Mas vocês não pregavam “aceitação” de decisões da Justiça?

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

 

Não poderia haver prova maior da hipocrisia surreal que se estabeleceu neste país a partir do julgamento da Ação Penal 470 (vulgo mensalão) do que a reação da mídia e de parte dos ministros do STF ao perderem a última etapa de um jogo que ganharam de lavada em 2012 ao conseguirem condenar a penas duríssimas os condenados pelo julgamento daquela ação.

Ironicamente, pouco antes de o Supremo votar os embargos infringentes interpostos pelos condenados ao fim da primeira etapa do julgamento em tela, os jornais antipetistas exaltaram a conduta do delator do mensalão, Roberto Jefferson, ao proclamar que aceitaria a pena que lhe fora imposta, à diferença do que fizeram os condenados petistas, o próprio PT e seus simpatizantes, que teimam em repelir aquele juízo.

Uma apresentadora de telejornal chegou a propor a concessão de uma “medalha de honra ao mérito” ao delator, condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Para que não reste dúvida, vai, abaixo, a locução estarrecedora de alguém que vem dando sucessivos shows de irracionalidade ao vivo, à cores e em uma concessão pública.

 

A farta apologia à submissão incondicional às decisões da Justiça, assim, vai se mostrando a farsa que sempre foi.

Na Folha de São Paulo de 27 de fevereiro, por exemplo, manchete principal de primeira página tratou de pressionar os ministros que ainda não tinham votado pela rejeição do crime de formação de quadrilha ao praticamente criminalizar a decisão do ministro Luis Roberto Barroso, que rejeitou o crime de quadrilha a 8 réus do mensalão.

Uma colunista desse jornal chegou a qualificar a revisão do STF sobre sua decisão de apenar os condenados do mensalão por formação de quadrilha como “Cena própria de Santos versus São Paulo”.

Na sessão do Supremo transmitida para todo o país pela televisão no mesmo 27 de fevereiro foi a vez da minoria de juízes que manteve a condenação por quadrilha de se pronunciar, haja vista que, no dia anterior (26), à exceção do ministro Luiz Fux, fora a vez da maioria que absolveria aqueles réus.

Os ministros Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Joaquim Barbosa excederam Fux, que manteve sua decisão de 2012, e passaram a acusar veladamente os ministros Luís Roberto Barroso, Dias Toffoli, Carmen Lúcia, Ricardo Lewandowski, Teori Zavascki e Rosa Weber.

Aliás, Barbosa acusou Barroso, explicitamente, de ter chegado ao Supremo Tribunal Federal com a missão de votar como votou, sugerindo que seguia ordens da presidente Dilma Rousseff, que o nomeou…

Mendes, os dois Mellos e Barbosa aludiram a uma “maioria conjuntural” que absolveu os réus, insinuando que, caso a constituição do STF fosse outra, tais réus teriam sido condenados.

A pergunta que não quer calar, pois, é a seguinte: a reviravolta no STF não prova que quem condenou os réus em 2012 a quadrilha e a outros crimes também integrou uma mera “maioria conjuntural”?

Em que a “maioria conjuntural” de hoje é menos legítima do que a de ontem? Maiorias só são legítimas quando votam como querem esses ministros ora derrotados e a mídia à qual tanto agradaram no ano retrasado?

A verdade dos fatos é uma só: os ministros do STF têm preferências políticas. A maioria que votou agora tem uma posição política e ideológica diferente da maioria que votou em 2012. Se o ex-presidente Lula e a presidente Dilma tivessem sido mais criteriosos ao escolher alguns ministros que escolheram e se um ex-presidente não tivesse colocado um correligionário naquela Corte antes de entregar o poder ao PT as condenações de políticos petistas poderia nunca ter existido.

A condição de Corte politizada que tem o STF, pois, fica evidenciada na decisão de quarta (26) para quinta-feira (27). É o que deve ser entendido. Muitos não gostaram da decisão dessa Corte em 2012, tantos outros tampouco gostaram da decisão inversa de agora. Que todos reflitam, pois, sobre a fórmula para escolher ministros do Supremo.

José Dirceu, José Genoino, Delúbio Soares e João Paulo Cunha foram condenados politicamente por uma maioria conjuntural e, por conta do viés político daquela condenação, alguns dos que poderiam não ter sido condenados acabaram sendo, pois suas condenações serviram a propósitos políticos.

Esses são os fatos.

É fato, também, que a posição política dos ministros que chegaram ao STF só no ano passado reverteu as condenações de quadrilha e, como temem (com toda a razão) os ministros ora derrotados, com isso desmoralizou a decisão anterior favorável àquelas condenações.

Eis por que a irritação – e até mesmo o descontrole emocional – que atingiu Gilmar Mendes, Celso de Mello, Marco Aurélio Mello e Joaquim Barbosa, ainda que Luiz Fux tenha se preservado ao não dar chilique.

Resta dizer que quando se alude a posições políticas dos ministros não vai aí nenhum juízo demeritório contra eles. Nesta tese, aceita-se posicionamento político como decorrência do processo de escolha de ministros do STF, ou seja, através de decisões de políticos – do presidente da República e do Senado.

O que sobra, portanto, é a hipocrisia, o oportunismo, a literal falta de vergonha na cara dos que, há poucos dias, pregavam que decisões do STF tinham que ser aceitas incondicionalmente inclusive pelos condenados do mensalão, mas que, quando aquela Corte os contraria, jogam tal premissa no lixo e se entregam ao bom e velho jus sperneandi.

Ao menos disfarcem a incoerência, senhores.

Tags: , , , ,

169 Comentário

  1. Não assisti ao vídeo da fanática direitista da Sherajade (ou seria Cheira Mal?), gostaria de saber quem está falando por essa jornalista medíocre, se é ela mesma ou se são palavras do patrão dela.

    Tenho certeza que o mascate do Sílvio Santos tem uma dívida moral com o Governo Lula, mesmo assim a emissora do mascate se alinhou aos demais integrantes do PIG e vem atacando insistentemente quem salvou o grupo Sílvio Santos da bancarrota.

    É necessário a Ley de Medios. Também é necessário cobrar o DARF do mascate Sílvio Santos (acho que ele não consegue mostrar o DARF).

    Quanto ao Mentirão, provou-se por A mais B que ele foi um engodo, uma mentira. Agora os condenados da ação penal 470 tem que exigir a anulação do Mentirão.

    • O nome certo dela é Sheradassa!

      • WhahaAhhaHahahaHahAhaHaaAhhaHahahaAh!!!!

        Primo Fabricio, li o dia inteiro o que você disse, mas como sou meio lento, só agora entendi.

        Boa, muito boa… Sheradassa.

        A moça deve ser eleitora do Aécio, né?

  2. Edu, eles estão se vingando nos presos. Li que o Delubio perdeu o direito de trabalhar e não poderá mais passar o carnaval com a família. Essa perseguição tá ficando complicada e, de fato, só vai ter jeito com o JB fora do STF. Eu achava que eo juiz tucano que o JB colocou na VEP já tinha saído. A continuar desse jeito, é fugir na primeira oportunidade; eu sei que é isso que eles querem que os presos façam mas ninguém está obrigado a ficar submetido a sanha vingativa de um psicopata, notório. Eu estou chocada com o Senado da República; nem qdo eles mesmos e a Presidência da República são atacados, esses caras se mexem. Não tem Carnaval que justifique a exposição de toda a sociedade, inclusive os próprios pares, a JB. Os que o amam e veneram que me perdoem, que votem nele para senador, prefeito, presidente, síndico, etc.. Joaquim Barbosa é uma pessoa perigosa e seus mentores parecem avisar ao país o tempo todo, nós temos JB e não temos medo de usá-lo. Hoje, JB atacou o Senado e a Presidente da República; a Câmara de Deputados ele já esculacha faz tempo e o Judiciário, idem… Pois bem, quem afinal é JB?
    Fiquei muito feliz com o resultado do julgamento mas não me animo a engrossar o coro dos que estão pirando com o voto do Barroso ( tô postando aqui pq aqui eu não vi isso ); ora, o que ele e Teori fizeram foi acompanhar o voto da Rosa Weber; nada mais que a obrigação de qq juiz; a discussão acerca da exacerbação das penas no crime de quadrilha visando evitar a prescrição e aumento da pena objetivando um regime mais gravoso, já havia sido feita em plenário pelo Lewandowski e pelo Toffoli. Encarar a fúria de JB é especialidade do Lewandowski que recolheu todas as ferraduras de JB, até ontem. Não entendo esse evento todo por conta de uma situação que, com todo respeito, até a Rosa Weber compreendeu. Fossem tão grandes juristas assim, teriam encontrado um meio de colaborar com o julgamento, antes do último dia. Mas não, deixaram o cara carregar o piano nas costas, sozinho, por dois anos, para no final, um deles aparecer como o cara que desmontou a patranha. Quero ver esses gênios na Revisão Criminal, até aqui, pra mim, acompanharam a divergência inaugurada pela Ministra Rosa Weber e mais nada, desde que chegaram ao STF. Se foi uma estratégia, eu não entendi. Quem desmontou a AP 470 foi o Ministro Lewandowski, que aliás, nem aceitou a denúncia por formação de quadrilha. Vamos ver como se comportam os dois dando de cara com a compra de consciências. Por enquanto, ótimo para virar o placar mas foram gols de penâlti. Raça mesmo, eu espero ver na Revisão Criminal.

    • Cara Companheira Cristiana…

      Desculpe minha ignorância, mas você poderia me informar quando será esta revisão criminal?

      Também estou contigo na critica que fazes aos Ministros Barroso e Teori: não fizeram mais que a obrigação, mais do que se espera de um juiz decente.

      O Ministro Barroso disse, com todas as letras, que só não concordava com o crime por formação de quadrilha, todavia estava de total acordo quanto ao julgamento dos outros crimes e inclusive não se cansava de tecer loas à atuação dos ministros e em especial a relatoria de Joaquim Barbosa chegando ao ponto deste ter de lhe dizer que não precisava de seus elogios. PA TE TI CO!

      Grande Abraço, Cristiana. Se puder me informe sobre a questão da revisão criminal.

      • A Revisão criminal é após o trânsito em julgado ( ainda tem o julgamento da lavagem de dinheiro que ficou para o dia 13 ); a partir daí a qq momento… Mas, como tudo nessa AP é diferente e já houve trânsito em julgado antes do fim do julgamento, eu acho que vão esperar a poeira baixar e JB pular fora para agir.
        Com relação ao voto do Barroso, achei as reações do pessoal meio exageradas mas, creio que mais em função do resultado do julgamento e do ataque de JB do que do voto em si. Até pq, originalmente, ele não descartava a quadrilha ( era uma coisa meio parecida com o voto do MAM) seu voto apontava no sentido da prescrição e não da inexistência da quadrilha; então para evitar maiores debates, evoluiu e acompanhou o voto da Ministra Rosa Weber. Por isso que o JB perguntou duas vezes, mas então, V.Excia está ABSOLVENDO todos os réus na formação de quadrilha??

  3. Não entendi porque que os advogados dos condenados não arguiram a suspeiçao de Gilma Mendes durante o julgamento. Havia motivos claros para isso.

    • Nem eu… Ele não podia votar, de jeito nenhum. O decano só faltou xingar a mãe da gente mas como tava votando, a gente não tem o que fazer. Mas o GM acusou a gente na mídia e ainda veio com aquela conversa mole de que não estavam condenado representantes de ninguém e sim, criminosos que cometeram crimes comuns e blá blá blá.. Precisava, agora, um parlamentar nosso ir a Tribuna pq eles tem imunidade parlamentar e xingar eles de quadrilheiros, tb. Pq isso sim é uma quadrilha. Seu Ayres Britto ( é o pior ),Seu Peluso,Seu GM, Seu JB, Seu Gurgel, Seu Antônio Fernando e, Seu Fux, o mongo da quadrilha, dá até pena… não serve a nada que preste mas se alguém encostar naquela arquitetura capilar, periga sair até tiro em plenário.

  4. No canal do Silvio Santos não tem mais a semana do presidente aquele trailer mostrando o que os milicos fizeram. Muitos crucificam os Marinhos, mas Silvio Santos se favoreceu também com a ditadura e seu ovos brotaram seus filhotes, a prova disso, é essa moça ai.

  5. A FARSA ESTÁ DESMONTADA! COMO VAI-SE PODER JUSTIFICAR A CONDENAÇÃO DE JOSÉ DIRCEU POR “DOMÍNIO DO FATO”(AÇÃO DE SEUS SUBORDINADOS)SEM QUADRILHA!!!!!!!!!!???????? SE NÃO HAVIA QUADRILHA, CADA UM AGIU LIVREMENTE, E, PORTANTO, NÃO HAVIA UM “CHEFE” PARA COMANDAR. ISSO, EVIDENTEMENTE ANALISANDO-SE ESSA PALHAÇADA A PARTIR DAS “PREMISSAS” PATÉTICAS FABRICADAS POR ESSES ONZE FANÁTICOS DE DIREITA DO STF. AFINAL, ESSE “PROCESSO” CONSEGUIU O ABSURDO DE CONDENAR PESSOAS SEM PROVAS POR CRIMES QUE NEM MESMO FORAM TIPIFICADOS. Nesse aspecto, quero ressaltar uma discordância que tenho de você : é lógico que os membros do STF têm inclinações políticas(e Dilma deve deixar de temer a classe dominante e passar a nomear para o Supremo magistrados que tenham sintonia com seu projeto político, até porque foi o projeto que o povo democraticamente escolheu para ser implantado no Brasil, e não que ocupem o cargo com o objetivo de sabotar sua administração); como também é verdade que essa inclinação influenciará as decisões deles; por isso a necessidade de nomear-se Ministros alinhados com o projeto progressista do PT; contudo “inclinação política” nenhuma PERMITE QUE VOCÊ NEGUE FATOS OU CONDENE PESSOAS SEM PROVAS, MESMO QUE ACHE QUE AS ACUSAÇÕES CONTRA ELAS SEJAM VERDADE. OU SEJA, DENTRO DA EXISTÊNCIA DE UM CERTO NÚMERO DE PROVAS, A “INCLINAÇÃO POLÍTICA” VAI INFLUENCIAR NA INTERPRETAÇÃO QUE O JULGADOR TERÁ DESSAS PROVAS; MAS INCLINAÇÃO POLÍTICA NENHUMA, AO MENOS NUM JUIZ SÉRIO, É JUSTIFICATIVA PARA SE CONDENAR PESSOAS SEM PROVAS NENHUMA, CHEGANDO-SE AO CÚMULO DE UTILIZAR, DE FORMA DETURPADA, UM TEORIA DO DIREITO ESTRANGEIRO(A TEORIA DO “DOMÍNIO DO FATO”), PARA “ARRUMAR-SE” UM JEITO DE CONDENAR ALGUÉM, COMO FOI O CASO DE JOSÉ DIRCEU. E VOLTO A DIZER, ATÉ ESSA TEORIA ESTRANGEIRA FOI USADA DE MANEIRA ERRADA, POIS, SEGUNDO O PRÓPRIO AUTOR DA TEORIA DO “DOMÍNIO DO FATO”, KLAUS ROXIN, SE A SUA TEORIA FOSSE USADA CORRETAMENTE, DIRCEU NÃO TERIA SIDO CONDENADO. A mesma constatação valeria se um juiz com inclinações políticas de esquerda fosse julgar uma acusação contra políticos do PSDB, que ele até acreditasse ser verdadeira, mas não existissem nos autos provas para condenar os acusados : SERIA OBRIGADO A ABSOLVÊ-LOS, SE FOSSE UM JUIZ SÉRIO, SOB PENA DE ESTAR PRATICANDO UM JULGAMENTO DE EXCEÇÃO. FOI ISSO QUE PERMITIU POR EXEMPLO QUE FERNANDO COLLOR DE MELLO(QUE NOMEOU O PATÉTICO PRIMO, MARCO AURÉLIO MELLO, PARA O STF)FOSSE ABSOLVIDO NO STF DAS ACUSAÇÕES QUE LEVARAM AO SEU IMPEACHMENT : NÃO HAVIA PROVAS QUE O INCRIMINASSEM DAQUELAS ACUSAÇÕES QUE, AO MEU VER, ERAM VERDADEIRAS. CONTUDO, JUSTIÇA NÃO É LUGAR PARA “OPINIÕES”, MAS PARA FATOS E PROVAS QUE DEMONSTREM A OCORRÊNCIA DESSES FATOS. SE TAIS ELEMENTOS NÃO EXISTEM, COMO NÃO EXISTIAM CONTRA COLLOR, NÃO SE PODE CONDENAR, A MENOS QUE SE FAÇA UM JUÍZO DE EXCEÇÃO. Assim, a “decisão” que condenou anteriormente os réus por “formação de quadrilha” não pode ser “desculpada” pela “inclinação política” dos Juízes(essa desculpa vale para as baboseiras ditas no botequim da esquina). Os membros do STF poderiam odiar o PT e achá-lo o mais corrupto dos partidos, mas se fôssem sérios e não estivessem naquele Tribunal como agentes políticos da direita, guardariam suas opiniões para si(para a hora do voto na urna eleitoral ou para influenciar o voto de amigos e parentes)e absolveriam os acusados por não haver PROVA CONTRA ELES NOS AUTOS. Essa é a postura de um juiz sério; coisa que não houve nesse julgamento. SE PENSARMOS SÓ EM UM ASPECTO DO CASO, O NÃO DESMEMBRAMENTO DO PROCESSO PARA A JUSTIÇA COMUM NO CASO DOS RÉUS SEM FÔRO PRIVILEGIADO, VEREMOS AINDA MAIS EXPLICITAMENTE O QUANTO ESTOU CERTO : A LEI É CLARA, ACUSADO SEM FORO PRIVILEGIADO VAI PARA A JUSTIÇA COMUM, NÃO É JULGADO NO STF; JÁ VIMOS ESSA PREMISSA FOI USADA INÚMERAS VEZES COM OUTROS ACUSADOS, MUITOS DOS QUAIS CHEGAVAM AO CÚMULO DE “SAIR E VOLTAR” PARA O STF OU OUTROS TRIBUNAIS SUPERIORES A MEDIDA QUE SE ELEGIAM, VOLTANDO A TER FÔRO PRIVILEGIADO, E DEPOIS CONCLUÍAM SEUS MANDATOS SEM CONSEGUIR A REELEIÇÃO, PASSANDO A TER DIREITO AO JULGAMENTO NA JUSTIÇA COMUM. ORA, COMO É QUE, NO CASO DO “MENSALÃO”, ACUSADOS COMO DIRCEU, GENOÍNO E DELÚBIO, SEM DIREITO A FÔRO PRIVILEGIADO, FORAM JULGADOS NO STF, PERDENDO ASSIM A CHANCE DE RECORRER QUE TERIAM SE O JULGAMENTO FÔSSE NO PRIMEIRO GRAU!!!!!!!!?????? A DESCULPA DE NÃO QUEBRAR A “LÓGICA” DO PROCESSO É RIDÍCULA, AFINAL TODOS OS OUTROS PROCESSOS JULGADOS NO STF, COM DESMEMBRAMENTO, NÃO DEIXARAM DE TER “LÓGICA” POR SÓ UMA PARCELA, GERALMENTE A MENOR PARCELA, DE SEUS MEMBROS SER JULGADA NAQUELE TRIBUNAL(A LÓGICA VEM DA LEITURA DA DENÚNCIA, QUE PODE CITAR TODOS OS ENVOLVIDOS, RESSALTANDO QUE OS DEMAIS ESTÃO NA JUSTIÇA COMUM POR NÃO TEREM FÔRO PRIVILEGIADO, MAS DANDO AOS JUÍZES O ARCABOUÇO LÓGICO, FACTUAL E PROBATÓRIO NECESSÁRIO PARA JULGAREM). Assim, é a Lei, assim sempre foi aplicado antes, só não o foi nesse caso, e será aplicada de maneira correta com Eduardo Azeredo. A “revolta” da esquerda não é por Azeredo receber um benefício legal a que tem direito(perdeu o fôro privilegiado ao renunciar ao mandato de Deputado Federal e deve ser julgado na Justiça Comum), mas por esse direito não ter sido dado aos petistas. Não gosta-se da Lei por parecer injusta? Concordo, mas é ela que está valendo agora e deve ser respeitada, PARA TODOS E NÃO SÓ PARA OS AMIGOS. QUEM NÃO GOSTAR DELA, INCLUINDO-SE MEMBROS DO STF, QUE LARGUEM A TOGA, CANDIDATEM-SE A UM MANDATO PARLAMENTAR E ELEGENDO-SE TENTEM MUDÁ-LA, AFINAL, APESAR DO STF DEMONSTRAR PENSAR O CONTRÁRIO, LEIS SÓ PODEM SER MUDADAS NO PARLAMENTO. Observações como essa evidenciam o caráter político e de exceção desse “julagmento”, onde pessoas foram CONDENADAS SEM PROVAS E NÃO PELA “INTERPRETAÇÃO” QUE ALGUÉM DEU A UMA PROVA CONFORME SUA INCLINAÇÕES POLÍTICA, POIS NÃO HAVIA PROVA NENHUMA, EXPLICITANDO A QUE PONTO CHEGOU O GOLPISMO DO STF E DO JUDICIÁRIO BRASILEIRO(QUE SEMPRE FOI REACIONÁRIO, MAS DIANTE DO DESESPERO CONSERVADOR PELO SUCESSO DOS GOVERNOS PETISTA E A PROXIMIDADE DE UMA VITÓRIA ACACHAPANTE DE DILMA EM 2014, PERDEU TODOS OS PUDORES E PISOTEOU AS GARANTIAS E RITOS PROCESSUAIS MAIS ELEMENTARES, INSERIDOS NO DIREITO OCIDENTAL ATRAVÉS DE SÉCULOS DE LUTA DOS OPRIMIDOS PARA AO MENOS IMPLANTAREM NO ARCABOUÇO LEGAL, CONSTRUÍDO PELOS DOMINADORES, ALGUMAS REGRAS QUE OS PROTEGESSEM; COMO POR EXEMPLO A NECESSIDADE DE PROVAS PARA SE CONDENAR ALGUÉM POR ALGO OU A PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA; EVIDENCIANDO-SE ASSIM QUE O BRASIL SOFREU UM RETROCESSO CIVILIZATÓRIO DIGNO DE UM GOLPE, NÃO MILITAR, MAS TOGADO E MIDIÁTICO, PERPETRADO PELO QUE EXISTE DE MAIS ATRASDO NO PAÍS PARA TENTAR DESTRUIR AS MUDANÇAS QUE VÊM OCORRENDO NO BRASIL DESTINADAS A CONSTRUIR-SE UMA NAÇÃO DIGNA. GOLPE ESSE QUE COMEÇA A SER REVERTIDO.

  6. Ficou tão evidente a politização ideológica desse julgamento que o supremo começou a temer o legado histórico do “maior escândalo de corrupção da história” até porque a acusação não se sustentará num curto espaço de tempo, a farsa esta se desmoronando, o inquérito secreto engavetado pelo Barbosa vai sair do armário, Pizollato na Itália diz que possui provas que a grana do visanet não era dinheiro público, muita coisa vai aparecer sobre o “mentirão”

  7. GRAVE ALERTA DO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA Á NAÇÃO

    “Esta é uma tarde triste para este Supremo Tribunal Federal, porque, com argumentos pífios, foi reformada, jogada por terra, extirpada do mundo jurídico, uma decisão plenária sólida, extremamente bem fundamentada, que foi aquela tomada por este plenário no segundo semestre de 2012. Peço vênia à maioria que se formou e voto pela rejeição dos embargos infringentes.

    Uma maioria de circunstância, formada sob medida para lançar por terra todo o trabalho primoroso levado a cabo por esta corte no segundo semestre de 2012. É a isso que nós acabamos de assistir. Inventou-se inicialmente um recurso regimental totalmente à margem da lei com o objetivo específico de anular, de reduzir a nada um trabalho que fora feito. Sinto-me autorizado a alertar a nação de que este é apenas o primeiro passo. Essa maioria de circunstância tem todo o tempo a seu favor para continuar na sua sanha reformadora.”

    Acorda, Brasil antes qeu o golpe esteja consumado

  8. Nunca li tanta bosta junta! Esquerdopatas de plantão, vcs estão com os dias contatos. Dilma, PT, Lula, Delúbio, Zé Dirceu, tudo LIXO, LADRÕES, SAFADOS!

  9. O partido oPSOLeto também tá defendendo patrulhamento ostensivo e perseguição máxima aos réus da farsa do mensalão. Luciana Genro, uma de suas porta-vozes (que aceitou ser vice do Randolfinho, amigo dos Capiberibe, dinastia política do PSB do Amapá), disse com todas as letras que ‘mensaleiros têm privilégios’ -> ela também é leitora da Veja, pelo visto. Depois se dizem socialistas, progressistas e o escambau, mas andam sempre junto com o chorume.

  10. Não deixem de visitar o Sala Fério! Exponho ali de maneira mordaz e fácil de enxergar as mazelas e os
    arremedos da mídia brasileira e de seus acólitos. Visite e se gostar compartilhe!!! Vamos pra cima!
    >>> http://salafehrio.blogspot.com.br

Trackbacks

  1. Wilson R. Caveden (Teteia)
  2. Mas vocês não pregavam “acei...
  3. Mas vocês não pregavam “aceitação” de decisões da Justiça? | Blog da Cidadania | EVS NOTÍCIAS.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.