JN amordaça oposição a Alckmin ao noticiar crise hídrica em SP

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

oposição capa

 

Quando o Jornal Nacional noticia alguma suposta deficiência do governo federal, certas figurinhas carimbadas da oposição a esse governo têm espaço garantido para criticá-lo. Álvaro Dias (PSDB-PR) ou Agripino Maia (DEM-RN) já se tornaram figuras familiares para boa parte dos brasileiros devido à grande exposição que têm naquele telejornal cotidianamente.

O assunto pode ser o escândalo na Petrobrás, a suposta crise de energia elétrica no país, o baixo crescimento da economia, a inflação, seja lá o que for que o JN – e congêneres – noticiar sobre problemas de responsabilidade do governo federal, lá estará algum oposicionista – de preferência, os dois supracitados – para acusar Dilma, hoje, assim como fazia com Lula, ontem.

Nesta terça-feira 27, porém, a matéria do Jornal Nacional sobre a crise hídrica em SP mais do que justificaria que a oposição ao governo do Estado fosse chamada a opinar sobre o assunto, assim como a oposição a Dilma é chamada a comentar problemas que dizem respeito ao governo dela, como os citados no parágrafo anterior. Porém, como de costume, não rolou.

O vídeo abaixo mostra a gravidade do que foi anunciado pelo governo paulista em relação ao racionamento de água que deve começar a viger em São Paulo em mais algumas semanas. Poucos suspeitaram de que o problema fosse tão grave. Os paulistanos terão água na torneira apenas 2 dias por semana.

Já se tornou ocioso repetir que responsabilidade o governo Geraldo Alckmin tem sobre o problema. Além da imensa responsabilidade do PSDB por governar SP desde 1995 (VINTE ANOS ATRÁS) com o mesmo Alckmin e com José Serra, o atual governador agravou sua responsabilidade ao esperar passar o período eleitoral e as festas de fim de ano para tomar medidas mais drásticas para poupar água.

Alguns dirão que Dilma também não tomou as medidas econômicas que está tomando agora e que são impopulares. Pode-se discutir essa questão. Durante o processo eleitoral, porém, tanto o programa de governo de Dilma quanto seus principais expoentes disseram várias vezes que seria necessário desmontar a política anticíclica que ao longo dos últimos 5 anos impediu que o país sentisse o auge da crise econômica internacional.

Em 2 de outubro de 2014, por exemplo, a três semanas da eleição presidencial em segundo turno, em entrevista ao portal G1, da Globo, o então ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse, com todas as letras, que seria preciso “(…) desmontar a política anticíclica, de expansão de gastos públicos para combater a desaceleração da economia (…)”.

Quem não prestou atenção na campanha de Dilma, paciência. Quem se informou direito sabia que as medidas de austeridade tomadas recentemente viriam, ainda que não tenham sido detalhadas na época, mas que eram imagináveis.

Seja como for, verdadeira ou não, a suposta contradição entre o que Dilma disse na campanha e o que fez após se reeleger foi apontada no Jornal Nacional, entre outros, por membros da oposição. Por que o mesmo Jornal Nacional não chama a oposição a Alckmin para comentar medidas como as que o governo dele acaba de noticiar, em relação à crise hídrica?

Então ficamos assim: o governo Alckmin adiou medidas urgentes por conta das eleições e, com isso, aumentou a dramaticidade do racionamento de água recém-anunciado pelo governo paulista. Os cinco dias sem água por semana poderiam ser três, talvez dois se, em meados do ano passado, o governo paulista tivesse feito o que era preciso.

Aliás, à oposição ao governo paulista caberia, também, dizer na Globo que a crise hídrica em SP é uma crise anunciada há mais de uma década, como mostram matérias da imprensa, à época.

O mais grave em tudo isso é que o amordaçamento da oposição a governos tucanos é regra na Globo. Só fala a oposição a governos petistas, sobretudo ao governo Dilma.

Nesse aspecto, em meados do ano passado o deputado estadual pelo PT de São Paulo Antonio Mentor deu entrevista a este Blog em que relatou a dificuldade da oposição ao governo Alckmin de se fazer ouvir pela mídia, sobretudo pela Globo, por falta de interesse desses veículos no que acontece em SP e, mais do que isso, no que tem a dizer essa oposição.

mentor

 

Dessa forma, como foi possível ver no vídeo acima, o Jornal Nacional – e congêneres – deixa em branco o espaço para que o seu telespectador questione os governantes, já que, sem a crítica que o telejornal permite à oposição ao governo Dilma fazer, o governo tucano de SP acaba blindado.

Contudo, uma coisa é certa: se os paulistas não aprendemos pelo amor quem é que controla a distribuição de água em São Paulo – e, por isso, mais da metade de nós pensa que a responsabilidade é do governo federal –, aprenderemos pela dor durante o longo e penoso racionamento de água que temos pela frente. Cedo ou tarde, os paulistas vão se revoltar.

Tags: , , ,

140 Comentário

  1. Essa é a imparcialidade da impren$$$a tucana! Ley de Medios neles!!!

  2. Só quero ver o típico paulista, aquele bestalhão que se julga descendentes direto do Partido Republicano dos EUA, se revoltando contra o PSDB!!!!!!!!!!!!!!!!!! Afinal, seria uma das coisas mais surreais a ser vista, dado o histórico reacionarismo de vocês, além do que seria excelente para o Brasil, devido ao contingente populacional que representam, ver vocês deixando o antipetismo imbecil que os caracteriza, caindo na real e enxergando quem é o PSDB, o modelo econômico que ele defende, e a mídia que o protege, já que, por mais que sejam burros, se acordarem sobre os verdadeiros culpados pelo caos que vocês vivem, a corja do PSDB, acordarão para todo o resto. Infelizmente continuo sem acreditar e acho que vocês vão continuar chafurdando na lama(metafórica e literalmente, já que atualmente consomem o “volume morto” do Cantareira, eufemismo para água misturada com lama)e elegendo Geraldo Alckmin et caterva, com direito a endeusamento à Globo. Só lamento pela minoria entre vocês que pensa e acabará sofrendo pela burrice cavalar dos que elegem o PSDB há vinte anos. Quanto à Globo, nada de novo, lembrando sempre que este blog deve focar nela quando pretendemos desmoralizar as mentiras midiáticas. Afinal, ela é de fato o grande “pilar” da ditadura midiática. Podemos dizer que as comunicações no Brasil são um monopólio, afinal dentro do oligopólio de treze famílias que controlam as comunicações no país, os Marinho, dono da Globo, detêm 50% da audiência só com a TV Aberta, número que chega a 75% se juntarmos os outros meios; site, jornal e rádios; e infelizmente o Jornal nacional, embora em franca decadência como o restante da audiência global, ainda é o meio de informação da maior parte dos brasileiros; já que a INTERNET é usada por cerca de metade da população e, mesmo dentre os usuários da web, a maioria acessa a rede apenas para bobagens, usando as merdas do JN como fonte de desinformação. Por isso, escancarar as manipulações globais é a forma mais clara de mostrar à população a manipulação da ditadura midiática e a censura à divergência que ela impõe. Nessa questão da água,a Globo tenta também criar um sofisma. Divulga dados referentes à diminuição de água em outros reservatórios do país, diminuição perfeitamente aceitável e na maioria dos casos em redes que têm capacidade suficiente para atender a demanda existente, tentando compará-la ao problema terrível de São Paulo, juntando tudo numa subliminar ideia de “falta de água” no país, uma praga climática inexistente, já que a única praga real são as mentiras da Globo e o neoliberalismo do PSDB. Recentemente a Globo mostrou reservatórios do Nordeste, que teriam atingido 17% do volume de água. Além desse percentual ser mais do que o triplo de água que existe em São Paulo, os Marinho “esqueceram-se” de dizer que na maioria dos estados do Nordeste a rede de captação e distribuição de água foi ampliada, tanto aquela que atende as capitais, como as relacionadas ao interior. Ou seja, estamos falando do triplo de água armazenada em reservatórios que fazem parte de redes aumentadas conforme o crescimento das malhas urbanas que abastecem, reservatórios que hoje têm novos represas para ajudá-los a abastecerem as cidades de cuja rede de água fazem parte. Exatamente o contrário de São Paulo, onde a uma rede rede que está com menos de 5% de sua capacidade, somamos a gravidade de não haver investimento em expansão da rede de armazenamento e distribuição há várias décadas, estando o Sistema de água atual abastecendo uma cidade muito maior do que aquela para a qual ele foi preparado para suprir. E tudo isso devendo-se à canalhice do modelo neoliberal do PSDB, o mesmo que Aécio Neves e Marina Silva pretendiam implantar no Brasil, que preferiu acumular os lucros da SABESP para remunerar os acionistas da empresa na Bolsa de Nova Iorque, ao invés de investí-los no aumento da rede de de armazenamento e distribuição. Ou seja, ao invés de aumentar os reservatórios e a rede de distribuição de água, o PSDB(Geraldo Alckmin e José Serra)usou o dinheiro da SABESP para pagar dividendos aos acionistas da empresa na Bolsa de Nova Iorque, a maioria deles estadunidenses que nem sequer sabem apontar São Paulo no mapa. Vocês merecem votar no PSDB e assistir à Globo.

    • Parabéns pelo belo texto que tão bem descreveu o povinho e (des)governo de São Paulo assim como a grande lobotomizadora Globo, se um dia São paulo vier a se separar do resto do Brasil teremos por aqui um regime monárquico e veremos a elite paulistana toda imunda curvando-se defronte ao rei Alckmin.

    • Luciano,
      Aplausos para o seu comentário, magnífico. Esses paulistas são mulas quadradas do PSDB e têm que sofrer mesmo, tem que sentir na pele. Eles acham que os políticos do PSDB são os “heróis da pátria”. Bando de babacas….infelizmente aqui na Baixada Santista tem crescido o número de eleitores do PSDB, influenciados pela maioria existente no estado e pela Globo, claro.

  3. FORA DE PAUTA, URGENTE, URGENTÍSSIMO!

    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2015/01/28/lava-jato-moro-e-a-globo-ja-quebraram-o-brasil/

    Publicado em 28/01/2015
    Lava Jato: Moro e a Globo
    já quebraram o Brasil

    O sistema financeiro corre tantos riscos quanto as empresas de infra-estrutura

    A reação da Bolsa ao balanço da Petrobras – que demonstrou ser impossível avaliar os prejuízos causados pela Lava Jato – foi o Terceiro Turno.

    O PiG celebrou como se o Aécio Never, ao olhar para a telinha, na companhia do Luciano Huck, e o Ataulfo Merval, ao se defrontar com a noticia da vitória da Dilma, na GloboNews, na verdade tivessem vencido a eleição.

    Nessa quarta-feira (28/1), a Casa Grande consumou um Golpe Paraguaio: perdeu a eleição, mas ganhou ganhando com a Globo e a Justiça do Dr Moro !

    De fato, amigo navegante, a comemoração é justa.

    A Casa Grande ganhou.

    Conseguiu impedir que a Dilma governe.

    O Brasil quebrou.

    Desde o inicio da Lava Jato são mais de 80 mil demitidos diretos.

    Por enquanto.

    Multiplicados por três, entre empregos diretos e indiretos, já se perderam 320 mil empregos (80 mil + 240 mil, à base de três indiretos por um direto).

    O estaleiro Engevix, do Polo Naval de Rio Grande (RS) demitiu mais de três mil.

    Lideres sindicais gaúchos temem que outras duas mil demissões venham a ocorrer, breve.

    O estaleiro Enseado do Paraguaçu, sociedade da Odebrecht, OAS e UTC, em Maragogipe, no Reconcavo baiano, demitiu 2.500 de novembro até hoje.

    Nas cidades de Rio Grande (RS), Itaboraí (RJ) e Maragogipe (BA) lojas comerciais fecham e aumentou a criminalidade, com o desemprego.

    Maragogipe, na verdade, parece uma cidade-fantasma.

    A OAS já colocou ativos à venda e de demitiu executivos com 25 anos, 30 anos de casa, para voltar ao tamanho que tinha nos anos 70.

    As demissões na refinaria Abreu e Lima (PE) passariam de 10 mil, num quadro que já exige um programa especial de emergência das prefeituras da região metropolitana de Recife.

    O Comperj (Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro), em Itaboraí, está, na prática, parado.

    E dentro de seis meses pode encerrar as atividades sem ter entrado em funcionamento.

    O Comperj tinha 6 mil trabalhadores em sua planta industrial.

    Hoje, não chega a ter 1 mil.

    As empresas investigadas pela Lava Jato têm mais de R$ 5 bilhões a receber da Petrobras – já vencidos e não pagos.

    As empresas credoras são obrigadas a atrasar os pagamentos a seus fornecedores.

    Numa sucessão de atrasos e inadimplência em toda a cadeia de produção.

    Os bancos particulares e oficiais que sempre financiaram os fornecedores de serviços à Petrobras não querem mais emprestar às construtoras citadas na Lava Jato.

    A divida dessas empresas com bancos como Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Santander e HSBC passa dos R$ 100 bilhões.

    A Odebrecht deve mais de R$ 70 bilhões.

    A OAS deve R$ 8 bilhões.

    As outras empreiteiras da Lava Jato, juntas, devem outros R$ 30 bilhões.

    O que coloca em risco, também, a higidez do sistema financeiro brasileiro.

    Navalha

    O que mais o Dr Moro quer ?

    Receber o Prêmio do Globo, pelas mãos de um dos filhos do Roberto Marinho !

    É ou não é um Golpe Paraguaio ?

    Paulo Henrique Amorim

  4. PARA UM MUNDO MELHOR QUE PODEMOS FAZER
    Lamentavelmente a quase totalidade das pessoas leem apenas as manchetes, não têm tempo, ou interesse, em aprofundar a leitura para, muitas vezes e, com espanto, perceber que o corpo da manchete (seu texto), contradiz totalmente o que a manchete busca fazer acreditar.
    Não percebem quando o interesse é provocar sensação de mal estar contra alguns, mesmo que estes estejam fazendo algo bom, mas, contraria os interesses desta corporação e/ou de seus anunciantes.
    Não observam quando tentam proteger outros, mesmo quando suas atitudes provocaram ou provocarão algo de dimensões catastróficas. Para isso buscam outros fatores para justificar os problemas encontrados, tentando desviar o foco do fator que provocou tal problema.
    Se um partido é, ideologicamente, alinhado aos interesses da empresa,
    protege-se. A má administração dos recursos públicos, corrupção, incompetência, ou qualquer outro problema que se lhe apresente, alega-se que foi provocado pela crise na Conchinchina, ou outro lugar qualquer, pelo clima que gerou prejuízos, seja seca ou enchente, mesmo que este fator não seja o principal, e, sob qualquer hipótese, teria “contribuído” com mais de dez por cento com o tamanho do problema.
    No caso do TRENSALÂO de SP, onde sucessivos governos do ESTADO DE SÃO PAULO, administrados pelo PSDB, partido da grande mídia brasileira, tem feito fraude na contratação de empresas para o metrô da capital, cobrando propina alta a estas empresas, o que temos a dizer?.
    Se o interesse de uma empresa de comunicação qualquer, é proteger os bandidos corruptos deste partido, basta ignorar a notícia e não divulgá-la, e, quando não tiver jeito, e tiver que registrar o fato, fazê-lo invertendo a lógica da coisa e noticiar com menor destaque (menos tempo de exposição do fato).
    Por exemplo, ao invés de informar o que aconteceu de forma direta, ESCÂNDALO DE CORRUPÇÃO DO PSDB NO METRÔ DE SÃO PAULO, podemos dizer, propinas no cartel do metrô de SP, talvez nem precise dizer que isto aconteceu em sucessivos governos do PSDB, e, talvez, nem seja preciso citar o partido querido.
    Quando se quer tirar um grupo político, ou partido, que não nos interessa que esteja à frente nem de um condomínio, e busca-se destruí-lo, mostra-se o quanto imparciais são: MENSALÃO DO PT (é do PT, claro) MENSALÃO DE MINAS (do PSDB, claro, mas a gente pode fazer entender que seja do povo de Minas ou do Estado, dá no mesmo, já desviamos o foco).
    Procurar saber quais os interesses que movem uma corporação de mídia qualquer, é algo obrigatório, se queremos ser cidadãos bem informados, e não queremos ser manipulados, e induzidos, por estes interesses, pois eles, na esmagadora maioria das vezes, irão nos fazer trilhar um caminho contrário ao que queremos para o nosso país, para a nossa religião, para o nosso planeta, ou para a humanidade.
    Diversificar as fontes onde buscamos as informações, observando os diversos matizes em que elas são apresentadas e buscando nossa própria opinião acerca do assunto, é uma exigência para todos nós.
    Somente quando analisamos a notícia com a criticidade que ela merece, e que precisamos exigir de nós mesmos, somente quando busquemos entender o que realmente está acontecendo à nossa volta, para além daquilo que nos é dito, é que estaremos protegidos daqueles interesses que não são exatamente os nossos, mas que pretendem que tenhamos atitudes para proteger os interesses deles próprios e nos posicionemos contra aquilo pelo qual deveríamos lutar.
    Precisamos, antes de tudo, decidir se seremos aquela pessoa que irá repetir, divulgar, aleatoriamente, as manchetes que vemos por aí, ou iremos respeitar nossa inteligência, nossa cidadania e Nosso Pai, nos aprofundando nas “notícias e reportagens” buscando superar este clima de BA-VI, de FLA-FLU, GRE-NAL, e nos posicionar ao lado dos oprimidos e das pessoas que necessitam de nós, ou iremos defender o opressor, como dizia, aliás, MALCOLM X: “Se você não for cuidadoso a imprensa fará você odiar os oprimidos e amar os opressores”.
    Na vida, queiramos ou não, é preciso nos posicionar. Antes de escolher uma notícia, ou texto, em que acreditar, antes de escolher UMA PESSOA em quem confiar, precisamos escolher um lado.
    Se, do contrário, não o fizermos, podemos deixar de ser apenas uma pessoa equivocada, para nos transformarmos em pessoas de má fé, acostumadas a cometer equívocos e dar de ombros, como se nada que afete aos outros nos dissesse respeito.
    Joseph Pulitzer, um dos maiores jornalistas já conhecidos, e que dá nome ao maior prêmio de jornalismo que se conhece hoje, Prêmio Pulitzer, dizia: “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta, formará um público tão vil como ela mesma.”
    Fábio Murilo Gil Brito.
    Itarantim-BA, 25/01/2015

  5. Edu…eu só quero entender uma coisa…porque a ANA nunca multou a Sabesp? Desde 2002 ,a Agência ,sabia de tudo…qual foi a desculpa da ANA?Afinal pra que serve as Agências reguladoras?

  6. Caro Edú, para todos os assuntos manipulados pela mirdia tucana, o esquema é quase sempre o mesmo, com grande colaboração da Dilma e PT. Voce que tem acesso a algumas figuras importantes no Governo, poderia repassar ou mesmo debater o comentário que guardei sobre a divulgação do resultado da Petrobrás:

    “estimativas feitas na imprensa”

    “Aqui está o Problema. As presidencias da República e da Petrobras correm atrás e passam recibo a cada denúncia do PIG. Permitem que o PIG paralise o Brasil a exemplo do que foi feito no mensalão/mentirão. Permitem pior, que muitos trabalhadores percam seus empregos, que a economia deprima, que empresas com grande conhecimento corram o risco de acabar etc. Enquanto o governo for pautado por essa imprensa pré falimentar, partidária e manipuladora, estamos perdidos. O povo brasileiro e seus ativos desvalorizarão. Os avanços sociais dos últimos anos virarão pó.

    Penso que o governo deve governar, os partidários do governo (base aliada) devem defender o governo, a oposição deve denunciar, e o povo merece ser bem informado, não manipulado. Afinal quem demitiu os ladrões da Petrobras?

    O que não pode é o governo entregar o seu poder pelo povo ourtorgado, para um obscuro juiz e para o plimplim.

    Presidenta, a saida é política. Tem que falar com o Povo e denunciar a tentativa de golpe, tem que pegar as rédeas. (Ao mesmo tempo tem que ter um mínimo de inteligência e secar a fonte do PIG.)”

    Finalizando Edú, lembra quando o Pig lançou a isca e a Dilma mordeu, resolvendo comentar que so havia aprovado a compra de Pasadena, porque Nestor Ceveró não havia apresentado determinado Anexo, ao Conselho ou Diretoria que ela fazia parte? Era tudo o que eles queriam e ela, que parece que não aprende nunca, “caiu como uma patinha” A Graça Foster costuma reagir da mesma forma. É muita falta de malícia e desconhecimento de como funciona a Política.

    Abraços Edú

  7. Todo o problema começa a partir do momento em que governantes que não se preocupam com as camadas mais baixas de seu povo passam a usar as empresas que foram criadas com o dinheiro deste povo e para este mesmo povo com intuitos nada republicanos.

    E nem precisa procurar por corrupção pra se saber que alguém aí tá levando uma bolada disfarçada de dividendos.

    Ontem o Nassif, na TV Brasil (é, TV Brasil, ela existe e muitos aqui não a vêem e depois reclamam da falta de contraponto á midia bandida…) desmontou a cretinice do mercado financeiro em cima das ações da Petrobras.
    Segundo ele,a queda de ontem, que ’empurrou pra baixo’ o fechamento do Ibovespa, é uma estratégia pra que, na hora de distribuir dividendos, o bolo fique maior. Querem alterar o valor da empresa, para que o percentual destinado á renovação da mesma baixe, e com isso a ‘sobremesa’ dos dividendos aumente.

    http://tvbrasil.ebc.com.br/reporterbrasil/bloco/petrobras-puxa-queda-e-bovespa-fecha-em-baixa-de-185

    Remunerar o capital é parte do jogo, mas com essa vigarice escancarada, a última coisa que vai resolver o problema é xingar o comentário do Pierri de ‘textinho mais bobo’…

  8. Enquanto o governo não melhorar a comunicação a história será sempre a mesma, todos os mal feitos do PSDB serão da responsabilidade do PT. Faltou energia em minha rua ,por conta de um problema em um dos transformadores . Pela manhã o vigia me abordou e perguntou : A senhora viu o apagão de ontem ? perguntei se foi em toda a cidade e ele me respondeu que não , que na esquina havia luz . Para a população o que fica é a informação da globo.

  9. Ridículo. JN é um nojo.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.