Folha mantém fraude jornalística sobre o Minha Casa, Minha vida

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

 

Meio que na surdina durante uma semana de baixa temperatura política, uma das mais impressionantes fraudes jornalísticas dos últimos anos foi praticada e, mesmo após ter sido desmascarada, vem sendo mantida por quem praticou.

Na última quarta-feira, a Folha de São Paulo publica em destaque, no alto de sua primeira página, em tom de denúncia, a informação de que a presidente Dilma aumentou o ritmo de viagens pelo país para entregar até “casas sem água e luz”.

Sob o título “Dilma multiplica viagens e entrega casas sem água e luz”, a “denúncia” ainda relata que a presidente participou, neste ano, de 11 eventos para entregar retroescavadeiras e outras máquinas a prefeitos.

Vale informar que essa “entrega de retroescavadeiras” decorre de programa federal bilionário anunciado recentemente por Dilma no programa do “Ratinho” e que está DANDO um “kit” não só com retroescavadeira, mas com motoniveladoras e caminhões-caçamba a centenas de prefeituras de pequenos municípios.

Recentemente, foram entregues 179 kits. O programa, lançado sob a rubrica PAC 2, tem orçamento de cerca de um bilhão de reais e deve movimentar o setor de máquinas e equipamentos, além de gerar empregos.

Já na matéria da Folha sobre o Minha Casa, Minha vida, foi colocada foto (abaixo) de moradora que estaria “vivendo à luz de vela” em uma das “casas sem água e luz”, e reproduzidos relatos sobre “a situação” em que estariam as famílias por falta de infraestrutura dos imóveis.

As “casas sem água e luz” em questão são unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha vida que foram entregues pela presidente Dilma na última terça-feira, 15, em Vitória da Conquista (BA). A matéria da Folha induz o leitor a pensar que as casas não têm redes de luz, água e esgoto.

A foto abaixo é do conjunto habitacional inaugurado pela presidente e já começa a desmontar a farsa da Folha. O que se vê são casas bem construídas, em ruas com calçadas, pavimentadas, com postes e relógios de luz e, abaixo deles, relógios para medição do consumo de água.

Por que, então, o jornal coloca no alto de sua primeira página, em destaque, essa “denúncia”? Faz sentido a foto de uma casa à luz de velas? As pessoas terão que viver desse jeito? Que inauguração é essa que leva famílias para viverem em condições tão precárias quanto a da foto?

A intenção de causar impacto ao leitor com uma distorção dos fatos fica absolutamente comprovada no “outro lado” publicado pelo jornal. Apesar de não ter recebido destaque, a nota do Ministério das Cidades explica que não é nada disso.

O texto deixa claro que as casas possuem ligações de água e luz, sim, mas que, como em qualquer imóvel até de um “bairro nobre”, quem passa a ocupá-lo tem que se dirigir às empresas distribuidoras para que as ligações sejam ligadas, por assim dizer.

Ou seja: as pessoas que estão vivendo sem água e luz nas unidades habitacionais inauguradas por Dilma simplesmente não quiseram esperar o prazo de cinco dias úteis para ocuparem os novos imóveis e, desse modo, passaram a ocupá-los de qualquer jeito.

O ânimo ou a necessidade de mudar logo provavelmente explica por que essas pessoas fizeram isso.

Por não haver qualquer irregularidade na entrega das unidades habitacionais ou nas ligações de água e luz, no dia seguinte à publicação da “denúncia” da Folha a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) enviou carta à coluna de leitores do jornal explicando que não havia falta alguma de luz no local.

Abaixo, reprodução da carta da Coelba publicada pela Folha na quinta-feira, 17 de outubro.

—–

Minha Casa, Minha Vida

Em relação à reportagem “Dilma multiplica viagens e entrega casas sem água e luz” (“Poder”, ontem), a Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia) esclarece que vem realizando as ligações das moradias do programa Minha Casa, Minha Vida no prazo da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), de cinco dias úteis.

Os pedidos só podem ser feitos por responsáveis pelos imóveis, e estes receberam as chaves em 9/10. A Coelba registrou 1.070 solicitações de ligação deste empreendimento em Vitória da Conquista (BA). Destas, 562 unidades foram ligadas e as demais o serão até sábado (19). Uma agência móvel está no local para facilitar o atendimento e realizar cadastros na tarifa social de energia.

AMINE DARZÉ, gerente de comunicação da Coelba (Salvador, BA)

—–

Apesar do esclarecimento, a coluna “Erramos”, do mesmo jornal, não divulgou o “erro” de publicar na primeira página uma manchete que informa que as casas entregues por Dilma “não têm água e luz”.

Na sexta-feira, dia 18, mais uma carta no Painel do Leitor da Folha sobre a “denúncia” em tela. Desta vez, quem escreve é o próprio Ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, que conclui o texto acusando a Folha de ter servido a “interesses eleitorais” ao publicar a falsa denúncia.

Abaixo, reprodução da carta do ministro publicada pela Folha na sexta-feira, 18 de outubro.

—–

Minha Casa, Minha Vida

As reportagens “Dilma multiplica viagens e entrega casas sem água e luz” (“Poder”, 16/10) e “Para oposição, Dilma viaja mais porque já está em campanha” (“Poder”, ontem) induzem o leitor a conclusões equivocadas.

Todas as moradias do programa Minha Casa, Minha Vida são entregues com infraestrutura de água, esgoto e energia. Cabe aos beneficiários solicitar às companhias a ativação dos serviços.

Ao omitir que os casos de Vitória da Conquista (BA) estão dentro do prazo de instalação e minimizar, por duas edições, explicações do governo federal, os repórteres ignoraram princípios do “Manual da Redação” da Folha: apuração exaustiva, apartidarismo e imparcialidade. Podem se orgulhar de terem servido a interesses eleitorais, mas não aos dos leitores.

AGUINALDO RIBEIRO, ministro das Cidades (Brasília, DF)

—–

Na coluna “Erramos” da Folha, no mesmo dia, nem um pio sobre o “erro” de acusar a presidente da República do que seria uma farsa caso tivesse ocorrido como o jornal induziu seus leitores a crer.

A fraude, porém, cumpriu seu objetivo. No mesmo dia, na “blogosfera” instalada nos grandes portais, a “denúncia” foi repercutida exatamente sob o viés que a Folha pretendeu dar – acusando a presidente de “inaugurar obra inacabada”.

O colunista e blogueiro da Folha, Josias de Souza, afirmou que Dilma, “Com o prestígio rebaixado pelas ruas de junho, bate o ponto em formaturas de alunos do ensino técnico e distribui casas (…) à luz de velas e com torneiras secas”. Já o colunista e blogueiro da Veja Reinaldo Azevedo, não faz por menos. O título de sua matéria é “A ‘velha política’ de Dilma – Era uma casa muito engraçada, não tinha água, não tinha nada…”.

A pergunta que se deve fazer, objetivamente, é a seguinte: de fato Dilma entregou imóveis sem água e luz? Os beneficiários do Minha Casa, Minha vida vão viver dessa forma?

Vamos lá: eu mesmo, no início da vida de casado, mudei-me para um pequeno apartamento de quarto e sala muito próximo à avenida Paulista e fiquei sem luz por dois dias. Pessoas com as vidas ainda se estruturando podem ter que mudar rapidamente – ou podem querer, porque as casas entregues por Dilma, ao menos na foto, parecem muito boas e seus novos ocupantes devem ter ficado muito felizes, já que deviam estar vivendo em condições precárias.

É por essa e por outras que na quinta-feira o ex-presidente Lula exortou a militância petista e os simpatizantes do projeto político-administrativo em curso no país a “ocuparem a internet” até as eleições do ano que vem.

O tamanho da fraude exposta neste texto revela o nível em que transcorrerá a campanha eleitoral de 2014. Essas “denúncias” falsas se tornarão rotina. E, desta vez, provavelmente de uma forma nunca antes vista na história deste país.

Tags: , , , , , , ,

129 Comentário

  1. Caro Eduardo e demais
    Contra o PT. e demais governos progressistas, a Folha e demais mídia, sempre erram, mentem, deturpam; mesmo mostrando provas, das irregularidades, safadezas do PSDB, DEM, PSD, etc e demais governos reacionários, a Folha e demais mídia, escondem, fraudam, escondem.
    Faz parte da ideologia da direita, pois se eles falarem a verdade, eles não se elegem para nada.
    Hoje, os blogues, ditos sujos, conseguem desmentir de imediato.
    Saudações

  2. No dia em que a Folha publicou esta notícia, era o mesmo dia em que veio a luz que um tucano de alta plumagem havia recebido pouco mais de US$ 800 mil do cartel das empresas ferroviárias.
    Ora, sabendo dos interesses dos donos da Folha, esta segunda, verdadeira e importante, notícia para a população jamais seria publicada na primeira página.
    Inventaram alguma coisa para omitir o que deveria ser a manchete e colocaram no canto em corpo menor ao invés de ser a manchete.
    Está na hora de divulgar com mais intensidade as patifarias do Srs Frias, pai e filho.
    Que tal começarmos pela forma como obteve o controle da Folha dos Caldeira.
    Poderíamos dos transtornos à cidade de São Paulo quando a Folha operava a antiga rodoviária e das ações que moveu para impedira a mudança para o Terminal Tietê.
    E o empréstimo de veículos para a repressão, mais um tema.
    Li seu artigo sobre a Sra. Singer.
    Há limites para a ética profissional e ela os ultrapassa na medida em que sabe bem que seu cargo é inútil. Um cargo que apenas tenta impigir um viés de modernidade ao jornal, tão inútil quanto os SAC’s da maioria das empresas indústriais ou comerciais no Brasil.
    Quanto a este último assunto, algo me tranquiliza: A Sra. Singer, quando terminar seu mandato encontrará colocação como contorcionista em qualquer circo da periferia.

  3. E
    já admirei o autor desse Blog.
    Hoje enxergo que ele fez pacto com emissários de Mifistófeles

    Para Requião, leilão do Campo de Libra é um crime contra o Brasil
    do site do senador Roberto Requião
    “O que está acontecendo no Brasil? O Governo quer leiloar o campo petrolífero de Libra, que pode ter 15 bilhões de barris de petróleo, e não tem justificativa nenhuma para isso”, afirmou o senador Roberto Requião (PMDB/PR). “Estão entregando o petróleo brasileiro, mesmo depois do escândalo da espionagem da Petrobrás, do Ministério dos Transportes e até do telefone particular da presidente Dilma (Rousseff)”, completou.
    Para Requião, o leilão do Campo de Libra, marcado para o próximo dia 21, “é um crime contra o Brasil. Um absurdo”. Ele comunicou que, junto com os senadores Pedro Simon (PMDB/RS) e Randolfe Rodrigues (Psol/AP), há mais de um mês entrou com um projeto de decreto legislativo para anular a licitação. No entanto, o projeto não tramitou no Senado.
    “Se negaram a debater a questão. Sonegaram do Congresso o contraditório. Não é um parlamento mais. É um grande espaço de silêncio em troca de emendas e de favores. Eu estou profundamente indignado com isso tudo”, criticou. O senador ainda cita outro fato grave: o uso do Exército para fazer a segurança do local leilão.
    “Isto está causando a indignação dos movimentos populares, dos setores mais esclarecidos do país. Mas a imprensa toda está a favor do entreguismo. Porque na verdade, hoje, PSDB e PSB estão todos nesta visão entreguista. Eles querem só derrubar o PT para fazer o mesmo, mas sem os programas sociais”, afirmou.
    “Eu pergunto a você, que como eu votou e lutou pela Dilma: era isso que a gente esperava? E eu pergunto ao PT: foi isso que nós propusemos na campanha? E eu pergunto ao PMDB: foi por isso que nós apoiamos a presidente Dilma? Não. Não foi”.
    Reservas – O Campo de Libra está localizado na camada de pré-sal na Bacia de Santos, em São Paulo, e deve produzir pelo menos um milhão de barris por dia, o equivalente à metade do que o país extrai atualmente. No projeto, espera-se instalar de 12 a 18 plataformas de grande porte.
    Tratar-se de um campo já perfurado e testado. A Petrobras pagou à União pelo Campo. Pela cessão, deveria extrair 5 bilhões de barris, mas, depois das perfurações, encontrou reservas equivalentes a 24 bilhões de barris. Pela lei, a União deveria negociar um contrato de partilha com a empresa pelos 19 bilhões excedentes, mas, em vez disso, resolveu leiloar o campo.

  4. Não só devemos ocupar a INTERNET, mas também PRECISAMOS OCUPAR A JUSTIÇA COM AÇÕES JUDICIAIS QUE NÃO SOMENTE SOLICITEM PUNIÇÕES PARA CRIMINOSOS COMO A CANALHA FOLHA DE SÃO PAULO, MAS TAMBÉM EXIJAM LIMINARMENTE UMA RETRATAÇÃO, PUBLICADA COM O MESMO DESTAQUE DO TEXTO DIFAMATÓRIO. A guerra já começou e o crescimento de Dilma nas pesquisas, aliado ao fracasso do “golpe” MarinaXEduardo Campos, levará a extrema direita a ações desesperadas em pouco tempo, as quais farão essa “matéria” da Folha nos deixar com saudades. Para não apenas reprimir golpes como esse, mas inibir outros ainda piores, é mais do que urgente que a Sociedade Civil organizada(via sindicatos, ONG’s, entidades estudantis, movimentos sociais, organizações comunitárias)inicie imediatamente uma guerra jurídica contra a mídia. Temos agora, na Procuradoria Geral da República e no Ministério Público Eleitoral, pessoas sérias que substituíram verdadeiros militantes da extrema-direita que outrora ocupavam tais cargos, portanto aumentamos nosso poder de ação, não por motivos políticos, mas porque os novos comandantes dessas instituições analisarão com imparcialidade, restringindo-se à legalidade, quaisquer pedidos de Representação contra os barões da mídia. E nem é necessário lembrar que não faltam movitos legais para que Folha, globo e quadrilheiros associados sejam colocados na cadeia pelos golpes que dia sim e outro também praticam para tentar manipular a vontade eleitoral dos brasileiros. Sobre esse caso específico, sugiro que a Altercon e o Instituto de Estudos da Mídia Barão de Itararé encampem imediatamente um pedido de Representação a PGR e ao MPE, uma vez que qualquer demente sabe que as solicitações de ligação elétrica em uma residência têm que ser feitas pelo moradores, o que não significa falta de eletricidade, que está sim disponível nos postesda rua, mas precisa ser individualmente solicitada pelos proprietrários de cada residência. Como também sabemos da ansiedade de qualquer pessoa em receber a casa própria, desejando rapidamente ocupá-la, e mais ainda se tais ocupantes forem os beneficiados pelo Minha casa, Minha Vida, pessoas de baixa renda , que normalmente residem em condições precárias, ou de favor, e pela primeira vez irão habitar um imóvel próprio, que além de seu, possui um nível de estrutura muito superior ao que poderiam imaginar diante de suas limitações financeiras. PORTANTO, A MÁTERIA DA FOLHA ALÉM DE DESONESTA, É MALDOSA, PRECONCEITUOSA, CÍNICA, CANALHA E SÓRDIDA, UMA VEZ QUE DESCONSIDERA , EM SEU ÓDIO CONTRA O PT E CONTRA OS POBRES, AS CONDIÇOES DE PENÚRIA, OPRESSÃO E ABANDONO QUE OS BENEFICIADOS PELO MINHA CASA, MINHA VIDA ENFRENTARAM NO PASSADO(PRINCIPALMENTE DURANTE O GOVERNO FHC, TÃO ENALTECIDO PELOS VERMES DESSE JORNALZINHO FASCISTA), CONDIÇÕES QUE COMEÇARAM A SER MODIFICADAS PELA AÇÃO EXTRAORDINÁRIA E INCLUDENTE DOS GOVERNOS LULA E DILMA, SABOTADOS HÁ DOZE ANOS POR MENTIROSOS DESPREZÍVEIS COMO OS LACAIOS DESSE JORNALZINHO ASQUEROSO.

Trackbacks

  1. Folha mantém fraude jornalística ...
  2. Wilson Rubiatti – OMBUDSMAN CONFIRMA ERRO DA FOLHA CONTRA DILMA
  3. Rômulo Gondim – Erro ou má-fé da Folha? A Justiça vai decidir
  4. Rômulo Gondim – Folha tenta explicar fraude e se desmoraliza ainda mais
  5. Wilson Rubiatti – ERRO OU MÁ-FÉ DA FOLHA? A JUSTIÇA VAI DECIDIR
  6. Folha por Folha a fraude pela fraude | Ficha Corrida
  7. Ao tentar explicar sua farsa, Folha se desmoraliza ainda mais | novobloglimpinhoecheiroso
  8. Mais uma vez a Folha de São Paulo mentiu para atacar o PT e a Presidenta Dilma |
  9. Folha mantém fraude jornalística sobre o Minha Casa, Minha vida … | Veja, Brasil
  10. Folha mantém fraude jornalística sobre o Minha Casa, Minha vida … : Revista Veja Brasil
  11. Folha mantém fraude jornalística | Altamiro Borges

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.