UTC doou mais a Aécio que a Dilma; “novas” denúncias são requentadas

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

UTC capa

 

Não dá para entender por que tanta celeuma em torno das acusações do dono da UTC, Ricardo Pessoa, a políticos de vários partidos. E muito menos por que razão só as acusações dele à campanha de Dilma Rousseff e ao seu partido ganharam as manchetes.

UTC 1

Quem lê os principais jornais dando conta de que a UTC doou 7,5 milhões de reais à campanha de Dilma Rousseff fica com a impressão de que há, aí, uma grande descoberta e que a presidente foi especialmente beneficiada por essa empresa. Nada mais falso.

Em primeiro lugar, se esses grandes veículos fizessem jornalismo deveriam esclarecer que essa empresa doou inclusive mais dinheiro à campanha de Aécio Neves no ano passado do que à de Dilma Rousseff.

Levantamento feito pelo site Às Claras, ligado à ONG Transparência Brasil, mostra que a UTC doou R$ 8.722.566,00 para a campanha a presidente de Aécio Neves, no ano passado. O valor é R$ 1,22 milhão superior ao valor doado à campanha de Dilma Rousseff na mesma época.

UTC 2

 

Diz o noticiário que Pessoa sentiu-se pressionado a doar a Dilma e ao PT porque tinha medo de que, se não doasse, o governo petista prejudicaria seus negócios. A pergunta que é obrigatório fazer, diante de tal acusação, é muito simples: por que Aécio, sem pressionar, recebeu mais do que Dilma?

Uma campanha recebeu 7,5 milhões de reais do empresário porque o intimidou e a outra – que, conforme a omissão do noticiário em citá-la, subentende-se que não intimidou – recebe 8,7 milhões de reais.

A primeira doação decorre de chantagem e a segunda de “amor” ao candidato?

Ora, façam-me o favor…

Mas o pior não é isso. Uma simples busca na internet revela que essa celeuma que dominou a grande mídia a partir da última sexta-feira (26) por conta das “novas” revelações de Ricardo Pessoa, da UTC, não tem a menor justificativa porque é matéria requentada.

Os três maiores jornais do país (Folha, Globo e Estadão) publicaram, neste sábado (27/06), praticamente a mesma matéria sobre o tema, inclusive com manchetes praticamente idênticas. Desse modo, tomemos como exemplo a matéria da Folha, que afirma que “Revelações de empreiteiro ampliam pressão sobre o PT”.

FOLHA DE SÃO PAULO

27 de junho de 2015

PETROLÃO

Revelações de empreiteiro ampliam pressão sobre o PT

Dono da UTC cita doações a campanhas de Dilma e Mercadante em delação

Partido afirma que todas as contribuições que recebeu foram feitas conforme a lei e declaradas à Justiça

DE BRASÍLIA

DE CURITIBA

DE SÃO PAULO

Depoimentos prestados pelo empresário Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, aos procuradores da Operação Lava Jato ampliaram a pressão sobre o governo da presidente Dilma Rousseff e seu partido, o PT, lançando novas suspeitas sobre doações feitas à sua campanha à reeleição em 2014.

Apontado como um dos líderes do cartel de empreiteiras acusadas de participar do esquema de corrupção na Petrobras, Pessoa fez acordo com a Procuradoria-Geral da República para colaborar com as investigações em troca de uma pena reduzida. O acordo foi homologado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) nesta quinta-feira (25).

Pessoa doou R$ 7,5 milhões para a campanha de Dilma. A contribuição foi declarada à Justiça Eleitoral pelo PT, mas, como a Folha revelou em maio, Pessoa disse que só fez a doação por temer prejuízos em seus negócios na Petrobras se não ajudasse o partido. Ele disse que tratou da contribuição com o tesoureiro da campanha de Dilma, o atual ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva.

Nesta sexta (26), a revista “Veja” afirmou que Pessoa detalhou também contribuições feitas para 18 campanhas políticas, incluindo repasses de R$ 15 milhões para o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e de R$ 750 mil ao ex-deputado José de Fillipi (PT-SP), que foi tesoureiro da campanha de Dilma em 2010 e hoje é secretário da administração do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT).

Segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, Pessoa indicou aos procuradores que os repasses para Vaccari e Fillipi foram feitos de maneira ilegal, e não por meio de doações oficiais. Em nota, o PT afirmou que todas as doações recebidas pelo partido foram declaradas à Justiça Eleitoral.

Como a Folha informou nesta sexta (26), Pessoa também detalhou a maneira como foi negociada uma contribuição à campanha do petista Aloizio Mercadante ao governo do Estado de São Paulo, em 2010. Em 2010, Mercadante declarou à Justiça Eleitoral uma doação de R$ 250 mil da UTC. Hoje ministro da Casa Civil, Mercadante é o principal auxiliar de Dilma.

As novas revelações sobre os depoimentos de Pessoa fizeram Dilma convocar uma reunião de emergência nesta sexta. Participaram Mercadante, Edinho Silva e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Nenhum se manifestou sobre o assunto.

Em avaliações internas, ministros afirmavam que o episódio poderá contribuir para abalar ainda mais a frágil popularidade da presidente, que tem 10% de aprovação, segundo o Datafolha.

Preso desde novembro de 2014 e hoje em prisão domiciliar, Ricardo Pessoa negociou durante meses o acordo de delação premiada. A Folha apurou que Pessoa descreveu em detalhes a maneira como acertava o repasse de recursos destinados ao PT.

‘PIXULECO’

Segundo ele, o então diretor da Petrobras Renato Duque, ligado ao PT, avisava João Vaccari sempre que a estatal fechava um contrato com a UTC e o tesoureiro então procurava o empreiteiro para cobrar o “pixuleco”, como ele chamava a propina de 1% que seria destinada ao PT.

Segundo Pessoa, eles então combinavam de que forma, e em quantas parcelas, esse pagamento seria feito.

Na maior parte das vezes, Pessoa disse que optou por fazer doações oficiais ao PT ou a candidatos do partido. Às vezes, disse, Vaccari pedia que o pagamento fosse feito por fora. Segundo Pessoa, nesses casos o dinheiro era passado em espécie ao partido.

Na delação, Pessoa também citou contribuições a políticos de outros partidos, entre eles os senadores Aloysio Nunes (PSB-SP), Fernando Collor (PTB-AL) e Edison Lobão (PMDB-MA). Todos negam irregularidades.

(ANDRÉIA SADI, MARINA DIAS, NATUZA NERY, ESTELITA HASS CARAZZAI E FLÁVIO FERREIRA)

O que você, atento leitor, entende dessa matéria e, sobretudo, da manchete que a intitula é que surgiu alguma novidade que “ampliou” a “pressão” sobre “o PT”. Ou seja, o que se subentende da manchete é que alguma coisa nova veio à tona.

Pois bem. Vejamos, então, matéria da mesma Folha de São Paulo publicada 49 dias antes, de autoria da mesma Estelita Hass Carazzai que assina a matéria publicada pelo jornal neste sábado.

FOLHA DE SÃO PAULO

9 de maio de 2015

Empreiteiro diz que doou a Dilma por temer represália

FLÁVIO FERREIRA

DE ENVIADO ESPECIAL A CURITIBA

ESTELITA HASS CARAZZAI

DE CURITIBA

Compartilhar13 mil

Ouvir o texto

Mais opções

PUBLICIDADE

O empresário Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, disse a procuradores da Operação Lava Jato que doou R$ 7,5 milhões à campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff por temer prejuízos em seus negócios na Petrobras se não ajudasse o PT.

Segundo Pessoa, a contribuição da empresa foi tratada diretamente com o tesoureiro da campanha de Dilma, o atual ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva.

Preso desde novembro do ano passado e hoje em regime de prisão domiciliar, o empresário negocia desde janeiro com o Ministério Público Federal um acordo para colaborar com as investigações em troca de uma pena reduzida.

Nos contatos com os procuradores e no documento em que indicou as revelações que está disposto a fazer caso feche o acordo, Pessoa descreveu de forma vaga sua conversa com Edinho, mas afirmou que havia vinculação entre as doações eleitorais e seus negócios na Petrobras.

O empreiteiro contou ter se reunido com Edinho a pedido do então tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, apontado como o principal operador do partido no esquema de corrupção descoberto na Petrobras e hoje preso em Curitiba.

As doações à campanha de Dilma foram feitas legalmente. Segundo os registros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), foram três: duas em agosto e outra em outubro de 2014, dias antes do segundo turno da eleição.

Se Pessoa fechar o acordo de delação premiada com os procuradores, ele terá então que fornecer provas e detalhar suas denúncias em depoimentos ao Ministério Público e à Polícia Federal.

Em janeiro, Pessoa já havia indicado sua disposição de falar sobre a campanha de Dilma Rousseff em documento escrito na cadeia e publicado pela revista “Veja”. “Edinho Silva está preocupadíssimo”, escreveu o empresário.

CAIXA DOIS

Pessoa também afirmou aos procuradores que fez contribuições clandestinas para a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à reeleição, em 2006, e a do prefeito petista de São Paulo, Fernando Haddad, em 2012.

O empreiteiro disse que deu R$ 2,4 milhões à campanha de Lula, via caixa dois. O dinheiro teria sido trazido do exterior por um fornecedor de um consórcio formado pela UTC com as empresas Queiroz Galvão e Iesa e entregue em espécie no comitê petista.

Pessoa afirmou também que, a pedido de Vaccari, pagou outros R$ 2,4 milhões para quitar dívida que a campanha de Haddad teria deixado com uma gráfica em 2012. O doleiro Alberto Youssef, outro operador do esquema de corrupção na Petrobras, teria viabilizado o pagamento.

Segundo o empreiteiro, o valor foi descontado de uma espécie de conta corrente que ele diz ter mantido com Vaccari para controlar o pagamento de propinas associadas a seus contratos na Petrobras.

Pessoa também promete revelar às autoridades detalhes sobre seus negócios com o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, que hoje cumpre prisão domiciliar por seu envolvimento com o mensalão.

O empreiteiro, que pagou R$ 3,1 milhões à empresa de consultoria de Dirceu entre 2012 e 2014, diz que o contratou para prospectar negócios no Peru, mas afirmou aos procuradores que a maior parte dos repasses foi feita após a prisão do ex-ministro, para atender a um pedido de ajuda financeira da sua família, em razão de sua influência no PT.

OUTRO LADO

O PT rejeitou as acusações do empresário Ricardo Pessoa e afirmou em nota que todas as doações à campanha da presidente Dilma Rousseff em 2014 foram feitas de acordo com a legislação eleitoral.

O partido ressaltou que as contas da campanha de Dilma foram aprovadas por unanimidade na Justiça Eleitoral.

A assessoria do ministro Edinho Silva, chefe da Secretaria de Comunicação Social, que foi o tesoureiro da campanha presidenical, informou que a nota do PT deveria ser considerada sua reposta às alegações do empreiteiro.

A Presidência da República e a assessoria do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disseram que não fariam comentários sobre o assunto.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, afirmou que as doações à sua campanha foram todas feitas de acordo com a lei, e que as dívidas foram absorvidas e quitadas posteriormente pelo PT.

O advogado Luiz Flávio Borges D’Urso, que defende o ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto, disse que ele só captou doações legais para o partido e não participou do esquema de corrupção descoberto na Petrobras.

O advogado do ex-ministro José Dirceu, Roberto Podval, informou que seu contrato de consultoria com a UTC tinha como objetivo prospectar negócios no Peru, sem qualquer relação com a Petrobras.

Alguém, por favor, ajude este desorientado blogueiro: o que é, diabos, que há de novo nas notícias recém-publicadas sobre as denúncias do empreiteiro Ricardo Pessoa? O que é que ele acrescentou ao que já havia dito que justifique que a mídia e a oposição façam esse estardalhaço e digam que, à luz das “novas” revelações, há que tirar o mandato de Dilma Rousseff?

O que esse estardalhaço todo significa é, no fim das contas, um imenso desrespeito pela opinião pública, obviamente vista pela mídia e pela oposição como desmemoriada, idiotizada, incapaz de juntar fatos escandalosamente óbvios e deles tirar uma simples conclusão.

Infelizmente, pensando bem, tanto a mídia quanto a oposição têm boas doses de razão para enxergar assim a sociedade brasileira, ou ao menos sua maioria esmagadora.

 

Tags: , , , , ,

123 Comentário

  1. Principalmente a classe média, a mais idiota de todos os idiotas que formam nossa população alienada. Tanto pior do que o fato de ser uma notícia “requentada”, o que enoja, é que as alegações de Pessoa não valem um tostão furado. ENTÃO ALGUÉM VAI RECEBER PROPINA E REGISTRÁ-LO COMO DOAÇÃO LEGAL, PARA QUE FIQUE ESCANCARADA A ENTRADA DE RECURSOS!!!!!!!!!!???????? LEMBRANDO QUE AINDA VIVEMOS NUM SISTEMA ELEITORAL QUE ACEITA DOAÇÕES DE EMPRESAS ÀS CAMPANHAS POLÍTICAS, PORTANTO, SE ESSA MODA “PEGASSE”(E NÃO VAI PEGAR, PORQUE SÓ VALE QUANDO É PARA ATINGIR O PT)QUALQUER EMPRESA PODERIA AFIRMAR QUE SUAS DOAÇÕES ELEITORAIS FORAM RESULTADO DE PROPINA, OU SEJA, FORAM EXIGIDAS PELO PARTIDO E/OU CANDIDATO, COMO FORMA DE GARANTIR A CONTINUIDADE DE SEUS CONTRATOS COM A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA OU A CERTEZA DE ABERTURA DE UM CONTRATO NOVO. Afinal, quem doa para campanha política no Brasil são as grandes empresas, principalmente as empreiteiras, e grande empresa no Brasil, e no resto do mundo também, não sobrevive se não tiver obras com o Estado, principal fonte de seu faturamento(olhem nos EUA, PÁTRIA DO SUPOSTO NEOLIBERALISMO, E VEJAM SE NÃO É A MESMA COISA). Das “declarações” de Pessoa se pode inferir o mesmo dos recursos que doou ao PSDB, que administra o estado mais rico do Brasil(com orçamento maior do que muitos países do mundo. Onde a UTC participa de várias obras, entre elas o mar de corrupção existente nas obras do metrô paulista). Ou seja, qualquer empresa pode doar para um campanha, doação legal e registrada(por isso mesmo comprovável)e depois dizer que foi forçada a fazê-lo sob ameaça de perder contratos com o Estado(União, estado ou município)e ficaremos nisso: Nem a empresa pode provar o achaque, nem o partido ou candidato poderão comprovar o contrário(lembrando que o ônus da prova cabe a quem acusa). Ou seja, viveríamos um loucura denuncista, sem provas e baseada em declarações, que só é sustentada neste momento para tentar sabotar o Governo Dilma e impedir Lula de vencer as eleições de 2018. Por sinal, a imbecilidade e a o primarismo das acusações não ficam por aí. Vejam o caso de Dirceu. Pessoa afirma que de fato contratou Dirceu para trabalhar para a empresa dele em prospecção de contratos no Peru, mas afirma que a maioria dos repasses ocorreu após a prisão de Dirceu, a pedido da família para poder custear sua defesa. PESSOA NÃO FEZ UM CONTRATO COM DIRCEU, NO QUAL SE PREVÊ O VALOR QUE PAGARÁ PELOS SERVIÇOS PRESTADOS, CONTRATO ESSE QUE, COMO TODO CONTRATO, É LAVRADO EM CARTÓRIO?! PORTANTO, BASTA OLHAR-SE O CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ENTRE A UTC(EMPRESA DE PESSOA)E DIRCEU E CONFIRMAR SE HÁ ALGUMA IRREGULARIDADE. SE OS VALORES REPASSADOS ESTÃO DE ACORDO COM OS SERVIÇOS FEITOS(CUJA COMPROVAÇÃO, AS CONTABILIDADES DA UTC E DE DIRCEU FACILMENTE POSSUEM. MORO E SEUS PROCURADORES MALUCOS JÁ OUVIRAM FALAR DE NOTA FISCAL!!!!!!!!!!!!!??????????). PESSOA MENTE E DIRCEU RECEBEU APENAS AQUILO QUE LHE ERA DEVIDO PELO TRABALHO FEITO. BASTA OLHAR-SE O CONTRATO(SOLICITÁ-LO ÀS PARTES OU TENTAR NO CARTÓRIO ONDE ESTÁ REGISTRADO)E ESSA PALHAÇADA, QUE VISA APENAS ATINGIR JOSÉ DIRCEU, O ETERNO INIMIGO DA DIREITA)SERÁ DESMANCHADA. SE NOSSA MÍDIA FOSSE SÉRIA, SEQUER FALARIA DISSO ANTES DE CHECAR O CONTRATO. É ALGO TÃO PRIMA´RIO, QUE QUALQUER ESTAGIÁRIO DE ADMINISTRAÇÃO SABERIA REALIZAR. Portanto, o que cabe agora não é nos preocuparmos apenas em rebater as “denúncias”, mas sim COMPREENDERMOS DE VEZ QUE ESSE DENUNCISMO SÓRDIDO NÃO IRÁ PARAR. O objetivo da mídia é inviabilizar Dilma, derrubando-a ou não, e impedir |Lula de concorrer em 2018. É ESSE ATAQUE QUE TEM QUE SER DESTRUÍDO. A conclusão principal que temos que ter é essa. Não adianta ficar na defensiva, tentando somente revidar cada mentira da mídia e de Moro, com nosso alcance limitado. Precisamos mais do que nunca partir para a ofensiva, que precisa ocorrer na rua, denunciando o golpe em curso, que visa o PT, Dilma, Lula, José Dirceu, Palocci e principalmente visa destruir este projeto progressista que vem mudando a cara do Brasil. Os ataques à Petrobrás já redundaram em ações concretas da direita para entregar o Pré-Sal. O canalha José Serra, eleito Senador pelo idiota povo paulista, elaborou um projeto de Lei que cumpre sua promessa de campanha à Chevron, destroi o regime de Partilha ao retirar da Petrobrás a obrigatoriedade de participação de 30% em todos os poços e sua condição de operadora única. É isso que temos que impedir nas ruas, denunciando a conexão entre esses agentes dos interesses da classe dominante e os estrangeiros; Serra, Globo, Folha, Moro, Estadão, procuradores patetas, agentes fascistas da PF, Veja, são todos agentes dos interesses que pretendem impedir o desenvolvimento soberano deste país e a construção de uma Sociedade mais justa e includente. É nisso que nosso poder de comunicação limitado deve ser usado, conseguindo mobilizar ao menos a parte organizada da Sociedade, de forma inicial, para ir às ruas. Lá os alienados acabarão nos escutando. Não vamos esperar que o homem comum, que vê o JN ou lê os sites conservadores da INTERNET, vá acessar a mídia progressista. Vamos usar mídia progressista para mobilizar a parte organizada e consciente da sociedade e irmos para as ruas denunciar o golpe contra Lula, Dilma, o PT, Dirceu, Vaccari, Edinho Silva, as forças progressistas, a Petrobrás, o Pré-Sal e todos os avanços progressistas que ocorreram neste país. Vamos denunciar a farsa e a parcialidade da Lava Jato, vamos mostrar que , apesar de haver vários partidos envolvidos, Moro até hoje só interrogou, e prendeu, o tesoureiro do PT; vamos mostrar que Moro sequer investigou Aécio, apesar dele ter sido citado nominalmente pro Yousseff(enquanto ataca Lula e Dilma que nunca foram mencionados). Vamos mostrar que Moro e sua corja de procuradores babacas não investigaram as obras do metrô de São Paulo, feitas pelas mesmas empresas investigadas na lava Jato, mas pretendem investigar as obras do setor elétrico, usando a desculpa de que essas empresas as realizaram. Vamos dizer que a Lava jato é conduzida por gente que declara na INTERNET seu ódio a Lula e Dilma. Que Moro tem a esposa como advogada do PSDB(assessora do vice-governador do Paraná). Ou seja, vamos ás ruas, como aconteceu na luta contra o PL 4330(que parou no Senado logo após as mobilizações populares), reiniciando as campanhas em defesa do Pré-Sal que aconteceram no começo do ano, acrescentando a elas, além da defesa do Pré-Sal e denúncia de seus inimigos, principalmente José Serra, a defesa do Governo Dilma do golpe de estado armado. Sei que o Cidadania pode fazer pouco, mas no que puder fazer, sugiro que tente contactar outros setores da mídia alternativa, sindicatos ou qualquer organização progressista para que esses atos saíam das intenções e aconteçam de fato. Márcio Pochmann lembrou recentemente que Juscelino, diante de um Congresso conservador(e complemento, também uma mídia hostil)conseguiu realizar os feitos de seu Governo graças ao apoio das ruas. Façamos o mesmo agora. Para começar, sugiro a você que finalmente providencia a audiência com o Presidente do CNJ. Está na hora de Moro sentir que não é inimputável. Vamos agir antes que as farsas se tornem ainda mais intensas. A direita só entende a linguagem da força

  2. Sei que o momento não é de rir, mas o vídeo abaixo mostra como se comporta a elite oposicionista. Vale a pena assistir e se divertir um pouco para quebrar a tensão;
    https://www.youtube.com/watch?v=x1u3TR0ZZiI

    • Sabe o que é mais atemorizante Dimas´? É que pessoas como você acreditam piamente no que este palhaço fala.

  3. Os indicadores econômicos, sociais e financeiros do Brasil são de dar inveja a qualquer país do mundo, mesmo diante de uma das piores crises do capitalismo, que perdura desde 2008. Só retardado não enxerga isso! Na verdade estão malucos para arrumar um factoide ou um gancho pra inviabilizar Dilma e Lula. Eles, e o PT, são os alvos! Bandidos, tentem o impeachment da Dilma e verão a força e a fúria do povo! Nossa justiça é seletiva, parcial, corrupta, elitista e golpista. A grande mídia, partícipe, mente, omite, manipula e fomenta o ódio! “Os coxinhas, massa de manobra, pira e conspira!” São imbecis! Respeitem a democracia e a vontade da maioria! Avante, Brasil, com Dilma, e Lula em 2018!

  4. essas figuras de rabo preso dando uma de santos, que nojo

    acervo
    pme
    jornal do carro
    paladar
    link
    radio eldorado
    radio estadão
    linkedin
    googleplus
    twitter
    facebook
    Classificados ANUNCIEASSINE O ESTADÃO
    Buscar
    Estadão
    POLÍTICA ECONOMIA INTERNACIONAL ESPORTES SÃO PAULO CULTURA MAIS SERVIÇOS OUÇA AS RÁDIOS
    BlogsFausto Macedo
    Assine o Estadão
    ÚLTIMAS BROADCAST POLÍTICO ELEIÇÕES ESTADÃO DADOS BLOGS COLUNAS

    
    Comentar
    1
    A+
    A-
    Linkedin
    0
    Facebook
    2.5k
    Google+
    37
    Twitter
    263
    Imprimir
    E-mail

    Delator da UTC relata pagamentos a filho do presidente do TCU
    REDAÇÃO
    26 Junho 2015 | 21:58
    Segundo Ricardo Pessoa, advogado Tiago Cedraz, filho do ministro Aroldo Cedraz, recebia R$ 50 mil mensais para repassar à empreiteira informações do Tribunal de Contas
    Por Fábio Fabrini, Fausto Macedo e Andreza Matais
    tiagocedraz
    O filho do presidente do TCU, Tiago Cedraz. Foto: Reprodução
    Filho do presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, o advogado Tiago Cedraz foi citado em depoimento de delação premiada do dono da UTC Participações, Ricardo Pessoa. Conforme o empresário, Tiago receberia pagamentos de R$ 50 mil mensais para repassar à empreiteira informações do tribunal que envolvessem seus interesses.
    Tiago também teria sido contratado pela UTC para atuar num caso sobre a Usina de Angra 3, que discutia licitação para obras de R$ 2 bilhões. Por esse caso, o escritório dele teria negociado pagamento de R$ 1 milhão. A empreiteira e outras empresas investigadas na Lava Jato integravam o Consórcio Una 3, interessado no contrato.
    A fase de pré-qualificação da licitação foi suspensa temporariamente pelo TCU, após representação de um dos concorrentes. A decisão foi do relator, ministro Raimundo Carreiro, atual corregedor e vice-presidente da corte. Em 2012, no julgamento de mérito, embora a área técnica do tribunal recomendasse que a pré-qualificação fosse anulada definitivamente por causa de irregularidades no edital, Carreiro votou pela continuidade.
    Essa medida interessava à UTC, já que seus concorrentes na licitação foram tirados do páreo. Carreiro foi acompanhado em seu voto pelos demais ministros presentes ao julgamento. Na ocasião, Aroldo Cedraz estava no plenário, mas alegou impedimento, como faz nos casos em que o escritório do filho atua.
    O nome de Tiago já foi citado na Operação Lava Jato pelo policial federal Jayme Alves de Oliveira Filho, informante do doleiro Alberto Youssef, um dos principais delatores do esquema de corrupção na Petrobrás. Oliveira afirmou em depoimento que levou “dinheiro do Youssef” algumas vezes no escritório do advogado, no Lago Sul, em Brasília.
    COM A PALAVRA, O ESCRITÓRIO CEDRAZ ADVOGADOS
    Em nota, o escritório Cedraz Advogados, de Tiago, informou que “nunca patrocinou nenhum caso do Grupo UTC perante o Tribunal de Contas da União” e que “processará o sr. Ricardo Pessoa, civil e criminalmente, pelas mentiras lançadas no bojo de uma delação premiada forjada para atenuar ilícitos confessados”.
    O escritório confirmou que trabalhou para o Consórcio Una 3, mas fora do TCU. A nota não traz mais detalhes sobre a atuação, alegando “confidencialidade cliente/advogado”.
    O escritório Cedraz Advogados informou também que “sempre pauta sua atuação pelo rigoroso cumprimento da legislação vigente, resultando inclusive na observância dos devidos impedimentos”, e que coloca-se à disposição das autoridades para fornecer as informações necessárias à correta compreensão dos fatos”.
    Veja a íntegra da nota divulgada:
    “O escritório Cedraz Advogados nunca patrocinou nenhum caso do Grupo UTC perante o Tribunal de Contas da União.
    Quanto ao Consórcio UNA 3, por força da confidencialidade cliente/advogado limita-se a esclarecer que no caso em que atuou o cliente não figurou como parte perante o TCU.
    O escritório Cedraz Advogados sempre pauta sua atuação pelo rigoroso cumprimento da legislação vigente, resultando inclusive na observância dos devidos impedimentos.
    O escritório colocou-se à disposição das autoridades para fornecer as informações necessárias para a correta compreensão dos fatos.
    O escritório processará o Sr. Ricardo Pessoa, civil e criminalmente, pelas mentiras lançadas no bojo de uma delação premiada forjada para atenuar ilícitos confessados.”
    COM A PALAVRA, O MINISTRO RAIMUNDO CARREIRO
    Em nota, o ministro Raimundo Carreiro informou que agiu “com todo o rigor técnico que o caso exigia, tendo recomendado correções, exigido acompanhamento por parte da unidade técnica do tribunal e inclusão do empreendimento no rol de obras constantes do planejamento de fiscalização de obras do TCU”.
    A decisão, segundo ele, foi aprovada “de forma unânime” pelos ministros presentes à sessão, que foi acompanhada pelo procurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal. “O ministro Aroldo Cedraz declarou-se impedido para votar a matéria”, acrescentou.

  5. Muito interessante.! Exatamente a mesma notícia!
    Não sou petista, mas não me conformo com manipulações e procuro a achar a verdade ( se é que existe).
    Parabéns pelo post.

  6. Edu
    O Blog poderia dar início viabilizar projetos de lei de iniciativa popular (recolhendo assinaturas) para barrar os delírios autoritários de Cunha?
    Como exemplo Maioridade Penal, Controle do Pré-Sal, etc.
    Seria mais desgastante para o congresso impedir este mecanismo.
    A propósito, eu quero contribuir com blog para custeio da ação contra Moro, mas não achei o caminho, favor indicar.

    • Que tal permitir que homicidas frios e implacáveis, de qualquer idade, sejam colocados ao alcance da lei?
      Projeto está perfeito, prevendo que crimes hediondos sejam penalizados, deixando os demais como esta,ou seja, menores podem continuar fazendo o que quiserem.
      Há alguma razão lógica para continuar “protegendo” algum homicida dessa espécie? Eu, e 87 % da populaçõ brasileira achamos que não.

  7. Já que o blogueiro pediu ajuda, vou tentar deixar uma versão possivelmente elucidativa. Trata-se do Efeito Sanfona, que consiste em encher e esvaziar o fole (o fôlego) dos meliantes para se defender do que a cada “sanfonada” vai se tornando cada vez mais indefensável diante da opinião pública, de uma forma em geral. É sabido e certo que “os políticos” de uma forma geral, sabem melhor do que o público o que se passa nas bases de sustentação que mantém “essas autoridades” no poder do país, que por sí, dependem do “voto” de confiança do povo, a cada eleição.
    .
    Quando perceberem que não ocuparão mais cadeiras no congresso devido à indignação do povo que costumeiramente os elege, vão fazer de conta que ficaram igualmente indignados (acabou o fôlego) com as bravatas que aprenderam a proferir, e terão que aprender outras formas de se eleger.
    .
    Dessa forma, não basta estar convicto nem saber o que acontece, mas também sofrer contínua e prolongada pressão popular para que algo de útil seja feito, e sobre esses aspecto, a mídia, à medida dos seus interesses, vai provocando os passos do efeito sanfona. Digo isso, um pouco porque o irreverente Ciro Gomes numa sincera entrevista, declarou que no Congresso, todo mundo sabe quem rouba de quem, só não se sabe “quanto”. Faz sentido !
    .
    Portanto, vamos ter que ouvir essa música da sanfona por algum tempo, até terminar “esse baile”, ou balet, ou concerto, ou simphonya, seja lá qual for o nome preferido pro Efeito Sanfona.

  8. Consultando o gráfico do “Às Claras”, o valor da doação ao PSDB é o de 8.722.566,00, como consta na reportagem. Mas, o valor da doação feita ao PT, no gráfico, consta em 13.452.271,00, e não em 7,5 milhões, como citado na reportagem. Posso estar equivocado, mas este é o valor que vejo no gráfico.

    Gostaria de um esclarecimento, por favor.

  9. Fica evidente que a notícia é requentada. Não há dúvida.

  10. Isso só mostra a blindagem aos outros partidos Edu!

    Querem tirar o PT só por tirar e não importa de qual maneira tirar!

    Sem mais!

  11. Hoje, até as pedras sabem que a imprensa brasileira é partidária… não compro, não leio, não uso jornais e revistas impressas dessa mídia venal, cínica e hipócrita nem para enrolar banana verde a fim de acelerar o amadurecimento.
    Alías a mídia brasileira é toda hipócrita e antinacional, as televisões são uma vergonha encabeçada pelo vergonhoso monopólio da globo sonegadora.

  12. Confere de novo, a UTC doou mais para o PT (R$ 13,4 milhões) que para o PSDB (R$ 8,7 milhões). Vc confundiu a doação para a campanha da Dilma (R$ 7,5 milhões) com a doação para o PSDB (R$ 8,7 milhões). Para a campanha do Aécio parece que foi R$ 4,5 milhões.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.