Mídia e militantes de direita e esquerda buscam lucro político na derrota da Seleção

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

 

Até parece que a derrota esportiva é culpa de Dilma Rousseff. Já após o segundo gol da Alemanha, grandes portais, blogs e redes sociais foram infestados por milhares de comentários e fotomontagens buscando vincular a presidente da República ao desempenho da Seleção.

No Mineirão, a mesma “torcida” dos camarotes VIPs repetiu os mesmos insultos à presidente que foram disparados na abertura da Copa, em São Paulo, na Arena Corinthians, em 12 de junho último. Reapareceu o já famigerado “Dilma, VTNC!”, que, segundo o Datafolha, foi abominado por 76% dos brasileiros.

Enquanto isso, militantes de esquerda e direita da oposição ao governo federal e ao PT se esbaldavam na internet com comentários comemorativos ao vexame do “escrete canarinho”, sempre buscando relacionar a presidente da República ao resultado de Brasil e Alemanha.

Segundo a Folha de São Paulo, os grupos que promovem protestos violentos contra a Copa acham que esses protestos irão crescer por conta da derrota do Brasil. Vários sites que apoiam esses movimentos dizem, sem pudor, que a derrota do Brasil dá razão aos que criticavam a Copa (?!!).

No portal UOL, colunista da Folha já contabiliza, um a um, todos os lucros políticos que acha que a oposição irá colher da derrota do Brasil. Já não há mais vergonha ou pudor em julgar o governo pelo resultado da Seleção em campo.

A oposição a Dilma, porém, foi mais esperta, desta vez. Segundo a mesma Folha, Comemorar fiasco é tiro no pé, diz oposição. A matéria afirma que tanto Aécio Neves quanto Eduardo Campos se abstiveram de tentar faturar politicamente o desastre desportivo do Brasil.

Mas de que adianta isso se a militância desses candidatos – e a de partidos de esquerda que empregaram todos os meios imagináveis para melar a Copa – mostram o contrário publicamente?

É como no caso do Bolsa Família, que os candidatos tucanos a presidente Geraldo Alckmin (2006), José Serra (2010) e, agora, Aécio Neves sempre disseram que apoiavam, mas ninguém acreditou porque a militância tucana dizia – e ainda diz – o contrário.

Como no caso dos insultos a Dilma na abertura da Copa, é possível que novos insultos também sejam condenados pela maioria, que também pode condenar a tentativa de tirar votos da presidente usando fato sobre o qual ela não tem responsabilidade, o desempenho da Seleção.

Claro que a dimensão da derrota foi muito grande e mexeu muito com as pessoas. Independentemente de posição político-ideológica, não há brasileiro “normal” que tenha escapado de um sentimento avassalador de tristeza – à exceção dos que comemoraram a derrota da Seleção, que são tão minoritários quanto os que insultaram a presidente.

É muito alta a aposta dessa militância troglodita que partidos de direita e esquerda espalharam pela internet e pelas ruas. Claro que tudo pode acontecer, mas a lógica insinua que aquela militância só está expondo o que seus candidatos tentam esconder.

Tags: , , , , , , , ,

169 Comentário

  1. O fato muito bem colocado aqui é a rapidez e a truculência da mídia e das oposições para tirar vantagem de um momento frustrante. Aliás, pelo tamanho garrafal das manchetes era para se esperar no dia seguinte, uma noite de São Bartolomeu no país. A superação dessa copa vai ser mais rápida do que se pensa. Hoje a coluna do Jânio de Freitas fala numa coisa oportuna, tanto é preciso reinventar nosso futebol como é preciso reinventar nossa imprensa. E digo mais, a dor da perda do hexa só não foi maior por conta do ‘remédio neoliberalista’ que nos impuseram a partir do final dos anos de 1970 e 80. Entenderam todos, a partir da seleção da Alemanha, que futebol é empresa e empresa é negócio muito maior do que uma simples paixão. E quem apostava também levava dinheiro. Só para concluir: a CBF ganhará mais de 40 milhões se o Brasil ainda conseguir o terceiro lugar. Pouquinho dinheiro, não? Para uns cartolas tão incompetentes e que investem tão pouco em nosso futebol.

  2. Edu !

    Acho que o nível da Cantareira , transbordou , pois está um cheiro estranho aqui de ….. da direita golpista !!!

  3. Excelente texto!

  4. Ninguém mudará o futebol brasileiro; porque a mídia golpista não quer isso. Ela ganha com este estado de coisas. Quem tem a coragem de mexer com os empresários que movimentam milhões. Se o pig quisesse, faria como fez no “apagão” do governo tucano. Fez campanha para o povo aceitar a falta de luz.

  5. Jabor e suas cretinices conhecidas internacionalmente.

    https://www.youtube.com/watch?v=qeSpWAcJlfg

  6. Olha só quem vem reclamar de “uso político”! Você viu uso político até na morte do Bussunda, Sr. Eduardo Guimarães! E foi devidamente posto em seu lugar pelo Luis Weis no Observatório da Imprensa. Se esqueceu disso, Sr. Eduardo Guimarães?

    • Aí é opinião sua. O Luis Weiss simplesmente impediu o Observatório de publicar minha resposta. PS: como você é um leitor antigo, publico sua opinião, apesar da insolência. Afinal, é fiel leitor há muito tempo. Não deixa de ser um elogio, apesar do previsível recurso dos sem criatividade que, nesses casos, dizem que leem alguém durante tantos anos “para se divertir”.

  7. Eduardo, se não me engano você disse que possivelmente se o Brasil ganhasse a Copa do mundo, seria ruim para a oposição. Ou seja, seria lucro pro governo.
    E o contrário? Ou seja, a perda da Copa ser ruim para o governo. Você acha possível?

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.