A primeira semana de Dilma, 3 anos e 4 meses depois

 

É muito, muito arriscado fazer profecias. Essa é a razão pela qual este Blog nunca fez uma. Contudo, este é o momento para rever o que foi escrito aqui 3 anos e 4 meses atrás; mais precisamente, no dia 9 de janeiro de 2011. À época, disseram que aquele texto não passava de “exercício de futurologia”. Vejamos hoje, então.

O post “A primeira semana de Dilma” (2011) não fez uma profecia – até porque, o que pareceu “profetizado” não se concretizou e, se a sorte nos sorrir, não se concretizará. Aquele texto fez, simplesmente, um exercício da mais pura lógica, um exercício mental baseado nos fatos então disponíveis, mas que, à luz dos dias que correm, parece ganhar caráter “profético”.

O resgate daquele texto se faz em momento adequado – talvez o último de 2014, antes das eleições. Aqui se propõe à presidente Dilma e ao seu partido estratégia político-eleitoral a ser encetada nos próximos meses. Uma estratégia que se coadune com o tipo de jogo que seus adversários pretendem estabelecer no período que se avizinha.

Sejamos diretos: só a presidente da República tem como denunciar publicamente a atuação político-partidária dos grandes meios de comunicação, inclusive das concessões públicas de rádio e tevê que, de forma ilegal, vêm trabalhando a favor do PSDB em todos os níveis da administração pública (federal, estadual e municipal) e que, neste ano, por via das dúvidas, colocaram seus pés mastodônticos também no barco do PSB.

Só para contextualizar: a mídia partidarizada faz racionamento real de água em São Paulo virar racionamento imaginário de energia elétrica. Com São Paulo às portas de um desastre ambiental na Cantareira e explosão no preço da água, o que toma as manchetes são futricas sobre o custo da eletricidade, que despencou no Brasil.

Vamos, então, ao texto de 2011. Havia passado uma semana e dois dias desde a posse de Dilma e seus primeiros movimentos induziram a crer que sua atuação política ao longo dos anos seguintes seria o que acabou sendo, com os resultados que todos temos visto e sobre os quais há que refletir enquanto ainda é tempo.

—–

A primeira semana de Dilma

Publicado no Blog da Cidadania em 9 de janeiro de 2011

Por Eduardo Guimarães

No sábado, completou-se uma semana desde que a presidente Dilma Vana Rousseff tomou posse e começou a governar. Desde a posse até o presente momento, os movimentos iniciais do novo governo – repletos de simbolismo – induzem à crença em uma drástica mudança de estilo na Presidência da República, ao menos do ponto de vista político.

A começar pela diferença entre a posse de Lula, em 2002, e a de Dilma agora. Há oito anos, Lula chegou ao poder passando por uma campanha eleitoral light, em que a virulência da direita foi constrangida pelo estado de miséria em que estava o país; Dilma se elegeu na campanha mais suja e violenta desde a redemocratização, que deixou a de 1989 na poeira.

Já nos discursos de posse de cada um, afloraram os indícios do que seria o governo Lula e do que será o governo Dilma. Lula fez um discurso politizado, com referências à “esperança” ter “vencido o medo” – referência que enlouqueceu de raiva a direita e a mídia – e ao preconceito por ele não ter diploma universitário; Dilma fez um discurso burocrático e despolitizado.

Aliás, enquanto que o discurso de Lula, em 2002, foi de afronta aos inimigos políticos que amealhou nas três campanhas eleitorais anteriores (1989, 1994 e 1998), o de Dilma foi todo no sentido de amainar os ânimos ainda exacerbados ao espantoso durante a campanha eleitoral.

Houve dois momentos isolados de maior emoção no discurso de posse de Dilma e nas duas vezes ela foi às lágrimas. No primeiro momento, ao se emocionar com a afirmação de que era presidente de “todos os brasileiros”, como que propondo a “paz”; no segundo, ao lembrar dos colegas que tombaram diante da ditadura, da qual a presidente garantiu não guardar rancor.

Durante a primeira semana de Lula, declarações sobre “Herança Maldita” e de que “A esperança venceu o medo” exacerbaram o clima político de uma forma que dura até hoje – mesmo depois de ele ter deixado o cargo, continua sendo atacado pela mídia como se ela quisesse lhe dizer que agora pode insultá-lo sem que tenha como reagir, pois não tem mais o palanque presidencial.

A primeira semana do governo Dilma foi fria, do ponto de vista político, e restrita a fotos de reuniões da presidente com sua equipe de governo, sem que se metesse nas polêmicas da estadia de Lula e família em instalações militares e dos passaportes diplomáticos dos seus filhos.

Acostumados que estamos a ver o ex-presidente fazer discursos diários durante anos, com respostas aos ataques da imprensa, com críticas às elites, a potências estrangeiras, de exaltação dos feitos que o seu governo inegavelmente ia logrando, enfim, com a emoção transbordando por cada poro, todos estão sentindo que Dilma pretende despolitizar o seu início de governo.

Haverá que combinar com os russos. Dilma tem imensos abacaxis para descascar, como a questão dos aviões militares que o Brasil tem que escolher ou o caso Cesare Battisti e o projeto do marco regulatório da mídia, nos quais o novo governo terá que se posicionar, em algum momento.

Há vários fatores que explicam a postura de Dilma. Em primeiro, sai de cena a emotividade de Lula para dar lugar à atitude sempre cerebral que marca o perfil técnico da presidente, em contraposição com a formação eminentemente política do antecessor.  E também o fato de que ela ainda parece pretender desfazer a especulação de que seria mais de esquerda do que ele.

A menos que Dilma comece a ceder sem parar às exigências da direita midiática, confrontos surgirão. Se o seu governo não se tornar tucano, terá que enfrentar o debate político. A única manifestação que a mídia não poderá ignorar ou distorcer muito será a dela. Se não se manifestar, seu governo será censurado.

É cedo para dizer que Dilma cometerá o erro de governar o Brasil como uma gerente. Mas se fizer isso, será, sim, um erro. O cargo de presidente é político. Os brasileiros votaram nela seguindo um líder político – o maior da história brasileira, ao lado de Getúlio Vargas. Ninguém segue gerentes. E sem liderar politicamente, ela não se reelegerá.

Tags: , , , , ,

75 Comentário

  1. Triste realidade.

  2. Edu, sou relativamente novo aqui no Cidadania e não tinha lido seu texto de 2011. Simplesmente extraordinários, o texto e a lucidez !!! Faz-se urgente que Dilma reuna-se com os todos, repito todos, os blogueiros que a apoiam e alinhavem um programa de resistência e combate às investidas do PIG. Venceremos, Edu, pois, juntos, somos perfeitamente capazes de triturar esses calhordas do PIG. Receba um fraterno e caloroso abraço desse seu admirador. Até a vitória, companheiros !!!

  3. Emocionante! Lembro me vividamente de ter lido esse post a primeira vez, Edu!

  4. Eduardo, estou com o saco cheio de defender estes … que NÃO se defendem e se calam.
    Agora mesmo em um churrasco em casa discuti com meus tios que vieram com o papo da bolsa prostituta e presidiário.
    PQP, que stress do …
    Este governo de tucanos infiltrados ainda ENCHEM O .. DESTA MÍDIA VAGABUNDA GOLPISTA.
    Já estou começando a desanimar e DESISTIR.
    Abraços.

    • Realmente é extenuante a sensação de combater a direita raivosa sem o amparo POLÍTICO do governo. Com todo o ônus, acredito que foi muito válida a postura da DILMA, deixando muito clara sua identidade própria, que a citada direita lutou para apagar, sempre vinculando-a ao Lula, não que a comparação desmereça, obviamente, mas a tentativa sempre foi de diminui-la. A direita raivosa ainda está perdendo. Se DILMA se aventurasse a ser mais política, soaria falsa, cairia do cavalo, tamanha a estatura de Lula (construída em três campanhas até a vitória), além de não conseguir realizar um terço do que já fez em dobradinha com Lula e do que vem fazendo. DILMA era, segundo a mídia maldita, um poste ! Suas realizações são excelentes! Senti um certo pânico com a “profecia”, mas não posso me deixar dominar pela “Síndrome de Regina Duarte” e tenho fé que DILMA saberá discernir a melhor estratégia.

    • Caro Ricardo
      Tem um grupo de pessoas, que não tem jeito.
      Não fique nervoso, mas também, na medida do possível, evite esse desgaste.
      Tenha certeza, você não está só com essas idéias Deixe-os.
      Saudações

    • Também já perdi a paciência. Acabo de discutir via face com um bom rapaz sobre a Venezuela, imagina.
      É angustiante, estou pronto para o bunker, mas com quem?
      Parece que Goebbels está vivo e atuante. Que droga.

      • A direita está agindo como um bicho acuado. Mostra os dentes, rosna e arrepia os pelos para parecer maior. Mas é tudo jogo de cena, na verdade eles estão em decadência e sabem disso. Daí o aumento na virulência das posições que eles externam, chegando às raias do nazismo.

        Melhor assim, pois a agressividad deles em nada melhora sua situação, muito antes pelo contrário, apenas aumenta a rejeição por parte da ampla maioria da população.

        Preocupa-me mais a passividade dos setores progressistas do que as pantomimas grotescas da fascistada.

        Claro que não quero que os progressistas usem da mesma agressividade, mas ser combativo não é ser agressivo, acombatividade está em apresentar nossos argumentos diante das mentiras dos reacionários e não deixar as mentiras sem resposta.

  5. cara, vc matou a pau, acrescento, ainda, alem de gerentona ela age com frieza e sem sentimentos, da-me a impressão que ela governa por obrigação e sem compromissos conosco, seus eleitores. Que saudades do nosso Lula. Ops será que um dia chamaremos a gerentona de nossa Dilma?

  6. brilhante antecipação.
    mas acho que atualmente mais gente encara / desmascara a ELITE ENTREGUISTA . noto a CASA GRANDE desesperada por se sentir abalada. continuemos NOSSO TRABALHO que os acostumados a GANHAR HÁ 500 ANOS – com a posse paga de cães de guarda – não conseguem entender que seja feito SIMPLESMENTE pela alegria da LIBERTAÇÃO DA MAIORIA.

  7. A passagem de Dilma vai ser de um mandato. E se for lembrada será como incompetente.

    • É legítimo você sonhar, Zé Urtigas.

    • ♫ Não resisto: vá se esfregar nas urtigas, cara…

    • Urtiga do bum bum Royal

    • Ela vai ficar. Quanto às lembranças, concordo.

    • A passagem de Dilma na presidência será de dois mandatos.

      Ela será lembrada como a melhor presidente que este país já teve depois do Lula.

      E em janeiro de 2019 Dilma vai passar a faixa presidencial para Lula no parlatório do Palácio do Planalto.

      Os tucanos é que serão escorraçados de São PAulo, Minas Gerais e Paraná em 2014.

      • Ruy…

        Você se esqueceu do meu Goiás. Os tucanos também serão enxotados daqui.

        Se Deus quiser, e Ele há de querer.

        • ELE ha de querer…

        • Realmente esqueci de citar Goiás, mas foi por um lapso e não por menosprezar o estado. Também tenho convicção que Goiás irá se livrar da escumalha do Perillo.

        • Assim como os petistas estão sendo enxotados há vinte anos em São Paulo (estado em que o partido foi criado) e vão para mais quatro agora, enxotados de Minas Gerais desde 1995, assim como Agnelo Queiroz será enxotado de Brasília, com Júlia Carepa foi enxotada do Pará. Não é á toa que São Paulo é o estado mais desenvolvido da federação. Nem que São Paulo fique sem uma gota de água, os petistas assumirão o estado.

          • Você confia muito no masoquismo paulista. Diziam a mesma coisa de Haddad, quando enfrentou Serra, enxotado de seu próprio colégio eleitoral

          • Lá vem mais um que acredita em ‘locomotiva da nação’, em papai noel, em coelhinho da páscoa, saci pererê…

          • Cara, que visão distorcida! São Paulo já ficou pra trás! O PSDB perdeu o bonde e feio, por conta de sua ideologia de concentração de renda na mão de poucos e sua visível incompetência em gerir a segurança! Acorda, amigo!

    • Não, prezado, Dilma vai ganhar e será lembrada como uma presidente excepcional. Seu desejo não será satisfeito.

  8. Profético Eduardo. Cada vez mais claro que ninguém vota em gerente. Na mosca!!

  9. Calma! Quando a campanha começar realmente,ele o povo brasileiro já estarão cansados de tanta mentira e ladainhas dos raivosos, dai então nossa presidenta vai dar a resposta na hora certa! pois a mentira tem perna curta, os argumentos deles caíram por terra.Como Moisés Mendes escreve:Por que o mensalão tucano está quase engavetado?Seria bom se existissem mais Carolines(delegada).Representantes da lei,e não Justiceiros.
    A gente se tapa de nojo ,vontade de sair gritando, tamanha safadeza.

    • É isso aí, Sirlei, quando a campanha começar aí todo mundo vai ver o muito que o governo Dilma fez. Por ex., a Transposição do Rio São Francisco que todo mundo critica e ficam dizendo que está se levando muito tempo para se construir um canalzinho. Muito pouca gente sabe da grandiosidade dessa obra. Eu por exemplo só vi as fotos da obra em mensagens que recebo no Face mas nunca vi na mídia. Portanto, vamos aguardar a campanha começar. É muito cedo para darmos chance ao desânimo.

  10. ♫ Notei que os coccixinhas & os gambitos concederam um pouco de paz ao Lula e se concentraram na Dilma; é a eleição. De onde terá partido a ordem? Dos aebristas ou dos trairístas? Não importa; pode ter partido até do pastor das candongas, porque reacionários & moleques com a mão peluda os há de todos os matizes…

    • Mão peluda, Jimmy?

      • ♫ É. Dizem que os onanistas ficam com a palma da mão peluda. Claro que é piada, como aquela que a gente fazia na infância, dizendo “Quem soltou esse pum está com a palma da mão amarela!” e rindo quando o idiota se apressava em olhar para a própria mão…

  11. A minha esperança é que tudo isso mude com o início da propaganda eleitoral. Espero uma reação da presidenta . Defender seu governo fica impossível com essa atitude silenciosa .Gostaria que a presidenta aceitasse a sugestão de PHA, em só participar de debates com um pool de emissoras. É bom lembrar que o debate na Globo é sempre no último dia ,não permitindo que a presidenta se defenda de todas as mentiras e manipulações que já devem está prontas ,apenas aguardando o momento oportuno para o golpe.

  12. Amigo Edu

    Acho que, infelizmente, não teremos a reeleição da gerente Dilma.

    • Vê aí o resultado da loteria na sua bola de cristal.
      (Eduguim)

    • O velho golpe do “fogo amigo”.

      O sujeito finge que é a favor da Dilma e demonstra desalento para tentar baixar a moral dos adversários.

      Porém quem está com a moral bixa são as hostes oposicionistas. Para eles é que a hipótese de vencer a eleição é extremamente improvável, tanto que eles vivem na esperança de uma “bala de prata” que inverta completamente a situação, o que todos sabemos ser até possível, mas muito improvável.

      Interessante que fazer um projeto político coerente e apresentar esse projeto ao eleitorado eles não querem, ficando nesses expedientes insidiosos e ridículos de tão manjados.

      Também, o que vazou dos planos econômicos do Aécio, que são copiados pelo Eduardo Campos foram aumento do desemprego e arrocho salarial, principalmente sobre o Salário Mínimo.

    • Calma, amigo! É cedo!

  13. Parabéns pelas colocações Eduardo. Concordo, também, com grande parte dos comentários acima, acrescentando que de tanto ouvir a mídia golpista e não ouvir o governo fazendo sua defesa o povo acaba por acreditar no que dizem. A reação precisa vir com urgência. Não vamos desistir, ainda, mas se durar esta inércia por mais dois meses aí já estaremos cansados e será difícil levantar voo…

  14. Muito bom e,embora vc não queira; profético. Profetiza quem consegue se debruçar sobre os acontecimentos do presente com visão crítica e serena e projetá-los no futuro sem se esquecer da nossa condição e fragilidade humanas . Só podia ser vc Edu o Profeta…

  15. “Aqui se propõe à presidente Dilma e ao seu partido estratégia político-eleitoral a ser encetada nos próximos meses. Uma estratégia que se coadune com o tipo de jogo que seus adversários pretendem estabelecer no período que se avizinha.” A internet é o lugar ideal para que os medíocres percam a modéstia. Onde já se viu um simples vendedor de peças, um sujeito que não vence nem eleição de condomínio querer dar conselhos a marqueteiros, políticos e a um partido que há doze anos está no poder. Ora o blogueiro quer pautar o Jornal Nacional, ora Jornais de grande circulação e agora propões estratégia político-eleitoral á presidente e ao PT. É o cúmulo da falta de senso de ridículo.

    • “A internet é o lugar ideal para que os medíocres percam a modéstia.”

      É…

      Até agora ás 20:00hs ninguém havia respondido a esta balela novemiliana*, de modos que imagino que nem se deva perder tempo com isso aí, mas, chamou meu amigo Eduguim de medíocre, brigou comigo!

      Ô mané!

      Quem não vence nem eleição de síndico é a tua raça fascistoide!

      E se um simples metalúrgico sem diploma chegou na presidência, porque um simples vendedor de peças não poderia chegar, ainda mais pra sindico de prédio?

      E vc? Pelo menos mora em um prédio e já tentou se eleger síndico?

      Não? Ou não te elegeram porque é um xarope sem rótulo?

      *inventei agora, gente… se refere aos 9 mil puxa sacos do psdb

    • Você está com medo, cara. Muito medo.

  16. Lembro perfeitamente desse post !!

  17. Estou cansado de dizer que se o Brasil deveria imitar uma coisa dos EUA, que seja a coletiva de imprensa que o governo deles dá praticamente todos os dias.

    A imprensa fala todo dia, caraca! Com pode o governo fazer diferente?

    Eu concordo com o Lula quando ele diz que o grande problema de responder a todas as provocações é não se ter tempo pra mais nada. Na entrevista dele, ele lembrou mais uma vez que deixou de ler jornais quando era presidente, pra poder governar.

    Mas essas coletivas não são pra responder a imprensa, mas pra pautá-la. Se ela vai falar, que fale do que o governo está fazendo e do que o governo quer e não o contrário. Não é pra repercutir escândalos fabricados pela imprensa marrom, mas sim pra dizer o que o governo está fazendo, quando, como e onde e deixar a imprensa falando sozinha.

    É pra fazer o embate político e pra dar uma satisfação ao povo, que elegeu o governo.

    Não precisa ser a Dilma a falar. Coloca um porta-voz lá todo dia e ponto final. Sem isso, a coisa não funciona, e ficamos a mercê das invenções da imprensa canalha, com suas “fontes anônimas”.

    Ficar mudo e deixar a imprensa falar o que quiser é dar o meio de campo pro adversário. Não é surpresa que o governo continue a jogar na retranca e no contra-ataque.

    Parece que quem comanda o governo é o Muricy, caraca!

    • Ricardo,
      Para corroborar o que você apresenta lembro o episódio das manchetes contra o Padilha, sem o menor constrangimento das empresas de mídia, que bateram sem só nem piedade, transformando o ex-ministro num bandido de quinta categoria a indicar um assessor de sexto escalão para trabalhar com doleiro (neste caso, sinônimo de traficante internacional).

      O Tijolaço sozinho liquidou com a fatura sem nenhuma ajuda do governo, mas quantos tiveram acesso às verdades que o Fernando Brito apresentou?

  18. Pois é Edu. Por incrível que pareça uma das maiores ameaças à reeleição da presidente Dilma ainda é ela mesma. Será possível que ela não enxergue que nunca, jamais, de forma alguma, nenhum governo do PT jamais será aceito pela direita midiática. A Globo que estava praticamente falida à época que o Lula tomou posse voltou a se reerguer, os três irmãos Marinho, que como diz PHA não tem nomes próprios estão os 3 entres os maiores bilionários do mundo e mesmo assim elas dão uma trégua. Não digo falar bem do governo, mas pelo menos não ser tão parcial quando fala mal. Será que ela vai insistir nisso, num segundo governo, ou será que finalmente ela vai bater de frente. Se como você disse a primeira eleição dela foi a mais suja desde 1989 imagine como será dessa vez. Não duvido de nada, depois daquela armação da bolinha de papel, qualquer coisa é possível.

  19. O Fantástico acaba de fazer uma “reporcargem” sobre o sistema RDD – Regime Disciplinar Diferenciado.

    Muita “coincidência” essa matéria sair justamente quando o Mulato Globeleza está prestes a decidir se manda ou não, o José Dirceu para o RDD, né ?!?

    Reparem…agora, que durante esta próxima semana as hienas da Platinada vão repercutir essa “reporcagem”, dizendo que: “Somente com a ida do Dirceu para o RDD é os privilégios que ele esta tendo irão acabar!”

    Reparem no noticiário dos jornais e das rádios e da TV….

    A platinada não dá ponto sem nó…o clima para o RDD já foi criado, só falta canetada final do JB.

  20. Prezado Eduardo,
    O texto daquela época revelou a especial qualidade de um observador POLÍTICO. Você conseguiu resumir o trajeto do governo que se iniciava apenas observando o método da condutora.
    E o percurso – que se anunciava óbvio apenas para quem tinha a sua argúcia – hoje pode ser lido tão óbvio quanto ingênuo por todos que assistem a condução do governo, despolitizado e sem reação política em meio a tantos ataques conspiratórios contra a democracia, contra o país, contra o desejo da maioria do povo que elegeu Dilma sob o claro pedido de Lula.

    Tragédia similar em nossa pequena e frágil história republicana parece ser a do governo Jango.

    As oposições – de todos os matizes – têm o direito de lutar pelo Poder, mas quando saem das regras do jogo democrático devem ser combatidas nas armas que escolherem: – para críticas de conteúdo, debate político; para conspirações, guerrilha de contenção; para mentiras e inverdades, Rede Nacional de televisão para responder com altivez.

    Senão, sozinho o povo não aguenta segurar essa barra. O que temos assistido é apenas uma versão, a de que o país não tem mais controle e tudo está perdido e o governo não sabe o que fazer. Digo pelo noticiário geral ao qual a maioria tem acesso: televisão, manchete de jornal, rádio comentando as futricas. A maioria do povo não tem acesso à informação de diversas fontes alternativas para sopesar a realidade.

    E já noto, como os comentários a essa postagem vem revelando, um certo desânimo dos resistentes militantes. Tomara que o fio da navalha não seja revertido nos próximos meses, pois não haverá propaganda eleitoral que reverta o quadro quando esse bonde do governo descarrilar e descer o morro sem freios.

  21. Estou neste momento vendo a entrevista do Aécio Neves no “Canal Livre” da BAND, que piada, o mesmo trololó de sempre do PSDB. Esse só vai prum segundo turno pela força do dinheiro e tamanho da coalizão, pelo discurso apenas, não ficaria nem em segundo.
    Ora, se como ele mesmo diz, é um momento em que o país clama por ‘mudança’, por que iríamos querer voltar ao pior do passado recente?

  22. Edu, confesso não me recordar deste post, mas foi incrível sua capacidade de prever a atuação da presidente Dilma neste mandato. Entretanto, não creio que ela não se reelegerá. Será no segundo turno, mas irá ganhar. Mas este post só reitera sua enorme visão política (lembro quando a Marta ofendeu o Kassab e você a repreendeu duramente, e deu no que deu). Um abraço!

  23. Lulla certa vez disse que o povo brasileiro vota com a barriga, que nao há debate politico-ideologico no Brasil. Ele estava certo. E ninguém mais do que ele aprendeu a vencer nessa circunstância.

    Realmente o brasileiro nao elege gerentes.

    Não que Dilma seja realmente “gerente”…. Seu um currículo tem mínimas (se é que tem) realizações ou qualificações.

    Lulla a criou do nada. Disse que se surpreendeu com aquela mulher de laptop na mão. Aí foi só dar um banho de loja, criar a imagem de lutadora contra a ditadura, retoque aqui, ali, maquiagem.

    Ela não tem habilidade de comunicação. É antipática. Posso nao gostar do Lulla, mas isso ele tem de sobra. As famigeradas falas sobre a caxirola , o dia das criancas e a Zona Franca “falam” por si só.

    Dilma nao passaria numa entrevista para gerente de padaria, supermercado, nada. Mas num cenário em que os adversários são fraquíssimos, ela prevalecerá.

    Pasadena, relatórios, índices, politica externa, geopolitica, infraestrutura… Deixa pra lá.

    Não é profecia ( pois não acredito em baboseiras místicas espirituais, destinos etc.). É uma simples constatação.

    • Você está bem mal informado, Nigro. A atuação da presidente no Rio Grande do Sul, na área energética, foi excepcional. Não foi por outra razão que ela se tornou ministra das Minas e Energia. Como ministra, trabalhou intensamente durante vários meses e criou um marco regulatório que reorganizou o setor, completamente desestruturado pelo DEM, a quem FHC entregou a gestão setorial.

      Questiono a forma como o governo conduziu a questão da redução das contas de energia (não foi democrática e descapitalizou demais a Eletrobrás) e também alguns empreendimentos (poderíamos ter mais obras em operação), mas os acertos são muito maiores. A grande incompetência foi aquela que conduziu o Brasil ao racionamento de 2001, patrocinada pelo PSDB, então no governo federal.

      Para o momento, pode-se afirmar que Dilma tem várias realizações a apresentar. Pre-sal, marco da internet, aprofundamento das políticas sociais do seu predecessor e muito mais. Esse governo aplica corretamente o Keynesianismo e graças a isso, impediu que estivéssemos no Estado da Europa, que definha, definha, definha. Vide Grécia, Espanha e outros países em crise colossal e com enorme desemprego. A Inglaterra é uma sombra do que foi um dia…

      Mas infelizmente, a presidenta não demonstrou ainda, ao povo, a centelha da liderança que certamente ela tem dentro de si. Ela simplesmente não gosta de se comunicar, especialmente com a classe média. Esperemos que o faça e não demore, por que, como diz o Eduardo, o Brasil precisa de uma presidenta-líder, não de uma presidenta-gerenta. Tomara que esse artigo do Eduardo chegue à presidenta Dilma.

      Finalizando, em certos meios, tornou-se “chic”, tornou-se “in” falar mal do governo Dilma Roussef. Mas se você espremer por que mesmo essas pessoas falam mal, verá coisas interessantes. Ou as pessoas repetem baboseiras do PIG – Partido da Imprensa Golpista, sem nenhum tipo do aprofundamento (leitores da Veja…) ou então escancaram abertamente seu horror pela ascensão social de muitos brasileiros.

      Eu mesma, confesso: acho “um saco” esse movimento todo nos aeroportos, que mais parecem, por vezes, rodoviárias. Porém, entendo que precisamos de mais aeroportos e, não, de menos brasileiros com direito às boas coisas que a vida oferece. Também detesto a falta de faxineiras, mas entendo que em países desenvolvidos, também é complicado.

      • Luiza…

        Que coisa linda, mulher!

        Parabéns por seu comentário. Conciso, inteligente, digno.

        Nosso Brasil está indo muito bem, por causa da Dilma, mas também por conta das brasileiras maravilhosas iguais a você.

        Um enorme abraço, Luiza.

    • Sua memória é curta que dá dó. Só enxerga o mesmo lado e só bate a mesma tecla.

  24. É preciso lutar pela reeleição de Dilma, apesar dessa paralisia do PT, que se recusa a enfrentar a Globo. As conquistas realizadas nos últimos 12 anos têm que ser preservadas. Não são conquistas que pertencem ao PT, mas sim ao povo brasileiro.

    • Concordo, Roberto Locatelli, e que consigamos eleger o máximo possível de candidatos do PT e do PCdoB, aliado fiel, para o Congresso e Assembléias Legislativas, juntamente com os Governadores para que consigamos avançar e dar suporte aos governos!

  25. E ninguém ganha briga apanhando calado, ao contrário, só estimula os canalhas que o agridem a se tornarem ainda mais afoitos e violentos em suas maldades. Assim, a “mania de gerente” de Dilma, que não é só dela mas também do PT é uma praga que contamina todo o partido desde o primeiro Governo Lula, com um leve, e ainda assim brando, intervalo ocorrido no final do segundo Governo Lula. Assim, mais uma vez discordo de sua afirmação, ao menos da totalidade dela, quando diz que o Governo Lula teria sido completamente “político” ao contrário do de Dilma. É evidente que não se pode comparar o perfil e a liderança de Lula com Dilma, nem com ninguém, todavia essa falta de contudência, de politização e de enfrentamento político também foi encontrada no Governo de Lula, sendo esquecida somente no final de seu segundo mandato, o que motivou queixas deste espaço em diversos momentos. Só para relembrar mais uma vez um deles, lembremos que o Cidadania cansou de reclamar sobre o silêncio de Lula quando a mídia criou um falso clima de pânico ao disseminar a ideia de que haveria uma epidemia de febre amarela no Brasil, o que levou milhares de pessoas a tomarem a vacina contra a doença sem necessidade, causando a morte de ao menos duas delas por ingestão indevida da vacina, que é feita do mesmo vírus que causa a febre amarela(só que “enfraquecido”), como o são a maioria das vacinas, e pode gerar a doença em pessoas com baixa imunidade. Ainda podemos lembrar o silêncio de Lula durante outro episódio de terrorismo midiático, o carnaval criado pelos barões da comunicação e seus “jornalistas” amestrados com relação ao “caos aéreo”, que nunca caracterizou-se como um problema real, não no sentido que os barões da mídia pretendiam impingir nele, mas somente foi o resultado do crescimento da demanda nos aeroportos em um país que, graças a Lula, aumentava o poder aquisitivo de sua população e possuía uma estrutura feita para menos de 1/3 dos brasileiros(feita, é sempre bom lembrar, pela mesma direita que agora cinicamente criticava o Governo). Contudo, após essa observação importante por contextualizar a passividade como um mal não somente de Dilma, mas que está no DNA do PT; é válido ressaltar que no final de seu segundo mandato, Lula iniciou a tão esperada reação e estabeleceu um clima de confronto político, ainda que abaixo do tom esperado,que caracterizou-se entre tantos aspectos por episódios como a entrevista ao blogueiros progressistas ou a crítica feita aos países “desenvolvidos”, responsabilizando-os pelo óbvio, pela crise do Capitalismo inicada em 2008(mas que ninguém tinha coragem de fazer, ao menos “ninguém” com espaço midiático semelhante ao de Lula), e ainda por cima na frente do primeiro Ministro inglês, Gordon Brown, o que deixou nossos “jornalistas” amestrados, e colonizados, e os patrões deles, de cabelo em pé. Assim, Lula criou no fim de seu segndo Governo um clima político de reação que deveria ter sido seguido por Dilma, principalmente depois das baixarias que enfrentou na campanha, mas ao contrário foi “esfriado” pela Presidenta, e acredito que Dilma não tomou essa atitude sozinha, mas recebeu respaldo do PT(embora seja impossível não acreditar que ela apoiasse essa escolha), mostrando que o PT novamente recaía no erro de “amenizar” com a direita, o qual cometera na maior parte do governo Lula, mesmo estando mais do que provado ao partido que com a direita não se ameniza, não há diálogo, pois quando se “ameniza” com os conservadores, ou seja com a mídia, o único resultado obtido é vê-los tornarem-se ainda mais afoitos, radicais e golpistas por perceberem que não sentirão as consequências dos seus atos. FOI EXATAMENTE ISSO QUE OCORREU COM O GOVERNO DILMA, AO LONGO DESSES MAIS DE TRÊS ANOS APANHANDO CALADO DA MÍDIA, RESPONSÁVEIS POR DEIXAR OS CORONÉIS ELETRÔNICOS E SEUS LACAIOS TÃO AFOITOS A PONTO DE CRIAREM O CLIMA DE TERRORISMO ATUAL, ONDE A SABOTAGEM CONTRA O GOVERNO ATINGIU NÍVEIS INIMAGINÁVEIS MESMO PARA QUEM VIU OS ATAQUES FERRENHOS DOS ANOS LULA, CAPAZ DE TRANSFORMAR ÊXITOS EM FRACASSOS E, O QUE É PIOR, DE ESCONDER OS FRACASSOS ESCANCARADOS DO PSDB, E AGORA DO PSB, METAMOFORSEANDO-OS EM ERROS DO GOVERNO FEDERAL QUE NÃO EXISTEM. Ontem mesmo, vi “matéria” do Jornal do Commercio que “previa” um aumento de luz para esta semana, resultante, segundo o JC do “acionamento das térmicas” devido ao baixo nível dos reservatórios(o que não é verdade, pois nem os reservatórios estão em níveis baixos e nem o acionamento das térmicas demandará aumento da tarifa de energia, já que seu custo está previsto na matriz de preços que compõe o Sistema energético brasileiro). A única “verdade” dessa História, ocultada pelo JC, mas que deveria ser divulgada por este blog; é que a tarifa de energia em Pernambuco pode vir a aumentar devido a uma ilegalidade praticada por Eduardo Campos que, mesmo após a diminuição do preço da energia que Dilma realizou, continuou cobrando à Celpe, concessionária pernambucana de energia, o valor do ICMS calculado sobre o preço antigo do Megawatt comprado pela concesisonária(acima de R$300,00); quando tal valor já caíra para um pouco mais de R200,00, o que ensejou uma Ação do Partido Progressista no STF, que poderá obrigar o estado a ressarcir os valores cobrados indevidamente. A denúncia dessa prática, realizada com o propósito de cobrir as inúmeras isenções concedidas por Campos a empresas como a Shinchacariol pode ser encontrada neste endereço “www.noeliabrito.blogspot.com.br” e faz parte das milhares de denúncias censuradas pela mídia, como o escândalo da falta de água em São Paulo, outros dos tantos “produtos” dos vinte anos do PSDB no estado, que também criaram o PCC e transformaram a educação pública paulista numa das piores do Brasil. Sem contar a repressão aos movimentos sociais e o aparelhamento da TV Cultura. TODOS ESSES FATOS PRECISAM SER DENUNCIADOS AO PÚBLICO IMEDIATAMENTE E PARA FAZÊ-LOS NINGUÉM MELHOR QUE A PRESIDENTA, QUE TEM QUE ENTENDER DEFINITIVAMENTE QUE “PRESIDENTE” É UM CARGO POLÍTICO, ATÉ PORQUE ESTÁ AÍ PARA FAZER MUDANÇAS EM NOSSA ORDEM SOCIAL, MUDANÇAS QUE SÓ SE REALIZAM ATRAVÉS DA POLÍTICA(OU MELHOR, ELA SEMPRE SOUBE DISSO, SÓ PRECISA AGIR COMO QUEM SABE). “GERENTE”, ALÉM DE NÃO CONDUZIR NINGUÉM, SÓ “GERENCIA”, OU SEJA, MANTÉM TUDO COMO ESTÁ, ADMINISTRANDO O STATUS QUO. E SE HÁ UMA COISA QUE O PT NÃO PODE FAZER, ATÉ PORQUE TEM A OBRIGAÇÃO HISTÓRICA DE NÃO FAZÊ-LO, É DEIXAR TUDO COMO ESTÁ, PARANDO DE MODIFICAR AS COISAS, CUJO PROTAGONISMO PARA MODIFICAÇÃO É TÃO INTRISECAMENTE DELE QUE ATÉ A DIREITA RECONHECE-O, COMBATENDO O PARTIDO INCESSANTEMENTE EXATAMENTE POR MEDO DESSAS MUDANÇAS. SE PARAR DE MOVER-SE DENTRO DA DIALÉTICA DA MUDANÇA, IMOBILIZANDO-SE NO “GERENCIAMENTO” QUE TANTO SEDUZ DILMA, O PARTIDO NÃO APENAS SERÁ VÍTIMA DO TERRORISMO CONSERVADOR, MAS PERDERÁ SEU APOIO ENTRE OS OPRIMIDOS, QUE SÃO O GRANDE SUSTENCÁULO DESSES ANOS DE LULA E DILMA, TORNANDO-SE PRESA FÁCIL DOS FASCISTA POR CAUSA DE UM IMOBILISMO DE QUE TEM TANTA DIFICULDADE EM DESVENCILHAR-SE, NECESSITANDO FAZÊ-LO IMEDIATAMENTE PARA ASSUMIR O COMPROMISSO HISTÓRICO COM A MOBILIZAÇÃO POPULAR, ÚNICA FORÇA CAPAZ DE VENCER A GUERRA POLÍTICA QUE AS FORÇAS DO ATRASO DEFLAGARAM NO BRASIL NESTE MOMENTO E AMEAÇA A CONTINUIDADE DAS MUDANÇAS.

  26. Será que Dilma é só uma gerente? Não creio.

    Dilma deverá ser reeleita ainda no primeiro turno.

    Não, não tenho bola de cristal, só tenho bom senso.

    Senão, vejamos…

    O Brasil melhorou em doze anos e não piorou nos últimos quatro.

    Dilma Rousseff não é mais uma incógnita. Todos sabem que ela administra bem e com austeridade.

    Dilma manteve todos os programas sociais de Lula e ainda acrescentou o “Mais Médicos” que, se diminuiu drasticamente sua preferência entre os doutores, aumentou incomensuravelmente entre os pobres.

    Alexandre Padilha está concorrendo pra valer ao governo de São Paulo, fará uma campanha forte com a presença constante de Lula no palanque e provavelmente arrebatará muito mais votos para Dilma que Aloizio Mercadante. Aécio Neves não é paulista, portanto não obterá a mesma performance de José Serra que aliás não foi lá essas coisas pois ganhou com apenas cerca de 3% de votos a mais .

    Os palanques montados pelo PT no Rio e em Minas são melhores que os de 2010. No Rio, por exemplo, quatro candidatos ao governo do estado farão campanha para Dilma.

    Some-se a tudo isso a fraqueza de uma oposição sem programa e que já anuncia que se eleita tomará medidas impopulares.

    Aí, como diria Seu Boneco, eu vou pra galeeeera!

    • Concordo plenamente com você Winson. Somente o impacto do programa Mais Médicos já tem uma força eleitoral maior do que milhares de capas da Veja, Época e todo esse lixo eleitoreiro da imprensa. Uma ação governamental tão acertada em favor do povo, tomada de forma tão corajosa e com um sucesso tão retumbante, tem uma forma incomensurávelmente maior que todas as menitras e intrigas daqueles que sonham ver implantado o programa econômico do Aécio, baseado e entreguismo, desemprego e arrocho salarial.

      O que os oposicionistas não se dão conta é que as ações concretas do governo Dilma, que a imprensa tenta esconder desesperadamente, tem um impacto muito superior ao conjunto de mentiras e intrigas nos quais se baseia a estratéia eleitoral da direita.

      E essas ações concretas não poderão ser escondidas no horário eleitoral, porque Dilma contará então com o horário eleitoral, no qual poderá mostrar suas realizações e cobrar que os adversários mostrem as suas. E todos nós sabemos que eles não tem nada a mostrar.

  27. Realmente é extenuante a sensação de combater a direita raivosa sem o amparo POLÍTICO do governo. Gostei dessa frase ai. E ela reflete o que realmente acontece no governo atual. Calaram-se e fez com que os simpatizantes, filiados, etc também se calasse porque não dá pra enfrentar essa canalhice do JUDICIÁRIO, DA MÍDIA E DA OPOSIÇÃO sem que o Governo queira lutar de verdade pra combater isso. Estamos cansando.

  28. Tudo leva a crer que será como na eleição passada, Edu. Me lembro bem como nós ficávamos inconformados como a Dilma era metralhada com fofocas, baixarias e factóides. No pig, na internet e pela campanha do Serra.
    Talvez aconselhada por marketeiros e palpiteiros apanhou calada porque aparentemente ganharia no primeiro turno. Era só levar em banho-maria.
    Só que a campanha de desconstrução minava sua candidatura paulatinamente. Tanto, que houve segundo turno e o Serra quase chegou num empate técnico.
    Só no último minuto do segundo tempo, no debate da Band é que ela contra-atacou. E foi com tudo. Indo no podres do Serra e rebatendo as baixarias sobre aborto. Ganhou a eleição aí.
    Agora pergunto. Precisa desse sofrimento todo de novo? Porque não reage desde já?

  29. Esperar o quê de um “Dollinger”?
    PRÓXIMO!

  30. Caros Ricardo Augusto e Trabalhador Brasileiro, recentemente aqui em Brasília passei exatamente por isso que vocês passaram, até em família. Não tem jeito. O melhor é não discutir com que não é alinhado politicamente. Você perde o amigo ou magoa o familiar. Melhor é ficar com sua consciência. Procure os alinhados, sua tribo, e aí sim, o debate se desenvolve. Criei um espaço de discussão política somente com alinhados. Foi a forma de manter a amizade com bons amigos que não alinhados com o governo. A questão chegou a tal ponto, que um dia uma amiga postou no face que estava decepcionada comigo porque eu não era alinhado ao PSDB. Bem, se fosse agir como ela, poderia dizer o mesmo a seu respeito, mas esse não é o caminho. O caminho é procurar sua turma.

  31. Eduardo, tomara que a líder que existe dentro da presidenta Dilma tome conta da situação, a tempo de resgatar sua vitória, nessas eleições, para o Brasil.

    Dilma Roussef tem várias realizações a apresentar. Pre-sal, marco da internet, aprofundamento das políticas sociais do seu predecessor e muito mais. Esse governo aplica corretamente o Keynesianismo e graças a isso, impediu que estivéssemos no Estado da Europa, que definha, definha, definha. Vide Grécia, Espanha e outros países em crise colossal e com enorme desemprego. A Inglaterra é uma sombra do que foi um dia…

    Mas infelizmente, a presidenta Dilma não demonstrou ainda, ao povo, a centelha da liderança que certamente ela tem dentro de si. Dilma Roussef simplesmente não gosta de se comunicar, especialmente com a classe média. Esperemos que o faça e que não demore, por que o Brasil precisa de uma presidenta-líder, não de uma presidenta-gerenta.

    Em certos meios, tornou-se “chic”, tornou-se “in” falar mal do governo Dilma Roussef. Mas se você espremer por que mesmo essas pessoas falam mal, verá coisas interessantes: oo as pessoas repetem baboseiras do PIG – Partido da Imprensa Golpista, sem nenhum tipo do aprofundamento (leitores da Veja são o exemplo mais eloquente…) ou então escancaram abertamente seu horror pela ascensão social de muitos brasileiros.

    Eu mesma, confesso: acho “um saco” esse movimento todo nos aeroportos, que mais parecem, por vezes, rodoviárias. Porém, entendo que precisamos de mais aeroportos e, não, de menos brasileiros com direito às boas coisas que a vida oferece. Também detesto a falta de faxineiras, mas entendo que em países desenvolvidos, também é complicado.

    Presidenta Dilma Roussef, liberte a liderança que está dentro de Vossa Excelência. Lidere o Brasil!

  32. NOTA DO EDITOR: Eis os dados desse vagbundo, que vem insultar os outros por dizerem suas opiniões.

    Wagner Araújo
    wagner.araujo@gmail.com
    186.216.191.7

  33. Peraí… calma gente! Há uma lei eleitoral que tem que ser seguida. É um momento delicado pois nem se declarar candidata ela pode. Depois das convenções e de sua indicação, aí sim ela poderá descascar seu discurso de candidata, pois no momento ela é a atual presidente. Agora se os outros pré candidatos praticam suas indelicadezas, o certo é que o jogo é sujo e todo cuidado, se é que estão sendo tomados, é pouco. O PIG está com suas unhas afiadíssimas, prontas para desferir golpes fatais caso Dilma cometa qualquer deslize. Estou certo ou errado?
    Douglas Quina
    Mogi Guaçu – SP

  34. Realmente me incomoda também o silêncio de coisas que precisam ser ditas, não só por conta de combater a imprensa etc. mas porque nosso povo precisa e tem o direito de saber o que o governo está fazendo por ele, mas ela vai ganhar com certeza porque é de longe a melhor opção, com silêncio e tudo.

  35. Dois pontos. Quanto à mídia o artigo de Janio de Freitas de hoje, MELHOR, MAS PIOR, diz tudo. Deve ser lido e divulgado. Segundo ponto: Dilma já deve ter percebido que não se deve governar como “gerentona” e politizar os seus pronunciamentos. E terá uma ótima oportunidade da fazê-lo no dia 1º de maio. Sem ferir a lei eleitoral , preocupação de meu amigo Douglas. Desconheço a credibilidade da pesquisa CNT;/MDA, divulgada hoje, mas nunca é demais se precaver, antes de seja tarde demais.

Trackbacks

  1. A primeira semana de Dilma, 3 anos e 4 meses de...

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.