Crônica do golpe: o cerco a Tóffoli e a tática do “Tira bom, tira mau”

toffoli

 

Na sexta-feira, o blogueiro da Veja Reinaldo Azevedo publicou um texto incomum. O atual guru da direita brasileira saiu em defesa do ministro do STF José Antonio Dias Tóffoli (!) por conta de matéria do Blog do repórter Fausto Macedo no portal do Estadão que relatou denúncia do Ministério Público contra o irmão mais velho daquele ministro.

Abaixo, trecho do post de Azevedo.

toffoli 1

Uau! Azevedo dizendo que “denúncia ainda não é condenação”? Daria para encher a Biblioteca da Alexandria tudo que o blogueiro da Veja escreveu condenando pessoas na mesma situação do irmão de Tóffoli. Um exemplo recente é o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

É óbvio que o neo “garantismo” de Azevedo tem uma razão (cínica) de ser.

Não, eu não leio Reinaldo Azevedo – a menos que tenha um motivo que valha pena tão dura. E esse motivo que me levou a tal empreitada foi um fenômeno que não ocorre sempre no jornalismo: fonte importante procurar o jornalista em vez de ser procurada por ele.

A fonte (mais do que fidedigna) me procura para ironizar o texto de Azevedo:

Estão ‘seduzindo’ o Tóffoli por conta das contas de campanha no TSE

A sedução não começou agora; começou logo após a escandalosa “distribuição por sorteio” das contas de campanha de Dilma Rousseff no TSE, que colegas de blogosfera dizem que não teve nada demais por – com todo respeito – estarem desinformados.

Senão, vejamos: no dia 14 último, a jornalista Vera Magalhães, da Folha, publicou matéria dando conta de que duas prestações de conta da campanha de Dilma Rousseff caíram na mão de Gilmar Mendes por “sorteio”.

Confira, abaixo, a matéria

toffoli 2

 

O que aconteceu no TSE foi um fenômeno impressionante. Se foi coincidência, deveria entrar no Guinness Book. No mesmo dia, na mesma Corte, dois processos de Dilma foram entregues ao mesmo juiz – as contas da campanha de Dilma e as contas dos gastos do PT para a campanha de Dilma.

Os dois sorteios, ocorridos um após o outro, no mesmo dia, hora e local, deram Gilmar Mendes na cabeça. Coincidência é isso aí, o resto é fichinha.

Mais engraçado ainda é que dias antes Toffoli participou de um almoço em Brasília no qual brincou com uma possível fatalidade para Dilma, ou seja, as contas de campanha dela caírem nas mãos de Gilmar.

“Já pensou se isso acontece?”, provocou o ministro do STF.

Tóffoli, a partir daquele sorteio esquisito, passa a ser submetido à uma tática de investigação policial que Hollywood celebrizou: a tática do “Tira bom, tira mau”. Um é feroz, faz ameaças o tempo todo. O outro é bonzinho. Diz ao interrogado que seu colega está muito bravo é que não sabe se vai conseguir contê-lo.

Aquele que até há pouco era considerado por Reinaldo Azevedo como um títere do PT no STF, o que fez o ministro ser alvo de muita baixaria do blogueiro da Veja, começou a ser seduzido logo após esse episódio do sorteio das contas de campanha de Dilma.

Logo em seguida ao sorteio tabajara, Tóffoli foi convidado a participar do programa Jô Soares, onde defendeu a dita “PEC da Bengala”, que pretende tirar de Dilma Rousseff as nomeações de ministros do STF que ela poderá fazer até 2018.

Mas por que estão seduzindo Tóffoli se, mesmo que Gilmar Mendes rejeite as contas de campanha de Dilma, o processo será julgado por sete ministros do STF?

Explico: entre os sete ministros, três são vistos como “legalistas” e quatro são considerados como “partidários”.

Os ministros “legalistas” seriam Maria Thereza de Assis Moura [que relata as contas de Aécio Neves], Henrique Neves da Silva [que Dilma não reconduziu ao cargo após seu mandato vencer, mas que deve reconduzir] e Luciana Lóssio.

Três dos quatro ministros “partidários” são Gilmar Mendes e Luiz Fux (que dispensam apresentações) e João Otávio de Noronha (nomeado para o STJ pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e que é amigo do peito de Aécio Neves).

O sétimo membro “partidário” do TSE é José Antonio Dias Tóffoli, presidente daquela Corte. Inicialmente, era visto como “partidário” por ter trabalhado para o PT e ter sido advogado-geral da União de Lula.

O “novo” Toffoli seria o fiel da balança se uma eventual rejeição das contas de campanha de Dilma fosse julgada pelo plenário do TSE. Por conta disso, está sendo seduzido e ameaçado ao mesmo tempo.

Diante de Tóffoli está sendo colocada uma “escolha de Sofia”. Ele pode escolher entre o céu e o inferno, ou seja, entre não endossar uma artimanha qualquer de Gilmar para rejeitar (total ou parcialmente) as contas de campanha de Dilma e virar alvo da mídia ou endossar e virar um novo Joaquim Barbosa, sendo aplaudido em aeroportos e restaurantes chiques.

A boa notícia é que, segundo essa e outras fontes, as contas de campanha de Dilma apresentam uma higidez muito grande. Gilmar correrá um grande risco tentando distorcer alguma coisa.

Contudo, não vamos nos esquecer de que estamos no país do julgamento do mensalão, no qual ocorreram condenações sem provas e o qual um ministro do STF considerou “ponto fora da curva”. Está provado que, em se tratando do PT e havendo maioria, o golpismo não se deixa constranger e rasga a camisa. Sem pudor.

Tags: , , , , , ,

84 Comentário

  1. Nós estamos atentos. Quem foi que disse que eles podem vir aqui e fazer xixi. A gente quebra e arrebenta. Tomaremos tuuudo que eles roubaram do pobre. Que não se metam a besta. Em São Paulo faremos um arrastão nos jardins. Queremos, se possível a Democracia e muuuiiita paz. Eles têm que pensar muito antes de provocar um povo unido e trabalhador.

  2. Edu, demorando pra comentar, mas já acompanho esse blog há vários anos, pelo menos (por baixo) desde 2009 com mais frequência, apenas não comentava, mas como dei o benefício da dúvida ao Tóffoli antes, vou reforçar de novo o comentário anterior.

    Eu não gosto da figura dele, acho que foi um erro a indicação dele como a do Barbosa pro STF, mas a ‘cagada’ já está feita. Só que uma pessoa que disse que conhece a figura ou a família dele comentou chocada que não acreditaria que ele seria capaz disso. De fato, em que pese ele gostar ou não da Dilma, o ato não é um ataque só a ela como tudo o que vem sendo defendido desde 2003 em prol da justiça social no país.

    Só que eu acho que uma pessoa quando cisma em inocentar ao extremo uma pessoa porque a conheceu em uma época, ou por questões familiares etc, acaba perdendo aquela avaliação fria, isenta, sem ligação emocional com esse tipo de pessoa, por isso falei em ter cautela, achei o Nassif precipitado e continuo com a mesma opinião, porque havendo um golpe branco (ou tentativa) isso não ficaria restrio a tribunais, haveria desenrolar nas ruas e é algo sem volta, uma vez feito o clima político no país jamais seria o mesmo (e já não é).

    Eu prefiro manter a vigilância sobre o desenrolar disso pois acho que mesmo um crápula como o Mendes, sabe que um ato desses seria fim de linha pra figura dele, ele não teria mais condições políticas de ser parte do Supremo. Caso se confirme aí o confronto político é nas ruas, mas acho que eles não chegarão a minar a Dilma por esse artifício, por enquanto, é politicamente bem arriscado, mas vindo desse pessoal eu também não ponho a mão no fogo pois não valem absolutamente nada.

    Se o Tóffoli se bandeou pro “partido do Gilmar”, terá problemas daqui pra frente. E como disse antes, discordo do pessoal do PT que continua alegando que juízes têm lado ou partido, juiz tem que fazer justiça e aplicar a lei, se a gente condena e critica um Gilmar Mendes por ele agir em prol do PSDB, acho equivocado a postura desses petistas (é uma parte, não são todos) que acha que ministro do Supremo tem que ter “partido”, esta não é a função de ministro do Supremo, é justamente esse comportamento de “ter partido” que gera figuras como o Barbosa, Mendes e cia.

  3. Sou na região de Marilia, onde estudei no colegial. Meus amigos da epoca, reencontrados no FB, muitos petistas (os melhores amigos), me informaram que o ministro e seu irmão estão em um processo de aumento de patrimonio impressionate, principalmente imóveis. O “meu” pessoal ja se afastou deles.

  4. Faz mais de um mês que o bi-surrado Aético Never (PSDB-MG/RJ) não perde uma só eleição.
    Nem Aético Never nem os demo reaças, seus infelizes eleitores pé-frios.
    Um recorde em 2014, sem dúvida.

    O ‘pobrema’ é que o playboy filhinho de papai está viciado em … perder eleição.

    E o playboy filhinho de papai quer-porque-quer ser surrado pela 3.a vez pela President@ da República do Brasil, Dilma-2-Rousseff.

    Agripino Maia, recomende ao Aético pra sossegar o facho e continuar a tirar suas selfies (himselfies) até 2018.

    Pelas minhas contas ainda faltam 2,1 milhões de selfies aéticas para as próximas surras homéricas, em 2018.

    POHDE, FRANGOS?

  5. Apenas o PT é Governo?

    Por Genaldo de Melo

    Causa-me enorme espanto a estupidez quase honesta daqueles que se intitulam como formadores de opinião do chamado Jornalismo da Obediência de querer rotular o Governo brasileiro como se fosse apenas de um partido político. É lógico que isso é tão ridículo como um camelo passar pelo fundo de uma agulha, ou mesmo encontrar um alfinete num celeiro de proporções gigantescas das fazendas do Oeste da Bahia.

    Ou seja, rotular o Governo brasileiro como se ele fosse do Partido dos Trabalhadores apenas, é o cúmulo do absurdo, a não ser que haja maldade intrínseca nessa opinião de alguns poucos assalariados das dez famílias donas dos meios de comunicações de massa no Brasil.

    No conceito mais literal da palavra democracia não existe espaço para que nenhuma nação do mundo possa ser governada por um único partido. Isso significaria que deixaria de ser uma democracia plena para ser um Estado totalitário. Ou seja, metaforicamente falando, uma fortaleza de pedras com ditames rígidos implementados por apenas um grupo de força, que discordaria de qualquer opinião contrária, utilizando exatamente a força para governar.

    No Brasil não existe como democracia espaço para tanto, com exceção histórica dos governos dos generais durante os vintes anos da Ditadura Militar no país. E todo mundo conhece muito bem essa história de governos totalitários no país que não aceitava a opinião contrária ao que eles pensavam!

    Dizer que o Governo brasileiro é o PT somente, é fazer parte hipoteticamente de dois grupos distintos de opinião no país. O primeiro é formado pelos beócios anônimos que por preguiça intelectual reproduzem tudo que vem dos “olavinhos” e das alcatéias do Rio de Janeiro e de São Paulo, que vêem apenas as sombras das cavernas platônicas. Mais precisamente são aqueles que apenas ouvem as vozes da peça hobbiana de costas, e que por pura pusilanimidade não discordam jamais, pois nem o rosto do ator principal conseguem ver.

    O segundo grupo, este sim é que é venenoso! Formado por gente mesquinha e covarde que não conta nunca a verdade para os ouvidos da maioria do povo, representando a minoria conservadora que usa álcool para lavar as mãos a cada vez que aperta as mãos dos cidadãos que votam nos outubros da vida. Prefere usar um par de óculos de cor marrom que ganhou da eminência parda, do que dizer que dos 28 partidos políticos com representação no novo Congresso Nacional, mais da metade vão fazer parte do Governo, ou seja, vão ser o Governo.

    É bom que a gente não se confunda com as idéias inebriantes de que o Governo brasileiro é apenas do PT! Se assim fosse o PT teria 81 senadores, 513 deputados federais e todos os ministérios da República. Pelo que eu saiba o Governo é coordenado pelo PT, que teve sua candidata a presidente reeleita, mas é formado por uma ampla correlação de forças partidárias, e que vai além dos partidos políticos inclusive.

    Ou venham prá cá me dizer que Dilma também não vai governar para os 51 milhões de brasileiros que não votaram nela! Me poupem, viu!

    Fonte: http://genaldo40.blogspot.com

    • Não é o PT que manda no Brasil? .
      Não sabia! A Presidente governa com o congresso?
      Não sabia! Os militares não aceitavam opinião de
      ninguém? Não sabia! A Presidente vai governar prá
      todos os brasileiros? Aí discordo. E os estrangeiro que
      estão no Brasil? E os brasileiros que estão no exterior?
      Quem vai governar? Realmente tem gente por aqui,
      completamente desgovernada. E não me venham dizer
      que eu sou maluco. A situação e grave!

Trackbacks

  1. Crônica do golpe: o cerco a Tóffoli e a tática do “Tira bom, tira mau” | Blog da Cidadania | CLIPPING DE NOTÍCIAS DA SENAPRO-PCO

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.