandeira do Lula (Acho que o PT sem Lula, acaba). Me canso de ler, ver e ouvir pessoas dizerem: Não sou PT, mas acho que suas obras são boas. Ora, se as obras são boas, porque não ser PT? Também discordo de muita coisa da Dilma (menos do Lula), mas ela é bem intencionada e mantém a mesma orientação para a distribuição de renda. É por isto que sou PT. Se não mudarem a visão do mundo, continuarei sendo PT. Não adianta ser radical de Direita, modelo Luciana Genro ou a Musa de Alagoas e os discursos não passarem da porta dos DAs das faculdades.

  17. Eu não poderia fazer um texto melhor! Parabéns, Edu!

  18. Eduardo com todo respeito, gostei do que escreveu o azenha sobre a entrevista do Lula, chega às eleições usa o discurso de esquerda para trazer o apoio dos progressistas, ganha as eleições monta o governo em gabinetes com linha conservadora com espaços para a direita e a participação popular é trocada pelos gabinetes. Praguimatismo têm limite o PT hoje não tem ousadia.

  19. Meus amigos e companheiros, peço a todos que reflitam:
    EXATAMENTE como disse o Eloi Beneduzi se não mudássemos um pouco, não teríamos o Brasil que temos hoje.
    Concordo com o José Eduardo, mas a ressalva do Eloi é PREPONDERANTEMENTE importante. Acho que não há alternativa pelo menos por enquanto. O PT não pode voltar a ser o que foi antes de 2002 porque estaremos fadados a ser APENAS e tão somente OPOSIÇÃO. Temos de fazer um balanço uma reflexão e todos precisam se convencer que jamais chegaríamos ao poder sem perder uma parte de nossa identidade. Há que se fazer concessões para termos o poder e CONTINUARMOS A MUDAR O BRASIL, o nosso povo merece este sacrifício ideológico para ficar livre dessa elite perversa que nos governou por 502 anos.

  20. Tenho críticas ao PT, tanto como governo e tanto como partido. Na época já me assustei com a tal ‘carta aos brasileiros’, mas nunca deixei de votar ou defender o partido/governo, pois seria de uma ingenuidade criminosa acreditar que um partido tenha a primazia da perfeição.

    No entanto, a nossa grande mídia porca, gorda de verbas públicas, hipócrita e golpista quer nos fazer crer que há sim um partido de santos imaculados, cujas as asinhas e bico são tucanos.

    Issaí, Edu, valeu, meu bravo!

  21. Concordo com suas palavras, mas … É inegável que muito do que o partido construiu está sendo destruído com a conivência/omissão da Dilma. É inegável que muito do ódio do qual o PT é vítima vem da república do Paraná onde “investigadores” fazem e vazam o que querem sem que NENHUM órgão do Estado os interpele!!
    Sou de esquerda, mas não dá mais para aguentar o José Eduardo Cardozo como “ministro”. Ou elle sai, ou o partido sofrerá as consequências nas eleições de 2016 escolhendo ainda mais do que já encolheu na última.

  22. Enquanto não surgir um partido melhor do que o PT, vou ser PT pra sempre! Eu sempre digo para as pessoas: não sou petista por esporte, mas porque não existe partido melhor do que ele. É um partido que está do lado do povo, do trabalhador, daqueles que são marginalizados e sem oportunidades na vida! Essas pessoas, que antes eram excluídas, ascenderam à sociedade, são agora visíveis e estão fazendo a diferença na melhoria do desenvolvimento do Brasil! As pessoas mais simples só precisam de oportunidade para mostrar o seu valor, sua inteligência e sua capacidade!

  23. Leio todos os dias esse blog, e faz muito tempo que Eduardo e outros blogueiros criticam o trabalho do ministro da justiça e a falta de comunicação de dona Dilma, pra mim, os pontos mais fracos desse governo… Coloca meu xará pra ministro da justiça, pra vê se acaba com esses vazamentos que a cada dia alimenta essa mídia prostituída do Brasil.

  24. Sou petista e sempre fui,coisa que detesto é trairagem,discutir com coxinhas é pura perda de tempo,pois são canalhas,verdades para eles não existe.

  25. Caro Edu,
    Gostei muito do texto e compartilho de sua visão sobre o PT e governos petistas.
    Jaime

  26. Eduardo

    Aqui vão alguns números para comparar o período FHC (PSDB) com o período LULA (PT):

    -Estoque de emprego formal em 31.12.1994….. 23.667.241
    -Estoque de emprego formal em 31.12.2002….. 28.683.913
    -Empregos gerados no governo FHC……………… 5.016.672

    -Estoque de emprego formal em 31.12.2002….. 28.683.913
    -Estoque de emprego formal em 31.12.2010….. 44.068.355
    -Empregos gerados no governo LULA……………. 15.384.442

    Os números estão aí. A fonte é a RAIS.
    O resto é conversa fiada.
    Quanto aos petistas que estão indo embora, só resta dizer: Vão tarde. Boa sorte.

  27. Por que você não pensa no “Vlog da Cidadania”?

    • Um Vlog da Cidadania não excluiria as análises mais profundas do Blog, que você faria em intervalos maiores, daria na verdade mais força para sua defesa do legado do Lula.

      Uma câmera, 5 minutos e pau!

      abraco

  28. Edu,

    Você disse o que digo sempre: no debate civilizado, sem insultos ou ofensas, com o uso de fatos, dados, análises sócio-econômico-político-históricas, etc., essa direita acéfala, boquirrota, nazifascista, violenta, ela não ganha uma discussão sequer. Um colega (neo)liberal de um grupo de discussão do qual participo tem apelado para teóricos liberais europeus e estadunidenses, para fazer frente aos meus argumentos e aos usados pelos pensadores da Esquerda. Imaginem que a direita brasileira de hoje, sobretudo essa que vocifera contra o governo, contra o PT, contra Lula e Dilma, lê e tem como referências os ‘colonistas’ pitbulls do PIG, FHC, Roberto Damatta… E na política atual as referências são José Serra, Carlos Sampaio, Aloysio (300 mil) Nunes, o pinóquio que governa SP, Aécio Cunha (aquele cujos amigos eram donos do helicóptero apreendido com 1/2 ton. de cocaína, mas que foi liberado poucos dias depois; pior; ninguém da PF ou do MP sabe de nada, ninguém está sendo investigado ou está preso…). Essas são algumas das razões para essa horda direitista cooptar a burocracia estatal (PF, MP e PJ), com o objetivo de aplicar um golpe de Estado ou, no mínimo, arruinar a economia do País, já que pelo voto popular e fazendo um discurso franco do que fará se conquistar o poder central jamais consiga os votos necessários para a ele voltar pela via democrática. Ressalte-se que o alto comando nos EUA paga uma mesada ao alto e baixo clero da PF e de vez em quando chama procuradores do MPF às falas, para que tomem instruções sobre, quem investigar e prender. Ou algum leitor atento, bem informado e crítico ainda tem dúvidas sobre a origem das instruções para investigar e prender o vice-almirante Othon Luiz Pereira da Silva?

  29. Bom dia a todos. Infelizmente, eu não tenho tanta fé no PT quanto vocês, mas não sou cego a ponto de não valorizar o que já foi feito. Surgiram mais oportunidades, a economia (por um tempo) cresceu, e tivemos uma ascensão das classes menos favorecidas. Porém eu vejo tudo isso hoje jogado no lixo. Economia abaixo da média, preços altíssimos, e a classe trabalhadora que antes tinha ascendido agora se vê tendo que escolher entre comprar pão ou leite, carne ou frango, por que não dá mais para ter os dois; e a gasolina então nem se fala. Agora, sinceramente, eu quero que vocês olhem e me respondam se esse era o pais que o PT tinha em mente. E se não, por que deixaram isso acontecer. Escândalos (não que nenhum partido não tenha), acusações e mais acusações, e uma economia em crise. Com todo respeito a esta página e seu idealizador, sinto muito, mas o povo não é mais tão bobo a ponto de não ver tanta irresponsabilidade.

  30. Continuando
    Enviado cortado, por engano
    Para mim isso é o que sempre distinguiu o PT.
    Depende de quem fala, eu nem argumento, não vejo vantagem nenhum. Esses grupos que não comento, considero muito atrasado politicamente, sem condição nenhuma.
    Encontro de vez em quando, algum colega, ex petista, difícil conversar.
    A luta continua, não vejo necessidade de sair do PT.
    Saudações

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.