Bolsa Família foi bloqueado para flagelados do Pinheirinho

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Passei o dia de ontem no Caic D. Pedro, em São José dos Campos – um centro esportivo transformado em depósito de gente. Meu trabalho – e das outras 91 pessoas (43 de São Paulo e o resto do interior) que integraram a força-tarefa do Condepe – foi o de ouvir e registrar, em formulário específico, denúncias de violência e/ou danos materiais.

Apesar do muito que tenho a relatar, antes de mais nada tenho que fazer uma denúncia urgente pois as necessidades daquelas famílias não podem esperar. Entrevistei muitas pessoas, ouvi histórias absurdamente dolorosas, denúncias que me fizeram a alma ferver, vi cenas que jamais tirarei da cabeça, mas o que me preocupa, agora, é outra coisa.

A grande maioria dos que ouvi recebe o Bolsa Família. Todavia, o benefício tem um pré-requisito para quem tem filhos em idade escolar: eles têm que estar matriculados na escola. Ocorre que muitas pessoas não têm como matricular os filhos em escola alguma porque não sabem aonde irão morar e, além disso, não têm mais endereço para informar.

Algumas das famílias que entrevistei relatam que, por conta disso, tiveram o Bolsa Família bloqueado, pois, devido a toda aquela tensão que antecedeu a reintegração de posse do terreno em que viviam, acabaram não matriculando os filhos. E agora que estão amontoadas em depósitos de gente é que não têm nem como pensar nisso.

O governo federal, portanto, precisa liberar o pagamento do benefício para aquelas famílias mesmo que não tenham matriculado os filhos.

Essa medida tem que ser tomada já. A maioria daquelas pessoas foi demitida por ser do Pinheirinho, empresários de São José dos Campos se negam a contratar quem era de lá, então o Bolsa Família é a única fonte de renda para muitas daquelas famílias.

Aliás, também vale relatar que as famílias foram avisadas de que terão que deixar os depósitos até a semana que vem, quando quem não conseguiu casa terá que ir para galpões que ficam à beira de rodovias, longe do comércio, sem qualquer serviço público, sendo que não têm como se locomover porque a maioria tem doentes, crianças de colo, idosos, pessoas de todas as idades com necessidades especiais, sem falar que a grande demanda por imóveis gerada por centenas de famílias desabrigadas inflacionou o mercado, tornando insuficientes os 500 reais que serão dados pelo governo.

De resto, foram mais de 500 denúncias de roubo ou destruição de patrimônio – pessoas expulsas, quando voltaram para buscar suas coisas, encontraram suas casas ainda de pé, mas vazias, ou então queimadas ou esmagadas pelos tratores. Há também quase 20 denúncias de lesões corporais e ao menos dois desaparecimentos.

Detalhe: são denúncias com nome e assinatura dos denunciantes.

Não foi por outra razão que explodiu o desespero daquela gente durante audiência na Câmara Municipal de São José dos Campos, ontem à noite, quando as denúncias foram formalizadas. Quase ocorreu uma desgraça. O guarda da portaria da Câmara impediu um grupo de rapazes do Pinheirinho (todos negros, claro) de entrarem na Casa do povo. E ainda disse que gente como eles tinha que morar debaixo da ponte mesmo. Indignada e desesperada, meia dúzia de jovens invadiu a Câmara e perseguiu o guarda. Entrei no meio da confusão, junto com outros voluntários, e conseguimos impedir um linchamento.

Por pouco não acabamos agredidos, pois aqueles jovens estavam fora de si de tão desesperados e indignados. Mas conseguimos que nos ouvissem, sobretudo quando lhes disse que se cometessem aquele erro estariam dando razão aos seus algozes.

Quem pode culpá-los? Perderam seus bens, suas casas, seus empregos, suas dignidades e, agora, algumas famílias também perderam o Bolsa… Família. Por isso, presidenta Dilma Rousseff, rogo, por tudo que é mais sagrado, que seja ágil ao liberar o benefício para as famílias do Pinheirinho, com ou sem matrícula.

Tags: , , ,

132 Comentário

  1. O que tema ver o Pinheirinho com o MInistério :

    Por que o PT precisa retomar o Ministério das Cidades? Porque é um ministério que existe por força das lutas populares pelo direito á terra, através dos movimentos sociais, como MST, Sindicatos, Associações de Moradores, das CEBES,(de antigamente) da Pastoral d a Terra, militância do PT , intelectuais, acadêmicos , entre outros. Após o êxodo rural com a mecanização do campo e outras mazelas sociais aconteceu grande afluxo de moradores do campo para as periferias das cidades, a falta de acesso a terra, falta de políticas públicas de moradia , favelização crescente, os movimentos sociais e parcerias deram inicio ao Movimento pela Reforma Urbana. Como a luta organizada pela acesso à terra se dá em saltos, após anos de batalhas conseguiu incluir os artigos 182 e183 na CF/1988 , somente em 2001 (passados 13 anos) foram regulamentados pela Estatuto da Cidade, de 2001 a 2012, mais 11 anos se passaram e ainda o povo esta sofrendo por direitos conquistados e não implementados pelos governantes de partidos conservadores e seus doadores de campanhas . Então entregar o Ministério das Cidades , um dos mais importantes para se fazer avançar nos processos democráticos participativos e inclusivos em relação á política urbana , regularização fundiária, moradia, plano diretor participativo, além de um desserviço aos movimentos sociais seria tb fator de desmobilização crescente dos setores organizados da sociedade civil.

  2. Mais INVESTIMENTOS para o Nordeste:(mais Empregos e Renda e menos bicudos e demonios)

    Espanhola anuncia fábricas em Pecém(CE) e Suape (PE)

    Publicado em 31/01/2012 – 4:28 por Egídio Serpa | Comentar

    Além de um laminadora no Complexo do Pecém, no Ceará, a empresa espanhola Añon está anunciando que construirá uma fábrica de vergalhões e fios de aço no Complexo de Suape, em Pernambuco.

    A propósito: a convite da Adece, um grupo de executivos da Añon sobrevoou Pecém, sábado, 27.

    A Espanha está em crise.

    _Aviso aos neoliberais tucanos: Vocês não diziam que os mercados se AUTO REGULAVAM ? O que deu errado ?

  3. Pinheirinho foi um ato de gigantesca brutalidade do governo Geraldo Alckmin. Independentemente da atuação da “senhora juiza”, a qual demonstrou ser uma pessoa com sensibilidade zero e que nunca deveria estar onde está. Comportamento estarrecedor o dessa senhora. Estarrecedor.

    Quanto a Geraldo Alckmin, este poderia ter trabalhado uma solução diferente. Em poucos meses, a área poderia estar desocupada, se ele tivesse tido vontade política de tratar tudo de outra forma, capitalizando o evento para si, diferenciando-se, no âmbito do PSDB, partido amplamente conhecido pela sua boa vontade com os abonados. Alckmin poderia ter atendido aos interesses econômicos que estão por trás de sua ação brutal e ter resolvido tudo sem brutalidade, saindo bem na foto com todos. Que governador pífio!

    Não importam pesquisas ditadas pelo PIG: duvido que a maior parte da sociedade de SJC, se pudesse escolher, escolhesse a expulsão das pessoas por meio da violência. Uma coisa é querer a desocupação, outra é querê-la pela via da violência. Se assim fosse, a população de SJC seria psicopata e não acredito nisso.

    Geraldo Alckmin nunca deveria ter sido eleito, chuchu é pouco para defini-lo. Trata-se de um parvo. Amigos meus que votaram nele e que simpatizam (não sei se mais) com o PSDB estão decepcionados. Eu mesma acreditei que ele seria uma pessoa diferente dentro do PSDB. Vimos que não, no final, é “farinha do mesmo saco psdbista”, um partido de privatas insensíveis e entreguistas.

    Há poucos dias, vi um livro do Chalita (possível candidato a prefeito), muito amigo da família Alckmin, elogiando o governador na abertura pela sua ética ou coisa assim. Chalita deveria repensar, como homem católico que demonstra ser.

  4. Bolsa Família, sim, mas e o uso capião? Isso seria possível?

  5. A situação é “braba”. Ora, a mídia, maior responsável pela manutenção do status quo que levará o país à rabeira do atraso, continua incólume. Faz e desfaz, cria as pautas que quer, para blindar os seus parceiros de máfia que se apossaram do país, desde a privataria até a terceirização dos serviços essenciais em mãos de laranjas tucanas, nos estados ricos. E nada lhes muda a desfaçatez. A Folha / UOL, contristada, dá notícias que levam à compunção, ao se ver a preocupação com que o jornal e seu braço eletrônico noticiam sobre os 5 ainda desaparecidos, no Rio. Nenhuma linha sobre os infortunados do Pinheirinho. Aliás, para a Folha, problemas só com os outros estados, pois São Paulo é um mar de rosas. A mesma Folha mostra-se preocupadíssima com os direitos humanos de um prisioneiro que morreu em Cuba, mas não se comove, nem uma linhazinha, sobre os doentes, com câncer terminal, atirados à própria sorte após a limpeza étnica praticada pela PM paulista, sob a batuta de um piedoso irmão da Opus Dei. Pelo que me consta, o jornal Folha, o diário da “massa cheirosa” não dá mais uma só linha sobre as denúncias de cidadãos pobres, ainda não encontrados, depois do tsunami de brutalidade que varreu do mapa os seus lares em SJC e tudo que lhes restava de poucas posses materiais. O jornal dos Frias nem insiste em que a “justiça” paulista, segundo o CNJ/COAF, anda de braços dados com toda a sorte de trambiques e que simpatiza abertamente com as causas dos grandes “financistas” especuladores, sonegadores de grosso calibre, o que permite ao megatrambiqueiro Nazi Nadas (em dinheiro) permanecer faceiro em sua mansão de custo milionário apesar de aplicar golpe aos tubos no erário. Direitos somente para os megapoderosos, megapilantras. E assim, a massa cheirosa da cantanhéde, minoritária, segue impávida, com a força das armas e com o judiciário infiltrado de inimigos dos pobres, a mostrar que neste país, quem rouba mais chora menos. Como sintoma de que nada mudará, nada acontecerá, seu Serra vai e volta e, do alto dos bilhões que, segundo o livro do Amaury, sua família acumulou em paraísos fiscais, está mais preocupado em escolher o posto ao qual se candidatará, se a prefeito ou a presidente do Brasil, tão convicto que está da sua inocência ou da sua absoluta impunidade.

  6. O Programa TJ Brasil do SBT mostrou ,hoje,31.01.2012, a triste situação da outrora próspera Espanha.O Desemprego atinge de forma mortal a economia espanhola.Engenheiros,comerciaarios,industriarios, outros profissionais liberais sem dinheiro até para se alimentar.Milhares de espanhois se valem da comida servida gratuitamente pela igreja que ,antes,era só para imigrantes pobres.Atualmente, 30 mil pessoas vivem nas ruas na Espanha.Os imigrantes latinos estão voltando (Brasil/México etc) e dizem: A Europa que compensava NÃO EXISTE MAIS.
    Mesmo assim, os tucanos do psdb ainda preconizam que se instale ,aqui no Brasil,esse regime NEFASTO.Quem preconiza isso, certamente, sabe que pode se dar bem ,mas o resto do povão ,obviamente,vai se dar mal.Países, outrora, prósperos, hoje, se veem, em tal situação.Ver a situação de Islandia,Grécia,Irlanda,Portugal,Italia……Ou se detém o neoliberalismo e seu irmão siames o sistema financeiro predatório, ou ele acaba com o mundo….

    • Só para esclarecer: o governo vigente na Espanha até o final do ano passado era de esquerda, desde os atos terroristas de 11 de março de 2004, há 7 anos.
      Se informar faz bem e evita que se emitam patacoadas.

      • De esquerda? Governo espanhol, de esquerda? Só faltou dizer que o Generalíssimo Franco era comunista.

        Você acha que aqui só tem idiota?

        De esquerda. O governo espanhol, de esquerda. A gente lê cada uma!Almir

        • OLha, acho que sim. Informe-se também. Não adianta ficarem emitindo mentiras via blog particular que as coisas não vão mudar. Verdades não são mudadas com opiniões particulares. Repetendo: o governo de José Luis Zapatero era de esquerda. Perdeu as eleições ano passado para um governo de centro-direita, na pessoa de Mariano Rajoy. Informe-se, leia a imprensa internacional. O mundo não se resume ao partido dos trabalhadores do Brasil.

          • É, ele era de esquerda.
            Que nem o finado fhc, que é de esquerda desde criancinha.

      • Só para esclarecer: O governo vigente na Espanha, apesar de se rotular como de esquerda, de fato nunca questionou os postulados e a prática liberal muito menos o “sistema financeiro predatório”. Era somente rótulo. Querer confundir os leitores é má-fe. E a crítica do nosso amigo cearense é totalmente procedente.
        Informar corretamente evita que se fale asneiras o que se traduz em credibilidade.

      • O governo espanhol é tão de esquerda quanto o da Grécia é sociaista. Tanto quanto Freire e seus asseclas.

        Ou seja, nem um tantinho. São todos sociais democratas, como FHC e curriola.

        Claro, do ponto de vista da extrema direita vinculada aos EUA, como vc, até Serra é comunista, então percebe-se claramente onde está o problema…

    • Pior: uma cambada de burugesóides, geralmente assalariados ou aposentados, pensando que são “das elites”, ficam preconizando a reinstalação desse sistema desastroso, que deu errado em todo lugar que foi praticado. É só ver a derrocada, a bamcarrota do Japão, dos Estados Unidos e da União Européia.

      Outrossim, onde se viu assalariado, ou beneficiário de aposentadoria, se achar “burguês”? São conceios que se repelem.Só aqui no Brasil, onde os neobabacas (aqui mesmo no blog desfilam alguns deles) acham que são burgueses, que são imunes à crise do neoliberalismo, à espoliação capitalista, etc. Não passam de um bando de neobabacas manipulados pela redebobo.

  7. Edu,

    Li o texto, mas vou discordar em alguns pontos. Em relação ao Bolsa familia, ele não é bloqueado imediatamente. O que pode ter havido é que as mães não fizeram o recadastramento anual. Até porque tudo é feito por assistente social. A escola envia relatorio mensal, e a mãe é chamada na escola pra prestar esclarecimentos pela ausência dos filhos.
    E a invasão no terreno ocorreu no começo de ano letivo. As mães deveriam ter matriculados seus filhos.
    O que pode ter ocorrido é que essas mães não fizeram o cadastramento no Programa.
    É preciso apurar melhor isso. Pedir a um assistente social, fazer o levantamento do que realmente houve.
    Lembre-se não estou insensível ao problema destas mães, até porque fui e continuo apoiadora da causa, mas essa informação em primeiro momento não procede, e falo isso porque atuei como Conselheira de escola e sei que o Bolsa família não é bloqueado de imediato. Pro Governo Federal liberar é preciso apurar se essas mães realmente estão cadastradas no Programa. Tem como pedir uma cópia do cartão, na caixa econômica. Se elas não matricularam as crianças, devem pedir ao Conselho Tutelar que encaminhe as matriculas. Podem dar endereço de parentes, de amigos de forma provisória. Verifique isso.
    Abraços,
    Katia

  8. Também estive no mutirão do CONDEPE realizado ontem lá em São José dos Campos. Nosso grupo foi dividido para atender os diferentes “abrigos” e fiquei junto com o pessoal que foi ao Jardim Morumbi. Muita tristeza, muito descaso. Das quase duas dezenas de depoimentos que colhi, também havia pessoas que não tinham conseguido matricular seus filhos nas escolas da região e, por isso, perderam o benefício. Além disso, também colhi as denúncias de pessoas que haviam perdido o emprego depois da reintegração de posse, seja por terem sido demitidos, ou porque trabalhavam vendendo salgados, geladinho, água sanitária e outras coisas ali na ocupação. Ou seja, neste momento, todas estas pessoas estão também sem nenhuma renda.

    Também fiz um depoimento do que vi e ouvi no dia de ontem e disponibilizei no meu blog. Quem tiver interesse em ler, o endereço do depoimento é: http://umhistoriador.wordpress.com/2012/01/31/a-tragedia-dos-campos-de-sao-jose-um-depoimento-emocionado/

  9. ONU recebe novo relatório sobre violações no Pinheirinho

    Entidades criticam falta de apuração sobre mortes, desaparecimento de pertences dos moradores e impedimento ao trabalho da imprensa

    Por: Redação da Rede Brasil Atual
    Publicado em 31/01/2012, 18:51

    São Paulo – Entidades de defesa dos direitos humanos enviaram à Organização das Nações Unidas (ONU) e à Organização dos Estados Americanos (OEA) um novo relatório sobre as violações cometidas pela Polícia Militar de São Paulo na desocupação da comunidade do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), a 100 quilômetros da capital paulista, no Vale do Paraíba.

    O documento formulado pela Justiça Global em parceria com Brigadas Populares, Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência é baseado em uma série de relatos e na apuração dos fatos ocorridos após o último dia 22, quando os moradores locais, calculados em seis mil, foram vítimas de repressão.

    São condensadas informações sobre os erros legais cometidos pelo governo estadual e pela prefeitura na condução do caso, o impedimento de que as famílias retornassem ao local de moradia para recolher os pertences, a negativa dos policiais em prestar assistência aos feridos e o realojamento em abrigos precários.

    O relatório, que será recebido por relatores especiais da ONU para questões de moradia, de execuções sumárias e de análise do trabalho do Judiciário, fala ainda que não foi possível, por ora, comprovar mortes no operativo, embora existam indícios de que tenham ocorrido. “Famílias sem contato entre si durante dias. Mais de uma fonte de nossos relatos mencionou a existência de vítimas fatais do despejo enterradas na localidade conhecida como Mangueira, nos limites do terreno”, aponta o texto. A Polícia

    Militar nega a ocorrência de vítimas fatais na ação.
    A apuração das mortes, assim como os outros fatos relacionados à ação de desocupação, foi prejudicada pelo impedimento ao livre trabalho da imprensa, anotam as entidades. O relatório lembra ainda que jornalistas não só foram reprimidos no momento da operação como foram impedidos de circular pelo local nos dias seguintes.

    Moradores tampouco puderam percorrer o local com normalidade. Segundo o relatório, as famílias só tiveram acesso às antigas residências, já destruídas, no dia 25, e muitos bens estavam sob os escombros, sem condições de uso, ou haviam sido saqueados.

    As organizações manifestam estranhamento com a dificuldade das diferentes esferas de governo em resolver a questão, que se arrastava desde o início da ocupação, em 2004. O terreno de um milhão de metros quadrados pertence à massa falida da Selecta, de Naji Nahas, conhecido por especulação e acusado de fraudes em operações acionárias de grandes empresas.

    http://www.redebrasilatual.com.br/temas/cidadania/2012/01/onu-recebe-novo-relatorio-sobre-violacoes-no-pinheirinho-em-sao-paulo

  10. Em face da reintegração judicial de posse da área conhecida como Pinheirinho, em São José dos Campos, o PT montou uma fábrica de mentiras para divulgar nas próximas campanhas eleitorais. Em respeito aos leitores da Folha, eis as mentiras, seguidas da verdade:

    Mentira 1: “O governo federal fez todos os esforços para buscar uma solução pacífica”.
    Verdade: Desde 2004, a União nunca se manifestou no processo como parte nem solicitou o deslocamento dos autos para a Justiça Federal. Em 13 de janeiro de 2012, oito anos após a invasão, quando a reintegração já era certa, o Ministério das Cidades -logo o das Cidades, do combalido ministro Mário Negromonte- entregou às pressas à Justiça um “protocolo de intenções”. Sem assinatura, sem dinheiro, sem cronograma para reassentar famílias nem indicação de áreas, o documento, segundo a Justiça, “não dizia nada”, era uma “intenção política vaga.”

    Mentira 2: “Derramou-se sangue, foi um massacre, uma barbárie, uma praça de guerra. Até crianças morreram. Esconderam cadáveres”.
    Verdade: Não houve, felizmente, nenhuma morte, assim como nas 164 reintegrações feitas pela Polícia Militar em 2011. O massacre não existiu, mas o governo do PT divulgou industrialmente a calúnia. A mentira ganhou corpo quando a “Agência Brasil”, empresa federal, paga com dinheiro do contribuinte, publicou entrevista de um advogado dos invasores dando a entender que seria o porta-voz da OAB, entidade que o desautorizou. A mentira ganhou o mundo. Presente no local, sem explicar se na condição de ativista ou de servidor público, Paulo Maldos, militante petista instalado numa sinecura chamada Secretaria Nacional de Articulação Social, disse ter sido atingido por uma bala de borracha. Não fez BO nem autorizou exame de corpo de delito. Hoje, posa como ex-combatente de uma guerra que não aconteceu.

    Mentira 3: “Não houve estrutura para abrigar as famílias”.
    Verdade: A operação foi planejada por mais de quatro meses, a pedido da juíza. Participaram PM, membros do Conselho Tutelar, do Ministério Público, da OAB e dos bombeiros. O objetivo era garantir a integridade das pessoas e minimizar os danos. A prefeitura mobilizou mais de 600 servidores e montou oito abrigos. Os abrigos foram diariamente sabotados pelos autodenominados líderes dos sem-teto, que cortavam a água e depredavam os banheiros.

    Mentira 4: “Nada foi feito em São Paulo para dar moradia aos desabrigados”.
    Verdade: O governo do Estado anunciou mais 5.000 moradias populares em São José dos Campos, as quais se somarão às 2.500 construídas nos últimos anos. Também foi oferecido aluguel social de R$ 500 até que os lares definitivos fiquem prontos. Nenhuma família será deixada para trás.

    Entre verdades e mentiras, é certa uma profunda diferença entre PT e PSDB no enfrentamento do drama da moradia para famílias de baixa renda. O Minha Casa, Minha Vida só vai sair do papel em São Paulo graças ao complemento de R$ 20 mil por unidade oferecido pelo governador Geraldo Alckmin às famílias de baixa renda. Sem a ajuda de São Paulo, o governo federal levaria 22 anos para atingir sua meta.

    O PT flerta com grupelhos que apostam em invasões e que torcem para que a violência leve os miseráveis da terra ao paraíso. Nós, do PSDB, construímos casas. Respeitar sentença judicial é preservar o Estado de Direito. É vital que esse princípio seja defendido pelas mais altas autoridades. Inclusive pela presidente, que cometeu a ligeireza de, sem maior exame, classificar de barbárie o cumprimento de uma ordem judicial cercado de todas as cautelas que a dramaticidade da situação exigia.

    Senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP)

    • Putz, agora emporcalhou o Blog. Aluysio Nunes. Precisa dizer mais alguma coisa.

      É PSDB ubber alles na veia, mesmo.

      Vcs, tukkkanos não tem um pingo de vergonha na cara. Acusam de mentir enquanto mentem descaradamente.

      Refinaram a técnica do Maluf mesmo…

  11. O governo Dilma está sendo muito mole com o Torquemada nariguda e o seu Torquemadinha de SJC! Acesso á Educação é direito constitucional! Cadê o MEC, o MPF, o MJ para emparedar estes tucanos? Desde o começo do caso, a PF deveria estar apurando as violações de Direitos Humanos no Pinheirinhos, pois da Polícia Civil de SP não vai sair nada. Muito menos do MP e TJ-SP, infestados de Opus Deis. Aja, Presidente Dilma!

Trackbacks

  1. Advogado Toninho | PIG
  2. Cortaram o Bolsa Família em Pinheirinho | Conversa Afiada
  3. Bolsa Familia é suspenso para os moradores despejados do Pinheirinho – [50 mm]
  4. Tudo muito bem planejado? | PIG
  5. Bolsa Família bloqueado no Pinheirinho | Viva Marabá Carajás Brasil
  6. Ministério contesta matéria do blog sobre Bolsa Família | Blog da Cidadania

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.