Entenda por que a Veja fez de novo

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Alinhavando pontos esparsos dos últimos fatos envolvendo a revista Veja e José Dirceu, chega-se a uma conclusão surpreendente: os que puxam os cordões da revista jamais pretenderam produzir alguma conseqüência direta da matéria publicada no último fim de semana, a qual “acusa” o ex-ministro de ter recebido aliados políticos em um hotel de Brasília.

Pense comigo, surpreso leitor: será que uma organização do porte da Veja não tem consciência de que o que publicou não passa de um amontoado de opiniões e suposições sem o menor embasamento probatório ou meramente indicativo?

Nenhuma instância do Ministério Público, da Polícia Federal ou de qualquer outra instituição da República pode dar a menor bola a esse caso. Não pode ser considerado ilegal que alguém que tem um cargo de provimento político pelo governo encontre aliados políticos pertencentes ao mesmo partido que o seu ou à mesma aliança política daquele partido.

Veja tem advogados, como todos sabem. Muitos advogados. E também se sabe muito bem que  sua matéria de capa do último fim de semana não passa de opinião ou suposição – ou de ambas. Então por que publicar uma matéria que, aparentemente, até os seus pares na grande mídia não quiseram repercutir por julgarem fraca e tendenciosa?

Bobinha a Veja, não?

A resposta à pergunta acima, definitivamente, é não – a Veja, de boba, não tem nada. E, quanto ao silêncio de seus congêneres no Partido da Imprensa Golpista, talvez não passe de tática para não inflar a denúncia de José Dirceu, que pegou a turma toda no contrapé. E o que é pior – ou melhor: acidentalmente.

Uma digressão: a Veja está usando o blog de Reinaldo Azevedo – que, nessas horas, sempre deixa ver por que o império da família Civita o paga – para se explicar. Todavia, por mais que a revista e seu garoto de recados fujam, uma hora terão que dar explicações para o fato de o seu repórter ter tentado invadir o apartamento de Dirceu.

Mas, voltando à vaca fria, por que, diabos, a Veja publicou uma matéria que qualquer um que entenda um pouco de política sabe que não daria em nada mesmo que o repórter invasor não tivesse recorrido a um crime para fazer o que o patrão chama de “jornalismo”?

Havendo um veículo que se disponha a violar qualquer princípio ético e jornalístico é mais fácil produzir uma capa de revista fortemente criminalizadora do PT (o partido do governo Dilma) para setores da direita midiática que já se organizam em “movimentos espontâneos” da “sociedade civil” para marcharem “contra a corrupção” pelas ruas de algumas capitais.

Não importa o que diz a matéria da Veja porque esses setores que tentam aprofundar a crise política do governo Dilma não precisam de fatos, mas de símbolos para brandir na campanha moralista que vem por aí e que, além de manifestantes, terá até “frente parlamentar”. Uma campanha que muita gente – inclusive do governo – ainda não percebeu.

Tags: , , ,

149 Comentário

  1. A pergunta do Giannotti

    http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5317834-EI17080,00-A+pergunta+do+Giannotti.html

    Na última semana, um encontro promovido pelo Instituto Fernando Henrique reuniu antigos dirigentes da área econômica e intelectuais tucanos para diagnosticar os principais problemas econômicos do país e, se possível, apontar propostas substantivas para uma alternativa ao que vem sendo feito desde que o Lula tomou posse em 2003. O título do evento não poderia ser mais pomposo: “Transição incompleta e dilemas da (macro) economia brasileira”.

    Os “pais do Real”, hoje aboletados nas direções de bancos e fundos de gestão, não trouxeram a esperada luz que iluminaria o escuro caminho da oposição. Com a notável exceção de Pérsio Arida, que apontou a necessidade de uma revisão das regras de gestão e de aplicação dos recursos dos fundos dos trabalhadores (FGTS e FAT), os demais pisaram sobre terreno por demais batido. Queriam mais do mesmo: redução dos gastos públicos. Houve até quem propusesse que abandonássemos a perseguição do modelo de estado de bem-estar (welfare state) europeu.

    Nós, que jamais tivemos welfare-state de verdade, deveríamos abandonar a ilusão de realizá-lo. Essa proposição, em um encontro de intelectuais de um partido que carrega no nome o peso da definição socialdemocrata, é, por si só, reveladora. Se a democracia social europeia não deve nos orientar como modelo, para qual direção devemos mirar? Para a China, onde o milagre do crescimento econômico se faz à custa de uma força de trabalho submetida a regimes de trabalho semiescravo? Ou, quem sabe, para os EUA, onde, trinta anos de enxugamento dos gastos sociais e de acentuada concentração de rendas não livraram o país de uma crise que ameaça arrastar o resto do mundo?

    O melhor relato do encontro tucano foi feito pela jornalista Maria Cristina Fernandes, colunista de política do jornal Valor Econômico. Segundo ela, após Pedro Malan ter afirmado, certamente com a candura e objetividade de sempre, que “os que tinham a Europa como modelo vão precisar rever os seus conceitos”, o filósofo José Arthur Giannotti não conseguiu se conter e, dirigindo-se ao conjunto dos economistas, indagou: “Desde o último artigo que li de Gustavo Franco tive a impressão de que vocês descreem da impossibilidade de se prover o welfare state. Mas o que pretendem fazer com essa gente?”.

    Ao que parece, os emplumados economistas preferiram dar de ombros diante da pergunta do filósofo. Giannotti, como bom filósofo, resumiu em sua pergunta o dilema que devora parte do campo político brasileiro. Ora, se a oposição não sabe o que pretende fazer com “essa gente”, por que diabos “essa gente” vai querer algo com essa oposição?

    O que resta para essa oposição, já que não dá para nenhum político, em pleno domínio de suas faculdades mentais, sair por aí repicando as receitas de Pedro Malan e Gustavo Franco, é procurar casos de corrupção no Governo para denunciar. O moralismo, ao contrário do que muitos pensam, não é uma opção. É o que resta como discurso para uma oposição que, após oito anos, ainda não descobriu o que “fazer com essa gente”.

  2. Eles não sabem nada de Brasil mas do EUA, são apaixonados.

  3. Governador tucano Beto Richa usou helicóptero emprestado por empresário
    ============================================================

    O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), também utilizou aeronave emprestada por empresário para um deslocamento em São Paulo no dia 4 de maio. O fato passaria despercebido se o helicóptero Bell 206L, prefixo PP-JFR, não tivesse sofrido uma pane técnica, necessitando fazer um pouso forçado no Campo de Marte. Segundo o governo, o helicóptero tinha sido emprestado pelo empresário Jair Rosa, de Cornélio Procópio, no norte paranaense, mas radicado na capital paulista.

    Richa tinha saído de Curitiba para uma reunião no banco de investimentos BTG-Pactual, que não tinha sido divulgada antecipadamente. Ele aproveitou para realizar exames médicos no Hospital Sírio-Libanês. Durante o deslocamento à sede do banco o helicóptero apresentou problemas técnicos. Ninguém ficou ferido. Na época do incidente, a assessoria do governo informou que o empréstimo tinha sido feito sem custos para o Tesouro estadual.

    Minha pergunta é: Por que esse fato não ganha destaque nos jornais, se é da mesmíssima natureza de outros fatos que ganharam manchetes?

    Claro que todos sabemos a resposta, mas é interessante como esses fatos estão tão na cara e mesmo assim as aves bicudas tentam negar.

  4. Eu acho q ate muita gente ja falou isso, mas eu nao lembro de ter lido ou ouvido.
    A hecatombe pratica que destruiu totalmente as bases teoricas do neo liberalismo é um equivalente do finale 1989/1990 com o fim da alemanha oriental e a independencia sequencial dos paises socialistas do leste. Isso pulverizou o socialismo real existente ou imaginado em quase toda a esquerda mundial.
    Como estou afirmando, é um perfeito equivalente disso o fim do muro Lehman brothers e a hecatombe
    sub prime derivativa subsequente.
    Com a diferença qu esta direita empoleirada mantem a pose…

  5. Era só o que faltava….
    Estevão, Roriz e Arruda articulam aliança para 2014
    Os três políticos ensaiam união para voltar ao poder.
    http://zip.net/bsKYM

    • Parece que Alvaro Dias, aquele que pauta moralidade pela Veja, está de mudança para o DF. Não lhe diz nada?

  6. Era só o que faltava…
    http://zip.net/bsKYM

  7. Prezado Eduardo

    Uma missão que os blogs progressistas (o seu, o PHA, Azenha, Brizola e outros) com a ajuda dos respectivos leitores (principalmente de Brasília) poderia realizar seria o acompanhamento constante do inquérito policial sobre a invasão da Veja.
    Seria uma forma de não deixar o assunto morrer e de manter o PIG na defensiva.

    • …principalmente agora que eles estão se assanhando com a tentativa de organização de ridículas passeatas do tipo “Cansei” da Daslu.

    • Você precisa urgente de um curso de interpretação de texto. O blog do José Dirceu foi claro; ” tentativa de invasão”.

      • Alucard
        Ou você não está bem informado, ou está fazendo o seu papel de troll muito mal.
        Muitos de nós sabemos que a invasão não se concretizou, mas foi por pouco, assim mesmo, o repórterzinho da Veja incorreu em pelo menos 4 artigos do código penal e a Veja se auto incriminou com a reporcagem deste final de semana.

        • “Muitos de nós sabemos que a invasão não se concretizou, mas foi por pouco”

          Logo; “tentativa de invasão” e não “invasão”. Precisa desenhar ?

      • Seu dracula, ao contrário, embora a invasão do apartamento não tenha se consumado, aquela da instalação e filmagem clandestina murdochiana de câmera de vídeo no corredor do hotel, foi e será sempre considerada uma invasão de privacidade do espaço privado do hotel e de seus hóspedes. Ou não? Qual é a seu argumento moral para justificar que não foi invasão?
        Imagine esse repórter instalando câmara dentro do apartamento do hóspede. Sorte que a camareira não era boba.

      • Quer dizer que tentativa de invasão de um lugar onde uma pessoa reside privadamente não é crime?

      • Não tente defender o indefensável.
        Dessa vez se deram mal mesmo e a vaca foi pro brejo. Se não, leia os blogs do PHA, do Nassif, do Brizola Neto e do Azenha.
        A mídia predominante enfiou a viola no saco de tanta vergonha e está de bico bem calado.

        • Pedro,não perca tempo com esse lacaio sem ética da midia golpista e delinquente,mais um que faz parte do esgoto midiatico que infecta esse pais poluindo mentes e tambem corações com seus miasmas deleterios a qualquer vida saudavel e inteligente.Agora se ele acha que tentar invadir propriedade não é crime ele que tente invadir qualquer propriedade pra ver o que acontece.Como diz sabiamente o Ruy Acquaviva esse elemento não tem opinião,tem script.Quem se esconde atras de um pseudonimo como ele é porque tem muito o que esconder.E não é só sua identidade.

          • Dimas
            Esse assunto ficou tão escabroso para eles que, com a exceção acima, parece que todos os trolls sumiram do blog.

      • Se o Drácula iluminati invadisse sua casa, tu não iria acusar de crime de invasão?
        Mas se fosse um mulambento morador de rua, choveria policiais na sua casa a parte.

    • NENHUM pronunciamento no Senado ate agora: 18:09 e o plenario esta vaziíssimo dá pra enxergar pernilongos dando pirueta lá…mas o Alvaro Dias está lá FIRME E FORTE descendo a lenha no governo ‘espúrio e corrupto’ do Lula do qual Dilma é ‘co autora’ nas palavras do mesmo. Paulo Paim PT subiu a tribuna para falar de uma feira de inovacao no RS e só. Uma coisa temos que admitir: a DIREITA é perseverante, jamais deixa um plenario sem um representante seu para ‘fazer o servico’ jamais cabula a aula se o objetivo ainda nao foi alcancado. Já a esquerda deve estar sentada nas almofadas de cetim do paraiso tomando champagne, porque no congresso trabalhando e sendo NOSSA VOZ na tribuna é que não estão, pra quê se tem os trouxas aqui na senzala empunhando armas por eles, é sempre melhor EVITAR A FADIGA.

      • Deixe o Alvaro Dias falar,Malú,porque ninguem da ouvidos a um bocó de mola como ele que tem um telhado de vidro enorme.Na hora que a batata começar a assar pro lado dele,esse sujeitinho infame,cala a boca bem rapido.

  8. A veja não escreve para leitores que buscam explicações, mas para aqueles que são permeáveis à insinuações. A veja instituiu o jornalismo estribado nos velhos escândalos oriundos da maledicência. Maledicência publicada, com capa chamativa e patrocínio de empresas que também vendem e ganham dinheiro com pessoas conservadoras e profundamente mal informadas. A veja é o jornalismo da, e para a mediocridade.

    • Sim, Ivonete, o jornalismo da veja é da mediocridade para a mediocridade, do jornalista medíocre para o leitor medíocre que, como diz o Eduardo Guimarães, não precisa de fatos, mas de símbolos para brandir na campanha.
      E o Dracula, ao contrário, apóia essa Veja.

  9. Caro Eduardo
    E eles farão de novo, e de novo novamente e de novo em infinito.
    Saudações

  10. Que chamem então todos às ruas deste país. O povo, aqueles que estão, foram e serão sempre beneficiados pela atitude “no mínimo” moral, de tendo votado a favor, serem recompensados por suas posições democráticas e estarem recebendo do governos do PT/PMDB e dos partidos de apoio, um pouco de participação na vida econômica deste país, que então julguem a grande “moralidade” pregada por este escárnio de publicação chamada Veja. De fato escárnio é até um bom julgamento para um esgoto impresso como tudo o que sai das impressoras da Abril

    Não sou vidente, nada sou além de um brasileiro com muita esperança mas, se eles querem mesmo assim, que se preparem para a verdade dos fatos. O povo estará nas ruas, não aqueles comprados por migalhas das publicações de 1962/1964. mas os hoje esclarecidos por um mundo em transformações.

    Vams lá PIG’s, vamos ver os quem são os empresários que os apoia, vamos conhecer de fato todos aqueles “brasileiros” da sua frente nacionalista, frente guiada por fujões do naipe de um Serra e um vendido no estilo FHC e començais.

    Hoje, vivido e vívido por tudo que este país e povo já enfrentou, hoje somente espero ver um pouquinho mais deste povo que a elite faz tanto por desprezar.

  11. Segue link para o texto “O sentido político da “faxina” de Dilma”
    Extraído do blog do Rodrigo Vianna
    Boa leitura
    http://www.advivo.com.br/blog/iv-avatar-do-rio-meia-ponte/o-sentido-politico-da-%E2%80%9Cfaxina%E2%80%9D-de-dilma

  12. Uma parcela dos eleitores do Zé Bolinha-de-Papel são seguidores desta revistinha facista. Esta faz parte da imprensa de ultra-direita, que felizmente não consegue mais eleger um presidente !!! Bye be direita raivosa !!!

  13. Boa noite, Eduardo. Não li a matéria, pois não sujo meus lindos olhos verdes com merda, mas com relação a campanha da mídia murdockiana e da direita imbecilizada contra o governo Dilma, venho percebendo desde a posse da presidenta, mas não me deixo influenciar por extremistas, espero que brasileiros inteligentes também não se deixem influenciar.

  14. Wikileaks revela sabotagem contra Brasil

    Plano Brasil

    Os telegramas da diplomacia dos EUA revelados pelo Wikileaks revelaram que a Casa Branca toma ações concretas para impedir, dificultar e sabotar o desenvolvimento tecnológico brasileiro em duas áreas estratégicas: energia nuclear e tecnologia espacial. Em ambos os casos, observa-se o papel anti-nacional da grande mídia brasileira, bem como escancara-se, também sem surpresa, a função desempenhada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, colhido em uma exuberante sintonia com os interesses estratégicos do Departamento de Estado dos EUA, ao tempo em que exibe problemática posição em relação à independência tecnológica brasileira. Segue o artigo do jornalista Beto Almeida.

    O primeiro dos telegramas divulgados, datado de 2009, conta que o governo dos EUA pressionou autoridades ucranianas para emperrar o desenvolvimento do projeto conjunto Brasil-Ucrânia de implantação da plataforma de lançamento dos foguetes Cyclone-4 – de fabricação ucraniana – no Centro de Lançamentos de Alcântara , no Maranhão.

    Leia mais:

  15. Prezado Eduardo,

    Não entendo o porquê do governo pagar para ser caluniado:

    Extraído do blog do Altamiro Borges:

    Pela privatização da revista Veja

    Por Altamiro Borges

    A ação criminosa da Veja contra o ex-ministro José Dirceu – tentativa de invasão do seu apartamento e filmagens ilegais no hotel – já não surpreende. Há muito tempo que a revista da famiglia Civita não tem mais nada de jornalismo e comete crimes parecidos com os praticados pelo mafioso Rupert Murdoch. O que surpreende é que esta revista ainda abocanhe tanta publicidade de governos – inclusive dos que são vítimas de suas ações levianas. Reproduzo matéria sobre o tema de setembro de 2009.

    *****

    Numa conversa descontraída no aeroporto de Brasília, o irreverente Sérgio Amadeu, professor da Faculdade Cásper Libero e uma das maiores autoridades brasileiras em internet, deu uma idéia brilhante. Propôs o início imediato de uma campanha nacional pela privatização da Veja. Afinal, a poderosa Editora Abril, que publica a revista semanal preferida das elites colonizadas, sempre pregou a redução do papel do Estado, mas vive surrupiando os cofres públicos. “Se não fossem os subsídios e a publicidade oficial, as revistas da Abril iriam à falência”, prognosticou Serginho.

    As “generosidades” do governo Lula

    Pesquisas recentes confirmam a sua tese. Carlos Lopes, editor do jornal Hora do Povo, descobriu no Portal da Transparência que “nos últimos cinco anos, o Ministério da Educação repassou ao grupo Abril a quantia de R$ 719.630.139, 55 para compra de livros didáticos. Foi o maior repasse de recursos públicos destinados a livros didáticos dentre todos os grupos editoriais do país… Nenhum outro recebeu, nesse período, tanto dinheiro do MEC. Desde 2004, o grupo da Veja ficou com mais de um quinto dos recursos (22,45%) do MEC para compra de livros didáticos”.

    Indignado, Carlos Lopes criticou. “O MEC, infelizmente, está adotando uma política de fornecer dinheiro público para que o Civita sustente seu panfleto – a revista Veja”. Realmente, é um baita absurdo que o governo Lula ajude a “alimentar cobras”, financiando o Grupo Abril com compras milionárias de publicações questionáveis, isenção fiscal em papel e publicidade oficial. Não há o que justifique tamanha bondade com inimigos tão ferrenhos da democracia e da ética jornalística. Ou é muita ingenuidade, ou muito pragmatismo, ou muita tibieza. Ou as três “virtudes” juntas.

    A relação promiscua com os tucanos

    Já da parte de governos demos-tucanos, o apoio à famíglia Civita é perfeitamente compreensível. Afinal, a Editora Abril é hoje o principal quartel-general da oposição golpista no país e a revista Veja é o mais atuante e corrosivo partido da direita brasileira. Não é de se estranhar suas relações promiscuas com o presidenciável José Serra e outros expoentes do PSDB-DEM. Recentemente, o Ministério Público Estadual acolheu representação do deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) e abriu o inquérito civil número 249 para apurar irregularidades no contrato firmado entre o governo paulista e a Editora Abril na compra de 220 mil assinaturas da revista Nova Escola.

    A compra de 220 mil assinaturas representa quase 25% da tiragem total da revista Nova Escola e injetou R$ 3,7 milhões aos cofres do “barão da mídia” Victor Civita. Mas este não é o único caso de privilégio ao grupo direitista. José Serra também apresentou proposta curricular que obriga a inclusão no ensino médio de aulas baseadas nas edições encalhadas do “Guia do Estudante”, outra publicação da Abril. Como observa o deputado Ivan Valente, “cada vez mais, a editora ocupa espaço nas escolas de São Paulo. Isso totaliza, hoje, cerca de R$ 10 milhões de recursos públicos destinados a esta instituição privada, considerado apenas o segundo semestre de 2008”.

    O mensalão da mídia golpista

    Segundo o blog NaMariaNews, que monitora a deterioração da educação em São Paulo, o rombo nos cofres públicos pode ser ainda maior. Numa minuciosa pesquisa aos editais publicados no Diário Oficial, o blog descobriu o que parece ser um autêntico “mensalão” pago pelo tucanato ao Grupo Abril e a outras editoras, como Globo e Folha. Os dados são impressionantes e reforçam a sugestão de Sérgio Amadeu da deflagração imediata da campanha pela “privatização” da revista Veja. Chega de sugar os cofres públicos! Reproduzo abaixo algumas mamatas do Grupo Civita:

    – DO de 23 de outubro de 2007. Fundação Victor Civita. Assinatura da revista Nova Escola, destinada às escolas da rede estadual de ensino. Prazo: 300 dias. Valor: R$ 408.600,00. Data da assinatura: 27/09/2007. No seu despacho, a diretora de projetos especial da secretaria declara “inexigível licitação, pois se trata de renovação de 18.160 assinaturas da revista Nova Escola.

    – DO de 29 de março de 2008. Editora Abril. Aquisição de 6.000 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 365 dias. Valor: R$ 2.142.000,00. Data da assinatura: 14/03/2008.

    – DO de 23 de abril de 2008. Editora Abril. Aquisição de 415.000 exemplares do Guia do Estudante. Prazo: 30 dias. Valor: R$ 2.437.918,00. Data da assinatura: 15/04/2008.

    – DO de 12 de agosto de 2008. Editora Abril. Aquisição de 5.155 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 365 dias. Valor: R$ 1.840.335,00. Data da assinatura: 23/07/2008.

    – DO de 22 de outubro de 2008. Editora Abril. Impressão, manuseio e acabamento de 2 edições do Guia do Estudante. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 4.363.425,00. Data da assinatura: 08/09/2008.

    – DO de 25 de outubro de 2008. Fundação Victor Civita. Aquisição de 220.000 assinaturas da revista Nova Escola. Prazo: 300 dias. Valor: R$ 3.740.000,00. Data da assinatura:01/10/2008.

    – DO de 11 de fevereiro de 2009. Editora Abril. Aquisição de 430.000 exemplares do Guia do Estudante. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 2.498.838,00. Data da assinatura: 05/02/2009.

    – DO de 17 de abril de 2009. Editora Abril. Aquisição de 25.702 assinaturas da revista Recreio. Prazo: 608 dias. Valor: R$ 12.963.060,72. Data da assinatura: 09/04/2009.

    – DO de 20 de maio de 2009. Editora Abril. Aquisição de 5.449 assinaturas da revista Veja. Prazo: 364 dias. Valor: R$ 1.167.175,80. Data da assinatura: 18/05/2009.

    – DO de 16 de junho de 2009. Editora Abril. Aquisição de 540.000 exemplares do Guia do Estudante e de 25.000 exemplares da publicação Atualidades – Revista do Professor. Prazo: 45 dias. Valor: R$ 3.143.120,00. Data da assinatura: 10/06/2009.

    Para não parecer perseguição à asquerosa revista Veja, cito alguns dados do blog sobre a compra de outras publicações. O Diário Oficial de 12 de maio passado informa que o governo José Serra comprou 5.449 assinaturas do jornal Folha de S.Paulo, que desde a “ditabranda” viu desabar sua credibilidade e perdeu assinantes. Valor da generosidade tucana: R$ 2.704.883,60. Já o DO de 15 de maio publica a compra de 5.449 assinaturas do jornalão oligárquico O Estado de S.Paulo por R$ 2.691.806,00. E o de 21 de maio informa a aquisição de 5.449 assinaturas da revista Época, da Globo, por R$ 1.190.061,60. Depois estes veículos criticam o “mensalão” no parlamento.

  16. O que o marginal da revista veja fez foi invasão de privacidade,na tentativa de plantar provas que incriminassem um cidadão,que agora é José Dirceu,mas que amanhã,se nada for apurado pelas autoridades competentes e se não houver punição exemplar para os delinquentes que perpretaram esse crime,poderá ser qualquer cidadão comum,qualquer que seja o motivo para que referido cidadão venha a sofrer tal violencia.O que ocorre é que um precedente ja foi aberto ha muito tempo atras com o triste episodio da Escola de Base em que pessoas inocentes foram acusadas de um crime gravissimo que não cometeram,ou seja,molestar sexualmente crianças em idade pré escolar.A imprensa denunciou,julgou e sentenciou tais pessoas sem que em algum momento elas pudessem se defender.Na midia delinquente tupiniquim,existe uma completa inversão não so de valores(o que jornalismo de esgoto a céu aberto que é a veja demonstrou às mil maravilhas)mas do principio de presunção de inocencia,ou seja,para os marginais da imprensa marginal todo mundo é culpado ate que prove que é inocente.Definitivamente uma sociedade que se pretenda civilizada não pode,em hipotese alguma,conviver com uma imprensa sem o minimo conteudo ético,mentirosa,corrupta e delinquente,que fabrica crises,inventa fatos,assassina reputações.

  17. Coitado do blogueiro da revista foi encarregado de justificar a asneira. A situação da veja é muito complicada. As imagens estampadas na matéria não foram capturadas pelas cameras do hotel, além da já conhecida tentativa de invasão do jornalista. É preciso levar este caso até as últimas consequencias. Se depender do judiciário, esse pendenga vai se arrastar por uns 10 anos. De todo modo a veja caiu na mesma vala do news of the worl. Vamos aguardar.

  18. Entendo que a Veja fez de novo e entendo que isso é rotineiro.Se as leis dos médios não for aprovada,essa sacanagem,esse jornalismo parcial,descarado…debochando de nosso cérebro,não vai parar.Se a Justiça fizer seu papel,bem como a polícia,penso que talvez,os chame de volta a realidade e os coloque em seu devido lugar.Inclusive na História desse país. Desmascar esse antro que se instalou e encheu seus bolsos,enquanto o povo amargava,feito gado,em uma ditadura… o silêncio por parte dos que deveriam ser a nossa voz,esse silêncio é a prova mais retumbante do FRACASSO deles.

  19. Na falta de mais um escândalo para denunciar a Veja usou o material que seria Stand by, por que se viu obrigado pelo deslize do seu repórter. Usou de oportunismo. Em termo de pauta, a notícia mais quente da semana seria a queda de Kadafi.
    Para não perder a linha permanente de denúncias ela quiz inventar um dossiê.

  20. E porque nós não produzimos os nossos símbolos!!!!!??????É evidente que o que a Veja pretendia em sua matéria era isso : “criar capa”, “lançar slogan”, “produzir impacto”; ou seja, fornecer o combustível, o mote para campanhas pseudomoralistas que, por sua própria natureza de seletivismo hipócrita(“denunciam” sempre o PT e aliados, enquanto escondem as centenas de escândalos do PSDB), como também pela inexistência de conteúdo que as acompanha(não é possível colocar conteúdo em denúncias destinadas a apenas um dos lados, do mesmo modo que não o é também em um “discurso” político pautado pela censura a qualquer debate e/ou comparação de projetos de Governo, uma vez que essa comparação explicitaria a exclusão e a miséria que caracterizam as administrações do PSDB e o progresso, o desenvolvimento e a inclusão dos Governos do PT). Diante da tais necessidades, o que seria melhor além do “nada”, ou seja, do estereótipo, da simplificação, do reducionismo, do apelo aos preconceitos, do cerceamento da capacidade analítica que caracterizam as “matérias” da mídia conservadora e atingem seu “ápice” nesse calhamaço de asneiras publicadas pela canalha Veja(realçado pela prática de uma série de outros delitos criminais – como invasão de ´um espaço particular e violação de privacidade, sem contar o semicalote na conta do Hotel)para garantirem o “embasamento” propagandístico de campanhas cretinas como essa que, apôiadas na despolitização de uma população já com uma estrutura perceptiva direcionada pela mídia conservadora há décadas, possuem enormes chances de “convecerem”(ou melhor, manipularem)os brasileiros da verossimilhança dos absurdos que veicularem. Para combater esse ataque de manipulação e mediocridade em curso contra nossos cidadãos, só há um remédio : Produzir conteúdo, informação, análise, dados, conscientização como antídoto para a manipulação dos barões da mídia e da classe dominante. E para que esse conteúdo chegue à população não podemos confiná-lo à mídia alternativa, de alcance limitado, mas devemos levá-lo às ruas antes dos conservadores. Poderemos seguir tática semelhante : produzir conteúdo noticioso concreto(baseado em matérias sérias, não em suposições e mentiras)na mídia alternativa, e levar esses textos às ruas, para que sejam conhecidos pelos brasileros. Não apenas na mídia progressita da web, mas também na impressa(revistas como Fórun, Caros Amigos e talvez a Carta Capital poderão colaborar), uma vez que ainda é muito forte o acesso e a relação de boa parte da população com a informação apresentada em um formato “concreto”, físico, como o é o de uma página impressa. Esses textos seriam o mote para as campanhas nas ruas( que deverão estender-se a debates, palestras e seminários, veiculados nos sindicatos e universidades) campanhas que seriam a reação física, concreta ao golpismo que a direita está armando. Podem parecer distantes minhas propostas diante do quadro de apatia que caracteriza nossa Sociedade, todavia, é também por não quebrarmos esse quadro que a democratização das comunicações não foi levada ao conhecimento da maioria dos brasileiros e continua sendo sabotada pelos interesses de uma minoria de privilegiados. Também não podemos usar a desculpa dessa apatia para ficarmos passivos diante dos ataques terroristas que se aproximam, os quais não destinam-se apenas ao Governo Dilma , mas principalmente a destruir o novo Brasil Includente que nasce a cada dia, graças às vitórias que as forças populares vêm obtendo.

  21. Parabéns, Edu! Para a revista, neste caso (como em muitos outros), pouco importam os fatos. O que interessa realmente é o que podem sugerir, insinuar, representar. O valor simbólico dessa capa me parece o maior investimento, e devem acreditar que o retorno será maior – ainda que venham a enfrentar ações de qualquer natureza. O foco é influenciar a sociedade, como você bem observou. E, naturalmente, deformar opinião. Abraço!

  22. Na minha opinião já está mais que na hora da Presidenta Dilma botar o bloco na rua e dar um cala boca PiG direita golpista. Não pode esperar mais. Presidenta inspire-se nos tempos do Lula, quando tentaram dar o golpe a qualquer custo, o Lula veio para rua, convocou a grande massa da nação brasileira e deu um nó nos golpista, a senhora deve fazer o mesmo e prá já. Reuna os partidos da base, os movimentos sociais e associações que dão suporte ao nosso governo e vamos debatê-los nas ruas, porque no PiG só há espaço para as armações e ilações mentirosas criadas pelos demotucanopps direita golpista.

    PRESIDENTA COM A FORÇA DO POVO A SENHORA PODE TUDO! COM CERTEZA O BEM VENCERÁ MAIS UMA VEZ O MAL, A VERDADE SOBREPORÁ À MENTIRA E O AMOR VENCERÁ O ÓDIO DE NOVO!

  23. Estou pensando em ir para essas manifestações contra a corrupção estimuladas pelo PIG. Já pensei em uns cartazes:

    Aí, Serra, já lembrou quem é o Paulo Preto?
    Aí, Gurgel, vai engavetar o Castelo de Areia?
    Aí, Gurgel, vai engavetar Satiagraha?

    Quem vai pagar a conta da privataria do FHC?

    Globo e Ricardo Teixeira = 22 anos de cumplicidade.
    Rede Globo, qual o nome do teu sócio? Com foto do Ricaço Teixeira.

    Gilmar Mendes + Daniel Dantas = Gilmar Dantas.
    Abaixo a Súmula Cacciola-Dantas!

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.