Heraldo Pereira, combata a falta de negros na Globo, agora

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Nos últimos dias, o jornalista da Rede Globo Heraldo Pereira esteve em evidência por ter processado um desafeto de seu empregador que apontou um fato incontestável, mas de forma equivocada. Penso que o jornalista ganhou força para combater esse fato, pois está sendo apresentado, na grande mídia, como militante contra o racismo.

Pereira denunciou o jornalista Paulo Henrique Amorim por ter dito, de forma inadequada, o que basta olhar para a programação da tevê Globo para comprovar que é verdade: o jornalismo dessa emissora exclui negros, assim como as novelas, os comerciais e até o deprimente Big Brother Brasil, entre outros.

Aliás, vale lembrar daquele único “brother” negro da edição 2012 do BBB que, no primeiro dia do programa, foi questionado pelo apresentador sobre se, por ser o único negro entre quase duas dezenas de participantes, achava que deveriam ser criadas cotas para negros na televisão. O rapaz respondeu que não e poucos dias depois foi expulso do programa sem direito a defesa sob uma acusação que jamais se comprovou, de ser “estuprador”.

De qualquer forma, bem que o nobre Heraldo Pereira, que conseguiu uma das poucas e raras vagas que o jornalismo da Globo oferece a negros, poderia pensar, agora, também nos outros negros e, assim, passar a empreender uma campanha para que a emissora em que trabalha pare de discriminar negros em sua programação.

Pereira poderia começar argumentando com o fato de que, segundo o IBGE, o Brasil é hoje um país negro, pois mais de 50% da população se declarou negra no último censo, e, portanto, há uma desproporção inexplicável e escandalosa entre o perfil étnico do povo brasileiro e o que se vê na telinha da Globo.

Para ajudar a esse companheiro de luta contra o racismo no Brasil, portanto, apresento, abaixo, a prova de que negro quase não tem vez no jornalismo da Globo. Poderia fazer o mesmo com as novelas, com o BBB ou com a propaganda, mas podemos começar pelo jornalismo e depois iremos ficando mais ambiciosos.

Confira, abaixo, o perfil dos apresentadores dos telejornais da Globo e reflita se não faria sentido que o militante antirracismo Heraldo Pereira se preocupasse também com todos os que são barrados pela Globo, pois a composição étnica de sua programação nada tem que ver com a do país em que é apresentada.

Tags: , , , ,

163 Comentário

  1. Resumindo a “PIG” é racista é este o ponto em comum entre eles.

    A MIDIA BRASILEIRA eu digo : globo,record,bandeirantes,veja,jornal estado,folha de sao paulo etc etc ………..
    são todos do mesmo balalio, se julgam os superiores mas se esquecem que vamos todos pro mesmo buraco e temos data de validade neste planeta.IDIOTAS…………………………………… INFELIZES…………………………

  2. Cena de época:
    Lá pelo século XVII, senhor da casa grande que era abolicionista tinha todo tipo de retaliação por parte dos outros senhores. Não podiam permitir riscos a um negócio tão “certo” como pagar a mão de obra com pouca comida e ter poder sobre a vida e a morte de sua propriedade, os escravos. Alguma abstração, ou a sociedade já viveu dias como esses?
    Um negro escravo pegava furtivamente um pouco de leite para dar ao seu filho que estava doente. O Senhor da casa grande descobria. O negro ao tentar salvar seu próprio filho, tinha que receber do senhor uma punição exemplar. Era amarrado ao tronco e submetido a 100 chibatadas. Agora, vamos imaginar que o dono da casa grande era o Ali Kamel, e o carrasco que dava as chibatadas no escravo era o Heraldo, homem de confiança do Kamel.
    A dívida para reparar o mal é MUITO grande. Que haja muito empenho de todos para que um dia as diferenças e preconceitos criados ao longo de nossa história sejam pelo menos amenizadas. E não será em pouco tempo. Não toque de mágica que mude o cenário de um dia para o outro. Mas tem que começar. Comece, Heraldo.

  3. Acusação a Paulo Henrique Amorim????????!!!!!!! Que acusação eu fiz a ele?

    Não salvei o texto do comentário, mas procurarei reproduzi-lo o mais fiel possivel:

    Primeiro: a afirmação de que mais de 50% da população se declarou como negra, no último censo, é errônea, pois, para atingir este número, você junta negros e pardos e, conforme um texto elucidativo do IBGE, especificando a significação dos termos, que em uma oportunidade já foi postado nos comentários por um outro leitor, negro não é o mesmo que pardo.

    Segundo: odeio ter que falar isso pois parece que sou um defensor da Globo, quando não o sou. Apenas não me deixo, não me permito, ser parcial e apenas apontar o dedo acusatório contra um e fechar os olhos para outros. Se a Globo pouco faz pela causa do combate ao racismo e pela democratização da imagem do negro na TV, ela, ainda assim, é a unica que faz algo a favor dessa causa, enquanto as demais redes de TV nada fazem.

    A pergunta que farei a seguir fiz no Vi o Mundo, mas lá não obtive resposta:

    Qual o ator/atriz, apresentador ou repórter, de destaque, negro ou negra na Record?

    Tenho 35 anos e era bem pequeno na época, mas me recordo claramente de uma novela da Globo, cujo nome me foge à memória, na qual a Zezé Motta interpretava uma mulher de classe média que namorava um branco, vivido pelo Marcos Paulo, e que sofria com o preconceito por essa relação multirracial. Isto nos anos 80.

    Também nos anos 80, lembro de Tenda dos Milagres, baseada na obra de Jorge Amado, que apresentava a cultura negra bahiana e discutia o preconceito não apenas racial, mas também em relação a cultura negra, o candomblé, a capoeira. Anos 80.

    Mais recentemente, embora tardio, mas antes tarde do que nunca, dois negros destacam-se como atores do do alto escalão da Globo, protagonizando as novelas do horário nobre, Thais Araujo e Lázaro Ramos. Este, aliás, que também protagonizou uma série de sucesso veiculada pela Globo a alguns anos, “O Pai Ó”, que se passava em Salvador e que contava com quase todo o elenco negro.

    Além do mais, Glória Maria alcançou o status de verdadeira instituição da Rede Globo. Não simpatizo com ela, mas é inegável a posição que ela atingiu na Globo. Mas será que Glória Maria não conta? Seria ela “uma negra de alma branca”? Por quê?

    Não digo que a Globo seja justa em relação a democratização do acesso dos negros a posições de destaque na TV, ou que faça muito no combate ao racismo, mas chamo a atenção pro fato de que ela ainda é a única que faz algo.

    Qual o apresentador negro de programas jornalisticos ou de variedades da Record?

    Qual o protagonista negro de novelas da Record?

    Qual o programa da Record que já abordou diretamente a cultura negra?

    Antes de se criticar a Globo pelo pouco que faz – embora deva-se cobrar por mais – deveria-se cobrar que as outras redes de TV, sobretudo a Record, do PHA, do Azenha e do Rodrigo Azevedo, façam pelo menos o minimo que a Globo faz.

    P.S.: onde está a acusação leviana a quem quer que seja aí?

    • No texto original você disse julgar que PH foi racista.

      Sobre você questionar o fato que nem precisava de estudo (de que a maioria da população é negra), pois basta ter olhos para ver, chega a ser ridículo. À época da superação do contingente de brancos pelos negros a mídia inteira comentou estudos do Ipea, amparados nos do IBGE, que revelaram a nova composição étnica majoritária no Brasil. Matéria da Folha de São Paulo mostra bem como o assunto é tratado pelos técnicos. Aí vai:

      —–

      13/05/2008 – 14h28

      População negra supera branca neste ano, mas renda só se equipara em 2040

      PUBLICIDADE

      LORENNA RODRIGUES

      da Folha Online, em Brasília

      http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u401394.shtml

      A população negra deverá ser maior do que a branca no Brasil ainda neste ano, segundo projeção feitas pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). De acordo com a entidade, porém, a renda da população negra só será igual à da branca em 32 anos. Atualmente, negros ganham, em média, 53% da renda do branco.

      De acordo com a pesquisa, feita com base nos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil terá a maioria de sua população negra, ou seja, mais da metade dos brasileiros, em 2010. A pesquisa considera negros os brasileiros que se declaram pretos (termo utilizado pelo IBGE) e pardos.

      O coordenador da pesquisa, Mário Theodoro, diretor de cooperação e desenvolvimento do Ipea, afirma que isso se deve à maior taxa de fecundidade entre as mulheres negras e pardas. A tendência, porém, é que após 2010, haja uma estabilização da população de negros, em torno de 50% da população.

      Em 1976, ano da primeira Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), a população brasileira tinha 40,1% de negros e 57,2% de brancos. Em 2006, havia 49,5% de negros e 49,7%.

      Renda

      No quesito renda, porém, segundo Theodoro, a igualdade só será possível se, além das políticas de universalização, como o programa Bolsa Família, o governo investir em ações que facilitem o acesso dos negros ao mercado de trabalho e diminua a desigualdade de renda em relação aos brancos.

      Ele cita como exemplo as cotas para negros na universidade, combatidas por parte dos intelectuais, alguns deles negros. “A cota na educação tem um ponto positivo porque é a educação que dá aceso às melhorias sociais. A questão é importante e complementar às políticas universais”, afirmou.

      Para Theodoro, a melhoria de renda dos negros, a partir de agora, dependerá de outras questões além da ajuda do governo. “Os programas de transferência de renda já estão em seu limite porque já atingem, atualmente, quase toda a população pobre que pode ser beneficiada”, afirmou.

      Mercado

      De acordo com pesquisa do Ipea, a taxa de desemprego entre os negros é de 9,3%, enquanto que a dos brancos é de 7,5%. A pesquisa cita, ainda, que nos setores com menor remuneração a maioria dos trabalhadores é negra, caso da agricultura (60,3%), construção civil (57,9%) e serviços domésticos (59,1%).

      —–

      Saia às ruas deste país, moço. Você conhece o povão, a esmagadora maioria dos brasileiros? É esse povo das novelas, dos telejornais, do Big Brother? De que adianta ficar se prendendo a detalhes para tentar vender a ideia de que o povo escandinavo da propaganda, da televisão é o povo brasileiro? Acha que é possível vender a ideia de que a televisão e a propaganda reproduzem o que é o povo brasileiro?

      Não há forma mais torpe de racismo do que negá-lo, e dizer que o Brasil não é um país de maioria afrodescendente insere-se em tentativa de negar o racismo por vias tortas.

      Você diz que não é defensor da Globo, mas é. Nos últimos dias, só se discute se Paulo Henrique é racista ou não. Pessoas como você têm toda a mídia para acusarem. Hoje há ataques no Globo, no Estadão e em vários portais e blogs corporativos da grande mídia, sempre no mesmo tom, e você vem querer impor que aqui também se discuta o Paulo, a Record, mas nunca a Globo?

      Quero saber quem são os que acusam Paulo, eu e muitos outros que estão cansados de ler só o seu lado da história na grande mídia, pois, até hoje, nenhum veículo deu voz àquele que acusam.

      Vá o Paulo Henrique tentar conseguir espaço em O Globo, na Folha, na Veja, no UOL, no G1, no Estadão… Nem depois de morto seria publicado. Mas vocês querem espaços para vocês que não dão àquele a quem acusam.

      No dia em que a direita der espaço para o Paulo Henrique nesses veículos farei o mesmo aqui pelos bate-bumbos da Globo, mas, até lá, esta foi a última concessão, a que lhe dei, a menos que queiram discutir quem são os acusadores de Paulo Henrique também.

      Sobre a Record, tem tantos negros quanto a Globo, ainda que não tenha mais, o que também é errado. Contudo, na Record não há pressão sobre jornalistas que defendam cotas, que digam que há racismo na tevê. O Azenha, o Paulo Henrique, o Nassif, o Rodrigo Vianna criticam o racismo da televisão. Quem faz o mesmo entre os jornalistas da Globo? Pelo menos a Record não patrulha ideologicamente.

      Agora, você quer que jornalistas brancos combatam o racismo de seus patrões mas não quer que um jornalista negro vitorioso, competente e inteligente use de seu posto quase único no jornalismo brasileiro para ajudar seus irmãos. Coerente, não?

      Enfim, é isso. Só aceitarei comentários, daqui em diante, que não tentem fugir, escancaradamente, da propositura do post. Este blog é financiado pelo meu salário de representante comercial, não ganho um centavo com isto, jamais sequer vi a cor de dinheiro público. Este blog é a minha casa e não a da mãe Joana, onde podem impor discussões.

      • Com licença (para entrar em sua casa), Parabéns, sua resposta é irretocável.Sua resposta me fez lembrar inúmeros examplos de celebridades norte americanas, citarei dois: cidadãos quem em vários momentos das suas vida foram discriminados, eis a reação e ação: O ator americano (negro) Denzel Washington fez uma doação de US$ 2,25 milhões à universidade nova-iorquina de Fordham, onde estudou jornalismo e interpretação nos anos 1970.’Queria criar a bolsa de estudos Denzel Washington de Teatro em Fordham para poder oferecer uma influência positiva para as futuras gerações de estudantes’, afirmou o ator nova-iorquino em comunicado divulgado nesta quarta-feira no site da instituição educativa.
        Oprah Winfrey ( cidadã afroamericana, a mais rica e poderosa personalidade de comunicação do mundo), dia 14/01/2012, foi a África do Sul, para acompanhar a formatura da primeira turma de jovens formadas em sua fundação, a Oprah Winfrey Leadership Academy. A escola têm como objetivo levar educação para mulheres em níveis de extrema pobreza .
        Eu não concordo com a expressão “negro de alma branca”, mas PHA oportunizou o debate sobre ideologia de embranquecimento, compartilhamento, invizibilidade, naturalização da desigualdade social e injustiça racial, estereótipos, e desqualificação para distorcer a realidade, tudo patrocinado, mantido pelo monopólio/oligopólio da mídia coronelista que mantém os privilégios aos que continuam no topo da pirâmide social construida há 500 anos. Grata.

    • Não faço nenhuma crítica à sua avaliação. A novela que você citou do Marcos Paulo com a Zezé Mota causou sérios problemas à Globo. Bastou, num capítulo, se beijarem para a emissora receber milhares de “cartas de protesto” e muitos anunciantes ameaçarem retirar patrocínios. Mas é assim mesmo, a sociedade avança devagar. Depois disso, a Thais Araújo já foi protagonista fazendo par com o Gianechinni, beijando e não havendo protestos. Nas cobranças dos movimentos negros, a Globo já melhorou muito e pode melhorar mais ainda.
      Ah… desculpe, faço uma crítica sim. “preto de alma branca” é expressão tão racista quanto “mulata” (oriunda de mula, a mistura de duas raças equinas) e o tal “pardo” do IBGE que você citou. Como dizia o saudoso Abdias do Nascimento, “escapou de branco, é preto” e “pardo é aquele papel de embrulho.”

    • Verdade, também acho muita prepotência dizer que mais da metade do Brasil é negro, caso os ignorantes não saibam, o Brasil é feito de brancos, negros, indios, asiáticos, e as misturas que ocorrem entre cada um, pardo pode ser de branco com indio, ou de asiatico com negro, mas de forma alguma pode ser considerado negro, cada um é cada um, e hoje em dia e provavelmente sempre será dessa forma, o Brasil tem em sua maioria brancos, seguido por pardos, e depois com pouco mais de 11% negros.

  4. Mas não é só na Globo, em todas as emissoras faltam negros. Nos EUA tem muito mais negros na televisão, e ainda falamos que eles é que são racistas.

  5. O 14 de maio de 1888 é hoje.Houve a “extinção” jurídica do trabalho que coisificava milhões de pessoas, mas não houve adoção de Políticas Públicas para promoção e desenvolvimento daqueles que com sangue, suor e lágrimas construiram o país nos quatro séculos de escravização, suas histórias e contribuição não foi (não é) contada nas escolas. A Justiça sustentada ainda é utopia.
    A população negra impedida por legislação de aprender a ler e escrever – decreto 1331, art.69 parag. 3º, proibidos de comprar terras _ Lei da terra de 1850, tem hoje na negação do direito a ter direitos a continuação da escravização, na dinâmica que oprime, invisibiliza, separa, exclue, e culpabiliza as vítima deste horrendo fenômeno (racismo) que impede o direito à vida digna.
    O debate do “negro de alma branca”, traz consigo o debate sobre a sociedade que queremos viver e a sociedade na qual vivemos, traz o debate da história de cada um de nós e de nossa ancestralidade, das lutas, crueldades e crimes contra a humanidade.

  6. O pior dessa história, são brancos querendo ensinar negros
    a serem negros.
    Não é engraçado?

    • Se o Reinaldo Azevedo morre, vocês, reaças teleguiados, não saberão nem escovar os dentes… Ninguém está querendo ensinar nada aos negros, estamos querendo que uma concessão pública não pratique racismo.

  7. E se seu post pretende ser honesto e justo, faça uma parâmetro
    com as outras emissoras como fez com a Globo.
    Coloque fotos dos programas de outras emissoras também.

  8. Na novela das 7, Aquele Beijo, tem, pelo menos, uns 10 negros em papéis importantes, trrabalhando.
    Desafio alguém a apresentar esse número, num outro canal de televisão.

  9. O caro redator precisa dar atenção ao fato de que num contexto de mídia politizada, como acontece no Brasil, defender ou atacar um, acaba sendo defender o outro. A forma agressiva com que se defende das justas proposições dos visitantes de fazer uma análise igualmente minuciosa das outras emissoras depõe contra a suposta imparcialidade que seria esperada do blog. Temos presenciado no Brasil uma verdadeira guerra entre grupos políticos que representam as minorias. De um lado as feministas pedem a saída do BBB que alegam ter feito sexo sem o consentimento da parceira (o que tipificaria o crime). De outro o movimento negro tenta dar uma conotação totalmente racista à expulsão do participante. E no fim pode ser que não seja nem tanto pra um lado e nem pro outro. Precisamos de equilíbrio pra saber discernir a verdade com sabedoria. Se ficarmos nesse cada um por si Deus por todos a radicalização vai aumentar. Fica a pergunta: o blog é evangélico pra se esquivar tanto da comparação com a Record?

    • O blog é laico e não se esquiva de nada. Como a Globo destacou gente pra vir aqui tentar tirar o foco de si e desviá-lo para a Record, optei por não dar espaço a uma ação orquestrada. Este blog já disse, reiteradas vezes, que o problema do racismo atinge TODA a televisão brasileira e TODA a propaganda. O que se discutiu neste post é que quem acusa PHA age da mesma forma que acusa ou pior. A Record não acusou ninguém, a Globo acusou. Por isso o foco é a Globo. Aliás, ao apontar só a Record como emissora que faz o mesmo que a Globo ao não dar espaço condizente ao negro, a tropa de comentaristas organizada pela Globo mostrou sua origem.

  10. A falta de negros e muito grande nas televisoes de todo o mundo,as pessoas julgam por ser de cor negra,ela tem que ver que o importante nao e a cor e sim o cidadao o carater que a pessoa e.E que um negro e igual a todo mundo.
    Entao gente primeiro olha a capacidade do ser humano e nao a cor.
    Espero que isso mude o mais breve possivel.

  11. Estou preocupada,

    Esta nova novela do SBT, declaradamente infantil ira exibir um personagem que ao meu modo de ver é ofencivo de degradante a nossa raça.

    A emissora vai exibir a figura de um menino negro, o único em uma sala de aula de mais de 20 alunos, o sei não compreende a porcentagem adequada ao Estatuto da Igualdade Racial – Lei 12288/10 | Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010 e este único aluno declaradamente diz que gostaria de ser branco?

    Sou mãe de uma menina de 5 anos, negra e linda que eu luto e dou exemplo para que ela se orgulhe de sua raça e de sua cor, eu assisti esta novela quando criança e me sentia ofendida com o posicionamento do menino Cirílo, pois este confrontava com toda a nossa luta de crianças negras crescendo num país de preconceito, isso nos rebaixava e nos tornava menos orgulhosos de nossa condição.

    Hoje é inaceitável este tipo de comportamento racista do personagem da novela infantil, que degrada e humilha as crianças negras de todo o país, minha filha não assistirá esta novela e por graças ela é uma menina, mas eu tenho sobrinhos.

    É muito fácil aderir a um comportamento hipócrita quando de verdade não se é sensível ao tema, exclamando a demonstração de uma realidade cruel que espero não existir de forma ascendente, muito pelo contrário nossos negrinhos estão mais confiantes, autônomos, felizes e satisfeitos com a evolução de seus pais e não merecem terem as suas imagens ultrajadas em uma novela nacional e dirigida a eles.

    Independente do desfecho toda a fala do menino em relação a sua cor é degradante e ofensiva e é este tipo de exposição que deve ser vigiada que não se trata de um adulto espancado ou ofendido ou um negro orgulhoso admitindo ser um grande animal da selva e sim a auto estima das crianças negras deste país que devassada e afetada por um questionamento inútil sendo que os relacionamentos inter raciais que a novela quer mostrar estão em voga .

  12. 1º- o mais triste desta intervenção é essencialmente promover o racismo.
    2º-Hoje está na moda e é politicamente correto o tema de fundo que é o racismo.
    3º-Porque será que só se fala de Branco e Preto e não nas outras cores
    4º-Porque não existe uma matéria a repudiar a falta de Vermelhos ( Índios ) nas Emissoras e respetivos programas?
    5º-Porque será que não se fala da pobreza dos Índios?
    6º-Será que num reino de racismo o Índio é tão descriminado que nem sequer tem direito á descriminação?
    7º-E os amarelos ( Asiáticos), onde estão estão eles?

    Resumindo, tristemente em termos de racismo, tudo se resume a duas cores, uma que quer manter a sua superioridade e a outra que quer necessariamente a superioridade que tanto critica no outro. A verdade é só esta.
    A vitimização do Negro chega a ser revoltante principalmente fora do continente Africano. Hoje em dia, tudo o que é negativo atribui-se culpa ao branco e porquê? simplesmente porque é mais fácil, á muito que o poderio branco em Africa acabou, e o que vemos agora em Africa? Países na miséria, quem manda é bilionário e o povo simplesmente na miséria ( não existem brancos no poder). Então porque não exigir seus direitos, lutar pela igualdade, lutar por melhores condições? Bom, não existem brancos para culpar nem para acusar, então para quê se mexer…Aqui não, só se fala em direitos e cadê os deveres?

  13. Eduguim, esses comentários estão do tipo “maquina de resposta”. E o engraçado é que no Blog do PHA e do Miro está do mesmo jeito!! Interessante não.

    • uma resposta generalista, citando um livro escritopor Ali Kamel;O nosso racismo é um dos piores do mundo!!! pois é silencioso, é covarde, não é possível que num pais com uma porcentagem de negros, não encontre repórteres negros âncoras negros apresentadores negros.O pião da globo no jornalismo, é o repórter, porèm como esta a frente das câmeras ou se preferir na frente dela. mesmo sendo um cargo de inicio nós não vemos negros, será que não tem negro formado em jornalismo, ou com boa dicção, com certeza o morro as favelas se sentiriam mas representados pela midia, Ali , deixa sua filha se apaixonar pelo câmera men, pelo cobo men, e misturar as cores dentro da sua casa,isso é não ser racista, enquanto a maju for excessão, o racismo existira, a frase tem um negro na minha empresa, sou amigo de um negro é a caracterização do racismo, tenho um filho militar, tenho um filho de 18 anos no segundo periodo de bilogia na celso,pois optamos não fazer a ufrj no qual ele passou, por causa das greves absurdas, moro no alto da boa vista em um apartamento de 800.000,00 carro quitado. mas não me vejo representado na midia de um modo geral, assisto futebol redação, sportv só vejo branco sentado naquelas mesas redondas, quando nossos jogadores, os grandes foram negros, patricinhas falando no é gol sem nenhum conhecimento de causa. e o nosso futebol só star na seleção brasileira do jeito que estar, porque os jogadores na sua maioria, não saem mais da varzea,pois descobriram que dá para pagar 1.000.000,00 a um jogador como AdrianoRomario, Edison Vampeta, pois eles não se curvam a mídia hipócrita. então estão procurando jogadores mauricinhos fabricados, que vem de indicação ou da fabrica do futebol. Ali olha ao seu lado, e veja não te servindo, como porteiro, cafezinho, faxineiro, olhe ao seu lado na reunião e veja se existe racismo ou não , Boechat disse em uma esplanação, exatamente isso, que da portaria do predio da casa dele até a portaria da band ele se depera com centenas de negros, quando ele entra ne redação, pra cima os negros somem… sem contar que o nosso salario quando nos tornamos gerente como sou de uma empresa, é em media 45% menor, e só me torno gerente depois de aceitar acordos cabulosos para provar minha qualidade, pois quando a vaga é direta para gerente, geralmente sou o unico candidato negro, e o resultado o senhor ja sabe>…. mas vai mudar… na midia demora uns 50 anos ainda pois vossos filhos não deixam espaço pra ninguem, datena, datena filho, fernada torres, tarcisios filhos, clã Chico anisios, e por ai vai… olha do seu lado direito agora……

Trackbacks

  1. Heraldo, combata a falta de negros na Globo | Conversa Afiada
  2. MÍDIA | Blogueiro discute racismo na Globo | Direto do Sanhauá

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.