A medida de uma nação

 

Dei-me a escrever enquanto a madrugada já ia alta. Tentara dormir, mas uma muralha de sentimentos e reflexões restava interposta entre o sono e a vigília – até porque, uma dezena de horas antes só havia rancor. O tribunal em que julgamos nossos contrários já julgara e condenara os que não se adaptaram às idiossincrasias do que ora escreve.

Dos últimos embates políticos em que a nação mergulhou nos últimos dias – sendo que mergulha em algum, de porte, toda semana –, talvez o que se referiu ao leilão do campo petrolífero de Libra tenha sido o mais aguerrido, menos racional e impressionantemente “plural”, se é que cabe o termo para o que virou uma virtual carnificina retórica.

Rancor. Esse foi o saldo do que deveria ter sido um processo cidadão, democrático, republicano de discussões sobre passo tão largo e profundo que o Brasil daria, como de fato deu.

E quando se pensa em rancor ele se torna mais doloroso quando se instala inclusive entre aqueles que, até aquela divergência, sempre se respeitaram. Ora, quando três lados se engalfinham em uma luta sem regras, limites e juiz, em um vale-tudo em que o objetivo nunca é menos do que a destruição completa da honra do adversário, nada de bom pode suceder.

Eis que, na primeira da dezena de horas que antecederam o pincelar destas palavras, o rancor cede espaço ao júbilo por uma filha que, após meia década de labuta estafante, naquele momento estava recebendo seu diploma de graduação em Análise de Sistemas lá do outro lado do mundo, na Oceania australiana.

Tecnologia maravilhosa, a deste mundo progressivamente louco. Tecnologia que tanto mal faz, também faz o bem – une um pai a um dos momentos mais importantes da vida de uma filha expatriada que acabara de alcançar o sonho que perseguia.

Gabriela, minha Gabriela… Quanto orgulho.

Coração mais leve, o fígado vai adormecendo e o cérebro, despertando.

O que é melhor para todos os brasileiros, sejamos de direita, de esquerda, do centro, da periferia, do Norte, do Sul, evangélicos, católicos, corintianos, palmeirenses, idosos, adolescentes, ricos ou pobres?

Serão os nossos interesses tão díspares quanto, ainda que inconscientemente, fazemos parecer? Ou não será que, no ocaso dos casos, todos acabamos submetidos aos mesmos riscos que corre qualquer nação que não sabe convergir e, muito menos, divergir?

Todavia, se acharmos que, no Brasil, a luta política é desproporcionalmente renhida, não estaremos certos, ainda que não tão longe da verdade. Há nações em que compatriota extermina compatriota, muitas vezes com requintes de crueldade.

Então, por isso, nossa luta política, nos termos em que vem se dando, é suave até demais? Não, não é. Não chegamos ao ponto da guerra civil, mas ela já se ensaia entre os que não lhe sabem a razão, vendados que estão pela pobreza, pela ignorância e pela injustiça social. E acontece na retórica da elite intelectual e política, onde talvez seja mais perigosa…

Outro dia, dei-me a ler comentários de leitores em um dos sites que publicam meus textos. Como todos sabem, há os que amam e os que odeiam quem expõe suas opiniões e preferências ou antagonismos. Mas foi nos que odeiam que encontrei um ponto crucial de reflexão.

Um homem, não parecendo um adolescente, não parecendo um iletrado, dizia que o que eu escrevera – e ele acabara de ler – denotava a causa da paralisia cerebral de uma minha filha, pois ela seria tão “doente” quanto o pai.

Não me chocou. Fez-me pensar: quem pode me odiar tanto a ponto de não respeitar limite algum? O que fiz para esse que guarda dentro de si tanto rancor? Até que ponto esse ser iria em busca de vingança contra o que formulei em palavras escritas ou proferidas? Matar-me-ia, talvez? Não duvidei.

Mas não houve ódio, em reação. Houve tristeza e, de certa forma, um tipo de remorso. Alguma coisa eu fiz àquele ser, é claro. E fiz porque, como tantos outros temos feito, muitas vezes me entrego à tentação de não valorizar o direito do outro ao contraditório.

Mas não pense, leitor, que isto é um mea-culpa. Quando uso a primeira pessoa do singular, na verdade quero usar a do plural. Porque não há lordes ingleses – se essa pode ser uma medida de civilidade, o que para qualquer historiador seria questionável – entre qualquer um dos que fazem política nua e crua – clichês à parte.

Eis-me, pois, em uma crise de identidade. Sou o mocinho e meu contrário é o vilão? Ou você, meu contrário, é que é o mocinho e o vilão sou eu?

Podemos ser imparciais, em tal impasse?

Não seria lucidez de nossa parte – minha e sua, que de mim diverge – se concluíssemos que não há vilões nem mocinhos nessa luta, mas compatriotas em busca de uma solução que seja minimamente aceitável por todos? Esse não deveria ser o sentido da política, a busca de um consenso mínimo que permita manter a disputa dentro de limites razoáveis?

Deixo-o com essa reflexão, leitor que concorda, discorda ou que está entre os extremos. Uma nação se mede pela forma mais ou menos civilizada como converge ou diverge. Civilidade, pois, é capacidade de um lado aceitar que divergência, em certas questões, é razoável, mas do outro lado igualmente entender que divergência tem limites, pois não basta a si mesma.

Continuemos a luta, pois. Critiquemo-nos, ataquemo-nos duramente, sim, mas não selvagemente. Tenhamos em mente, por isso, que a forma como empreendemos a inevitável disputa de interesses dos diversos segmentos da sociedade é, também, a medida de nosso estágio civilizatório, pelo qual todos nós, sempre, teremos total responsabilidade.

Todos, sem exceções.

Tags: ,

193 Comentário

  1. Caro Edu,
    alegre-se por ter uma familia tao bacana, ja vi fotos de todos e sei que juntos vcs formam um conjunto capaz de enfrentar as tempestades cotidianas. Mas atendo a suas consideraçoes, chegamos ao ponto: será que nao é possivel chegar a um consenso nesta guerra de vaidades? O fato que as pessoas pensam serem absolutas e jamais se propoem a examinar com atençao os pontos de vistas dos outros. Pelo que me consta, a verdade nao pertence a um unico grupo ou individuo, mas é resultado de um esforço na busca do melhor. Uma das coisas que mais gosto é qdo numa batepapo, alguem pergunta o que o outro pensa sobre o assunto e atentamente ouve seu interlocutor com o espirito pacifico, aproveitando para APRENDER um pouco mais sobre o que passa na cabeça do proximo enquanto alternativa para uma questao de multiplas escolhas. Ao respeitar a opiniao alheia, poderemos ser capazes de aumentar nosso conhecimento sobre varios assuntos, permitindo que tambem tenhamos argumentos para sustentar nossos pontos de vista.

  2. Prezado amigo,

    Orgulhe-se de possuir uma medalha que poucos ostentam: ser odiado pelo PIG e pela direita.

    Ninguém passa incólume pela vida vivendo paixões ardentes como nós que lutaremos até o final dos nossos dias por justiça social e igualdade entre os seres humanos.

    Gosto de homens de família, parabéns pela formatura de sua bela filha.

  3. Caro Eduardo,

    O auge de sua reflexão se deu no momento da questão: mocinho ou bandido? Pois bem… é essa a grande encruzilhada de nosso país, do nosso mundo, de nossas personalidades. E ela se dá dia a dia, pois tudo pode mudar, do óleo para o vinagre quando menos se espera. Que bom que assim seja. Mas o ponto nevrálgico são as armas utilizada. O ideal seria o debate. O bom combate. Mas não!!! É impossível para pessoas como nós, de índole, utilizar o Código de Talião. Parece que nosso meio está rachado em duas extremidades. Ou você é meritocrata ou solidário, capitalista ou comunista, religioso ou ateu. São poucos os que param para pensar como o mundo é simples. Mas é dessa simplicidade que o primeiro homem se aproveitou do outro e tomou para si algo que até então era comum a todos, demarcou uma área com cercas rudimentares e aí surgiu a nossa ”civilização” atual. E para manter tudo isso como está, aí sim, as armas vêm em punho. Poderemos mudar essa situação, mas será um processo lento. Mas parados nunca! E somos nós que habitamos esse espaço que temos a obrigação de não perder uma oportunidade sequer de mostrarmos nossa humanidade diante da bestialidade de alguns semelhantes. Temos que usar nossas armas que são o bom senso, a serenidade e a razão. De vez em quando alguns de nós tombará, sucumbirá, diante das adversidades, mas estáticos, nunca. Não quero ser bandido ou mocinho, apenas quero a justiça, que não está acessível a todos. Mas também me dou por muito satisfeito, pois hoje nos meus 52 anos de idade, pensei que nunca mais teríamos um quase pleno emprego, mas eu estava errado. Nunca imaginei que um operário, retirante do nordeste, assumisse o alto cargo executivo e mais ainda, desse os primeiros passos para derrubar parte dessas muralhas, que um dia começaram com uma cerca, em prol dos que mais precisam. Gabriela é prova de que é possível nivelar o debate para o alto. Sei que o começo de sua vida conjugal, precoce, foi complicada e sem muito apoio, mas isso o tornou um forte. Muito parecido comigo, portanto. Minha história é muito parecida com a sua, guardada algumas proporções.
    Felicidades Amigo. Felicidades Gabriela!

    Douglas Quina
    Mogi Guaçu – SP

  4. Parabéns, Edu, é um momento único… para nós, pais, e pra eles, então…
    Um verso de Drummond de 1930: “Deus vela o sono e o sonho dos brasileiros. Mas eles acordam e brigam de novo”. Esse país é suficiente pra todos os brasileiros e todos os estrangeiros que aqui vivem. Mas precisa haver uma divisão mais justa, pra todos serem felizes. Será que é tão difícil entender (e realizar) isso? Será que precisamos brigar tanto e sempre?

  5. Legítima defesa não é crime.

  6. Parabens Eduardo pelo que faz-e-diz

    Parabens a e pela linda Gabriela.

  7. Parabéns ! Felicidades para ela e para toda a família !

  8. Parabéns Eduardo, pela conquista da filha!!!

    liga não, a direita é assim mesmo!!!

  9. Caro Eduardo, fico impressionado com sua capacidade de, mesmo diante de um comentário tão mesquinho

    como o daquele cidadão que fez referência ao problema de sua filha Victoria, consegue usar o dom da

    reflexão e escrever um texto tão lúcido e equilibrado como o que você escreveu.

    São necessárias uma grande força e riqueza interiores para atingir esse equilíbrio emocional. Parabéns.

    E parabéns também a você e à sua filha Gabriela pela graduação como analista de sistemas.

    Um grande abraço.

  10. Olá, Edu

    Parabéns Edu pela conquista de sua filha, que é também sua e toda a sua família!!
    Um abraço.

  11. Civilidade. Respeito humano. Duas palavras fundamentais numa verdadeira democracia.

    Debate respeitoso e civilizado. Isso é extraordinário e nos leva à luz.

    Às vezes, no calor das discussões, infelizmente cometemos o erro terrível ( e que nos deixa sem moral ) de faltar com o respeito ao interlocutor.

    Mesmo que o outro nos falte com o respeito não podemos e não devemos descer ao nível dele, isso seria uma falta de respeito também com a gente mesmo.

    Não é fácil lidar com tanta hipocrisia e injustiça.

    A revolta é natural, mas temos que domesticá-la.

    Quem não fica a um milímetro de perder a cabeça com os defensores do tucanato, quando lê uma coisa como essa:

    Mortalidade infantil no governo FHC chegou ao dobro do recorde mundial registrado na pior região da África

    O tempo passa, e as pessoas já não se lembram. A mídia corporativa trata de encobrir com o imenso véu do esquecimento o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que quebrou o país, como Pedro renegou Jesus, três vezes.

    Mas, uma antiga entrevista de Hamilton Octavio de Souza com o jornalista Aloysio Biondi, em novembro de 1999, sugestivamente intitulada “Mau-caratismo de FHC), publicada na Revista Adunicamp, nos ajuda a lembrar o que é um governo tucano, que com seus aliados, coligados ou não, ameaça voltar.

    Adunicamp – O novo Plano Plurianual de FHC, denominado “Avança Brasil”, mantém as mesmas diretrizes do primeiro governo ou apresenta alguma novidade?
    Aloysio Biondi: Acho bobagem falar do plano “Avança Brasil”, acho melhor falar da política econômica total do governo que aí está. A gente vai acabar falando de política tributária que não existe, de política industrial que não existe, de política agrícola que não existe. Recentemente, os jornais publicaram um quadro sobre a liberação de verbas do governo em relação ao total previsto e, então, tem lá: reforma agrária, 25% do previsto; Proger, que é um programa de geração de renda, 0,5% do previsto. Essa história das cestas básicas, por exemplo, já em abril, num artigo meu publicado na Folha, eu falava sobre uma reunião que houve no Palácio do Planalto entre o Comunidade Solidária e todos os ministros, o Fernando Henrique anunciou um aumento de verba para a área social que continuava sendo absolutamente ridículo. A Folha tinha publicado, semanas antes, uma matéria dizendo que a seca aumentou a mortalidade no Nordeste. O texto dizia que a mortalidade infantil no sertão tinha chegado a 400 mortes para cada mil crianças até um ano, que era o dobro do recorde mundial registrado na pior região da África. Na matéria, a prefeita de uma cidade dizia que a situação era dramática porque a população não estava recebendo as cestas básicas e os pagamentos das frentes de trabalho estavam atrasados há três meses. Quer dizer, o que estava matando não era a seca, mas o corte no orçamento, o ajuste fiscal. Isso lembra o que dizia o Fernão Bacha no início do governo Fernando Henrique: ele falava que era bobagem ficar discutindo verbas com o Congresso, que o negócio era deixar aprovar o que quiserem, depois a gente segura. E ele dizia: basta fechar os olhos e tapar os ouvidos à gritaria e à desgraceira ao redor, que é o que esse governo está fazendo.

    Adunicamp – E o assunto sumiu do noticiário.
    Aloysio Biondi: Eu digo que a imprensa é cúmplice no genocídio, porque isso está acontecendo, as pessoas estão morrendo de fome no Nordeste, a seca jamais acabou, o governo reduziu as frentes de trabalho a um quarto, a verba de cestas básicas foi liberada apenas um quarto do previsto (25%). Inclusive saiu nos jornais que o pagamento de quem trabalhou nas frentes de trabalho em dezembro ainda não tinha sido pago até julho. Quer dizer, é a primeira vez que eu vejo um governo ter a coragem de dar calote no flagelado da seca que trabalhou em frente de trabalho.[Fonte]
    Há mais nessa entrevista. Mas, por enquanto, deixo este pequeno trecho com essa informação poderosa, vergonhosa e abafada, esquecida. 400 crianças mortas em cada mil, porque o dinheiro foi para o plano elaborado por aqueles que vivem deitando falação por aí, Pedro Malan, Armínio Fraga, André Lara Resende, Pérsio Arida (este comentei aqui, recentemente, Ex-presidente do BC de FHC é contra crescimento econômico e a favor do aumento de juros e desemprego).

    Eles ameaçam voltar.

    Fonte: http://blogdomello.blogspot.com.br/2013/10/mortalidade-infantil-governo-fhc-maior-que-na-africa.html

  12. Se a mídia brasileira fosse imparcial, ia faltar cadeia.

  13. Eduardo, gostaria de lembrá-lo apenas que os ataques que vc sofre, na verdade, podem ser reconfortantes na medida que isso é o resultado de sua luta na defesa de seus princípios éticos e morais mesmo numa seara espinhosa que é a política de nosso país. Vc, como a maioria dos seus leitores e do MSM, tem lado e o defende. Parabéns pelo sucesso de sua filha, que pelo que acompanhamos ao longo dos anos, é a premiação natural de uma família que tem os pais como timoneiros, orientadores em todos os momentos. Parabéns Gabriela.

  14. Meu caro Eduardo,

    Os cães ladram e a carruagem passa! Parabéns pela sua filha, continue no bom combate!

  15. Edu, olha a intimidade..rs, essa notícia de sua filha com a foto dela devidamente paramentada com a beca da academia é o melhor que jurubeba para o “figuerêdo” como lhe diria Gil e Jorge Ben Jor..
    Parabéns, e vida que segue..
    Abraços
    Celso

  16. Em primeiro lugar, parabéns pela formatura de sua filha! Depois quero dizer que não consigo ser tão “bonzinho” quanto você! Ou seja, não dá para fazer omelete sem quebrar os ovos! Sem querer parecer maniqueísta, reconhecendo que todos nós podemos melhorar em nossos erros, afirmo que não dá para se entrar numa luta política renhida como a nossa, enfrentando o que existe de pior neste país, a direita e seus lacaios(aqueles que sem serem economicamente de direita, a defendem por burrice ou por serem regiamente pagos)e vir com rosas para essa corja, até porque não serão rosas o que eles atirarão em nós. Assim, guio-me por um princípio elementar, estou preparado para o debate intelectual honesto com qualquer um, e acredito que existem conservadores capazes de um debate honesto, embora sejam poucos; mas reajo com agressividade muito maior àqueles que tentarem ser agressivos contra mim. E quando falo agressivos, não me refiro somente a ofensas, a forma mais simples de agressividade, mas a qualquer um que queira sustentar suas “opiniões” com base em preconceitos, reducionismos, ódios, estereótipos, simplificações ou quaisquer outras “armadilhas da burrice” destinadas a desqualificar tanto o interlocutor, como o objeto analisado, comportamento esse muito comum ente os “jornalistas” amestrados de nossa mídia conservadora e entre os lacaios dos barões midiáticos que sabotam espaços como esse, trolls que infelizmente ainda têm vida aqui porque você permite. Assim, tratar por exemplo Cuba como “ditadura atrasada” ou o “Governo Lula como corrupto” ou “mensalão como maior caso de corrupção na História deste país” ou o “Mais Médicos como Eleitoreiro” ou o “Leilão de Libra como Privatização” não pode ser encarado como opinião honesta, mas como manifestação de preconceito e deslealdade que só merece ser tratada com xingamentos. Aliás, um dos defeitos da esquerda são esses seus pudores “sensíveis” com uma direita que já a matou, torturou e colocou na cadeia inúmeras vezes e, que sonha em fazê-lo novamente, aliás trabalha para isso diariamente. Ou onde você acha que estariam boa parte dos trolls que escrevem neste espaço se houvesse um golpe militar? Batendo em nossas casas para nos prenderem e não nos tratariam com “bons modos”. Assim, quando vejo esses “dilemas” em pessoas de boa intenção como você, só consigo sentir vontade de sacudí-las para ver se acordam e param de se preocupar em “fazer carinho” em quem adoraria dar na cara delas. Direita é em sua maior parte violenta e só pode ser tratada com violência.

    • Grato, Carlos Henrique

      • Não tem que agradecer. Você é um bom pai e um cidadão honrado, aliás, como sempre digo, seu único defeito é não ser pernambucano! Mas falando sério, li agora sua “resposta” a um idiota que novamente “chocou-se” com meus textos virulentos e em caixa alta(quando deveria “chocar-se” com as manipulações e calúnias dos barões da mídia ou bem pior do que isso, com o quadro de miséria que ainda vige neste país graças à obra que a classe dominante brasileira nos legou nos quinhentos anos em que dominou este país). Lamentei por perceber que você dava alguma “razão” àquele merda, que bem pode ser um troll pago(os quais, como já disse inúmeras vezes não deveriam ser publicados neste espaço e, ao serem, recebem ainda que involuntariamente uma “razão” vindo de você). Reafirmo que essa é a minha forma de escrever, não vou mudar, e se te incomoda, ou fere “sensibilidades” de gente de esquerda que adora tratar bem quem a ataca, é só responder a este post que nunca mais escreverei aqui. Do contrário, tenha certeza que meus textos sempre serão assim, não mudo para agradar a ninguém.

        • Gente, com licença que vou falar com o valentão do teclado Carlos eimrique.
          Primeiro que quem coloca post é o blogueiro. Você coloca comentário.
          Segundo que tua mania de ofender, principalmente mulheres, é constrangedora.
          Terceiro que teus comentários são exibicionistas.
          Quarto que você é um chato.

          • calma aí

          • Mauro Gatta ; QUINTO : QUE VOCÊ É UM BABACA! NÃO VENHA SE APROVEITAR DE UM DIÁLOGO ENTRE MIM E O DONO DO BLOG PARA TENTAR APARECER, SEU TROLL DE MERDA! EU NÃO OFENDO NINGUÉM, MUITO MENOS AS MULHERES(DEIXE DE SER MENTIROSO, MOSTRE EM QUE MOMENTO VOCÊ ME VIU OFENDENDO UMA MULHER, MENTIROSO SAFADO!), SÓ RESPONDO E CONTINUAREI RESPONDENDO A QUEM TENTAR ME OFENDER, COMO UM MERDA FEITO VOCÊ, E/OU OFENDER A TODOS NÓS VENDENDO PRECONCEITOS, ESTEREÓTIPOS, SIMPLIFICAÇÕES, MENTIRAS E REDUCIONISMOS. NÃO SOU VALENTÃO DE TECLADOS NENHUM, VALENTÃO É VOCÊ QUE AO INVÉS DE SE PREOCUPAR EM EXPOR O QUE PENSA(EMBORA UMA CAVALGADURA COMO VOCÊ NÃO PENSE NADA!)VIVE FEITO UM RATO A VASCULHAR OS COMENTÁRIOS ALHEIOS PARA ATACÁ-LOS, EVIDENTEMENTE A SERVIÇO DO TEUS PATRÕES DO PSDB! INFELIZMENTE NÃO TE CONHEÇO PESSOALMENTE, POIS AÍ MOSTRARIA QUE HÁ HORAS EM QUE PRECISAMOS SIM AGIR COM DETERMINAÇÃO, MAS PESSOALMENTE, COBRINDO A CARA DE UM SAFADO COMO VOCÊ DE PORRADA! VOCÊ É UM COVARDE DESPREZÍVEL, QUE AGE NA SABOTAGEM PARA DEFENDER OS INTERESSES DE QUEM TE DESPREZA! VOCÊ É UM VERME, SÓ CAPAZ DE DESPERTAR EM MIM O MAIOR DE TODOS OS DESPREZOS!

      • Carlos, o Edu é antes de tudo, democrata. Defende a multiplicidade de pensamentos. Houve um tempo em que ele precisou vedar entrada de trolls por perder muito tempo na batalha verbal com estes caras. Mas é democrata. E não pode se furtar de reproduzir comentários, mesmo que contrário aos pensamentos dele. Abraços.
        PS: sua resposta em caixa alta com palavrões não condizem com a postura do blog.

  17. Caro Edu,

    Alguém que chega a um nível tão baixo, como este lixo que fez tal comentário, não merece nem resposta… é um lixo e como tal deve ser solenemente ignorado.
    Quero aproveitar para desejar muito sucesso à Gabriela. Parabéns à ela e a todo a família.

    Abraços,

  18. Eduardo, de onde você tira tanta força para reagir dessa forma a tão ignominiosa manifestação? É inacreditável como um ser desses se manifeste dessa forma. Chego a perguntar-me se 2000 anos atrás haveria seres tão desprezíveis a ponto de se colocarem tão abaixo do aceitável . E a resposa só pode ser que sim. E hoje a resposta a tal ser (?) só pode ser a da militância, para que tão baixo espectro não se propague para as ainda frágeis, ingênuas e manipuladas consciências. Parabéns pela conquista da filhona.
    Um forte abraço com minha estima e admiração.
    Paulinho

  19. Existe algo mais cristalino, até simplório, e verdadeiro do que “a vitória de um(a) filho(a) é também a nossa vitória”?. Parabéns à família! Edu, pelo menos uma certeza, que nos deve encher de orgulho: eu, você e a grande maioria dos que aqui escrevem e opinam, podemos não ser os “mocinhos”, mas o que nos move é a intenção de extravasar a nossa vontade de um país mais justo para todos. Nenhum de nós está “a serviço” de alguém ou de grupos, dos nossos interesses pessoais…

  20. Antes de mais nada, parabéns pela formatura de sua bela filha. Fico feliz em saber que ela é uma colega minha.

    Quanto à sua reflexão sobre as discórdias que beiram a selvageria. Realmente, todos, sem exceção, se excedem na briga política. É difícil ver alguém falando o contraditório, mas o pior é quando alguns seres já possuem má fé e vêm aqui para insuflar seu ego e tentar humilhar os divergentes de que não gostam.

    Já discuti com muitos e de todos os tipos. Excedi-me, confesso, mas foi em momentos em que vi desrespeito a nós e ao grupo político que simpatizamos, principalmente à Lula, quando alguns tentam desenfreadamente rebaixá-lo e humilhá-lo por não ter a sua “alta instrução”.

    Eu diria, com toda certeza, que o lado de lá – dos direitóires – peca muito mais em arrogância, em prepotência, em desdém e em outras formas de degradação discursiva.

  21. Eduguim, sempre haverão pessoas que espalham cizânias pelo nosso caminhos. Agora, usar no debate questões familiares é golpe baixo, ainda mais pela situação que tu tens passado. Se tem uma coisa que nos atinge (também tenho um filho especial) é incluir no debate pessoas inocentes que nada ou pouca coisa tem a ver, e que não sabem ou não podem se defender. Mas é bom que você saiba que não está sozinho nessa empreitada e que pode ter certeza estamos juntos também nessa empreitada.
    Ademais, parabéns pela sua filhinha, que Deus a abençoe, bem como a sua família.

  22. Edu,seu blog é ótimo…seus textos,idem.Parabéns!! Acredito ,que as suas filhas, tenham muito orgulho de vc. Nós, do blog, temos!

  23. Mais uma vitória conseguida muitas felicidade

  24. Quem somos nós ?Somos os leões e leoas quando se fala nos “filhos ou crias” então que no caminho da sua cria linda seja motivo de alegrias , que a maldade passe longe e que se por ventura atravessar no camin ho , que se afaste devagarinho sem rastros !!PARABÉNS!!Aproveitando …um chameguinho na congóta da ‘MENINA MOÇA VITÓRIA””

  25. Parabéns Eduardo Guimarães, você merece! Gabriela deve estar não menos orgulhosa pela família que tem.

  26. Parabéns pela filha! Eduardo, quase 8 milhões se inscreveram no ENEM. Um grande motivo de preocupação. É preciso tomar cuidado com os sabotadores. O exame é um sucesso. A ira, o ódio, a raiva, o rancor, a inveja leva a desatinos. É claro que haverá pequenas falhas devido ao número de inscritos. É todo um município de grande porte fazendo uma prova. Olha que isso não é pouco.

  27. Parabéns Edu!!!

    Vida longa e muita saúde

  28. Parabéns, felicidades e sucesso nesse caminho que a Gabriela escolheu. abraços pra família guerreira.

  29. SIGAMOS TODOS PARA NOSSA VITÓRIA, NÃO VAMOS NOS CURVAR DIANTE DE PESSOAS DESESPERADA. COISAS ASSIM ME FAZ PENSAR SIM, MAS NÃO VAI PASSAR DISSO. PARABENS POR TUDO QUE J A PUDE CONHECER DESSE GRANDE PROFESSOR.

  30. Já era lá pelas 03.00 horas da manhã quando me deparei com mais um texto seu.
    Olhei por cima e suspeitei, por olhar um comentário, que era uma reflexão que passava não pela Gabriela mas também pela Vitória. Como isso já me irritou, fui pra cama, pra não perder o sono de vez!
    Tendo dormido muito pouco, por razões parecidas as suas, acho que tenho que me pronunciar.
    O comentário que você recebeu da Vitória foi produzido, por alguém que te conhece, portanto pode até ser alguém que conhecemos todos. O perfil desta pessoa, que por razões diversas, infelizmente tem aumentado nos últimos anos. Acho que a preponderante desse tipo de comportamento vem da educação familiar e do ambiente de formação criança adolescente. Dificilmente alguém seja de direita ou de esquerda iria produzir um texto como o referenciado a você, se o autor fosse alguém ao menos “mais ou menos cuidado” nestas duas fases da vida. Agora, a razão desse tipo de comportamento ser mais presente em setores da direita? Acho que além de fatores ideológicos que no caso da esquerda repele preconceitos e tem viés humanista, outra razão potencializa estas ocorrências. A grande mídia apostou, na radicalização por conta das vitórias seguidas da esquerda, produziu alguns “ícones” de caráter duvidoso que se prestam a isso. Por falta de o que dizer, promovem o rancor, o ódio, o preconceito. Veja que não é só com o nordestino, você é um tipo totalmente diferente e vem sofrendo o mesmo que nossos irmãos.
    A cada dia torna-se mais comum textos de inescrupulosos atacando pessoas que estão com graves doenças, mortes. Momentos onde o lado humano deveria afolhar… Suspeito que não aflorem porque não há mais o que aflorar.
    Todos sabemos quem são as matrizes desta proliferação de insanos. Um deles foi embora do Brasil e continua falando lá de fora, outros estão sendo colocados em evidência maior por Globo, Folha e até a TV Cultura. A tendência dessa gente é cada vez ter menos espaço. Veja pelo que passa o PSDB que sequer consegue mais colocar um candidato em segundo turno!
    Eduardo, ainda bem que você, apesar de sentir, é uma pessoa preparada para o enfrentamento.
    O que fazem alguns de nossos blogueiros, como o seu caso, é algo glorioso, heroico.
    Convém pra consolo depreender que, a irá e imbecilidade destas bestas feras é proporcional a importância do agredido. Sinta-se acompanhado de outros nobres brasileiros!
    Parabéns pelas lindas filhas!
    Assim como você tem a Gabriela lá, eu também tenho a Bruna antes em Gold Coast agora em Perth no Índico. A elite da Austrália, é bem menos danosa ao país que a nossa. Essa é uma razão fundamental para que estejam mais avançados que nós!

  31. Edu,

    Eles passarão eu passarinho…liga não. Parabéns pela família.

    Sucessos.

  32. Uma grande ameaça à economia do país paira no Senado. Leio na Agência Brasil que o Senado que tornar o banco central ainda mais independente do que é.
    Acho o contrário, que pelos males que teem causado às economias de muitos países, os bancos centrais deveriam ser extintos. Na melhor das hipóteses deveria estar subordinado ao Ministério da Fazendo, pois é preciso acabar com o que se vê atualmente: presidentes de bancos centrais decidir a política monetária e não os governantes democraticamente eleitos.

  33. Uma sugestão:

    O Estado de S. Paulo CONTRA a Cidade de São Paulo.

    Licença para emitir moeda
    O Estado de S. Paulo – 25/10/2013

    Numa operação abençoada pela presidente Dilma Rousseff, em que o interesse nacional sucumbiu às conveniências políticas do PT e de governadores e prefeitos de todos os partidos, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) sofreu um golpe decerto sem precedentes em seus 13 anos de existência – ao longo dos quais foi arrimo indispensável para a estabilidade macroeconômica e a credibilidade do País perante governos estrangeiros e instituições financeiras internacionais. Sem a LRF, isto é, sem a fixação de limites rigorosos para o endividamento público no âmbito da Federação, os fundamentos que a presidente diz endossar teriam de há muito se esfarinhado.

    Nada disso foi levado em consideração pela Câmara dos Deputados ao aprovar, na quarta-feira, projeto de lei complementar de autoria do líder peemedebista na Casa, Eduardo Cunha, do Rio de Janeiro, que muda o indexador das dívidas estaduais e municipais com a União. Aversão final da proposta, acertada com o Planalto, abre caminho para que 180 prefeituras, a começar de São Paulo, nas mãos do petista Fernando Haddad, possam tomar empréstimos em valores superiores a que estariam autorizadas no sistema anterior. “Nunca se aprovou um texto com tanta unidade com prefeitos e governadores”, exultou o líder petista José Guimarães, do Ceará. Ele poderia ter dito também que nunca se fez tanto de uma só tacada para alavancar a votação de Dilma na capital paulista no próximo ano e a reeleição de Haddad em 2016 – graças ao aumento da gastança no Município.

    Desde o final dos anos 1990, quando o então governo Fernando Henrique assumiu os débitos dos entes federativos, acertou o seu pagamento escalonado e limitou futuros empréstimos, ficou estabelecido que seriam corrigidos pelo IGP-DI, com juros entre 6% e 9% conforme a natureza dos contratos. Doravante, se o Senado endossar a decisão risonha e franca da Câmara, o indexador será ou o IPCA, mais 4% de juros, ou a taxa Selic – o que for menor. A Selic, que está em 9,5% ao ano, é o que o governo federal paga por seus empréstimos. A mudança, ainda por cima, é retroativa, abrangendo o estoque das dívidas. Sempre que o novo esquema se revelar mais vantajoso para os tomadores, o saldo devedor será reduzido, como se os contratos originais já contivessem a fórmula agora instituída.

    Graças à canelada na LRF, a Prefeitura paulistana – cujas dívidas equivalem a cerca de 70% daquelas assumidas pelo conjunto dos municípios favorecidos – terá a pagar à União R$ 30 bilhões, em vez dos R$ 54 bilhões contratados. Com isso recupera o poder de assinar novos papagaios, estimados em R$ 4 bilhões, pois ficará dentro do limite de 120% da arrecadação anual exigido pela lei para conter o estouro dos empréstimos literalmente impagáveis. Computando o que teria a haver de todos os Estados e municípios – R$ 468 bilhões -, caso as regras do jogo não tivessem sido profundamente alteradas e com efeito retroativo, o Planalto terá de disfarçar o espanto quando descobrir na ponta do lápis quanto custará ao Tesouro a bondade eleitoreira da presidente.

    Desdenhando da inteligência alheia, os promotores da festança alegam, sem corar, que a Lei de Responsabilidade Fiscal permanece ilesa, porque o que ela proíbe – a renegociação das dívidas dos entes federados com a União – proibido continua. Uma breve visita ao artigo 35 do documento expõe a mentira na sua inteireza. O que ali se lê não dá margem a dúvidas ou interpretações conflitantes: “É vedada a realização de operação de crédito entre um ente da Federação, diretamente ou por intermédio de fundo, autarquia, fundação ou empresa estatal dependente, e outro, inclusive suas entidades da administração indireta, ainda que sob a forma de novação, refinanciamento ou postergação de dívida contraída anteriormente”. Foi o que os deputados fizeram.

    Se o Senado também fizer a vontade de 264 deles, ante que devem ter achado que assim é demais, o liberou geral se generalizará de vez com a inclusão, no texto, de dívidas contratadas conforme outros indexadores. Mas o que foi aprovado já equivale a uma licença para Estados e municípios emitirem moeda. E o que se chama de esbórnia.

    http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/10/25/licenca-para-emitir-moeda

    COMENTÁRIO:

    Como foi visto em um post recente neste blog, para o Estado de São Paulo, tudo que é feito para o povo da cidade de São Paulo é eleitoreiro, e me pergunto então: se é assim para que ter um Prefeito eleito?

    http://www.blogdacidadania.com.br/2013/10/vergonhoso-editorial-do-estadao-sobre-faixas-de-onibus-em-sp/

    UMA QUESTÃO:

    Como votarão os Senadores Aloysio Nunes Ferreira, PSDB-SP, e Aécio Neves, PSDB-MG, um representa SP, e o outro é o provável candidato a presidente pelo PSDB, pois acho que deveria haver um acompanhamento disto.

  34. A internet tem essa grande incoerência: por vezes, sentimo-nos muito próximos a pessoas que nunca vimos. Parece uma família. Sabemos que não somos, apesar das afinidades. Na família, temos oportunidades de expressar coisas que não ousamos repetir com conhecidos ou estranhos. A intensidade de emoções pode até gerar rupturas, mas em geral confiamos que o perdão virá cedo ou tarde. Hoje, o debate está cada vez mais difícil, se entrar no campo da política, parece até tabu. Imagina um professor ouvindo de um aluno que política é igual a religião, não se discute. Tenho pena dos professores, principalmente aqueles que dão aulas em anfiteatros imensos. Já não podem distinguir quem é quem entre os alunos, obrigados a transformar a aula em show. Informação não é igual a formação. A rapidez não combina com reflexão. Leituras solitárias não dão o retorno que uma bela conversa inteligente dá. Esse moço que o agrediu como se fosse alguém íntimo, talvez não tenha uma família legal que o acolha e que o limite quando necessário. Esse limite não é uma censura, antes do que isso é um ensaio para lidar com o diferente, é aquela velha história de que somos educados não para aqueles que nos amam, somos educados para o mundo. A tecnologia e as facilidades podem significar para o imaturo a fácil conquista de um mundo. Emoção igual a comprar um carro potente, a estar no ambiente da moda ou do poder do momento. E como você citou a família e a conquista da sua filha, Gabriela,que depois de muita batalha sabe o que quer e já queimou uma etapa difícil. Coragem e exemplos não lhe faltaram. Gabriela tem muito chão pela frente e muitas possibilidades. Felicidades para a turminha.

  35. Perdão, Edu, esqueci de cumprimentá-lo pela conquista de sua filha.

    Parabéns a ela e aos pais e muito sucesso.

  36. Caro Eduardo, para seu consolo, você faz parte de um seleto grupo de pessoas que sistematicamente são agredidas, não de forma gratuita. Esse tipo de gente de baixo caráter, vem aumentando nos últimos tempos paralelamente com as derrotas da direita. E vai piorar porque a grande mídia assumiu de vez a agenda política pela direita e com virulência, já que não entende nada de democracia, elencou alguns desprovidos de valores humanos, como ícones deste gentalha. Eles estão presentes na Veja e passa a integrar também a Folha, um outro saiu do país e do exterior exala idiotices num canal de idiotas que adoram ver uns velhacos falando de tudo menos coisa útil. Até a Cultura de SP pasmem, aquela que já foi alguma coisa um dia, contratou um para eles.
    Dizer que a esquerda não possa ter gente assim seria exigir muito, mas com certeza, pela própria ideologia que desestimula preconceitos e se aproxima do humanismo, são raros os casos.
    Agora, parte da elite é que fomenta isso e isso e isso só prospera porque tem aumentado o número de pessoas que foram desassistidas na infância e na adolescência tanto pelos pais como por escolas minimamente razoáveis. Pessoas conversadoras com uma educação referenciada em valores sejam humanos, não seria capaz disso.
    Estes anormais mesmo em momentos de dor dos seus “inimigos”, onde normalmente deveria aflorar um pouco mais da solidariedade, por serem desprovidos desse humanismo, torcem para que o doente morra, para que seu cancer avance, festejam a morte de um petista por exemplo e por ai vai. E quando não eles disfarçados, seus seguidores é que fazem esse tipo de comentário que você recebeu!
    Estão presentes com mais intensidade no nosso estado de São Paulo, berço da intolerância, da soberba, do segregacionismo, da ignorância. Na verdade temos muitos idiotas por aqui.
    Como disse, sinta-se com as ofensas, elogios! Você sabe muito bem quem são as pessoas que eles odeiam e as porcarias que eles bajulam.
    Parabéns pela filhas que tem e um abraço a Gabriela por ter concretizado algo importante em sua vida.
    Uma de minhas filhas, a Bruna, está na Austrália havia cinco anos! Antes em Gold Coast e agora foi para o lado do índico e mora em Perth. Aquele país, com as devidas ressalvas, é um exemplo de que, quando a elite não é perversa, insensível, e antinacional, as coisas prosperam mais rápido no sentido do progresso e da igualdade social.
    Continue a nos brindar com seu trabalho, digno, honesto e fundamental para para o nosso país!

  37. Eduardo, o tipo de gente que faz um comentário tão baixo como esse pertence àquele grupo de pessoas que não tem argumentos inteligentes e então passam para a baixaria. Mesmo assim, ainda eu desconfio que há dinheiro por trás disso tudo. E o objetivo principal é tentar diminuir-lhe a força.
    Mas, é claro, não conseguirão! Nasceste guerreiro, companheiro, e a vida já lhe deu mostras de que a luta diária nos fortalece ainda mais.
    Parabéns a sua filha que também já comprovou que vale a pena investir em seus sonhos.
    Grande abraço aos dois.

  38. Qual curso ela se formou?

  39. Eduardo, TENS milhares de apoiadores do seu grande trabalho, que sabemos não é fácil, por isso voce foi escolhido. Eu acredito que o comentário cheio de ódio de alguem, venha da direita, pois em todos os blogos de esquerda, eles estão lá, xingando, ameaçando, como donos da verdade São pessoas sem amor algum, nem por elas inclusive. . Muita luz e paciência.. .
    PARABÉNS PELA GRANDE FAMILIA QUE CONSTITUISTES E PELA FORMATURA DA LINDA GABRIELA,.

  40. Olá Edu,
    também não consigo compreender o por quê da política inflamar tanto ódio em determinadas pessoas. Você provavelmente já leu isso em algum lugar, mas não custa lembrar: “Primeiro eles te ignoram, depois te caçoam e tentam atacar a tua honra, em seguida eles te combatem, e então você ganha (Ghandi)”. Fique com o espírito leve, lembre dos milhares que te apoiam e persevere na boa luta.
    Ademais, minhas congratulações à sua filha por esta conquista. Parabéns! E um grande abraço para a sua família, em especial para a maravilhosa Vitória.

  41. Caro Eduardo!
    No caminhar da humanidade, Deus se revela. E o fez por Amor.
    A partir da Revelaçao, o paradigma passou a ser A PALAVRA DE DEUS.
    A partir deste referencial mudou-se a interelaçao humana.
    O Respeito, a Solidariedade, os Valores sociais, humanos, familiares tiveram como base este estatuto, esta norma, esta lei, ou qualquer outro nome queiramos dar…
    Incorporou-se como valores cristãos.
    Veio com os profetas e culminou em Jesus Cristo.
    Ele diz eu não vim trazer a paz, mas, a divisão. Pai ficarã contra filho…Lc12,49-54
    Mesmo nos ambientes ditos (civilizados) onde ocorre os desrespeitos, as afrontas e as deselegâncias…
    Esse cidadão que faltou ao respeito contigo e sua filha faz parte do grupo dos doentes socialmente.
    Cristo diz Eu não vim para os sãos e sim para os doentes.O apõstolo Paulo diz Võs que sois fortes auxiliai os fracos.
    Então, não deixe que o mau humor, a fraqueza, o destempero, a ignonimia dos outros, interfira na sua alegria, pois, es um forte!
    Um Abraço dos Amigos na midia.
    Antonio Carvalho

  42. Eu que sou uma simples comentarista no jornal regional aqui do ABC, o Diário do Grande ABC, sou xingada de tudo quanto é nome por defender o PT, imagino você que tem um blog, onde recebe centenas e até milhares de comentários, que também defende o PT, como deve ser tratado por algumas pessoas esquizofrênicas que insistem em não reconhecer os avanços que o PT promoveu em nosso país que possui tantas adversidades. Eu sou a única petista na minha família. Após o casamento de uma sobrinha com um político todos se tornaram antipetistas mas antes todos eram petistas. Como vê, a minha situação não é nada confortável, mas eu não desisto e vou continuar defendendo o PT.
    Parabéns, Edu, pela formatura de sua filha, que por sinal é muito bonita. E, abraços a todos.

  43. Parabéns pela vitória de sua filha,que com certeza também é de sua família. Não acho que você repudie o contraditório ,a questão é que alguns comentários não têm conteúdo ,é de uma desinformação que chega a doer . Mas essa direita perdida não sabe fazer nada diferente do que ai foi exposto. O objetivo foi agredir sua família pelo simples fato de que tudo o que você vem fazendo incomoda. Você tem ajudado dezenas de pessoas a sair da ignorância. Nós navegantes sujos estamos estamos do seu lado para o que der e vier. Saúde para sua guerreira VITÓRIA. Abs.

  44. É, Edu, o ser humano bruto, sem a casquinha do verniz civilizatório, mostra-se verdadeiramente tenebroso e horrendo.
    Creio que talvez nos falte ainda várias e várias demãos e temo que, num crescendo de violências, não tenhamos tempo para isso.
    Um forte abraço e parabéns pela conquista da Gabriela.

  45. Excelente texto. Concordo 100% com ele, em especial na descrição da falta de respeito para com a opinião contrária.
    Seria legal se todos soubessem colocar a mão na consciência e pensar “será que não posso estar errado”? Assim pensa o cientista, sempre atento às suas imperfeições, numa luta contra seu ímpeto de ir à frente passando por cima de tudo.Alguns blogueiros não concordam com isso e só publicam textos de comentários de pensamento idêntico.
    A coisa é tão complicada que se condena as pessoas por 6 a 5. Que há quem julgue, por exemplo, que o J Dirceu é 100% honesto e inocente, e outros que, como eu digam que não (mas não 100%, uns 70%).
    Aí acima um colega escreveu que “não aceita” que digam que o Governo lula é corrupto, que o mensalão foi o maior escândalo e blablabla…..Mas o que não dá para aceitar e a intransigência, a arrogância de achar que está acima do bem e do mal, que seus pares JAMAIS poderiam cometer os deslizes corruptos endêmicos do Brasil. Eu não seria tão ingênuo.
    Felicidade para sua filha poder se formar num lugar tão espetacular quanto a Austrália. Quem sabe consiga isso para meus filhos um dia e eles possam-se assim quiserem- ir embora daqui? Torço por eles.

  46. O que ocorre é que o Brasil – e toda a América Latina – mantém uma desigualdade ainda gigantesca.
    A luta de classes existe. Os privilégios e os ganhos imorais da elite estão ameaçados pela ascensão dos que estão embaixo. Assim, num país em que colunista de jornal não vê mais graça em ir a Paris, pois o porteiro do seu prédio também pode ir, é provável que o acirramento da luta de classes produza enfrentamentos.

    O interessante é que os enfrentamentos raramente partem da esquerda. É quase sempre a direita que veem a violência, seja verbal ou até física.

    Em 1917, os bolcheviques chegaram ao poder na Rússia czarista sem que tivessem partido para a violência. DEPOIS, a direita mundial preparou, contra eles, a maior frente de batalha da História.

  47. ASSUNTO PROIBIDO NESSE BLOG; aumento da selic- as multinacionais, os banqueiros , aplaudem.
    Come têm muito sentido de gratidão, despejarão muitos milhões de dólares sujos de sangue para patrocínio de campanha.Efeitos perversos da alta dos juros

    Além disso, a elevação da SELIC termina por comprometer também as próprias finanças públicas. Ao contrário do que pretende o discurso conservador do financismo, a política monetária de juros estratosféricos termina por piorar o próprio equilíbrio das contas orçamentárias. Se Dilma havia dito que o pacto mais importante de seu governo era pela austeridade no gasto público, seus assessores na área econômica parecem não estar preocupados em cumprir com tal diretriz. Afinal, a despesa pública de pior qualidade de todas é aquela realizada com o pagamento de juros e serviços da dívida pública. Dinheiro público jogado fora, literalmente.

    Entre abril e outubro desse ano, como vimos, a SELIC subiu 2,25% ao ano. E esse é o indicador utilizado – vale a lembrança – para remunerar as despesas do endividamento público. Ora, se consideramos que o estoque total da dívida pública é da ordem de R$ 2 trilhões, apenas esses aumentos da taxa oficial provocaram uma despesa extraordinária de R$ 45 bilhões para o Tesouro Nacional. Apenas a título de comparação, o governo forçou a barra para a realização do leilão do Campo de Libra nas condições previstas no edital com o argumento de que haveria um bônus de R$ 15 bilhões a ser pago pelas empresas do consórcio vencedor. E esse seria um recurso importante para cumprir a meta de superávit primário. Ou seja, entra o valor por um lado, mais sai o triplo pelo ralo na mesma hora.

    Já passou a hora de o governo mudar radicalmente a orientação de uso da política monetária. Está mais do que comprovada a ineficácia da elevação da taxa oficial de juros para qualquer tipo de ajuste da macroeconomia, onde a meta seja a da retomada do desenvolvimento. Juros elevados só fazem drenar recursos do Orçamento Geral da União para os setores que vivem do rentismo parasita. Com isso, ficam penalizadas as atividades da área social (saúde, educação, previdência social, entre outros), bem como as iniciativas de investimento em ciência e tecnologia, infra-estrutura e similares. Como a única preocupação do governo parece ser a do cumprimento de seu sacrossanto compromisso com o superávit primário, as demais despesas ficam sujeitas ao contingenciamento e a outros procedimentos de corte de verbas orçamentárias.

    • Assunto proibido? Não creio. Porém, este blog é focado na questão da democratização da mídia.

      Quanto à Selic, a primeira coisa a lembrar é que, pela Constituição do Brasil, o Banco Central é independente do governo. Acho isso errado, pois essa “independência” se traduz, na verdade, em submissão ao capital financeiro.

  48. LAMBE-LAMBE:

    – Após a presidenta Dilma Rousseff denunciar à ONU a espionagem praticada pelos Estados Unidos contra seu governo e empresas brasileiras como ato de violação dos direitos humanos, ativistas políticos reivindicam que o Estado brasileiro emita um posicionamento tão contundente quanto acerca da espionagem praticada pela maior mineradora do mundo, a Vale S.A., contra suas lideranças, jornalistas e de funcionários da empresa.

    Em audiência pública realizada nesta quinta (24) pela Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado, eles apresentaram provas bastante convincentes – como planilhas, fotos e até recibos de pagamento a agentes infiltrados – de que a antiga estatal brasileira, privatizada durante os anos FHC, mantem em funcionamento um verdadeiro centro de espionagem ilegal, inclusive com apoio de setores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

    As provas foram repassadas aos movimentos por uma espécie de Snowden brasileiro: o ex-funcionário da multinacional, André Almeida, que atuou justamente na área de segurança, onde teve acesso às comprovações. Segundo ele, mesmo antes de ser privatizada, a Vale já espionava seus potenciais “adversários”, mas a prática foi intensificada na gestão de Roger Agnelli, entre 2001 e 2011, e continua na atual administração. Entre as vítimas estão a ONG Justiça nos Trilhos e o MST.

    Almeida afirma que, para tentar escamotear as violações que comete contra os direitos humanos e o meio ambiente, a multinacional suborna agentes públicos, quebra sigilos bancários, grampeia telefones, e elabora dossiês contra políticos, jornalistas, lideranças sociais e seus próprios funcionários. “O que a Vale gasta anualmente em monitoramento poderia ser gasto com as comunidades, se ela saísse de seu pedestal e conversasse com os movimentos”, observou.

    Dentre essas estratégias utilizadas pela empresa, o advogado do ex-funcionário, Ricardo Ribeira, destacou o pagamento de propinas a funcionários públicos para que todos os acidentes ocorridos em trilhos da Vale S.A. sejam classificados como “suicídio”, e não como “atropelamento”. Conforme ele, isso ocorre porque a empresa é obrigada a pagar multa sobre cada morte ocorrida em seus trilhos, que não são devidamente protegidos por corredores. “O modis operandi da Vale é totalmente reprovável dentro de um estado democrático de direito”, ressaltou.

    O coordenador de projetos da ONG Justiça Global, Gabriel Strautman, lembrou que a Vale, em 2012, recebeu o Prêmio Public Eye People’s Award, uma espécie de Oscar da Vergonha, quando foi eleita a pior empresa do mundo, em função das inúmeras denúncias de violações de direitos humanos que pesam contra ela, em todos os cantos do planeta. No Brasil, a ONG Justiça nos Trilhos, por exemplo, teve seu escritório invadido e seu site hackeado, em clara ameaça as suas lideranças.

    Gabriel afirmou também que a espionagem não é a única estratégia utilizada pela multinacional para calar os movimentos sociais. Além da cooptação, ela também usa da intimidação, amparada no seu poderio político. “A espionagem faz parte de uma política mais ampla de controle territorial, já que vem junta à prática reconhecida de criminalização das lideranças dos movimentos sociais, vários deles processados judicialmente”, esclareceu.

    O ativista destacou também que a Vale não é a única. Segundo ele, recentemente, um espião do consórcio responsável pelas obras da usina de Belo Monte foi flagrado filmando uma reunião do Movimento Xingu Vivo, com uma caneta-espião. Questionado, ele admitiu que repassava o material ao consórcio e à Abin. “A infiltração levada a cabo pelas empresas retoma práticas da ditadura. O Estado preciso reagir”, reivindicou.

    Delegado da Federação Internacional dos Direitos Humanos, Javier Mujica disse que o órgão já solicitou à presidenta Dilma repúdio à postura da Vale que, como ele, se insere no marco da discussão sobre a espionagem como violação de direitos humanos, já denunciada pela própria presidenta. Segundo ele, esta semana a ONU discute a denúncia do Brasil contra os Estados Unidos e, em seguida, deverá se debruçar sobre as denúncias dos trabalhadores contra a Vale.

  49. Eduardo, parabéns à família e à própria Gabriela pela excepcional conquista!… Nota 1000. Deus abençoe essa e outras conquistas, com saúde, paz e alegrias.

    Quanto ao resto, por ora, e com todos os percalços, o Brasil tem ganho o jogo contra os piratas FHCistas e outros congêneres. Veja que interessante: 12 anos de governo de centro esquerda e a perspectiva de mais 4 (se o governo não deixar a peteca cair na segurança da Copa do Mundo, como diz Marcos Coimbra).

  50. Parabéns pela formatura de Gabriela. Também tenho uma filha fazendo doutorado em Portugal e o que a saudade mata, o orgulho revive.
    Felicidades a ela.

Trackbacks

  1. A medida de uma nação | EVS NOT&I...
  2. A medida de uma nação | EVS NOTÍCIAS.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.