Folha de São Paulo “estranha” a popularidade de Dilma

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

 

Eles não entenderam nada. E, quando digo “eles”, refiro-me à imprensa golpista. Quando digo “imprensa golpista”, refiro-me a meia dúzia de impérios de comunicação que ajudaram a implantar a ditadura militar que derrubou um governo legitimamente eleito. Quando digo que ajudaram, é porque esses “impérios” chegaram a ceder suas redações para os golpistas se reunirem de forma a tramarem o golpe de Estado de 1964.

E o que é que os golpistas de ontem – pretensos golpistas de hoje – não entenderam? Segundo eles mesmos, a popularidade de Dilma e, mais do que a dela, a de seu padrinho político, o ex-presidente Lula, segundo a última sondagem do instituto Datafolha sobre a popularidade dos dois políticos.

Como sei que não entenderam? Eles mesmos dizem. E o que é mais: não entenderam a pesquisa que eles mesmos fizeram, pois quem diz que não a entendeu foi o veículo que é a cabeça do grupo empresarial de mídia que controla o instituto Datafolha, o jornal Folha de São Paulo, em editorial publicado na última segunda-feira que pretendeu analisar a disparada da aprovação da presidente da República e a de seu antecessor.

Melhor que você leia o texto e, em seguida, comento.

—–

FOLHA DE SÃO PAULO

23 de abril de 2012

Editorial

Dilma cresce

Aprovação da presidente chega à melhor marca, o que propicia à sucessora emancipar-se em parte de seu criador político, Lula

O governo Dilma Rousseff se aproxima do primeiro ano e meio de exercício com 64% de aprovação popular, conforme a pesquisa Datafolha divulgada ontem.

É a melhor marca desde logo após a posse (47% em março de 2011), índice também superior aos obtidos por Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva no mesmo ponto de seus respectivos mandatos.

Das explicações para esse resultado, a mais persuasiva será a econômica. Apesar da redução no ritmo, o crescimento tem se mantido apreciável, perto de 3% ao ano. O ímpeto inflacionário que se temeu no ano passado foi detido. Como atesta a pesquisa, um tom otimista comanda as expectativas quanto ao poder aquisitivo do entrevistado e ao desempenho da economia.

Ao mesmo tempo, causa estranheza que o governo seja bem avaliado quando o noticiário está de novo repleto de escândalos que atingem situação e oposição, tornando ainda mais generalizada a dedução de que ninguém -ou quase ninguém- se salva.

A presidente conseguiu afastar sua imagem desse pântano. Tratou com alguma dureza os excessos de apetite da imensa base parlamentar incrustada em seu governo. Deixou cair toda uma fileira de ministros, postos sob desconfiança pública por evidências divulgadas pela imprensa.

Não faltou algo de maquiavélico nesta última atitude. As quedas de auxiliares foram propícias para que ela compusesse uma equipe mais à sua imagem e semelhança, enquanto projetavam sua fama de intransigente com “malfeitos” na administração.

A pesquisa mostra que os índices de aprovação cresceram em especial nas camadas associadas a maior renda e melhor acesso à informação, nas quais se presume que temas político-institucionais encontrem mais eco.

Aos poucos, Dilma Rousseff se emancipa de seu criador político. Lula segue favorito para a sucessão de 2014, com 57% das preferências como candidato governista, mas quase um terço do eleitorado optaria hoje pela criatura.

Essa clivagem reflete o desdobrar de interesses que começam a se mostrar díspares, quando não conflitantes. Foi assim no caso da chamada CPI do Cachoeira, que Lula insuflou sob o risco de enviar o incêndio para o lado da sucessora.

É implausível cogitar de rompimento entre criador e criatura, desfecho que seria inconveniente para ambos. Mas há indícios de que a separação de águas tende a deixar o legado populista sob a égide de Lula, enquanto a atual presidente cultiva uma imagem mais voltada a valores de classe média.

Numa coalização governista tão desmesurada, as principais tensões continuarão sendo internas.

—–

O texto inteiro é repleto de delírios que o paciente que o escreveu percebe como “realidade”. Mas o trecho que destaco a seguir é o mais impressionante ao revelar a confusão mental que assola o editorialista – que, não nos esqueçamos, manifesta-se em nome do jornal:

—–

Causa estranheza que o governo seja bem avaliado quando o noticiário está de novo repleto de escândalos que atingem situação e oposição, tornando ainda mais generalizada a dedução de que ninguém – ou quase ninguém – se salva.

—–

Chega a ser incrível que, apesar de ter todos os elementos para dirimir a tal “estranheza”, o editorialista não consiga. Imagino que, no futuro, os historiadores tentarão entender o que provocava esse alheamento tão intenso da realidade que se abateu não apenas sobre esse meio de comunicação, mas sobre vários outros, os maiores desta era no Brasil.

Ora, a resposta está na própria premissa do jornal. Os escândalos atingem uma oposição – a qual o jornal integra segundo a mesma Associação Nacional de Jornais (ANJ) que durante o governo Lula declarou que o papel da mídia seria fazer oposição – que passou oito anos posando de grilo falante e fazendo acusações àquele governo, e que desde 1º de janeiro do ano passado continua fazendo acusações.

Essas acusações, porém, vão de encontro à completa desmoralização de uma oposição que posava de moralista e que já fora flagrada no episódio do ex-governador de Brasília, José Roberto Arruda, cuja prova de corrupção não é do tipo de “prova” que Folha e outros veículos do Partido da Imprensa Golpista alardeiam, mas uma prova provada, inquestionável, irrecorrível: um vídeo mostrando um dos momentos em que o meliante se corrompia.

“Estranheza” por que, se, já em 2006, o país deu uma banana para a Folha e o resto do PIG e reelegeu Lula com votação expressiva? E note-se que, àquela época, a situação do país nem era tão boa, pois mal nos recuperávamos da desastrosa octaetéridade tucana regida pela batuta daquele que hoje é hors-concours em impopularidade, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Claro que, no conjunto da sociedade, a alta aprovação de Dilma não se deve exclusivamente à desmoralização da oposição político-midiática, ou seja, desse conclave que congrega meios de comunicação e partidos políticos. A maioria da população brasileira nem toma conhecimento do moralismo de quinta da oposição midiática, seja a “de esquerda” ou a de direita.

E nem se deve ao crescimento econômico “perto de 3% ao ano” que o jornal cita, mas à distribuição não só de renda (a maior da história em tão curto período, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Humano, o PNUD, apurado via índice de Gini), mas de oportunidades, benefício insuperável que o projeto petista de país vem produzindo.

Aliás, o próprio editorial, no trecho que reproduzo a seguir, deixa ver por que o seu moralismo não “cola” mais nem nos reduzidos setores da sociedade que se interessam por política e que até devem ler aquele e outros tentáculos da imprensa golpista:

—–

A pesquisa mostra que os índices de aprovação cresceram em especial nas camadas associadas a maior renda e melhor acesso à informação, nas quais se presume que temas político-institucionais encontrem mais eco.

—–

Há que notar que como esse partido político travestido de imprensa esconde opiniões que não condizem com a sua, parece que o setor politizado da sociedade acredita nas batatadas que esses jornais, revistas, portais de internet, televisões e rádios martelam diariamente. Mas não apenas não acredita como se irrita ao ver sua inteligência ser desprezada.

Só quem acredita na Folha e companhia, em média, é um reduzido contingente de pessoas de idade avançada, de classes média alta ou rica e que não quer ver o país se tornar mais igualitário porque não quer perder os privilégios injustos que auferiu ao longo das incontáveis décadas em que a imprensa elegia governos conservadores para beneficiá-lo.

Em 2010, a votação do candidato conservador José Serra deu à mídia a ilusão de que o país estaria quase dividido entre o despachante das elites que tentava lhe empurrar e a candidata progressista que Lula sugeriu e o povo acolheu.

É bobagem. Serra só conseguiu uma votação melhorzinha porque, com a sua experiência de tantas eleições, disputou com alguém que jamais disputara eleição alguma. Se tivesse disputado com um político mais tarimbado levaria uma surra eleitoral. Isso além do fato de que apelou para a religiosidade intensa que ainda vitima o povo brasileiro, fenômeno que deverá ir diminuindo conforme for aumentando a escolarização média da população.

Apesar disso, a oposição midiática, alheia ao fato de que o seu moralismo fajuto foi posto a nu, continua apostando nele para retomar o poder, como se fosse possível convencer um povo que melhorou tanto de vida a voltar a um tempo em que sofria tanto e no qual não tinha perspectiva alguma de futuro. Eles continuam não entendendo nada, pois. Ainda bem, não é mesmo?

Tags: , , , , ,

158 Comentário

  1. SERIA OTAVINHO FILHO DE MÃE DINAH?

  2. he, he, he…..!
    Substimar quem já doou veículos para monstros torturadores e assassinos…jamais
    Mas, golpista, extremista de direita, atrasada, ridícula e cada vez mais destrabelhada, a Folha, digo, a Famiglia Frias faz me rir…
    he, he, he…..!

  3. Otavinho,gostaria de ser intelectual,mas não é.Acabou na direção de um jornal,bem de familia,para a qual não estava emocionalmente e muito menos intelectualmente preparado.Agora demonstrou que muito menos moralmente ele estava preparado.Dona Eliane Cantanhede,tinha ambição de ser alguem na vida,mas acabou mesmo como articulista de um jornal em franca decadencia.Augusto Nunes,um alcoolatra inveterado,frustrado,egocentrico,queria ser engenheiro aeronautico,mas acabou sendo apenas um mediocre escrevinhador do planfeto infame editado pelas ratazanas do esgoto.RA queria ser editor de uma revista que fosse um paradigma intelectual,chegou a emplacar alguns numeros da revista Primeira Leitura,mas a incompetencia do mesmo é tão grande que ele inviabilizou o projeto da revista.Existem muitos outros como Ali Kamel,o imprestavel,que é diretor de Jornalismo da Globo,Boris Casoy,o jornalista pateta e racista que fez comentarios pouco abonadores com relação aos garis e acusou Lula de ter sido responsavel pela morte da piriguete dona da Daslú.Existem outros do segundo e terceiro escalão que nem merecem ser nomeados.Esses são alguns do membros da gangue da midia golpista.O que os une é o absoluto desprezo pela inteligencia dos outros,um ódio profundo ao Brasil e aos Brasileiros e o objetivo inconfessavel de derrubar Dilma Rousseff da Presidencia da República ou qualquer outro que contrarie seus espurios interesses eos de seus amigos,ou melhor dizendo,cumplices.E é justamente nesses desclassificados que muita gente ainda acredita.

  4. São as descaradas tentativas de sofismar feitas por essa parcela da imprensa que melhoram a avaliação da Dilma. Ou eles acham que o povo é idiota?

  5. Caro Eduardo, a melhor definição de burrice que conheço, diz que “burro é o indivíduo absolutamente incapaz de adaptar-se a qualquer nova realidade, a qualquer mudança no ambiente ao qual previamente se habituou.” Se extrapolarmos essa definição, saindo do nível de um mero indivíduo, para aplicá-la a toda mídia nacional, com seus múltiplos órgãos e inúmeros profissionais de destaque, veremos que a mesma cabe ali como uma luva! É impressionante a falta de visão que impera em nossos órgãos da mídia; aparentemente, eles continuarão dando murros em ponta de faca, sem jamais acordar para esse novo Brasil, que todos nós, gente comum e corriqueira, há muito já percebemos… Essa inflexibilidade e teimosia, sem sombra de dúvida, merecem muitas análises e estudos que, certamente, serão desenvolvidos pelas gerações vindouras… Aqui da minha modesta insignificância, ousaria dizer que o baronato midiático exemplifica muito bem o que chamaria de “fenômeno da decadência de uma classe”… Apesar de serem burgueses e não nobres, eles agem mais ou menos como a nobreza francesa no final do século XVIII, à beira da “Révolution Française”: continuam a desfrutar das benesses que sempre tiveram e a manter os mesmos ideais e valores, sem prestar atenção às mudanças na realidade e ao clamor do povo… Essa atitude dos barões da mídia é muito bem exemplificada na frase atribuída a Maria Antonieta: “Se não têm pão, que comam brioches…” Pois bem; todos conhecemos o fim que teve Maria Antonieta e boa parte da nobreza francesa; a sorte dos barões da mídia é que não se fabricam mais “guillotines”… Mas certamente, ainda existem muitas formas de se decapitar os que insistem em cultivar a decrepitude e caducidade…

  6. Quando os filhos da puta opinam.
    São inúmeros. Naturais e obviamente,bastardos.
    Prestam-se para qualquer mandalete. Desde aqueles tradicionais de enviar recados
    para cafetinas sugerindo primazia com as novatas do plantel até acobertarem a devassidão
    do estadista do momento, assumindo de público a autoria dos feitos.
    Os filhos da puta,tem a peculiaridade de viverem em permanente conflito com seu status. Desprezam suas origens,porém, cultivam seus benefícios e o trânsito que nos subterrâneos lhe conferem tal estirpe de que descendem. Embaixadores plenipotenciários desse mundo que poucos ousam exibir-se,dominam a semântica, as regras, os sinais ,circulam com desenvoltura, sugerindo sutilmente, intimidando, grosseiramente propondo escambos como gentil arte fosse.
    Insensibilidade é uma marca comum. Nada os atinge.Exceção dos bolso. Vão às últimas consequências ao se sentirem lesados. Entenda-se como ,últimas,penúltimas.Porque a intimidação produz incomparáveis prazeres orgásticos e sinergicamente, reflui, a ineludível condição de gloriosos filhos da puta.

  7. A mídia brasileira é o mesmo que o Lula disse do Serra: uma imprensa de ontem com idéias de anteontem.

  8. O PIG está morto(embora muita gente acredite que não)basta apenas enterra-lo.Credibilidade é a alma do negocio ligado à midia,sem credibilidade a midia não é nada.O PIG ja teve muito poder,isso,vinte anos atras.Hoje não é nem uma sombra do que foi nos anos 90.É um leão com pernas de pau e sem dentes.

  9. Parabéns mais uma vez, Eduardo. Sensacional artigo. Tomara que algum jornalista do PIG o leia e caia na real. Mas acho que é pedir demais. Espero, agora, que o PIG seja publicamente desmascarado.

  10. O PIG distorce, inventa, omite, cria e mente. Imagino o tipo de pessoa que concorda e acredita no que essa gente má intencionada escreve…

  11. Uma boa notícia, o deputado delegado Protógenes Queiros é titular na CPMI.
    Valeu PCdoB.

  12. O povo não é idiota. A vida inteira o povo viu escândalos na TV e nada de crescimento… o povo sabe que jornal pra vender tem que mentir, inventar, manipular.

    Povo não vê JN, não lê Estadão, GLOBO ou Falha…

    O Povo quer comida, educação, moradia… dinheiro no bolso!!!!

    FHC governou para os jornais, para a FIESP… para os “trutas”…

    Depois não entendem o povo…

    Tem saber falar a língua do povo…

  13. Editorial ruinzinho esse da Folha, hein, Eduardo? Que gente mequetrefe!

    Está na cara que a maioria das pessoas gosta do governo. Menos esses mequetrefes, que criaram um universo paralelo e vivem ali.

  14. Tadinho do Tavinho, tão burrinho que não entende nadeguinhas.

  15. Dinheiro é comida e muito mais!

    Os 5% de desaprovação ao governo Dilma é quase nada. O mesmo que a proporção 5 raivosos para 100 felizes, para ficar mais claro. E esses mesmos 5% confessam não entenderem o sucesso dos últimos governos.

    Não conseguem entender que o dinheirinho a mais, para uma população bem maior do que esses 5%, é bem mais do que uns cruzeirinhos a mais, é, principalmente, comida e muito mais.

    Os ricos não imaginam o que é ir dormir com fome e sem expectativa de almoçar amanhã. Não imaginam e não querem saber, nem entender e nunca pensaram em resolver.

  16. Os delírios estão em todas as colunas e textos piguentos, é evidente que o PiG não está entendendo o que está acontecendo e segue tentando enrolar a si próprio. Já teve três eleições presidenciais pra aprender e ainda não o fez, continua parado em 2002, como diz o PHA. Ótimo, melhor para nós.

  17. Ah, e outra, Eduardo: a questão dos votos em Marina Silva, que, por acontecimentos estranhos ( religiosos) e o medo do novo que se instala na classe média conservadora nessas horas, levou a eleição para o 2o. turno e aí o Serra herdou muitos votos ( religiosos) dela. Nas próximas eleições, fanáticos da religião ainda existirão mas o medo com relação à Dilma “guerrilheira” e outros codinomes não terá mais como ser explorado.

  18. …E n perde oportunidade p/ aventar fantasiosa briga de egos entre Dilma e Lula…O céu é o limite!

  19. Através do voto na democracia nunca mais
    a direitada volta ao poder. Adeus bando de
    vendidos, covardes e preguiçosos que
    escravizavam o povo brasileiro. Nossos
    netos, bisnetos e mais irão usufruir de uma
    sociedade plenamente justa e igualitária.
    Nada segura a revolução branca, nem
    mesmo os religiosos fundamentalista,
    porque Deus está do lado dos humildes e
    dos que têm apurado senso de justiça.
    O Brasil é a salvação do planeta.
    PAZ E ALEGRIA PARA TODOS !!!!

  20. Pois é, a coisa já está respingando no Aécio, outro enganador de primeira. Quando governador, alardeou fartamente que fizera um “Choque de Gestão” e zerara os débitos do Estado de Minas Gerais, mas a verdade agora veio à tona, porque era impossível esconder. Aécio deixou o Estado de Minas Gerais falido, com uma dívida completamente impagável com o governo federal. O seu sucessor, Antonio Anastasia, está mendigando uma renegociação com Dilma para obter um socorro para evitar o colapso total de MG, sem dinheiro nem para pagar a folha de pagamento.

  21. prezados Senhores.

    A velha mídia não vai divulgar. Terermos que montar um sistema
    de divulgação, usaremos as redes sociais, e-mails e o velho panfleto
    que pode ser anônimo para não sofrermos pressão e até evitar agreções,
    por parte de militantes do PSDB.

    PS. caso panfleto, é porque há muitos que ainda não tem ascesso
    a internet.

  22. Bom senso não se mede… se percebe.
    O povo percebe… e sabe que está do lado dele.

    Parabéns, Edu.

  23. Bom senso não se mede… se percebe.
    O povo percebe… e sabe quem está do lado dele.

    Parabéns, Edu.

  24. Me apaixonei pela expressão “valores de classe média” usada em contraponto ao populismo. O jornaleco acaba de lançar o populismo de classes. Quanta asneira!

  25. Me apaixonei pela expesssão “valores de classe média” usada em contraponto ao populismo. O jornaleco acaba de lançar o populismo de classes. Quanta asneira!

  26. Outra coisa que perpassa o texto nas entrelinhas é a imensa torcida da Folha e do PIG por um rompimento entre Lula e Dilma. Já chegaram a anunciar isso no começo do governo, mas a bobagem foi logo anulada por Lula, com sábia ironia: “Se um dia me virem discordando da Dilma, ela estará certa”. Lula cortou o barato dos tolinhos criadores de fofocas.
    A direitona hoje vive disso: torcida pelo câncer em alguém, torcida para que a crise mundial chegue ao Brasil, torcida para que os milicos aposentados peguem suas armas enferrujadas e deem um fim “nesta raça”, torcida por uma briga prá valer entre Dilma e Lula, torcida para que a CPI da veja só investigue a Delta – e só fora de São Paulo!…

  27. Os membros da CPMI do Cachoeira
    Membros indicados pelos partidos para a CPMI do Cachoeira
    Deputados
    Titulares: Suplentes:
    Odair Cunha (PT-MG) – relator da CPMI Dr. Rosinha (PT-PR)
    Cândido Vaccarezza (PT-SP) Luiz Sérgio (PT-RJ)
    Paulo Teixeira (PT-SP) Sibá Machado (PT-AC)
    Luiz Pitiman (PMDB-DF) Edio Lopes (PMDB-RR)
    Íris de Araújo (PMDB-GO) João Magalhães (PMDB-MG)
    Carlos Sampaio (PSDB-SP) Domingos Sávio (PSDB-MG)
    Fernando Francischini (PSDB-PR) Rogério Marinho (PSDB-RN)
    Onyx Lorenzoni (DEM-RS) Hugo Leal (PSC-RJ)
    Gladson Cameli (PP-AC) Ronaldo Fonseca (PR-DF)
    Paulo Foletto (PSB-ES) Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP)
    Rubens Bueno (PPS-PR) Sarney Filho (PV-MA)
    Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) Vieira da Cunha (PDT-RS)
    Filipe Pereira (PSC-RJ) Glauber Braga (PSB-RJ)
    Miro Teixeira (PDT-RJ) Iracema Portella (PP-PI)
    Silvio Costa (PTB-PE) Osmar Júnior (PCdoB-PI)
    Maurício Quintella Lessa (PR-AL) Mendonça Prado (DEM-SE)

    Senadores
    Titulares: Suplentes:
    Vital do Rêgo (PMDB-PB) – presidente da CPMI Jorge Viana (PT-AC)
    Ricardo Ferraço (PMDB-ES) Wellington Dias (PT-PI)
    Sérgio Souza (PMDB-PR) Delcídio Amaral (PT-MS)
    Humberto Costa (PT-PE) Acir Gurgacz (PDT-RO)
    José Pimentel (PT-CE) Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP)
    Fernando Collor (PTB-AL) Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE)
    Lídice da Mata (PSB-BA) Randolfe Rodrigues (PSOL-AP)
    Pedro Taques (PDT-MT) Benedito de Lira (PP-AL)
    Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) Sergio Petecão (PSD-AC)
    Vicentinho Alves (PR-TO)
    Ciro Nogueira (PP-PI)
    Álvaro Dias (PSDB-PR)
    Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
    Jayme Campos (DEM-MT)
    Kátia Abreu (PSD-TO)
    Paulo Davim (PV-RN)

  28. Manchete da Folha de hoje: “Para ter controle de CPI, Dilma impõe aliado como relator”

  29. Eles só entende de GOLPE, mas isso eles não conseguem mais dar, O POVO NÃO SE DEIXA LEVAR PELA IMPRENSA GOLPISTA, POR ISSO QUE DE 2002 PRA CÁ ELES PERDERAM TODAS.

  30. Vejam como Aécio Neves, o senador do Leblon, detonou o Estado de Minas Gerais. Pilantra!!

    https://www.youtube.com/watch?v=Y_R76FD7fVg&feature=player_embedded

  31. Quem fala Folha de São Paulo(a finada Folha,por sinal)fala em Força Serra Presidente e quem fala em Serra lembra se de que o mesmo é candidato a prefeito da capital paulista.Mas mesmo sendo candidato a prefeito da capital paulista,talvez seja o unico candidato que faça comicio em São Bernardo do Campo(importante cidade industrial localizada na região Metroploitana de São Paulo).Das duas uma:ou ele perdeu o senso de ridiculo(coisa que ele jamais teve em niveis aceitaveis)ou ele está dando a senha de que caso seja eleito(coisa cada vez mais improvavel)larga a prefeitura para concorrer à Presidencia da República em 2014.De qualquer modo,tal fato demonstra a total falta de compromisso serio do candidato para com a cidade de São Paulo,por outro lado,demonstra o absoluto desprezo do candidato para com o eleitor paulistano.

  32. Caro Edu, eles entenderam tudo sim; ocorre que eles tem que fazer um texto se colocando no lugar de seus poucos mas ainda fiéis leitores, estes não entendendo nada e incrédulos com o sucesso dos governos Lula e Dilma.

  33. O senador Dilcidio Amaral está de suplente,vamos rezar para que o titular não saia,saravá

  34. A Folha de São Paulo e o PIG em geral estão desesperados, mas eu acho que ainda não vimos o pior. Quanto mais encurralada a mídia se sentir, mais baixos serão seus ataques…feito um bicho mesmo.

  35. “Os cães latem enquanto a caravana passa”

  36. Ótimo blog parabéns e o que melhor ainda é vejo atraves desse cometério é que tem mais gente nessa .

Trackbacks

  1. Folha de São Paulo “estranha” a popularidade de Dilma | Blog da … | Vivo Media Group
  2. Folha e a popularidade de Dilma | Viva Marabá Carajás Brasil

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.