São Paulo sob terror e Alckmin segue blindado contra críticas

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

A região metropolitana de São Paulo – capital e cidades do entorno – está sob um legítimo ataque terrorista. Muito mais grave, até, do que os que ocorrem no Oriente Médio.

A diferença é que as pessoas, na maioria das vezes, não são mortas por atacado, mas as mortes se prolongam por meses a fio e ocorrem todos os dias.

Nos últimos meses, porém, o problema se agravou além do suportável.

Quando cai a noite, na mesma periferia da capital que acaba de eleger Fernando Haddad essas mortes chegam – ou ultrapassam – uma dezena por dia.

Escolas, estabelecimentos comerciais e as populações desses bairros têm que obedecer a toque de recolher da facção criminosa PCC.

Policiais aterrorizados, ameaçados por execuções sumárias, contribuem para engrossar as estatísticas macabras atirando primeiro e perguntando depois.

A imprensa paulista se limita a relatar a situação e, pasme-se, a alardear “êxitos” do governo do Estado no combate aos criminosos. E não faz uma mísera crítica às autoridades locais.

Apesar de a Segurança Pública ser responsabilidade direta do governo do Estado, a questão é apresentada como de responsabilidade principal do governo federal.

No último domingo, no programa Domingo Espetacular, da Record, a cobertura discreta e sóbria sobre uma situação de virtual guerra civil foi apresentada de forma mais realista.

Todavia, o mais próximo que chegou de criticar o governo do Estado foi relatar um “acordo” entre esse governo e o PCC lá em 2006, quando o problema começou a se agravar.

Os colunistas dos jornais locais, sobretudo dos grandes – Folha de São Paulo e Estadão – ou das revistas semanais, todas sediadas na capital paulista, não fizeram, até aqui, uma só crítica ao governador Geraldo Alckmin.

Talvez a falta de críticas a autoridades se explique porque o problema (ainda) não chegou aos bairros do centro expandido da capital.

Nesse momento, vem à mente a cobertura do “caos aéreo”, anos atrás. Durante meses, todo santo dia o governo federal era trucidado em horário nobre e nas manchetes dos jornais. Os colunistas tinham ataques histéricos dia sim, outro também.

As centenas de mortes por execução sumária praticadas pela polícia ou por bandidos parecem ter muito menos importância do que voos atrasados e madames histéricas.

Detalhe: o governo do Estado comanda as polícias civil e militar e o sistema carcerário. O governo federal só pode agir diretamente com permissão de Geraldo Alckmin, que não autoriza para não passar recibo do seu fracasso na Segurança.

Agora, pressionado pelo desastre, Alckmin aceitou apenas colaboração em termos de “inteligência”, mas continua resistindo a tropas federais.

Aí a explicação para a vitória do PT na maior cidade do país, reduto do partido do governador. Vitória que ocorreu justamente por ação dessa periferia abandonada em plena guerra civil.

Para poupar o governo do Estado, nenhum nível de governo está sendo criticado pela mídia. Quando essa tragédia chegar aos bairros “nobres”, a culpa será jogada no governo federal.

A situação em São Paulo só chegou a esse ponto porque, desde que o problema se agravou lá em 2006, a imprensa paulista blindou os responsáveis, que deitaram sobre a moleza.

Assista, abaixo, à matéria da Record sobre a guerra civil paulista.

Tags: , , , ,

110 Comentário

  1. Pra você que já tinha perdido as esperanças? FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS da Justiça ameaçam fazer greve de fome

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,servidores-do-tj-do-acre-podem-entrar-em-greve-de-fome-coletiva,955915,0.htm

    ps – do que lembro, há casos de pessoas que resistiram até 200 dias sem comer ..portanto, o governo do ACRE tem que perseverar

    sugiro que a greve considere NÃO se beber nada, nem água ..aqui a resistência baixa pra 36 horas ..é vapt vupt, e o salário, ÒHHH !!!!

    http://www.youtube.com/watch?v=9KYQGeNNS4A

    • Tem muita graça mesmo ver esse neoliberal “preocupado” com os funcionários públicos. Imagina quando sobrevier a “solução final” prometida (aliás, ameaçada) pelo Aécio. É só ver a entrevista dada pelo presidente eleito à Carta Capital. Vejam esse pequeno trecho:

      CC -Se o senhor fosse presidente, quais seriam suas prioridades?
      AN -Eficiência na gestão pública.

      “Eficência na gestão pública”: você sabe o que ele quis dizer com isso? Então dê uma olhadinha na Constituição Federal – Art. 41, § 1º, inciso III. A emenda 19/98 prevê MAIS UMA hipótese de exoneração dos servidores públicos, com base em insuficiência de desempenho, a ser apurada mediante avaliação periódica, na forma de lei complementar (que ainda não foi editada). ­Acontece que essa avaliação periódica de desempenho tem de ter algum parâmetro. E que parâmetro seria esse? Só pode ser metas. é que os funcionários de todos os níveis (federal, estadual e municipal, de todos os poderes – executivo, legislativo, judiciário e ministério público) vão ver o que é “bom” pra todos os male: trabalhar em cima de metas (sempre crescentes até se tornarem inatingíveis), pois quando não alcançar pelo menos uma das tais metas, serão exonerados, sem direito a nada, pra dar o lugar pros terceirizados. Isso faz parte do “Estado Mínimo”, esqueceu?

      Detalhe: a Emenda 19 foi aprovada em 1998. Quem era o presidente? FHC. Quem era o ministro do planejamento? Serra. E quem era o líder do PSDB no Congresso, que arrebanhava a cambada neoliberal pra aprovar a Emenda? Aécio.

    • Quanta asneira em poucas linhas…..

  2. Muito boa sua analise Edu, a comparação desta “guerra civil paulista” e a leniência da mídia com o fracasso do “choque de gestão tucano” no seu ninho e o “caos aéreo”, que resultou até num movimento golpista da elite branca, racista e separatista de São Paulo, o finado CANSEI .

    Não me esqueço dos reporteres da rede globo o dia todo de plantão nos aeroportos (!) checando as escalas de voos dos aviões para ver quantos haviam atrasado e anunciando com estardalhaço, olha o nível da preocupação deles na época.

    Fizeram tanto terror com o assunto do tal ” caosáereo ” que talvez até tenham provocado a queda do avião da TAM em Congonhas, pois colocaram um nível tão elevado de stress nas tripulações que não podiam atrasar mais voos, que as levaram a cometer aquele erro absurdo de voar com apenas um reverso funcionando para aterrisar um jato de passageiros e imediatamente acusaram o governo Lula de ter matado mais de 200 passageiros, foi o ápice da canalhice midiática e eles nunca passaram recibo da irresponsabilidade da falsa crise aérea que criaram para desgastar o governo Lula e das mortes que provocaram com a queda daquele avião.

    Mas alguma coisa muito estranha está ocorrendo nessa escalada da violência em São Paulo, o governo do Estado não informa o que detonou essa guerra em curso, mas com certeza eles sabem porque isso está ocorrendo, se não falam publicamente é porque o motivo é impublicável, e a sociedade fica refém dessa contenda, que já acumula vítimas civis, que não tem nada a ver com o problema.

    Hoje qualquer cidadão paulista pode ser vítima de alguma bala perdida nessa guerra que está ocorrendo, as autoridades e a mídia que os apóia tentaram tapar o sól com a peneira e deixaram o problema se agravar de tal forma que agora não sabem o que fazer para recolocar a situação de volta a normalidade e como sempre quem paga o pato são as pessoas que não moram nos palácios do governo e não tem guarda nem escolta para garantir sua segurança e integridade.

    E ainda os tucanos se orgulham em falar que seu “choque de gestão” é a solução para o Brasil, se em São Paulo que governam há 20 aos seguidos conseguiram produzir esse caos, imaginem esses politicos no comando do Brasil de novo, é porisso que desde 2002 o povo sempre tem negado seu voto a esses políticos presunçosos e incompetentes.

  3. O medo impera. Nesta madrugada, mais mortes na guerra entre as duas facções (PCC e PM). Toda manhã o estado de SP faz o balanço das baixas de guerra.

    Essa situação é o resultado da total incompetência do governo Alckmin, somando-se com a blindagem política que o PIG (Partido da Imprensa Golpista) lhe dá.

    Enquanto isso, o PT de SP não age. Deveria fazer uma campanha nas ruas para que Alckmin aceite ajuda do gov. federal. Deveria atuar na periferia, organizando a autodefesa dos moradores contra o toque de recolher. Mas o PT paulista é apenas um departamento do PSDB.

  4. ► DEMO-TUCANOS no poder: Vade retro !!!

  5. A região metropolitana de São Paulo – capital e cidades do entorno – está sob um legítimo ataque terrorista. Legítimo? Estou à distância, acompanho pelo noticiário. A matéria não dá elementos para percebermos a discutível legitimidade desses atos criminosos. Seriam atos também das populações segregadas em guetos na periferia, com apoio desta? Mesmo nesses casos nada disso seria legitimado. Há algo mal colocado, não?

    • Quero crer que o Edu tenha se referido a um verdadeiro ataque terrorista , porém escreveu legítimo.
      Óbvio que não há nada de legítimo nesta bandalheira que está sendo cometida em SP.

  6. Edu.É por estes motivos políticos e pela incompetência de pessoas como o secretário de segurança de São Paulo, que disse que tudo sempre esteve sob controle…..Coitado do Haddad vai pegar uma bomba na eminencia de explodir em suas mãos…

  7. É Chuiça tucana, onde a imprensa podre paulista e os nobres querem passar a imagem que não existe problemas nesse Estado.
    Fora PSDB em 2014!!
    Chega de desgoverno.

  8. Acabou a trégua.

    O vice governador de São Paulo, Marcos Willians Herbas Camacho, vulgo Marcola, quer derrubar o Alckmin.

    • Não sei não. O problema do Marcola é o poder público, o poder do Estado, o mesmo problema do Alckmin. Afinal o governador e seu partido sempre defenderam o “Estado mínimo”.

      Acabaram colocando São Paulo nas mãos do poder privado “oficial” e “paralelo”.

  9. Nao é a populaçao, neste quesito, diretamente sr romanelli.
    É o pinoquio que a desprotege, manipula e desgoverna.
    O qual não se dá por achado.
    Porque tem grupos e interesses em jogo que ele nao ousa confrontar.
    E só mantem essa politica pela proteçao deslavada da midia.
    Uma das duas: ou o indigitado espera manter algo como está. Ou espera obter algo

  10. A propósito da atuação da mídia conservadora.

    Regulação da mídia brasileira entra na pauta do PT.

    ….

    Artigo de Rui Falcão – Presidente Nacional do PT

    – publicado na Folha em 02/11/2012.

    O PT cresce e consolida seu projeto nacional

    Hora de debater financiamento público eleitoral e regulação da mídia, que não é censura.
    E não seremos vingativos ao julgarem a oposição por seus ‘mensalões’

    O veredito das urnas nas eleições municipais encheu de orgulho a todos os simpatizantes, militantes e dirigentes do Partido dos Trabalhadores. Nosso desafio agora é continuar a corresponder à confiança depositada no primeiro turno pelos 17,2 milhões de eleitores, número recorde em nossa história. Governaremos 635 municípios, com 27,6 milhões de eleitores, abrangendo 20% do eleitorado nacional.

    Se considerarmos os vices, aliados a outros partidos, estaremos representados nos executivos de mais de mil cidades. Mantivemos a força nos grandes centros e aumentamos a capilaridade, com mais prefeitos nos pequenos e médios municípios.

    Também ampliamos em 25% o nosso número de vereadores, saltando de 4.164 em 2008 para 5.191 em 2012. Foi a maior votação de legenda do país, com quase 1,5 milhão de votos no 13. Nossa base aliada também cresceu. Na realidade, nós e os partidos que apoiam o projeto dos governos Lula e Dilma vencemos em quase 80% dos municípios do país.

    Em muitas cidades, vencemos com nomes e ideias novas. Renovamos. Criamos novas lideranças que certamente irão fazer história. Estarão ao lado de outros petistas, como Lula e Dilma, que já têm os nomes gravados entre os maiores transformadores da história do país.

    Pela manifestação dos eleitores, avaliamos, com segurança, que está ocorrendo no Brasil uma consolidação do nosso projeto nacional, iniciado com o governo Lula em 2003 e com avanços do governo Dilma nos últimos dois anos. A aprovação do nosso projeto que se refletiu nas urnas de 2012. Isso faz crescer ainda mais nossa responsabilidade.

    Essa vitória ocorreu em meio a uma campanha terrível, muitas vezes de caráter fundamentalista, preconceituosa e injusta contra o PT e a imagem de Lula. Tentaram criminalizar nosso partido ao longo de todo o julgamento da ação penal 470.

    A força de um partido que vem transformando o Brasil, mesmo diante da crise mundial e de toda a campanha contrária, será mostrada pela nossa serenidade e principalmente pelo compromisso que temos com a democracia. Nos últimos dias, ressurgiram os rumores de que PT pretende retaliar os ataques infundados que sofreu propondo censura à mídia. Nada mais mentiroso.

    Não. O PT apenas quer debater na sociedade e no Congresso a necessária regulação da mídia, com o fito de alargar a liberdade de expressão e fortalecer a democracia.

    Igualmente importante é a campanha pela reforma política -priorizando o financiamento público das campanhas-, na mesma linha do relatório elaborado pelo deputado Henrique Fontana (PT-RS), que está na Câmara esperando votação.

    O PT continuará defendendo a ética e a democracia, a despeito daqueles que discordam desses valores. Não seremos vingativos com a oposição, mesmo quando chegar o seu tempo de ser julgada por seus “mensalões”. Agiremos, sim, com o coração e a cabeça, cada dia mais empenhados em responder à confiança popular, promovendo inclusão social, distribuição de renda e o desenvolvimento sustentável do Brasil.

    Nosso partido fará agora uma profunda avaliação sobre as injustiças de que tem sido alvo, em reunião do nosso diretório nacional ainda neste ano. Mas já entrará em 2013 empenhado numa reflexão, junto à sociedade, acerca da conformação das reformas estruturais que o Brasil necessita e das nossas gestões.

    Nosso empenho será de corresponder à confiança desse recorde de eleitores e pela consolidação do nosso projeto nacional. As próximas eleições hão de ser consequência.

    RUI FALCÃO, 68, é presidente nacional do PT e deputado estadual em São Paulo

  11. Não vejo ninguém cobrar o secretário de segurança do Estado de São Pá Pá Pá Paulo.

  12. Alguém já leu isso???

    Roberto Amaral: “PSB não é Viagra do PSDB”

    Compartilhe: Twitter Vice-presidente nacional do PSB, o ex-ministro Roberto Amaral não quer saber de vincular seu partido à oposição a Dilma Rousseff e rejeita qualquer aproximação com o PSDB.

    “Eles (o PSDB) passam por uma crise de impotência e querem nos usar como Viagra. Os tucanos e a grande mídia não devem contar conosco para quebrar a esquerda, não seremos joguete de ninguém”, dispara.

    Amaral não poupa os tucanos. Diz que o partido se confunde “com a figura lamentável” de José Serra, candidato derrotado à Prefeitura de São Paulo.

    “Trata-se um político velho, reacionário, atrasado e provocador”, classifica.

    Hihihih nem o golpe do rachismo vai vingar…

  13. 1) O PCC, já há uns anos, tornou-se produtor de cocaína. Eles compraram, arrendaram ou associaram-se a um produtor boliviano de pasta base, e hoje já operam no atacado. PCC e FARC não cabem na mesma frase. Quem tem/tinha um esquema de troca de equipamento militar por droga com a FARC é o Fernandinho Beira-Mar;

    2) Tanto o PCC quanto o CV, há bastante tempo, vem preparando crianças e adolescentes para se tornarem juízes, promotores, delegados, policiais civis e federais, oficiais das FFAA e das PMs, e, quem sabe, oficiais de inteligência da ABIN;

    3) O narcotráfico já possui representantes em todos os legislativos do Brasil há mais de 20 anos, vide o caso do Jabes Rabelo. Aquela foi tentativa tosca de colocar um deles no parlamento. Hoje eles financiam campanhas e controlam políticos;

    4) A vida de um praça da PM vale R$ 850,00 hoje. É a mensalidade que deve ser paga ao PCC. Quem está devendo, e não tem dinheiro para pagar, tem a opção de matar um PM e ficar em dia com a mensalidade;

    5) Organização terrorista tem ideologia. Os atos de terror tem a finalidade de atingir um objetivo político, lato sensu. No caso de São Paulo, os ataques tem o objetivo de vingar a morte de membros do PCC. Portanto, não podem ser classificados como terroristas no sentido clássico do termo;

    6) Enquanto persistir a política de retaliar, não há a menor possibilidade de o estado vencer. O PCC pode perder centenas de membros. A polícia não pode perder um único homem. O governo de São Paulo só não foi impichado até agora, com 90 policiais mortos, porque é blindado pela midia, que esconde o quanto pode a encrenca, devido aos milhões que o governo paulista despeja em publicidade, assinatura de jornais e revistas e compra de material didático produzido pelas maiores empresas de comunicação do Brasil e mantém uma maioria absoluta na Assembléia Legislativa;

    7) Hoje, por fim, se tem uma notícia boa. Foi criada uma agência juntando União e Estado, e será desenvolvida uma política de combate ao PCC centrada na inteligência, no asfixiamento das fontes de financiamento e no isolamento total dos líderes da facção. Agora, finalmente, depois de 90 famílias de policiais estarem em luto, depois que todos os limites civilizados foram ultrapassados, quando a água bateu na bunda do governo de São Paulo, surgiu uma luz no fim do túnel. Mas não se enganem. Muitos policiais vão morrer ainda, antes que as nova medidas surtam efeito.

    Fonte: http://forum.portaldovt.com.br/forum/index.php?showtopic=149735&st=270

  14. Era de se esperar . No caso das mortes em São Paulo , estão colocando quase tudo na conta do PCC , mas não surtirá efeito pois o surto violento está sendo executado por Policiais que compõem o Esquadrão da Marte , cujo o ídolo é o Coronel Telhada , e estão morrendo em sua maioria inocentes ou doentes sociais viciados em crack, uma política higienista que pautou os 20 anos de administração Tucana, mas a época do Fleury e do Carandiru mais o tempo de Quércia, talvez quase sempre. São Paulo não liga muito e nunca ligou para Direitos Humanos das massas maginalizadas . Contato que as mortes não aconteçam nos Jardins, em Higienópolis ou PInheiros , tanto faz para eles . Como já ouvi dizer várias vezes de outras pessoas : “afinal tinha que morrer mesmo . Era viciado ou traficante, menos um nas cadeias que eu pago com meu dinheiro”. Paga é uma ova. Geralmente são altos sonegadores de impostos com caras assessorias Contábeis e Jurídicas para sonegar protegido da Lei . Quem paga imposto no Brasil é assalariado que desconta na fonte .

  15. ESTOU ESTARRECIDA!!!!! HORRIVEL!!!! SERA QUE NINGUEM PODE FAZER NADA? AS AUTORIDADES DO ESTADO, DEVERIAM DEIXAR DE LADO O EGOISMO PESSOAL, O MEDO DE SE TORNAREM PARTICIPANTES COM O GOVERNO FEDERAL E ACEITAR A PROPOSTA DO GOVERNO DE SE ALIAREM CONTRA ESSA PRAGA..O ORGULHO TEM SIDO A CAUSA PARA QUE ESTES CRIMES ACONTECAM DA FORMA COMO TEMOS VISTO , SERA QUE O SR ALCKIMIN NAO VE ISSO? ELE NAO TEM FEITO NADA EM FAVOR DO ESTADO DE SAO PAULO!! DEVERIAMOS DEIXAR ESSA POLITICAGEM E ESSE CONCEITO ERRADO QUE TEMOS TIDO DURANTE TANTOS ANOS, INCLUSIVE CAUSADOS PELA PROPRIA MIDIA, QUE NAO TEM OUTRO INTERESSE A NAO SER O DE VER O CLIMA QUE EH PROPICIO PARA SUAS MANCHETES.
    ESTAMOS SATURADOS DE VER COMO UM GOVERNO QUE TEVE OPORTUNIDADES ( E MUITAS!) PARA FAZER A COISA CERTA E , CONTUDO, NAO TEM FEITO.

  16. sera que tem gente morrendo nos bairros nobres de São Paulo??? O que é mais angustiante nesta situação alem das centenas de vidas que se perdem, é saber que os cidadãos que estão abandonados a própria sorte são aqueles que tem poder para eleger quem quer que seja. Lamentavelmente eles sempre acabam votando naqueles que querem vê-los pelas costas. Mas , parece que alguma coisa já mudou, esperamos que para sempre!!!!

  17. O Governador ja tomou providências para ajudar a Polícia Militar!
    Ele reduziu os salários dos PMs em até 25%

  18. Eu gostaria de entender porque toda a mídia protege com unhas e dentes esse Alckmin!
    Qual é a relação que esse (FDP!) tem com os meios de comunicação!
    Aparenta ser até uma relação de PROSTITUIÇÃO entre as partes (Governo Alckmin e Mídia)!

Trackbacks

  1. São Paulo sob terror e Alckmin segue blindado contra críticas « Ficha Corrida
  2. Rômulo Gondim – O perfeito idiota paulistano

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.