Bombardeio de saturação é ‘nova’ tática pré-eleitoral contra Dilma

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Faz todo sentido do mundo usar uma metáfora militar para definir a estratégia do grupo político que congrega meia dúzia de impérios de comunicação, três partidos de oposição e que trata de tentar cooptar partidos volúveis da base aliada contra o governo Dilma Rousseff.

Bombardeio de saturação é uma tática militar antiga. Consiste em um bombardeio intenso, rápido e concentrado, disparado de várias origens, contra uma determinada área que se quer destruir.

A metáfora ilustra o noticiário de grandes meios que ora ataca o governo com versões sobre o desempenho econômico do país. O que se percebe, nesse processo, é o virtual abandono do recurso a denúncias de corrupção e uma aposta sôfrega na construção de uma realidade virtual.

A tática já foi usada contra este governo e o anterior, mas quase sempre tendo como mote a corrupção. Eis que o conclave que envolve partidos de centro e de extrema direita conclui que apelar à “ética” do brasileiro não funciona e, assim, “descobre” que o povo só pensa no próprio bolso.

O jeito, pois, está sendo tentar criar uma realidade alternativa que faça com que a sociedade – ou a maior parte dela – acredite que o Brasil está indo mal e que o desastre econômico se avizinha.

Dirão que essa tática não é exatamente novidade – e não é –, mas a visão das forças políticas que controlam a comunicação de massas é a de que o momento é propício para usá-la porque haveria elementos de verdade no mau momento econômico que o país estaria atravessando.

Pode-se notar que, desde o início do ano, denúncias de corrupção perderam força. E perderam porque, ano passado, a aposta no julgamento do mensalão como forma de gerar uma fragorosa derrota eleitoral ao PT nas eleições municipais, mostrou-se um rotundo fracasso.

Nesse aspecto, o ano começa com o anúncio por toda a grande mídia e pela oposição de uma gigantesca catástrofe que estaria prestes a se abater sobre o país: haveria racionamento de energia elétrica.

Durante semanas a fio, o pânico se instalou. Ações de empresas geradoras e distribuidoras de energia despencaram; empresários paralisaram planos de investimentos; preços foram reajustados “preventivamente”.

Com a economia andando lentamente, racionar energia elétrica jogaria o país em uma profunda recessão.

Todavia, a mídia e a oposição foram vítimas de “especialistas” que dizem o que elas querem não só para ganharem espaço e notoriedade, mas para não correr o risco de contrariar impérios de comunicação que detêm poder para destruir vidas por meio da difamação.

Esses “especialistas” deram esperança à oposição e à mídia de que seria possível ocorrer tal hecatombe econômica, apesar de que a estruturação do setor energético brasileiro a partir da catástrofe de 2001/2002 erigiu mecanismos para impedir que voltasse a ocorrer.

O resto da história todos conhecem, o que dispensa maiores considerações. Resumindo, portanto: não deu certo.

A partir dali, o desempenho modesto do PIB e a inflação se tornaram a nova aposta. Até porque, havia e há dificuldades nessas áreas não só para o Brasil, mas para o planeta Terra – sobretudo no que concerne ao crescimento das economias.

A evolução modesta do PIB – o tal “pibinho” – poderia convencer os brasileiros de que os ganhos em qualidade de vida da década passada e do início desta estariam para terminar.

A aposta continua forte apesar de o nível de emprego continuar incrivelmente alto e melhorando mês a mês. Afinal, as políticas governamentais de combate a uma inflação gerada exclusivamente pelo patamar alto – ainda que estagnado – de atividade econômica frearam o crescimento da renda das famílias, que foi contido porque o país não tem condições de arcar com mais crescimento da renda e dos salários.

Houve um crescimento muito rápido do poder aquisitivo dos brasileiros na década passada. As hordas de brasileiros – inclusive de classe média-média – que saem pelo mundo torrando dinheiro fazem com que, no exterior, pensem que estamos ricos.

Nesse aspecto, a recente visita do vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ilustra bem o excelente momento pelo qual o país atravessa, apesar do crescimento modesto.

O Jornal Nacional da última quarta-feira evitou noticiar mais detidamente declarações de Biden que contrariam uma das vertentes do bombardeio de saturação em curso contra o governo Dilma, o ataque ao Bolsa Família, que, após sucesso inegável, volta a ser alvo de acusações de produzir “acomodação” e de “perpetuar a miséria”.

Assim como a ONU, o Banco Mundial e dezenas de países (muitos, desenvolvidos), Biden elogiou fartamente o Bolsa Família.

Segundo ele, o resto do mundo olha para o Brasil com inveja. E isso justo no momento em que a direita midiática, após espalhar um boato criminoso sobre extinção do programa, tenta atribuí-lo ao governo de forma literalmente surreal, pois a tese não resiste ao menor exercício de lógica.

As palavras de Biden: “O Bolsa Família é copiado em mais de quarenta países. O Brasil mostrou que não é preciso que uma nação escolha a democracia ou desenvolvimento. Os brasileiros mostraram que política econômica e desenvolvimento social podem andar juntos. Vocês já se desenvolveram e esta é uma má notícia, porque a cobrança é muito maior“.

O vice-presidente dos EUA veio ao Brasil justamente porque, à exceção de publicações internacionais como o ultraconservador The Economist, nosso país é retratado hoje como um dos poucos polos de desenvolvimento mundial e detentor de um mercado consumidor gigantesco e ávido.

O mundo desenvolvido sabe que o PIB baixo é momentâneo e que o crescimento que temos tido, com distribuição de renda, redução da pobreza, valorização dos salários e forte criação de empregos, é um fenômeno surpreendente.

O gráfico abaixo mostra que o Brasil está crescendo na média do mundo, mas com o diferencial de que, ao contrário do resto dele, crescemos com inflação controlada – e cadente – e com melhora a olhos vistos de nossos problemas sociais.

Como se vê, até a China está crescendo muito menos. A potência que mais cresce no mundo, cujo ritmo de evolução do PIB sempre andou por volta dos 12% ao ano, vem tendo crescimento que é quase a metade de sua média histórica. Enquanto isso, o Brasil já cresce mais do que tigres asiáticos como a Coréia do Sul.

Todavia, no mesmo dia em que o vice-presidente dos Estados Unidos demonstra quão formidável vem sendo o desempenho econômico do país, telejornais, jornais, revistas, grandes portais de internet, hordas de colunistas, editoriais e até cartas de leitores entoam um monocórdico discurso sobre nossas misérias imaginárias.

Não há quase espaço para outro tom na grande mídia. A tática militar de bombardeio de saturação depende da ausência de divergência da tese “oficial” sobre a decadência do país.

Esse processo já foi visto outras vezes, inclusive com foco na economia. Entre 2008 e 2009, quando eclodiu a crise econômica internacional, na mídia era dado como certo que o Brasil quebraria e que mergulharíamos em uma profunda crise econômica, com desemprego, recessão etc.

A grande diferença é a de que, à época, o então presidente Lula fazia um forte contraponto ao noticiário e, devido ao palanque natural e obrigatório que cargo de presidente concede ao seu detentor nos meios de comunicação, não havia como deixar de reproduzir sua contra-argumentação.

Lula foi à tevê e exortou os brasileiros a não acreditarem no noticiário. Assim, apesar de a mídia acusá-lo de “mistificador” de uma situação que seria “catastrófica”, ao ter que reproduzir o que dizia os brasileiros tiveram acesso a outra versão dos fatos.

Agora, porém, vivemos uma situação preocupante. O mutismo da presidente Dilma Rousseff a está enfraquecendo politicamente e isso está se refletindo através dos problemas crescentes que o seu governo está enfrentando com a base aliada no Congresso.

A ausência de contraponto, de reação ao bombardeio de saturação em curso, de mutismo que se baseia na tese de que o que o brasileiro sente no bolso e no cotidiano destoa do noticiário, é uma aposta perigosa. Assim, a base aliada está sendo motivada a pular fora do barco.

121 Comentário

  1. Neste governo, ao que tudo indica, os blogueiros que defendem as medidas em prol do povo, como as da educação, da assistência social ou as das obras que avançam de ponta a ponta pelo país, aqueles que exaltam o pleno emprego, todos estes abnegados e voluntários blogueiros, ainda que não recebam um tusta para contrabalançar as mentiras piguentas, são tratados a pontapés pelos Bernardos incrustados lá no Planalto. Um governo popular que tem um Bernardo na posição em que se encontra e uma secretaria de comunicação dirigida como a atual não precisa de inimigo e o PIG está a nadar de braçada, sabota o PIB, omite o pleno emprego, o qual não significa nada para os rentistas Marinhos US$ 21 bi a disseminarem o terrorismo econômico em seus telejornais e os Frias, perpétuos arautos e cúmplices da ditabranda, os seus empregadinhos precisam mostrar serviço e torpedear qualquer ação no sentido de arrancar o país da fossa em que o governo do PIG lançou o Brasil, no passado e que não desiste, como propósito para o futuro.
    É de se dar risada ao se assistir o cidadão Aébrio dizer que 3 anos estão perdidos. Só se for para a oposição e para o novo Capriles a querer enganar o povão com uma fachada, uma embalagem fantasiosa, reluzente e falsificada difundida dia e noite via PiGlobo..
    No período em que estiveram no poder, entre 18 e 10 anos atrás, depenaram o país, tornaram-se bilionários com fortunas em paraísos fiscais e causaram o maior desemprego da nossa história. Falam de um pibinho e escondem o principal, o emprego em altos níveis como nunca dantes, este sim, o verdadeiro PIB do povão. São pregoeiros da catástrofe, pescadores de águas turvas. Querem porque querem tomar de assalto as rédeas da nação para perpetuarem a escravidão de um povo, entregarem os grandes empreendimentos do país nas mãos sequiosas dos poderosos conglomerados transnacionais em troca de propinas colossais (vide A PRIVATARIA TUCANA, obra recheada de evidências deste tipo, que foi encaminhado ao PGR Gurgel em centenas de exemplares e que, ao que tudo indica, serve de forro para o seu assento) e continuarem por todas as eras impunes do gigantesco assalto que praticaram contra os cofres públicos.

  2. Acabou de sair, antes do JN de hoje, a propaganda eleitoral do PSDB – ou seja, a campanha de Aécio Presidente antecipada. A julgar pelo que disse o candidato, o Brasil será salvo pelo novo presidente PSDB. É uma tese bastante difícil de sustentar analisando o passado recente brasileiro. Afinal de contas, quem era o presidente do Brasil no período compreendido entre 1995/2003? Ele elegeu seu sucessor? Não? Por que? Se ele era do PSDB, e este partido tem tamanha capacidade de “gestão”, no dizer da propaganda de hoje, o que deu errado no projeto de poder de tal partido? Acho difícil, a julgar pelos índices de aprovação do governo atual, que a população opte por um candidato de um partido que já foi testado e reprovado, duramente, pelos fatos e pelas urnas. A população, pragmática, dificilmente trocará o certo pelo duvidoso. Isso em 2014. Em 2018, o que era certo poderá não estar lá muito reto…

  3. “Os três principais jornais genéricos de circulação nacional saíram hoje com a mesma manchete, todos eles induzindo o leitor a acreditar que o Brasil se encontra à beira do abismo:

    >> “PIB decepciona, mas BC eleva juros para conter a inflação”, diz o Estado de S.Paulo.

    >> “PIB decepciona, mas BC aumenta juros ainda mais”, ecoa a Folha de S.Paulo.

    >> Numa linguagem mais popular, o Globo anuncia: “Nem Pibinho segura juros, que vão a 8%”.

    (…)

    Toda interpretação de dados econômicos e sociais é feita a partir de um recorte específico, e os jornalistas sabem, de antemão, que cada analista vai estar olhando apenas uma fatia do bolo. A escolha de manchetes equilibradas ou catastrofistas é uma decisão editorial, que não contempla necessariamente a realidade objetiva.”

    Observatório da Imprensa: http://bit.ly/141C8OK

  4. Só faço uma pequena correção a esse se seu excelente texto : não houve qualquer diminuição no crescimento da renda dos brasileiros nos últimos anos. Ao contrário, todos os indicadores sobre emprego e renda são unânimes ao apontar mês a mês, juntamente com a quebra de recordes no baixo índice de desemprego, outros recordes alcançados nos indicadores de renda, sejam aqueles indicadores “macro”; como Participação da Renda Salarial no Total da Economia ou Volume de Renda Salarial; como também indicadores “micro”, como o Salário Médio do Trabalhador; ambos, continuam a crescer. O máximo que podemos apontar é que, em seu início, preocupado com o alarmismo inflacionário que havia na época; tão infundado quanto o atual; e ainda interessado em agradar aos conservadores, não foi somente esse o único movimento que fez para agradá-los, o Governo Dilma conteve o crédito, diminuindo a oferta ampla destinada por Lula para estimular o consumo dos trabalhadores. Por sinal, foram principalmente medidas como essas, aliadas à elevação dos juros(e consequente sobrevalorização do câmbio)ocorridas no início de seu Governo, que contribuíram muito mais decisivamente do que a crise econômica mundial, para o baixo desempenho do PIB no ano passado, lembrando que medidas econômicas têm efeito no longo prazo, não sendo imediatos os resultados obtidos após sua implementação. No mais, seu texto é perfeito : não é de hoje a evidente tentativa da mídia conservadora destinada a criar uma “realidade virtual” para o Brasil, usando a questão econômica que, muito mais do que “denúncias” fantasiosas de corrupção, afetam uma população que, apesar da década de bons resultados obtidos pelo país, ainda tem em suas mentes as marcas de toda uma História de miséria e desastres econômicos, a qual atingiu o seu ápice durante o desgoverno FHC. Por isso os “gênios” da mídia perceberam, depois de passarem os dois mandatos de Lula e uma parte do Governo Dilma insistindo na cantinela da “corrupção”(dos outros, já que a dos aliados deles são sempre escondidas), normalmente “denunciada” através de histórias absurdas; que a histeria econômica seria a melhor forma de atingir a popularidade de um Governo que ainda hoje conta com grande apoio popular por ter continuado o processo de modificação deste país iniciado por Lula, o qual destina-se a criar no Brasil uma Sociedade justa, libertando-nos do modelo social excludente implantado desde o decsobrimento. Perceberam que poderiam explorar temores e complexos históricos dos brasileiros, os quais nasceram com a constituição desta Nação. Entre eles, além do “pavor” diante da miséria e da instabilidade econômica; natural em pessoas criadas num país que sempre teve a sua Economia destinada a satisfazer os privilégios de uma minoria e a exploração estrangeira, com o consequente caos social inseparável desse modelo exploratório; também o “complexo de vira-latas” de um povo que surgiu com sua auto-estima rebaixada exatamente pelas mesmas exploração estrangeira e elite anti-nacional responsáveis pelo caos econômico e pela exclusão social que sempre assombraram nossa Sociedade. Dessa forma, não seria difícil, usando a tática do “bombardeio midiático” incessante, convencer uma Nação com tais traumas de que, se o mundo “desenvolvido”, sempre vendido como o “ideal” de eficiência econômica e bem viver, agora chafurdava numa crise econômica sem fim, porque o Brasil, tão desprezado e ridicularizado diariamente nos veículos da mídia conservadora durante décadas (e na mente de sua população desde sempre), não acabaria por sucumbir a ela também? E para confirmar tal “raciocínio” repetido à exaustão, no melhor estilo de Goelbs, porque não martelar dia sim e outro também uma “crise” ou um “problema” econômico inexistentes, num país que já viveu tais crises em inúmeras oportunidades(e as viu se concretizarem no passado), os quais, ainda que de fato inexistentes, facilmente iriam tornar-se verdade nas mentes de quem já sofreu com elas em outras épocas? Principalmente a classe média, de perfil político mais conservador, portanto louca para encontrar uma “desculpa” para liberar sua taras atávicas contra qualquer partido de esquerda ou melhora na ordem social brasileira, como se não fôsse ela também uma das beneficiadas por tal melhora. É essa a aposta dos barões da comunicação; sustentada pelo absurdo de que falam sozinhos(já que controlam as comunicações e censuram a divergência) e pela apatia do Governo dilma. Por enquanto, ao menos do ponto de vista eleitoral, essa tática não vem obtendo resultado(somente parcela da retardada classe média a vem acatando, mas em sua maioria são pessoas de perfil reacionário, que odeiam tanto o PT e Dilma que seguiriam qualque devaneio dito contra ambos, mesmo se a Globo acusasse a Presidenta de ser uma marciana); contudo, o interesses dos coroneis eletrônicos não é para agora, mas para 2014. Por hora, conseguir a adesão dos “de sempre”, já exponenciada por traições em uma base aliada que nunca foi muito “aliada”(mas que parece aumentar sua deslealdade ao perceber a fraqueza do governo em reagir aos ataques midiáticos)pode ser considerada uma vitória, ainda que de Pirro, mas que poderá deixar de sê-lo se a Presidenta não reagir ao cerco informativo e, para fazê-lo ao menos no curto prazo, é necessário que venha a público pronunciar-se sobre a o real momento econômico que vive o país, que é excelente, sobre as tentativas de sabotá-lo com notícias mentirosas que não condizem com o que apontam todos os indicadores sócio-econômicos, incluindo nesse “esquema” de sabotagem também uma “indústria de boatos” que ameaça nascer no país, já tendo mostrado suas garras no criminoso boato sobre o bolsa-família, mas que deverá ser destruída ainda em seu nascedouro, assim que forem presos os responsáveis por tal infâmia que, para que nunca mais se repita , deverá contar com a colaboração da população, além da ação investigativa-punitiva do Governo, a qual não deve acreditar em quaisquer informações não oficiais sobre mudanças bruscas e inesperadas nas políticas sociais e econômcias, só dando credibilidade ao que ouvirem da Presidenta ou de seus Ministros. Além dessas afirmações, Dilma deve APONTAR DIRETAMENTE OS NOMES DOS RESPONSÁVEIS PELO NOTICIÁRIO ECONÔMICO MENTIROSO E IRRESPONSÁVEL, QUE TENTA CRIAR UM CLIMA DE CRISE INEXISTENTE NO PAÍS, QUAIS SEJAM OS VEÍCULOS DE MÍDIA CONSERVADORA; GLOBO, FOLHA, ESTADÃO, VEJA, BAND; ACUSANDO-OS DIRETAMENTE DE TENTAREM PREJUDICAR O BRASIL PARA BENEFICIAREM A OPOSIÇÃO A QUEM APOIAM. Parece “extremo” para alguns sugerir à Presidenta que compre uma briga direta com a mídia conservadora, submetendo-a ao risco de ser taxada com os sofismas mentirosos de sempre, usados pela direita midiática quando alguém contesta seu poder ditatorial, qual seja chamá-la de “autoritária” ou de “querer censurar a imprensa”? EXAGERO É VER O FUTURO DO PAÍS CORRER RISCO E NÃO FAZER NADA, VER MENTIRAS VIRAREM “VERDADES” NA MENTE DAS PESSOAS, AMEAÇANDO DESTRUIR UM PROCESSO SÓCIO-ECONÔNICO MARAVILHOSO, INICIADO EM 2003, QUE RETIROU O BRASIL DO CAOS E O ESTÁ TRANSFORMANDO NUMA POTÊNCIA, DANDO DIGNIDADE A MILHÕES DE BRASILEIROS RETIRADOS DA MISÉRIA, E FICAR PARALISADA ; VER PILANTRAS DIA SIM E OUTRO TAMBÉM DENEGRIREM UM MODELO ECONÔMICO EXITOSO PARA DESTRUÍ-LO, NÃO POR DEFEITOS QUE POSSA TER, MAS POR SUAS VIRTUDES, PARA REINSTALAR NO PODER UM GRUPO POLÍTICO EXECRADO PELA POPULAÇÃO E UMA ORDEM SOCIAL QUE LEVOU ESTE PAÍS A SER UMA DAS SOCIEDADES MAIS INJUSTAS DO MUNDO EM SEUS 500 ANOS DE EXISTÊNCIA. Para corroborar suas críticas, além dos incontestáveis números econômicos, Dilma poderia iniciar os brasileiros no debate sobre a democratização da mídia(justificando-a a partir da questão do porquê da não divulgação dos números econômicos favoráveis encoontrados ao analisar-se qualquer setor da economia nacional, juntamente com as opiniões dos analistas que os colheram), questão indissociável para o próximo salto histórico que este país precisa dar após o Governo Dilma recuperar as rédeas do dinamismo político que ameaçam escapar-lhe das mãos; qual seja, iniciar as mudanças estruturais destinadas a destruir as bases do modelo conservador que ainda impedem nossa completa libertação do atraso : quais sejam a reforma agrária, a já citada midiática, e a mudança definitiva da inserção subalterna do país na Economia internacional. Iniciar esse processo pelo democratização da mídia, que é o pilar para tornar possíveis as outras, não será somente um passo decisivo para a construção de um futuro de soberania e independência, mas uma necessidade para a sobrevivência num presente ameaçado pelo controle da opinião e da informação e pela omissão de um Governo covarde e paralisado.

  5. “E isso justo no momento em que a direita midiática, após espalhar um boato criminoso sobre extinção do programa, tenta atribuí-lo ao governo de forma literalmente surreal, pois a tese não resiste ao menor exercício de lógica”

    Quer dizer que já está comprovado que foi a “direita midiática” que espalhou o boato? Que esse pessoal já sabia de antemão que a CEF iria começar a liberar o dinheiro do Bolsa-Família sem levar em conta as datas e sem avisar a ninguém (algo de que, diga-se de passagem, nem o Presidente da CEF tinha conhecimento)? E que, acima de tudo, os dirigentes da CEF iriam, num primeiro momento, mentir sobre isso e, depois, contradizerem uns aos outros? Sabiam disso tudo e disseram: “vamos procurar o número de telefone celular de umas 500.000 pessoas e mandar pra uma empresa de telemarketing espalhar o boato”…

    A “direita midiática” é mesmo muito poderosa – capaz de prever eventos futuros, de conseguir informações sigilosas e de enviar centenas de milhares de mensagens de celular num único dia. Consegue de tudo, só não consegue vencer uma eleição nem corrigir os exageros da retórica petista…

    Engraçado é que num post anterior, o Eduardo não afirmou nada sobre a autoria desse boato, apenas sugeriu que haveria “alguém muito grande” por trás disso e que o governo sacrossanto do PT, com medo de prejudicar seus adversários políticos (o PT, que é o único partido do mundo que não quer prejudicar os seus adversários políticos), iria abafar o caso… Mas agora, afirma categoricamente que foi a “direita midiática” (seja lá o que isso rotule).

    Mas já que o Sr. Eduardo gosta de exercícios de lógica, queria que me explicasse esse problema: logo no começo, antes de aparecer as trapalhadas da CEF, o governo falou que quem havia espalhado o boato era criminoso, desumano, uma Ministra chegou a culpar a “central de notícias da oposição, e investigações da PF foram prontamente requisitadas; mas agora, depois de tantos eventos esclarecedores, o presidente da CEF pede desculpas, Dilma fica quieta, o Ministro da Justiça fica quieto, a PF vai ficando quieta… Por que isso, caro Eduardo? Εxplique-me esse mistério! Por que é que o governo tão ético do PT tá jogando isso pra debaixo do tapete? Por causa da governabilidade?

  6. Eduardo: é preciso atenção na área de energia elétrica. Aqui a sabotagem à presidenta vem de dentro do próprio governo, de gente que finge que acredita nas bobagens que dizem as ONGs contra hidroelétricas para assim justificar e promover a nossa dependencia cada vez maior das termoelétricas, tudo com o objetivo de tornar a energia muito mais cara e assim, acabar com a competitividade de nossa industria.

  7. O que o mundo e muitos economistas intelectuais do psdbosta não entendi e que precisou um político semi-analfabeto do Brasil mostrar na pratica que quando a moeda corrente do mercado era a mercadoria manufaturada a horta crescia de acordo com as chuvas de São Pedro. Depois que a moeda corrente do mercado se transformou em papel moeda o que faz a horta crescer e se desenvolver no mercado de um jeito ou de outro é a chuva em papel moeda do Governo.

  8. não sei o que é pior .Se oposicionista catastrofista ..ou se GOVERNISTA conformado e PUXA SACO

    Esquece camarada, o governo DILMA, com ou sem bombardeio, JÁ ACABOU

    Se contarmos as promessas e os projetos esquecidos, abandonados, atrasados, superfaturados, corrompidos e/ou deformados..

    ..se ainda por cima adicionarmos a ANTI-política econômica de afogadilho e de puxadinho, uma que insistiu em chupar até o caroço ações baseadas em bolsas, em incetivos pontuas pra amigos escolhidos e no CONSUMO DAS FAMÍLIAS ..isso, enquanto doutro lado ROUBAVA pelo JUROS, este que afeta o câmbio e investimentos, toda possibilidade de obtermos uma maior produtividade pra enfrentarmos a concorrência da CHINA, desculpe..

    desculpe, reitero, o governo DILMA, este SEXISTA – em contraposição ao de LULA classista e RACISTA – acabou ..e isso sem ter começado ..que pena

    Agora aguenta, aguenta 2014 com Suplicy saindo pra deputado e Afif – ou alguém coligado – saindo pra governador em SP, quem sabe o KASSAB ?

    e quanto a DILMA, aqui é aquilo, ela pode até se reeleger, NÃO por seus predicados, mas sim pelos defeitos de seus adversários ;;e o país, vc pergunta ..bem, ele ainda terá a Olimpíada pra se iludir e enganar

    http://www.youtube.com/watch?v=lyY6xYET1Xs

  9. Tristes dias esses, estamos vendo o governo amordaçado, sem iniciativa para se defender dos ataques sistemáticos, a orquestração vai ganhando novos instrumentos que tocam a mesma nota, a mídia puxou o tema, a “oposição” correu atrás, os próprios partidos da base governista começaram a aderir, e agora o banco central dá sua contribuição as teses alarmistas, dá a impressão que o governo está ilhado além de acuado, mesmo o Lula tem se mostrado pouco, tem falado pouco, o Obama em seu discurso de posse já tinha cantado a pedra, de que os EUA iriam atuar de uma forma mais incisiva na política externa, coincidentemente estamos vendo no noticiário os “analistas”, “especialistas”, indo a favor dos interesses do Império, países da América do Sul se alinhando a política externa deles como Chile, Colômbia, lá em cima o México e a mídia vibrando com a iniciativa, jogando contra literalmente, esse comportamento calado do nosso governo preocupa demais, ou eles tem um trunfo muito forte, e vão lançar no tempo certo, ou quem tem esse trunfo são eles da mídia, “oposição”, a coisa tá feia.

    • verdade é que este governo, tal qual seus apoiadores, estão cada vez mais parecidos com adolescentes ..culpando sempre os outros por seus erros

      DILMA e GUIDO tem muita culpa neste enrosco todo ..fora a turma do mensalão que NÃO deixou a agenda do país seguir ..pior que aqui ninguém ganhou ..aliás, se eles já tivessem sido condenados no tempo correto, praticamente todos já estariam livres pra prosseguir

      Francamente, como podemos ainda viver num país em que crimes sabidamente esclarecidos esperem 10,15 anos pra serem julgados ? (tipo Pimenta, Lalau, Georgina, Maluf entre milhares de outros) ..ou como esperarmos por mudanças se qualquer projeto de maior envergadura demore 5-10 anos pra sair do papel ..e isso sem contarmos as liminares e data venias protelatórios ..e aqui eu questiono, o que fizeram os governos POgreCistas e seus partidos pra nos livrarem disso ? hein ?

      Particularmente, embora não concorde 100%, gostei muito edos comentário do A.Perfeito, acho que vale a pena conferir, ainda mais aonde ele diz:

      “…Nós estamos ajudando o mundo muito mais do que o mundo está nos ajudando…apesar dos riscos inflacionários, não se pode fazer uma política monetária muito severa ..o governo não conseguiu fornecer um norte para o país e isso gerou uma descoordenação de expectativas ..O problema maior não é o que o governo está fazendo, mas como está fazendo. A retórica nacional desenvolvimentista cria inimizades dentro do setor que ele quer ajudar, que é o setor industrial. O governo não consegue fazer o diálogo de maneira tranquila ..No mundo inteiro, os países estão fazendo política monetária expansionista e política fiscal contracionista. O Brasil está fazendo o contrário. Um dos perigos disso é um curto-circuito financeiro mesmo em um ambiente de alta liquidez…”

      nota – enquanto isso TOME juros, tome cambio contrário, tome freio ou desestímulos aos investimentos

      http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/05/1287252-para-crescer-pais-precisa-de-serenidade-nao-de-pacote-mirabolantes-diz-economista.shtml

  10. O prefeito Haddad acerta na mosca, mais uma vez:

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,som-alto-em-carro-ja-da-multa-de-r-1-mil-,1037352,0.htm

    Quem sabe, aplicar uma multa pesada seja a maneira mais eficiente de inibir essa competição entre psicopatas, de ver quem tem o equipamento de som mais estrondoso instalado em seu carro… Infelizmente, são milhares de pessoas, em sua grande maioria jovens, que participam dessa “disputa” insana; essa gente despreza e pisoteia as normas mais elementares de convívio social, em nome de “estar bem na fita”, com o lixo que escutam reverberando na maior distância possível. Freud explica: quem não consegue destacar-se de nenhum outro jeito, tenta perturbar e/ou acordar a vizinhança inteira, só para ser percebido… Esses infames são tão ignorantes, que não percebem que escutando som nesse volume absurdo, ficarão surdos bem precocemente; o que, aliás, não fará a menor diferença, já que são imbecis que não têm nada a dizer e, portanto, não precisam escutar nada que venha de outrem… Agora, falta disciplinar os clubes e associações de pior categoria, que também perturbam seus vizinhos com bailecos ruidosos várias noites por semana… Um bom exemplo desse tipo de associação é o “Clube Chácara 3 Irmãos”, que promove arrasta-pés extremamente barulhentos que, apesar da relativa distância, chegam a me perturbar em casa. Pena que essa “sociedade recreativa(?)” esteja em Diadema e longe, portanto, das intenções disciplinadoras do prefeito Haddad…

  11. Alguns comentaristas dizem que está tudo bem, que o povo não acredita na Globo, que é “estratégia” de Dilma deixar o PIG (Partido da imprensa Golpista) falando sozinho, etc.

    Só que o dever do Governo é informar o povo. Se a mídia bloqueia a informação, o Governo tem que agir para desbloquear. O povo não pode ser massa de manobra de ninguém.

    • Como me DÓI esta omissão descabida de nosso governo na relação das Comunicações.
      Como DÓI saber que nosso governo IGNORA a Comunicação e a deixa nas patas do sanguinario PIG, os anti-povo, anti-Brasil…

  12. sr. eduardo,
    não sei se já denunciaram aqui.
    alguma coisa estranha acontece com o blog.
    tenho o endereço salvado no chrome.
    desde o post sobre o novo ministro do stf não estava abrindo nada novo.
    simplesmente pensei que o blog não estava sendo atualizado por qualquer motivo.
    agora desconfiei, sabedor que o sr., ao menos uma vez por dia posta novas colunas.
    então, blog aberto na página sobre o novo ministro do stf, cliquei na barra que abre a página inicial.
    ai constatei que o blog fora por diversas vezes atualizado.
    como “cachorro mordido por cobra tem medo de linguiça” pergunto:
    será algum “truque” dos opositores às suas idéias?

  13. Acredito que por enquanto ainda nao existe ameaca real a reeleicao da Dilma.
    A oposicao (oposicao?) vai pagar o preco de tantos anos de falta de combatividade mais uma vez.
    Aecio Neves eh um idolo com pes de barro e isso vai ser muito bem explorado pelo Joao Santana durante o periodo da propaganda eleitoral.
    Alem do mais, a oposicao (seja ela de qual sigla for) nao tem um projeto alternativo para a situacao que se vive hoje no Brasil. Vao ficar naquela lenga-lenga de que pode fazer mais e/ou melhor, mas sem explicar o que faria ou o que irah fazer.
    A menos que a economia continue piorando e, principalmente a inflacao, alcance patamar que passe a impressao de que esteja fora de controle, ai sim havera motivos para preocupacao. Mas acho muito dificil esse cenario se materializar.

  14. Está escrito nas estrelas!
    DILMA levará as eleições de 2014 no primeiro turno!
    Isto por uma razão muito simples, contra a qual nada a inviabilizará: “O povo já viu que Presidenta DILMA tem competencia, seriedade e compromisso com o povo brasileiro, sobretudo com os mais necessitados, comprovados por meio de projetos que visam a construção de um Brasil livre, justo e igualitário!” Porisso, nossa elite sempre burra pode urdir o que quiser, através dos partidos tacanhos de direita! O que vai valer será o povo nas urnas! Isto já está garantido! Ninguem tasca! E’DILMA 2014 no primeiro turno!

  15. Achei muito pertinente sua análise.

  16. Se o governo não reagir 2014,já era

  17. No meu tempo, valia a lógica do ditado: “quem cala, consente”….. Se o governo Dilma é inoperante ou
    desinteressado em responder às críticas feitas pela mídia na condução econômica do país, é porque ou
    tem culpa no cartório, mantendo uma equipe econômica que não vem mostrando resultados, ou é conivente
    e faz joguinho de cena com essa mesma mídia que a critica.

  18. Eduardo Guimarães, vou roubar esse gráfico pq ele elucida bem o momento econômico do mundo. Na medida em que países que eram sub cresceram os desenvolvidos caíram. Isso está claro nesse gráfico.
    abç

Trackbacks

  1. Acertos inquestionáveis | SCOMBROS
  2. A oposição e o terrorismo econômico - Blog do Ataíde
  3. Rômulo Gondim – O lado positivo da diminuição da popularidade de Dilma
  4. Creme de la Kremlin | SCOMBROS
  5. Bombardeio de saturação contra Dilma | Altamiro Borges

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.