Essa elite mesquinha não aceita dar nem um osso ao povo

 

Criei este Blog para estimular cada concidadão que viesse a me ler a não desanimar de exercer a própria cidadania, mas, infelizmente, o que direi neste texto talvez não seja um bom exemplo dessa conduta, pois escrevo um tanto quanto desanimado com o Brasil.

O que de tão grave aconteceu?, perguntará você. Não foi nada de especial, respondo eu. É apenas cansaço. Uma espécie de “gota d’água” inoculou-me tal sentimento.

Trata-se dessa oposição furiosa ao programa Mais Médicos. Como se não bastassem as cenas lamentáveis de mesquinharia e desonestidade de parcela significativa de uma categoria profissional que deveria se pautar pelo humanismo acima de tudo, ainda se tem que aturar uma imprensa digna dessa gente, com seus colunistas usando, em bloco, metáforas racistas para desacreditar uma iniciativa de governo que poderá levar alento ao sofrimento de milhões de desassistidos.

Mas só por isso você se entrega?, treplicará o leitor. Não, não é só por isso. É por tudo.

Há 500 anos que essa elite mesquinha se recusa a aceitar qualquer mísera esmola que se queira dar a essa parcela imensa do povo brasileiro à qual sempre faltou tudo e para a qual ainda falta até uma mísera consulta com um médico.

Os tostões do Bolsa Família para famílias que mal têm o que pôr em seus estômagos é “incentivo a vagabundagem”; cotas para jovens da etnia majoritária no país se ver um pouco menos mal representada no ensino superior é atentado ao mérito “inerente” aos brancos que sempre dominaram a quase totalidade das vagas; redução da conta de luz para pessoas paupérrimas aumentarem a quantidade de calorias que ingerem, é “populismo”.

Não há nada que se queira dar ao povo brasileiro mais sofrido que essa gente que gasta em um almoço quantias que alimentariam uma família pobre por um mês não regateie através de uma imprensa feita por brancos de classe média para brancos de classe média.

É muito dura a vida do povo brasileiro. Não é à toa que continuamos sendo a única nação neste estágio de desenvolvimento a ter uma desigualdade social tão profunda e que, ainda que essa gente mesquinha não enxergue, está pondo o Brasil em guerra civil.

Sinto muito, portanto, não poder, neste texto, cumprir a parte que me cabe em uma luta que é de todos, até daqueles que lutam em sentido contrário, apesar de não saberem disso. Só o que posso fazer aqui, pois, é lamentar que já tenha vivido, no mínimo, mais da metade do tempo que me resta neste mundo sem ter visto o Brasil se tornar um pouquinho só menos egoísta.

Diante de tal estado de espírito, fico por aqui. Conto com a compreensão de todos. Até porque, amanhã é outro dia e não há mal que sempre dure. Sobretudo se for um mal passageiro como este que, desta feita, acometeu-me a alma.

PS: não estou desistindo de escrever o Blog, de militar politicamente, enfim, não estou desistindo de nada. Desisti, apenas, de fazer algo mais neste post além de lamentar.

Tags: , , , , , ,

197 Comentário

  1. Edu, não podemos esmorecer, pois o único método capaz de enfrentar esta midia podre, são os blogs progressistas que nos alimentam com informações para rebater as mentiras dos grandes meios de comunicação, e sua turma de puxa-saco.
    Como diz o nosso sempre presidente Lula, e o nossos amigos nordestinos.
    Você é um cabra porreta, força.

  2. Desanimar, às vezes, significa descansar um pouco, dar um tempo e respirar. Respire fundo e apenas observe, já que a perspectiva ainda não está para contemplação.

    Abraço.

  3. EDUARDO GUIMARÃES. Li. Releio. Sinto. Entendo teu desabafo. Antes, – teu verdadeiro Manifesto. Tua irretorquível nostalgia em relação também a mais este “ponderado, revoltado, tradicional, conservador e nobre” exército de caricatos seguidores do Branca Leone. Diferentes é claro daquele bufão. Pois há séculos lideram e defendem, em nome de deuses, famílias e propriedades, o controle da usurpação geral. Contra os “mal nascidos”. Contra melhoria na vida de serviçais, de pardos, de pretos, da “gentinha” enfim, que lhes merece atenção, só para ser desprezada, ameaçada, condenada e aprisionada. Te entendo, Eduardo. No entanto, aqui, nesta altura dos meus combativos 74 anos dentre os 84, que já tenho, quero demonstrar-te total solidariedade. Mas também desejo te levar um alento. E assim pedir-te para te re-animares. Embora os cansaços quase acima de nossas forças, importa prosseguir nossa luta. E com sentimento, percepção e dignidade, em nome da unidade, da verdade, da bondade e da valorização da vida, atirarmos na cara da tirania hipócrita, da sordidez arrogante e do cinismo de cérberos a nossa rejeição. Um forte, fraterno aperto de mão. E o melhor respeito para contigo. Para com tua Família. E para com todos quantos te conhecem. E sabem a decisiva importância de teu autêntico humanismo na defesa da Cidadania do Povo Brasileiro, como tal.

    • Grato a você e a todos os que têm deixado mensagens. Hoje estou meio triste mesmo. E chocado com as agressões aos cubanos. Perdoe-me por não responder mais.

      • Eduardo, desculpe o termo mais o que este bando de patricinhas e mauricinhos recém-formados, FDP’s, canalhas e idiotas fizeram, da tanta raiva e ódio, que desejo, sem hipocrisia, que todos eles vão para os quintos dos infernos.

        Mais um título vergonhoso para o Brasil pois em nenhum país do mundo em que eles atuaram foram tratados desta maneira.

        E a coluna da canalha, cretina da Tucanhedo, que ser desprezível….

      • Edu, também me sinto assim, hoje mesmo, depois, que li daquela jornalista, me deu embrulho no estômago. Mas, ao mesmo tempo penso, não sou eu que devo estar triste, e sim essa classe que odeia pobre, pois, eles irão morrer, é a única certeza que temos, disso, eles não escaparão, apenas não sabem quando, assim como todos nós, assim como em todos reinos que tem vida. Já pensou o que irão levar, após deixar a carne? Para todo ato, pensamento, gera energia, dependendo, entramos em frequência que estivermos sintonizados, eles estão na baixa frequência. Não podemos desanimar, para que também não caiamos nesse campo vibratório, mais do que nunca, temos que ter fé, é o melhor antídoto para desânimo. A lei que está no universo, é perfeita, super sincronizada, alguns chamam de Deus, temos que nos esforçar para estar em sintonia com essa lei, o amor é o sentimento que gera vibração que nos faz entrar em sintonia com o universo, isso você tem de sobra. Quanto à essa classe ignorante agindo contra seres humanos, só podemos ter pena.

      • EDU:
        Falando em alegria como vai suas perdas tomaram doril.
        Vc é um grande ser humano lutador coloque aquelas fotos de sua filha com o tigre, com o mar e a bandeira na tela do seu computador e a tristeza não o pegara…
        No dia que vc colocou as fotos, minha ida a uma vilinha proximo onde moro observei o trafico na rodovia
        e dice para mim mesmo lembrando das fotos e de vc, esse é meu grande pais…
        EDU lembre as pedras que não se atritam, no seu percurço até a foz do rio não ficam arredodadas e polidas…

  4. Estou como cidadão brasileiro indignado com essa “elite perversa, safada, rancorosa e preconceituosa” que governou esse país por mais de 500 anos fazendo trapaças e roubando a nossa Pátria Mãe Gentil, ou seja: tirando dos mais pobres , que é a grande maioria da nossa população o direito mínimo de sobrevivência: moradia digna- educação básica de qualidade – emprego com carteira assinada e o direito á uma simples consulta digna pelo SUS, etc…. Não posso esquecer da fome que ainda campeia por esse Brasil…. Tudo isso é fruto de um modelo capitalista concentrador de renda nas mãos de uma minoria(elite) em detrimento de uma maioria que luta pra ter o mínimo necessário para sobreviver….’PARABÉNS AO GOVERNO FEDERAL
    PELO PROGRAMA MAIS MÉDICOS”- SEJAM BEM VINDOS OS MÉDICOS ESTRANGEIROS” ….Até porque essa “elite perversa” não depende do SUS…….Tenho certeza que o povão brasileiro acolherá de braços abertos os médicos estrangeiros…Viva o povo brasileiro! Viva a nossa indignação contra essa “elite perversa” que escravizou e tenta escravizar a classe menos favorecida……

  5. Se costuma dizer que o mal nunca dorme, nunca se cansa, mas também há o bem que é perene, só custa mais a aparecer por pertencer a uma etapa posterior ao do homem bárbaro. Então, paciência que o mundo evolui, inexoravelmente.

  6. Edu, não se preocupe com essa “gentinha”, pois na falta de argumentos eles finalmente mostraram o que são! Vamos em frente, pois você sempre terá a sua Victória!

  7. Caríssimo Edu,

    Infelizmente o direito de esmorecer não te cabe. Nem deve, nem pode!

    Porque já temos pouquíssimos que conosco lutam!

    Dou-te o direito de só hoje. Só hoje!

    Amanhã e depois ….e depois … temos uma longa e árdua batalha!

    Infelizmente é assim que tem que ser feito.

    Aos bravos, somente um merecido repouso. Nada mais do que isso.

    AMANHA TE ESPERO COM MAIS UM LIBELO MARAVILHOSO !!!

    FORÇA COMPANHEIRO !!!

  8. O mais irritante nisso tudo, é essa suposta preocupação com a qualidade do atendimento as pacientes que estavam até então sendo ignorados, quando na real é justamente o oposto, querem garantir reserva de mercado as custas da vida alheia. É muita falta de vergonha na cara!!

  9. Eduardo, esta é a luta que vale a pena, que enobrece. O comportamento mesquinho, egoísta destas pessoas jamais mudará. É preciso que haja um blogue como o CIDADANIA para denunciar e discutir todo esta pobreza de espírito vigente no país. É a partir de suas análises que nós colocamos as coisas no seu devido lugar.

  10. O mais irritante nisso tudo, é essa suposta preocupação com a qualidade do atendimento aos pacientes que estavam até então sendo ignorados, quando na real é justamente o oposto, querem garantir reserva de mercado as custas da vida alheia. É muita falta de vergonha na cara!!

  11. a sensaçao foi de incredulidade, depois espanto, depois vergonha, a seguir uma coisa que nao se deve alimentar: profunda raiva.
    Neste momento, como a informaçao mundial é instantanea, e as coisas acabam se misturando na mente das pessoas , eu garanto uma coisa:

    -na mente de muitas (quantas) pessoas ao redor do mundo a imagem do Brasil, nosso país, se sujou, tisnou, empanou e degradou um bocado mais. Uma façanha que devemos a alguns jalecolecos.
    Tenho por vezes pensado no meu medico a quem volta e meia visito . Ele nao merecia isso.

  12. Em algum momento já experimentei esse mesmo sentimento, mas aí pensei, Não podemos desistir de lutar .AS pessoa decentes são maioria , os mais pobres não têm voz.. O seu blog não pode parar. Acredito que essa imprensa nojenta e os médicos que teimam em prejudicar os mais necessitados serão vencidos e os mais pobres finalmente terão assistência médica.

  13. Granhde Edu,

    Cade a pesquisa para presidente que a folha fez na qual vc foi entrevistado eu não vi este publicação ainda.

    Vc sabe informar se divulgada esta pésquisa, ou sera que a folha esta trabalhando para algum candidato e fazendo pesquisas exclusivas

  14. Bem-vindo ao império da desilusão, que é este nosso grande e desastroso país, Eduardo… Venho me sentindo exatamente dessa maneira, em tudo que se refere ao Brasil, à política e ao povo brasileiros. Talvez seja hora de cada um dos que se sentem politicamente desiludidos por estas bandas, entregar tudo às mãos do Altíssimo e deixar que as coisas sigam seu curso… Provavelmente, para estes desenganados entre os quais me incluo, valeria mais a pena ocupar-se de outros problemas e planos existenciais, que continuar a quebrar a cabeça com as insolúveis demandas sociais e políticas que afligem o Brasil. Este é um país gigantesco em todos os sentidos, belo em muitos deles, mas de extrema e desanimadora complexidade; o que acaba algumas vezes por torná-lo desalentador…

  15. Selvageria médica e silêncio dos CRMs :

    http://fontelegitima.blogspot.com.br/2013/08/crm-e-cfm-se-calam-sobre-selvageria.html

    Prezado Eduardo, você tem razão, é de desanimar mesmo.

    Mas apenas para tomar fôlego.

    Há muita gente com formação superior ( formação somente técnica, infelizmente ) sem nenhum conhecimento de política.

    Expondo vaidosamente sua atroz ignorância nos facebooks.

    Mas, com a internet, os brasileiros esclarecidos e a classe pobre vão reeleger a Dilma.

  16. Lamente mesmo Edu!

    De tempos em tempos o saco enche!

    E precisa de uma parada, um suspiro!

    Abraços

  17. Edu, pra injetar um pouco de ânimo:

    “Mais Médicos”: Juízo da 5ª Vara Federal de BH indefere liminar ao CRM/MG
    27/08/13 15:43

    Conselho terá que registrar médicos intercambistas sem revalidação de diplomas

    O Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais ajuizou ação civil pública contra a União, para que seja desobrigado de efetuar o registro provisório dos médicos intercambistas que aderirem ao Programa Mais Médicos para o Brasil, sem a comprovação documental da revalidação dos diplomas emitidos por universidades estrangeiras, bem como apresentação de certificado CELPE/BRAS para os estrangeiros.

    O juiz titular da 5ª Vara Federal da Seção Judiciária de Minas Gerais, João Batista Ribeiro, indeferiu o pedido de antecipação dos efeitos da tutela ao CRM, por considerar que negar o registro aos médicos intercambistas “causaria à Administração o perigo da demora inverso, sob o aspecto de deixar ao desamparo cidadãos hipossuficientes das camadas mais pobres de nossa sociedade”.

    link: http://portal.trf1.jus.br/sjmg/comunicacao-social/imprensa/noticias/-mais-medicos-juizo-da-5-vara-federal-de-bh-indefere-liminar-ao-crm-mg.htm

  18. Considero os marxistas, socialistas travestidos de petistas, comunistas escondidos no PSTU, no PSOL ou em quaisquer outros disfarces, como pessoas despudoradas! E por um motivo fundamental: porque são apátridas! Para estes canalhas o importante não é o País em que nasceram, a terra que lhes dá guarida, os seus compatriotas e a história da Nação, para esses calhordas o importante são suas convicções ideológicas e os líderes de outros países – vide os militantes do PT e do PC que foram recepcionar os médicos cubanos, para aqueles ordinários Fidel Castro deveria ser o ditador do Brasil! Aquela escória não foi no aeroporto para aplaudir o papel que os médicos semi escravos ou servos do regime cubano vieram fazer no Brasil, mas para cumprir ordens emanadas do partido, tanto é verdade que aqueles descarados não recepcionaram outros médicos de outros países! Na realidade, para aqueles desqualificados pouco importam os brasileiros que não dispõem de médicos, o importante é a demonstração política de apoio a ditaduras como a de Cuba e de um genocida que fuzilou 800 cubanos no “paredon”! Estes vendilhões da Pátria não deveriam ser considerados nossos irmãos porque acima do nosso País está o partido comunista, acima da nossa bandeira está a da foice e martelo, acima do nosso hino está o da Terceira Internacional! Na verdade não são brasileiros, servem a países estrangeiros!
    Eugênio José Alati

    • Eugênio, você é horrível. Olhe mais para o seu interior, está negro…escuro…você diz coisas horríveis, que dá para imaginar o tipo de pessoa que é. Ainda bem que nada é para sempre…

  19. Edu, meu excelentíssimo e caro amigo,

    Mais uma vez eu quem escrevo um post a você.

    Raramente o faço, e reconheço que deveria fazer mais, mas desta vez, como em várias outras, é diferente.

    Você sente o mesmo cansaço que eu, e a maioria dos que aqui frequentam e lutam bravamente por um país mais justo e melhor.

    Confesso que comecei a me interessar por política desde que comecei a ler suas postagens, e em mais ou menos 7 anos, não me lembro de ter deixado de visitar seu blog um único dia.

    Quer queira ou não Edu, você é responsável pela formação de um exército!, muito mais influente e forte do que até mesmo você pensa.

    E seu cansaço é compreensível. Com certeza é muito difícil lutar contra uma imensa máquina midiática portado apenas de um blog e (muita) boa vontade.

    Mas estamos aqui pra isso, pra mostrar que lutamos com os mesmo ideais e estamos ao seu lado!!!

    Descanse, guerreiro!, e volte a postar quando achar necessário. E dê lembranças à família.

    Abraços!!

    [SUGESTÃO]

    Que tal nomear alguns de seus leitores de confiança para escrever postagens em seu blog? Assim lhe daria um pouco a mais de descanso e uma interatividade maior com seus leitores.

  20. Eduardo, concordo com você, a situação é deprimente mesmo. Em relação às barbariddes que fizeram com os médicos cubanos, tenho uma sugestão: por que não fazermos um desagravo aos médicos cubanos? No Nassif já tem muita desejando se desculpar perante o povo cubano.

  21. Quando me lembro de todos os terremotos e vendavais pelo quais ja passamos e superamos; quando vejo a cordialidade, a alegria e o despojamento irradiados pelos médicos e médicas cubanos/as desembarcando nos aeroportos do nosso Brasil; quando ouço comentários e presencio comportamentos de pessoas simples com quem convivo que não vêem mal algum na chegada dos médicos cubanos (nem dos espanhóis, portugueses, argentinos e uruguaios) e que não compram nem incorporam o ódio rangente e estridente da imprensa porta voz da elite predadora deste país e de seus paus mandados repugnantes; e quando vejo as recepções de boas vindas dadas a àqueles/as profissionais por nossos compatriotas, fortalece-se em mim a certeza de que estamos no caminho certo, do valor de tudo que já conquistamos e que precisamos manter e de tudo mais que ainda preisamos ampliar e conquistar. É seguir em frente, atentos e fortes, “não temos tempo de temer a morte”!
    E por falar em pau-mandado, quando vi o episódio da muito esquisita fuga do senador boliviano infrator (para ser educado) para o Brasil, veio-me a associação a uma lembrança: qual é mesmo o nome da atual representante do império no Brasil?

  22. Quem está perdendo credibilidade com as sucessivas afronta ao povo amigo de Cuba são os médicos brasileiros. Expuseram, realisticamente e com a maior falta de pudor, que, uma grande maioria deles, são uns pulhas. Se os médicos com quem me consultarei daqui para frente forem deselegantes com a ajuda estrangeira ao povo pobre do Brasil, sairei imediatamente do consultório e farei uma queixa formal na delegacia da minha cidade. Sem contar que denunciarei nos blogs progressistas o ocorrido. Querem guerrear? Então guerrearemos do lado do povo oprimido. Chega! Basta! Fora pseudo-elite! Mercenários! Mercadores da infelicidade e do sofrimento!

  23. Eduardo.
    Compreendo seu desanimo e aplaudo seu trabalho.
    Não nos falte com seus textos. Afinal você é responsável por muitos de nos, seus leitores, de estarmos diariamente aqui, ás vezes por mais de três vezes ao dia como é meu caso.
    Assinava o lixo “veja”. Livrei-me dessa “sarna”. Assinava a INFO pela técnica que ensinava, também libertei-me. Sou “aporrinhado” toda semana com ofertas e descontos para continuar (ou voltar a assinar esses “produtos” da abril. Não vejo a globo e raramente as outras TVs. Jornal, só vejo nas bancas.
    Por que você vai tirar meu (e de muitos companheiros do blog) esse crédito que lhe damos?
    Sei que é doloroso suportar certos panacas que vem aqui com a alma emprenhada de derrotismo e uma imprensa cheia ódio ao que deveria aplaudir.
    Não. Não aceito essa despedida de uma farta e corajosa postura nacionalista ao nos entregar textos que jamais veremos nos editorialistas tupiniquins.
    Alguém já sugeriu você dividir com outros, da sua confiança, a tarefa. Concordo. Deixar-nos, jamais.
    Abraço fraterno.

  24. Acredito que podemos fazer alguma coisa, muito embora a justiça já vem fazendo como este juiz de Belo Horizonte.

    Acho que aqui em seu Blog devem existir muitos advogados que, num grupo em cada cidade deste nosso país, possam entrar com ações populares e / ou Mandados de Segurança em face dos CRMs e do CFM com o intuito de acabarem com esta palhaçada.

    Quantos advogados estão aqui? Vamos nos reunir por cidades e, após estudo do assunto, fazermos o melhor “remédio” que a ocasião apresentar.

    Acredito que o Mandado de Segurança seria o melhor “remédio”, pois, o presidente do CRM ao impedir o trabalho destes médicos estará impedindo o atendimento médico da população mais desfavorecida, e ele é considerado neste caso “Autoridade coatora”. Vide artigo 282 do CPC e a Lei 1.533/51.

    Tô dentro. Estou aqui para somar.

  25. EDU POR FAVOR! TEM COMO SABERMOS PARA QUE CIDADES ESTES MÉDICOS FORAM DESTINADOS? Gostaria de poder mandar individualmente, para cada médico, um pedido de desculpas em meu nome e do povo brasileiro, pois, estas pessoas que os receberam, não nos representam.

    Luiz Felipe de Oliveira Lopes

  26. Os médicos cubanos , tão humanitários, almas nobres, tal como Jesus, deram a outra face. A vergonha hoje, é dessa quadrilha de mercenários médicos. Eu, minha familia e vizinhança estamos tambem INDIGNADOS. DOEU na alma ver este vídeo.Mas o poder do amor dessa turma de médicos cubanos, há de mudar muita coisa nesse nosso amado Brasil. FORÇA E LUZ EDU.

  27. Está no Vi o Mundo

    Médico brasileiro dá boas vindas aos cubanos: Que eles ajudem no “resgate do raciocínio clínico”

    publicado em 27 de agosto de 2013 às 18:37

    por Luiz Carlos Azenha

    Que diabos é “resgate do raciocínio clínico”?

    É ter, diriam os médicos, uma atitude mais holística, completa, em relação ao paciente.

    É pedir exames e receitar remédios só quando forem estritamente necessários.

    É servir primeiro ao paciente, não às indústrias farmacêutica, de laboratórios clínicos e de equipamentos médicos.

    Ajudar os colegas brasileiros a resgatar o raciocínio clínico. É a consequência esperada pelo médico Marcelo Coltro da passagem de 4 mil médicos cubanos pelo Brasil.

    Diferentemente de muitos colegas, ele dá boas vindas aos cubanos. Fruto, talvez, de ter estado recentemente em Cuba.

    Marcelo é especializado em Medicina de Família e Comunidade. Concursado, trabalha na Prefeitura de Florianópolis. Em fevereiro deste ano, esteve em Cuba com um grupo de médicos brasileiros para trocar experiências no setor. Viveu outra particularidade: depois de formar-se na Universidade Federal de Pelotas, foi o único médico residente em Protásio Alves, na serra gaúcha, experiência que muitos cubanos viverão agora, em cidades do Norte e Nordeste brasileiros.

    Sem a histeria que tem caracterizado a reação de alguns médicos à chegada dos cubanos, Marcelo conta como foi sua experiência. Fala das similaridades e diferenças entre os dois sistemas de saúde, sobre o que o Brasil pode ensinar a Cuba e vice-versa.

    Ciego de Ávila, na província de mesmo nome, cidade visitada pelo dr. Marcelo Coltro (wikipedia)

    Trechos da entrevista, em que Marcelo fala também sobre o que Cuba pode aprender com o Brasil no setor e conta a história de um provável erro de médico brasileiro corrigido em Cuba, que ele testemunhou:

    “Como o número de médicos [em Cuba] é maior em relação médico/habitante do que no Brasil, eles conseguem ter uma capacidade de cuidado muito melhor do que os médicos brasileiros aqui no sistema público. Por exemplo, a cidade que eu visitei, onde eu estive, tinha um médico dentro do sistema de saúde para cada 800 habitantes. Então, eles conseguiam organizar através da sua área de atuação a população de uma forma muito melhor estruturada do que a gente consegue organizar aqui no Brasil em que cada médico de família é responsável por 4 mil, 6 mil, 7 mil habitantes e tem cidades onde o médico de família é responsável pela cidade inteira”.

    “Eu acho que se fosse uma força de trabalho médica para vir para o Brasil e permanecer para sempre eles deveriam fazer o Revalida. Mas eu entendi que no programa Mais Médicos eles vem para o Brasil não com interesse de substituir a mão-de-obra médica brasileira, que o programa Mais Médicos traz médicos estrangeiros para o Brasil até que o Brasil consiga se adequar à sua própria formação médica, enquanto isso vai acontecendo esses médicos estrangeiros seriam temporários e por isso talvez não precisem fazer o Revalida, que eles tem experiências em outras missões internacionais”.

    “Quanto à formação médica dos médicos cubanos, me pareceu que eles tem uma formação médica muito semelhante à formação médica brasileira, e eu diria que é bem rígida por eles serem militarizados e super-estruturados. Eles tem o mesmo número de anos que a gente tem aqui na formação médica. Eles também tem especialidades lá, mas todos os médicos formados inicialmente tem de ser médicos de família, de comunidade. Precisam ter experiência médica para depois passarem para as especialidades. São muito bons cirurgiões, são bons oftalmologistas, são bons ortopedistas, mas principalmente são bons médicos de família e de comunidade”.

    “Talvez os médicos cubanos possam ensinar para a gente como usar melhor a tecnologia. Talvez a gente use a tecnologia muito precocemente quando cuida das pessoas. Ao andar pelas ruas de Ciego de Ávila, em Cuba, você não encontra farmácias como encontra aqui no Brasil. Quando você encontra farmácias em Cuba você tem muitas medicações que são fitoterápicas, medicações que a gente encontra aqui no Brasil numa quantidade um pouco menor. Assim como aqui no Brasil nós temos dificuldades de ter concentração de tecnologia por exemplo nos postos de saúde, por conta de ser muito caro, eles tem uma otimização de tecnologia muito maior. Quando uma pessoa lá em Cuba é submetida a uma tomografia é porque realmente ela tem necessidade de fazer essa tomografia”.

    “Lá não é frequente a questão de você fazer check-up como é muito comum aqui no Brasil. Ou fazer exames laboratoriais de rotina para as pessoas ficarem medindo colesterol quando tem queixas de dor-de-cabeça ou tem queixas super inespecíficas para exames que são muito difundidos na mídia. Então eu vi que lá talvez tenha uma racionalização do uso da tecnologia que por conta da influência da indústria farmacêutica e da indústria dos insumos de saúde no Brasil desde a década de 60 nós perdemos, a questão do ampliado raciocínio clínico que os médicos tem lá e uma otimização da tecnologia”.

    “Aqui a gente vê cada vez a mercantilização da medicina. Eu diria que os médicos brasileiros são bons médicos, mas existe dentro da formação médica, nas escolas de medicina, uma grande inclinação para você fazer uso de muita tecnologia, exames laboratoriais, exames de imagem e também uso de medicamentos de uma forma talvez um pouco mais precoce de que se a gente pudesse avaliar esses pacientes com um pouquinho mais de um olhar holístico, ou humanista, e com uma percepção de poder compreender um pouquinho antes de usar tecnologia, antes de usar um medicamento precoce, antes de pedir um exame laboratorial que muitas vezes a gente sabe que vai dar normal e tá pedindo porque tem uma orientação protocolar para isso”.

    “Talvez os médicos cubanos possam trazer para nós um resgate do raciocínio clínico que as escolas de medicina e as profissões ao longo dos anos foram perdendo por conta de um adensamento tecnológico muito grande”.

    “A gente tem alguns estudos que mostram que 75% dos médicos brasileiros recebem visitas de laboratórios, para medicamentos. São pessoas que visitam os consultórios médicos com frequência. Ao visitar estes consultórios existe muita informação dos laboratórios para estes profissionais. Alguns outros estudos mostram que até 41% dessas pessoas visitadas tem como referência essa visita da indústria para prescrever as medicações. Você tem uma grande influência da indústria farmacêutica dentro da prática médica no Brasil. Isso também se expande para o uso da tecnologia, como exames laboratoriais”.

    “Você tem muitos professores de faculdade de medicina no Brasil que tem vínculo empregatício com indústrias farmacêuticas ou com indústrias que produzem tecnologia em saúde. Isso acaba influenciando seguramente a formação médica e o uso de tecnologia. Necessária, que bom que a gente tem essa tecnologia, mas muitas vezes precoce e diria até que de certa forma indiscriminada, sem uma boa indicação, sem um raciocínio clínico adequado”.

  28. O ofício de jornalista é admirável, mas também ingrato. O jornalista tem que falar de muitas coisas, das quais, muito pouco sabe. É compreensível. Por isso convém a um jornalista ser humilde e escutar com atenção e sem preconceitos o que os outros tem a dizer.
    Sou médico, não trabalho no SUS, mas já trabalhei. Votei em Dilma, até porque não havia uma opção melhor. Sempre me coloquei ao lado das causas que acreditava serem progressistas. Considero-me, dentro do espectro político, um cidadão de esquerda, porque acredito que as pessoas, em princípio, devam ter oportunidades iguais. Reconheço muitos avanços realizados nos últimos anos. Contudo, não me sinto impedido de fazer crítica ás minhas opções.
    O atual governo também se diz progressista. É encabeçado por alguém que lutou bravamente pela democracia. Integra um partido que se diz dos trabalhadores. Entretanto não parece honrar seus princípios.
    O governo Dilma fala grosso com um simples trabalhador da saúde (o médico do SUS, nada mais é que um trabalhador mais qualificado), mas fala fino com a as grandes corporações de comunicação, as quais concedeu bilhões em benefícios fiscais, não se sabe a troco de que (ou é simplesmente medo ?). A Dilma fala grosso com o médico, mas fala fino com a Globo. Fala grosso com o médico, mas no primeiro dia do seu governo, em vez de visitar um hospital do SUS, foi fritar bolinho com a Ana Maria Braga. Isso é ser progressista?
    O governo do Partidos dos Trabalhadores (??), fala grosso com o trabalhador médico; tenta agora surrupiar-lhe os direitos trabalhistas: oferece ao médico não um contrato de trabalho (no programa mais médicos), mas uma bolsa, hipocritamente a título de especialização (especialização em quê? Em medicina ruim?), e com o único objetivo de burlar as leis trabalhistas. Ao mesmo tempo, concede bilhões em renúncia fiscal ás multinacionais do setor automotivo, para que elas possam enviar mais dinheiro ás suas matrizes. O governo do PT fala grosso com o médico, revoga a CLT, mas fala fino com a General Motors. Isso é ser progressista?
    O governo “progressista” da Dilma fala grosso com os estudantes (de medicina); tenta impor-lhes 2 anos de serviço civil obrigatório, cinicamente á título de melhorar a formação médica; dizem que no tal segundo ciclo do curso de medicina vão receber orientação de preceptores, o que não é nem um pouco crível, já que falta assistência a esses estudantes no ciclo de estudo vigente, e ficam totalmente abandonados nas residências médicas. Se se pretende melhorar a formação médica, é só incrementar o estágio prático que já existe (internato). Não, o governo Dilma fala grosso com os estudantes, mas fala fininho com as empresas de telecomunicações. Concede-lhes benefícios fiscais, para que enviem mais dinheiro as suas matrizes endividadas, ao tempo que prestam um serviço reconhecidamente deficitário e caríssimo para os padrões internacionais. Isso é ser progressista?
    A Dilma fala grosso com o médico que se formou nas faculdades brasileiras, mas fala finhinho com o Sírio, onde são tratados os presidentes. Ao Sírio, uma empresa privada, é concedida renúcia fiscal á titulo de tratar-se de instituição beneficente (não se sabe como). Ademais, é constrangedor á oitava economia do mundo, ver seu Presidente tratar-se em um hospital privado, por não haver, em tese, um único hospital publico á altura. Isso é ser progressista?
    Marta Suplicy (PT), quando prefeita de São Paulo, batizou uma importante avenida da cidade, pelo nome de Jornalista Roberto Marinho – isso é ser progressista?. Não teria sido melhor a um partido que se diz dos trabalhadores, batizá-la de Carlos Chagas, por exemplo, um dos mais brilhantes médicos do seu tempo!? Ou quem sabe jornalista Machado de Assis!?
    Não há como negar que, em se falando de saúde, todos os últimos governos foram medíocres. Os militares degeneraram o sistema de saúde. FHC e Itamar vetaram o piso salarial do (trabalhador) médico. Lula, repetiu a “esperteza” do PSDB e não empregou os recursos da CPMF na saúde; preferiu pagar juros aos banqueiros, e por isso a perdeu. Serra, quando Ministro da Saúde, também quis resolver o problema da saúde, importando médicos cubanos.
    Faltam médicos? Pode ser, mas certamente, é o que menos falta. Faltam, muito mais, seringas, remédios, limpeza, gestão, vontade política, projeto, princípios, coragem.

    • Então, tá! Mas o nobre médico de “esquerda” já assinou o desagravo aos seus colegas trabalhadores cubanos, não é?

    • EDU:
      Estamos no mato sem cachorro, veja oque esse medicuzinho vozifera, só ele não percebeu que
      um dos objetivos dos, MAIS MEDICOS é mostrar ao povo oque é realmente a classe medica…
      Um bando de mercenarios a serviço dos produtores de drogas.
      Ele tem um bicão, e como cotia perde o rabo mas não deixa de ser cinico sem vergonha…
      Quem esse doutorzinho, acha que é para criticar seu proprio pais e seu governo.

  29. Eduardo, penso assim quase todos os dias, mas sua coluna me serve sempre de alento. A unica coisa que me vem, Pra te dizer e que essa historia dos medicos e tao indigesta que embrulhou o estomago ate do Noblat !!! Anime-se!

  30. Eduardo, assim vai ser por muito tempo.

    Mas não há como deter o novo para sempre!

    Contra todo tipo de dificuldade e resistência, as mudanças avançam: de início muito lentamente, até virar um tsunami. Neste ínterim, muitos dos resistentes morrem e abrem caminho, ou deixam de resistir tanto.

    E cada um de nós, um dia, terá de se haver com sua própria consciência. Aí, sempre há choro e ranger de dentes.

  31. Não desanime, meu caro xará!
    Não raro eu acabo me sentindo da mesma forma que você externou neste post, especialmente quando leio ou ouço alguns absurdos de parentes e amigos, mas basta eu olhar para as mudanças ocorridas nos principais indicadores sociais nos últimos 10 anos que esse baixo astral se esvanece – eles mostram que, apesar do muito que ainda há para ser aprimorado e corrigido no nosso país, estamos no rumo certo (cuja rota traçamos em tempo real, em movimento).
    Receba um forte abraço, a solidariedade desde seu xará carioca e, por favor, dê um grande beijo em Victorinha por mim.

  32. Edu, por favor, não abandone o bom combate. Muitas vezes também sinto essa vontade de chutar o balde diante de tanta cretinice, tanta hipocrisia e tanta distância do mundo civilizado. Mas você sabe a quem recorro, onde me revigoro. No seu blog, reforçando conceitos e minha esperança a partir dos seus comentários.

    Grande e afetuoso abraço.

  33. Essa elite mesquinha é a que admite e aceita que a famiglia Marinho sonegue. É a que aceita como normal o propinoduto do PSDB paulista.

  34. Não desamine companheiro.Não esta morto quem peleia,como dizem os gaúchos. É duro mais parece que quem manda no pais é uma estação de tv que apoiou uma ditadura assassina e não paga impostos. Não desista…vamos continuar a lutar.

  35. Seu post é muito bom Edu, só não faz justiça à dimensão do problema.
    O Brasil, em matéria de solidariedade e sentimento de cidadania não está em nada diferente de outros lugares. O egoísmo é o motor do planeta, não é por acaso que vemos os EUA prestes a atacar mais um país árabe por razões inconfessáveis. E diante de um povo americano que nada diz e nada faz contra seu governo invasor.
    A elite brasileira não é melhor nem pior do que todas as outras, mundo a fora. Até a Suécia, tida como exemplo de respeito ao direito de todos a uma vida digna, tem batido recordes de aumento da desigualdade, o que tem gerado conflitos na maioria das grandes cidades. Isso acontece, embora a mídia mundial, em sua maior parte nas mãos das elites mundiais, não se digne a noticiar com o necessário relevo.
    A angústia, Edu, nos toma a todos. A ideia de um mundo que já esgotou em agosto os recursos naturais passíveis de exploração no ano, com uma reposição sustentável, é emblemática. O grande capital internacional não se interessa por isso, prefere ganhar agora, já, mesmo que isso signifique, a longo prazo (nem tão longo assim!!) a destruição do planeta.
    Assim como nossas elites não se dispõem a dar mesmo que seja uma pequena parte de sua riqueza aos que mais precisam, as elites mundiais se recusam a abrir mão do que seja para dar a nossos filhos, netos e bisnetos uma Terra habitável.
    Às vezes tenho a percepção clara de que nós, a Humanidade, estamos chegando rapidamente a um ponto sem retorno. A capacidade do homem de se compadecer do outro, de ver as necessidades dos menos favorecidos, de levar a estes, não como uma dádiva, mas como um direito, os bens mais elementares de uma vida com dignidade e alegria, está decrescendo dia a dia. O ego exacerbado leva homens e mulheres aos absurdos que temos testemunhado nesses tristes episódios em torno do Mais Médicos.
    O ódio, o preconceito, o temor de perder privilégios, a insanidade ideológica, tudo nos faz corar de vergonha e de horror. Do mesmo modo como nos causam horror a visão de genocídios absurdos, de guerras fratricidas, de guerras expansionistas, de destruição de pessoas e bens materiais, da absoluta indiferença dos que podem fazer alguma coisa e que, no entanto, se quedam mudos e inertes diante da barbárie.
    Num dia como hoje, de introspecção e desalento, me solidarizo com você na sua angústia.
    Um abraço.

  36. Não Eduardo. Precisamos muito do seu trabalho. Não verei, pois sou idosa, mas TODOS OS LARES HÂO DE SER FELIZES,TODOS OS BERÇOS HÃO DE SER IGUAIS.

  37. amigo eduardo, disse um pensador que os homens quelutam a vida toda sao os imprescindíveis. você e um brasileiro imprescindível . obrigado,porvocêe existir .e necessário dar-se um passo para tras para avançarmos apos,mais destemidos e desassombrados.

  38. Nao há como mudar um sistema exploratório que já esta entranhado na sociedade brasileira a muito tempo. O que pode ser feito é dar educação de qualidade ao povo e faze-lo ver sua condição precária e mostrar o que o ele pode fazer para lutar contra a isso e, assim, mudar-la. Nao há milagres amigo. ” em terra de pessoas que nao tem o conhecimento sao dominados pelos que tem”. O brasil nunca teve um sistema publico de educação de qualidade para a maioria da pululação; apenas para os “privilegiados” que todos nós sabemos quem são. O conhecimento atribuído ao povo é força que pode libertar os brasileiros dos grilhões da exploração e pobreza que as elites mantem.

Trackbacks

  1. Essa elite mesquinha não aceita dar nem ...
  2. Essa elite mesquinha não aceita dar nem um osso ao povo | C O O LTURA

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.