Entrevista de Rossetto a blogueiros valeu pelo que ele não disse

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

rosseto capa

 

A entrevista que o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Miguel Rosseto, concedeu a blogueiros na última quinta-feira (29/01) deveria ser comemorada por todo aquele que vem reclamando do silêncio do governo diante de uma onda de ataques que vem sofrendo que congrega esquerda e direita, incluindo parcela significativa do PT.

Na primeira reunião da presidente Dilma Rousseff com o novo ministério, na semana que finda, ela quebrou o silêncio de algumas semanas – derivado da intensa agenda de trabalho gerada pela reorganização do governo, que formar esse novo ministério demandou – e deixou ver que o silêncio desse início de ano foi meramente estratégico e episódico.

Agora, o convite de Rossetto a blogueiros sinaliza a estratégia política do segundo mandato de Dilma. Aliado ao chamamento da presidente para que seus ministros “travem a batalha da comunicação”, o convite denota entendimento dela de que, sem priorizar essa comunicação, eventuais bons resultados de seu governo poderão ser anulados e até revertidos.

Infelizmente, alguns que possam ter esperado demais da entrevista de Rossetto a blogueiros, acabaram se decepcionando. A repercussão da entrevista nas redes sociais não chegou a ser negativa, mas tampouco foi positiva devido à expectativa de que o ministro mais próximo da presidente da República desse esclarecimentos que sua posição não lhe permite.

Confira, abaixo, algumas opiniões sobre a entrevista que se viu nas redes sociais.

rosseto 1

A amostragem acima resume a forma como as respostas do ministro aos blogueiros foram recebidas. Até porque, o tom das perguntas foi de cobrança mesmo, inclusive por parte deste que escreve.

Este blogueiro tinha a obrigação de apresentar ao ministro os questionamentos que têm sido feitos não só à comunicação do governo, mas, também, à formação do novo ministério e às medidas da área econômica que, segundo a mídia tucana, a oposição e até setores do PT e dos movimentos sociais ligados ao partido têm feito em uníssono, como as mudanças no seguro-desemprego.

Além disso, questionei o tão alardeado desmonte de políticas anticíclicas que surgiram ao fim do governo Lula devido à crise econômica internacional, e que permearam os quatro primeiros anos do governo Dilma.

Para quem não sabe o que são políticas anticíclicas, para simplificar explico que são medidas destinadas a estimular a economia através de gasto público. Por exemplo, os juros subsidiados pelo BNDES, a grande oferta de crédito pelos bancos públicos, os programas de infraestrutura do PAC etc.

O ministro Rossetto, até pelo cargo que ocupa, não poderia avançar tanto no debate quanto seria esperável porque o que ele diz é imediatamente identificado com o que pensa a presidente, de modo que suas respostas foram mais protocolares do que se esperava – ainda que esperar mais não fosse correto.

Obviamente que ele negou desmonte das políticas anticíclicas que, aliás, chegou a ser anunciado pelo então ministro da Fazenda Guido Mantega durante a campanha eleitoral do ano passado. Além disso, Rossetto negou supressão de direitos trabalhistas e adoção de políticas neoliberais pelo segundo governo Dilma.

Apesar disso, as medidas de austeridade estão sendo tomadas. Os cortes no orçamento estão ocorrendo, os juros estão subindo.

A situação que leva o governo a adotar tais medidas não é tão difícil de entender. E, para entender, temos que analisar dados recentes da economia brasileira divulgados ao longo da semana que finda.

A inadimplência segue baixíssima no país, ao redor de 3%; o desemprego despencou em 2014, em relação a 2013, ficando em 4,8%; o salário médio do trabalhador continua subindo sem parar, atingindo, em 2014, mais de 2,1 mil reais. O crescimento da massa salarial em 2014 foi de quase 3% em relação a 2013.

Ora, são dados positivos, pois não? Mais ou menos. Para que a situação dos brasileiros continue melhorando de forma tão impressionante, a economia precisa crescer. Como pode o salário médio ter uma valorização de 3% se a economia não deve crescer nem 0,5% neste ano? Como podemos continuar gerando tantos empregos se as empresas não estão tendo crescimento de faturamento?

O que acontece é que ao longo da crise econômica internacional os cofres públicos vêm financiando a boa situação do emprego e do salário, preservando os brasileiros da crise. Porém, tudo tem um limite.

Para que o leitor entenda o que está acontecendo, usemos uma metáfora. O seu salário está estagnado. Há sete anos você não recebe aumento. Porém, como tudo sobe – até porque, há inflação –, a cada ano você gasta mais para pagar suas contas. Chega um momento em que você começa a ter que tirar dinheiro da poupança para complementar o seu salário.

É isso que o Brasil tem feito. Tem descapitalizado os cofres públicos para impedir queda no padrão de vida da população.

O Brasil não precisaria estar nessa situação. Se não fosse a política, já poderíamos estar crescendo e financiando de forma mais sadia a manutenção da progressiva melhora de vida que os brasileiros vêm experimentando. Porém, o país vem sendo sabotado pelos mesmos que reclamam do governo.

A partir de meados de 2013, o Brasil foi tomado por uma convulsão social. As (mal)ditas “jornadas de junho” assustaram o capital, os investidores, que paralisaram projetos diante da incerteza política. Os escândalos de corrupção e o terrorismo o econômico aprofundaram essa afasia investidora dos grandes capitalistas.

Sem investimento, não há crescimento. E a necessidade política de financiar o bem-estar da população, a despeito da anemia econômica, ajudou a desestimular os investidores.

A indicação de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda constituiu-se em uma senha aos investidores, no sentido de que o Brasil irá diminuir o uso da “poupança” ou do “cheque especial” para impedir que a população sinta a crise.

As centrais sindicais, os movimentos sociais e até setores do próprio partido do governo esperneiam com certa razão . Se formos olhar o quadro única e exclusivamente pela ótica do trabalhador, os cortes de gastos irão impedir que sua situação continue melhorando de forma tão veloz quanto indicaram os números recentes sobre emprego e salário.

A retomada do investimento, porém, não depende apenas da política econômica. Na semana que chega ao fim, um colunista do jornal Folha de São Paulo comparou a presidente Dilma à Geni da célebre canção do compositor e cantor Chico Buarque.

Joga pedra na Geni!

Joga pedra na Geni!

Ela é feita pra apanhar!

Ela é boa de cuspir!

Falar mal de Dilma Rousseff virou “cool”, coisa dos moderninhos, descolados. Até petistas aderiram. Enxovalhar a presidente virou uma espécie de “senha social”. Quem não malha é tido e havido como “adesista”, “governista”, “chapa-branca” etc.

Este blogueiro, nos últimos dias, chegou a ser chamado de “blogueiro governista” por ninguém mais, ninguém menos do que militantes do PT. É impressionante o linchamento que Dilma vem sofrendo.

Com essa situação política o investidor tem dúvidas sobre as condições do governo de implementar suas políticas de austeridade e investidor com dúvidas significa investidor que não investe, e sem investimento o país vai quebrar se continuar financiando melhora de salário e aumento do emprego.

Se a gritaria anti-Dilma ficar restrita à mídia oposicionista e à oposição, não é tão ruim. Há cerca de 12 anos que esse grupo político ataca de forma sistemática. É esperável. Mas quando supostos aliados do governo e até o partido da presidente atacam, a fraqueza desse governo torna proibitivo o investimento – há dúvida até sobre se Dilma conseguiria terminar seu mandato.

O fuzilamento público de Dilma, pois, é ruim para o país. Não estamos falando de críticas ponderadas, estamos falando do linchamento pessoal que ela vem sofrendo.

Nesse aspecto, a iniciativa do governo de entabular diálogo com setores que vêm se indispondo consigo revela que Dilma entende que precisa conseguir boa vontade onde é possível – não entre a oposição, não entre a grande mídia, mas entre a esquerda, entre os movimentos sociais etc.

Rossetto convidou um grupo plural de blogueiros. Entre os que estiveram consigo na última quinta-feira, alguns representam setores mais tolerantes e outros mais radicais da esquerda. Quem assistiu à entrevista, viu blogueiros que costumam ser chamados de “chapa-branca” criticando duramente as últimas medidas de austeridade.

A recente aproximação do governo com setores da esquerda que estão coonestando as críticas da direita busca fazer esses setores entenderem que aumentar o tom da gritaria anti-Dilma prejudica o país e não muda uma realidade: há que reativar os investimentos ou, do contrário, além de quebrar, o Brasil terá outro governo, que adotará medidas exponencialmente mais duras.

Rosseto não poderia fazer milagres em sua entrevista além de garantir que o governo fará tudo para que os ajustes sejam os menos duros que for possível. E, ao buscar o diálogo e admitir que algumas das medidas de austeridade poderão ser rediscutidas com a esquerda, abriu a porta para um entendimento de que o Brasil precisa desesperadamente.

Tags: ,

130 Comentário

  1. Tem gente que acha cool seguir a linha da mídia e oposição. Se a midia bate, também vou bater. Assim mostro que sou bom em política.

  2. Ótima análise Edu! Parabéns e obrigado!

  3. Meu Caro, onde está a falha?
    quais os compromissos assumidos em campanha?
    Era demais chamar os movimentos sociais que a elegeram para debaterem antes de publicar as medidas?
    quem elegeu Dilma?
    Vale a pena ser militante filiado do PT , vendo seu governo indo de encontro sua central sindical?
    Princípios ,meu caro que quem não é petista raiz não entende. falra de compromisso.
    depois temos que correr para salvá-la que nem outubro.
    Ou os compas da CUT estão loucos, são do PSDB?
    É ISSO

    • Ninguém correu para salvar Dilma, todos correram para se salvar de uma ditadura tucana. Salvar Dilma é piada. Eu não sou petista. Nunca fui e nunca serei. Nem de rsiz nrm de jeito nenhum. Dou um brasileiro tentando ajudar a salvar o país dos fascistas do PSDB e da mídia

      • É isso aí Edu……perfeita a sua colocação. Há diferenças entre ser petista e não ser petista, mas entender quem é que pode fazer o melhor para o Brasil, que é atacado diretamente pela mídia comprada e pela oposição subserviente….Tenho a mesma visão que vc…Temos que defender o país da mídia e da oposição, que representam outros interesses, que não são brasileiros. Abs e força nessa jornada.

      • Caríssimo Eduardo, Parabéns pela sua posição! Muito importante ter disponibilizado a entrevista com M. Rossetto! Não vi isso nos outros blogs que acompanho e acho lamentável. Tenho dito que vocês blogueiros e ativistas políticos, nós ativistas, precisamos ser mais pró-ativos, criticando construtivamente, mas nunca fazendo o jogo da direita. Também não admito o retrocesso do PSDB “fascista” e o que é pior “privatista” entreguista do patrimônio p’lico> Senti falta do tema Petrobrás ( preservação, fortalecimento). Considero a equipe ministerial de altíssima competência! e estou certo de que se nós continuarmos combatendo a direita e a mídia golpista esse governo vai dar certo sim! Bravo, portanto pelo seu trabalho!

    • Se para cada medida do governo fosse preciso chamar os movimentos sociais, desde o PISOL ao MPL, passando pelo MST, durariam seculos os debates para se chegar a um concesso (se chegasse) e o governo não tomaria nenhuma medida.
      Não acho que Dilma traiu suas promessas de campanha. O reajuste do salario minimo permanece acompanhando o indice inflacionario e nenhum programa social foi extinto, nem o Bolsa familia. As empresas estatais não foram privatizadas E a Petrobrás ainda é brasileira, defendida pelo governo, não obstante o terrorismo midiático que está sendo submetida.
      Dilma continua errando em varios aspectos pelo medo reverencial que tem da midia e na sua dificuldade de lidar com o PiG. Lembrando que o PiG levou ao suicidio Getulio Vargas e ajudou a defenestrar do poder Jango lançando o Brasil numa ditadura de 21 anos. Então, não é facil lidar com o terrorismo midiatico do PiG, que com a ajuda do judiciário tenta o golpe.
      A campanha midiatica contra está no minimo para o povo transformando Dilma em um verdadeiro enigma. Competente ou totalmente incompetente?
      Alguns desses erros crassos de Dilma que estão a comprometer até as conquistas do governo de Lula que sucedeu nos levaria a optar pela ultima opção, se FHC que quebrou o país três vezes não tivesse completado seus dois mandatos e ainda saído como competente, chamado pelo PiG para opinar sobre o atual governo. Dilma deve FICAR e completar seu mandato, que o Brasil ainda sairá no lucro de não ter sido eleito aécio.

    • Eu sou militante do PT e posso afirmar categoricamente que vale muito a pena ser militante do PT ainda que pese os desacertos de Dilma. Não sabemos o que se passa na cabeça dela, mas uma coisa é certa: se algum partido tem credibilidade para levar adiante as conquistas sociais e democratizar as relações neste país este partido é o PT.

  4. Fora de Pauta

    Operação Lava Jato: a incrível história do cheque administrativo de 500 milhões de reais do Bradesco

    Nas barbas do Dr. Moro, a família “enojada” continua aprontando
    30 de janeiro de 2015 | 10:12 Autor: Fernando Brito

    cheque

    Lembram da história do ladrão “convertido” Paulo Roberto Costa, sobre o “estar enojado” e ter se arrependido em defesa dos valores familiares?
    Pois não é que a família Barrabás, agora santificada e protegida em acordos de delação premiada, por seu caráter redimido, que lhe dá o direito de acusar qualquer um, continua aprontando, nas barbas do Dr. Sérgio Moro?

    Graças a um erro da funcionária Catia Nunes Cavalcante, da agência carioca do Bradesco, que esbarrou na tecla errada e tascou mais três zeros num cheque administrativo de R$ 500 mil pedido por uma das filhas do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, Arianna Azevedo Costa Bachmann, ficamos sabendo que a moça continua fazendo altos negócios.

    Porque, afinal, quem está com bens bloqueados e tem dinheiro para pedir de sua conta bancária dois cheques de R$ 500 mil e R$150 mil.

    Como o cheque foi emitido errado e a goela é grande, Arianna reteve o documento e está sendo processada para devolvê-lo ao banco.

    Mas, francamente, você acha que alguém recebe um cheque de 500 mil reais e não percebe na hora que está escrito mil vezes mais?

    Que a funcionária, que preenche num terminal – daqueles, inclusive, que têm teclas de três zeros – dezenas de cheques todo dia tem “comido mosca”, vá lá. Uma fez um funcionário do antigo Banerj errou a digitação de um número e foram parar dois mil reais a mais na conta de minha mãe. Claro, devolvidos imediatamente.
    Mas que essa moça, com os bens bloqueados, movimente na sua conta pessoal uma quantia de R$ 650 mil é o “ó”, não é, Dr. Moro?

    De onde veio essa grana? De salário? Do cofrinho? Do tal baú escondido no quintal da casa?
    Foi fruto de sua atividade de corretagem? Será que ela vendeu o Taj Mahal?

    A família Costa é uma organização criminosa, que foi previamente perdoada pelos nossos doutos procuradores do Ministério Público e o seu patriarca é tratado como o oráculo de onde vem a verdade e a honradez.

    Mas aí, descobre-se que a filha do enojado, em plena virada do ano, numa situação em que deveria estar dependendo até dos parentes para comprar um tender bolinha para o reveillon, saca R$ 650 mil em cheques administrativos de sua conta.

    E como um dos cheques vem errado, com R$ 500 milhões em lugar de R$ 500 mil, ainda retém o documento, quem sabe para ver se tirava mais algum também disso.

    E o Ministério Público, com o Dr. Moro, oferecendo casa, comida e roupa lavada para a família honrada apontar todos os desonestos da Petrobras.

    Viva o Brasil!

  5. Fora de Pauta

    Petrobras, a sangria
    30 de janeiro de 2015 | 16:12 Autor: Fernando Brito
    sangria

    A condução da chamada “Operação Lava-Jato” segue um criterioso roteiro.

    Não se trata de dizer que não houve crimes na Petrobras e que este foi grossa roubalheira, fique claro.

    Mas salta aos olhos que tudo está sendo conduzido com o mais escandaloso propósito de sangrar, até o máximo possível, a empresa e o governo.

    Estamos ao sabor do “será que disse; será que não disse” há meses.
    Há gente presa – há quase três meses – e, embora eu não nutra a menor simpatia por dirigentes de empreiteiras, vai se configurando um quadro absolutamente anti-jurídico de manter sob prisão quem não admitir confessar verdades ou falsidades.
    90 dias em cana fazem muita gente chamar urubu de meu louro, não é?

    Ainda mais se ao ladrão se oferece a possibilidade de ser poupado no Credo, como Barrabás, se apontar não o polegar, mas o indicador, na direção “certa”.

    Chegamos ao ponto em que o juiz Sérgio Moro diz que só poderia soltá-los se todos os contratos das empresas com governos “em todos os três âmbitos federativos” sejam suspensos e se parem todas as obras públicas de vulto no País, independente de haver qualquer suspeita sobre elas, exceto o fato de quem as executa.

    Qualquer um que tenha a mínima noção de Direito sente arrepios ao ver este nível de discricionarismo. Até, para ser justo, o Reinaldo Azevedo.

    O Ministério Público, enquanto isso, dedicou-se arduamente às suas férias de janeiro, sem dar prosseguimento ao seu dever de denunciar os acusados.

    Vai-se esticando a novela e, agora, com a ajuda luxuosa da própria direção da Petrobras que, na tentativa de mostrar-se “transparente” ao mercado só consegue fazer com que a opinião pública já não confie em uma empresa que, como nenhuma outra, é essencial para o país.

    Há um evidente processo de sangramento político e econômico da Petrobras, e às sangrias só há uma coisa a fazer: estancá-las.
    A direção da empresa – sem nenhum sinal ou denúncia de falta de honradez pessoal de seus integrantes, já o disse antes – está se mostrando incapaz disso.

    Quer fazer “democracia” onde o que se exige é comando.

    Nenhuma empresa do mundo resiste a isso e não é possível, em nome do Brasil, deixar que o tecnicismo amador deixe de enxergar que esta é uma questão política.
    Exemplos vêm às dúzias.

    Exemplo: a Petrobras “pode” deixar de pagar dividendos aos acionistas, uma das manchetes da semana.

    Ora, o pagamento de dividendos não é obrigatório e pode deixar de ser feito quando a conjuntura o exige. E tome exigência da conjuntura do mercado de petróleo com queda de 60% nos preços em três meses. Mas se não há decisão de suprimi-los, porque anunciar o “pode”? O pode está na lei, ora.

    O outro fato escandaloso que é suprimido pela mídia é o de que toda a operação de furto na empresa se deu – tenham havido conexões políticas ou não – por funcionários de carreira, não por “estranhos” aos quadros da companhia, o que mostra mais um problema estrutural que conjuntural de governança.

    É preciso entender que a gestão de uma grande empresa é política.

    A teimosia é diferente do estoicismo.

    Sobretudo nos resultados que produz.

  6. Parabéns, Edu, pelos ótimos esclarecimentos.
    Querenos, urgente, o fim do bolsa mídia, inclusive, das estatais.
    A mídia que sobreviva do “DEUS” mercado que ela tanto ama.

  7. Leiam o artigo do Miguel do Rosário em “O Cafezinho”, o porta-voz Poltergeinst da Dilma. Pobre de nós…

  8. Não se trata de coonestar o jogo golpista da direita, é claro que ao se criticar Dilma o risco de acontecer isso é grande, por isso a crítica precisa ser feita com cuidado, e, de preferência não em público, ou seja não na presença de conservadores; ou se feita num meio público, como na mídia alternativa, precisa ser sublinhada pela manutenção do apoio à Presidenta e pela certeza de que Aécio, Marina e a corja fascista fariam algo infinitamente pior. TRATA-SE SIM DE DISPUTAR UM GOVERNO DE COALIZÃO E QUE ESTÁ TOMANDO UM RUMO EXCESSIVAMENTE CONSERVADOR, NUM MOMENTO EM QUE PRECISARIA PARTIR PARA A BRIGA(QUE O PT ADIA HÁ DOZE ANOS)PARA MUDAR ESTRUTURALMENTE ESTE PAÍS, TANTO PORQUE O BRASIL REÚNE, APESAR DE ALGUNS PROBLEMAS ATUAIS, CONDIÇÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS PARA ISSO; COMO PORQUE SE NÃO FIZER AGORA E ENTRAR NA ORTODOXIA QUE LEVOU A EUROPA À MISÉRIA(NÃO SE TRATA DE “OPINIÃO”, MAS DE CONSTATAÇÃO FACTUAL SOBRE O QUE OS LEVY’S EUROPEUS CAUSARAM EM SEUS PAÍSES), ENTREGARÁ DE QUALQUER MANEIRA O PAÍS AO CONSERVADORISMO, AFINAL QUEM VAI EXPLICAR O DESASTRE CAUSADO NO PAÍS PELA ORTODOXIA SERÁ A GLOBO(JÁ QUE O GOVERNO NÃO DEMOCRATIZOU AS COMUNICAÇÕES)QUE OBVIAMENTE NÃO CULPARÁ A ORTODOXIA POR ISSO, MAS COLOCARÁ TODA A RESPONSABILIDADE SOBRE AS MEDIDAS ANTICÍCLICAS DO PASSADO, AS QUE IMPEDIRAM QUE A CRISE NOS ATINGISSE ATÉ AGORA, “ESQUECENDO” O DETALHE DE QUE FOI APÓS O ABANDONO DESSAS MEDIDAS QUE ENTRAMOS NA CRISE. Você fala em “batalha da comunicação”, à qual a Presidenta teria convocado seus Ministro para a disputa. Como, cara pálida!!!!!!!???????? Falando aonde!!!!!!???? Na parte progressista da INTERNET, só acessada por iniciados. na TV Brasil, que ninguém vê e ainda assim possui telejornais que parecem feitos na Globo. Talvez no Jornal Nacional!!!!!!!?????? Se querem travar a batalha da comunicação, Dilma e os Ministros têm que usar a rede gratuita de rádio e televisão e falar diretamente ao povo, DE MANEIRA CLARA, JÁ QUE A ENTREVISTA DE ROSSETTO FOI UM MAR DE VACUIDADE, FICOU NAS MANCHETES E NÃO ENTROU NO TEXTO. E o Governo precisa sim ser claro, pois enquanto Rosseto não é claro aos blogueiros progressistas, e fica no vago, a Globo é bastante clara nas mentiras que relincha contra o Governo. Ou seja, enquanto Rossetto se defende num meio de pouca audiência, e ainda assim não diz nada consistente, Globo e sua turma usam meios que atingem milhões para dizer mentiras, mas de forma clara e precisa, chegando a quase separar as sílabas quanto atacam o Governo e usar as famosas “caras e bocas” dos globais para xingar Dilma em silêncio. Não dá para reagir com vacuidade, fingindo que o Governo não caminha para a ortodoxia, quando caminha sim, e que isso não mergulhará o país em uma crise; pois mergulhará; e principalmente que o Governo Dilma não poderia ir por outro caminho quando poderia, começando por não ter nomeado um psicopata neoliberal para o Ministério da fazenda(o que só agrada ao Sistema Financeiro Internacional e aos “empresários” de araque que vivem na especulação)e principalmente poderia ter feito aqueles que têm milhões pagarem a conta. Como já disse, por que não taxar as grandes fortunas!!!???????? Por que não tributar as transações financeiras!!!!!!!!!!????????? Por que aumentar a Selic em 0,5 ponto percentual e com isso retirar do Brasil em um ano R$20 bilhões (se a taxa continua nesse patamar), o mesmo valor que o Brasil “economizará” ferrando os trabalhadores e sua Economia!!!!!!!!??????Por sinal, essa “economia” feita em cima dos trabalhadores, significa menos jovens recebendo seguro-desemprego, exatamente aqueles que têm maior rotatividade no emprego e menos qualificação; menos trabalhadores pobres recebendo o abono salarial; menos pescadores recebendo o seguro-defeso, entre tantos outros, e olhando-se todos esses grupos, menos gasto na Economia, menos pessoas consumindo, portanto comércio faturando menos, indústria com quantidade menor de encomendas, etc; e todos, obviamente suportarão esses prejuízos demitindo mais pessoas, as quais também consumirão menos e por aí vai o “Levysmo” de Dilma, que será interpretado pela Globo culpando exatamente as medidas anticíclicas que evitaram essa tragédia até agora, enquanto Rossetto fala platitudes. DÁ PARA ENTENDER OU SERÁ QUE TEREI QUE DESENHAR!!!!!!!!!! Outra coisa, faltou que vocês falassem, e prestaram um grande favor a Rossetto, sobre a Operação lava Jato, QUE ESTÁ DESTRUINDO A ECONOMIA DO BRASIL, POR CAUSA DE SUPOSTOS CASOS PONTUAIS DE COMPRAS ACIMA DO PREÇO, ALGO QUE ACONTECE EM QUALQUER EMPRESINHA DE 200 EMPREGADOS, QUE SERIAM FACILMENTE SOLUCIONADOS E INVESTIGADOS SEM PREJUDICAR A PETROBRÁS, SE NÃO HOUVESSE UMA CAMPANHA MIDIÁTICA CONTRA A PETROBRÁS, O MODELO DE PARTILHA E A CAPACIDADE DO BRASIL EXPLORAR O PRÉ-SAL, COM TODOS OS EFEITOS DANOSOS DISSO NÃO APENAS NO FATURAMENTO DE PETRÓLEO, MAS NO DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO QUE PODERIA SER O NOSSO PASSAPORTE PARA VIRARMOS UMA NAÇÃO DESENVOLVIDA. Agora tudo isso está sendo jogado fora, já citei os casos de cidades vendo suas populações mergulharem no desemprego por causa das demissões das empreiteiras acusadas pela Lava jato, cujos contratados foram paralisados, sem que o Governo faça nada, com DILMA MANTENDO UM BANANA NO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E COM A GLOBO “INTERPRETANDO” A LAVA JATO PARA O BRASIL, COMO SE O PT ESTIVESSE DESTRUINDO A PETROBRÁS, QUANDO NA VERDADE É A MÍDIA E A DIREITA QUE QUEREM ACABAR COM A EMPRESA DESDE 1953. E ROSSETO NAS PLATITUDES… Por que o Governo não vem a público e diz que uma coisa é a investigação, iniciada dentro deste Governo que deu autonomia à PF(aliás, “autonomia” demais, a PF virou uma agência golpista dentro do Governo por causa desse Ministro banana)e outra coisa é destruir a Economia brasileira e empresas que têm know-how para os serviços que realizam(por sinal surgiram em outro Governo Trabalhista perseguido pela mídia, Juscelino Kubstchek), gerando empregos que sustentam famílias. Bastava Dilma usar o exemplo dos EUA, onde as empresas que fornecem ao Governo e ao pentágono, quando envolvidas em casos de corrupção, sempre recebem penas mais brandas que as concedidas às estrangeiras e principalmente têm esses casos tratados sem que as atividades delas e os empregos que geram, sejam prejudicados. OS IANQUES FAZEM ISSO PORQUE SABEM QUE SE DESTRUÍREM AS EMPRESAS DELES, OUTRAS ESTRANGEIRAS INVADIRÃO SUA ECONOMIA PARA SUPRIR AS NECESSIDADES E DOMINAREM A TECNOLOGIA, COISA QUE ELES JAMAIS PERMITIRAM AO LONGO DE SUA HISTÓRIA E NÃO IRÃO FAZÊ-LO AGORA; EXATAMENTE O OPOSTO DOS QUE QUEREM DESTRUIR A PETROBRÁS, AS EMPREITEIRAS E ENTREGAR O PRÉ-SAL AOS EUA. Está na hora de falar desse jeito, não com carta de intenções, diretamente à população, ou este Governo cai, ou chegará morto em 2018. Não dá para ficar nas generalizações, enquanto a Globo especifica a mentira. É essa a guerra que o Governo e o PT têm que fazer ou suportarão a responsabilidade histórica de terem assistido passivamente a um golpe de direita sendo executado na frente deles

  9. GRAÇA, a sem graça

    Ano passado GRAÇA FOSTER MENTIU ao Congresso, a casa do povo – a FALTA mais grave, no meu entender, que um agente público inserido numa República Democrática poderia cometer – mentiu ao afirmar, e depois ser DESMENTIDA pelos fatos, de que não sabia sobre os desvios e desmandos que estavam ocorrendo em diversas diretorias da Petrobrás.

    GRAÇA mentiu e se contradisse sobre a refinaria de “Passadilma”, um caso rumoroso que mantido escondido até metade do ano passado quando, revelado por auditorias, o esquema já não tinha mais como ser abafado.

    GRAÇA, dizem, em dez/14, extrapolou ao declarar inidôneas, e suspender a prestação de seus serviços, sem ter a alçada e autoridade cabível, as empreiteiras que estão sendo investigadas na Lava Jato ..e com isso, de quebra, paralisar de forma atabalhoada inúmeros investimentos que estavam sob sua guarda e que estão impingindo a pequenos empresários e investidores,a operários e seus empregos, se não ao país inteiro, prejuízos gigantescos por culpa desta “mudança repentina de planos” .

    GRAÇA, agora falam, tumultuou e descontentou o mercado ao “ser ingênua”, e NÃO saber explicar a razão do sobrepreço de R$ 61 bi dado a cerca de 1/3 dos ativos da Estatal adquiridos nos últimos tempos.

    GRAÇA, assim como outros diretores, correu a se apressar pra DOAR bens seus a seus filhos assim que os escândalos começaram a pipocar, tendo para tanto o cuidado de reservar pra si o “usufruto devido”.

    graça isso, graça aquilo..

    Olha ..se DILMA quiser começar a virar a página, há a necessidade imperiosa de se tirar a Petrobrás da pauta ..e isso só se tornará possível se GRAÇA FOSTER parar de ser motivo de piada e de preocupação com suas contradições e trapalhadas, a menos..

    ..a menos que DILMA tenha a esperança que em agindo assim, mantendo Graça, que as culpas pela maioria destes enroscos que ainda estão por vir possam ficar restritos a esta executiva enrolada (hipótese que, convenhamos, é praticamente impossível de ocorrer devido aos postos chave que Roussef exerceu nos últimos 12 anos)

    em tempo – a Petrobrás responde diretamente por 10% dos investimentos do país (diretamente), algo como 2% do PIB ..é imperioso ao BRASIL termos esta Estatal livre de amarras e de suspeitas ..pra tanto, a posse de uma nova presidência e de respectivo conselho, não pode, nem deve ser mais uma questão de querencia, mas de URGÊNCIA, uma questão prioritária de Estado.

    ..FAZER esta Cia voltar a caminhar, não é tarefa tão rápida como possa parecer ..e se a demora se concretizar, pouco ou quase nada de contribuição positiva poderemos contar para os próximos 4 anos deste governo.

    ACORDA Dilma ..dê-nos NOTÍCIAS e ações positivas ao invés de inquéritos policiais e ficha corrida, pombas ?!

  10. Acho que a primeira pergunta a ser feita seria o quanto Rossetto estava autorizado a falar pelo governo porque as respostas me pareceram aquela coisa de “não posso falar nada que comprometa o governo e o coloque em choque com a velha oligarquia midiática”. Foram evasivas e acho que seria do mesmo jeito com Dilma. Penso que ela evita falar daquilo quer que aconteça para evitar especulações e desmantelamento do que está em curso (e que não sabemos exatamente o que é senão uma leitura que Dilma está à extrema direita do PT neste momento).

    Mas vou fazer aqui um comentário/questionamento que pode parecer estranho aos companheiros, mas o farei.

    Já perceberam que são os mesmos blogueiros a serem convidados para irem ao Planalto? E o Blog do Melo? E o Escreva Lola, Escreva entre outros? Será que num futuro próximo estaremos combatendo o monopólio entre os blogueiros?

  11. Edu, bom dia. Desde que li o post do Cafezinho sobre a dificuldade de fala da Dilma (para mim não importa, não votei em oratória) percebi que estamos nos esfacelando e fazendo o jogo da direita e do PIG.

    Então resolvi honrar meu voto e continuar apoiando o único projeto político que está realizando um sonho que sempre tive: a diminuição da desigualdade social. Ponto.

    Sou da 1a hora do PT, frequentei o Vila Euclides, estava lá quando desligaram o microfone do Lula e o helicóptero sobrevoou o estádio e também na “noite de são bartolomeu”. Esse partido lutou muito para conseguir representação para dar outro porvir ao país.

    Vejo em Dilma valores ausentes na maioria dos políticos que nos governou. Evoluímos. Temos que ficar unidos para manter o projeto do governo em pé e impedir o isolamento da presidente.

    Sou uma pessoa muito crítica (talvez por isso vote no PT e não no PSDB, rs), sei que em alguns momentos vou criticar, mas não vou deixar de apoiar. Em 2018 não quero ser governada por neoliberal.

    Quanto ao seu post, foi esclarecedor, só agora entendi direitinho as políticas anticíclicas – é um novo momento, o governo será capaz de dar conta se participarmos, apoiarmos e sugerirmos melhorias, fazendo um contraponto positivo ao atrasado congresso que elegemos.

      • Edu, queria que você lesse uma “carta” que escrevi para a presidente ainda não reeleita, em out. 2014. Escrevi para ela, mas é como se fosse para mim, uma vez que não era o caso de ir ao correio postar, rs. Gostaria que a carta tivesse um leitor: você. Pode ser? Há como te enviar?

  12. Eduardo, diante do quadro atual, será que não estamos exigindo demais de Dilma?
    Ela luta bravamente pela manutenção do Estado Democrático de Direito. Vislumbram-se aqueles que não aceitam um país soberano, justo e solidário. Não abrem mão de privilégios. Sabem que o Regime de Partilha, a exigência de alto percentual de nacionalização das encomendas da Petrobrás, aceleração da infraestrutura, o desenvolvimento da indústria de defesa, o reequipamento da FFAA, o estímulo à inovação e pesquisa inquieta seus aliados externos. Não aceitam “esse programa” que objetiva dar a TODOS a mesma oportunidade de acesso a creche, ao ensino fundamental, médio e superior à saúde e a redução drástica da desigualdade.

  13. O capitalismo financeiro não se interessa em investir na produção. Se o Estado não cuidar da infraestrutura (elétrica, de transportes e de distribuição de água) e da criação de empregos, não é a burguesia que o fará, porque ela não se interessa por isso.

    Aplicar no mercado financeiro rende muito mais do que fabricar fogões e geladeiras. E dá muito menos trabalho. Para a iniciativa privada só vale a pena gerar emprego se os salários forem bem baixos, os direitos trabalhistas extintos e o trabalhador aceitar trabalhar por um prato de comida e uma casinha de cachorro.

    • Transparente, mas não muito.

      A Auditoria Cidadã da Dívida entrou no Portal da Transparência, mas não encontrou algumas informações fundamentais.

      Uma delas diz respeito a propriedade dos títulos da Dívida Pública.

      Quem são os nossos credores, CGU?
      Se a dívida é pública, porque não podemos saber para quem devemos?

      Esse é o maior gasto público do Brasil, visto que pra 2015, está previsto que 47% do orçamento é destinado exclusivamente para Juros, amortizações e refinanciamento da dívida pública.

      O Portal da Transparência não tem essa informação.

    • então…
      pra discordar do Edu, cito post do nosso M Rosário sobre INVESTIMENTO estrangeiro mundial em 2014, dados da UNCTAD no Tijolaco.com.br/blog :
      Brasil galga 2 posições e fica em 5º no ranking mundial de investimentos
      31 de janeiro de 2015 | 12:25 Autor: Miguel do Rosário

      queda de 3% nos investimentos no Brasil entre 2013/14. Nada que justifique nada. Nosso maior problema, me parece, são os juros da dívida eterna, que nos leva metade do PIB. Aí é que mora o perigo. Sai uma AUDITORIA desta dívida quando?

      Chega de neoliberalismo. Ele NUNCA vai resolver NADA a favor das pessoas ou do país…

      E a bandidagem da mafia midiatico juridica. Até quando poderá ser tolerado este murro na cara da Democracia que é o tal Innovare? Uma indecencia, excrescencia, uma ABERRAÇÃO uma Organização corruta e mafiosa como a globo/midia brasileira “premiando” Juízes!?!? Isto é ESCANDALO MUNDIAL!

      O que a midia mundial independente acha disto?

      Sabe… tá ficando desolador.

      :((

  14. Edu, ontem vi um cartaz da UNE em que embaixo do texto estava escrito “oposição de esquerda”. Está certo, todo governo de centro-esquerda precisa de uma oposição de esquerda. Puxar a corda para cá para contrabalançar a oposição feita pela direita.
    Só que o Brasil não é um EUA, uma Noruega, onde a oposição atua dentro das regras do jogo. Aqui a direita é golpista. As pessoas precisam entender isso. Esses caras do Passe Livre nem contam, são uns incendiários irresponsáveis.
    Mas alguns bem intencionados precisam dosar melhor suas críticas. Podem questionar o Rosseto, mesmo apoiando o governo, é democrático. Mas que tal combater os adversários de sempre? Agora mesmo, ninguém alardeia o desemprego em 4,3%. O número que corre por aí é o tal 88 bilhões de roubo. O que é uma mentira, pois a PF chegou nos 2,8 bi. Vamos discutir isso, ou deixar a mentira do pig prevalecer?

  15. Entendo que o governo Dilma deve partir para o enfrentamento com a mídia que há 12 anos está encurralando o governo com agendas negativas, onde 24 hs por dia só se fala em corrupção. Ninguém aguenta mais isso! Mesmo as boas notícias quando são divulgadas, procuram dar conotação ruim. Agora não é abrindo o capital da CEF que se vai resolver a situação do País. Isso não iremos aceitar, Dilma venceu as eleições prometendo não privatizar. Quanto a política econômica, as políticas que Levy pretende implantar, a meu ver estão indo em direção contrária as que os EUA e a Europa estão pretendendo, ou seja, o Banco Central de seus respectivos países investirem dinheiro público para alavancar suas economias.

  16. – A Petrobras está sofrendo um massacre pela mídia, e sua diretoria se mostrou parva e sem visão, ao divulgar o tal relatório de prejuízos. Depois teve que voltar atrás e reconhecer que aquele “relatório” era uma bobagem. Tarde demais.

    – Senador Serra “prevê” que Dilma não terminará seu mandato. Vários políticos propõem golpe de estado. E o governo silencia.

    Para onde caminhamos, se o governo mantiver sua (falta de) atitude.

  17. A regulação econômica da mídia é necessária. Não escapa aos olhos do observador atento a inadequação de um estado de coisas no qual parlamentares possuem veículos de comunicação. O poder sarneysista no Maranhão, p.ex., foi amplamente alicerçado nesse tipo de relação nefasta. A promiscuidade entre donos de meios e políticos é um malefício para o aperfeiçoamento da democracia. Por outro lado, também não foge da vista do olhar mais atento o fato de ser extremamente difícil proceder a qualquer mudança na imprensa — mesmo que estritamente em seus aspectos econômicos, deixando de lado o conteúdo da informação — quando o quadro político se mostra bastante desfavorável a quem deseja tocar a mudança, caso de muitos dos simpatizantes do governo atual.

    O que fazer, diante de tal dilema?

    Não escapa aos olhos do governo atual a necessidade de melhor se comunicar com a população. Parte do déficit de imagem de que padece Dilma, hoje, advém da fraca ponte de comunicação que se foi estabelecendo com a população de 2011 até aqui.

    Mas há uma mudança de rota em curso. Outro dia a imprensa noticiava entrevistas dadas por ministros do governo atual. Nada demais, pelo menos a priori. Mas o detalhe da coisa é que as perguntas e respostas foram entabuladas via Facebook. Prometem-se muitas e muitas ações neste sentido. Com toda razão, dado o exponencial crescimento que vem experimentando a comunicação via redes sociais. O Facebook é apontado por mais de 80% da população internauta como fonte de informação no Brasil, dado que a revista Carta Capital alega ter chamado a atenção de marqueteiros políticos norte-americanos — que por cá pousarão em busca de novidades a serem exploradas para a sucessão do presidente Obama.

    O uso inteligente de redes sociais pode alavancar a popularidade do governo, em médio prazo. As medidas macroeconômicas impopulares de agora, alega o governo, terão, mais à frente, o condão de fornecer a base necessária para que o crescimento de nosso país seja retomado. Como transmitir tal mensagem? Estão aí as redes sociais sendo utilizadas. Lá adiante, em outro cenário político, com as coisas restabelecidas em termo de popularidade, poderá haver chance de implementar algum ordenamento econômico na imprensa. Por ora, não existe tal oportunidade. Qualquer tentativa, agora, será vista como cerceamento da liberdade de informação por um governo que se vê acusado sem conseguir prova sua inocência. O governo atualmente não pode se dar ao luxo de enfrentar mais este desgaste, justo em um momento em que a imprensa tanto anuncia o impeachment de Dilma dando voz a personalidades oposicionistas como Aécio Neves, Aloísio Nunes e o menos conhecido Alberto Goldmann.

  18. Sugestão de leitura: Edição 834 de Carta Capital. Nesta edição, as medidas tomadas pelo ministro da Fazenda Joaquim Levy e seus impactos para o País (http://www.cartacapital.com.br/revista/834/confira-os-destaques-da-edicao-834-de-cartacapital-942.html)

    Com certeza os problemas apontados são de extrema gravidade. Mais urgentes – e de enfrentamento possível – do que uma alteração nos meios de comunicação a estas alturas do campeonato.

  19. Rossetto é vaiado ao negar “reforma neoliberal” e “corte em programa social” : http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/548024/Rossetto-e-vaiado-ao-negar-reforma-neoliberal-e-corte-em-programa-social

  20. O governo nunca deu bola para os blogueiros e internautas atendia em audiencias e só,
    mas a convites da globo e folha,não perdia uma,nós para o governo não passamos de meros palpiteiros,nunca fomos ouvidos,deu no que deu,agora vão nos convocar para irmos as ruas,e vamos nos novamente as rua,porque para nós o que realmente importa e o Brasil e os brasileiros,para o governo e só o poder,esta e a nossa diferença.

Trackbacks

  1. Entrevista de Rossetto a blogueiros valeu pelo que ele não disse | Blog da Cidadania | EVS NOTÍCIAS.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.