Kassab aumentou IPTU em até 357% e Fiesp não deu um pio

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

 

Uma das grandes tragédias nacionais é a nossa amnésia crônica, coletiva e seletiva. A celeuma de escancarada – e “skafiana” – motivação político-eleitoral levantada pela Fiesp contra a adequação das alíquotas do IPTU tentada pela prefeitura paulistana – e barrada pelo STF – só venceu por conta desse fenômeno.

Não fosse assim, São Paulo se lembraria de que o antecessor do prefeito Fernando Haddad majorou muito mais o imposto e nem a Fiesp, nem o STF e nem o PSDB deram um pio. Até a mídia, sempre resistente à cobrança de impostos, resmungou um pouco e se calou rapidinho.

Para confirmar o fato, basta pesquisar os arquivos dos jornais. O da Folha de São Paulo, por exemplo, contém pérolas como reportagem de 14 de outubro de 2009 que mostra que, tal qual Fernando Haddad, seu antecessor, Gilberto Kassab, promoveu uma adequação tributária do IPTU em seu primeiro ano de governo.

Só que muito mais radical que a do sucessor. E o que é pior: sem os seus méritos.

Apesar do enorme aumento do IPTU que o então queridinho da mídia paulista se preparava para tascar no lombo dos paulistanos, a matéria comunicando a paulada nos munícipes foi sóbria, sem grandiloquência ou virulência como nas matérias disparadas contra Haddad.

Abaixo, a matéria

—–

FOLHA DE SÃO PAULO

14 de outubro de 2009

Prefeitura planeja revisão geral do IPTU

Objetivo é rever imposto de acordo com a valorização imobiliária de cada região; dados preliminares apontam para reajuste de até 357%

A última revisão geral do valor de mercado dos imóveis foi feita em 2001; novo valor do imposto deve passar a valer em 2011

EVANDRO SPINELLI

MARIANA BARROS

DA REPORTAGEM LOCAL

A gestão Gilberto Kassab (DEM) já iniciou estudos para aumentar o IPTU na cidade de São Paulo de acordo com a valorização imobiliária de cada região nos últimos oito anos.

Dados obtidos pela Folha apontam para um aumento de até 357% -caso da rua Barão de Ladário, no Brás, beneficiada pela revitalização do largo da Concórdia e pelo fortalecimento do comércio no centro.

O estudo, comandado pela comissão de valores imobiliários da Secretaria Municipal de Finanças, já foi realizado para áreas como Higienópolis, Pacaembu, Barra Funda, Limão, Vila Maria e Santana.

A Folha apurou que o próprio Kassab defende a revisão do imposto. Diz que ela é justa considerando a valorização imobiliária de vários bairros, principalmente aqueles onde foram construídos shoppings ou estações de metrô.

Ele acredita também que algumas áreas terão redução do imposto, porque o valor de mercado dos imóveis se desvalorizou no período. A comissão começou o trabalho pelas áreas que tiveram valorização.

O prefeito só não definiu quando encaminhará o projeto ao Legislativo, pois teme a repercussão negativa que a medida pode causar -2010 é ano eleitoral, no qual ele apoiará o governador José Serra (PSDB).

O mais provável é que o projeto seja encaminhado para análise dos vereadores entre outubro e novembro de 2010, depois das eleições, para valer a partir do ano seguinte.

Em 2006, Kassab já tentou mudar o IPTU, mas acabou recuando. Na época, prometeu não mexer no IPTU até o fim daquele mandato (2008).

A última revisão geral do valor de mercado dos imóveis foi feita em 2001, primeiro ano da gestão da ex-prefeita Marta Suplicy (PT). De lá para cá, os valores sofreram apenas a correção da inflação do período.

Áreas próximas à marginal Tietê, onde as inundações deixaram de ser frequentes, também se valorizaram, segundo a comissão, em até 307% -casos da Vila Maria e do Tatuapé.

Na região da Vilaboim, em Higienópolis (centro), o reajuste deverá ser de 46,35%.

Luiz Paulo Pompéia, da comissão de valores imobiliários e diretor da Embraesp, empresa especializada em avaliações de patrimônio, estima que a planta genérica esteja defasada em até 30%. Com a revisão, a prefeitura pode arrecadar até R$ 1 bilhão a mais por ano -hoje, a receita é de R$ 3,1 bilhões.

Segundo ele, nas regiões mais verticalizadas a defasagem é maior, e áreas vizinhas a favelas e vulneráveis a enchentes se desvalorizaram.

Eduardo Della Manna, diretor de legislação urbana do Secovi (sindicato das imobiliárias), defende a revisão do IPTU a cada três anos, para manter o valor da planta genérica condizente com o de mercado.

—–

A iniciativa de Kassab, porém, não tinha os mesmos méritos da de seu sucessor. Kassab majorou com gosto o IPTU, mas sem promover justiça tributária como tentou fazer Haddad. Aumentou as alíquotas de forma praticamente linear – com poucas exceções.

Outra matéria da Folha de São Paulo, agora de 22 de novembro de 2009, foi mais condescendente com o aumento do imposto promovido por Kassab, evitando citar casos mais extremos. Ainda assim, deixou ver que o aumento médio promovido por ele foi muito maior do que o de Haddad e não fez justiça tributária. Pelo contrário, aumentou mais o imposto nas regiões mais pobres.

Abaixo, a matéria

—–

FOLHA DE SÃO PAULO

22 de novembro de 2009

Kassab anuncia aumento de até 60% no IPTU; 1,7 milhão de imóveis será afetado

EVANDRO SPINELLI

DA REPORTAGEM LOCAL

A semana dos paulistanos foi marcada pela notícia de que o prefeito Gilberto Kassab (DEM) quer aumentar em até 60% o valor do IPTU na cidade.

Dos 2,8 milhões de imóveis da capital, 1,7 milhão terá aumento. Outros 86 mil pagarão menos. Imóveis residenciais terão no máximo 40% de aumento, diz o projeto. O teto de 60% valerá para os demais.

O projeto foi enviado à Câmara Municipal na terça-feira passada e precisa ser aprovado até o fim deste ano para ter validade já a partir de 2010. Os vereadores podem mudar o projeto, mas Kassab deve fazer prevalecer sua maioria na Casa para aprovar o texto no prazo.

Com a mudança, a prefeitura deve arrecadar R$ 744 milhões a mais de IPTU no ano que vem. A Folha antecipou no mês passado que Kassab pretendia aumentar o imposto.

Para reajustar o IPTU, o democrata determinou a revisão da planta genérica, que estabelece o valor de mercado do metro quadrado de terreno em todas as ruas. A última revisão havia sido feita em 2001, na gestão Marta Suplicy (PT).

A análise da nova planta genérica apontou para a prefeitura que certos imóveis da cracolândia -área no centro da cidade onde viciados usam drogas nas ruas em plena luz do dia- tiveram valorização maior que os das avenidas Paulista e Brigadeiro Faria Lima, dois símbolos paulistanos.

A revisão vai ter mais impacto na periferia que em áreas nobres. O metro quadrado na rua Lagoa da Tocha, no Grajaú (extremo sul), por exemplo, será aumentado em até 690%. Na av. Lavandisca, em Moema, o maior aumento será de 53%.

A prefeitura diz que não há erro nos cálculos e que a planta genérica reflete a valorização dos imóveis ocasionada pelos investimentos públicos e pelo próprio aquecimento do mercado imobiliário.

—–

Pior mesmo, porém, foi o uso que Kassab destinou aos recursos. Mais uma vez, recorro à Folha de São Paulo. Matéria de 8 de dezembro de 2009 mostra que parte do aumento que o paulistano pagaria no ano eleitoral de 2010 seria destinada a publicidade que favoreceria o padrinho de Kassab, José Serra, pois trataria de suas “realizações” antes de deixar a prefeitura.

Abaixo, a matéria.

—–

FOLHA DE SÃO PAULO

8 de dezembro de 2010

Kassab gastará parte do IPTU extra com propaganda

Base governista aumenta previsão de gasto com publicidade de R$ 105 milhões para R$ 126 milhões para o próximo ano

Valor da nova proposta é recorde e cresceu numa proporção bem maior do que o bolo geral do Orçamento do ano que vem

MARIANA BARROS

DA REPORTAGEM LOCAL

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), vai usar parte do dinheiro extra obtido com o aumento do IPTU no ano que vem para turbinar seus gastos com propaganda.

A base de apoio do prefeito na Câmara Municipal, com o relator Milton Leite (DEM) à frente, já redefiniu o Orçamento de 2010, contando agora com os mais de R$ 600 milhões de arrecadação extra por causa do aumento do imposto.

O valor que constava no Orçamento original para propaganda em 2010, R$ 105 milhões -uma quantia recorde no que se refere a gastos em publicidade em SP-, foi aumentando agora para R$ 126 milhões.

Os gastos da prefeitura com propaganda já vêm numa escalada neste ano. A previsão inicial era gastar R$ 31 milhões, mas Kassab aumentou a verba da área e deve desembolsar até o fim do ano R$ 90 milhões.

A Câmara quer aprovar hoje, em primeira votação, a proposta de Orçamento de 2010, cujo valor total passou de R$ 28,1 bilhões para R$ 28,8 bilhões com a inclusão das receitas extras.

Para a base aliada, os gastos com propaganda – que aumentaram numa proporção bem maior do que o bolo geral do Orçamento- são necessários para fazer campanhas que informem a população, como as de combate à dengue ou as de alertas contra enchentes.

[…]

—–

A matéria da Folha de São Paulo a seguir mostra que Haddad, além de propor aumento menor do IPTU que o de Kassab, ainda tentou fazer justiça tributária elevando o patamar de isenção e promovendo os maiores aumentos em 45%, enquanto que os do antecessor chegaram a 60%. E isso sem contar os aumentos desproporcionais em regiões pobres que o ex-prefeito praticou.

Abaixo, a matéria

—–

FOLHA DE SÃO PAULO

2 de outubro de 2013

Reajuste do IPTU poderá chegar a até 45% no ano que vem

Teto fixado por Haddad valerá para comércio ou indústria; para imóveis residenciais, aumento máximo será de 30%

Alta da cobrança está incluída no Orçamento enviado à Câmara, que prevê arrecadação 24% maior com imposto

DE SÃO PAULO

O reajuste do IPTU na cidade de São Paulo poderá chegar no ano que vem a até 30% para os imóveis residenciais e 45% para outros tipos, como comércio ou indústria.

Essas serão as “travas” do reajuste do imposto –percentual máximo de aumento para cada contribuinte.

As informações foram divulgadas ontem pela gestão Fernando Haddad (PT), que detalhou os cálculos de sua estimativa de aumentar em 24% a arrecadação do imposto em 2014, conforme previsto na proposta de Orçamento enviada por ele à Câmara.

O aumento médio para os imóveis residenciais será de 18%, mas a maioria dos contribuintes terá aumento de 20% a 30% nos valores.

O reajuste ficará bem acima da inflação dos últimos 12 meses –de 6%, pelo IPCA.

Outros 2% de imóveis que são isentos do imposto passarão a ter que pagá-lo, e 8% dos contribuintes terão redução no valor cobrado.

Todas as mudanças devem ocorrer devido à revisão da Planta Genérica de Valores, que define a valorização do m² na cidade. Esse preço é usado para calcular os valores venais dos imóveis, que são a base do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

Segundo a prefeitura, os valores oficiais estão “bastantes defasados” porque a última atualização ocorreu em 2009, e, desde então, houve valorização imobiliária sem a devida revisão.

Segundo a gestão, os valores oficiais representam, hoje, cerca de 30% dos valores praticados pelo mercado. Em alguns bairros, os preços mais que dobraram nos últimos quatro anos.

MECANISMOS

Para evitar que toda a valorização seja repassada ao imposto, Haddad diz planejar três mecanismos.

O primeiro é a trava. O segundo é a redução da alíquota de cálculo do imposto. Por exemplo, a faixa de imóveis que hoje tem IPTU calculado em 0,8% do valor venal passará a ter alíquota de 0,7%.

O terceiro é atualizar os mecanismos de descontos.

Atualmente, são isentos os imóveis com valor venal de até R$ 97,6 mil e existe um desconto fixo de R$ 39 mil (no cálculo do imposto) para aqueles com valor venal entre R$ 97,6 mil e 195,2 mil.

A ideia é que a faixa de isenção passe para R$ 160 mil e que sejam aplicados descontos variáveis para imóveis com valor até R$ 320 mil.

Os descontos serão menores à medida que aumentar os valores dos imóveis. O objetivo, segundo a prefeitura, “é evitar distorções entre imóveis de valores semelhantes”.

Todos os dados são projeções da equipe de finanças de Haddad, já que as mudanças precisam ser encaminhadas e aprovadas pela Câmara.

O projeto será protocolado nos próximos dias. O petista espera aprovação até o fim do ano. Apesar de ter maioria, ele pode enfrentar dificuldades. Os vereadores reclamam de ter poucos meses para aprovar grandes projetos do Executivo, como o Plano Diretor, o Orçamento e o Plano Plurianual.

—–

Pergunta: onde estava a Fiesp quando Kassab aumentou muito mais o IPTU? Por que não entrou com ação na Justiça, como fez agora com Haddad?

A explicação é razoavelmente simples. Além de, àquela época, a Fiesp não estar preparando uma disputa eleitoral de um de seus quadros, Kassab não propôs distribuição de renda, que, para os grandes empresários paulistas, é sempre um palavrão.

Em entrevista recente concedida à Rádio Estado, o prefeito Fernando Haddad revelou que os moradores da periferia iriam pagar menos com a sua reforma do IPTU – 25 distritos iriam pagar menos do que em 2013 e 23 iriam pagar abaixo da inflação acumulada neste ano, ou seja, mais da metade da cidade iria pagar menos IPTU ou teria reajuste bem abaixo da inflação.

Por que, então, a mídia fala em “aumento do IPTU” quando, na verdade, mais da metade dos paulistanos vai pagar menos imposto? Não fica parecendo que só quem conta são os ricos? Pobre pagar menos imposto não entra no noticiário. A maioria dos paulistanos pagar menos imposto não conta. Só o que conta é o incômodo aos mais ricos.

Segundo pesquisa do instituto Datafolha divulgada recentemente, 89% dos paulistanos são contrários à reforma da cobrança do IPTU tentada por Haddad. Como essa reforma beneficiaria mais de 50% deles, isso quer dizer que esses beneficiados não sabem disso.

Recentemente, blogueiros entrevistaram Haddad. Nessa entrevista, criticaram sua política de comunicação. A falta de uma ampla campanha publicitária da prefeitura de São Paulo para informar aos paulistanos de que a maioria deles seria beneficiada pelo novo IPTU dá razão a tais críticas… É ou não é?

Tags: , , ,

153 Comentário

  1. Mudando um pouco de foco, no ninho tucano ressurge um novo(?) brilho, como um farol a lançar seu brilho intenso clareando e facilitando o caminho. Pode-se dizer que AGORA VAI!….Prá onde não se sabe.
    http://www.brasil247.com/pt/247/poder/124794/Exclusivo-FHC-pode-ser-vice-na-chapa-de-A%C3%A9cio.htm

    • Porque vocês acham que FHC defende a candidatura do Aécio? Todo mundo sabe que Aécio não tem competência para governar e que precisaria de alguém que assumisse a presidência efetiva, um “conselheiro” ou com um vice-presidente que fizesse todo o trabalho. É óbvio que o candidato, na prática, seria o FHC. O que, também na prática, significaria entregar o governo para uma meia dúzia de empregados de grandes grupos econômicos. Aí a história já é conhecida. Sugariam os mais pobres e usariam parte do dinheiro em propaganda para que os explorados amem os exploradores. Aliás, o texto do Edu apresenta exatamente esta realidade.

  2. O ministro do STF Luís Roberto Barroso insurge-se contra a inércia do Congresso em aprovar a reforma política. O ilustre neófito refere-se, em entrevista à Folha, à questão das doações eleitorais de empresas. Saiba Sua Excelência que toda questão tem, pelo menos, dois lados. Se o Congresso se omite, a outra parte, a FIESP, entidade da sociedade civil capitaneada pelo insigne Paulo Skaf, deveria fazer a sua parte, proibindo as doações. Será que só os políticos têm interesse nas doações? Se cobrarmos uma atitude da FIESP contra as doações eleitorais, pelo menos, colocaremos o Skaf em uma sinuca de bico.

  3. Edu, estas e demais acontecimentos como o julgamento do mensalão, só ilustram o quadro já muito bem definido por você em outros momentos:

    O Partido dos Trabalhadores chega aos cargos executivos, mas não conta com o “poder” necessário para enfrentar questões como esta, infelizmente o partido ainda demonstra uma fadiga crônica quanto a “tentar” lutar através de posicionamentos mais bem estabelecidos e políticas de comunicação mais eficientes.

    A mídia, e seus poderosos apoiadores parecem conseguir engolir a vontade das urnas, e a cada 4 anos o PT imagina que vai conseguir reverter toda a avalanche de escarnio com 2 meses de campanha…

    Uma hora a coisa não vai funcionar…

    • Diogo, gostei de seu comentário, curto e grosso. O PT, as fôrças democráticas, os movimentos sociais, tem grandes limitações, temos perdido batalhas importantes, reforma política, IPTU em São Paulo, etc. As eleições de 2014, será uma guerra das mais importantes, os golpistas tentarão de tudo, de tudo, usarão todas as armas, inclusive o golpe. Se não impormos uma grande, uma muito grande, derrota aos golpistas, se não ganharmos estados importantes, se não elegermos uma boa bancada na Câmara e no Senado, estamos fudidos. Quem estiver preocupado com a situação deve arregaçar as mangas em 2014, então, À LUTA.

    • Diego, me desculpe, troquei teu nome.

      • Sem problemas Pedro, obrigado pela sua atenção ao meu post.
        E realmente, o PT parece não ter entendido a gravidade do confronto de 2014, não continuar no poder no momento em que toda a história do partido é vilipendiada pela mídia, vai ser algo que possivelmente irá além de uma simples derrota eleitoral, pois é na cova moral que os adversários querem sepultar o partido dos trabalhadores.
        I

  4. Essa decisão do Joaquim, contra a atualização do IPTU em Sampa, deixou os 5.564 municípios brasileiros com a pulga atrás da orelha. São Pedro-SP deverá aprovar amanhã o novo código tributário do município com aumento do IPTU de 3 a 400%, conforme a localização do imóvel. Tenho uma casa em Itanhaém que vale um terço do preço de meu apartamento em Sampa e sempre paguei, lá, IPTU três vezes mais caro. É assim que o mundo roda. Os municípios, nos termos do artigo 30 da CF, têm autonomia em questões relativas ao interesse local. Por razões políticas, esse equilíbrio foi quebrado. Não é à toa que a Associação dos Municípios já protestou, dando apoio a Haddad.

  5. Quando o PT acordar, que a turma deles pode tudo … e que o PT, não pode nada,vai ser um Deus nos acuda!

    • Regina, o PT sabe muito bem que a turma deles (imprensa golpista e judiciário) pode tudo, por isso, o extremo cuidado em enfrentá-los. Eu espero que com a reeleição de Dilma, com a conquista de governos importantes, com o aumento de deputados federais, com o aumento de senadores e, principalmente, com os movimentos sociais nas ruas, em 2014, possamos enfrentá-los em condições mais favoráveis. Sito duas derrotas importantes, sofridas pelos democratas, a reforma política e o aumento do IPTU em São Paulo. Se não vencermos bem 2014, nos ferramos.

  6. Alckmin deve anunciar, se já não anunciou, vários aumentos e impostos. Será que teremos mais processos skafianos no STF? Como dizia o Chico: Chame ladrão, chame ladrão! Aliás, nunca ouvi do Skaf nenhuma queixa sobre os escândalos do metrô. Esse é o paulistão desvairado. E não é que ele é a cara da figura do quadro O grito de Munch. É o desespero da direita.

    • Ele já anunciou os aumentos e vi apenas um breve comentário na rede globo.
      O problema do PT é o próprio PT que continua preso na midia golpista, ja que ainda defende a tese do controle remoto e com isso a massa, o povão não sabe qual é a verdadeira realidade e não aquilo que o PIG passa.

    • Alckmin encaminhou para a ALESP, para aprovação com urgência, um pacote fiscal com aumento de 200% nas taxas de trânsito. E isso trará para os cofres públicos de SP R$ 335 milhões. E o TJ não vai falar nada? Para quem tem carro vai ser uma verdadeira despesa extra.

  7. Tenho uma sugestão para que isso se resolva rapidamente: é só os moradores de cidades paulistas governadas por tucanos acionarem a justiça com uma enxurrada de ações contra aumentos do IPTU (que todos estão fazendo), que o Tribunal de Justiça de São Paulo julgará o mérito como improcedente, rápido, rápido. Ou então, todos fazerem uma campanha nacional contra o aumento do IPTU em todas as cidades brasileiras. Aí eu quero ver o que o tal Barbosa vai fazer. Daqui a pouco briga de marido e mulher irá parar no STF!

  8. A folha, o uol, está dando um grande espaço para o Ministro Barroso, observemos com muito cuidado. Será que está tentando cooptar o Ministro???? Aposto todas minhas fichas que sim, a folha está tentando cooptar o ministro. Logo, logo, conheceremos o Ministro, saberemos a que veio.

  9. Senhor Roberto Locatelli

    Vejamos na imaginação:

    Eu também me fiz essas mesmas perguntas. A impressão que me dá é que o PT depois que chegou ao governo esqueceu-se de como se tornou governo. Principalmente pela militância política. Parece que uma paralisia mental se apoderou de todos e não sabem mais como fazer política da forma simples e direta que começou.

  10. Ola Edu.

    Gostei do texto, que dica muitas vezes impossível em
    acrescentar algo mais. Agora quero lhe preguntar,
    é muito difícil, vai muito dinheiro para fazer esse tipos
    de texto em forma auditiva, porque tem pessoas que,
    não tem prática em leituras e algumas até mesmo não
    sabem ler. Aqui no Interior a gente tem contato
    direto com muitas pessoas, profissionais braçais,
    e essa gente não tem prática em leitura, são gente
    que, também, não tem boa vontade, precisamos
    criarmos novos métodos para que os mesmo fiquem
    sabendo dessas coisas. Pensei em até reunir em uma
    sala, fazer ouvir os textos, mediante sorteio de um bem,
    porque sem ganhar nada, eles não vêem, sei-la o quê vc
    acha nisso tudo? Outra coisa é a moçada
    companheira ajudar a divulgar o Cidadania.com.

    • Me liga uma hora dessas, Augusto

    • Sorteio? Isso é coisa de tucano! É preciso rever o trabalho das comunidades eclesiais de base e chegar nessas pessoas. O lance do áudio é uma grande ideia, mas um sorteio destruiria toda e qualquer intenção de transmitir a verdade… Entregar uma lembrança do encontro, com uma figura, uma frase, é melhor do que um sorteio.

      • Sr. Rodrigo SB.

        Concordo que a idéta do áudio é excelente.

        Talvez o estímulo para leituras e interpretações de texto coletivas e complementares, seja o suficiente.

        Acredito que uma das missões partidárias mais importantes é a educação complementar e política de todos os trabalhadores.

        Fraternas Saudações Democráticas.

  11. É 2014 que está em jogo, é o judiciário, a mídia, partidos de oposição, todos contra o PT. Além da possibilidade da reeleição da Dilma, estão morrendo de medo de perderem SP, MG e RJ. Principalmente SP que infelizmente para facilitar o trabalho da mídia golpista, conta com a ausência de uma comunicação eficiente dos governos petistas.

  12. Edu, vi no facebook do chamado “PT nunca mais” que já estão organizando uma manifestação para o dia 25/01/2014, sábado, às 17:00hs, o “Primeiro Grande Ato em 2014 contra a Copa”. Já tem 6.875 pessoas confirmadas e vai acontecer no vão do MASP. É, a direita já está se organizando . Será, pelo visto, o primeiro teste do que pode acontecer até junho do ano que vem. E estou vendo também que há uma espécie de “invasão” de trolls no site da Rede Brasil Atual para comentar as matérias, tentando conturbar o ambiente.

    • Helena, uma revista PIG, que não era a Veja na verdade, havia previsto os protestos fascistas de junho três meses antes. Eu sei porque eu gostava de ler essa revista para ver como eles pensavam. Na verdade, era até um alerta, e não uma “denúncia”: a Dilma primeiro havia parado de receber a base aliada, o PMDB, depois as centrais sindicais, depois os movimentos da sociedade e, por último, o próprio PT (Gilberto Carvalho mesmo estava isolado e pouco falava com ela, e isso era uma fala dele, não um factoide). Ela não dava mais entrevistas, ignorava os repórteres, e ficava enfurnada no gabinete, sozinha. Pouco antes de ler a matéria, comentamos em casa: dá a impressão de que não temos um governante. Coincidência?

      O Lula aparecia todo o dia para defender o governo, a si mesmo, os programas do governo, o país, o partido… Não houve protesto CONTRA a Copa quando o país venceu a disputa para sediá-la, porque um governante (quer as pessoas o amassem quer o odiassem) parecia ter o controle das coisas. O Lula não enfrentou ódio das ruas, porque aparecia para dizer: estou aqui.

      Então quando os protestos explodem, a Dilma finalmente aparece na TV. E o que acontece? CALMARIA, os protestos diminuem, pelo menos a classe média volta para a casa (tanto os reacionários quanto os progressistas – aqueles que não entendiam direito o que estava acontecendo e iam para a rua também). Ficam ainda os baderneiros, os radicais, os bandidos, e os aproveitadores, mas quem realmente importava PERCEBEU então que, para o bem ou para o mal, o país TINHA COMANDO sim.

      Agora o que você traz, Helena, é que os protestos vão acontecer contra algo absurdo, já que não há volta. E cadê a Dilma? Por que ela não pede paz, trégua, calma, respeito? Por que ela não elogia o caráter receptivo do povo brasileiro, a cordialidade, a amizade, para tentar neutralizar isso que está iminente? Se até usuários comuns da internet, como nós, sabemos que os protestos vão pesar, onde está o serviço de inteligência do governo que não a avisa? Por que ela não vem na TV, com a desculpa de que vai mandar uma mensagem de natal, e aproveita para mostrar que ela está lá, no comando, vendo tudo, pedindo colaboração, explicando que a Copa não é de todo ruim, repetindo tudo o que ela falou quando a coisa pegou fogo?

      Ela não é o Lula, mas não pode cair no mesmo erro de novo, ficando de novo presa no gabinete agora que está se recuperando nas avaliações.

  13. É A LUTA DE CLASSES, MEU AMIGO, ALIADA A UM PT PASSIVO, FROUXO, QUE NÃO QUER PARTIR PARA A BRIGA DENTRO DESSE COMBATE, O VERDADEIRO MOTIVO DO CANALHAS FASCISTAS DA FIESP, OU SEJA, NOSSA CLASSE DOMINANTE,NÃO QUEREREM O AUMENTO DO IPTU PROPOSTO POR HADDAD : LUTA DE CLASSES, SIMPLESMENTE ISSO! Apavora os dominadores a ideia de que uma proposta progressista como justiça tributária(o uso dos tributos como instrumento de distribuição de renda e consequentemente de construção da justiça social)seja implanta logo na cidade mais reacionária, e mais debiloide, do país e, o que é pior QUE FAÇA SUCESSO! Se eles sempre odiaram qualquer proposta que signifique Solidariedade, Justiça, Fraternidade, Igualdade e Humanismo; tornarem-se ainda mais fóbicos a tais ideias depois do sucesso dos Governos Lula e Dilma e de propostas como O BOLSA-FAMÍLIA; AS COTAS NAS UNIVERSIDADES; A POLÍTICA DE VALORIZAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO; OS PROGRAMAS DE MICROCRÉDITO; O MAIS MÉDICOS; E TRATARAM DE IMPEDIR QUE ESSAS “PROPOSTAS SUBVERSIVAS” , QUE AMEAÇAM O REINO DE PRIVILÉGIOS E MISÉRIA QUE TANTO ADORAM, CHEGUEM AO SEU FEUDO. AFINAL, ANTES DE TUDO SÃO PAULO CONSTITUIU-SE NO BUNKER DO ATRASO NO BRASIL, O QUE EXISTE DE PIOR, DE MAIS MISERÁVEL EM MATÉRIA DE POLÍTICA(DE PROJETO POLÍTICO)ENCONTRA NESSA SUA TERRA; QUE NÃO CONHEÇO E JAMAIS PRETENDO CONHECER; A GUARIDA PERFEITA. Para os que acham que exagero, basta uma pequena retrospectiva : 20 anos de PSDB no Estado, prefeitura “revezada” entre PSDB e PFL(com dois breves interstícios petistas, capazes de arrumar o caos deixado pela direita, mas imediatamente expulsos após “arrumarem” um pouco da miséria que os conservadores criam). Portanto, o que a classe dominante paulista; e também a brasileira; não querem é antes de tudo a vitória ideológica que significaria a implantação da Justiça tributária por Haddad, num momento em que além de já ter conseguido a Prefeitura, com um político desconhecido e em pleno ataque midiático do “mensalão”, o PT ainda tem enormes chances de conseguir o Governo estadual, muito mais devido à corrupção tucana; escancarada com o “Trensalão”, do que por alguma elevação de consciência dos seus conterrâneos, historicamente reacionários, imersos em sua esquisofrenia conservadora mesmo com o restante do Brasil despertando da letargia política para fazer suas escolhas eleitorais de forma livre, não deixando-se influenciar pela mídia de direita. É claro que também os ricos não querem gastar dinheiro e o bandido Paulo Skaff quer se promover com um discurso de “menos impostos”(para quem, cara pálida? Para os ricos sonegadores). mas nem Skaff acha que tem chances reais de vencer as eleições para governador(ALCKMIN SIM, ELE NÃO!)E NEM OS RICOS, APESAR DE NÃO GOSTAREM DE PERDER DINHEIRO, DEIXARIAM DE ACEITAR UM “PREJUÍZO” FINANCEIRO SE ESSE “PREJUÍZO” LHES GARANTISSE A DESTRUIÇÃO DO GOVERNO HADDAD, O QUE NÃO É O CASO! Assim, o mote principal é o impedir uma vitória ideológica da esquerda, que pudesse despertar o fascista povo de São Paulo de sua letargia conservadora. É claro que essa guerra ideológica que a direita promoveu para não deixar que os dogmas conservadores/midiáticos sejam abalados pela realidade é facilitada pelo passividade petista. HADDAD, ASSIM COMO O PT EM GERAL(ATÉ MESMO LULA, QUE NO MÍNIMO TINHA “REAÇÃO LENTA” NESSA ASPECTO)NÃO SE CONSCIENTIZOU QUE A PRINCIPAL GUERRA A SE REALIZAR É A POLÍTICA, OU SEJA, A GUERRA DE PROJETOS QUE ACONTECE ATRAVÉS DO ENGAJAMENTO DAS MASSAS NAS PROPOSTAS QUE AS BENEFICIARÃO. E ESSE ENGAJAMENTO SÓ OCORRERÁ SE ESSAS MASSAS COMPREENDEREM A REALIDADE SÓCIO-POLÍTICA QUE AS CERCA PARA ASSIM DESEJAREM PARTICIPAR ATIVAMENTE DELA, JÁ QUE VERÃO QUE ESSA REALIDADE SÓCIO-POLÍTICA , E OS DESDOBRAMENTOS ADVINDOS DA AÇÃO POLÍTICA NELA, INFLUENCIARÃO DECISIVAMENTE SUAS VIDAS, OU SEJA, PERMITIRÃO QUE VIVAM DE MANEIRA DIGNA E COM OPORTUNIDADES OU SEJAM CONDENADOS À EXCLUSÃO. Essa guerra, Haddad precisa fazer, e também o PT nacional. A diferença entre ambos é que, ao contrário dos paulistas, os brasileiros vêm intuindo esses conceitos de forma natural, sem teorizações , mas com a certeza de quais escolhas devem fazer, por isso os projeto nacional triunfa e o local em São Paulo naufraga ou, se vence, é de maneira isolada e enfraquecida, facilmente atingível pelos ataques conservadores. É claro que a posição de uma administração municipal, seu poder “de fogo” e “barganha”, é infinitamente menor do que o de um Governo nacional; mas também é inegável que o PT paulista, em esfera estadual ou municipal, não soube construir a base de apoio social que o partido em nível nacional, ainda que precisando reaproximar-se dela, possui, tenham certeza, PERMITIU A CONSOLIDAÇÃO DE PROJETOS E VITÓRIAS DO PARTIDO, DESDE A DESISTÊNCIA DO PEDIDO DE IMPEACHMENT DE LULA EM 2005(PRETENDIDO, MAS ABANDONADO PELA DIREITA POR MEDO DA REAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS), ATÉ AS VITÓRIAS NO STF DE PROPOSTAS COMO O BOLSA-FAMÍLIA E AS COTAS RACIAIS NAS UNIVERSIDADES, CUJAS “INCONSTITUCIONALIDADES” FORAM PEDIDAS PELOS CONSERVADORES E NEGADAS PELO SUPREMO. E OS AVANÇOS SERIAM AINDA MAIORES SE O PARTIDO NACIONALMENTE TAMBÉM NÃO ESTIVESSE BASTANTE DEFASADO NA VERDADEIRA PRÁTICA POLÍTICA, QUE CONSISTE NA MOBILIZAÇÃO E DEMOCRATIZAÇÃO DA PARTICIPAÇÃO POPULAR. É claro que tudo isso só se faz com comunicação, mas para “comunicar” precisa ter vontade. É essa “vontade” que Haddad, e também Dilma, precisam ter para não serem engolidos pelos fascistas da direita,.

  14. ue, mas se foi absurdo o aumento de 357% do kassab, porque o Haddad quer aumentar denovo?? nao seria o correto entao diminuir em 357% o iptu?

    • Se voce vivesse no Brasil saberia da gigantesca valorização que houve no país de 2009 para cá. Por conta disso, todas as grandes cidades estão revendo pra cima o IPTU

      • Uma casa mais cara não implica em necessidade de mais imposto. E se for nessa linha, quando cair o valor do imóvel, vamos trazer o iptu pra baixo, certo? …sei sei…

      • Vc mora num apartamento e paga 1000 reais. Ai, ano que vem ele se valoriza e você é obrigado a pagar 1200 reais… bem justo mesmo. Vc não vendeu ou teve nenhujm lucro com o seu imóvel, ams o governo (seja ele PT ou PSDB) vai lá e mete a mão na “renda” que vc ainda nem teve, e nem sabe se terá…. aiai Brasil

        • Sr, eduardo.

          Seu racíocínio linear é lógico.

          Porém os mais pobres continuaram pagando a vossa conta.

          Acha justo ???

          Saudações Democráticas.

Trackbacks

  1. Kassab aumentou IPTU em até 357% e Fiesp...
  2. Kassab aumentou IPTU em até 357% e Fiesp não deu um pio | EVS NOTÍCIAS.
  3. Kassab aumentou IPTU em até 357% e Fiesp não deu um pio | O LADO ESCURO DA LUA
  4. Kassab aumentou IPTU em até 357% e Fiesp não deu um pio | Santa Luzia Empresas | Guia comercial da Cidade
  5. Está na hora de Mano Brown reeditar seu vídeo sobre a Justiça: ao invés de Serra, o protagonista é Joaquim Barbosa | Maria Frô
  6. Está na hora de Mano Brown reeditar seu vídeo sobre a Justiça: ao invés de Serra, o protagonista será Joaquim Barbosa | Maria Frô
  7. Kassab aumentou IPTU em até 357% e Fiesp...
  8. Kassab aumentou IPTU em até 357% e Fiesp não deu um pio | Blog da Cidadania | O LADO ESCURO DA LUA
  9. Kassab aumentou IPTU em até 357% e Paulo Skaf não deu um pio | bloglimpinhoecheiroso
  10. Um ano de Haddad: o que a mídia esconde? |
  11. João Whitaker: Um ano de Haddad em São Paulo, o que a mídia esconde | bloglimpinhoecheiroso
  12. O IPTU e o cinismo da Fiesp e da mídia | Altamiro Borges
  13. Um ano de Haddad: o que a mídia omite? | Altamiro Borges
  14. A mídia e um possível golpe no Brasil — Brasil Debate
  15. A mídia e as tentativas de golpe no Brasil « Blog da Ligia Deslandes

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.