Um discurso para o PT em 2014

 

Finalmente chegamos à encruzilhada que se podia vislumbrar lá atrás, quando o Partido dos Trabalhadores chegava ao poder e, a partir de concessões que passara a fazer aos “mercados” e à direita, despertava nos setores partidários mais ideológicos o temor de que a legenda terminaria por trair os ideais que lhe ensejaram a criação.

Apesar da construção de um certo senso comum nesse sentido, discordo de que tal tenha ocorrido. As concessões foram necessárias. O Brasil que Lula passou a governar a partir de 2003 era prisioneiro de uma fragilidade externa que tornaria um rotundo fracasso um governo hostil aos tais “mercados”.

Naquele 2003, o PT não poderia declarar moratória da dívida externa, atacar os lucros de um setor bancário em frangalhos, impor aumentos salariais que um empresariado descrente, assustado e descapitalizado não poderia suportar.

A Globalização tornara-se uma realidade. O capitalismo “derrotara” o socialismo e, agora, era preciso sobreviver na nova realidade que se impunha ao mundo ou deflagrar um processo de derrubada do novo governo trabalhista, provavelmente com o concurso dos militares, que olhavam com lupa a nova experiência político-administrativa que se inaugurava.

O capitalismo social de Lula foi um estrondoso sucesso. Usando as ferramentas de um modelo que dominara o mundo, respeitando as regras do jogo, logrou romper amarras que nada tinham que ver com o capitalismo, como uma espécie de obrigatoriedade de manter relações comerciais preferenciais com os Estados Unidos.

Ora, nunca existiu, no manual capitalista, a obrigatoriedade de uma economia priorizar relações comerciais com a potência hegemônica. Lula, pois, fez um governo capitalista, mas independente da Europa e dos Estados Unidos.

Por tal ousadia, Lula pagou – e ainda paga – um preço alto. No entanto, hoje, enquanto o mundo rico se debate em agonia, com os povos desses países perdendo qualidade de vida, mergulhando no desemprego e na convulsão social, países latino-americanos como o Brasil, que abandonaram o barco primeiro-mundista, distanciam-se do caos.

“Mascate” do capitalismo verde-amarelo, o ex-presidente operou esse milagre peregrinando pelo mundo nas asas de uma premissa envolta em inquestionável sentido: os dólares asiáticos, africanos, do Oriente Médio ou de qualquer parte eram e continuam sendo tão verdes quanto os dos americanos e europeus.

Nesse interim, a governança do país enveredava pelo capitalismo ao fortalecer o sistema bancário, garantindo o direito de propriedade, sendo ponderada em demandas salariais respeitadoras das possibilidades das empresas – que mal se recuperavam da hecatombe tucana que vigeu entre 1997 e 2002.

Ao mesmo tempo, Lula erigiria um sistema de proteção social verdadeiro, em lugar do arremedo de políticas sociais da era tucana que se baseava em ideias corretas, mas nas quais o governo não investia de verdade.

Com programas sociais verdadeiros e política econômica capitalista, mas não entreguista, o país floresceu. Tornou-se uma economia dinâmica, respeitada, com uma confiança internacional que se traduz pelo grau de investimento que lhe foi concedido pelas agências de classificação de risco, que cresceu o dobro do que crescera na era tucana e com metade da inflação média daquele período, sem falar nos avanços sociais mensuráveis e representativos, em proporção adequada ao tamanho da iniquidade social vigente.

Hoje, o Brasil é uma economia sólida, diversificada, que caminha para o meio trilhão de dólares de reservas cambiais, com inflação sob controle – apesar dos picos –, com uma revolução social em curso e com pobreza e desigualdade caindo a olhos vistos ano após ano.

O Brasil de 2013, pois, tanto no aspecto econômico quanto no social pouco lembra o de dez anos antes. Não padece mais das mesmas fragilidades econômicas e, ao invés de concentrar renda, distribui. Para avançar mais a partir de agora, no entanto, terá que contrariar cada vez mais os caprichos do mercado e das elites.

Contudo, sempre há que deixar claro que não se prega, aqui, uma revolução socialista com violação ao direito de propriedade ou a quaisquer outros valores “sagrados” do capitalismo; o que se prega é que os mecanismos de concentração de renda sejam paralisados e desmontados.

A primeira década de governança progressista fez o que tinha que fazer e na velocidade que tinha que fazer, mas, a partir de agora, o ritmo se torna lento demais. Mudanças estruturais que foram postergadas em nome da fragilidade econômica e das desconfianças iniciais dos Donos do Poder, agora têm que entrar na agenda pública.

O formato do sistema político, as relações entre os poderes, a democratização da comunicação de massas – bem como seu enquadramento ao interesse público –, a regulação da distribuição agrária no país e tantas outras questões precisam ser alvo de reestruturação. Tudo isso não pode continuar igual a quando o Brasil era um país em eterna crise e sem perspectivas.

Essa obra – até aqui vitoriosa – de soerguimento nacional partiu de poucas cabeças. Lula e José Dirceu foram os grandes arquitetos da recuperação econômica e social do país.

O primeiro, no entanto, não pôde dar prosseguimento à própria obra pelo fim de seu mandato. O segundo, talvez mais vital do que o primeiro para o projeto de país que fora pensado, foi literalmente destruído pela direita não pelos seus defeitos, mas por seus méritos.

Dilma Rousseff chega ao poder e se descobre que não poderia ser mais distante da realidade a ideia de que seria “um poste”. Cheia de ideias próprias, imprime ao seu governo um ritmo algo diferente do de Lula nos seus anos finais – do ponto de vista político, ela age, após dez anos de PT no poder, como se tivesse chegado hoje.

Politicamente inexperiente, apesar do massacre do mensalão entre 2005 e 2010, acha que pode se entender com os Donos do Poder aproximando-se de seus impérios de comunicação, de forma a que aceitem o processo de distribuição de renda que incrementaria.

Vale a pena discorrer um pouco sobre esse processo

O de Dilma está sendo mais rápido do que o de Lula, até pelas condições que o ex-presidente deixou para que tal ocorresse. A redução nos lucros dos bancos e no preço da energia elétrica é redistribuição de renda na veia. Grupos econômicos os mais privilegiados perderam fortunas, as quais foram divididas entre dezenas e dezenas de milhões de brasileiros.

Que não se enganem os que torcem contra: esse processo se refletirá em estatísticas quando estas apurarem a distribuição de renda ocorrida nos últimos anos.

Todavia, políticas públicas que estão gerando tal distribuição podem ser revertidas por governos sucedâneos. Ou seja: o processo redistributivo não está se fazendo acompanhar de mudanças estruturais que tornarão mais difícil, quando a direita retomar o poder – e seria absurdo ignorar que isso ocorrerá um dia –, desfazer o que foi feito, reconcentrando a renda de forma lenta, gradual e contínua sob silêncio cúmplice da imprensa afinada consigo ideologicamente.

Vale uma reflexão: como se poderia denunciar, em um futuro em que a direita esteja no poder, que medidas para promover concentração de renda estejam sendo adotadas? Se concessões públicas de rádio e televisão voltarem a defender o governo como faziam no tempo de FHC, estará implantada uma ditadura no Brasil.

Seja como for, todos os fatores supra elencados constroem o cenário com que o país vai chegando ao processo eleitoral de 2014.

Políticas sociais de caráter emergencial são bem vindas, mas o que mudará de fato a face deste país? A condução da economia já provou ser eficiente no que interessa à sociedade, promover bem-estar com criação de empregos e aumento da renda. O que haverá que discutir no ano que vem, portanto, será redistribuição dessa renda.

A sociedade precisa entender que tudo que permanece ruim após a década de ouro que o Brasil vem experimentando a partir de 2003 se deve à insuperável concentração de renda brasileira, e que, sem atacar com mais ímpeto essa chaga, não será possível avançar de forma irreversível.

Terá Dilma clarividência e competência para explicar à sociedade que há hoje no Brasil uma guerra entre uma minoria que não quer perder privilégios e uma imensa maioria que quer apenas ter um mínimo de equilíbrio de oportunidades, de forma que se crie uma taxa minimamente aceitável de mobilidade social?

Tags: , , , , ,

134 Comentário

  1. Realmente, os dois governos do PT estão promovendo uma imensa transferência de renda da minoria endinheirada para a grande maioria da população.

    Essa transferência é feita, principalmente, através da criação de empregos, fortemente estimulada pelos programas de crescimento (PAC) mas também da redução dos juros bancários – capitaneada pela Caixa e pelo BB – e dos programas sociais como Bolsa-Família, ProUni, crédito direto para a agricultura familiar e centenas de outros que nem ficamos sabendo, pois o PIG esconde.

    Um exemplo de como o PIG esconde as notícias: o programa de construção de cisternas, que está chegando a um milhão de cisternas. Nós, sudestinos, nem sabemos direito o que é uma cisterna, não é mesmo? São reservatórios subterrâneos de água que colhem água da chuva ou são abastecidos por carros-pipa. Cada cisterna beneficia dezenas de famílias. Um milhão corresponde a muitos milhões de pessoas que poderão produzir alimentos em períodos de seca no Nordeste. Isso JÁ ESTÁ ACONTECENDO. É um dos motivos pelos quais não há mais os “saques” que eram comuns no Nordeste antes do Governo Lula.

    Mas acho que o PT está falhando no mesmo ponto em que Getúlio Vargas e João Goulart falharam: não há incentivo para a organização dos trabalhadores. O povo é convocado apenas a votar de dois em dois anos. É por isso que todas as conquistas sociais serão revertidas rapidamente caso haja um golpe de estado – bem possível no atual momento – ou que a direita chegue ao poder pelas urnas, o que também é plausível já que não há conscientização política da população. Essa conscientização deveria ser a tarefa principal da esquerda.

    Quem “faz a cabeça” da população é a velha mídia – o PIG – que tem conseguido frear, em parte, os avanços sociais. Por exemplo: a maioria dos governadores é de partidos de oposição ao governo federal. Os que não são de oposição, são da tal “base aliada”, que cada vez é menos “aliada”.

    É verdade que o PIG não pôde impedir as duas vitórias de Lula e a eleição de Dilma. Mas, convenhamos, teriam que hipnotizar os 200 milhões de brasileiros para conseguir essa façanha. No entanto, nas três últimas eleições HOUVE SEGUNDO TURNO. O que mostra que muitos milhões de brasileiros seguem o Partido da Imprensa Golpista.

    Veja-se o caso da Venezuela: a vitória de Maduro foi apertada. E olhe que lá a organização e mobilização dos trabalhadores é muito maior do que aqui. Mas também lá o PIG consegue “fazer a cabeça” de milhões.

    Então, já que o PT não enfrenta o PIG, vamos dividir as tarefas: enquanto Dilma governa, nós aqui embaixo lutamos pela democratização da mídia. Sempre lembrando que democratização da mídia NÃO TEM NADA A VER COM CONTEÚDO. Trata-se de lutar para que TODAS as vozes sejam ouvidas, e não apenas a voz de meia dúzia de famiglias que cumprem as ordens de Cachoeira, Daniel Dantas e outros ainda piores.

    _____________________
    PS.: Dilma tinha prometido sancionar a autorização para o funcionamento da TV digital da CUT. Até agora, não assinou…

    • Acho que o maior problema é o governo não bater de frente com o PIG e deixá-lo absolutamente livre para propagar suas mentiras e desinformar a população. Milhões de brasileiros ainda acreditam nas reportagens(?) do JN e da Veja, e uma mentira repetida mil vezes acaba por assumir a aparência de verdade, ainda mais que o governo não se preocupa em desmentir.

    • É isso. E na Venezuela obtivemos informações da Telesur. Sim é verdade que Chaves dedicou empenho na conscientiz\ação politica do povo como mostrou o documentario Guerra contra a democracia. Sim houve uma diminuição na votação da esquerda que precisaria ser aprofundada uma explicação como PHA diz que possa haver uma berluzc,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,(não sei como escrever) ou como aconteceu no Chile com Pinera ou como no Paraguai a infima votação da esquerda.
      Mas a cada lance nós iremos fazer o contraponto. É evidente que Dilma se sentiria menos constrangida para agir tambem no campo das comunicações. E já pode tentar acertar melhor na escolha de ministros. Obrigado pela analise-sintese!

  2. A Dilma não é grande comunicadora mas é extremamente trabalhadora, tem visão e estratégia de economia e está conduzindo bem o país. Dos eventuais candidatos que se apresentam ela é disparadamente a melhor e mais bem cotada. Mas se isso não for o suficiente, teremos o Lula ao nosso lado e ele esta se resguardando para mostrar ao povo quem são os lobos dessa nação disfarçados em pele de cordeiro no momento oportuno.

  3. Deixe de se iludir e de iludir os incautos, cara! Chega de patranhas! O tal” capitalismo social’ do Lula da Solva não foi outra coisa senão a sua rendição incondicional ao Plano Real e às políticas sociais do governo anterior, e que sempre foram duramente criticadas pelo petista. Foi isso e nada além disso, que deu sobrevida a um governo que, se fosse executar a sua própria agenda, defendida, insanamente, por mais de vinte anos, levaria o país ao desastre total.

    Mesmo assim, passado o período de euforia da economia mundial, tudo o que vemos é um país em queda livre, com desindustrialização, inflação de volta, crescimento pífio, estagflação, dependência de exportação de commodities para mercados emergentes, sucateamento da sua infraestrutura, gastos e endividamento públicos explosivos, corrupção desenfreada, desinstitucionalização, e por aí afora…

    Diante desse quadro verdadeiramente estarrecedor, a única coisa do Lula da Silva que se aproxima da idéia de “capitalismo social’ me parece ser o fato de ele ter se convertido numa espécie de camelô de empreiteiras.

    • Gasto tempo com voce devido voce a mesma ladainha. Se cito um de esquerda voce o desqualificaria. Vamos lá:
      “A avalanche de indicadores positivos durante o governo Lula soterrou o pessimismo” de Wanderley Guilherme dos Santos.
      Ricardo Amorim economista
      “O Brasil está condenado a dar certo” Em entrevista à TV Câmara comparando Brasil com a China”
      “O parto de uma nova idade” do Mauro Santayana na “Revista do Brasil” de março 2011

      Ah não vale? Então esse de um dos fundadores do PSDB
      Claudio Lembo
      http://terramagazine.terra.com.br/blogdoclaudiolembo/blog/2012/05/07/dois-cenarios/
      “Mas, se no campo do legislativo, particularmente do Senado Federal, os acontecimentos perturbam as consciências da nacionalidade, o Poder Executivo oferece demonstração de coragem e firmeza.
      Jamais o sistema bancário brasileiro mereceu reprimendas das autoridades. Só benesses. Salvaram instituições. Liquidaram muitas outras. Incentivaram incorporações e fusões”
      Poderia linkar o que tem dito um Delfin Neto e porque não um Collor sobre o PGR.
      Adversário não se torne meu inimigo Faça como eu. Diga-nos o que sustenta a sua ideologia

    • Quanto ódio!
      Ui! Que arrepio….
      estagflação, crescimento pífio, mascate de empreiteiras…
      Onde eu não li isso?

  4. Embora o tema tenha acertado na mosca, distribuir renda, o que significa em última análise avançar na democracia, há um problema. Com o interdito da mídia, tema simplesmente proibido, banido e manipulado, este tema em sí é abstrato ao povão. A própria esquerda, em particular o PT, passou 10 anos falando em “gerar emprego e renda”, nunca “distribuir”. Eis o problema: não empolga, em absoluto, as massas. No máximo, constar em um programa partidário que ninguém lê.
    Há que ter propostas muito concretas! Isto é que vai dar o tom da campanha.

  5. Eduardo, concordo integralmente com sua avaliação dos últimos 10 anos. O fato é que, mesmo tando havido boas conquistas, uma outra coisa veio (inevitavelmente) junto: o DESGASTE de uma década de comando petista. Acho que em todo processo político isso acontece, e entendo ser esta, por exemplo, uma das razões para a vitória apertada do Nicolas Maduro na Venezuela. Querando ou não, mesmo governos bem avaliados sofrem desgaste, e o eleitorado sempre pede novidades (sobretudo os mais novos, muitos dos quais nem tinham idade para votar em Lula em 2002).

    Defendo que, a partir de agora, a Dilma e sua equipe preparem um programa de governo bastante ousado (porém factível) para o período 2015/2018. Acho que não dá para ela pedir votos para mais um mandato apenas mostrando o passado; é necessário que Dilma apresente um projeto mais contundente e objetivo abordando claramente quais as mudanças que não puderam ser feitas até aqui, pelas dificuldades encontradas, e que serão feitas até 2018.

    Abs, Fábio Faiad.

  6. ‘CAPITALISMO SOCIAL” LULESCO

    Basta de empulhação! O “capitalismo social” do Lula da Silva, se existe, nada mais é do que a sua rendição incondicional ao Plano Real e às políticas sociais do governo anterior, e que foram ferrenhamente combatidas pelo petista enquanto militava na oposição raivosa e antipatriótica que sempre o caracterizou!

    Mesmo assim, tudo o que vemos hoje, passado o período de vacas gordas da economia mundial, é o legado maldito de um país em queda livre, com desindustrialização crescente, inflação em alta. crescimento pífio, estagflação, sucateamento da sua infraestrutura, gastos e endividamento públicos explosivos, dependência estrita do mercado internacional de commodities, fuga de capitais, corrupção em níveis jamais vistos antes, degradação institucional, atentados às liberdades democráticas, e por aí afora…

    Esse é o melhor retrato da República Lulo-bolivariana do Grotão. E Lula da Silva, o grande responsável por esse desastre, só teria, talvez, como única aproximação de algo remotamente parecido com “‘capitalismo social”, a sua conversão a uma espécie de atividade que o coloca no nível de um camelô de empreiteiras

    • Tudo o que vemos hoje é isso que vc descreve, Daniel? Esse bagulho que vc fumou é forte, hein?… Agora, falando, sério: É isso que dá a pessoa só se informar(?) pelo PIG.

    • Puxa voce dá contl c e contl v aos seus proprios comentários. Ah não? tem um a pequena diferença?. Então a minha resposta a esse tambem tem uma pequena grande diferença:
      “O socialismo é uma finalidade sem fim. Você tem que agir todos os dias como se fosse possível chegar ao paraíso, mas você não chegará. Mas se não fizer essa luta, você cai no inferno. Antonio Cândido

    • De novo:

      Quanto ódio!
      Ui! Que arrepio….
      estagflação, crescimento pífio, mascate de empreiteiras…
      Onde eu não li isso?

    • Caro Daniel
      Quero crer que voce se esqueceu de colocar de onde voce copiou e colou essa opinião: mas deve ser dos editoriais da folha, estadão, veja, globo etc etc etc
      Saudações

    • PIG masterblaster, ultrainformado.

  7. Eduardo, acho que vale a pena divulgar esta iniciativa pela moralização do Poder Judiciário:

    http://www.avaaz.org/po/petition/Impeachment_do_ministro_Gilmar_Mendes_do_STF/?amLLidb

  8. Edu, volto a repetir sobre a frouxidão do PT em relação ao PIG: gostaria que voce entrevistasse e levasse as informações dos eleitores do PT sobre o que os eleitores pensam da atitude dos parlamentares desse partido.
    Informe que os tais eleitores não aguentam mais tanta frouxidão: se a gente não encontra respostas dos parlamentares, a luta tende a esfriar. Precisamos de mais alento por parte dos deputados e senadores do PT!
    Estamos cansados de ver os ataques diários da mídia sobre o governo e o PT e o silêncio covarde desse partido. CHEGA DE FROUXIDÃO, PT!!!!!!!!!!!!!!

  9. Caro Edu, quando você usa o termo “clarividência” leiio visão clara, capacidade de enxergar a realidade, contençao do romantismo sem recorrer ao realismo, sensatez. Dito isso, clarividência a presidenta já demonstrou que tem, mas mesmo ela, com todo o poder que as histórias, a sua e a do Brasil, lhe dão, só pode abrir caminhos em algumas circunstâncias e parece que disso ela também desconfia pelo jeito que conduz o governo.

    A herança que ela recebeu do Lula foi realmente maldita, mas menos, muito menos, do que ele recebeu do chefe anterior do Executivo, que fez o que pode, tenho certeza, para melhorar a situação do ‘povo’ que ele conhece e admira.

    A estrutura de nosso Estado praticamente inexiste. É um amontoado de soluções de curto prazo, imediatistas e, até por isso mesmo, ineficientes, com raríssimas exceções. Dez anos não são nada, como não serão dezesseis se ao fim um grande número de multiplicadores não tiver sido formado.

    A revolução que quero é absolutamente pacífica, porque quando há diferenças tão grandes entre os adversários o mais fraco perde muito mais. Talvez algumas medidas extremas tenham que ser tomadas, mas não é pelo governo e nem por qualquer outra instituição, mas daqueles que têm algo a dizer que possa fazer diferença, trazer esclarecimentos.

    Acho que a presidenta sabe que aceitar provocações da elite através de seus mensageiros ou representantes pode muito bem por por terra um trabalho de elucidação, inclusão e manutenção de um estado de direito do tamanho da nação, sem excluir ninguém.

    Um abraço.

  10. CAPITALISMO SOCIAL À MODA STALINISTA

    Como contraponto a essa sandice, que é o suposto “capitalismo social” do Lula da Silva e assemelhados, impõe-se o que eles realmente aparentam querer: “uma combinação de capitalismo com práticas regulatórias autoritárias, dignas do fracassado modelo soviético. O paradigma deles é de uma Cuba que fosse capaz de produzir e gerar grandes lucros para os detentores do poder. Seu maior objetivo é aparelhar o poder em um Estado cada vez mais forte e centralizado, a fim de criar condições para que seus líderes políticos e comparsas de negociatas tenham chance de virar sócios de grandes empresas e empreendimentos, sem que tal fato seja percebido por órgãos fiscalizadores do mercado de capitais”. Não é por outra razão, aliás, que petistas do mais alto coturno têm sido flagrados em escabroso contubérnio com grandes empresários.Tornaram-se “consultores de empresas’ – e para o bem do Brasil, claro! – quando não passam, na verdade, de camelôs de negócios escusos. E isso é feito com os votos da maioria de ignorantes e iludidos do Brasil, que lhes asseguram crescente poder político, o que viabiliza maior poder econômico, e vice versa. E com o apoio incondicional de u’a massa de contritos devotos que os defende cegamente contra todas as evidências dos seus “erros”.Enquanto isso, os dito-cujos não perdem a oportunidade de investir insidiosamente contra as liberdades democráticas, como vem acontecendo desde o primeiro desgoverno Lula. Esse é o verdadeiro “capitalismo social do século 21″. O resto é conversa fiada;

  11. Abri uma conta recente no facebook e estou apavorada com o que estou vendo. Tirando as mensagens de auto-ajuda, percebe-se um ódio ao PT, em especial, ao Lula. Minha esperança é que, a maioria dos brasileiros não tem acesso a essa barbárie.
    Edu, o blog do Nassif está fora do ar, ou é problema no meu PC?

  12. Alguém sabe explicar o que houve com o blog do Nassif, desde de manhã estou tentando entrar e não consigo? Será que está sofrendo algum tipo de ataque?

  13. na Islândia a direita retornou ao poder. dizem que foi um castigo porque o governo de esquerda foi à direita. aqui temos membros do governo, que se forem deixados a fazer o que querem fazem o governo parecer com o tucanato paulista.apoio a monopólios e oligopólios e, nós, cidadãos somos violentados em nossos direitos como cidadão e consumidor. somos refens de uma tv paga que nos explora, de tarifas telefônicas altas, a menos que vc se torne escravo de uma operadora, alta de preços de produtos controlados por multinacionais, nos levando a uma inflação, a infraestrutura de transportes sendo dados a oligopólios e numa privatização que vai nos prejudicar no futuro, assim como foi com a eletricidade, pelo qual sofremos até hoje. sinto, mas há membros no governo mais tucanos que os próprios e isso uma hora vai passar para a dilma, ou ela não é a chefe deles? gente como paulo bernardo, padilha, mantega, gleisi hoffmann, graça foster, mais preocupados em agradar a monopólios e oligopólios que favorecer o povo e o Brasil. depois a gente tem que votar neles? pra que? pra tudo continuar uma tucanada só? a gente refem do capital? este não deveria ser um governo pra nos libertar? a maioria dos indicadores estão bons, mas e o principal, que é o destino em nossas próprias mãos?

  14. Eduardo, so posso opinar sobre esse assunto após assistir o discurso de Dilma hoje à noite.
    Espero que pelo menos defenda a reputação de seu governo.

  15. é a CANALHADA falando no primeiro de maio:

    A Força Sindical esta defendendo que se institua uma correção TRIMESTRAL para os salários

    ..safados !!! se fossem sérios, os discípulos de Paulinho estariam defendendo o contrário, que tanto tarifas, contratos e salários, de forma alternada entre categorias e setores diversos, que seus valores fossem majorados só de dois em dois anos ..isso pra termos tempo de acabarmos com a praga da INDEXAÇÃO

    e Aócio Never, neto do DENOREX da nossa política, critica o governo ao dizer que ele esta sendo “tolerante” com a inflação ..BANDIDO pra falar um mínimo !!!

    então é isso ..Triste de tudo é que ao invés de podermos criticar de forma serena e propositiva, triste é que os simpatizantes deste governo tem que abdicar de seus direitos por demandarem de melhorias diversas e/ou cobrança pelas promessas, pra termos que ficar “defendendo” o país destas covardias

    http://www.youtube.com/watch?v=Fgjv9DbJKf8

  16. Lula na presidência dividiu o PT em três partidos:
    O primeiro é o PT-No-Poder, que enveredou em políticas de direita, associado a partidos de direita, para formar a base aliada de direita, oferecendo cargos em troca de apoio no Congresso, com Dirceu no comando político do Mensalão, e Palocci no comando econômico seguindo a mesma linha de direita de FHC e Malan;
    O segundo é o PT-Defensor-Do-Mensalão, que agrupa os que não foram aquinhoados com os milhares de cargos criados por Lula para aparelhar o governo, mas que mantém a fé nos cânones socialistas (que o PT-No-Poder renegou) e continuam a acreditar que Lula é de esquerda (nunca foi), e defendendo o indefensável, a corrupção que grassa no PT-No-Poder;
    O terceiro é o PT-Desgostoso-Do-PT, que não se conforma e não coaduna com a política adotada pelo PT-No-Poder, formado pelos que simplesmente se afastaram do PT-No-Poder e vagam desorientados como zumbis, ou que foram expulsos do PT e agora se encontram em siglas como o PSOL, PSTU e outros.
    O PT-No-Poder não está nem aí para o que pensa ou deixa de pensar o PT-Defensor-Do-Mensalão, e o PT-Defensor-Do-Mensalão engana a si próprio na vã esperança de ver a dupla Lula-Dilma implantar no Brasil o que o primeiro nunca acreditou e que a segunda renegou definitivamente: o Socialismo.

    • Para mim, um sujeito que aparece para criticar o PT, recorrendo, entre outros argumentos fajutos, ao inexistente mensalão, mostra claramente, ainda que não seja essa a sua intenção, que é um demotucanalha ou então um mero papagaio do PIG, sem capacidade de análise e reflexão.

      • Mensalão, argumento fajusto, que não existe?
        Tanto existe que o próprio Zédirceu não requer anulação do processo no STF, como Marcos Valério. édirceu pede REDUÇÃO de pena.
        Então, dizer que mensalão não existe é querer tapar o Sol com peneira, argumento de desesperados.
        Mas a pergunta é: onde está o Socialismo do PT, onde está o Socialismo de Lula-Dilma? Distribução de renda é socialismo? Distribuição de renda, imposto de renda negativo é invenção liberal, de Milton Friedman, e serve muito mais para expandir a base do mercado do que para melhorar a vida do pobre.
        É isto o que Lula-Dilma estão fazendo, imitando FHC e Malan, expandindo a base do mercado com bolsa família, crédito consignado, subsidio a produtos de massa pela redução de impostos, e outras medidas liberais. O resultado é encher as burras da burguesia de dinheiro. E tudo isso é ruim? Claro que não, certamente que é bom. Mas não é Socialismo.
        Socialismo é outra coisa, mas isto o PT-No-Governo e o PT-Defensor-Do-Mensalão nem sabem o que é.
        Em vez de xingar os outros de demotucanalha, de papagaio e incapaz, Luiz Eduardo deveria analisar com mais cuidado o modo de agir do PT, que de longa data, desde que assumiu as primeiras prefeituras no ABC, implantou a falcatrua do lixo superfaturado pra abarrotar o caixa dois do partido de Lula, e fomentar o crime organizado que assassinou Celso Daniel.
        Segundo depoimentos em Comissão Parlamentar de Inquérito, o próprio Lula exigia que prefeitos do PT imitassem Celso Daniel e arregadassem mais para alimentar sua campanha eleitoral.
        Como se vê, o que Zédirceu fez no comando do Mensalão, foi seguir ordens do Chefe, do Padrinho, do capo di tutti capi, que agora vive pra lá e pra cá como caxeiro-viajante de empresários.
        Então, no final,ao que parece, é tudo mafioso. Mas não é Socialismo.

        • Pára com isso, Sebastião! Você já cansou de ler(ou não???) as matérias do Edu que explicam COM CLAREZA sobre o mentirão!!! QUAL É A SUA???

  17. Locatelli, interessante reflexão sobre o significado de poder no Nassif
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-grau-zero-da-politica

  18. Paulo Roberto e Luiz Monteiro, acho que em toda a América Latina é preciso lutar pela democratização das comunicações. O Eduardo tem feito do Blog Cidadania uma trincheira dessa luta.

    Na Venezuela eles têm a TeleSur e as organizações populares. Mas ainda assim o PIG é mais forte porque conta com o poder do dinheiro.

    As eleições no Paraguai provavelmente ocorreram sob regras desfavoráveis à participação da esquerda. Não temos maiores informações porque a carcomídia filtra qualquer dado que possa nos ser útil…

  19. Uma frase do twitter serve bem para os comentários anti-PT: “O nível dos comentários dos opositores de #DIlma me dá a certeza que estou do lado certo!”

  20. Edu, parabéns!! Post pra ser guardado e compartilhado.

  21. Excelente Edu!

  22. locatelli sempre atento ao que acontece e ao que ainda pode vir. Quando a discussao esquentar e o nivel nao der para manter, vamos em qualquer embate citar as palavras do capitao Mascarenhas, um militar brasileiro de fibra:
    “eles (grande imprensao) sao apenas cachorros mordendo a soldo, e latindo pelo melhor osso”.
    Isso qualquer interlucutor entende

  23. Ótimo texto, Edu. Como sempre, sagaz.

  24. SIMPLESMENTE ESPETACULAR! A ousadia LULA é sinematrográfica! Só um ESTADISTA da Estatura de LULA teria capacidade intelectual, estratégica, técnica, política e visionária para vislumbrar, discernir e escapar de um futuro negro que estaria por vir, a partir de 2003 e que hoje, 2013 é real, com uma Europa em fragalhos, 27% de desemprego na Espanha, com a metade da população de NY , abaixo da linha de pobreza e um Brasil à salvo, com nível de desemprego de 5%! Deus nos livre se estivéssemos nas mãos de pobre analfabeto funcional que atende pela alcunha pejorativa de FHC!
    José Aparecido dos Santos-Assis-SP.

  25. Faça como estou fazendo agora.Passe essa mensagem adiante, em todos os blogs: enquanto não denunciarmos de forma ampla, massiva e simultânea os fortes laços da mídia e da oposição golpista com a CIA e a embaixada dos EUA no Brasil, seremos assim, sempre reféns dos conservadores, não só da oposição mas principalmente, da direita que comanda os principais ministérios do governo Dilma e que já se infiltrou no comando do próprio PT . A ABIN tem vários relatórios sobre quem recebeu dinheiro dos EUA para derrubar os governos Lula e Dilma e corromper o governo e o PT por dentro. Cabe à blogosfera publicá-los. A Secretaria dos Direitos Humanos possui cópias. Muitas outras informações sobre esses senhores e senhoras estão no Wikileaks, do qual ninguém mais ouviu falar. Porque será, hein?
    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/politica/noticia/2013/05/documentos-apontam-que-cia-via-em-brizola-a-principal-ameaca-a-ditadura-4127255.html
    http://www.rodrigovianna.com.br/vasto-mundo/os-sacos-de-dinheiro-da-cia.html

Trackbacks

  1. Um discurso para o PT em 2014 | Conversa Afiada
  2. Embusteiros e covardes | SCOMBROS
  3. Um discurso para o PT em 2014 | Altamiro Borges

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.