Força eleitoral do Mais Médicos alarma mídia e oposição

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Na tarde do último sábado, na sede do ministério da Saúde, em São Paulo, o titular da pasta, ministro Alexandre Padilha, deu entrevista a blogueiros a fim de rebater a onda de críticas ao programa que começou pelos setores mais estridentes da classe médica e logo ganhou a simpatia da oposição ao governo Dilma Rousseff e de boa parte da grande imprensa.

Durante mais de três horas, Padilha respondeu aos blogueiros – entre eles, este que escreve – sobre todos os questionamentos, acusações e suposições alarmistas formulados por entidades de classe dos médicos e que estão sendo comprados, acriticamente, por boa parte da grande imprensa.

Quem tiver paciência e tempo, pode assistir à entrevista no vídeo abaixo. A participação deste blogueiro e a resposta do ministro podem ser encontrados a partir de 2:14:29 no vídeo.

Formulei uma questão sobre se haveria planejamento de políticas públicas que formem médicos em regiões e classes sociais que não têm esses profissionais e, também, que incutam nos estudantes de medicina uma visão mais humanista e menos comercial da profissão.

 

 

Durante a entrevista, comentei com o ministro o crescente apoio da sociedade ao programa expresso por pesquisa Datafolha feita em meados deste mês, que revelou que, então, esse apoio ao programa superava a rejeição, tendo atingido, naquela pesquisa, 54% dos entrevistados, enquanto que a rejeição despencou para 40%.

A resposta de Padilha disse tudo sobre as expectativas do governo Dilma em relação ao Mais Médicos:

— E o programa nem começou a funcionar…

A resposta significa o seguinte: se a mera expectativa de implantação do programa Mais Médicos já conquistou a simpatia majoritária – e, segundo informações ainda não confirmadas, crescente na sociedade –, quando cidades ou bairros afastados que não têm médicos passarem a ter, o efeito positivo do programa na popularidade do governo e do próprio ministro da Saúde deverá ser muito maior.

Note-se que a recuperação da popularidade de Dilma já vem sendo atribuída, em alguma medida, ao Mais Médicos. Sobretudo por conta da postura arrogante, elitista e insensível das entidades de classe dos médicos, da oposição e de setores da mídia, que não sabem mais o que inventar para convencer a sociedade de que o programa não é bom.

O que ocorre é que as desculpas das entidades de classe, da mídia e da oposição para atacarem o Mais Médicos são para lá de esfarrapadas.

Primeiro, começaram a dizer que os médicos cubanos não passavam de “curandeiros” e a justificarem com “falta de estrutura” para exercerem seu ofício nesses lugares o desinteresse dos médicos brasileiros em trabalharem em regiões empobrecidas e afastadas. Mas não colou.

Estudos do ministério da Saúde recém-divulgados mostram que o número de equipamentos de saúde – a tal “estrutura” de que os médicos reclamam – aumentaram mais do que o número de médicos nos últimos cinco anos. E, o principal, que hospitais plenamente equipados sofrem com falta de especialistas.

Abaixo, as principais especialidades em falta nas regiões ermas e empobrecidas do país.

– Pediatria

– Neurologia

– Anestesiologia

– Neurocirurgia

– Clínica Médica

– Radiologia

– Cardiologia

– Nefrologia

– Psiquiatria

– Ginecologia

– Ortopedia

– Cirurgia Geral

Diante do enfraquecimento dessas teorias sobre preparo dos profissionais estrangeiros – sobretudo em relação aos cubanos –, por conta dos excelentes currículos deles e do nível de qualidade da Saúde em seus países de origem (Cuba tem indicadores de saúde melhores até do que os dos Estados Unidos)  e com o desmonte da teoria sobre “falta de estrutura”, agora as desculpas corporativistas dos médicos e a gritaria da oposição midiática foram buscar uma outra tábua de salvação.

Com o concurso de procurador do Ministério Público do Trabalho simpático à direita tucano-midiático-médica, esta passa a apelar para condições de “trabalho escravo” a que os médicos cubanos estarão sendo submetidos, já que não embolsarão diretamente os salários de cerca de 10 mil reais que receberão pela prestação de serviços no país.

Os salários serão pagos ao governo cubano, que repassará aos médicos que enviou ao Brasil cerca de ¼ do valor. Contudo, para um cidadão cubano cerca de mil dólares de salário, com casa, comida e demais despesas pagas, é uma fortuna. Ganharão muito mais do que ganhariam em seu país e ninguém os imaginaria vivendo em condições de escravidão só por receberem um salário que poucos brasileiros ganham.

Além disso, muitos dos médicos não-cubanos que estão chegando estavam desempregados em seus países, o que torna o exercício da profissão no Brasil muito mais compensador.

Para enterrar de vez essa história, basta saber que o acordo entre Brasil e Cuba foi referendado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que chancelou esse tipo de acordo entre a ilha caribenha e 58 países que receberam médicos cubanos.

Para quem não sabe o que é a OPAS, trata-se de organização especializada em saúde. Foi criada em 1902 e é a mais antiga agência internacional de saúde do mundo. É um organismo com um século de experiência, dedicado a melhorar as condições de saúde dos países das Américas. A OPAS/OMS também faz parte dos sistemas da Organização dos Estados Americanos (OEA) e da Organização das Nações Unidas (ONU).

Não se imagina que uma organização como essa apoiasse “trabalho escravo”, pois não?

Além de tudo que entidades médicas têm feito para desinformar a população que será beneficiada pelo Mais Médicos, agora elas dizem que “chamarão a polícia” para prender médicos cubanos que exercerem a profissão no país sem seu aval.

A afirmação é ridícula e não tem amparo legal. Segundo Padilha, todas as medidas judiciais das entidades médicas vêm sendo sucessivamente derrotadas. As entidades terão que cumprir a Medida Provisória que criou o Mais Médicos e expedirem carteiras de identidade médica provisórias que permitam aos médicos estrangeiros trabalharem no país.

Estão apenas fazendo jogo de cena, obviamente.

As razões para toda essa oposição a uma medida cujos benefícios para a população carente são mais do que óbvios, portanto, dividem-se entre corporativistas e políticas.

No caso da oposição corporativista ao Mais Médicos, o sentimento no Ministério da Saúde é de que se subdivide entre preconceito, orgulho e ganância.

O preconceito é ideológico (sobretudo no caso cubano), racial e de classe social, pois os médicos brasileiros ou são de classe média alta ou são ricos mesmo, a despeito das exceções absolutamente minoritárias.

O orgulho ferido dos médicos gritões se deve ao fato de que ficam mal na foto quando a sociedade se dá conta de que estão pouco se lixando para o povo brasileiro e, assim, só pensam em seus confortos pessoais apesar de a grande maioria das universidades nas quais se formaram serem públicas, de forma que estudaram de graça, às custas do dinheiro de todos.

Já a ganância se deve ao fato de que com falta de médicos os ganhos daqueles que quiserem ir para essas regiões desprovidas, tornam-se exorbitantes. Os médicos gritões querem ter reserva de mercado nessas regiões, para uma eventualidade.

Mas o foco do post é a razão política da mídia e da oposição para rejeitarem o programa mais médicos. Imagine você, leitor, o que acontecerá com a imagem do governo Dilma nesses cerca de 700 municípios pelos quais nenhum médico convocado pelo governo para ir trabalhar se interessou. Em alguns desses lugares, há quem já seja idoso e nunca se consultou com um médico…

Além da imagem do governo Dilma, há um outro bônus para o PT que advirá do Mais médicos. Alexandre Padilha, há muito, vem sendo cogitado como candidato ao governo de São Paulo, ano que vem.

Questionei o ministro ao fim da entrevista (em off) e ele rejeitou essa pretensão política, como é óbvio que faria. Contudo, o ganho de popularidade que irá auferir – sobretudo quando o programa começar a funcionar – o tornará um nome muito forte para a sucessão de Geraldo Alckmin e, assim, ele pode se ver “obrigado” a atender o “clamor das ruas”.

Tags: , , , ,

166 Comentário

  1. Edu,

    Tenho visto o discurso do “trabalho escravo” sendo repetido em diversos lugares. Obviamente, será o factóide das próximas semanas. (Como sabemos, eles tentam um factóide atrás do outro, para ver se um deles cola.)

    Quero deixar aqui uma sugestão de pauta.

    Procure um médico cubano, e permita que ele dê a sua opinião.

    • Boa sugestão. Também acho que seria interessante comparar com as empresas terceirizadas que prestam serviço para os governos municipais, estaduais e o próprio GF. O governo também paga um valor para a empresa referente a cada profissioal disponibilizado e a empresa paga um valor menor (bem menor) para o profissional.

      Em que isso difere do caso dos médicos cubanos?

      EM NADA.

      Então porque quem está com essa conversinha mole de escravização dos médicos cubanos são os mesmos que defendem a terceirização?

      • Além disto caro Ruy é muita hipocrisia, é chamar o brasileiro de idiota querer que a gente acredite que os nossos “caridosos e humanos” médicos estão preocupadíssimos com o salario dos Cubanos, e o pior é que a tal Procurador do MPT esta fazendo papel de idiota em encampar esta preocupação.

        Outra coisa, será que o absurdo que o presidente do CRM de minas disse não tem como ser punido?? pois ele disse abertamente que se por acaso alguém estiver morrendo quando tratado por algum médico estrangeiro, deixa morrer, não ajude. Em outras palavras foi isto que este cretino, vagabundo, calhorda, assassino disse. Tem que ser processado, não é possível.

        Bando de mercenários!!!!!

        • Caro Marcos, assino em baixo o seu comentário. E digo mais, o tal presidente do CRM/MG pode e deve ser processado, sim. Ele fez apologia ao crime, o que é crime, de acordo com o CPB. Se ele incitou publicamente os médicos a praticarem omissão de socorro, fez apologia ao crime, pois omissão de socorro, pelo menos por enquanto, nesse país, ainda é crime.

        • Processado aqui em Minas? Esqueça. Justiça, deputados, empresas etc aqui em Minas “tá tudo dominado’ pelos tucanos. Pra se ter uma ideia: Aécio acaba de se livrar na justiça de acusação de um “desvio” de dinheiro da saude de R$ 4, 3 bilhões enquanto foi governador… Êh Minas Gerais…

          • por estas e outras, no face no more. Coisas da DITADURA TUCANALHA!

            Mineiro que não vai com os 80% de aocistas, sofre. E é perseguido, SIM!
            Mas não pode falar…

            :((

        • Jose marcos, o Ministério Público de MG denunciará esse senhor por incitação ao crime. Isso fará com que outros organismos médicos (que na verdade defendem a medicina mercantilista) pensem melhor antes de falar canalhices.

    • Vcs todos não sabem nada sobre este assunto! Inclusive o blogueiro ( deve estar vestindo uma gravata vermelha). A saúde está desamparada a anos! Seja no governo FHC, Lula( que chegou a declarar que o SUS era quase perfeito) e a própria dilma. Os que escrevem todas estas besteiras, provavelmente nunca entraram numa emergência. Foram e são os médicos brasileiros que seguraram e seguram a saúde brasileira com todas as dificuldades! Salários baixos, falta de infra estrutura, etc. Vcs vão ver qd tudo isto acabar, se este programa maus médicos irá funcionar. Mas por favor sem manipulação dos dados pelo governo!

  2. Só quem já morou nos grotões do Brasil, como eu, sabe o valor que um médico tem nessas regiões. Minha mãe e meu padrinho faleceram por falta de atendimento médico. Ninguém mais do que eu sabe valorizar esses médicos cubanos que estão vindo. Também repudio esses médicos riquinhos brasileiros, que se formam, em sua maioria, às custas de muitos brasileiros que até passam fome para sustentá-los nas universidades. Passam fome porque, muitas vezes, o governo deixa de investir nos miseráveis para investir nesses almofadinhas para que se formem em Medicina. Quando muitos filhos de famílias pobres se formarem em Medicina, mudarei meu discurso. Mas quero dizer que, até o momento, não existe médico em minha família, nem na família de meus amigos. Sabem por quê? Porque somos todos de origem pobre. Essa vergonha no Brasil precisa mudar.

    • Todos nós estamos sabendo que tudo isso é um tremendo dum teatro feita pela oposição.

      Verdade mesmo é que muitos brasileiros ainda nascem em casa assistidos por parteiras que não tem nenhum tipo de instrução

      ..isso quando não vemos famílias inteiras ainda serem assistidas por pajés, benzedeira e curandeiros, “espíritas e/ou por naturalistas” que ainda insistem em receitar o tal veneno de Sapo ou do Daime pro primeiro gaiato

      Verdade mesmo é que precisamos comemorar mais este erro de avaliação feito pelos estrategistas da oposição.

      Francamente, acho que nem Dilma contava com tamanho erro de avaliação, de pontaria e de insensibilidade explícita.

      curiosidade:

      “…A partir, do ano de 2000, o Grupo Curumim iniciou o estabelecimento de convênios com o Ministério da Saúde (MS), colaborando na implementação de ações do programa Trabalhando com Parteiras Tradicionais, da Área Técnica de Saúde da Mulher (ATSM)/MS. Através destes convênios (2000 a 2007), já trabalhou com 1.150 parteiras tradicionais e 54 pajés, benzedeiras(os) e rezadoras (os), incluindo quilombolas** e indígenas***, e com 884 profissionais, em sua grande maioria composta por profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF), do Programa de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas – DSEI/FUNASA/MS, em 14 estados do Brasil…”

      em tempo, alguém sabe me dizer quem era o presidente no ano 200, ano em que tal projeto foi colocado como “alternativa científica” à nossa crônica falta de assistência fundamentado pela ética e pela ciência ?

    • Edu, parabéns pela luta e pelo jornalismo responsável e digno que pratica …
      .. há dois médicos em minha família … ambos, motivo de vergonha para o lado “pobre” da família … a arrogância, a pseudo sapiência, o reacionarismo e o preconceito são as marcas visíveis de suas personalidades … as marcas invisíveis são piores, mas não vou comentar …
      .. ambos estudaram gratuitamente na UFMG e, durante seus estudos, foram “bancados” pela família, com enormes dificuldades …
      .. como não poderia deixar de ser, ambos odeiam o PT e tudo o que esse partido representa para o país … tucanos de comportamento e de alma, transitam no espectro da direita da direita, ostentando o que têm e o que não têm …
      .. assim, são a expressão plena do corporatismo e da falta de respeito para com o país e para com a população em geral …
      … bom que tudo isso está vindo à tona, deixando transparente a luta que se trava em nossa sociedade ..
      abç
      Rogerio Rais

  3. Prezado Eduardo:
    A história que eu conheço é diferente da contada por alguns leitores que cito abaixo.
    1. Luiz Fernando dia 25/08 às 21:40 horas:
    A Aliança para o Progresso não era um programa da ONU e sim do pres. Kennedy, com os seus famosos Voluntários da Paz. Na minha cidade tinha um desses voluntários que abandonou tal programa e casou-se com uma brasileira.Desistiu do programa porque estava infestada de espiões do tio SAM. Segundo algumas pessoas esse programa foi criado para fazer frente ao pan americanismo do governo Juscelino Kubitscheck
    2. Lucas Daniel ( 07:46)
    Não foi o governo petista que deixou a saúde em estado calamitoso. Antes do PT fui diretor geral de um hospital com mais de 120 leitos.A situação era bem pior que a atual, só que a imprensa não noticiava. Lembre-se que, quem tirou o dinheiro da saúde , com a eliminação da CPMF foi o PSDB e o o DEM.
    3. Eugênio José Atali ( 09:14 )
    Você já leu os livros LA MENTIRA DE ULISES, de Paul Rassinier e MURIERON REALMENTE SEIS MILLONES?, de Richard Harwood ?Veja o que diz Richar Lynn,prof. da universidade de Ulster na Irlanda do Norte, em 5/12/05″Eu revisei a Segunda Guerra Mundial de Churchill e nenhuma vez são mencionados câmaras de gás nazistas, genocídio de judeus ou seis milhões de vítima judias de guerra.A cruzada na Europa de Eisenhower é um livro de 559 páginas,mais as 4.448 páginas de Churchill, mais 2054 das memórias de De Gaulle dá um montante de 7061 páginas,não se encontrará menção a câmara de gás”
    As tres maiores figuras do ocidente, da segunda guerra mundial não fazem menção a esse horror.Quem será que inventou essa história e porque foi ela inventada? Moatin Broszat foi diretor do Instituto de História Contemporânea de Munique nos anos de 1960 tambem nega esse fato.

  4. Prezado Eduardo:
    No texto que escreví a pouco, onde se lê Moatin Broszat, leia-se Martin Broszat.
    Obrigado,

    Aos leitores a quem me referí

    1. Já disse neste blog e vou dizer mais uma vez;
    Não sou nazista, nem fascista, nem comunista e nem defendo nenhuma dessas desgraças. Apenas quero conhecer o lado da história que os vencedores não escrevem.
    ” Há duas histórias, a oficial, mentirosa e a secreta, em que estão as verdadeiras causas dos acontecimentos, História Vergonhosa”.

    • Caro Valdir…
      Fui considerado persona non grata no Blog do Nassif, tratado como lixo e postumamente expulso, dentre outras coisas porque também coloquei em dúvida o holocausto dos judeus.
      Algumas coisas nunca são permitidas dizer e ai de quem se atrever a questionar.
      Admiro sua coragem por meter a mão nesse balaio sionista, mas não espere refresco se estiver mesmo disposto a levar adiante tais questionamentos.
      Fique na paz. Ou não…

    • Caro Valdir.
      Como você citou o Broszat, gostaria de fazer alguns acréscimos à sua postagem.

      Não tenho conhecimento de que Broszat tenha negado a existência de câmaras de gás ou a morte em massa de judeus.
      O que Broszat fez foi apontar as diferenças entre “campos de concentração” e “campos de extermínio”, distinção hoje bastante clara, mas que pode ter sido confundida mesmo por historiadores da época.
      Uma outra crítica de Broszat aos historiadores é que alguns entre eles tomam os campos de extermínio como o “ápice” do regime nazista e daí desfiam a história para trás apresentando o regime como uma peça de teatro cujo enredo só poderia mesmo ter acabado em Auschwitz.
      É uma crítica justa, eu creio.
      Não sei até que ponto concordo com a “historialização” do período nazista proposto por ele, sobretudo porque após sua morte, descobriu-se que ele havia sido filiado ao NSDAP. Talvez seus detratores tenham, enfim, um pouco de razão ao chamá-lo “pró-nazi”.
      Entretanto, ficaria agradecido se você pudesse me passar as fontes que utilizou para o post.

      Com relação ao Rassinier, acho que deve ser visto com certa reserva dada sua trajetória de vida.
      A estória de “resistência passiva” contra os alemães invasores; seu alegado “pacifismo” mesmo quando a França já estava sob dominação, me soa um pouco estranho, não acha?
      Depois as ligações com um ex-oficial das SS que patrocinava suas palestras na Alemanha; o fato de ter escrito para uma revista da extrema direita na França sob pseudônimo e ter defendido PIO XII das acusações de negligência no trato do problema judaico e acusando a KGB pela “difamação”, definitivamente, a meu ver, não contribuem muito para elevação de sua credibilidade. Não me parece ser melhor do que um Ion Pacepa da vida.
      Harwood eu não conheço.
      A alegada ausência de referências aos campos nos 4 volumes do Churchill (que como frasista era ótimo, mas uma piada como historiador) e na “Cruzada na Europa” é verdadeira. Do De Gaulle ainda não tive a oportunidade de ler, mas acredito em sua afirmação.
      Um abraço.

  5. Prezado Edu, o texto abaixo foi copiado do site do Jornal Valor econômico. Quer dizer, alguém tem que escrever a verdade neste meio midiático, pois, como sabemos o Valor Econômico, não é um jornal de massas e por isso não tem como mentir ao seu seleto grupo de leitores. E está na versão da internet. Apreciem

    Douglas Quina
    Mogi Guaçu – SP

    17/07/2013 às 00h00 7
    Não é piada, PIB cresce a 4% ao ano no país
    Exclusivo para assinantesPara ler a matéria completa faça seu login ou cadastre-se
    Os números do IBC-BR indicam que no segundo trimestre a economia crescia a 4% ao ano. Não é piada ou expressão de desejo. Para ter ideia precisa do que ocorre na economia, é mais seguro olhar variações em doze meses. Se compararmos o trimestre de março a maio com o mesmo período de 2012, obtemos 3,74%. Em 2013, a variação em doze meses nos grupos sucessivos de três meses só aumentou: 1,55% até janeiro, 1,71% até fevereiro, 2,86% até março, 3,5% até abril e 3,74% até maio. Mesmo se em junho houver queda de 2,5% em relação a maio, a variação em doze meses para o segundo trimestre será de 3,95%. Mas esses números não repercutem. Mídia e analistas sofrem de pessimismo obsessivo, caso clássico do que a psicologia chama de “viés de confirmação”, quando as pessoas só são sensibilizadas por informações que pareçam confirmar suas crenças ou hipóteses, ignorando outras evidências.
    RECOMENDADO PARA VOCÊ
    Seleção

    © 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

    Leia mais em:

    http://www.valor.com.br/brasil/3200768/nao-e-piada-pib-cresce-4-ao-ano-no-pais#ixzz2d5RhyzHU

  6. Bom dia Eduardo.

    Já falei aqui no seu espaço da minha experiência com o PROUNI, gostaria de dar o meu depoimento e minha opinião sobre a ida de médicos (estrangeiros ou não) à areas pobres e desassistidas do país através do programa “Mais Médicos”.

    Meus pais (já falecidos) nasceram no semiárido nordestino, mais precisamente no que hoje é a cidade de Tanhaçu, estado da Bahia, que na época pertencia à cidade de Ituaçu, mesma cidade do Moraes Moreira e do pai de Gilberto Gil, que cresceu na região.

    Minha mãe passou por três gestações, todas elas críticas, sendo duas delas traumatizantes.

    Na primeira, então com 37 anos, teve complicações com o parto, que era feito por parteiras e não por médicos. Sem acompanhamento de exames pré-natal como hoje. Sem saber que carregava gêmeas na barriga. Minha única irmã conseguiu nascer, já sua irmã gêmea não teve forças para sair e não sobreviveu. Talvez se soubesse que o parto seria de gêmeas o meu pai tivesse procurado um hospital para que minha mãe pudesse ter suas filhas. Óbvio que em condições normais o parto deveria ter sido realizado em um hospital. Uma cesariana faria com que minha outra irmã tivesse nascido com vida. Sem hospital e sem médico. Minha mãe a beira da morte por causa da dureza do parto. Graças a um tio com condições financeiras melhores, que pagou do bolso para que um médico do município vizinho de Brumado viesse de carro em condições precárias (estava chovendo muito), minha mãe conseguiu sobreviver quase que por milagre. O próprio médico achava que minha mãe não sobreviveria. O ano era 1967. Minha guardou as sequelas físicas e psicológicas pelo resto da vida.

    Na segunda, outra gestação dura, minha outra irmã nem conseguiu nascer. Já estava morta quando a parteira a retirou da barriga de minha mãe. O ano era de 1969, auge da ditadura.

    Cansados de tanto sofrimento, meus pais resolveram abandonar a sua terra natal e vieram para São Paulo tentar a vida. Minha mãe nunca se recuperou plenamente desse trauma. Padeceu por toda a vida de depressão forte, tomando remédios controlados por toda a vida. Aqui em SP, com um pouco mais de estrutura e acesso a médicos para cuidar de sua última gestação, já com idade avançada (46 anos), minha mãe me teve. Uma cesariana. A mesma cesariana que com certeza permitiria que eu tivesse mais duas irmãs, e não apenas uma.

    Quando vejo toda esse fascismo do CRM contra a vinda de médicos estrangeiros, principalmente cubanos, para atender a uma população carente e desassistida que parte dos médicos daqui não se dispuseram a atender em suas cidades, assim como foi minha mãe naquela época, isso me causa uma revolta e um desprezo tão grande contra esses cretinos que não dá para mensurar. Não sabem o que é sofrer nessa vida. Talvez se médicos cubanos já atendessem àquela época minha família fosse maior. Talvez não. Não importa. O que importa é que uma boa parte dos nossos compatriotas que padecem com a falta de um médico para cuidar de suas famílias possam ter acesso a um, estrangeiro ou não. A maior parte da populaçao desses lugares sem nenhum médico apoiará essa ação do governo. Total apoio à essa ação.

  7. O que você estava fazendo lá? Você não é jornalista!

  8. Edu, esses canalhas da direita são mesmo uns mauricinhos sem noção. Olha o tipo de comentário que esses coxinhas fazem, desprezando qualquer dignidade ao ser humano. Canalhas!

    O Vampiro de Curitiba

    26/08/2013 às 12:50

    Caras, na boa, já que os cubanos virão mesmo, eu quero comprar uma cubana para mim também! E nem precisa saber muito de Medicina, já que tenho a saúde perfeita. Uma boa e generosa enfermeira já tá de bom tamanho. Pago o dobro que o Fidel (U$ 60,00 mensais), mas tem de dormir no emprego, tá?

  9. Precisa implantar um projeto de atendentes (agentes de saúde), para andar pelas periferias e , como dizem, os grotões, e esses mesmo agentes poderão estudar medicina, aí sim funcionará, pois eles vieram da faixa mais pobre da sociedade.

  10. A máfia branca no Brasil está sendo ameaçada, pois só pensa em dinheiro, o Mais Médicos vem para contrabalançar e humanizar o atendimento ao pobres
    .

  11. Edu,

    Afinal a burguesada que têm médicos, reis da ética, como Abdelmassih e Chipkevitch não devem ver com bons olhos médicos que gostam de atender pobres.

  12. Bem, atacamos a máfia de branco.
    Falta a máfia de toga…
    Será que não dá pra trazer de lá alguns magistrados para compor um STF decente?

    • Gostei Scan! Vamos apoiar a iniciativa do Senador Requião da reforma no STF e no Judiciário em geral.

  13. Só em Cuba, como sua medicina foi possível que FIDEL de além da diverticulite teve infecção generalizada e foi curado.
    Tivemos em nossa família uma pessoa mais nova 15 anos do que Fidel que não resistiu.

  14. Se o Programa salvar UMA VIDA já vai ter valido a pena!

  15. Gostaria de deixar bem claro aqui no blog, ao Eduardo e aos visitantes, que eu, o Valdir, doravante identificado como Valdir-SP, não é a mesma pessoa que comenta aqui como Valdir-Ba. Acho que cada um pode dar a opinião que desejar, só não quero ser confundido com outros pontos de vista. Desde já agradeço a todos pela compreensão.

  16. Quem disse ,e quando?
    “Se todo o dinheiro do país fosse aplicado em saúde,
    ainda assim faltaria dinheiro”
    Quem será???malogrou porque???
    Nos anos 90 o então ministro da saúde chegou a ir até Cuba, um dos países com o setor de saúde mais evoluído em todo o mundo, para celebrar acordo bilateral com o governo do comandante Fidel Castro possibilitando a vinda de milhares de médicos daquela Nação-Irmã para atender aos cidadãos brasileiros. Cuba se colocou prontamente disponível para o trabalho desejado pelo governo de então, mas a explicação para o malogro do acordo jamais celebrado dificilmente obteremos. Quem acreditar que o então ministro cedeu a inconfessáveis interesses corporativistas, certamente corre o risco de acertar em cheio.

  17. Fora de pauta: Vejo com muita preocupação o fato do stf (minúscula mesmo) ter retirado de pauta o julgamento do mensalão tucano, pois o mesmo se não for a julgamento até 2014 será prescrito e o nosso “querido” Azeredo ficara impune e com a ficha limpa podendo até concorrer novamente a deputado federal e acredito que pode até ser reeleito pois a elite mineira deve votar maciçamente nele. Como o próprio Barbosa já disse, quando questionado, que o julgamento do mensalão tucano não aconteceu ainda pois não houve até agora cobrança em sua agilidade. Sugiro então que, se for possível, façamos um novo abaixo assinado para cobrar esse julgamento ao stf pois, já deu para perceber que se não houve pressão nenhuma, o stf simplesmente vai deixar o processo cair em prescrição.

  18. Tucanalha, Direita-UDN, Coxinhas, Tucanhêde, Merdal, Reinaldete e simpatizantes, gente mais baixa do que solado de sapato, gente criminosa, essa gente sim, que é ESCRAVA, vivem parindo matérias criminosas à mando dos criminosos donos de jornais e TVs, essa gente sim é que é ESCRAVA, não tem opinião própria é um bando de almas penadas empurradas pelo patrão ao inferno da vilania, da calúnia, gente escabrosa, de estatura moral beirando a zero, gente sem dignidade que não tem minimamente respeito pelo outro. Aviso aos simpatizantes da TUCANALHA, a casa de vocês caiu, ruiu, porque foi construída em cima de um monte de mentiras, sordidez, mesquinharia, roubos, ladroagem, caiu porque nunca teve base. A base que foi edificada foi pra enxovalhar a reputação dos adversários, central de boataria pra destruir reputação, vocês são os verdadeiros escravos brancos da ganância, do desamor, do empobrecimento dos miseráveis pra poder existir. Vocês são tudo de pior que o ser humano pôde produzir. Viva os médicos cubanos e os demais, viva o PT, viva Dilma, Viva Padilha e VIVA LULA, o maior presidente que o Brasil já teve, o país só começou a andar depois de LULA. Chora urubus TUCANOS.

  19. Repito o que eu postei no Facebook: É comovente a “preocupação” do PIG e do CRM com o salário dos médicos cubanos!
    Fico até com vontade de chorar!!!!!!!!!!!

  20. No site UOL/BOL havia até ontem de manhã uma enquete sobre a vinda de médicos estrangeiros. Ontem de manhã 68,4 por cento declaram-se a favor. E olhe, que o UOL não é nenhum blog sujo! Ontem a tarde a pesquisa sumiu. Hoje os jornais do PIG mudaram de opinião. Até o Noblat agora é a favor…

  21. Até a Veja é a favor da vinda dos cubanos (só que na época em que era presidente o FHC). Olha a reportagem:

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/112859/Quando-FHC-trouxe-cubanos-Veja-aplaudiu.htm

  22. A Veja também é a favor da vinda dos cubanos (só que na época em que era presidente o FHC). Olha a reportagem:

    http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/112859/Quando-FHC-trouxe-cubanos-Veja-aplaudiu.htm


  23. “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” >>> Joseph Pulitzer


    “Se você não for cuidadoso, os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” >>> Malcolm X



    Ley de Medios Já ! ! !



  24. A oposição não deixa ser aprovada a lei que tira terras de escravocratas.

    Além disso, acabou com a CPMF, imposto que o pobre não pagava.

    Hipocrisia e oposição, tudo a ver.

  25. Não passam de oportunistas de plantão.

  26. Prontuário Eletrônico do SUS, essa é a revolução na Medicina Popular Brasileira.
    Daqui a pouco, em breve, todo o SUS estará integrado com suas informações médicas. Até o Governo do Estado de Sumpaulo já está se coçando, e começou a usar o prontuário eletrônico. Esse prontuário possibilitará ao médico enxergar os atendimentos médicos anteriores, saber das doenças de cada um. E as esferas de Governo (federal, estadual e municipal) saberem os atendimentos feitos pelos médicos, em termos estatísticos, assim como o diagnóstico de cada atendimento, inclusive os retornos em sequência às Unidades de Saúde, em razão da não solução do problema médico apresentado pelo cidadão.
    Mas quem alimentará o Sistema senão o médico que atende na ponta, nas cidades e nos rincões do Brasil. Com a carteira do SUS na carteira, um usuário do SUS acidentado que der entrada numa emergência poderá ter um atendimento baseado em informações contidas no prontuário eletrônico dele.
    Com os dados dos atendimentos na rede interna do SUS, o Governo Federal (Estadual e Municipal) poderá identificar necessidades e gastos atuais e fazer projeções futuras para destinar atendimento médico de especialidades.
    Poderá fazer projeções da necessidade de equipes básicas de saúde da família, de enfermeiros e técnicos de enfermagem, de médicos especialistas, de enfermeiros, de remédios, de equipamentos e instalações médicos por município, por região do Estado.
    Poderá enfim dimensionar a necessidade da Saúde (qual a saúde que queremos como Brasil), assim como verificar como o dinheiro está sendo gasto. Sem os médicos na ponta, sem o diagnóstico deles nos moradores do Brasil, não há como diagnosticar os males da Saúde do Brasil, assim como não há o controle dos gastos na Saúde – um verdadeiro poço sem fundo. Sem saber a despesa necessária dimensionada – e Auditoria desses gastos com base em informações mais fidedignas – não há como falar em aumento de orçamento para a Saúde sem saber se o dinheiro destinado estará sendo “desviado”.
    O SUS, enfim, será o Sistema Único de Saúde.
    Sem médicos, nada feito.
    E disso, a oposição sabe, e o PIG também. Só o povo não sabe, nem precisa saber agora.

  27. Muito bom que o Ministro Padilha conceda entrevistas aos blogueiros. Afinal, a internet é a mídia de todas as mídias. E já que não é preciso mais diploma para exercer a profissão de jornalista…

  28. Na minha opinião, o mais interessante e mais certeiro de todo esse lenga lenga dos médicos, seria, se algum instituto de pesquisa conhecido, fizesse uma pesquisa sobre o “Mais Médicos”, esclusivamente ouvindo os usuários do SUS. Aí, amigos, seria 100% de aprovação do programa. Calaria o bico de todo mundo.

  29. Desculpem-me. Exclusivo é com “x’

  30. Edu,

    E hora de dismistificar essa história que a medicina de Cuba é o que a mídia direito-fascista-medico-golpista diz.

    Veja o maravilhoso documentário do Michael Moore. É elucidador e alentador.

    http://m.youtube.com/watch?v=FFpKgYwA4fQ

    Abs

    E parabéns por esse delicioso espaço de discussão séria no nosso Pais.

  31. Edu, essa mídia, a esposa do publicitário do PSDB, a Tacanhêde, deveriam vir ao Vale do Jequitinhonha para sentirem o drama dos prefeitos de quase 52 municípios com os médicos brasileiros, que não querem ficar aqui, apesar dos bons salários pagos. Aqueles que já são da região, acumularam dinheiro ao longo dos anos, são fazendeiros e tratam os seus animais nos seus sítios melhor do que os seus pacientes. Acho que isso é quase a regra no país inteiro. Essa classe médica pátria se tornou seres avessos à dor de quem sofre, insensíveis e desumanos! Muitos esquecem que foram financiados com o sacrifício de todos, afinal o que são as Universidades Federais? As quais defendo como uma política acertada do estado brasileiro, o errado é que a elite apossou dessa instituição ao longo dos tempos, talvez pela precarieidade do ensino fundamental público que o pobre estuda, a deformação está aí visível, forma se mercenários e oportunista que querem e quando pode dar golpe no SUS, cobrar por fora na cirurgias. Forma-se muitas vezes mafiosos de jaleco.

  32. Caro Edu,

    Apenas uma correção no post acima: DESMISTIFICAR.

    GRATO

  33. Está muito claro que a gritaria das entidades médicas brasileiras é puramente politica, mas politica da pior espécie ao gosto da oposição retrógrada, mesquinha e golpista, com a qual tanto se identificam os dirigentes das entidades médicas. Felizmente temos bons médicos no Brasil, mas em quantidade insuficiente para atender a todo o povo. Esses dirigentes estão declaradamente sabotando o programa do governo, maltratando os médicos estrangeiros, no caso dos cubanos estão simplesmente achincalhando os mesmos, sobre a profusão de erros médicos esses tais dirigentes nada dizem, são hipócritas mesmo.
    Quem venham os médicos estrangeiros, cubanos ou não, cuidar com carinho das pessoas mais humildes do povo brasileiro que são desprezadas por esse elite médica hipócrita.

  34. Será que os médicos mineiros vão fazer alguma manifestação de repúdio ao “dr.puliça”? Sim, pois sua histeria é uma vergonha para o CRM e também sobre o dr.puliça ter se referido aos médicos de MG como “meus médicos” como se houvesse uma relação de subordinação deles em relação ao presidente do conselho.

  35. A direita está mesmo preocupada com o trabalho escravo! O nosso glorioso congresso parou tramitação de lei que iria desapropriar terras onde fosse comprovado a utilização de trabalho análogo ao escravo. Nosso parlamentares querem, antes, que se defina o que é trabalho análogo ao escravo… Encerra a sessão com palmas da bancada ruralista!!! É o país da piada pronta mesmo.

  36. “Contudo, para um cidadão cubano cerca de mil dólares de salário, com casa, comida e demais despesas pagas, é uma fortuna. Ganharão muito mais do que ganhariam em seu país e ninguém os imaginaria vivendo em condições de escravidão só por receberem um salário que poucos brasileiros ganham.”

    Então porque não oferecer ao médico brasileiro que se disponha a trabalhar em condições adversas e com dedicação exclusiva um valer que para ele, também seria uma “fortuna”.

    Você mesmo está mostrando que além de outros fatores, a perspectiva de uma remuneração maior tem um peso muito grande na hora de qualquer profissional tomar uma decisão que terá um impacto muito grande em sua vida e de seus familiares.

    Se ao oferecer R$ 10.000,00 não surgiram candidatos brasileiros em número suficiente, cabia ao governo oferecer uma “fortuna” de aproximadamente R$ 20.000,00, que associada a uma garantia de progressão de carreira, incentivos para reciclagem constante, oportunidades de retorno e segurança trabalhista, tenho certeza, despertaria o interesse de um número muito maior de profissionais.

    E não me venham com a conversa que estes R$ 20.000,00 quebrariam o governo. Para uma receita de dois trilhões e duzentos bilhões de reais, dos quais, para manter a média mundial deveriam estar sendo investidos em saúde 350 bilhões, R$ 20.000,00 / mês para 140.000 médicos – 1 médico para cada mil brasileiros que não contam com plano de saúde – consumiriam apenas 10% do orçamento, um dos menores percentuais do mundo.

    A opção do governo foi: VAMOS PELO MAIS BARATO, MÉDICOS CUBANOS.

  37. sem exceção, todos os blogs sujos não publicam meus posts e difamam os médicos….agem igual ao PIG

  38. O comentário do Benjamin é perfeito. Com salário digno de suas responsabilidades e qualificação e gozando de um emprego estável, garantido por meio de concurso público, tal como acontece com os demais servidores públicos, e com estruturas mínimas para o exercício da medicina e perspectivas de progressão na carreira, garanto que haveria disputa ferrenha pelas vagas. Ao invés de dar emprego para brasileiros e deixar o dinheiro dos salários rodando na nossa própria economia, o governo preferiu dar dinheiro para o ditatorial governo cubano. É a medida mais fácil, que, apesar de não garantir boas condições de saúde para a população, já que não houve melhora na estrutura, garante sim alguns votos, o que cumpre com o objetivo populista e eleitoreiro do governo. E falar que a contratação dos cubanos não fere os direitos humanos é brincadeira. Eles podem até não serem exatamente escravos, mas estão longes de serem livres. O fato de não poderem trazer suas famílias mostra isso, é justamente para garantir seu retorno a Cuba. Acha certo o Brasil contratar pessoas nessas condições? Nessas horas sinto vergonha de ser brasileiro, vergonha de ver meu país contribuindo com um regime autoritário e desumano como há em Cuba. Sei que a saúde deve ser prioridade; o problema não é o programa, é a forma como ele está sendo instituído.

  39. Excelente cobertura como sempre, Edu. Apoio o Mais Médicos, abomino a reação dos representantes das entidades medicas, mas que o Padilha nao propôs nada de estruturante para enfrentar o problema de falta de médicos, principalmente na atenção básica, nao propôs mesmo nao. Foram so medidas imediatistas como o Provab. Que o Mais Médicos nao se restrinja à vinda de médicos estrangeiros. Que o MS e o MEC revejam critérios de entrada nos cursos de medicina (cotas!), ampliem as vagas na graduação, ampliem as vagas de residência com ABSOLUTA priorizacao das áreas básicas e instituam serviço civil obrigatório em todas as profissões da saúde.
    Sem isso, o Mais Médicos durará o tempo da eleição do Padilha.

  40. Acabei de ler na grande mídia que as prefeituras irão demitir os médicos brasileiros para e, assim, substituí-los pelos estrangeiros.

Trackbacks

  1. ‘Mais Médicos’ alarma mídia e oposição | Altamiro Borges

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.