A escalada do ódio político no Brasil

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

 

“Cinquenta (…) anos atrás [1957], um jovem fotógrafo do Arkansas Democrat (…) foi cobrir o primeiro dia de aula de um grupo de estudantes negros na maior e melhor escola média de Little Rock [Arkansas, EUA]. Esse pedaço de história ficou gravado no negativo de número 15.

Eram apenas nove os jovens negros selecionados pela direção do principal colégio da cidade, o Central High School, para cumprir a ordem judicial de integração racial no país. Segundo David Margolick, autor do recém-publicado Elizabeth and Hazel: Two Women of Little Rock (ainda inédito no Brasil), a peneira foi cautelosa. A busca se concentrou em colegiais que moravam perto da escola, tinham rendimento acadêmico ótimo, eram fortes o bastante para sobreviver à provação, dóceis o bastante para não chamar a atenção e estoicos o suficiente para não revidar a agressões. Como conjunto, também deveria ser esquálido, para minimizar a objeção dos 2 mil estudantes brancos que os afrontariam.

Assim nasceu o grupo que entraria na história dos direitos civis americanos como ‘Os Nove de Little Rock’. Eram todos adolescentes bem-comportados, com sólidos laços familiares, filhos de funcionários públicos e integrantes da ainda incipiente classe média negra sulista. Entre eles, a reservada Elizabeth Eckford, de 15 anos.

Os pais dos nove pioneiros foram instruídos a não acompanharem os filhos naquele 4 de setembro de 1957, pois as autoridades temiam que a presença de negros adultos inflamasse ainda mais os ânimos. Por isso, os escolhidos agruparam-se na casa de uma ativista dos direitos civis e de lá seguiram juntos para o grande teste de suas vidas. Menos Elizabeth, que não recebera o aviso para se encontrar com os demais e partiu sozinha rumo a seu destino.

De longe ela avistou a massa de alunos brancos passando desimpedidos pelo cordão de isolamento montado pela Guarda Nacional do Arkansas. Ao tentar fazer o mesmo, foi barrada por três soldados que ergueram seus rifles. Elizabeth recuou, procurou passar pela barreira de soldados em outro lugar da caminhada e a cena se repetiu. Alguém, de longe, gritou ‘Não a deixem entrar’ e uma pequena multidão começou a se formar às suas costas. Foi quando Elizabeth se lembra de ter começado a tremer. Com a majestosa fachada da escola à sua frente, ela ainda fez uma terceira tentativa de atravessar o bloqueio em outro ponto do cordão de isolamento.

Como pano de fundo, começou a ouvir invectivas de ‘Vamos linchá-la!’, ‘Dá o fora, macaca’, ‘Volta pro teu lugar’, frases proferidas por vozes adultas e jovens. Atordoada, dirigiu-se a uma senhorinha branca – a mãe lhe ensinara que em caso de apuro era melhor procurar ajuda entre idosos. A senhorinha, porém, lhe cuspiu no rosto.

Como não conseguisse chegar à escola, a adolescente então tomou duas decisões: não correr (temeu cair se o fizesse) e andar um quarteirão até o ponto de ônibus mais próximo. Um aglomerado de cidadãos brancos passou a seguir cada passo seu. Imediatamente às suas costas vinha um trio de adolescentes, alunas do colégio. Entre elas, Hazel Bryan: “Vai pra casa, negona! Volta para a África!’.

 Segundo o autor do livro centrado no episódio, foi este o instante em que a câmera de Will Counts captou a imagem que se tornaria histórica [vide foto no alto da página]. Hazel, de quinze anos e meio, não carregava qualquer livro escolar. Apenas uma bolsa e um inexplicável jornal. Ela não planejara nada para aquela manhã. Vestira-se com o esmero que era sua marca – roupas e maquiagem ousadas para uma adolescente daquela época – e arvorou-se de audácia ao ver tantos fotógrafos e soldados da Guarda Nacional. Nada além disso. O resto pode ser debitado à formação que recebera em casa – família de origem rural, ideário fundamentalista cristão, atitude racial aprendida com o pai (…)”

O relato acima foi escrito pela jornalista brasileira Dorrit Harazim, que já trabalhou na Veja, no Jornal do Brasil e na revista Piauí, que, em sua edição 62, publicou o artigo “Ódio Revisitado”, do qual você acaba de ler um trecho.

Em princípio, pode-se dizer que um artigo sobre ódio “racial” contra negros em um país de maioria branca não nos diz respeito. Contudo, a causa do ódio nunca é o mais importante. O ódio precisa de uma causa, qualquer causa…

Porém, basta que o leitor substitua ódio “racial” por ódio religioso, de classe social, político ou ideológico para ver que o mecanismo é sempre o mesmo. Começa com a formação de turbas incomodadas com portadores de diferença de “raça”, religião, classe social, naturalidade ou nacionalidade, opinião política ou ideologia.

O segundo passo das escaladas de ódio consiste na generalização contra portadores de diferenças como as exemplificadas acima. Todo negro, judeu, cristão, muçulmano, espírita, pobre, rico, nordestino, petista ou comunista passa a ser previamente definido com base em estereótipos.

O terceiro passo começa com a segregação voluntária dessas tribos conflitantes, que se distanciam conforme vão apurando a “razão” para não coexistir com quem não divide crenças, características físicas, estrato social ou posição geográfica.

O quarto passo do crescimento do ódio entre grupos é sua chegada aos meios de comunicação – antes impressos e depois eletrônicos. Provocações surgem entre grupos que controlam os grandes meios e os que não têm mídia – ou que, hoje, têm pequenas mídias graças à internet.

O quarto passo é o transbordamento para o mundo real do ódio virtual que se espalhou pelos meios de comunicação com a ascensão de líderes e figuras-símbolo a encarnar centenas, milhares, muitas vezes milhões ou dezenas de milhões de contrários. Esse ódio passa a se traduzir em trocas públicas de insultos.

O quinto passo começa tímido e, se não for interrompido, pode chegar ao sexto. Insultos e provocações já produzem agressões físicas aqui e ali. Incialmente tidas como fatos isolados, muitas vezes adquirem proporções epidêmicas, como vem ocorrendo há mais de uma década na Venezuela, onde, mais recentemente, dezenas perderam a vida em confrontos entre grupos políticos pró e contra o governo.

Abaixo, um dos exemplos dessa exacerbação do ódio que o Blog colheu no Facebook horas antes de publicar este post.

No Brasil, a escalada do ódio cresce há 500 anos por conta da assimetria de renda em um país consumista ao extremo, no qual, sem dinheiro, o cidadão torna-se um pária, um símbolo de fracasso pessoal premeditado. Mas como tudo que é ruim pode – ou tende a –   piorar, eis que o ódio passa a decorrer da mais perigosa das divisões, a divisão político-religiosa-ideológica, origem majoritária das guerras.

O grande problema do brasileiro, neste momento, é assumirmos, cada um, nosso quinhão de responsabilidade por uma escalada do ódio que, para alguns, em lugar de ameaça representa prova de seu poder de contaminação da sociedade, a ser comemorado.

Outro jornalista brasileiro que deixou a Editora Abril é Fred Di Giacomo, que hoje toca um site chamado Gluck Project. Di Giacomo, recentemente, escreveu “A história do Ódio no Brasil”. Trecho do texto ilustra a tese deste post.

‘Achamos que somos um bando de gente pacífica cercados por pessoas violentas’. A frase que bem define o brasileiro e o ódio no qual estamos imersos é do historiador Leandro Karnal. A ideia de que nós, nossas famílias ou nossa cidade são um poço de civilidade em meio a um país bárbaro é comum no Brasil (…)”

Poucos de nós são responsáveis pelo ódio político que tanto cresceu no país, mas boa parte de nossa sociedade é responsável por ter aderido a ele. Vale para o que espalha provocações na internet, vale para o que se deixa contaminar por elas e responde à altura.

Nos ambientes minimamente adequados ao debate político, vá lá que as coisas acabem esquentando. O problema é quando o ódio político ultrapassa qualquer limite aceitável e passa a ser espargido onde é, no mínimo, inaceitável que exista.

Mais de uma dezena de horas antes de compor o texto abaixo, seu autor teve uma experiência pessoal – e assustadora – com o crescimento do ódio político que fatores variados – e mais adiante elencados – produziram no país. O texto a seguir foi publicado por este que escreve em sua página no Facebook.

Nunca vou parar de me surpreender com o potencial desolador da ignorância. Minha mulher participava de uma “comunidade” virtual de mães de meninas com síndrome de Rett (doença de [minha filha] Victoria) e essas mulheres começaram a postar sem parar acusações ao PT de ser responsável pela morte de Eduardo Campos por o partido ter o número 13 e o falecimento ter ocorrido num dia 13.

Minha mulher protestou contra esse absurdo e recebeu de volta uma saraivada de insultos. Mas o que é mais impressionante é que mães de meninas com doença igual à de minha filha começaram a atacar a menina perguntando se ela também “é petista” e dizendo que até imaginam que “tipo de mãe” minha mulher deve ser, sendo “petista”.

A que ponto chegamos? Conseguiram envenenar este país ao impensável. Essas mesmas mulheres xingavam Dilma furiosamente e apelando para insultos que são sempre usados contra mulheres usando a própria condição femina – puta, vaca, vadia, vagabunda, prostituta, sapatão etc., etc., etc.

Ver mães de crianças especiais atacando crianças especiais por política, ver mulheres usando o mais vil recurso do machismo contra mulheres, tudo por causa de política, dá vontade de chutar tudo pro alto e fugir pro outro lado do mundo, bem longe dessa loucura que essa direita assassina, que jogou o país em 20 anos de ditadura, trouxe de volta para a nação

O desabafo (justificável pelo que relata), porém, não deixa de ser uma pitada de combustível na escalada do ódio ao debitar a um grupo ideológico (a direita) o comportamento espantoso de seus personagens. Mesmo sendo verdade, poderia ter feito o desabafo sem aumentar o potencial de conflagração que encerra naturalmente? Reflito que poderia, sim…

Para não acusar a terceiros, o blogueiro acusa a si mesmo na esperança de que cada um faça o mesmo, caso enxergue o crescimento do ódio no país.

Alguns dirão, com propriedade, que a grande imprensa, ao tomar partido político, levou a situação a esse ponto. Não há dúvida de que é culpada por exacerbar o ódio político no Brasil desde o advento da República, mas não se constrói uma casa sem tijolos. Se a mídia é construtora, quem são os tijolos dessa escadaria do ódio que estão edificando?

Em outras palavras, a mídia não poderia edificar essa escalada do ódio no Brasil se não tivesse farta matéria-prima. O mais dramático é que há tanta dessa matéria-prima espalhada por aí que não se sabe mais como recolhê-la em quantidade suficiente para que falte aos entusiasmados construtores do ódio. Nesse aspecto, sugestões serão mais do que bem-vindas. 

Tags: , , , , ,

195 Comentário

  1. A incitação do ódio contra governos e governantes sempre existiu e continuará existindo. Se hoje tem gente raivosa que quer matar a Dilma e o Lula, no passado haviam os que queriam matar o FHC, o Itamar e o Color…

    Ou será que existiu algum governante que conseguiu 100% de aprovação?

    • Esta certa sua afirmação, porem isso não significa que deveremos deixar de combater o ódio.

    • O PT, Lula, Dilma e o Congresso têm sua cota de responsabilidade neste ódio todo por não enquadrarem a imprensa nos limites da ética, da responsabilidade, do compromisso com a verdade dos fatos, do distanciamento partidário o que em hipótese alguma significa censurar.
      Mas acredito que ainda da tempo.

  2. Edu estou extremamente preocupado com a repercussão do caso EC nas Redes Sociais. Quase todos meus familiares estão recebendo posts no FB ou e-mail com o teor abaixo. Não há como confrontar isso porque não temos um contraponto. O fato de o PT não ter uma página oficial anti mentiras na internet colabora para que essas sandices se propaguem feito fogo na pólvora. Hoje cedo na lanchonete onde tomo café as pessoas estavam repercutindo isso e dizendo que o governo Dilma está escondendo a verdade do povo. E você e eu sabemos que quem conta um conto sempre aumenta um ponto. Então a versão hoje era que o avião chocou-se contra um helicóptero do exército e o governo está abafando. Leia a mensagem que um familiar meu passou a pouco. Outro receberam esta ou variações dela :

    “Achei coerente… Os motivos pelos quais não vou aceitar o argumento de acidente aéreo para a tragédia com a aeronave Cessna 560-XL:

    1 – a aeronave era relativamente nova, sendo fabricada em 2010;
    2 – ela tinha todas as revisões em dia, com inspeção anual válida até o ano que vem e ao contrário do que chegou a ser veiculado, não apresentou falha alguma em seu histórico de vôos;
    3 – as condições de adversidades climáticas encontradas na região na data hora e no local informado, não produziriam efeitos para o que se viu com as evidências de explosões antes de tocar as moradias, não estava chovendo e não havia nenhuma tempestade, estava garoando;
    4 – não há histórico de aeronaves que tenham arremetido e em razão da manobra tenham produzido efeitos para causarem explosão repentina de modo a não sobrar pedaço algum muito maior que vinte centímetros;
    5 – o piloto e a torre de controle mantiveram contato e na conversa gravada a que uma emissora de TV conseguiu ter acesso, não havia nenhuma anormalidade e houve um diálogo sob aparente normalidade, mas a mesma conversa apresentada não expõe até o final, ou seja, não apresenta até onde pode ter havido uma explosão;
    6 – mesmo em tragédias como as da Tam ou da Gol que foram as maiores já registradas no país, nunca houve um episódio em que os corpos das vítimas fossem despedaçados como foram os sete corpos dos sete ocupantes da aeronave;
    7 – Eduardo Campos se apresentava como uma opção entre Dilma e Aécio Neves, onde figurava como um candidato que causava desconforto para o PT porque poderia conquistar votos importantes no Nordeste brasileiro e incomodar a candidatura petista.
    8 – A aeronave sofreu duas explosões, uma que ocorreu na cabine do piloto, motivando a queda e fazendo a aeronave cair, motivo da inclinação repentina, seguida de outra maior que despedaçou os corpos e toda a aeronave, as explosões aconteceram de dentro para fora, haja vista que a porta da aeronave foi lançada para longe e tanto a aeronave como seus ocupantes foram despedaçados.
    9 – acidentes acontecem, aeronaves caem, mas aeronaves como esta que é considerada segura se despedaçar a ponto de não sobrar pedaços maiores é algo muito diferente do normal, não haver uma grande parte da aeronave inteira como é convencional, isso foge e muito da normalidade. Vejam os episódios do avião da Tam, ele pegou fogo sim, mas a aeronave se dividiu em grandes partes, esse avião se despedaçou por uma grande explosão.
    10 – vítimas de acidentes aéreos morrem com seus corpos queimados, não morrem com seus corpos despedaçados como foi o caso deste suposto acidente. Os corpos foram tão despedaçados que obriga exame por DNA e arcada dentária, já que não há como definir os pedaços dos corpos de cada ocupante sem os exames.
    Quando falo na candidatura petista, estou falando em uma candidata que no passado foi terrorista, empunhava armas pesadas, fuzis e metralhadoras.
    Quando falo em uma candidata terrorista, também falo no partido que produziu efeitos terríveis para alguns dos seus membros que não concordaram com os esquemas de corrupção que beneficiavam e beneficiam líderes de seu partido e de seus sindicatos.
    Quando falo em líderes deste partido e destes sindicatos, falo em membros que realizaram manobras durante os protestos realizados em todo o país, criando grupos de depredação para desestabilizar e remover a legitimidade dos protestos.
    Quando falo em remover a legitimidade dos protestos, também falo nos assessores do gabinete da presidência da República que pagaram para que membros do MST e do MTST fossem para as proximidades do Estádio Mané Garrincha durante a Copa das Confederações para queimar pneus simulando um protesto, que na verdade era organizado pelo próprio governo federal.
    O suposto acidente na verdade foi um atentado que tinha como propósito retirar da corrida eleitoral os nomes de Eduardo Campos e Marina Silva, que por sinal estaria no vôo, mas por conta de sua agenda mudou seu destino na última hora.
    Não foi acidente…”

    Se puder fale com o pessoal do PT e alerte-os que a pior coisa agora é ter postura de avestruz.
    Depois que esse câncer se espalhar não vai ter mais como segurar…

    Abraço,

    TB

  3. Interessante texto.
    Quanto à autocrítica- de ter atribuído à “direita” o ódio, a ditadura, enfim o “mal” concordo. Basta uma rapida olhadela nos comentários do blogue e verificamos “chorda”, “canalhas”, ” assassinos”, entreniutros impropérios, escritos por pessoas até bastante intelectualizadas. Críticas sempre pessoais, tal qual aqueles que xingam Dilma de vagabunda.

  4. Caro Xará,

    deixei ontem um comentário aqui.

    Tentei recuperá-lo hoje, mas qual, ele não está mais na primeira página e não descobri como alcançar as anteriores.

    Pode me ajudar?

    Grato

  5. Edu, bom artigo!
    Quem vive em SP e que transita junto a classe média entende muito bem o que o Eduardo está dizendo. Basta ir num bar, participar de eventos sociais, até familiares pra ver a gravidade.
    Eu creio que SP é de fato o atraso cultural civilizatório do Brasil. Sem sombra de dúvidas, é o ente federativo que mais cultiva o preconceito com as minorias de toda sorte. Que desqualifica brasileiros dos estados do norte e nordeste e que tem a soberba própria dos detentores do poder, a quem admiram. Este SP é referência nacional na contraposição de governos e ações inclusão, de igualdade e de soberania nacional. Não por acaso Getúlio foi seu maior inimigo. Não por acaso aqui tivemos um general que traiu Jango um dia depois de jurar fidelidade a ele e a Constituição.Onde tínhamos os piores senhores de escravos? Onde existiu a maior resistência a implantação de direitos trabalhistas? Onde uma polícia civil coloca camisetas de petistas em sequestradores para influir em eleição, senão aqui ou então que um coronel aconselha a manifestantes incluírem em suas pautas de reivindicações a ação penal 470?
    Eu não sei ao certo o que e até onde podemos fazer pra combater isso. Acho que algo abrangente tem necessariamente que passar pelo congresso, mas de antemão pra já, medidas podem ser tomadas e uma delas é em relação a internet. Este espaço não pode estar blindado da lei, pela razão simples de que os danos ali produzidos são os mesmos ou maiores do que os praticados por outros meios de comunicação. É inaceitável que se incite o preconceito e até o assassinato de pessoas e fique tudo …não existe no meio dessa turma toda ao menos alguém dos MPs da vida e do judiciário pra fazer algo minimamente sério?

  6. Há 82 anos, a “elite paulista” e a imprensa a seu serviço semeou o ódio (contra Getúlio, contra os gaúchos, cariocas, nordestinos, etc. etc.) a ponto de levar São Paulo a declarar guerra contra o Brasil. A história só se repete como farsa, mas as farsas também podem ser trágicas.

  7. ****:D:D . . . . ‘Tá chegando o Dia D: Dia De votar bem, para o Brasil continuar melhorando!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D . . . . Vote consciente e de forma unitária para o seu/nosso partido ter mais força política, com maioria segura. . . . . ****:L:L:D:D . . . . Lei de Mídias Já!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D … “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” *** * Joseph Pulitzer. ****:D:D … … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” *** * Malcolm X. … … … Ley de Medios Já ! ! ! . . . … … … …:L:L:D:D

  8. A Melhor resposta pra esses revoltados é ignorar…

  9. Em meu trabalho tenho sido vítima desse ódio por apoiar o PT . Chega a ser irracional a atitude de alguns .

  10. Estive acompanhando a página do Sr Jayme Rego Barros e parece que ele está arrependido. O que você acha Edu? Vou colar a retratação dele.

    Jayme Rêgo Barros
    NÃO ALIMENTE O MAL.

    É HORA DE ACORDAR, É HORA DE MUDAR!!! (GUERRA DA INFORMAÇÃO) · Sábado às 17:51 ·
    Ver no tamanho original · Enviar como mensagem · Denunciar foto

    Jayme Rêgo Barros
    “Recentemente, durante uma diarreia mental, escrevi uma grande bobagem aqui no Facebook, uma coisa semelhante à idéia representada na ilustração ao lado. Nunca mais farei isso na minha vida, estou revendo meus verdadeiros valores e me tornando mais sensato. Infelizmente, quem curte e recebe postagens de páginas assim termina, mais cedo ou mais tarde, sendo influenciado pelos pensamentos e idéias totalmente negativos divulgados por elas. Pior ainda: torna-se um divulgador automático e inconsciente de coisas irresponsáveis como essa. Não vou ajudar a disseminar o ódio político entre as classes, o meu papel não é esse, NUNCA foi e JAMAIS SERÁ. Eu sou um homem ético, reconheço meu erro e não o repetirei, mas existem pessoas que não pensam assim. A consequência, aqui no Facebook, da minha postagem infantil e tola, foi ser duramente criticado por ativistas do PT e até agradeço a eles por isso porque as críticas deles me fizeram um bem enorme, me fizeram ser enxergado através dos outros e EU NÃO GOSTEI DO QUE VI. A imagem refletida no espelho dos pensamentos alheios estava distorcida e equivocada, imediatamente eu acordei e pensei: ESSE NÃO SOU EU. As minhas verdades são nobres, superiores, respeitosas e não tem nada a ver com o que essas pessoas estão pensando sobre mim. Fui mal interpretado e compreendo isso. Muitos ficaram com medo achando que eu sou algum tipo de psicopata, terrorista, atirador maluco ou coisas do tipo. Eu não sou nada disso, eu sou apenas um imbecil que, durante um momento impensado e inconsequente, escreveu uma grande bobagem. Agradeço a Deus pela oportunidade de ter aprendido e amadurecido MUITO através disso. Nunca é tarde para mudar de mentalidade e alterar seu próprio estado de consciência para um nível melhor. Devo afirmar que idéias ERRADAS como essas são defendidas em várias páginas daqui do Facebook e eu NÃO CONCORDO COM ISSO. Acredito agora que até faz mal frequentá-las, elas transmitem idéias negativas e ruins. Quem me conhece sabe que eu não sou radical, não sou pregador de nenhuma ideologia do ódio e não incentivo a violência entre as pessoas. Sei muito bem que incitar a violência é algo ERRADO e dirigir ameaças a qualquer chefe de Estado também. Aí vai o meu conselho: Não curtam páginas que alimentam o ódio, mesmo que seja em tom irônico ou por brincadeira. Elas podem ser nocivas e tem muito cabeça de vento por aí alienado pela mídia, pelas redes sociais, por pessoas mal intencionadas na Internet que fazem postagens desse tipo, mas nem a cara mostram. A minha vida está aberta, eu não tenho o que esconder. Eu nunca usei de métodos violentos para resolver nada na minha vida, nunca briguei com ninguém, não tenho nem mesmo um estilingue para matar um passarinho (e mesmo se tivesse não o faria), nunca participei de baderna, de atos de vandalismo, depredação ou coisa parecida. Sou uma pessoa civilizada e sem antecedentes criminais. O meu passado é limpo e o meu futuro sempre será porque eu acredito na democracia brasileira, sou defensor da liberdade de expressão usada com responsabilidade e maturidade, sou contra as injustiças e as desigualdades sociais, sou a favor de um Brasil melhor e mais justo para todos, acredito que o povo deve ter o direito sagrado de escolher os seus representantes e não odeio a Dilma Rousseff. Por ironia, foi exatamente nela que eu votei para presidente. Um abraço a todos.”

    • Tem esse outro post que me parece que agora ele deve estar no caminho certo. Acho que valeu a pena o puxão de orelha. Veja abaixo:

      Jayme Rêgo Barros com Samir Abou Hana II e outras 19 pessoas

      Aviso: “Estou mudando a minha política de postagens aqui nessa rede social. Antes de postar qualquer merda aqui no Facebook envolvendo acontecimentos políticos e principalmente os próprios políticos, passarei no mínimo uns 2 meses pesquisando a veracidade da informação. Durante esse tempo talvez até me esqueça do que estava fazendo e, no final das contas, termine não postando mais nada. Melhor assim. Não serei mais otário de ficar postando qualquer coisa, sem nenhum critério de avaliação, e também submeterei a postagem a uma rigorosa análise crítica através de sucessivas linhas de interpretação e um caleidoscópio de raciocínios. Notícias vindas de blogs sensacionalistas e tendenciosos serão sumariamente descartadas. Só fontes OFICIAIS terão vez na minha timeline. Um abraço a todos”

  11. OS PLANOS DIABÓLICOS DA CIA PELO MUNDO.
    FALEI AQUI E VOU REPETIR: A CIA, QUE ESTÁ COM UMA GRANA ALTA NESSA ELEIÇÃO, SABE QUE O AÉCIO NÃO VAI DERROTAR A DILMA. ENTÃO O QUE ELA FAZ? TIRA O EDUARDO DA DISPUTA (QUE NÃO ERA CONFIÁVEL PARA UM ACORDO COM OS PLANOS DELA POR CAUSA DO SEU “ESQUERDISMO,” ENTÃO COLOCOU A MARINA QUE É BASTANTE AMBICIOSA, PORTANTO CONFIÁVEL PARA OS PLANOS PARA VENCER A DILMA NAS ELEIÇÕES. NAS DÉCADAS DE 50/60 A CIA (QUEM É QUE NESSE MUNDO QUE NÃO QUERIA TER UMA CIA EM SEU PAÍS), ACONTECEU ASSIM: O CANDIDATO ANTI-AMERICANO ESTAVA COM 50% DAS INTENÇÕES PARA GANHAR E O CANDIDATO DA CIA COM 20% E DUAS SEMANAS ANTES DAS ELEIÇÕE ASSASSINARAM O CANDIDATO DA CIA, AÍ COM MUITA GRANA NA ELEIÇÃO E A IMPRENSA NA SUA MÃO, ACUSARAM OS PARTIDÁRIOS DO ASSASSINADO (ARRANJARAM E PRENDERAM ATÉ UM “CRIMINOSO” “CONFESSO”) E TODO O POVO LOCAL FICOU REVOLTADO COM O CRIME E VOTARAM MACISSAMENTE NO CANDIDATO DA CIA QUE VENCEU AS ELEIÇÕES COM MAIS DE 80% DOS ELEITORES! OS VELHOS ESCLARECIDOS SABE DO QUE ESTOU FALANDO…
    O PSB ESTÁ MUITO CERTO DE QUERER UMA INVESTIGAÇÃO PROFUNDA PORQUE OS SEUS PARTICIPANTES SABEM DO QUE ESTOU FALANDO. É O PIOR QUADRO É QUE OS PERITOS QUE VÃO INVESTIGAR A QUEDA DO AVIÃO EM QUE EDUARDO ESTAVA, VIERAM DOS EUA E SÃO AMERICANOS… É BOM LEMBRAR A QUEDA DO AVIÃO DO MARCOS FREIRE E SUA MORTE COM OS TRIPULANTES. MARCOS FREIRE ESTAVA RESOLVIDO A FAZER A REFORMA AGRÁRIA DE QUALQUER JEITO E TINHA UMA OPOSIÇÃO ODIOSA DOS FAZENDEIROS E DOS MILITARES… E MORREU OU FOI ASSASSINADO?

  12. CORREÇÃO:

    …ACUSARAM OS PARTIDÁRIOS DOS OPOSITORES DO ASSASSINADO (ARRANJARAM E PRENDERAM ATÉ UM “CRIMINOSO” “CONFESSO”) E TODO O POVO LOCAL FICOU REVOLTADO COM O CRIME E VOTARAM MACISSAMENTE NO CANDIDATO DA CIA QUE VENCEU AS ELEIÇÕES COM MAIS DE 80% DOS ELEITORES

  13. Parabéns pelos textos iluminadores. Tanto aquele postado no facistbook quanto o original deste post e os de autoria de outros pensadores. Concordo plenamente com a tese de que somos todos responsáveis pelo dever de transformar a realidade em algo melhor para toda a humanidade. Muito precisa e elucidativa a ponderação de que o papel deletério da mídia na promoção do ódio generalizado só encontra espaço para perverter a sociedade em razão da existência de tantos indivíduos que fazem do ato de odiar sua prática cotidiana. E espero também adquirir a capacidade essencial de contribuir para o combate ao ódio, através da construção de uma lucidez que saiba prezar a tolerância, a igualdade de direitos e a dignidade humana.

  14. A MARINA, UMA MULHER DITA DE ESQUERDA, USANDO A LINGUAGEM DOS MILICOS DE HOJE E DOS REACIONÁRIOS DE SEMPRE. TODOS SAUDOSISTAS DA DITADURA MILITAR. CHAMA OS GOVERNOS DO LULA E DA DILMA DE “REPÚBLICA BOLIVARIANA SE REFERINDO AO GOVERNO DA VENEZUELA DO HUGO CHAVES. VOCÊ, MARINA, GOVERNAR O BRASIL HOJE É BEM MAIS FÁCIL, PORQUE O LULA, LIMPOU A CASA E A DEIXOU BEM LIMPA PARA A DILMA INICIAR O SEU MANDATO. LULA RECEBEU DO IRRESPONSÁVEL E TRAIDOR DA PÁTRIA, FHC, UM BRASIL FALIDO E DESACREDITADO INTERNACIONALMENTE E SOUBE ERGUER ESSA NOSSA QUERIDA E AMADA PÁTRIA, JUNTAMENTE COM A DILMA, AO PONTO QUE ESTAMOS HOJE. AS SUAS CALÚNIAS E DOS ETERNOS VENDILHÕES DA PÁTRIA, NÃO VÃO FAZER A DILMA CAIR NAS PESQUISAS. AINDA MAIS AGORA COM O HORÁRIO ELEITORAL A SUA DISPOSIÇÃO. A DILMA VAI PODER MOSTRAR AS SUAS OBRAS QUE A REDE GLOBO E A IMPRENSA BRASILEIRA NÃO DIVULGAM E EM SEU LUGAR VEM SÓ CALÚNIAS, COVARDIAS, BAIXARIAS E ETC. A NOSSA LUTA TEM COMO FATOR PRIMORDIAL, O BEM ESTAR DO POVO BRASILEIRO, PRINCIPALMENTE DOS MAIS POBRES E A SOBERANIA DESSE NOSSO QUERIDO BRASIL!!!
    OBS. O LULA E A DILMA NÃO DEVEM VIAJAR NO MESMO AVIÃO. A CIA É CAPAZ DE TUDO E É MESTRE NESSES TIPOS DE ACIDENTES OU ASSASSINATOS… VALHAM-TE DEUS LULA E DILMA!

Trackbacks

  1. Blog da Cidadania aponta "escalada do ódio político no Brasil" - Portal Geledés
  2. » A escalada do ódio político no BrasilEntre Fatos
  3. [S]OCIEDADE | vinteculturaesociedade
  4. A escalada do ódio político no Br...

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.