William Bonner promete “imparcialidade” logo após mentir para proteger PSDB

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Bonner capa

 

A edição do Jornal Nacional da última sexta-feira (23) começou tratando da crise hídrica em SP. Como sempre, tratou-se de uma reportagem absolutamente despolitizada que tentou dividir entre governo Federal e governo paulista a responsabilidade pela calamitosa situação do abastecimento de água no Estado mais rico do país.

Em seguida, outra reportagem tenta equiparar a situação paulista com a de Minas Gerais, que, apesar de estar sofrendo com falta de água em algumas cidades, não tem um desastre urbano em sua metrópole, Belo Horizonte, como tem a capital paulista, onde milhões ficam sem água quase todo dia.

A terceira reportagem sobre a seca no país tenta colocar também o Rio de Janeiro no mesmo barco paulista falando sobre redução no nível do maior reservatório fluminense. A reportagem sobre a seca no Rio, tal qual a da seca em SP, não explica ao expectador que não há termo de comparação com SP.

Mas é na quarta reportagem que a Globo vai mais longe. A matéria versa sobre notícia do jornal Valor econômico que diz que se o governo federal tivesse construído usinas previstas em 2006 não estaria havendo um problema de geração de energia elétrica que só se constata na mídia, já que o que vem sofrendo racionamento não é a energia, é a água.

A matéria do JN recorre a um dos famigerados “especialistas” da Globo para dizer “onde foi que o governo Dilma errou” e qual sua responsabilidade por uma situação energética que, ao menos até aqui, não causou nenhum transtorno à população, já que blecautes episódicos de poucos minutos ou horas acontecem em qualquer lugar do mundo por acidentes em linhas de transmissão.

Entram os comerciais. Eis que em um dos spots comemorativos aos 50 anos da Globo – fundada em 1965 com ajuda da ditadura militar para que esta tivesse uma grande tevê para ludibriar os brasileiros – mostra um William Bonner, com ares de satisfação, prometendo “imparcialidade” aos telespectadores.

Faltou a propaganda dizer quando a Globo começará a fornecer essa “imparcialidade” aos telespectadores.

Senão, vejamos: a mesma edição do JN que versou sobre suposta “responsabilidade” do governo federal em uma crise energética que, até aqui, simplesmente não existe, para ser imparcial não deveria versar, também, sobre as responsabilidades do governo Alckmin sobre o racionamento que já está sendo aplicado em São Paulo sem aviso oficial?

Como se sabe, em 2004 o governo paulista comprometeu-se com a Agência Nacional de Águas a construir um novo aquífero, já que os então existentes – incluso o Cantareira – já eram considerados insuficientes pelos técnicos. Por que o “imparcial” JN não deu essa informação ao seu público?

A resposta é simples: a tão alardeada “imparcialidade” da Globo – alardeada pela própria Globo, é claro – é idêntica ao volume de água do Cantareira: a cada dia fica menor. Para fazer um trocadilho infame, poder-se-ia dizer que a emissora já está usando o “volume morto” de sua imaginária “imparcialidade”.

Tags: , , , , , ,

111 Comentário

  1. Há anos que não vejo o JN . Imparcialidade não combina com a globo . Se outras emissoras ao invés de copiar a globo praticassem o bom jornalismo,as mentiras e manipulações ficariam mais claras . Lei de Médios já .

    • Concordo plenamente com vc. Não assisto os telejornais,-(que eu chamo de doses de alienação e pessimismo)- da famigerada globo, faz anos.Por diversas vezes enviei e-mails para a Rede Record falando que não sejam como papagaios reverberando as mentiras propaladas pela globo,veja e folha. Que sejam a diferença.Que ouçam as explicações do Governo Federal, quando “acusados” por essa corja.Que também ouçam as pessoas ligadas ao Governo quando forem “acusadas” por esses salafrários. Mas parece que também na Rede Record o tal “jornalismo verdade” não seja tão verdadeiro assim.

      • PORQUE A MÍDIA NÃO PODE DAR SUA OPINIÃO!

        Imparcialidade, neutralidade, isenção…NORMAS para os profissionais da notícia… Comentaristas não.

        Jornalistas são obrigados a se limitar apenas à notícia e serem imparciais sem tendenciosidade nenhuma, nem mesmo para o bem. Caso contrário vira debate. E a outra parte deverá estar presente para se defender. Ou acusar também. Mesmo que não tenha razão alguma.

        Não sei como os jornalistas conseguem. É o regulamento ético de sua profissão. Acho que devem ter alguma punição se tomar algum partido do que é correto e criticar o que é errado.

        Não podem e ponto. Nós podemos dar nossa opinião, criticar julgar os fatos de terceiros. E não podem se envolver emocionalmente com a notícia.

        a- Não podem criticar o arrocho fiscal sobre o povo para pagar o projeto de eternização no poder que custou mais de 50/Bi aos cofres públicos.
        b- Não pode criticar a corrupção no Petrolão que quebrou o país levando-o para o buraco em pouco tempo, de onde se levou anos para sair, e trouxe de quebra a volta da inflação..
        c- Não pode criticar o ” comunista” Lula agente do capitalismo e dos capitalistas nas suas empreitadas da corrupção, a levar o BNDES a financiar obras na África e países de 5a. quebrados da América do Sul.
        d- Sob ameaça de CPI pelo presidente da Câmara Eduardo Cunha, para contrariedade e desgosto da Dilma. Porque seria Sra. Dilma.
        e- Pedaladas Fiscais. Sob pena de impeachment- Faca no peito da Dilma para explicar pedaladas fiscais ( pagamento de encargos públicos com verbas de bancos públicos), para camuflar Defits e situação econômica precária.

        Nada disso um jornalista poderá comentar…como profissional…

        Já como eleitor e cidadão ( no estado democrático de direito), este tem o direito de exercer sua cidadania e direito de expressão e de opinião.

        Eu me limito a comentar notícias que leio e ouço da mídia todos os dias, desde revistas do pós guerra ( O Cruzeiro ), ditadura de Getúlio, morte de Getúlio ( Café Filho), Juscelino, Jânio, Jango, militares…Sarney, Collor, Itamar, FHC, Lula, Dilma…..

    • Concordo Valéria. Inclusive a suposta concorrente, a rede record, que poderia fazer a diferença de um jornalismo investigativo e isento, copia a mesma forma da globo. Lastimável. Ganharia minha admiração e talvez eu pudesse voltar a assistir jornais da rede aberta. Pena.

  2. A crise não é de enegia, e sim de água. No Rio de Janeiro apesar da seca, não está faltando água.
    Outra coisa que não explicaram foi o porque de as construções estarem paradas. Ela mesma disse que foi por problemas ambientais, isto é foi embargada pela oposição transvestidos de ambientalistas.

  3. Imparcial não existe. Existe ou insensível, omisso, alienado? Ou se acende uma vela a Deus ou ao diabo. Não dá para acender para os dois ao mesmo tempo.

    Cada um defende o time que joga e critica o do outro. Há quem critica quem rouba ou defende os ladrões. Os próprios corruptos criticam quem os combate. Vejam, criticam Sergio Moro, mas não critica o juiz que colocou os mensaleiros condenados por Joaquim Barbosa nas ruas.

    Não há ética, moral ou lei relativa como quer o PT. Uma lei que os proteja e outra para o resto. Uma lei ” dois pesos e duas medidas”.

    Não dá para ficar imparcial, em cima do muro como sempre ficou a oposição desde que Lula ganhou. Em cima do muro somente a oposição ( FHC, Aécio, Aliem, Serra…)

  4. Imparcialidade, neutralidade, isenção…somente para os profissionais da notícia…

    Jornalistas são obrigados a se limitar apenas à notícia e serem imparciais sem tendenciosidade nenhuma, nem mesmo para o bem. Caso contrário vira debate. E a outra parte deverá estar presente para se defender. Ou acusar também. Mesmo que não tenha razão alguma.

    Não sei como os jornalistas conseguem. É o regulamento ético de sua profissão. Acho que devem ter alguma punição se tomar algum partido do que é correto e criticar o que é errado.

    Não podem e ponto. Nós podemos dar nossa opinião, criticar julgar os fatos de terceiros. E não podem se envolver emocionalmente com a notícia.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.