Justificativa de Barbosa para “desfeita” a Dilma, não cola

 

O presidente do STF, Joaquim Barbosa, alega ter ficado “surpreso” com o que foi visto por uma imensidão de internautas como um gesto de descortesia de sua parte para com a presidente DIlma Rousseff durante a cerimônia de boas-vindas ao papa Francisco, no Palácio da Guanabara, no Rio de Janeiro, no domingo (21).

Segundo a nota oficial emitida pela assessoria de Barbosa, ele não ignorou a presidente da República. Como a cena em que ela abre um largo sorriso para ele durante longos segundos sem que ele lhe dê bola foi captada de um ângulo em que ele estava de costas, sua argumentação é a de que retribuiu à presidente do Poder Executivo com um “discreto sorriso”.

Leia, abaixo, a íntegra da nota.

—–

Causou grande surpresa ao presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, a divulgação de suposta descortesia dele com a presidente da República, Dilma Rousseff, por ocasião da cerimônia com o papa Francisco no Palácio Guanabara, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro. Com base em imagens de TV captadas a partir de determinado ângulo, foram criadas versões sobre o comportamento do ministro que não encontram amparo na realidade. O Ministro repudia interpretação de que teria sido deselegante com a Presidente e ratifica seu respeito pelos Poderes constituídos.

Na condição de presidente do STF, o ministro Joaquim Barbosa tem mantido relacionamento institucional de alto nível com a presidente Dilma. Em um espaço de dois meses, foram realizadas duas audiências no Palácio do Planalto, sendo a primeira convocada pela Presidente da República e a segunda solicitada pelo Presidente do Supremo. Nesses encontros foram discutidos temas de grande relevância para a vida do País. Em uma dessas ocasiões, foi feito o convite para que o presidente do STF comparecesse à cerimônia de recepção ao papa Francisco, convite que foi prontamente aceito.

No dia da cerimônia, logo ao chegar ao Palácio da Guanabara, o Ministro Joaquim Barbosa depois de cumprimentar outras autoridades presentes, foi convidado a dirigir-se à sala privativa onde se encontrava a Presidente, o Governador Sérgio Cabral, além dos Presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Henrique Alves. Permaneceu lá por mais de uma hora. Depois, dirigiu-se junto com as demais autoridades até o local que lhes fora destinado na cerimônia.

Por ocasião dos cumprimentos, o Ministro apertou respeitosamente a mão do Santo Padre, e trocou discreto sorriso com a Presidente. Isso porque avaliou não ser necessário novo cumprimento protocolar, uma vez que isso já havia ocorrido por ocasião de sua chegada ao Palácio.

—–

Nada de novo. Este Blog antecipou a explicação que a assessoria do presidente do STF divulgara oficiosamente na segunda-feira e ela não explica a conduta que ele mesmo reconhece na nota acima: não responder a Dilma, limitando-se a lhe dar um “discreto sorriso”.

Vamos parar de enfeitar o pavão: várias personalidades e autoridades precederam Barbosa no cumprimento ao papa e todas, até então, haviam cumprimentado, também, a presidente.

O próprio vídeo, exibido à exaustão na internet, mostra que, desde o momento em que o presidente do STF se aproximou do papa e da presidente, ela lhe abriu um largo sorriso, o qual esmaeceu após ele ter retribuído, conforme diz, com o tal “discreto sorriso”.

Ora, Barbosa diz que apertou respeitosamente a mão do Santo Padre e deu “discreto sorriso” à Presidente “porque avaliou não ser necessário novo cumprimento protocolar, uma vez que isso já havia ocorrido por ocasião de sua chegada ao Palácio”.

Que sacrifício cumprimentar a presidente, não? Quer dizer que mesmo vendo que todos os que o precederam na fila de cumprimentos ao papa cumprimentavam também a ela, eximiu-se de tão penosa tarefa por já ter dado a sua cota de sacrifício em encontro ocorrido pouco antes?

Precisa dizer mais? Quando a gente respeita a pessoa ou gosta dela, cumprimenta com prazer. Cumprimentou em encontro privado? Cumprimente de novo agora, porque são pessoas públicas que estão em público.

Estando em cerimônia transmitida pela TV, Barbosa deveria passar imagem de cordialidade entre chefes de dois Poderes da República. Mas, para ele, parece não importar o simbolismo público. Sem falar que a educação manda que homens sejam especialmente gentis com mulheres em situações como essa.

Veja, abaixo, flagrantes do episódio.

 

124 Comentário

  1. Ele foi um menino pobre, agora ele é um pobre adulto.

    • Que trocadilho fraquinho esse, hein!!

      • Hoje quem está de plantão é o Fabrizio?

        • JB Torquemada obriga os estagiarios e aspones de seu gabinete a monitorarem os sites da blogsfera e ainda responder os assuntos ligados a sua pessoa com comentarios em sua defesa. deveria antes disso explicar a origem do dinheiro do apartamento no milionario Icon Brickell de Miami e os 700.000 reais recebidos da UERJ sem trabalhar.

    • Bem sacado! Merecia outra capa da Veja “Adulto pobre”!

  2. A questão não era o Barbosa cumprimentar a Dilma: era o chefe de um poder cumprimentar outro. Evidente que tinha que faze-lo. De modo protocolar. Era a obrigação do presidente do stf embora o Joaquim não tenha ainda entendido seu papel. .

    • É que, nas palavras do nosso absolutista, “o STF não deve satisfações a ninguém”… “STF c’est moi…”

  3. Existem mulheres que nunca recebem um bom dia, um beijo um afeto, um cumprime, tudo porque dormiram com certos “homens” e ainda correm o risco de tomarem pancadas. Será que o cara pensa ou age assim?

  4. Feliz agora, Lula?

  5. Por que não vaiaram o papa?

    Faz sentido a constrangedora louvação da mídia ao papa Francisco: se para ela o país vive em plena convulsão social, a tranqüilidade da visita do pontífice chega a parecer um verdadeiro milagre. Nenhum protesto bloqueou os passeios do santo homem. Não houve gritaria durante as suas aparições, desacato organizado aos fiéis, enfrentamentos nos locais de vigília. Sequer um indício de vaia.

    Comparar biografias e cargos seria ridículo, mas as circunstâncias provocam um paralelo entre a passividade perante Francisco e o desrespeito contra Dilma Rousseff na abertura da Copa das Confederações. Ou entre a preservação da festa religiosa e os ataques ao evento esportivo, ambos de semelhante visibilidade mundial e respaldo financeiro controverso.

    Ora, supondo corretas as explicações hegemônicas para os apupos jecas dos torcedores, concluiríamos que os indignados políticos aprovam o líder católico, ou pelo menos a instituição que ele representa.
    Será que a juventude politizada esqueceu os inúmeros escândalos, de proporções e gravidades inéditas, que mancham a história do Vaticano? Teria se convertido à agenda obtusa, homofóbica e reacionária do catolicismo oficial? Guardaria um espaço para a fé e o misticismo nos seus rígidos protocolos revolucionários? Anarquistas respeitando os símbolos e interesses de um dos Estados mais antigos e inflexíveis do planeta? Guerreiros intrépidos, acostumados a combater policiais ferozes, com medo de crentes inofensivos?

    Há muitas vias analíticas possíveis para abordar essas contradições. Bem poucas, no entanto, explicam a tentativa de ignorá-las.

    http://www.guilhermescalzilli.blogspot.com.br/2013/02/derrota-da-obsolescencia.html

  6. Quando a gente tem educação, cumprimentamos as pessoas e em especial as mulheres; como também, quando não pretendemos passar para o público(mais especificamente, para um mínima parcela desse publico a quem servimos, a classe dominante)a impressão de que estamos contra alguém e lhe devotamos raiva e desprezo. Barbosa evidenciou a baixeza de seu caráter e a enorme falta de educação doméstica, aquela que aprendemos em casa, que tem. Além do que passou um recado à classe dominante que provavelmente parará de fustigá-lo um pouco pela mídia, uma vez que os podres de Barbosa começavam a aparecer, como a casa que comprou por R$1 milhão, declarando apenas R10, 00 à Receita; as passagens que pagou com dinheiro público, numa ocasião para levar a jornalista que acompanhou-o na visita à Costa Rica, inflando seu ego , e na outra para assistir ao jogo do Brasil na Copa das Confederações, no camarote de (adivinhem quem?) Luciano Huck, em cujo “programa”, trabalha Barbosinha Júnior, o filhinho de Barbosa (que lindo!). O mesmo Barbosinha que trabalhou numa agência que recebeu dinheiro de uma das agências de Marcos Valério; agências essas, cujo relatório que provava terem sido cumpridas todas as atividades publicitárias contratadas entre elas e a Visanet, as quais para serem aprovadas precisavam das assinaturas de quatro diretores do Banco do Brasil(e não somente do petista Henrique Pizzolatto, sendo os outros três tucanos, nomeados por FHC e mantidos por Lula), constava em um inquérito que deveria ter sido anexado à AP 470, a ação do inexistente “mensalão”, mas foi devidamente engavetado por Barbosa. Se as últimas informações continuam censuradas pela mídia reacionária, para não desmontar a fábula global construída nesse delírio em que se constitui o golpe do “mensalão”, os outros podres de Barbosa começavam a aparecer na mídia(por puro racismo, já que o Ministro sempre mostrou estar do mesmo lado dos barões da comunicação)e talvez tenha sido essa uma das “motivações” de Barbosa, a despeito de já ter demonstrado inúmeras vezes o quanto é mal educado e desequilibrado. Contudo, Barbosa será devidamente recompensado pelos coroneis eletrônicos por sua demonstração de lealdade e comprometimento com futuros golpes jurídicos-paraguaios com que sonha a direita em 2014, por isso é importante que observemos esse gesto como não apenas as leviandades de um grosso ou as locuras de um sujeito que demonstra ter problemas emocionais sérios(no mínimo um complexo de inferioridade enorme), mas como sinais evidentes do que está por vir. Tenham certeza de que, principalmente se o golpe das manifestações conservadoras mostrar que não conseguirá frutificar para o futuro; o que dependerá da correlação das forças populares a reagirem às manifestações da direita; a classe dominante e a CIA voltarão suas esperanças de recuperar o controle do Estado para o golpe jurídico, e é dentro desse “Plano B” que Barbosa se encaixa, já tendo evidenciado que está às ordens.

  7. Depois o “herói da pátria/joaquim” vai chorar no tacho do capeta e não sabe por que!

  8. Eduardo, você viu o Ibope? Rapaz, tá na hora de começarmos a debater o pós-Dilma. Ir para a oposição fará bem ao PT e ao país. Tá na hora de mudança! Só espero que desta vez a direta aprenda de vez a lição e entre com tudo em 2015! Precisamos retomar com urgência a agenda de reformas liberalizantes e as privatizações! Que venha 2015!

    • Juvenal,eu só não sei se a sua oposição “moderna e privatizante” está tão bem na fita asssim.Me parece
      que o seu” Psdb” não vai muito bem das pernas também

    • Se depender das atitudes antissociais das “jestões” tucano-pefelês o pós-Dilma só ocorrerá quando ela sair do governo no início de 2019.

      Os tucano-pefelês têm que esconder muitas falcatruas das famiglias do PIG, sustentáculo do PSDB-PFL-PPS. Além de esconder as próprias falcaturas do PSDB (o governo paulista, por exemplo, enrascado em esconder as “ações entre amigos” do PSDB com a Alston, com a Siemens, etc).

  9. Não se dá o que não tem…ele tem essa atitude porque é o que ele é…não me surpreende em nada esse comportamento…é bem esperado de quem vem..

  10. Prezado Eduguim. O Joaquim deu uma de Urubu malandro, e não colou! Já o sonho do juvenal, é desfilar no municipal(marcha de carnaval)!

  11. Onde anda a famosa educação doméstica?. Foi omitida neste caso como acontece em alguns casos em processos do judiciário.

  12. O ministro Joaquim Barbosa está tão enfeitiçado pelos olofotes da globo que esquece o que é educação ou sua intenção foi realmente agredir a presidenta.

  13. Barbosinha: o menino pobre que…….comprou um apartamento de milhão de dólares em Miami !

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.