Quando as imagens explicam melhor a política do que as palavras

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

fotos

Se reunissem todas as análises que têm sido escritas desde o começo do ano sobre o momento político e as razões das manifestações contra o governo Dilma Rousseff, provavelmente esses escritos lotariam as prateleiras da Biblioteca Real de Alexandria.

Há alguns meses, porém, circulam pela internet – a meu ver, timidamente – duas fotos que, justapostas, são muito mais eficientes para explicar o processo político-ideológico em curso no país do que todas essas análises juntas.

foto 2015

51 anos separam a foto tirada neste ano nas manifestações contra o governo de 12 de março da foto tirada em 19 de março de 1964, a menos de duas semanas do golpe militar que instituiu uma ditadura de 21 anos no país.

Antes que alguém venha contra-argumentar que há diferenças fundamentais entre os dois momentos da vida nacional, quero dizer que concordo. O país em que vivemos hoje impede que essa gente que saiu às ruas em 1964 dizendo as mesmas bobagens que hoje obtenha os mesmos resultados que obteve cinco décadas atrás.

As instituições e as garantias constitucionais são muito mais sólidas, apesar de combalidas pelas prisões arbitrárias e pelo uso da lei de forma seletiva que têm sido vistos nos últimos dois anos e pouco.

Não existe hoje no mundo condições para um país da importância do Brasil sofrer uma quartelada sem se isolar dramaticamente da comunidade internacional – um golpe militar, hoje, afundaria o país, que seria alijado de todas as instâncias multilaterais do mundo.

Então para que serve comparar essas fotos?, perguntará o leitor. Será só pela coincidência perfeita entre as frases que exibem?

Em primeiro lugar, não há coincidência. Quem manufaturou a faixa vista nas manifestações antigoverno deste ano certamente inspirou-se em dizeres que foram levados às ruas nas marchas “da família com Deus pela liberdade” de meio século atrás, as quais, paradoxalmente, levaram o país à maior falta de liberdade que sofreu no século XX.

Uma falta de liberdade que durou 21 anos, diga-se.

Em segundo lugar, a comparação serve para explicar a motivação de quem está protestando contra o governo.

Mais uma vez, outra comparação de imagens mostra que atribuir “repúdio à corrupção do PT” como razão para protestar, não passa de balela.

fotos cunha

Mas se repúdio à corrupção não é a verdadeira motivação dessas manifestações antigoverno, então o que move essa gente?

Aí é que entram as duas fotos que encabeçam este texto. Tanto em 1964 quanto hoje, o que move essa uniformidade étnica e de classe social que quer derrubar o governo é a preservação da desigualdade que essas pessoas conseguiram ampliar ao longo de 21 anos de ditadura.

O aumento da desigualdade durante os anos do Milagre Econômico foi tema de diversos estudos de economistas. Veja o que especialistas escreveram, naquela época, sobre a concentração de renda no país.

Alberto Fishlow, professor da universidade de columbia

Em 1972, escreve artigo publicado na ‘American Economic Review’, mostrando o aumento da concentração de renda no Brasil entre 1960 e 1970. Era o período que a repressão do regime militar alcançava seu auge.

De certa maneira (Carlos) Langoni replicou meu artigo, mas não utilizou as rendas maiores e mostrou uma situação um pouco melhor dos habitantes — afirma.

Carlos Langoni, doutor pela Universidade de Chicago

A pedido do então ministro da Fazenda Delfim Netto, ele fez um estudo sobre o tema e concluiu que a educação era fator preponderante para explicar a piora na distribuição de renda:

— Todos reconhecem que a educação é um fator fundamental para reconciliar desenvolvimento com melhoria da distribuição de renda — afirma o ex-presidente do Banco Central Carlos Langoni.

Rodolfo Hoffmann, doutor em Economia Agrária /USP

No Brasil, na mesma época que Fishlow, Hoffmann também constatou o aumento da desigualdade.

—Todos nós deduzimos, matematicamente, que (o aumento da concentração) tinha a ver com a ditadura. O espantoso no livro do Langoni é que ele não fala do golpe. É o erro básico, como se o mercado funcionasse independentemente da política.

Vale ressaltar que quem diz isso não é este blogueiro, mas o jornal O Globo.

Assim, recorremos de novo a uma imagem para explicar por que a extrema-direita, após mais de 50 anos, voltou a protestar com virulência ímpar contra um governo brasileiro.

concentração de renda

O que preocupa o autor desta análise, pois, é que quando imagens explicam melhor a política do que as palavras é porque a sociedade abandonou o campo do diálogo e mergulhou no da imposição de vontades.

É simples assim.

Tags: , , ,

83 Comentário

  1. O problema é que o PT pensa ser de esquerda e os oponentes pensam que o PT é comunista.

  2. Independentemente da vertente política: a

    ” sociedade abandonou o campo do diálogo e mergulhou no da imposição de vontades.’

    • Verdade. Não se debate mais nada. As vontades são impostas aos gritos ou então levadas ao extremismo para se fazer oprevalecer sobre a outra. Meio termo ou discussão nem pensar. Impõe-se a sua vontade aos gritos e criminaliza-se o discordante.

  3. Edú,

    Estou esperando a campanha “De ouro para o bem do Brasil”. Isso mostra que os irmãos do Norte são repetitivos e que a “crassi mérdia ” é burra e terem vergonha de ser brasileira.

  4. Bom dia a todos, me desculpem, mas discordo em parte. Em 1964 os EUA financiaram vários grupos de direita, foi muito dinheiro americano financiando IPES, e etc. Hoje, nada mudou, continua o mesmo financiamento norte americano.

    Esse movimento começa ao final da segunda guerra, quando oficiais nazistas que mudaram de lado, passaram a dar informações aos norte americanos, começaram a falar que o problema dos americanos não era com os nazistas e sim com a Rússia. A partir daquele momento, os norte americanos começaram a financiar a imprensa, repórteres, artistas, etc, todos que pudessem “vender” o modo de vida norte americano. Isto está retratado no livro Quem Paga a Conta, inclusive mostrando que FHC recebeu dinheiro dos norte americanos.

    Ainda no governo FHC, a revista Carta Capital na primeira página mostra uma reportagem de policiais da Polícia Federal recebiam dinheiro dos norte americanos. (Gostaria de saber se ainda recebem e, se são os mesmos da operação Lava Jato). Hoje não é diferente, os norte americanos financiam as oposições de governos que não rezam em suas cartilhas. Foi assim na Primavera Árabe, Ucrânia, Venezuela e Brasil. Reparem que líderes de movimentos, estavam até pouco tempo atrás nos EUA, como o Cherquer, administrando fundos de investimentos.

    Isto está explicado no livro de Moniz Bandeira “A Segunda Guerra Fria”, mostrando como sai este financiamento de lá.

    Até concordo com a questão da educação, mas, não só educação. A intervenção norte americana é inconteste. Pena que ninguém se atreve a bisbilhotar como foi adquirido o apartamento em Nova York, os 77 mil de salários e outras patranhas do judiciário.

  5. Esses coxinhas não tem nem criatividade, quem é o palhaço?

    Sem ofender aqueles que vivem da profissão.

  6. Caro Edu, Se entendi só não estamos numa ditadura de direita porquê o mundo contemporâneo não tolera. A triste realidade é que a nossa democracia é mais uma necessidade da economia mundial do que uma deliberação da vontade dos brasileiros. A palavra “igualdade” ou o conceito de “sociedade justa” não faz parte do universo das pessoas de todas as classes. Muito menos das elites que detém o poder econômico e informacional no país. Para mim a classe C quer é consumir mais e mais até se tornarem A ou B. Ascenderem devido às políticas dos petistas e tornaram-se neoliberais. Também nada sabem de igualdade e talvez pensem que igualdade seria se tornar D ou E. Esclareço que quando cito igualdade estou me embasando em autores como Galbraith, um economista capitalista. Abs

    • Exato. Abs

    • Concordo, esses que ascenderam de classe e agora frequentam lugares que antes nem sonhavam se julgam elite…

      • Oi, Maria Amélia, nessa entrevista com o prof. do Centro de Estudos da Metrópole da USP há uma outra interpretação (17/07/2015, site PUBLICA).

        Essa polarização “playboys” e “pretos”. Tem preto que vira playboy ou quer virar playboy?

        – Tem sim, mas como os Racionais já diziam, há quase 20 anos, aí um “Preto Tipo A” vira um “neguinho”. Querer consumir as mesmas marcas ou desejar as mesmas motos dos “playboys” não se faz para se parecer com eles. Esse consumo é, ao contrário, elaborado como uma afronta a eles. Você não me queria aqui, mas aqui estou. Uma coisa é você ser pobre e andar de ônibus. Outra é ser pobre e andar com uma moto 1100 cilindradas. Ou não é?

  7. Bom dia, Eduardo!
    E que bom dia depois desse texto. Adorei!
    Pouquíssimos comentaristas atentaram para a simbologia dessas faixas. Vou acrescentar um pensamento que venho martelando depois dessas manifestações:
    Eu percebo um saudosismo daquele país sob controle social, onde respeitava-se o padrão de sociedade, como ela deveria ser e quem deveria compô-la sob a ótica da camada dominante. Percebo, conversando com pessoas na rua, no supermercado, na família que esse novo Brasil onde os gays não se escondem, os negros se mostram e brigam pelo respeito, mulheres assumindo cargos de comando- o que mais incomoda é uma mulher na Presidência- trouxe uma sensação de insegurança para a tradicional classe média, um medo de mudança tão profundo que acaba por nutrir o ódio explícito que vemos. É um saudosismo do Brasil certinho, moldado e seguro…tão anos 60!
    Abraços

  8. Um exemplo disso foi a coxinha de “bucho cheio” que fez um protesto quebrando garrafas de vinhos num supermercado de Londrina-PR e culpando a Dilma pela alta de preços. Como sabemos, vinhos são considerados supérfluos e se fosse dificuldades pela alta dos preços ela estaria protestando na seção da cesta básica jogando pacotes de arroz e feijão para cima. Depois disso levaram ela para o médico para exames e se fosse um pobre morador da periferia que fizesse esse tipo de protesto, sairia do supermercado algemado e direto para delegacia.

    • Eu vi esse vídeo no portal IG e até fiz um comentário aqui no blog a respeito, mas depois fiquei pensando: será que não foi tudo uma armação pra chamar a atenção?

  9. E é por isso que nós temos que impor a nossa vontade, que é a vontade democrática da maioria, pela força da luta de classes. Por sinal, o que faltou no seu texto foi nomear claramente a LUTA DE CLASSES como o mote das duas fotos, mote tão claro que podemos prever que os mesmos sobrenomes compareceram nas duas manifestações. Os fascistas atuais são os filhinhos ou netinhos dos de 64, que já eram as crias dos de 32., e assim sempre foi desde que os portugueses aqui chegaram para genocidar índios e negros. É essa luta que temos que travar, ao contrário de você, acho que instituições não garantem nada. Não é a solidez delas que segura os fascistas atualmente, mas sim a maior organização da Sociedade Civil atual, que ainda é incipiente se comparada as outros países do mundo, mas muito superior a de 64. Naquela época não tínhamos MTST, as Ligas Camponesas eram um arremedo do que hoje é o MST; os sindicatos não possuíam centrais com a força das atuais(a CUT existia, mas era infinitamente menor, até porque a Economia era menor). Se algo talvez tenha enfraquecido nesse período foi o movimento estudantil, que era mais forte em 64, mesmo assim UNE, UBES e UJS vêm crescendo bastante. E existem outras forças jovens, como as militâncias jovens dos partidos e o levante Popular que produz muito conteúdo, compensando a falta de base com a capacidade de gerar impacto emocional em seus atos. É ISSO O QUE IMPEDE A DIREITA DE IR EM FRENTE, POIS SABE QUE VAI TER REAÇÃO E NÃO INSTITUIÇÕES QUE VIOLAM RITOS PROCESSUAIS ELEMENTARES EM QUALQUER SOCIEDADE CIVILIZADA E ACUSAM PESSOAS COM BASE EM NADA. Por isso que o importante para vencermos essa luta, e demos um importante passo nessa direção, é intensificar nossa luta nas ruas, não apenas de forma reativa às ações da direita, mas estabelecendo diversos flancos, e principalmente iniciando nossa própria ação ofensiva. Será a luta que definirá essa batalha, não papeis ou juridiquês inútil, mas a compreensão da História e da ação do homem para construi-la.

  10. Passou da hora do armistício e do olhar pro futuro, e você ainda pensa em 64, anistia, nome de rua ???? oras vá ??!!

    obs inicial – sobre seu texto, evolução das classe econômicas ..em milhões ..milhões do que por favor ? ..e os índices relativos, como ficam ..per capita etc ..COLEGA, não sei qual é a premissa ou o intento ..mas do que vejo ..de 2011 pra 14 a COISA PIOROU em praticamente todos os sentidos ..isso enquanto o governo dava de ombros e chegava a RIDICULARIZAR as manifestações espontâneas de 2013.

    Olha, mudando de pato pra ganso e ficando no mesmo lago ..HOJE, nossos maiores problemas estão em 3 pontos.

    1. GUERRA do petróleo x energia alternativa e sustentável (uma queda de braços que nos afeta diretamente)

    2. A DEFLAÇÃO MUNDIAL que (muito pior do que qq movimento inflacionário) esta corroendo o valor de tudo quanto é commoditie e patrimônio (menos do BRASIL com sua inflação corretiva de UM DIGITO combatida com SELIC de 2 ..aonde já se viu uma coisa dessas ?)

    3. AQUECIMENTO GLOBAL que promete jogar AINDA mais milhões de pessoas na miséria, em guerra, em êxodos migratórios e lutas étnicas, fratricidas e religiosas de fazer até o capeta corar

    e tudo isso acontecendo com o país MERGULHADO num mar de lamas, com crise em todas as Instituições e instancias, com o Estado fragilizado e COM FALTA de equipe e COMANDO ..um país parado, estasiado com tanta desfaçatez e lambança ..ou ainda, ocupado com surtos personalistas que NÃO deixam a sociedade pensar de forma equilibrada nem por um segundo do dia

    ..é Cunha disparando pra todo lado, em SP Haddad e suas políticas no mínimo, autoritárias e polêmicas que agitam diariamente MILHÕES de almas ..é LULA querendo achar um inimigo que catalise todos os pecados e faltas ..Aécio e THC assoprando o braseiro ou senador por RORAIMA querendo influir mais do que o seu Estado alcança (450 mil brasileiros apenas) e/ou mereceria ter ..fora a NATA da NATA da elite – que já avistou a hecatombe – pedindo calma aos “comandantes” e ao povo brasileiro

    Colega, tá difícil ..será que esta CRISE de agora que vem da CHINA não faz ao menos muitos refletirem que temos que buscar uma pauta mais harmônica e AMISTOSA ? ..há que se baixar a bola e se pensar mais seriamente nos verdadeiros problemas sistêmicos ..e claro, CORRUÇÃO do Estado é um deles sim

    ou isso ..ou estas pirâmides e análises cada vez mais vão representar menos pra REALIDADE das pessoas que estarão preocupados com a volta da FOME

    ps – sim, eu não tenho duvidas que boa parte da nossa fragilidade atual é por MÉRITO da elite política (e partidos que nos dispõe de cada candidato que dá NÓ nas tripas) ela que NÃO soube, que não estava à altura, que nunca teve condições/vontade e disposição de pensar e imaginar um LP pro país

    • Milhões de pessoas…. Caraca! Vc não só não sabe escrever como tampouco sabe ler

      • então, não diga ??!! vc parece o Haddad, só vc é esperto é os outros é que são burros, né ?!

        .agora só falta vc começar a trabalhar com NÚMEROS RELATIVOS, e não só absolutos e/ou pincelados a esmo

        ..quantitativos tb (saúde, educação, segurança, DROGADOS, número de inseridos no BF – que NÃO podem – depois de 10 anos – contar como mérito, certo ?) ..por ex “do aumento” que teve a inclusão da classe A/B, quanto eles levaram de PIB juntos, em US$ (ou renda em R$ corrigidos) e quanto sobrou pros demais

        sei sei, de 2011 pra 2013 melhorou né ?!..parece o Haddad dizendo que ele “acabou” com a cracolândia e que 80% dos viciados atendidos pela PMSP conseguiram se livrar do vício (CONTA OUTRA !!!)

        REITERO, as suas estatísticas NÃO correspondem, aos fatos (mesmo o IBGE que ATÉ hoje não conseguiu “explicar o números controversos de desempregados x o de DESESPERANÇADOS, informais, remediados, e NEM nem ..fora o aumento da violência) ..ou o país não estaria atravessando esta CONVULSÃO sem fim – desde 2013 – que estamos vendo

    • E lá vem ele de novo com falso moralismo. “hora do armisticio”? Quem vc pensa que engana?
      E a teoria da autofagia política? teu chefe já mandou abortar?

    • Sintaxe
      É o estudo das regras que regem a construção de frases nas línguas naturais. A sintaxe é a parte da gramática que estuda a disposição das palavras na frase e das frases no discurso, incluindo a sua relação lógica, entre as múltiplas combinações possíveis para transmitir um significado completo e compreensível. À inobservância das regras de sintaxe chama-se solecismo.
      Na linguística, a sintaxe é o ramo que estuda os processos generativos ou combinatórios das frases das línguas naturais, tendo em vista especificar a sua estrutura interna e funcionamento.
      A sintaxe é importante pois a unidade falada é a oração, não a palavra ou o som. Em termos práticos, o falante fala e o ouvinte ouve orações. Salvo o caso quando uma única palavra é portadora de sentido completo

  11. Eu, vc quer que o Brasil seja uma nova CUBA?

    • Você confirma minha tese de que o conservadorismo requer burrice. Mas sua pergunta insere na equação, também, o analfabetismo funcional

    • Oi Zancheta
      Já preparou as malas para a new democracia da Libia e do Iraque?!
      Obama está com Cuba, agora.
      Saudações

  12. @dilmabr Corta as verbas de publicidade destes veículos golpistas, aplica na EBC ou na Educação. Não alimente cobras. #cortaasverbasdilma

    https://rebeldesilente.wordpress.com/2015/08/23/a-ditadura-instalada-no-brasil-um-pais-e-sua-democratica-fantasia-carnavalesca/

  13. Caro Edu,
    além do excelente texto, seu último gráfico resumiu tudo.
    Perfeito!!!
    Grande abraço.

  14. Outras imagens que falam muito mais que qualquer palavra
    sobre os manifestantes paneleiros são:

    1- As artistas negras que manifestaram contra a chacina em SP e
    foram expulsas da Paulista de forma covarde.

    2- A charge do Laerte que colocou os golpistas em polvorosa por
    demonstrar o fascismo do movimento paneleiro Ku Kus Klan.

    Outra questão que intriga qualquer cidadão , minimamente informado, é a fixação
    patológica com Cuba. É inexplicável!
    Como um País tão pequeno, incomoda tanto…
    Até os americanos voltaram as relações com Cuba,mas,
    os tucoxinhas pararam no tempo, como, a faixa exibe.

    O grito é por manutenção de privilégios, sem dúvida.

  15. Mais imagens que prescindem de palavras (ao final, o admirável Haroldo Lima).
    https://www.youtube.com/watch?v=_s8vRBvHNnA

  16. Debatendo outro ponto do texto.

    Comungo de seu otimismo de que não há mais espaços para quarteladas no País.

    Você diz que as “instituições e as garantias constitucionais são muito mais sólidas”, mas reconhece que estão “combalidas pelas prisões arbitrárias e pelo uso da lei de forma seletiva que têm sido vistos nos últimos dois anos e pouco.”

    Pois é, meu caro, esse é o drama de que não estamos a salvo: golpe militar está descartado, mas não golpes de verniz constitucional, tipo paraguaio-hondurenho.

    Se essa turma que não aceita a redução de desigualdade toparia até um militar para “botar ordem” na coisa, imagina que maravilha se o trabalho sujo fosse feito por santos como Moro e enviados de Deus como aquele tal procurador Dellagnol? Melhor que a encomenda…

    As instituições e as garantias constitucionais são muito mais sólidas, apesar de combalidas pelas prisões arbitrárias e pelo uso da lei de forma seletiva que têm sido vistos nos últimos dois anos e pouco.

    Não existe hoje no mundo condições para um país da importância do Brasil sofrer uma quartelada sem se isolar dramaticamente da comunidade internacional – um golpe militar, hoje, afundaria o país, que seria alijado de todas as instâncias multilaterais do mundo.

  17. Muito bom Edu!!!

    Como eu já falei! Os coxinhas não estão nem ai com a corrupção na verdade! O descontentamento dos coxinhas com a corrupção do PT é apenas fachada de um motivo muito peculiar para eles odiarem o governo do PT e protestarem a favor da derrubada do PT no poder: é se incomodar com a ascensão social de boa parte da população brasileira que antigamente vivia no esgoto em sua maioria! Como vão querer ter um país melhor se não querem que a população negra e parda melhore de vida? A verdade é que os coxinhas não estudaram história e estatística: menos da metade da população brasileira é branca e ou os coxinhas esquecem deste detalhe, ou dizem que o Brasil não tem jeito de ser desenvolvido por causa da alta porcentagem de afro-descendentes e de mestiçagem! É mole???

  18. Sabemos que Gilmar Mendes é o Comandante EM CHEFE das Forças Jurídicas do Tucanistão.

    Sabemos que a mídia irá sabotar, hoje e sempre, a Democracia no Brasil.

    O que fazer? Dizer a Dilma o que achamos que é certo.

    @dilmabr Corta as verbas de publicidade destes veículos golpistas, aplica na EBC ou na Educação. Não alimente cobras. #cortaasverbasdilma

    https://rebeldesilente.wordpress.com/2015/08/23/a-ditadura-instalada-no-brasil-um-pais-e-sua-democratica-fantasia-carnavalesca/

    • Você está a se referir ao Gilmar Dantas, o que foi indicado pelo finado FHC e que sentava em cima de todos as denúncias contra os tucanos?

  19. Sua análise foi perfeita, é exatamente esse o motivo desses trogloditas berrarem contra o governo, eles não admitem que as pessoas melhorem de vida, são egoístas, eles querem somente para eles, estão totalmente contra a evolução.

  20. Contextualize Edu, compare o Brasil de 1993, vindo de hiperinflação, com o Brasil de 2002. Compare os anos de ouro que vai de 2003 ao final de 2008, com a China quintuplicando os preços dos produtos de exportação brasileiro. Por que você esconde estes fatos? No governo Lula o mundo teve, na economia, a melhor década desde 1929.Se a crise internacional é responsável pela nossa crise, por que, recebendo uma herança de ouro do governo Lula, somos os piores entre os piores? Em 2018, se você permitir, estarei lendo o seu blog e participando, então, espero ver você publicar as mesmas pirâmides.

  21. Edu, fiquei sem resposta – deixei aqui a sugestão de organização de BOICOTES, seletivos, rotativos, impactantes, sem prejudicar a economia, para os produtos e serviços de anunciantes no PIG. Tanto quanto os conservadores, somos também consumidores destes produtos. Precisamos de uma liderança para este movimento, que com certeza terá mais efeito do que milhões de palavras aqui escritas. Existe algum tipo de ilegalidade nisto?

  22. O objetivo dessa crise política já foi obtida pelo mercado a agenda neoliberal imposta a Dilma.

  23. Pobre nos aeroportos e nas universidades? As elites jamais aceitarão esse insulto!

    • Estudei, entre os anos 60-70, em uma das mais disputadas faculdades do Brasil. Cerca de 80% de meus colegas provinham de escolas públicas, muitos com baixíssimas condições financeiras; estudaram comigo um ex-lavrador do interior de MG, um filho de motorneiro de bonde, um filho de quitandeiro da periferia, e muitos outros que, mercê do alto nível das escolas que freqüentaram, e de seu denodo pessoal, alcançaram seu lugar na universidade e se transformaram em profissionais de valor.

      Se hoje só ricos entram nas melhores universidades, isso se dá pela degradação de nosso ensino público, que só fez piorar em 13 anos de PT, e cujos malefícios se tentam mitigar com medidas espúrias e inócuas.

      Está na hora de parar com essa estupidez de achar que os mais bem situados na pirâmide perderão privilégios, caso se dê ascensão social dos mais desafortunados.

      • Oi Sr Hermes
        “Se hoje só ricos entram nas melhores universidades, isso se dá pela degradação de nosso ensino público, que só fez piorar em 13 anos de PT, e cujos malefícios se tentam mitigar com medidas espúrias e inócuas.”
        Que o Sr odeie o PT, tudo bem, conheço gente, que nem vermelho usa, de ódio ao PT, agora falar que o ensino, por exemplo, de SP, que realmente, só piorou, nas últimas décadas, como culpa do PT, é de lascar.
        Apesar de todo projeto dos governo tucanos de, criminosamente degradarem os ensino, há nas escolas públicas, alunos e professores fantásticos e que buscam superar todos obstáculos, que tais governos colocam para as melhorias da educação, esses são os rebeldes, dedicados.
        Medidas espúrias e nada inócuas, são essas que voces colocam, de forma a não querer alunos das escolas públicas em faculdades públicas.
        Saudações

      • Hermes, cita aí o nome da universidade que vc estudou.
        Tá difícil de acreditar que tinha 80% de pobre na universidade… eu entrei na Unicamp em 2000 e te garanto, quase não havia filho de pobre estudando lá não, uma minúscula minoria… pelo menos metade dos meus ‘colegas de curso’ ganharam um carro do papai por ter passado no vestibular.

        E onde você esteve entre 1970 e 2002? Em Marte?… Acredita mesmo que o “padrão de excelência” das escolas públicas ficou inabalado até 2002 e só depois disso é que piorou?

  24. A postagem desnuda o quanto boa parte dos Paulistas “evoluíram”. Ou seja, 2015 é um acaso…1932 é o fator novo e revolucionário!

    • Por falar em paulistas, depois de vinte anos fora de São Paulo, vi fotos da outra Paulista, fechada domingo pelo Haddad. Parecia a verdadeira, cheia de crianças, gente de várias cores, nenhum fascista destilando ódio. É que São Paulo precisa, um olhar mais humano e não tão frio. Força Haddad. Faça isso na cidade toda, construa areas de lazer igual a essa em todos os bairros. A rua é para o povo e não só para carrões e coxinhas.

  25. Vamos dar um basta ao PSDB, Paulino da “Força” e Gilmar Mendes, que procura piorar a economia com um discurso golpista. A CRISE ECONÔMICA NÃO É APENAS NO BRASIL. A hora de se dar as mão para sairmos dela o mais rápido possivel. Aí isso o menino mimado (Aécio), o gaga (FHC), o pelego (Paulinho da “Força”) e o boquirroto juiz (Gilmar Mendes), poderão brincar de golpistas.

  26. Tenho certeza que são milhares de Cunhas, Corruptos e Sonegadores mas o resto do milhares são Dilma, digna, proba, limpa e decente que combate a corrupção e por isso é achacada

  27. Prezado Eduardo:

    “Não existe hoje no mundo condições para um país da importância do Brasil sofrer uma quartelada sem se isolar dramaticamente da comunidade internacional – um golpe militar, hoje, afundaria o país, que seria alijado de todas as instâncias multilaterais do mundo.”

    1.Diz um velho ditado popular: “ cachorro mordido de cobra tem medo de lingüiça”. Essa turma que pede intervenção militar talvez não conheça o livro de Edmar Morel O GOLPE COMEÇOU EM WASHINGTON. È um livro dos anos sessenta e que foi relançado em 2014. Não comentarei sobre o livro porque o título já muita coisa e além disso devemos lembrar que os quartéis se estudam a história do Brasil e os militares sabem muito bem que foram usados pela elite financeira, industrial e pelos coronéis latifundiários do nordeste e de todas as regiões do Brasil. O desgaste foi grande para as forças armadas, além de abrir uma grande ferida entre estas instituições e a sociedade civil. E olhem que as nossas forças armadas eram não só respeitadas mas tambem admiradas pela população. Sim, não podemos desprezar o fator militar na composição de golpes, pois a situação política sofre mudanças rápidas e com conseqüências muitas vezes impensadas sobre fatores que influenciam no rumo dos acontecimentos.

    2. O que sobrou da participação das forças armadas nesse processo em que foram foram usado pela elite ?o lado bom: muitas obras de infra-estrutura foram realizadas : represas para geração de energia, pontes( Rio-Niteroi é um dos exemplos). Lado ruim: explosão da nossa dívida externa, falta de liberdade,
    concentração de renda, são alguns dos exemplos. “Governando sem a pressão política dos eleitores ou da oposição, os militares rejeitam as políticas liberalizantes implantadas logo após o golpe militar, e decidiram implantar um modelo de desenvolvimento nacionalista, baseado na proteção da indústria nacional, no planejamento econômico centralizado no Estado e em forte intervenção estatal na economia, seja pela criação d empresas estatais, seja pela interferência regulatória” – segundo Marcos Mendes, em Por Que o Brasil Cresce Pouco, Ed. Campus, 2014.

    Ainda segundo Marcos Mendes: “ Por outro lado, o governo negligenciou os investimentos públicos em educação fundamental e privilegiou a criação de universidades públicas gratuitas. Estudantes de renda média e alta levavam vantagem na disputa por vagas nessas universidades, uma vez que tinha condições de estudar em escolas privadas, de ensino fundamental e de melhor qualidade. Esse tipo de política ampliou a já historicamente elevada taxa de desiqualdade de renda e patrimônio, fazendo do Brasil um dos países mais desiguais do mundo “

    3.Se nos anos 60 Edmar Morel escreveu O Golpe Começou em Washington, época em que a nossa conhecida CIA promovia golpes militares em redor do mundo para implantar a “ democracia americana” em todas as regiões do planeta, em maio de 2002 o prof. Gene Sharp publicou o seu famoso livro Da Ditadura à Democracia ( uma Estrutura Conceitual para a Libertação) logo incorporado à CIA e dito como a receita da chamada revolução pacífica , que de pacífica não tem nada. É um manual que ensina como derrubar governos legalmente constituídos.

    Citarei alguns – MÉTODOS DE PROTESTOS NÃO VIOLENTOS E PERSUASÃO, contidos no livro do senhor Gene Sharp e que alguns elementos de oposição e coxinhas que querem derrubar o governo Dilma.
    Declarações formais.

    . discursos públicos

    Comunicação com uma audiência mais ampla

    . Banners, cartazes e comunicações exibidas

    .jornais e revistas
    .folhetos panfletos e livros
    Atos públicos simbólicos
    Nudez em protestos
    Mostra de retratos

    Esse novo herói da CIA e de Golpistas cita 198 metodos no seu livro

    Essa turma que protesta quando o pais respira democracia, que protesta acompanhando um incompetente e imbecil que perdeu as eleições com mais de três milhões de votos e quer o poder para destruir a democracia, entregar nossas riquezas ao capital financeiro internacional, realmente, essa turma além de imbecil é tambem entreguista e não conhecedores da história do Brasil nem mundial.

    • Em “Para entender o poder” Chomsky também conta todas as barbaridades praticadas pelo seu país mundo afora. São casos de arrepiar, difíceis até de imaginar e no entanto são verdadeiros.

      • Completando o post da Renata.
        ——–
        Deu no New York Times!
        E’ oficial: EUA são o maior estado terrorista do planeta

        Imaginem que o Pravda publicasse na primeira página os resultados de um estudo feito pela KGB que tivesse avaliado os resultados de todas as grandes operações terroristas que o Kremlin tivesse comandado ao redor do mundo, como parte do esforço para descobrir o que levou cada ‘ação’ dessas ao sucesso ou ao fracasso, e estudo que, no final, concluísse que, desgraçadamente, atos terroristas raramente ‘dão certo’ e de tal modo tendem a ‘dar errado’ que, hoje, seria muito mais recomendável [o Kremlin recomendando!] repensar a política e as vias políticas, em vez de fazer  terrorismo. 


        Imaginem também que o artigo citasse o presidente Putin, o qual dissesse que havia encomendado esse estudo à KGB para descobrir casos de “financiamento e apoio com armas e munição a insurgentes ativos dentro de país estrangeiro e que tivessem realmente dado certo. E a KGB [Putin falando] não conseguiu encontrar grande coisa.” E que, por isso [Putin] relutava um pouco em repetir novos esforços terroristas. […]

        Tudo isso é muito difícil de imaginar. Artigo desse tipo nunca seria publicado. O problema é que o tal artigo existe e foi publicado. De diferente, só um pequeno detalhe: apareceu publicado no New York Times – e é quase exatamente o tal artigo impossível.
        

Dia 14/10, a matéria de primeira página do New York Times tratava de um estudo feito pela CIA em que a Agência examina as principais ações terroristas comandadas pela Casa Branca em todo o mundo, num esforço para conhecer os fatores que levaram cada ação terrorista ao sucesso ou ao fracasso; e a CIA concluiu que, que, desgraçadamente, atos terroristas raramente ‘dão certo’ e de tal modo tendem a ‘dar errado’ que, hoje, seria indispensável repensar a política e as vias políticas, em vez de fazer terrorismo. 
        Ver aqui: http://www.nytimes.com/2014/10/15/us/politics/cia-study-says-arming-rebels-seldom-works.html?_r=1

        

E o artigo cita o presidente Obama, o qual diz que havia encomendado esse estudo à CIA para descobrir casos de “financiamento e apoio com armas e munição a insurgentes ativos dentro de país estrangeiro e que tivessem realmente dado certo. E a CIA [é Obama falando] não conseguiu encontrar grande coisa.” E que, por isso [Obama] relutava um pouco em repetir novos esforços terroristas.



        Não se ouviu nenhum grito de ultraje; indignação zero, nada.

        […] Os três exemplos considerados na matéria do New York Times sobre o terrorismo norte-americano são só a ponta do iceberg. Mesmo assim, é útil ver esse muito claro e significativo reconhecimento de o quanto Washington é dedicada a operações do terrorismo mais mortífero e destruidor, e do pouco, praticamente nada, que essa ação terrorista dos EUA significa para a classe política, que aceita como normal e adequado que os EUA se apresentem ante o mundo como superpotência terrorista, imune a leis e normas civilizadas.

Muito estranhamente, o mundo não pensa como a classe política norte-americana. Pesquisa internacional distribuída ano passado pelo Worldwide Independent Network/Gallup International Association (WIN/GIA) descobriu que os EUA ocupam o primeiro lugar, de longe, como “maior ameaça contra a paz mundial hoje”, muito à frente do Paquistão, segundo colocado (certamente inflado pelo voto dos indianos), e nenhum outro país sequer se aproxima desses dois. […]

        20/10/2014, Noam Chomsky, Telesur, Venezuela
        http://www.telesurtv.net/english/opinion/Official-The-US-is-a-Leading-Terrorist-State-20141020-0067.html

    • Valdir-Ba, acho que não entendi o seu post e se entendi, não concordo.

      1- Os militares sabem que foram usados
      2- O lado ”bom” modernizante do poder militar
      3- Nos quartéis se estuda história

      Se o Estado Maior das FFAA tivesse vergonha por terem agido covardemente contra o Brasil e seus concidadãos, não teria imposto essa anistia encobrindo até crimes contra a humanidade. Para dar o golpe de 1964 degradaram vergonhosamente as FFAA à condição de organização criminosa.
      Os militares golpistas não foram ”marionetes” nas mãos de forças reacionárias; um grupo de párias voltara da campanha da Itália já ”iluminado”. O próprio gal. Castelo—Sem—Pescoço—Branco reconhecera que fora na FEB que ele ”vira a luz”. Imaginem voces que desatino: de um lado a sociedade brasileira (sob ditadura nazifascista) e do outro ”o clube do bolinha, onde menina não entra”: uma oficialidade complexada, recalcada, vingativa, subdesenvolvida, inculta, aplicada na geometria, na matemática (alguns chegaram a ser bons professores de português), que interpretava o mundo do alto de um imaginario pedestal, a elite da elite, superior a tudo, dissociada do ”resto”. Os estadunidenses não tiveram algum trabalho para identificar, separar e aliciar escrotos naquele grupo de obedientes, deslumbrados com o U.S. ARMY, galvanizados com o leite em pó, a carne enlatada, a Coca-Cola e os cigarros Lucky Strike.

      Voltaram aloprados pelo anticomunismo e absolutamente convictos que o civil era incompetente por natureza, não merecia qualquer confiança e respeito e não podia ser tratado de igual para igual. Criaram a Escola Superior de Guerra e com ela uma inteligentzia privada. E sob o comando daquela camarilha abateu-se a repressão e assassinio contra professores, intelectuais, espancamento de estudantes, trabalhadores e seus filhos, invasão das universidades ”antro do intelectualismo subversivo e comunizante”, segundo Cordeiro de Farias. Os mais escrotos entre os escrotos achavam mesmo que estavam salvando Deus, a Pátria e a Família e acabaram por convencer o coxinha e o pequeno-coxinha. Como escreveu um jornalista, ”se se contabiliza o dano a toda uma geração, pela queda vertical da qualidade do ensino, do avanço do pensamento social, que em 64 virou coisa de comunista, como se os comunistas não fossem uma instância legítima de ser, então os atingidos são milhões na ditadura”.

      Sobre o citado papel ”modernizante” do poder militar, a história ensina que foi para satisfazer o apetite de um poderoso bloco de interesses capitalistas transnacionalizado levados à frente na porrada, na corrupção desenfreada e no controle repressivo. Quanto aos quartéis onde se estuda a história, eu proponho um artigo de 2012 que copiei no excelente blog ”Direto da Redação, fechado em 2014.

      A FALSA HISTÓRIA NAS ESCOLAS MILITARES

      A reportagem “Livro do Exército ensina a louvar ditadura”, publicada na Folha no último domingo, desperta uma necessidade que vai além desta coluna, porque exige um aprofundamento que misture o jornalismo, a literatura, a história e a vida de quem um dia foi professor. 
      
Penso nos jovens dos Colégios Militares, nos rapazes e mocinhas ardorosos obrigados a decorar algo como uma História vazia e violentadora, a que chamam História do Brasil – Império e República, de uma Coleção Marechal Trompowsky. Da Biblioteca do Exército. O nome, a origem, o Marechal, por si, já não garantiriam um bom resultado. Estariam mais para pólvora que para a História. Mas não sejamos preconceituosos, ilustremos com o que os estudantes são obrigados a aprender, como aqui, por exemplo: 


      “Nos governos militares, em particular na gestão do presidente Médici, houve a censura dos meios de comunicação e o combate e eliminação das guerrilhas, urbana e rural, porque a preservação da ordem pública era condição necessária ao progresso do país.” 


      Uma breve pesquisa aponta que esses livros servem a um ensino orientado pela Diretoria de Ensino Preparatório e Assistencial (DEPA), criado em …1973, sim, naquele inesquecível ano da ditadura Médici. Ou naquele tempo do gestor democrático, segundo a orientação dada aos futuros militares. E não se pense que tal ensino está à margem da lei, não. Ele se apoia em um certo Art 4º do R-69. Percebem? A caserna legisla.


      Mas não é assim, sem nada, pois a DEPA organiza a proposta pedagógica “de orientar o processo educacional e o ensino-aprendizagem na formação de cidadãos intelectualmente preparados e cônscios do seu papel na sociedade segundo os valores e as tradições do Exército Brasileiro” (Grifo do seu documento).

      Que valores seriam esses, além das idéias anticomunistas do tempo da ditadura? 


      Penso agora nesses jovens dos colégios militares mantidos com os olhos vendados, pois deles se oculta a violência e o terror sofridos por outros jovens, tão brasileiros, generosos e heróicos quanto eles hoje: 

“Eremias se tornou um cadáver aos 18 anos: perfurado de balas, o rosto irreconhecível porque uma só ferida, os cabelos, tão úmidos, tão grossos por coágulos de sangue, davam a impressão de flutuar no chão seco.

      Nada havia naquele cadáver que lembrasse o jovem que eu conhecera. O menino que eu vira em 1968 não anunciava aquele fim. Eremias não era aqueles olhos apertados, a boca aberta à procura de ar, a lembrar um afogamento. Um estranho peixe, com os cabelos a flutuar no seco. 

Eremias morreu como um herói, permitam-nos dizer. O aparelho onde estava caíra. Fora entregue por um outro jovem preso, que não suportara as torturas. Cercado por forças do Exército, Eremias sozinho resistiu. Resistiu à bala, sem nenhuma esperança”. 


      Ou aqui, neste depoimento da advogada Mércia Albuquerque, que assim viu e viveu no tempo da gestão do presidente Médici: 

“Soledad estava com os olhos muito abertos com expressão muito grande de terror, a boca estava entreaberta e o que mais me impressionou foi o sangue coagulado em grande quantidade que estava, eu tenho a impressão que ela foi morta e ficou algum tempo deitada e a trouxeram, e o sangue quando coagulou ficou preso nas pernas porque era uma quantidade grande e o feto estava lá nos pés dela, não posso saber como foi parar ali ou se foi ali mesmo no necrotério que ele caiu, que ele nasceu, naquele horror”.
      

E também aqui, nesta personagem oculta aos estudantes: 

“Maria Auxiliadora Lara Barcellos atirou-se nos trilhos de um trem na estação de metrô Charlottenburg, em Berlim… tinha sido presa 7 anos antes, em 1969, no Brasil. Nunca mais conseguiu se recuperar plenamente das profundas marcas psíquicas deixadas pelas sevícias e violências de todo tipo a que foi submetida. Durante o exílio registrou num texto… ‘Foram intermináveis dias de Sodoma. Me pisaram, cuspiram, me despedaçaram em mil cacos. Me violentaram nos cantos mais íntimos. Foi um tempo sem sorrisos. Um tempo de esgares, de gritos sufocados, de grito no escuro”. 


      Essa história trágica, mas ainda assim fecundante, o papel destruidor de vidas pela Ordem da ditadura militar não pode nem deve ser ocultado. Há um clamor cidadão contra. Os colégios militares não podem mais continuar independentes do Brasil, como se fossem ilhas inexpugnáveis à civilização. A continuar assim, assistiremos todos a uma nova tragédia, que não será mais civil, de paisanos, como antes. Pois os fósseis já não cabem mais na pele dos estudantes militares do novo tempo. Ainda que os fósseis atendam pelo nome de livros de História da Coleção Marechal Trompowsky. 

  28. Edu, seu texto me fez lembrar uma frase dita por um plantador de algodão, no sul dos EUA, logo após a emancipação dos escravos. A frase é mais ou menos assim: “Mesmo que passem 10, 100 ou 1000 anos, um dia eu vou ter o direito de comprar escravos novamente e coloca-los para plantar algodão em minhas terras. Tudo vai voltar a ser como antes”. Me parece ser esse o pensamento da classe dominante. Ainda não admitiram a perda da mão de obra barata e o compartilhamento de locais com os “sem posses”. Pode-se considerar o período de governos do PT como sendo o período citado pelo plantador de algodão. O que essa classe deseja é o retorno dos privilégios e contam com o PIG/judiciário para fazer o tempo voltar. Até hoje a classe dominante não engoliu a Lei Áurea e a CLT. Se conseguirem aprovar a terceirização terão dado um passo importante no sentido de anularem grande parte do que foi conquistado. No fundo, eles só aceitam pagar o vale transporte (para o trabalhador chegar ao serviço) e o vale alimentação (para manter o trabalhador vivo). E não vai me causar admiração se eles solicitarem aos deputados uma lei onde seja permitido abater esses dois custos do imposto de renda.

  29. Atento ao movimento de DISTENSÃO que se tenta construir : “ruim com ela, pior sem”

    Aires Brito (ex STF) : “Dilma é honesta”

    Setúbal (pres. do ITAU) : “Dilma é honesta”

    Bresser (ex fazenda e ex psdb – ou quase) : “Dilma é Honesta”

    Claudio Lembo (ex demo, PFL e arena) : “Dilma é honesta”

    Trabuco (pres. Bradesco) : “Dilma é honesta”

    R. Marinho (pres. GLOBO) : “Dilma é honesta”

    bem ..eu não a JOGO ao fogo neste quesito, mas tb não coloco a minha mão no fogo por ninguém

    ..de qualquer forma, pelos acontecimentos dantescos que nos sacodem ..DILMA foi INCOMPETENTE e IMPREVIDENTE em não ver ..INGENUA e IMATURA em confiar e não se precaver ..agora, CONIVENTE ?

    só o tempo dirá ..o tempo e estes caciques ai decima

    De qq forma, não deixa de ser uma agenda positiva (na falta de qq outra ..ao menos DILMA fica com o rótulo de que é honesta

    Já tá bom, não tá ?

    ps – mas que eu NÃO engulo que uma min.das energia, depois da Casa Civil, presidente do CONSELHO da Petrobrás ..uma que se dizia técnica e tão competente ..que ela não tenha visto tanto desmando e desvio ??!! desculpe, NÃO ENGULO não !!!

    • Vovó Bananelli, a senhora engole o Achacador Cunha, engole o senador Playboy do Leblon e seu Aeroporto Internacional de Claudio, engole a falta de água promovida pelo governo do tucano Picolé de Chuchu. Isto a vovó Bananelli engole.

  30. Mais outro ótimo artigo Eduguim. Não comento muito mas estou sempre lendo o que escreve. Continue assim.
    Um pouco fora de pauta: Será que vazamento dos dados do Ashley Madison pode ajudá-lo a encontrar as verdadeiras pessoas por trás dos cometários raivosos no blog?

    • Grato, Carlos

    • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      essa valeu o dia

  31. :

    : 19:13 Ouvindo A Voz do Bra♥S♥il e postando: Valeu a pena ! ! ! ! Dá gosto ser o cantor do seu povo ! ! ! !

    * 1 * 2 * 13 * 4
    *************
    * * * *
    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

    Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !

    ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

  32. Está tudo movediço, muita coisa para a gente entender. Dizem que estamos numa era de mudança de paradigmas e é difícil saber o que vai surgir.

    Na periferia os jovens têm valores que os partidos progressistas não vêm acompanhando bem – eles rechaçam a pauta neoliberal (reconhecem nela a hipocrisia da elite) mas estão distantes da política institucional e da esquerda tradicional – outras matrizes “movem o cenário político para direção ainda desconhecida” (“A disputa política nas periferias”, 17/07/2015, site PUBLICA).

    Jovens em geral não acreditam em partidos ou organizações verticais; se organizam em torno de causas e bandeiras; se importam mais com qualidade de vida que com ideologia; acreditam que o voto pode transformar a vida do país mas também que o Brasil poderia estar melhor se não houvesse partidos políticos (sondagens da BBC e do instituto Data Popular).

    Brasileiros pobres ascenderam mas brasileiros ricos ficaram mais ricos, de acordo com o aumento da concentração de renda que ocorreu no mundo todo.

    A classe média tradicional – que um amigo diz que na verdade é “classe trabalhadora descontada na fonte” – está premida entre a classe média empresária e liberal e os trabalhadores que ascenderam, beneficiários de várias políticas públicas. Recrudesceu a luta de classes que sempre foi forte no Brasil (e sempre escamoteada).

    Não é à toa que uma amiga postou no fb foto de 7 pensadores do Brasil – Florestan Fernandes, Milton Santos, Caio Prado, Paulo Freire, Sergio Buarque de Hollanda, Otávio Ianni, Aziz Ab’Sáber – e no desespero, perguntou: “Será que não dá para conjurar a presença dos 7 por uns dois meses entre nós?” :)

  33. Concordo com tudo o que você disse. Inclusive acho que desde aquela época FHC é “o cara” deles. Estamos pensando numa campanha para comprar uma passagem só de ida para o golpista-mor desse nosso país. Poderíamos combinar em encontro com ele numa de suas residências/fazenda ou naquele luxuoso instituto que tem o nome dele e entregar o envelope com a passagem e com os dizeres “Fica para sempre em Paris, FHC!”.

  34. Caro Eduguim.
    Solicito uma análise, por favor, sobre a pesquisa de RENDA dos manifestantes.Nao quero polemizar pois sou leiga.
    28% de 7.000 a 15.000
    19% mais de 15.000
    Ou 47%. Entao aproximadamente outros 47% percentagens arredondadas, ganham menos que 7.000 e ha uma faixa de 3.900 a 7.000 que nao sao nada ricos como voce sabe. O que sobra é um montao de gente que ganha até 3.900,00 ou seja, um montao de gente que bate panelas pelos de cima.Quem ganha 3.900 reais nao pode pagar nem financiamento de uma quit. Pra financiar 150.000 precisa se de uma renda de 5.000.
    E há inumeras despesas de comida, escola etc etc.Metade nao é elite.Se nao é por que estava lá? Enfim quero dizer que ha material aí para garimpar assunto de politica.Grata.

    • Qual é a fonte desses dados?

      • Grata.A fonte é ….nao me lembro se Folha mas uma pesquisadora Esther Solano teria comentado eles. Li nos blogs que leio todos os dias: Nassif, Miro, O cafezinho, Viomundo, Escrevinhador, CAF e Rovai.

        • Só digitar Esther Solano.Saiu em Carta Capital tambem.
          Estou pensando, seria esse o perfil de todos os manifestantes? Rio, Minas, Recife? Uma parcela bate panelas e nao relaciona realidade com voto. Voltamos ao tema da funçao da escola no Brasil.

  35. Em primeiro lugar excelente artigo, principalmente para quem tem dificuldades com a memória. Agrego duas considerações:

    1- Era junho de 2013, início de noite, estava eu bebendo uma cerveja pós-expediente de trabalho quando vejo um grande número de jovens subindo a Brigadeiro Luís Antônio em direção à Paulista. Na hora senti um calafrio, me lembrei um pouco de 1964 e comentei com os amigos – espero que esses jovens com o salutar desejo de mudanças característico de todo jovem não sejam usados para fins maléficos. Não deu outra. Depois dos desdobramentos, ficou parecendo que esse segmento elitista e reacionário já estava esperando e aproveitou de imediato para dar o bote e se apropriar.

    2- O tal segmento citado é o mesmo que saiu às ruas em 64, logo após o discurso de João Goulart que anunciava, entre outras medidas, a reforma agrária e o imposto sobre grandes fortunas, denominando-se como a Marcha com Deus pela Liberdade. E que por sua vez pode ser reconhecido como filho da Revolução de 32 e netos daqueles que foram voto vencido na abolição da escravidão.

    Para finalizar, esse momento que vivemos me lembra o saudoso Mílton Santos, que dizia que a cidadania para todos não era do interesse de um determinado segmento da sociedade brasileira pois esse era formado por “supercidadãos”, que se tornando “apenas” cidadãos perderiam privilégios.
    Felizmente, diferente de 64, estamos fazendo a passeata dos cem mil antes do golpe.

    Forte abraço Eduardo

  36. Mais um post do Eduguim para ser arquivado, discutido nas escolas, nas universidades e no ambiente de trabalho. —– Quando o blogueiro, referindo-se ao golpe, fala de isolamento da comunidade internacional, deve, na minha opinião, considerar apenas os nossos vizinhos latinoamericanos e somente eles; o resto do mundo (na imprensa-impresa) não se manifestará nem contra nem a favor, muito pelo contrário. A razão é simples: eventual golpe será em sintonia com as expectativas do PEIDA, Presidente Espancador Indispensável da América [no mundo], com sede no manicômio Casa Branca.

    Guia Prático do Fascismo nos EUA, Norman Pollack (trad. Vila Vudu):
    […] ”a militarização do capitalismo avançado, que busca manter sua rota unilateral de supremacia global obriga os EUA a recorrer a ações ainda mais extremas, para segurar-se no lugar onde está. A pressão já é visível: o racismo inscrito na mentalidade histórica nacional norte-americana está agora mais uma vez em erupção; operações clandestinas criminosas no mundo, e intromissão em assuntos internos dos outros, desde os anos 1940, são agora operações regularizadas e praticadas com certeza da impunidade e bem rapida-mente, para passarem quase sem ser vistas; o uso do comércio como aríete de objetivos geoestratégicos para modelar o equilíbrio hegemônico do poder em relação a China e Rússia, ao mesmo tempo em que ‘informam’ aos parceiros dos EUA que eles podem também ser penetrados à força, financeiro-comercialmente falando; de tal modo, que todos são destrutivamente afetados.
    
Em resumo, martelação rápida-no-gatilho abrindo caminho para ambiente ideológico estável onde prospere o verdadeiro espírito de etnocentrismo e xenofobia característico dos EUA, para favorecer um sistema corporativista que só amplia as diferenças de riqueza, poder, divisão racial e étnica entre superiores e inferiores, aperto nos parafusos da uniformidade patrioteira, e tudo isso embrulhado, apertado, em volta da concentração intensiva de negócios bancários e do poder dos banqueiros em monólitos ilimitáveis baseados nos EUA ou servindo-se dos EUA como acobertamento e proteção.” […]

    Cinco passos de CIA/FBI/NSA, Lyuba Lulko (trad. Vila Vudu):
    Passo 1:
    Intoxicar a opinião pública com desvantagens, reais ou imaginadas, usando a mídia-empresa, enfatizando dificuldades que há em todo o mundo capitalista, como se fossem ‘exclusividade’ de cada país atacado. A mídia-empresa trabalha para promover o descontentamento, enfatizando dificuldades como déficit, crimes, sistema monetário instável, governos ‘sem capacidade para governar’ e, claro, uma corrupção que só existiria, “em tal nível”, em cada um dos países que esteja sendo atacado. [No Brasil, a coisa já tem até nome – “Complexo de Vira-lata”. Quer dizer: aqui já fomos completamente convencidos de que somos nós, os brasileiros pobres, os culpados pelas desgraças que nos afligem (NTs)].
    

Passo 2:
    Demonizar autoridades eleitas, mediante a manipulação de preconceitos, dizendo, por exemplo que todos os brasileiros (russos, chineses; mas nunca, nunca, todos os norte-americanos; ou demonizando todos os pobres; mas nunca, nunca, todos os ricos); mediante ‘atos públicos’ para defender (i) a liberdade de expressão (que as elites sempre consideram que estaria ameaçadíssima em governos legitimamente democráticos); (ii) direitos humanos e liberdades civis; (iii) contra a ‘ditadura’ de governo popular democraticamente eleito (que as elites sempre consideram ‘autoritário’); e, em geral, reescrevendo a história a favor das forças que anseiam por voltar ao poder.

    Passo 3:
    Trabalho nas ruas. Canalizar conflitos, promovendo a mobilização de qualquer oposição; desenvolver plataformas de combate que englobem todas as demandas políticas e sociais, ‘unificar’ todos os tipos de protestos, jogar habilmente com erros e dificuldades do estado/governo; organizar manifestações que impeçam a ação das instituições do estado; capturar as instituições do estado, para forçar a radicalização dos confrontos. 
    

Passo 4:
    Combinar diferentes formas de luta: organizar piquetes e capturar simbolicamente as instituições do estado; guerra psicológica conduzida pela mídia-empresa, com promoção de confrontos com a polícia, para criar a impressão de que o governo nada controla, desmoralizar o governo legítimo e suas agências de serviços policiais.
    

Passo 5:
    Encenar um golpe institucional, movido a protestos de rua, sempre ‘exigindo’ a renúncia do(a) presidente(a).



    Em que estágio está a revolução colorida em andamento no Brasil hoje? Cabe ao leitor decidir. A situação vai sendo agravada artificialmente bem diante de nossos olhos, e parece que as autoridades do governo do Brasil estão dedicadas a fingir que não veem as atividades da inteligência dos EUA, aí, bem no nariz de Brasília. No Brasil, a CIA, a Agência de Combate ao Tráfico de Drogas, DEA-EUA, e o FBI operam legal-mente, sob o disfarce da luta contra o tráfico de drogas. E há ONGs e fundações que existem para patrocinar revoluções coloridas que também estão operantes no país.

    O jornalista venezuelano Jose Vicente Rangel noticiou que cerca de 500 funcionários de agências de inteli-gência dos EUA chegaram às embaixadas dos EUA na Venezuela, Bolívia, Argentina, Brasil, Equador e Cuba, para trabalharem em rede e desestabilizar regimes democráticos nesses países. O que acontecerá depois? Não é preciso adivinhar: basta ver o que foi feito da Ucrânia.”


    Ver também Samuel Pinheiro Guimarães: http://www.laondadigital.uy/archivos/8003

  37. O problema é a legião de debiloides e analfabetos políticos que assola o país…

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.