Avanço da direita em SP ameaça Nordeste e América do Sul

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

É inquestionável: São Paulo liderou avanço sem precedentes da direita brasileira nas eleições de domingo. Apesar de as eleições de governadores terem trazido boas notícias para o PT, é evidente que o fortalecimento surpreendente de Aécio Neves na reta final faz a eleição presidencial entrar no segundo turno muito mais indefinida do que fora possível prever.

O responsável por esse avanço conservador foi, basicamente, São Paulo. O movimento pró Aécio tomou conta do maior colégio eleitoral do país. No domingo, o chamamento do tucano a que as pessoas fossem votar usando camisas verde-amarelas foi um sucesso em SP.

Apesar de o candidato a governador pelo PT, Alexandre Padilha, ter tido votação muito acima da prevista pelas pesquisas, a força do PSDB no Estado mais rico e populoso do país anulou o que teria sido uma boa notícia para os petistas.

Por outro lado, o Nordeste tornou-se o reduto petista e protagonizará a grande resistência a um processo que, se vingar, representará um forte revés para o soerguimento nordestino durante a década passada.

Com efeito, durante os governos Lula e Dilma o Nordeste foi a região que mais lucrou. A grande mobilidade social que se instalou no país entre 2003 e 2014 ocorreu, acima de tudo, no Nordeste. Durante os governos do PT, o Sudeste e, mais especificamente, São Paulo não chegaram a experimentar o fenômeno nordestino, o que fez o Estado sentir que permaneceu estagnado.

Chega-se ao segundo turno com o país dividido. Pesquisa Datafolha recente mostrou que Aécio deve ficar com ¾ dos votos de Marina e Dilma, com ¼. Desse modo, se Dilma teve quase 44% dos votos válidos, se herdar 5% dos mais de 20% que teve Marina, chegará a cerca de 49% no segundo, enquanto que Aécio chegaria a 51%.

Essa “conta de português”, em um primeiro momento, pode sofrer influências da onda Aécio que tomou São Paulo na reta final do primeiro turno. Em 2010, na primeira semana após o primeiro turno José Serra chegou praticamente ao empate técnico com Dilma e, depois, foi decaindo.

Seja como for, para o resto da América do Sul o avanço conservador no Brasil é uma péssima notícia. Pelo peso do país na região, pelo tamanho de nossa economia e por nossa influência geopolítica, países que vêm sendo atacados pela campanha tucana, tais como Bolívia e Venezuela, podem prever que um governo do PSDB trataria de romper acordos de comércio que têm sido vitais para vários de nossos vizinhos.

Hoje, a grande maioria da América do Sul é governada pela esquerda. Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Peru, Venezuela e Uruguai têm governos que mantém relações muito próximas conosco e que, em um eventual governo do PSDB, serão literalmente lançados ao mar.

Governado pelo PSDB, o Brasil por certo se tornaria representante da aversão de Washington aos governos progressistas sul-americanos. Haveria retaliação econômica, a princípio, suave, mas progressivamente mais intensa contra os vizinhos governados pela esquerda.

No médio prazo, Washington conta com a literal destruição do Mercosul e o retorno sul-americano ao quintal norte-americano.

Voltando ao Brasil, a campanha de Dilma ainda padece do efeito segundo turno que ocorreu, também, em 2010. O comando da campanha petista previu que se desse a lógica e houvesse segundo turno, o desânimo sobreviria entre a militância, como há quatro anos. Por isso pedia para não se falar em vitória no primeiro turno.

Todavia, assim como na eleição presidencial passada, muitas forças políticas progressistas se darão conta, nas próximas semanas, do que representaria não só para o Brasil, mas para toda a América Latina a volta de um governo de direita.

Marina, magoada com o PT, deve apoiar Aécio. Contudo, sua decisão não significa, necessariamente, que todos os seus eleitores adiram a um candidato e a um partido de direita. A maioria pode aderir, mas não a totalidade.

Apesar de tantos pontos negativos para o PT gerados pela arrancada de Aécio na reta final, o cenário político fica mais claro a partir de agora. Caberá ao PT explicar aos brasileiros o que representaria a volta do PSDB. Sobretudo aos eleitores do Norte e do Nordeste, regiões que avançaram muito mais do que o Sul e o Sudeste de 2003 para cá.

No segundo turno não haverá o bombardeio de todos os candidatos contra Dilma que permeou o primeiro turno, mas a mídia entrará em campo com seus dossiês e delações, que, em São Paulo, foram um sucesso. Porém, não se descarta a possibilidade de o resto do Brasil vir a entender que aderir a São Paulo pode vir a ser bom só para São Paulo.

*

PS: no domingo, estive meio fora do ar porque, após 1,5 ano fora do Brasil, minha filha que reside na Austrália chegou ao país para passar algumas semanas, razão pela qual o domingo foi dia de festa na família, apesar das notícias menos auspiciosas na política. A partir de agora, volto com tudo.

 

Tags: , , , , , ,

256 Comentário

  1. Dilma eleita no 2º turno e o Sr Steiger
    06/10/2014 • 12:36 , voe para Maiame com passagem só de IDA> e faça um boa viagem , o povo brasileiro agradece sua ausência!

  2. se o PT soubesse usar as redes sociais talvez tivesse ido melhor nesssas eleições, o PT não pode viver do que fez, tem que mostrar o que VAI FAZER, não apenas governo novo ideias novas, isso é muito generico. Saiu uma noticia que diz que as primeiras pesquisas devem trazer aecio a frente, eu digo que todas as pesquisas vão mostrar aecio a frente daqui a té eleiçaõ, ACORDA PT !

  3. Toparias liderar uma ação de denúncias de incitação ao ódio nas redes sociais?

    Eh uma realidade hoje, pipocam discursos “a la Petruzio”.

  4. Esperar o que de um povo que já deu votos 100 mil votos de vereador para o rinoceronte Cacareco, elegeu Jânio Quadros, Maluf, Pita, José Serra e agora quer um Aécio!
    E o pior é que muitos paulistanos falam assumidamente que o melhor seria o Estado se separar do Brasil!
    Já cheguei a brilhante conclusão que isso seria bom mesmo… para restante do BRASIL!

    • Eu e muitos outros somos paulistas, mas somos muito mais brasileiros. Como paulistas não aceitaremos a reedição de 1932. Muitos paulistas tem ligações com outras partes do Brasil e não queremos a divisão. São Paulo faz parte do Brasil e vamos derrotar os paulistas que são masoquistas, que acham que são europeus, mas querem ser mesmos colonos dos EUA.

      • Legal, vc… Adorei a sua reação, impondo limites. A verdade é, qdo se critica até duramente São Paulo, nunca odiamos os paulistas e paulistanos. Por mais dura e dolorosa q seja a crítica; jamais teria essa intenção, burra e doentia.
        Acontece q as críticas têm fundamento. Seria, para aqueles q ultrapassaram os limites do preconceito, do culto à discriminação, igualmente, doloroso compactuar com esse sentimento. Eu… acho q deva existir, ai, de permeio, um quase amor. Pq existe uma percepção de admiração, em jogo. E o q se quer, do paulista, é afastar esse sentimento de superioridade, ou coisa parecida, q faz do homem paulista um tipo egoísta. Ou não é mais fácil e proveitoso tratar, assim, com um baiano, bem descontraído, alegre, receptivo?
        Lembro, agora, faz tempo… uma pessoa me contou q Fiscal de empréstimos rurais, bancário, e foi fazer uma fiscalização num interior, brabeira, do Nordeste. Já voltando, meio cansado, parou em um casebre na beira da estrada de terra, pra pedir água. O morador, mto humilde, se apressou em atendê-lo, trazendo um frasco, d’água, e uma caneca… Trouxe, em seguida, um prato, com uns pedaços de rapadura e farinha, oferecendo, sorridente. Essa pessoa, um senhor, já, declinou da comida; porém tomou a água oferecida, com tanta expontaneidade… e, ainda, qdo o morador se afastou pra guardar o prato com a rapadura, colocou algum dinheiro, dobradinho, debaixo do frasco d’água. Conta essa pessoa, q continuou a viagem de volta, deprimido, com a situação: a de um camponês, super humilde, dividir talvez a última água, o q teria de pouco pra se alimentar… com um passante, desconhecido.
        Companheiro, qdo rapaz, fui estudar em Sampa e andava de manga de camisa, por todos os lugares. Isso, faz mto anos… Lembro q as pessoas nem olhavam pra mim; qdo olhavam, pareciam q não me viam. Reparei, tbm, q todo mundo se vestia com paletó e usava gravata… Ora, só podia ser por tanto, q me ignoravam. Passados os anos, reparo q o paulistano já “evoluiu” e anda por lá, com camiseta e jeans. Não é grde essa diferença? O cara ja se reúne em bares e fala, alto; dá gargalhadas e grita pra quem passa, numa boa. Qdo estudei em Sampa, não havia lugar pra esse comportamento, mesmo.
        Abraço, fraterno

  5. Caro Eduardo,

    Infelizmente já começaram as especulações sobre o segundo turno das eleições. Alguns blogueiros e portais já comentam que o candidato Aécio aparecerá à frente da Presidente Dilma nas próximas pesquisas. Entre esses blogueiros, alguns estão hospedados neste Blog. Não sei se uma vantagem de mais de oito milhões votos da Presidente, pode ser desprezada de imediato. Também, não sei em que essas pessoas se baseiam, para desprezar o potencial do Partido dos Trabalhadores.

    • Ora, os institutos de pesquisa não são aliados deles? Estranho é se fosse o contrário. Aliás, a Bolsa de Valores já subiu.

  6. Acabei de mandar um comentário e em seguida achei essa pérola, confirmando o que acabara de escrever:

    “Colunista pró-Aécio propõe separatismo”

    Link: http://www.brasil247.com/pt/247/minas247/156049/Colunista-pr%C3%B3-A%C3%A9cio-prop%C3%B5e-separatismo.htm

  7. Eduardo,

    FHC chamou os eleitores do PT de ignorantes. Todavia o ignorante do Chico Buarque vota na Presidenta Dilma, ma não é só ele. O ignorante Miguel Nicolelis também declarou que vota na Dilma, ou seja, o ignorante da Neurociência votar em Dilma asseverou: “Nunca o Brasil foi melhor do que está hoje”. Vejam link a seguir: http://www.viomundo.com.br/politica/nicolelis-apoia-dilma-de-novo.html

  8. ERRATA: FHC chamou os eleitores do PT de ignorantes. Todavia o ignorante do Chico Buarque vota na Presidenta Dilma, mas não é só ele. O ignorante Miguel Nicolelis também declarou que vota na Dilma, ou seja, o ignorante da Neurociência além de votar em Dilma asseverou: “Nunca o Brasil foi melhor do que está hoje”. Vejam link a seguir: http://www.viomundo.com.br/politica/nicolelis-apoia-dilma-de-novo.html

  9. Eduardo, hoje foi criada uma tal de UNAD – União Nacional Anti-Dilma, reunindo opositores da Dilma. Você está sabendo disso?

  10. Depois de surto repentino de desânimo, o que é normal, nada melhor que restabelecer o espírito de otimismo e confiança. Estou vendo isso em muita gente que, no primeiro momento pareceram ter sido atingidos por um camburão de água fria, mas que agora já começam a se recompor para a batalha. De fato, de nada adianta continuar sob o impacto de um resultado inesperado e ficar só fazendo avaliações para entender o que aconteceu. Podemos, sim, continuar avaliando o cenário, mas, acima de tudo, temos que ir a luta para conquistar os votos necessários para vencermos. Tá difícil para nós? Pior para eles. Rua novamente!

    • Dilma tem larga vantagem. Estou admirada apenas com a votação do povo em um Congresso tão ruim para o mesmo povo.

  11. Só um adendo Edu,daqui pra frente me recuso a tecer qualquer comentario baseado em instituto de pesquisa,principalmente o ibope.Não tenho a menor crença nos dados destes.Farei minha militancia em prol da reeleição de Dilma,e esperarei o resultado das urnas. Nossas maiores frentes serão a midia,o preconceito,e desanimo,o perder antes da luta.

    • Douglas acredito, também, que ao invés de perdemos tempo com esses trackings seria melhor militar e buscar ânimo em prol da reeleição. Seremos mais úteis!

        • A Política no Brasil são divisores de Ricos protegidos pela Midia e os Pobres protegidos por alguns Políticos, olhe o que Falou o Senador Roberto Requião….
          “Aécio pertence ao grupo mais corrupto que existe no país”, atacou o senador do PMDB, ao justificar o apoio a Dilma. “Ela não tolera corrupção”, completou Dr. Rosinha.
          Para Requião, “Aécio é o Beto [Richa] a nível nacional. Ele significa o fim da indústria nacional. Precisamos de uma política soberana e inteligente. Não podemos largar desta campanha. Pelo Brasil, pelo salário do trabalhador, pela indústria nacional. Vamos deixar as críticas para depois. A luta é pelo Brasil. Não por um mandato”.

          • Acho o contrario de todos aqui.

            Se a direita que tem juízo não votar em Dilma, e os tribunais sem juízo continuarem com sua esperiencia social de roubar povo – vide projeto do auxilio moradia – e os jovens querendo sem saber querer, teremos em alguns anos uma guerra civil.

            Os mais ixxperrtos da direita sabem disso. Os comandos estão muito bem apostos para passar o tanque em cima do povo.

            Socorro gente da direita que tem juizo! Votem melhor no Congresso na proxima e votem em Dilma.

  12. eduardo,

    Uma coisa percebi… você não questionou o erro dos intitutos de pesquisa agora, o que houve?

    Torres

  13. São Paulo e sua metástese ao sul (Paraná) estão cada vez mais parecidos com o Banderastan na Ucrânia.

  14. Acho que você está muito pessimista. Aécio teve o que habitualmente o PSDB tem em todas as eleições. O percentual obtido pelo mauricinho mineiro, um pouco mais de 33%, é só um ponto percentual acima do obtido por José Serra no primeiro turno de 2010, 32% e uns centésimos. Dilma também alcançou patamar próximo, só que um pouco abaixo, do da eleição anterior, atingindo 41,53% neste pleito e superando 46% na e no eleição passada, o que é mais do que esperável para quem sofre o desgaste natural de está no poder, além do bombardeio monstruoso da mídia. Aliás, se pensarmos no ataque midiático, vemos que é impressionante a lealdade dos eleitores de Dilma, que só perdeu 5 pontos percentuais em relação à sua primeira vitória. Marina Silva também, com seus 21%, ficou praticam,ente igual aos 19% da eleição passada. OU SEJA ESSE QUADRO NOS MOSTRA DE FORMA INQUESTIONÁVEL QUE APÓS MOVIMENTAÇÕES DE TODO TIPO, O ELEITORADO BRASILEIRO VOLTOU AO SEU PADRÃO DE SEMPRE, MANTEVE-SE COMO É HÁ MUITO TEMPO. UM PAÍS DIVIDIDO, EM QUE A MAIORIA VOTA NO PT E UMA OUTRA PARTE, MINORITÁRIA, MAS NUMEROSA, VOTA NO PSDB. O “crescimento” súbito de Aécio nada mais foi do que um movimento de reacomodação, de um eleitorado que sempre foi dele e estava disperso por causa de fenômenos excepcionais que acabaram tendo seu efeito dissipado com o tempo. E que fenômenos foram esse? A morte de Eduardo Campos e o crescimento de Marina Silva dele decorrente foi o principal, já que ao contrário do que a direita previa retirou eleitores de Aécio, e não de Dilma, num momento em que o tucano deveria crescer eleitoralmente. Além disso, o fato do crescimento de Aécio não ter ocorrido, porque demorou a acontecer e porque quando poderia fazê-lo foi abortado pelo “fenômeno” Marina, levou outra parcela de seu eleitorado, aquela mais reacionária, a optar pelo voto nulo ou em branco, já que essa parcela não conseguia identificar-se com Marina e sua cara de “povo da floresta”. A gradual diluição da ecocapitalista levou o eleitorado do PSDB a voltar para o seu partido, inicialmente os que migraram para Marina Silva e em seguida os que estavam sem candidato por não acreditarem nas chances do tucano. Foi essa “migração” repentina e súbita, como foi a queda de Marina, que fez a candidatura tucana crescer em cima da hora, atingindo um patamar que é o comum ao PSDB, Serra e também Alckmin o atingiram no primeiro turno, com a diferença de que nas eleições anteriores os tucanos conseguiam essa votação muito antes do pleito, não provocando assim a comoção que os números de Aécio geraram. Contudo, se esquecermos a questão do imediatismo e nos concentrarmos nos números, veremos que Aécio está onde o seu partido sempre esteve. Do mesmo modo, se nos focarmos em São Paulo também esquecendo o fato tempo, veremos que o tucano atingiu os mesmos patamares de seus antecessores nas eleições de 2006 e 2010; como também Dilma obteve patamar semelhante no primeiro turno ao que o PT obtém. Lembremos que em 2006 e 2010, o PT cresceu em São Paulo no segundo turno, já que obtivera percentual pífio no primeiro turno daquele estado, sendo que esse crescimento no segundo foi decisivo para a vitória. Acredito que tal fenômeno se dá devido à desmobilização da máquina tucana, lembremos que em São Paulo há várias eleições não há segundo turno para governador, o que facilita a conquista de votos num eleitorado reacionário, onde o discurso fascista tem forte repercussão. Além do que, ainda sobre essa questão da desmobilização tucana em São Paulo, ninguém acredita que Serra e Alckmin moverão uma palha em favor de Aécio. Ambos querem candidatar-se à Presidência em 2018, o que se tornaria impossível se Aécio vencesse, como também serra ainda tem um outro motivo para sabotar o “cheiroso” mineiro, vingar-se do que Aécio fez com ele em 2010, quando o playboy mineiro desmobilizou todos os comitês do PSDB em seu estado, sabotando a candidatura serra e garantindo assim a possibilidade de poder concorrer em 2014. Desse modo, acho que essa eleição está onde sempre esteve, na velha divisão entre PT e PSDB que continua idêntica até nos percentuais do eleitorado, sendo que como sempre considerou o partido, acho muito mais fácil o enfrentamento com Aécio no segundo turno. Sua cara de mauricinho não deixará dúvidas quanto à questão de classe entre o eleitorado pobre(o que ficaria diluído com Marina, devido ao seu passado e sua cara que leva o eleitor das camadas carentes a enxergá-la como um semelhante); sem contar o cabedal de escândalos que cercam Aécio, desde os casos de corrupção referentes ao mensalão do PSDB, Lista de Furnas, a CEMIG, o helicóptero do pó, o aeroporto do Titio; chegando aos escândalos pessoais, que vão desde a perseguição a adversários, censura à imprensa e os notórios envolvimentos com cocaína, as farras homéricas e as centenas de vídeo que flaglaram o tucano cambaleando de bêbado nas noites do Leblon. Assim, jogar todos esses casos no horário eleitoral e nas inserções, sem medo da briga, fará o discurso moralista do tucano ir por água abaixo, como também o efeito das “denúncias” midiáticas que irão aparecer aos mentes por essas semanas(nesse aspecto, Dilma deve definitivamente sentar com José Eduardo Cardoso e questioná-lo sobre se ele de fato comanda a Polícia Federal, uma vez que uma das grandes armas da direita são os “vazamentos” seletivos da PF, que podem ocorrer no que diz respeito à delação premiada do doleiro Alberto Youssef, nova arma que a direita conta para atingir Dilma. Se Cardoso de fato comandar a PF, precisa amordaçar a PF para que não faça terrorismo político para o PSDB e a m´diia e respeite o segredo de justiça determinado no caso. Se não, Dilma deve colocar como Ministro da Justiça alguém capaz de dominar a PF). Feito essa ofensiva no que concerne ao moralismo, o PT poderá arrasar o PSDB ao comparar os programas, lembrando aos eleitores o horror que foi o desgoverno FHC. ESPERO QUE AQUELE VÍDEO QUE COMPARAVA OS DOIS GOVERNOS ATRAVÉS DE PESSOAS VENDO COMO ESTAVAM DURANTE O GOVERNO DO PSDB VOLTE À TELEVISÃO NAS INSERÇÃO PUBLICITÁRIA. Assim, os brasileiros poderão libertar-se da lavagem cerebral midiática, como já começaram a fazer no primeiro turno em relação às proposta neoliberais de Marina Silva, e enxergar o neoliberalismo de Aécio, que é o mesmo de Marina, através da comparação prática do horror que esse modelo econômico causou em suas vidas no passado, e vem causando na Europa e nos EUA neste momento, levando a eleição ao que deve caracterizar um pleito eleitoral, a comparação de projetos políticos, na qual os Governos Lula e Dilma são imbatíveis, comparação que a direita através da mídia sempre tenta esconder com seus moralismo hipócrita, uma vez que trazê-la à tona mostrará aos cidadãos o que de fato está em jogo nestas eleições, a escolha entre um modelo social excludente e subserviente aos interesses estrangeiros, que destruiu este país nos anos 90, e um modelo includente e desenvolvimentista, que está transformando o Brasil numa Sociedade justa.

    • Carlos Henrique,

      As suas observações acima, são muito interessantes. A minha maior preocupação é com as análises de alguns blogueiros e de cientistas políticos, que dizem que na quarta-feira irá sair a primeira pesquisa para o segundo turno, e que ela trará um empate entre os candidatos ou o Aécio na frente. Um cientista político da TV Bandeirantes disse que a Presidente Dilma perdeu quinze milhões de votos neste primeiro turno. Não sei se isto é verdade. Gostaria de saber sua opinião sobre essas análises.

      Abraços,

      Herbert.

  15. Mas a situação não é muito diferente aqui em Brasília não. Elegeram a direita de sempre: Fraga, Roney Nemer, Liliane Roriz, pastores, bispas, empresários donos das empresas de serviços gerais e de segurança e ainda tem um bando de professores que acham que a direita é a melhor opção =/

  16. Eduardo, queira perdoar-me vc e os seus conterrâneos paulistas- lúcidos, mas
    os votantes que elegeram Zé Serra e Alkimim, bem os mereciam.
    Se não fosse o efeito “cuspir contra o vento”, gostaria de ver também o Aécioporto
    governando-os.
    Fraternal e respeitoso beijo para a filha amada que volta.

  17. ” Caberá ao PT explicar aos brasileiros o que representaria a volta do PSDB. Sobretudo aos eleitores do Norte e do Nordeste”
    Eduardo, no nordeste o PSDB praticamente não existiu politicamente a nível presidencial, a Dilma apenas perdeu , de forma apertada, para Marina em Pernambuco por ser o estado natal do Eduardo Campos e somente por isso, mas nos demais estados saiu vitoriosa, tenha a certeza que no segundo turno a votação da Dilma vai ser muito superior ao do Aécio, em resumo os votos da Marina nessa região migrarão em sua maioria para a Dilma, já no sul e sudeste não vejo dessa forma, portanto o PT deve explicar nessas regiões o que representaria a volta do PSDB ao poder (toc,toc,toc).

  18. O fundamental agora é bater com tudo, nos programas eleitorais e nos debates.
    Chega de passividade e bom mocismo.

  19. Uai os mineiros estão falando:

    QUEM CONHECE AÉCIO VOTA DILMA

  20. Edu,

    Sou sincero em lhe dizer que de ontem para hoje até o meio da tarde eu estava um tanto quanto depressivo.

    Mas, estou novamente animado. Uma pergunta: Será que é de interesse do Sr. Geraldo Alkimin e de José serra que Aécio se eleja?

  21. É a economia, meus caros e Edu. É a economia.
    E posso dizer por Brasília onde fenômeno parecido aconteceu, pois Dilma perdeu feio no DF para Aécio e Marina –, necessariamente nessa ordem.
    O custo de vida aumentou. A classe média como em todo o Brasil também, mas pra quem já era — e falo sobretudo de funcionários públicos, profissionais liberais e etc. — a situação salarial está estagnada desde a entrada da Dilma. Boa parte dos militantes do PT em Bsb faz parte desse grupo. E adivinhe o que foi fartamente divulgado por aqui como um dos motivos para derrocada geral do PT na capital: a falta de empenho da militância!!! Agnelo nem entrou no 2 turno — perdeu em TODAS as regiões, até nas mais pobres — e apenas um federal foi eleita.
    A onda de msgs de pessoas conhecidas são todas pro-Aécio. Quem eu conheço que apoia o PT está calado. A onda está se formando e não acho q essas pessoas deixarão de votar no PSDB com o argumento da volta aos fantasmas do passado. É hora de mudar um pouco do discurso, para não deixar o jogo virar, pois temos q reconhecer: o momento, agora, é do PSDB.

    • Profissionais liberais descontentes com o governo Dilma? que conversa mole.

      O Governo Lula com os concursos absorveu a maioria dos profissionais liberais cuspidos por FHC. ( 10 anos em concurso e povo sem dinheiro e sem aumento e sem emprego para pagar seus dentistas)

      A Receita Federal absorveu os médicos e dentistas e advogados desempregados via concurso no governo Lula. Um concurso a cada 2 anos com bons salarios.

      Por essa época também (Lula Dilma ) apareceram os planos Odonto do governo e já absorveu mais uns tantos dentistas.

      • O povo cria muitos filhos, e estes crescem, e querem emprego.

        Os outros países fazem guerras e exploram outros países para conseguir manter seu povo.

        Nós não fazemos e a diferença a aparece….

        Mas garanto que um governo PSDB faria a desgraça maior….

  22. Edu, você viu as imagens dos candidatos ontem no JN? Chamou muito a minha atenção o fato de Aécio Neves aparecer, 1º, cercado de gente por todos os lados, e depois, à frente de uma quantidade enorme de microfones, num clima triunfal, enquanto Dilma aparece numa sacada sozinha, isolada. É evidente que, se quisessem, poderiam fazer imagens semelhante da presidente. Estaria a Globo usando da linguagem semiótica em favor do candidato da oposição?

  23. Caro Edu e pessoal,
    Trabalho duas noites a cada semana no setor elétrico, reconheço que foi um baque a primeira noite (passada), recebi um casal de amigos de Balneário Camboriú que votam em Blumenau(Marina) e lhe digo, até eles se assustaram, e já estão revendo o tal do voto por opção “programática”…
    Na segunda noite (hoje), já absorvido o golpe, sai a emoção e vem o racional analisar:
    Edu, vc trabalha com vendas e antes de eu ser engenheiro também, com lubrificantes, e lhe digo com desconforto que SC onde moro é um extrato de SP, uma caricatura do original, e vota parecido, e sempre me disseram, teste um produto em SC, deu certo, dará certo em SP, mas fiquei surpreso com o PR, tenho amigos de direita lá e o discurso deles está muito raivoso. Mas o resumo do comentário é que acho que Dilma passará por Aécio no final, veja.
    Dilma não pode deixar Aécio ganhar em MG, no RJ e no RS.
    A região da Serra Gaúcha enraiveceu me parece e foi maciça em Aécio (região mais rica do estado), mas o oeste e a metade sul do RS onde nasci votou forte com Dilma e é semelhante ao NE com suas carências, mas a indústria naval de Lula já dá retorno à população: Minha cidade natal Rio Grande com portos e estaleiros com 220.000 hab e dois shoppings e Pelotas com 300.000 hab e 1 shopping só viram estes centros comerciais chegarem agora nestes dois últimos anos. Dilma tem que garantir estas trincheiras: MG, RJ e RS e veja só Edu:
    Pernambuco tem 2,3 milhões de votos em jogo de Marina fora do páreo dos quais cerca de 1,5 milhões devem se alinhar com Dilma com a média do NE e se Luciana Genro tiver a grandeza que o momento exige mais 1,5 milhão mais o valor simbólico para a juventude devem ser quase mais 2,0 milhões. Acho que Aécio vai fazer barulho, mas está perto do teto, não tem muito espaço no Centro Oeste (equilíbrio) e MG e RJ podem anular ou diminuir o estrago de SP. A metade sul do RS tem o mesmo efeito nos estados do Sul e Dima ainda tem gordura no Norte e Nordeste que devem se assustar com o discurso de ódio que se avizinha. A coisa é delicada neste momento, mas como se percebe nem todo eleitor do Sul e Sudeste tem esse ódio, Dilma e Lula sem se expor passando ideia de desespero tem que baixar a temperatura desse segundo turno, mas acho que se o PT Dilma, Lula e aliados não errarem, Santana começar a mostrar o que Dilma fará e não o que fez, além de bater duro no playbói FHC & cia descansarão em paz por + 4 anos.
    Pra finalizar Edu, não quero o mal de SP, mas se faltar água em SP, será de uma prporção bíblica, SP não aceitará 1/100 dos sofrimento que o NE está acostumado, seria guerra civil e o PSDB depois de tentar botar a culpa em Dilma será apeado do poder, pode anotar aí.

  24. Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Ivo Pugnaloni
    Mas precisa deixar livre e estimular sua militância de 800 mil filiados para fazer aquilo que ela mais gosta: ir para a rua pedir votos, mas não de mãos vazias. Mas sim, com uma pequena revista na mão, que contenha gráficos das principais conquistas dos nossos governos nas áreas da habitação, do poder aquisitivo do salário mínimo, dos juros, da inflação, da educação, da saúde etc.
    Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Mas antes precisa convencer-se de novo que ele, o PT, é um partido. E não um ministério do governo, onde quem manda é o presidente da república. Um partido é por definição uma organização social que possui vontade própria, iniciativa e vida interior suficiente para realizar formação política, fazer circular informações de qualidade, dar sua versão dos fatos, promover debates nos sindicatos, nas associações de moradores, nas comunidades, nas escolas, nos espações públicos. Um partido dever ter, pelo menos, um jornal de circulação nacional, impresso e on-line, que sirva para não apenas para prover informação com a sua visão dos fatos, mas para aprimorar a educação política dos simpatizantes, organizá-los ao organizar sua distribuição, venda e confecção. Um partido deve ter esse jornal próprio, que possa servir de “cartão de visita” dos seus militantes, para que estes, como fazem os vendedores, os empresários e os representantes de qualquer empresa ou órgão público, que logo após conhecer alguém, dirigem ao novo interlocutor um sorriso e dizem não sem orgulho: “esse é o meu cartão”.
    Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Mas não pode esperar que só o programa de televisão e os blogs façam o mesmo papel que o debate político individual, humano, real e não virtual e eletrônico, que de uma forma ou de outra, apresentam os argumentos de uma forma apenas racional, lógica, programada. Monológica. E que nada tem a ver com um diálogo verdadeiro, na fila de ônibus, nas praças, nas portas das escolas, dos bancos , das fábricas e dos escritórios.
    Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Mas a militância tem que mais uma vez ser convencida de que ainda tem valor e muito valor, por essa liderança que de um modo geral, a desprezou, a trocou por um conjunto de 28 “marqueiros” que de empregados do PT passaram a comandantes em chefe de um exército de 800 mil militantes e mais de 3 milhões de simpatizantes que nem mesmo foi convocado para aluta e ficou em casa, apenas torcendo na TV ou gastando as pontas dos dedos e o tempo no “face” e no “twitter” pregando para quem já é convertido.
    Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Mas precisa, como em seus anos de partido forte, vivo, dinâmico, encher as ruas de bandeiras, de suas cores, sem medo de ser feliz ou de ser confundido com os mais de 15.000 presos que durante os mandatos de Dilma e Lula, ajudou a remover de funções publicas e da sociedade, nas mais de 2.800 operações que a Polícia Federal empreendeu em suas governos, contra apenas 28 nos dois governos do PSDB.
    Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Mas precisa deixar de lado o uso da estratégia e da tática de seus adversários, que por não possuir militância alguma, conseguiram que nos impuséssemos que nosso debate político com a população que mais ganhou com os governos do PT deveria dar-se apenas nos terrenos da televisão e da internet, nos quais onde afora os 11 minutos no almoço e os 11 minutos na janta, as outras 23 horas e 38 minutos são de propaganda dos nossos adversários.
    Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Mas suas lideranças precisam convidar e armar com folhetos sobre as realizações do PT a sua militância, para que esta faça o debate político em todos os momentos do seu dia-a-dia, nos ônibus, no metrô, nas salas de aula, nas aulas de história, geografia, português. Nos escritórios, na hora do almoço, nos intervalos, nas discussões nas lojas, no contato espontâneo com as pessoas, com os vizinhos e com os parentes.
    Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Mas a militância e os simpatizantes do PT, que segundo todas as pesquisas já somam 30% da população, devem receber dos programas de TV e da internet, um apoio, um estímulo claro, uma orientação sobre onde e como conseguir dados impressos para poder fazer a verdadeira campanha política, que ao contrário do que a preguiça e o oportunismo recomendam, não está atrás da TV ou apenas nos tecladinhos dos iPhones, mas na rua. Pois é na rua que se encontram os indecisos, os que votaram em Marina por engano, os que foram iludidos pela máquina de propaganda televisiva que apoia nossos adversários desde sempre.
    Ainda dá para o PT ganhar esta eleição.
    Mas as nossas lideranças locais, municipais, estaduais e nacionais precisam reler imediatamente nossos estatutos e regimentos internos. E em cada cidade, em cada bairro, precisamos nos reunir e programar cada dia do segundo turno. É preciso que façamos mapas, escolhendo as regiões das cidades onde faremos os nossos “panfletaços”. É preciso colocar pessoas para chamar por telefone os militantes para esses locais, ou por e mail. É preciso programar jantares e almoços por adesão, com categorias onde nosso trabalho sindical é mais intenso e antes, discutir esse trabalho de “formiguinha”, de casa a casa com eles. É preciso enfim, combinar a disputa virtual e eletrônica, com a disputa real, cara a cara, humana, viva, multifocal, não de uma candidatura, mas de um projeto de vida. Um projeto de país e de sociedade.
    Ainda dá para o PT ganhar esta e outras várias eleições.
    Mas precisamos, após passadas estas eleições de agora, reler nossos estatutos, pois lá estão nossas funções, nossos deveres, nossas obrigações, nossos princípios éticos, nossa maneira de fazer política. E não apenas no fácil e ingênuo procedimento de copiar a prática costumeira dos políticos dos outros partidos, que criam e dominam feudos, usam mandatos para assalariar consciências e transformam a liderança política em meros titulares de capitanias despolitizadas, preocupadas apenas com a sobrevivência do mandato, com a reeleição e não com a expansão da consciência política e da organização política dos trabalhadores de todas as áreas, de todas as profissões, de todas as áreas das atividades humanas.
    Ainda dá para ganhar esta eleição.
    Mas é preciso antes, querer ganhar! Se você tem dúvida e se pergunta “porque tudo isso acima foi esquecido, foi deixado de lado, quando era tão fácil de fazer”, pense em quanto pode ser ainda feito para transformar esse país. E em quanto nosso país poderá voltar para trás se continuarmos obedecendo a marqueteiros que teimam em querer usar apenas as mesmas táticas e os mesmos meios que usam nossos adversários, tendo 22 minutos por dia, para vencê-los.

  25. Como disse num comentário anterioror onde dou sugestões de como fazer, se eu fosse da coordenação da campanha da Dilma faria o primeiro e o penultimo programa eleitoral inteiro somente comparando a corrupção do PSDB e PT,e desafiando eles para o debate do tema. Não adianta mais só se defender e mostrar o seu lado precisa comparar ou perderemos a eleição. A fama de corrupto acabou pegando depois de tantos anos sem fazer o contraponto. Tem gente que vota no PT mas tem até vergonha de dizer.

  26. Edu ,nós não podemos fazer nada com relação a manipulação nas pesquisas ? Ontem, após um período de inércia ,voltei ao trabalho . A campanha de Dilma deve utilizar melhor o espaço na mídia e na internet . Fazer chamadas durante a programação .

  27. Edu, não aposte na passagem dos votos de Marina para aécio do jeito que a grande maioria está acreditando. A grande maioria dos eleitores de Marina são aqueles que não querem nem PT e nem PSDB. Vai ter muito voto em brando nos segundo turmo. Outro detalhe, provavelmente o PSB de Marina apoie Dilma e Marina apoie Aécio. Só isso já embola o meio de campo!!!! Da mesma maneira os eleitores de Luciana Genro e demais ex-candidatos se dividirão. Resta a militância sair as ruas e não se deixar levar pro pesquisas e jornais com informações viciadas.

  28. Eduguim, curto e grosso: não adianta falar mal dos paulistas, tem que apresentar uma proposta melhor que a do Alckmin… à distância – o Véio tá no cafundó – dá prá ver que SEGURANÇA é uma das palavras mágicas. Qual a proposta do PT e de certa esquerda? menos polícia, mais direitos para os manos, solta os presos, libera a maconha, passa a mão na cracolândia… sei não, acho que um trabalhador médio, tipo um Lula antes de ser O LULA, não gosta disso não… por certo, a resposta não é só porrada e mais porrada, tiro e mais tiro; mas só achar que bandido é bonzinho também não…

  29. Pessoal, tudo bem que a Marina deu muitos motivos para seus eleitores que não estão satisfeitos com o PT migrarem para o Aécio, mas uma boa parcela de eleitores que são manipulados pela mídia, e não são pucos aqui em São Paulo, principalmente no interior, foram seguindo exatamente o que a imprensa determinava durante a campanha, passaram de Marina para Aécio com a ajuda da mídia e depois que os artista Chitãozinho e Xororó junto com Zezé de Camargo e Vanessa começaram a aparecer nas propagandas com aquele música bem convincente para quem não esta nem ai com política e da seu voto pelos motivos mais superficiais possíveis, parece bobagem isto que estou colocando, mas é a mais pura realidade, moro no interior de São Paulo e tenho amigos petistas que moram também e sofremos muito com esta população que enxerga somente seus umbigos, são milhares que não se dão conta do risco que estão colocando nosso País e também não estão querendo saber, não adianta tentar explicar qualquer coisa, as respostas são as mesmas, “Não quero mais ouvir falar de corrupção, fora PT”. Queremos um governo mais feliz!!! Esta são as frases mais ouvidas no interior de São Paulo. Por isto, o Marqueteiro da Dilma não precisa se preocupar em explicar o que já foi feito, quem entende de política já entendeu e vai votar na Dilma de novo, quem reconhece que melhorou de vida neste governo, votou e vai votar de novo, o que precisa fazer é convencer estes milhares de manipulados, que o PT não é um partido corrupto e mostrar mais alegria nas propagandas. Ficar batendo no Aécio não vai adiantar, por que tem muitos e muitos que tratam política como Jogo de Futebol, porque será que colocaram Ronaldo grudado no Aécio? “Eles” conhecem o povo deste estado, aqui o importante é se achar melhor que o outros, votar no PSDB é modinha “status” , votar no PT é coisa de pobre. Bem assim. Fica a dica para quem tem contato com os Marqueteiros da Dilma. Quem coloca esta corja no poder do Estado de São Paulo é o INTERIOR!!!!

  30. “Eu estava sobre uma colina e vi o Velho se aproximando, mas ele vinha como se fosse o Novo.

    Ele se arrastava em novas muletas, que ninguém antes havia visto, e exalava novos odores de putrefação, que ninguém antes havia cheirado.

    A pedra passou rolando como a mais nova invenção, e os gritos dos gorilas batendo no peito deveriam ser as novas composições.

    Em toda parte viam-se túmulos abertos vazios, enquanto o Novo movia-se em direção à capital.

    E em torno estavam aqueles que instilavam horror e gritavam: Aí vem o Novo, tudo é novo, saúdem o Novo, sejam novos como nós! E quem escutava, ouvia apenas os seus gritos, mas quem olhava, via pessoas que não gritavam.

    Assim marchou o Velho, travestido de Novo, mas em cortejo triunfal levava consigo o Novo e o exibia como Velho.

    O Novo ia preso em ferros e coberto de trapos; estes permitiam ver o vigor de seus membros.

    E o cortejo movia-se na noite, mas o que viram como a luz da aurora era a luz de fogos no céu. E o grito: Aí vem o Novo, tudo é novo, saúdem o Novo, sejam novos como nós! seria ainda audível, não tivesse o trovão das armas sobrepujado tudo”.

  31. Legal usar o anonimato da web para chamar um dos mais importantes compositores que o Brasil, com todo o orgulho possui, de ignorante. O rapaz que escreveu isso ai embaixo tem um pensamento fantástico. O compositor, cantor, escritor e cidadão muito esclarecido sobre a nossa velha e atual forma de fazer política Chico Buarque que não tem rabo preso com ninguém, que não fica fazendo shows em cidades aniversariantes pelo Brasil afora, para levar em forma de cachês a verba que deveria ser usada em,benefício do povo, resolve com o seu caráter e responsabilidade de sempre declarar seu voto para para um dos candidatos e é considerado ”ignorante”? Tá certo Chico! Dilma neles no dia 26 de outubro.

  32. Não gosto que fale mal de nordestino.
    Veja o que esse individuo e seus amigos estão falando:https://www.facebook.com/adriana.mouco?fref=ufi
    R principalmente esse aqui:https://www.facebook.com/Peccatoclub?fref=ufi
    olha o que ele falou:Fernando Masson Fica provado que temos 53.800.000 de BURROS E ANALFABETOS e legítimos IMBECIS
    CRAPULAS QUE SÃO !!

Trackbacks

  1. A dimensão geográfica do resultado das urnas | CRÍTICA DA ECONOMIA POLÍTICA
  2. [ELEIÇÕES] | vinteculturaesociedade
  3. Paulo Moreira Leite: Dilma na campanha mais dura | MANHAS & MANHÃS
  4. » Avanço da direita em SP ameaça Nordeste e América do SulEntre Fatos
  5. Avanço da direita em SP ameaça No...

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.