Blogueiro da Veja quer prisão de jornalista que acuse sem provas

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Há anos que os grandes meios de comunicação do eixo São Paulo – Rio de Janeiro (o que inclui jornais, revistas, rádios, televisões e portais de internet) vêm empreendendo uma cruzada contra o que chamam de “censura à liberdade de imprensa” ou “de expressão” que estaria sendo planejada pelo Partido dos Trabalhadores e seus aliados ou simpatizantes, de forma a coibirem críticas ao governo federal.

Para esses veículos, não pode haver limite para críticas ao governo, ainda que nunca tenham esclarecido se a premissa valeria para qualquer governo ou só para os governos do PT. Agora, porém, isso está sendo esclarecido.

Editoriais dos jornais O Globo e O Estado de São Paulo já vinham na linha da defesa incondicional do governo Geraldo Alckmin, mesmo que em suas campanhas pela “liberdade de imprensa” sempre tenham caracterizado qualquer defesa do governo federal como “jornalismo chapa-branca”.

Já o jornal Folha de São Paulo vinha em uma linha mais jornalística, inclusive dando furos de denúncias de assassinatos ou desaparecimento de moradores do Pinheirinho, mas acabou publicando editorial em que até reconhece os excessos da Polícia Militar, mas centrando fogo nos partidos e movimentos sociais que se ergueram em defesa dos flagelados pela ação da Polícia Militar e, o que é pior, não citando o governador de São Paulo ou seu partido uma única vez.

Mas, agora, o blogueiro e colunista da revista Veja Reinaldo Azevedo foi mais longe. Publicou texto em seu blog na última quarta-feira em que aumenta o tom da defesa que os veículos da grande imprensa de São Paulo e do Rio de Janeiro vêm fazendo do governo de São Paulo diante da forte repercussão negativa de sua ordem para que a Polícia Militar despejasse 1.600 famílias do bairro do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), no último domingo (22.01.2012).

A proposta desse texto é a de que sejam presos jornalistas ou mesmo cidadãos sem formação jornalística que façam acusações sem provas ao governo tucano de São Paulo, mesmo que estejam se limitando a reproduzir denúncias de violações de direitos humanos que já estão até sendo repercutidas no exterior e que já geraram decisão da Organização das Nações Unidas de denunciar o governo de São Paulo por tais violações.

Abaixo, trechos dos vários posts que esse blogueiro da revista Veja está publicando nesse sentido.

—–

Alô, governo de SP, Justiça e Ministério Público! Hora de combater os criminosos da rede. Cadeia para os mentirosos!

É impressionante!

Multiplica-se na rede a delinqüência originalmente veiculada pela Agência Brasil, sob o comando da EBC, segundo a qual houve mortos na desocupação do Pinheirinho. Há vídeos circulando na rede que acusam, entre outras coisas:

– a Polícia Militar de esconder corpos;

– o governo e a PM de separar as crianças de seus pais;

– a prática de tortura.

E onde estão as evidências? Não há! Até porque não aconteceu nada disso. Afirma-se que, entre os mortos, há crianças. São criminosos operando a serviço de teses políticas. A EBC publicou hoje uma patética reportagem desmentindo o que ela própria havia divulgado ontem (as tais mortes) e, mais uma vez, atropelou a boa técnica jornalística e o bom senso. Na madrugada, trato do assunto. Terei de lembrar a Nelson Breve alguns fundamentos da profissão, uns 20 anos depois de nossa última conversa. Daquela vez, eu lhe passei alguns fundamentos do jornalismo em seu primeiro emprego na área. Agora, eu vou convidá-lo a recuperar alguns fundamentos de sua experiência no setor bancário — de onde ele vinha. Ele precisa tratar o leitor, o ouvinte e o telespectador da EBC como os bancos tratam os correntistas: procurando ganhar a sua confiança!

A expressão na Internet é e deve continuar livre. Mas ninguém tem licença para usar a rede para cometer crimes. Acusar a Polícia Militar, o governo do Estado e a Prefeitura de São José dos Campos de esconder corpos é crime — no caso, de calúnia. E o lugar de caluniadores é a cadeia.

Ou os entes do estado reagem contra os criminosos, ou eles progridem! É perfeitamente possível chegar à origem dessas mensagens e responsabilizar seus autores, segundo as regras vigentes no estado democrático e de direito.

(…)

A liberdade de expressão não confere a ninguém a liberdade de caluniar — continua a ser um crime, pouco importa o meio.

—–

Há uma grave distorção dos fatos, aí. A matéria da Agência Brasil (EBC) não acusou Alckmin ou a PM de nada, apenas repercutiu denúncias que já ganharam o mundo, tendo sido largamente reproduzidas na imprensa internacional em veículos como o diário britânico The Guardian ou na rede de televisão Al Jazeera.

Contudo, quem tem incomodado a grande mídia paulista e fluminense não está fazendo nada nem parecido com o que ela mesma faz há anos contra o governo federal semana sim, outra também. A própria Veja e congêneres, nos últimos anos, não se limitaram a reproduzir denúncias até de assassinato contra o governo Lula, mas endossaram-nas

A revista Veja, por exemplo, em sua edição 1929, de 2 de novembro de 2005, publicou matéria acusando a campanha de Lula à Presidência em 2002 de ter recebido doações ilegais de dinheiro transportado de Cuba para o Brasil clandestinamente. Abaixo, o trecho da matéria contendo a acusação:

—–

Os dólares, acondicionados em caixas de bebida, andaram por Brasília e Campinas até chegar ao comitê eleitoral de Lula em São Paulo. Dois ex-auxiliares do ministro Palocci confirmaram a história a VEJA. São eles: Rogério Buratti e Vladimir Poleto, que transportou o dinheiro de Brasília a Campinas a bordo de um avião Seneca.

(…)

—–

Nada jamais foi provado e, que se saiba, ninguém pediu prisão para quem fez essa matéria. Como se vê, é muito diferente do que vêm fazendo a EBC ou mesmo a blogosfera. Não se está reproduzindo denúncias, mas endossando-as. O tom da matéria supra reproduzida não diz que pode ter ocorrido, diz que ocorreu.

A mesma coisa fez o jornal Folha de São Paulo em 2007 ou em 2009, por exemplo.

Em 19 de julho de 2007, o jornal publicou chamada em destaque em sua primeira página que remetia a matéria de um colunista do jornal que acusou o governo Lula de ter assassinado 200 pessoas no âmbito do desastre do avião da TAM em São Paulo, que ocorrera no dia anterior. Abaixo, trecho da matéria.

—–

FOLHA DE SÃO PAULO

19.07.2007

O que ocorreu não foi acidente, foi crime

FRANCISCO DAUDT

COLUNISTA DA REVISTA DA FOLHA

Gostaria imensamente de ter minha dor amenizada por uma manchete que estampasse, em letras garrafais, “GOVERNO ASSASSINA MAIS DE 200 PESSOAS”. O assassino não é só aquele que enfia a faca, mas o que, sabendo que o crime vai ocorrer, nada faz para impedi-lo. O que ocorreu não pode ser chamado de acidente, vamos dar o nome certo: crime.

(…)

—–

Alguns anos se passaram e o que se descobriu foi que havia um defeito no avião e que o piloto cometeu um erro. Mas a acusação jamais foi sequer retificada.

Já no dia 5 de abril de 2009, a mesma Folha de São Paulo publicou nova chamada em destaque em sua primeira página, que remetia a reportagem sobre o suposto plano do grupo VAR-Palmares durante a ditadura militar que visava sequestrar o então ministro Antonio Delfim Netto. Na mesma primeira página foi publicada ficha criminal de Dilma Rousseff que conteria seu indiciamento por ter participado desse crime.

O jornal, à época, alegou ter obtido a ficha criminal da hoje presidente da República junto ao arquivo do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS). Diante da contestação de Dilma, que apresentou inclusive perícias comprovando a fraude, o jornal admitiu, então, não ter obtido a ficha da parte do DOPS, mas via e-mail, declarando, pois, simplesmente “não poder atestar ou negar sua veracidade”.

Esses são só alguns dos exemplos mais clamorosos, mas há milhares. Não centenas, eu disse milhares.

Daqui por diante, portanto, a cada vez que a grande mídia falar em blogueiros e jornalistas “chapas-brancas” ou em “liberdade de imprensa para criticar o Poder”, você, leitor, jornalista ou blogueiro já está bem ciente do que pode argumentar a fim de encerrar e vencer a discussão: a liberdade de expressão que a mídia quer é só para si, enquanto prega censura e prisão para os que dela divergem.

—–

Crônicas do Terrorismo de Estado

Tags: , , , , , , , , , , ,

186 Comentário

  1. Edu, veja que maravilha….

    Há alguns anos, quando começou a ser articulada toda esse rede de sites e blogs que se contrapôem à velha mídia dos barões, a mesma foi tratada com desdém e uma certa empáfia pela grande mídia. Lembro que o Diogo Mainardi havia dito que o Nassif fazia um “blog para meia dúzia de leitores”.

    A eleição de 2010 marcou um “turning point”, quando o candidato da direita, José Serra, chamou todos de “blogs sujos”. Isso sinaliza que os mesmos começavam a incomodar.

    Hoje, já se fala em “processar na justiça”, em “rede viral de mentiras”, etc.

    Parabéns, essa vitória também é sua!

  2. Talvez seja bom, todos os jornalista e colunistas da Veja iriam para cadeia… com suas belas estórias!!

  3. Eu me sinto particularmente orgulhoso de fazer parte dessa grande familia da Resistencia às mentiras veiculadas pela vagabunda e corrupta.Nós incomodamos e tenho a certeza de que iremos incomodar muito mais.

  4. O ReiAsno Azevedo tá tendo um chilique GENERALizado…

    • O Rei do Esgoto adora milicos, PMs, cassetetes e bombas. É um covarde saudoso da ditadura.
      (Meu nome e este mesmo, e se o canalha quiser processar eu lhe envio endereço, RG e tudo o mais).
      O mentiroso passou anos caluniando, ofendendo e tentando ridicularizar o então Ministro das Relações Exteriores Calso Amorim. Bastou o Amorim assumir o Ministério da Defesa (portanto, comandante das Forças Armadas) e o Tio Rei do Esgoto nunca mais citou seu nome! É um covarde, repito.
      Passou dois meses dizendo que não houve golpe de Estado em Honduras. Aí os golpistas hondurenhos declararam: “demos um golpe”. O covarde do Esgoto nunca mais falou em Honduras. Ou seja, quando os fatos o desmentem (o que sempre acontece) ele foge, com o rabo entre as pernas.
      Já gastei letras demais para tão insignificante figura, e o faço apenas porque é um porta-voz do Serra e da direitona-burra. Nunca acertou uma. Acha a Sarah Palin um gênio político, e escreveu que o Índio de Souza 9 ou é de Carvalho, ou de Oliveira?) iria virar o jogo….

  5. Que maravilha…!!!! A grande mídia passando recibo e acusando o golpe. Eles estão sentindo o chão balançar…

  6. Tenho a impressão que tanto você quanto Reinaldo estão falando a mesma coisa: o crime de calúnia (assim como os de difamação e injúria) estão previstos na lei, e são a melhor maneira de se defender de eventuais erros ou abusos da imprensa.

    O governo de SP e a PM de SP têm o direito de processar os veículos que os acusaram de esconder corpos. E o PT sempre teve o direito de processar a Veja pelas acusações que a revista costuma fazer ao partido. Mas quase nunca processa. Por que? Só para citar um caso, o tal da invasão do quarto de Dirceu pelo repórter. Na época, Dirceu deu um show. Mas jamais deu sequência à denúncia, e por um motivo simples: ele sabe que a invasão nunca ocorreu e não teria como sustentar isso num tribunal.

    Mas voltando ao ponto: a legislação prevê punição (e elas ocorrem, ainda que demore um pouco) por calúnia. E essa é a melhor maneira de se “controlar” a imprensa que existe, porque pressupõe uma instância democrática para regulá-la: o poder judiciário. Não essas maluquices de Conselho, que flertam claramente com o controle da mídia por um grupo político.

  7. O Sujo Azevedo vai querer que o Ricardo Boechat também seja preso?

  8. Caro compadre:
    Esse cidadão da revista que precisa ser revista, não passa de um humorista! Um péssimo humorista sem graça mas que me faz dar grandes gargalhadas quando, só me distrair, arrisco dar uma olhada no blog. Aquela expressão facial de intelectual que mais parece segurança de funerária, me faz rir. De verdade! É divertido curtir um ser que não tem um pingo de auto critica ou de auto respeito. Divertidíssimo! Veja-o por esse ângulo, compadre!

  9. Esse é o problema. Ainda tem gente que lê o que esse nazista escreve. Pra mim, há muito, não vejo nada da Globo nem leio esse monte de estrume, chamado Reinaldo Cabeção.

  10. …mas… acho que deixei de entender algo. Perdão, Edu, mas mentir, acusar, sentenciar e enxovalhar em cadeia nacional por meio de revistas, jornais, internet, rede de TV e rádio, tentar invadir apartamento, inventar denúncia (a dos US$ 3 mi na caixa de uisque é demais!) isso continua valendo? É que, se não me engano, a Veja é um belo exemplo do que não fazer em redação. Todas as denúncias de capa contra o governo federal a partir de 2003 contém forte apelo à moralidade, à gestão decente, à ética mesmo que o caso não tenha sido investigado pelos órgãos de Justiça e não haja um setenciamento do acusado. Muitas vezes se percebe que a tal denúncia é mal apurada (para não dizer fantasiosa). Esse tipo de matéria segue livre de ônus? Essa é a proposta?

  11. Partido da premissa desse sujeito, o Sr. Reinaldo Azevedo deveria ser o primeiro da fila a puxar cana…

    • Seguido (ou seguindo, tanto faz!) de pertinho pelo augusto nunes…
      O feiteço está se virando contra os feiticeiros!
      Como saiu hoje na carta Capital, os “perdigueiros” vão fazer uma bela reunião no xilindró.
      Parabéns ao Eduardo pelo blog, e em especial por este post.
      Só para registrar: hoje um dos perdigueiros (que justificou sua ausência do blog no incio da semana para “preparar uma matéria”) está chamando um Ministro de Estado às falas. Creio que amanhã eles vão usar munição pesada para tentar (em vão!!!!) desviar a atenção do neofascismo que está lentamente se instalando em SP. Estou pagando pra ver.

    • O Rei do Esgoto é um “jênio” como seu patrão Serra: disse que a Sarah Palin é uma intelectual (ela disse que a África é um grande país…) e que o Índio de Oliveira (ou dos Santos, ou Carvalho, ou Praxedes? – não consigo memorizar o nme deste grande líder da direitona-burra) iria virar o jogo em 2010…
      Disse também que não houve golpe de Estado em Honduras, em 2009. Quando os golpistas disseram que deram um golpe, o cãozinho do Serra enfiou o rabo entre as pernas e mudou de assunto. Quer saber o que ocorre na política brasileira? Basta ler o Rei do Esgoto: os fatos são exatamente o contrário.

  12. ISSO É QUE DÁ TOMAR RABO DE GALO COM FOGO PAULISTA

  13. O que mais esperar do detrito de maré baixa?

  14. Vcs são mesmo uns heróis, não sei como conseguem ler o que escreve esse colonista neste lixo em forma de revista. Ok, é preciso ler para rebater as idiotices ou, no mínimo, dar umas risadas, até acho que estão certos pensando assim. Mas mesmo assim, considero impossível ler qualquer coisa que esse colonista escreve.

  15. Se isso vingar é o fim da Veja, da Globo, da Folha…é de se pensar no custo/benefício.
    rsrsrsr

  16. CANALHA! HIPÓCRITA! CÍNICO! CAPACHO! PILANTRA! O “ESTRANHO” DA VEJA AGORA MOSTROU QUEM ELE E SEUS PATRÕES SÃO : DITADORES INSANOS QUE DESEJAM CONTROLAR A OPINIÃO E A INFORMAÇÃO, NÃO TOLERANDO QUEM DELES DIVERGE E EXPÕE SUA CARA DE PAU PARA TODOS! QUEREM A CERTEZA DA IMPUNIDADE PARA OS SEUS CRIMES JORNALÍSTICOS, DESEJAM PODER ACUSAR, DESMORALIZAR, MENTIR, OFENDER, CALUNIAR SEM SOFREREM QUALQUER TIPO DE RESTRIÇÃO, ATÉ MESMO IMPEDINDO A DIVULGAÇÃO DA RESPOSTA ÀS SUAS MENTIRAS; CONTUDO, E EXATAMENTE POR SEU DESEJO DESPÓTICO DE FALAR EXCLUSIVAMENTE, IRROMPEM EM ÓDIO QUANDO OUTROS FALAM, MESMO QUE NÃO USEM OS MÉTODOS DESONESTOS DELES, FALANDO COM HONESTIDADE E EQUILÍBRIO SOBRE UM GENOCÍDIO ESCANDALOSO QUE ELES, OS FASCISTAS DE DIREITA, ADORARIAM PODER ESCONDER COMO JÁ O FIZERAM NO PASSADO, QUANDO NÃO TÍNHAMOS A LIBERDADE DA INTERNET E O CONTROLE DA OPINIÃO E DA INFORMAÇÃO ERA PRATICAMENTE ABSOLUTO. O QUE REVOLTA O “ESTRANHO” DA VEJA É QUE ELE NÃO FALA SOZINHO, NÃO MAIS PODE MENTIR IMPUNEMENTE, OUTROS TAMBÉM PODEM EXPRESSAR-SE E, O QUE DESESPERA AINDA MAIS O “ESTRANHO”(O FAZ RECORRER AOS SAIS!), PODEM FALAR PARA DISCORDAR DELE, PARA DESMORALIZÁ-LO COMO MERECE, E SEM USAR DA MENTIRA E DA DESONESTIDADE QUE CARACTERIZAM O CAPACHO DA VEJA E O RESTANTE DA CORJA DE “JORNALISTAS” AMESTRADOS QUE SERVEM CANINAMENTE À OLIGARQUIA CONTROLADORA, CADA VEZ COM MENOS SUCESSO, DA OPINIÃO E DA INFORMAÇÃO NESTE PAÍS. QUE OS RELINCHOS DO “ESTRANHO” SEJAM BEM GUARDADOS, AFINAL, NÃO FALTARÃO CALÚNIAS DO “ESTRANHO” PARA QUE TAMBÉM POSSAMOS SUGERIR A PRISÃO DELE. POR SINAL, ANTECIPO-ME AOS FATOS E DESDE JÁ AFIRMO QUE POR CALÚNIAS ELE DEVERIA PEGAR PRISÃO PERPÉTUA, GERADA PELO ACUMULADO DE PENAS PELAS INÚMERAS DIFAMAÇÕES QUE PRATICA, TENDO COMO AMIGUINHOS DE CELA O RESTANTE DA CORJA DE “JORNALISTAS” LACAIOS E OS PATRÕES A QUEM SERVEM. ESTA AÍ, DESNUDADA EM SUAS PRÓPRIAS INSANIDADES, A CARA DA OLIGARQUIA MIDIÁTICA E DE SEUS CAPACHOS, EVIDENCIANDO O CARÁTER AUTORIOTÁRIO DESSA GENTE, SEU DESAPEGO PELA DEMOCRACIA E SEU ÓDIO CONTRA OS POBRES.

Trackbacks

  1. Blogueiro da Veja quer prisão de jornalista que acuse sem provas « Ficha Corrida

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.