Como a crise pode nos pegar

Já que a política está mais chata do que campeonato de dominó, tratemos de assuntos mais práticos como aquele que nos determina a qualidade de vida – ou de sobrevivência: a economia. Enquanto se discute sobre a geléia política em que o país está atolado, a tempestade vai acumulando suas nuvens escuras sobre nossas alienadas cabeças.

Não deixa de ser sintoma de uma economia que se fortaleceu sobremaneira nos últimos anos, de forma inclusive talvez inédita na história, pois, aos cinqüenta e dois anos, não me lembro de outro período em que o mundo pegava fogo lá fora enquanto que este país batia recordes econômicos, com emprego farto, consumo aquecido e expectativas positivas.

Ao contrário dos últimos meses de 2008, quando eclodiu a crise das hipotecas norte-americanas, porém, desta vez, além de a crise ainda não estar totalmente materializada, em tese seria mais branda… Ou não?

Durante a crise anterior, considerada a maior desde 1929 – e que ocorreu há menos de três anos –, houve um componente que gerou  intranqüilidade. Hoje, porém, não há o componente político que havia no final de 2008, quando os meios de comunicação e o governo Lula entraram em uma guerra comunicacional em que, de um lado, alardeava-se o Armagedon e, de outro, uma “marolinha”.

A razão pela qual hoje a mídia não cria pânico vem sendo tema de outros artigos, de forma que agora vale mais a pena notar que, além de a crise lá fora ser mais light, por assim dizer, ainda não há sabotagem da economia pelas forças políticas de oposição, seja nos meios de comunicação ou entre os partidos de oposição efetivamente assumidos.

Se da vez anterior, porém, preocupamo-nos demais, o que gerou um movimento econômico que culminou em perda de quase um milhão de postos de trabalho em questão de poucos meses por conta, única e exclusivamente, do alarmismo que nos preocupou além da conta, agora temo que estejamos nos preocupando de menos.

No final de setembro de 2008, no primeiro momento da crise, passei a combater o alarmismo garantindo que ela seria branda no país e que não havia motivo para sermos pegos em problemas que poderíamos contornar facilmente devido ao peso insipiente do comércio exterior em nossa economia e de Lula ter diversificado nossos mercados importadores.

Basicamente, o que nos salvou da crise de 2008/2009 foram nosso mercado interno e a China, ao lado de países da África e da Ásia para os quais o Brasil expandiu exportações, sobretudo, de commodities. De lá para cá, porém, as coisas mudaram um pouco.

A crise sedimentou-se no mundo rico. Nos Estados Unidos e na Zona do Euro, aos efeitos econômicos agora se junta o componente político, o que parece ter jogado o “Norte Maravilha” em um círculo vicioso que vai contaminando o planeta, gerando especulações dos mercados futuros e contribuindo para deteriorar o ambiente econômico em nível planetário.

Nesse contexto, o Brasil se vê em um momento de atenção que, parece, não está sendo suficientemente avaliado. Os próximos anos podem ser menos róseos do que parecem. A menos que tomemos providências.

A questão cambial se agrava. O preço da moeda americana não reage e a pauta de nossas exportações ameaça passar de cerca de setenta por cento de commodities para percentuais ainda piores justamente em um momento em que a principal tábua de salvação a que se apegou o Brasil na crise anterior pode agora se converter em um barco furado.

Matéria do jornal O Estado de São Paulo publicada nesta segunda-feira e abaixo reproduzida serve perfeitamente para ilustrar a situação.

—–

”China desacelerará para inimagináveis 3%”

Autor(es): Cláudia Trevisan

O Estado de S. Paulo – 22/08/2011

Tradicionalmente pessimista em relação à China, o americano Michael Pettis, professor da Universidade de Pequim, acredita que o país vai desacelerar de maneira “dramática” depois de 2013, para inimagináveis 3% de crescimento ao ano.

Mas, mesmo que isso não ocorra, ele afirma que haverá queda na demanda por commodities não alimentícias, em razão do inevitável processo de correção dos profundos desequilíbrios da economia chinesa, que se manifestam no excessivo investimento e anêmico consumo.

Para o Brasil, essa eventual mudança é crucial, já que pode afetar diretamente as vendas de minério de ferro, o principal produto de exportação nacional.

A seguir, os principais trechos da entrevista, feita num café em Pequim:

Estado – Qual seu cenário para a China?

Pettis – Eu acredito que a China vai desacelerar de maneira dramática, para 3% depois de 2013. Mesmo que o crescimento fique em 9%, no que eu não acredito, o ritmo do investimento vai ter de diminuir de maneira significativa e ser substituído pela expansão no consumo, no processo de reequilíbrio da economia. Se houver a substituição do investimento pelo consumo, isso terá grande impacto sobre o Brasil. Quando os chineses consumirem, eles vão comprar roupas, ir a restaurantes, consumir serviços de saúde e construir menos metrôs e prédios. Eu acredito que a demanda total vai cair muito, mas, mesmo que ela permaneça a mesma, ela vai mudar de bens de investimentos para bens de consumo. Portanto, a demanda por commodities não alimentícias, como minério de ferro e cobre, vai cair de qualquer maneira.

Estado – O agravamento da crise nos Estados Unidos e na Europa aumentou a pressão sobre a China para reequilibrar sua economia? Sim. Nos anos 70, os Estados Unidos e a Europa tiveram uma crise e o Brasil, não. Graças à reciclagem de petrodólares, houve um enorme aumento dos investimentos e um boom no preço de ativos, o que atrasou o ajuste no Brasil. Mas isso se tornou insustentável quando os níveis de endividamento ficaram muito altos. Nós vamos ver a mesma coisa. Mas por que a China vai desacelerar? Porque o que está promovendo o crescimento também está agravando os desequilíbrios. O consumo está aumentando muito lentamente, porque o rápido crescimento é gerado por transferências das famílias, por meio de baixos salários, baixa taxa de juros e moeda depreciada. Isso reduz o consumo e subsidia o crescimento, gerando dois grandes desequilíbrios. O primeiro é o fato de o consumo ser muito baixo em relação ao PIB (34%). O crescimento chinês está sendo sustentado pelo superávit comercial – e com o mundo em uma situação difícil, ele não pode continuar a crescer – e investimento, mas o investimento tem sido mal alocado. Isso significa que a dívida está crescendo, o que gera um problema de sustentabilidade.

Estado – O que isso significa para países como o Brasil, que dependem da China em razão da exportação de commodities?

Pettis – Mesmo que o crescimento chinês continue elevado, a taxa de investimento vai cair de maneira dramática e isso vai provocar queda no preço de commodities não alimentícias. Se o consumo se expandir, o consumo de alimentos vai aumentar, já que as pessoas terão mais dinheiro para comprar comida. Se a China conseguir manter elevadas taxas de consumo, os alimentos não serão afetados de maneira dramática. Mas, se a taxa de consumo também desacelerar, isso também afetará o preço dos alimentos. O Brasil exporta os dois tipos de commodities. As não alimentícias serão afetadas dramaticamente e as alimentícias podem ou não ser afetadas.

Estado – O ajuste chinês é necessariamente ruim para o Brasil?

Pettis – Depende do horizonte de tempo. No curto prazo, será muito ruim. Mas o que aconteceu nos últimos 10 a 20 anos no Brasil é que o País gastou grande parte dos anos 70 e 80 tentando reverter a crescente dependência de commodities. Acreditava-se que o excesso de dependência das commodities era uma das fontes de fragilidade dos países em desenvolvimento e houve um esforço para diversificar e criar uma fonte de crescimento mais equilibrada. Se eles estavam certos – e eu acredito que estavam -, a queda no preço das commodities vai forçar o Brasil a reduzir seu peso, o que será muito doloroso, mas necessário. A menos que você acredite que, desta vez, as pessoas que dizem que o preço das commodities nunca vai cair estão certas. E elas disseram isso muitas vezes nos últimos 200 anos e sempre estiveram erradas.

—–

Não se está dizendo, aqui, que estamos perdidos. Àqueles que gostam de pegar uma frase ou uma idéia e tirá-las do contexto, peço que se contenham. O que se diz é que também não é o caso de acharmos que não sentiremos efeito nenhum desse processo.

Por menor que seja, parece-me difícil que o país não sinta efeito algum da crise que se avizinha. Isso partindo do princípio de que as distorções em nossa economia não se agravarão com uma crise muito forte de commodities das quais, devido ao problema cambial, este país está dependente como nunca para manter superávits comerciais.

Um dos fatores que podem agravar a situação do Brasil, portanto, é a política. Tudo de que não precisamos, neste momento, é de que a mídia comece a insuflar alarmismo como em 2008. Naquele ano,  funcionou muito bem, durante algum tempo, porque o Brasil jamais havia saído com poucos danos de pequenas crises econômicas nos rincões do mundo. E desta vez?

Se formos confiar na memória prodigiosa do brasileiro, podemos confiar também em que, desta vez, não haverá empresários demitindo “preventivamente”. Por outro lado, a comunicação política, em caso de alarmismo, pode se unir à proverbial falta de memória do povo.

Concorde-se que não há motivo, ainda, para um pronunciamento de Dilma Rousseff à nação como aquele que fez Lula ao final de 2008, na tentativa de apagar o incêndio que a mídia havia provocado e que estava colocando as pessoas no olho da rua e paralisando a economia. Mas o temor é o de que os problemas de comunicação deste governo o impeçam de atuar, caso situação se agrave.

A “nova” crise econômica internacional – que, na verdade, é um desdobramento da anterior –, portanto, pode nos pegar por aí, pela questão política e pela redução da exportação de commodities agravada pela piora da competitividade do Brasil na pauta de exportação de produtos industrializados, sem falar no processo de desindustrialização interno gerado pelo câmbio desfavorável.

A condução da política e da economia por Dilma Rousseff, portanto, pode nos livrar ou nos atirar na crise. Há medidas que terão que ser tomadas no tempo certo e na intensidade adequada. Cada um tem uma visão sobre a capacidade deste governo de decidir sob tais condições. Este blogueiro está entre os que confiam nessa capacidade, mas desconfiando…

Tags: , , , , , , , , , , , ,

62 Comentário

  1. “Estado – O que isso significa para países como o Brasil, que dependem da China em razão da exportação de commodities?”

    Se o Brasil continuar a investir no desenvolvimento do seu mercado interno, nós não estaremos tão dependentes da China.

    Crescer e distribuir — esse é o caminho.

    • Fora de pauta mas interessante, Eduardo.

      EXTRA! EXTRA! Pig agora tem uma chanceler, é a urubóloga que se tornou comentarista de relações internacionais. Um lixo, mas a intenção é continuar influenciando o pensamento do brasileiro médio, sobretudo o urbano do SE. A pérola do dia: As potências Ocidentais tinham que continuam apoiando os rebeldes, se assim não fizesse, Kadafi não cairia.

      • Olha aí, Eduardo, todos sabem que a classe média é pautada pelo PIG. Esta classe média tradicional nunca aceitou e nem aceitará governos de esquerdas. O PIG define o que deve e o que não deve, pois como bem disse Mangabeira Unger, esta classe média se concebe como branca, é pautada pela cópia, pensa que o Brasil é uma Europa ou um EU, mas o Brasil é o Brasil.

        O PIG pauta isto, esta classe média tradicional, é classe que sempre esteve no poder, o poder político, nos cargos executivos e judiciário sempre estiveram com ela e mais o Legislativo, a ascensão de uma nova classe e mais um operário que ascendeu ao poder levando outros, causou insatisfação nessa classe que sempre pautou e pauta o país, pois detém os meios de comunicação. Então, se os outros segmentos da sociedade que formam a classe média empreendedora e a outra classe média emergente que, segundo magabeira não estão próximas da classe média tradicional.Se isto não acontecer, ou seja, se os movimentos sociais, estudantis e demais setores da sociedade civil se não agirem, a classe média tradicional, os donos do poder que deixaram o país no atraso por cinco séculos, nunca vai deixar de pautar o país. É preciso ir às ruas reclamar da imprensa e destes aritculadores, pois eles pautam distorcidamente o país e impedem exatamente aquilo que querem, impedir os avanços sociais e um país mais justo e solidário. Tenho falado sobre isto. Eles têm a capacidade de converter as coisas a favor deles, por motivo muito simples, detém o poder de comunicação de massa do país e pauta as demais classes.

        http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/08/22/personalidades-apoiam-movimento-de-combate-corrupcao-no-governo-federal-925175198.asp

        • Mariana

          A direita pauta o que quer porque na verdade é a direita que de tem o poder econômico e político no Brasil.
          A Presidenta preside o Governo, mas apenas isso. O poder está diluido em muitas instâncias e o poder Executivo é loteado com os partidos da coalizão. Porque essas foram as regras do jogo que permitiram a eleição da Presidenta, diante do real nível de politização do povo. Que é muito precário, por razões que devem ser buscadas na História do Brasil.
          Agora ou o povo trabalhador acorda, se conscientiza e parte para a organização e mobilização ou os próximos 3 anos e meio não trarão os esperados avanços. E seguiremos nessa toada,com a mesma correlação de forças,sempre pendente para dar peso muito maior aos interesses das elites e oligarquias.

        • Além do que há muitos congressistas que são proprietários de canais de TV e rádio que apenas retransmitem o que recebem do PIG , por conseguintes estão a eles acorrentados via contratos firmados.

      • Agora vai começar a pilhagem da Líbia.

        • Alguma indicação de que a Líbia estivesse melhor com Kaddafi?

          Esta sua afirmação de pilhagem é baseado em que fatos?

          As movimentações no oriente médio se deveram por pressões das massas por democracia ou pelo interferência de quem quer que seja para fazer esta pilhagem.??

          • A Líbia tem o maior IDH da África. Se estivesse na América Latina só perderia para Cuba, Chile, Argentina e Uruguai.

          • Não acho que estava melhor com Kadafi, mas que vai ser pilhada isso não tenho dúvida, como exemplo veja o texto abaixo da Carta Maior:

            “1.700 mortos em 24 hs de luta pelo poder em Trípoli
            sobem as ações de múltis de petróleo e gás na UE
            BOLSAS EUROPÉIAS ANTECIPAM FIM DA ESTATIZAÇÃO DO PETRÓLEO NA LÍBIA

            Espremidas por notícias ruins sobre o desempenho econômico da zona do euro, bolsas européias abriram em alta antecipando a eventual vitória da OTAN e das forças rebeldes contra Kadafi, na Líbia. A economia líbia produz 1,3 bilhão de barris/dia de petróleo. Com eventual fim do regime militar é dada como certa a privatização das explorações com maior participação de múltis que continuaram a atuar no país mesmo durante o período de sanções internacionais mais dura. Na França, ações de empresas de petróleo e gás sobem o dobro do índice. O mesmo ocorre com o Eurostoxx –índice alemão de bolsas da região do euro. A exemplo do que ocorreu na partilha do pós-guerra, França e Inglaterra voltariam a ter grande influencia na economia local com a eventual vitória rebelde.Cameron e Sarkozy investiram pesado nos ataques da OTAN à Líbia e vivem sérios problemas internos com o agravamento da crise econômica na região do euro. A subida das bolsas hoje indica que fizeram a aposta certa.
            (Carta Maior; 2º feira, 22/08/ 2011)”

          • Aliás, seria interessante mencionar, dentro do contexto dos últimos blogs do Eduardo, que o Brasil (segundo o site do Globo (?)) mudou de posição e agora está apoiando os rebeldes aliados dos assassinos da OTAN.

          • Que segundo fontes da ONU, a Líbia tinha os melhores indices de desenvolvimento humano (educação, saúde, liberdade) entre os povos de países Árabes e Islâmicos! Sua população tinha hábitos com características ocidentais sem persiguições seja religiosas ou de sexo, havendo liberdade para a mulheres decidirem onde trabalhar e o que vistir. Quem deve ocupar o poder provavelmente será uma liga islâmica voltada a teocracia! Será que os ocidentais irão intervir como no Iraque originando uma nova guerra cívil?
            Caso duvide é só citar no google sobre o IDH na líbia. O wikipedia embora não sirva como informação científica pode te fornecer dados interessantes também.
            http://pt.wikipedia.org/wiki/L%C3%ADbia

          • Alguma indicação de que a Líbia estivesse melhor com Kaddafi?

            ====> Quem afirmou isso? Eu não ví essa frase no comentário do Pedro Soto.

            Esta sua afirmação de pilhagem é baseado em que fatos?

            ====> Na pilhagem do Iaque feita pelos americanos.

            As movimentações no oriente médio se deveram por pressões das massas por democracia ou pelo interferência de quem quer que seja para fazer esta pilhagem.??

            O fato é que a ONU aprovou apenas uma zona de exclusão aérea para evitar quye a população civil fosse bombardeada. E com a desculpa de implementar essa resolução a OTAN passou a bombardear ela mesma aquilo que chamou de “alvo militar”, o que por sí já é uma violação da resolução da ONU, já que esta compreendia apenas impedir que aviões de Kaddafi (e qualquer outro, exceto os de patrulha que implementariam a resolução) voasse sobre o espaço aéreo Líbio.

            E pior, surgiram reiteradas reclamações de que os bombardeios ilegais da OTAN estariam eles próprios atingindo a população civil. Essas denúncias não foram convincentemente desmentidas.

            Somente a má-fé faria alguém afirmar que o fato de se criticar esse abuso da OTAN, um verdadeiro crime internacional, seria o mesmo que defender Kaddafi.

  2. Nao, nao. Ate a china reduzir seu ritmo, a situaçao da crise europeia e americana ja terão clareado aos olhos de todos. Os chineses vao de qualquer jeito crescer pelo mercado interno cada vez mais nos proximos anos, isso é parte do plano governamental deles.
    E ao mesmo tempo deixar de fabricar bugigangas baratas, tendendo para agregaçao de valor a produtos
    mais caros e sofisticados. Esse é o processo.
    E ainda assim, se houver forte reflexo um tempo antes, a queda dosnossos juros tambem precederá imediatamente a desvalorizaçao do real e esta por si mesma repoe parte da exportaçao brasileira e corta parte da importaçao… Nao é obvio? e depois voce acredita q eles podem se dar a luxo de crescer 3%?
    Nao podem. Depois tem mais: crescer 10% sobre um pib chines de 4 tri OU crescer 6,5 sobre um Pibchines de 6 tri não é a mesma coisa? os investimentos chineses no mundo sao gigantes NAO preveem crescer 4% de forma alguma. Sao planejados para no minimo o dobro disso.
    entao vamos parar com urubologia midiatica com fins polioticoss que é disso que se trata.

  3. professor americano em pequim? entrevista para o “estadão”? crescimento chines cair para 3%? Deculpe-me edu, mas não acredito… eu acho que o brasil vai continuar dando as cartas em todo o mundo, não só na china, pois teremos ainda muitas reconstrucões de paises abalados ,infelizmente, pelas guerras,e continuamos e receber, altissimos investimentos de longo prazo….respeito sua opinião mas, não acredito nesse jornaleco.
    reinaldo carletti

    • Prezado

      reinaldo bordon carletti

      Sua afirmação de que “….o brasil vai continuar dando as cartas em todo o mundo…” creio que é bastante audaciosa, tendo em vista que sómente a empresa Apple tem mais US$ em caixa do que o Brasil tem de reservas.

      Creio que esta transferência de poder ainda não ocorreu.

      Atenciosamente

      Christoph

      • Se é para usar números para sustentar pontos de vista, eu lembro ao Ex-Camp e eterno Troll que o Brasil é o quarto maior credor dos EUA, o país mais rico do mundo, pelo menos por enquanto.

        • Não vejo tanta glória em ser o 4to maior credor dos EUA.

          Se estes papéis se tornarem mico, o Brasil perde uma fortuna incalculável.

          Quanto sua agressões boçálicas, lamento muito, mas não as tomarei sérias, vindo de quem vem.

          • Olha quem fala.

          • Se os títulos americanos se “tornarem mico” a economia do planeta estará desmoronando completamente.

            Aí o dinheiro deixará de ter sentido e o que pesará será a disponibilidade de recursos e mercado interno em cada País, dentro do salve-se quem puder global que se instalará.

            Talvez fosse até uma boa. Desmoronaria o capitalismo internacional e o neoliberalismo globalizado e a humanidade teria que criar novas relações de produção.

            É curioso ver um personagem (porque ocupado por diversos plantonistas, troll profissional que é) que se diz liberal, fazer uma afirmação como essa. A pátria do liberalismo indo à banca-rota.

            O que o desespero ara criticar não faz com as pessoas (e os call-centers especializados em trollagem)…

          • Que agessão? Não és um troll assumido? Ou vai mudar de novo o codinome, agora para ex-Troll? Decida-se rapaz

      • amigão,
        o caixa da apple, chama-se wall street. o “ditador”jobs, está no fim da vida….depois dele, ninguem….essa sim, podemos dizer, será uma morte anunciada ( da empresa).me cobre depois.
        reinaldo carletti.

        el

  4. Não podemos ficar com receio de desastre economico no Brasil porque um economista norte-americano ” acha, supõe, imagina” que a China vá desacelerar sua economia para 3% ao ano.

    Aliás, confiar em prognóstico de americano sobre a saúde da economia chinesa é muito arriscado neste momento de evidente declínio do império ianque e de crescimento vigoroso da economia chinesa, que pelo andar da carruagem da economia mundial, deve superar a americana por volta de 2020/25.

    O problema da economia mundial na presente crise, é que os EUA e os países da Europa se recusam a fazer a famosa ” lição de casa ” em suas economias estagnadas, preferindo continuar a encher as burras dos bancos privados e livrá-los da falência, por problemas que eles próprios criaram, reflexos ainda da crise dos titulos das “subprimes imobiliárias americanas” e da alavancagem irresponsável desses créditos podres mundo afora, do qual felismente nos livramos.

    Aliás, ” lição de casa ” neoliberal que viviam enfiando goela abaixo do Brasil e outros países emergentes nas décadas de 80 e 90. Já ouvi muito isso na vida: “faça o que eu digo e não o que eu faço. “

  5. Isto sim é crise

    O custo da corrupção é 1X a CPMF por ano
    Quer dizer que pagávamos a CPMF 2x. uma para a “saúde” e outra para a roubalheira.

    De acordo com estudo da Federação da Indústria do Estado de S. Paulo, a corrupção custa ao país pelo menos R$ 50,8 bilhões por ano, dinheiro suficiente para construir 78 aeroportos ou 57 mil escolas ou rede de esgoto para 15 milhões de domicílios

    compilado por Noblat

    COMENTÁRIO
    O fim… de semana
    Somente este ano, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), usou duas vezes um helicóptero da Polícia Militar do Maranhão para passear em sua ilha. A aeronave foi adquirida no ano passado para combater o crime e socorrer emergências médicas. Foi paga com recursos do governo estadual e do Ministério da Justiça e custou R$ 16,5 milhões. Numa das viagens até a ilha de Curupu, onde tem uma casa, o senador foi acompanhado de um empresário com contratos milionários no Maranhão, Estado governado por sua filha Roseana Sarney (PMDB). No fim do passeio, o desembarque das bagagens de Sarney atrasou o atendimento de um homem com traumatismo craniano e clavícula quebrada que fora socorrido pela PM e chegara em outro helicóptero antes de Sarney.

    O deputado federal José Vieira (PR-MA) repassou R$ 560 mil da verba de custeio de atividade parlamentar a uma empresa-fantasma. Durante dois anos, Vieira, que tem avião próprio, simulou despesas com afretamento de aeronaves para seus deslocamentos no Maranhão.Os pagamentos foram feitos à Discovery Transporte e Logística, uma suposta empresa de táxi aéreo que só existe no papel.

    Seis meses depois de mudar sua destinação, o Instituto para a Preservação do Meio Ambiente e Promoção do Desenvolvimento Sustentável, uma ONG de Sergipe especializada em assuntos rurais, obteve contrato de R$ 8 milhões do Ministério do Turismo para qualificar 18 mil cozinheiros, garçons, taxistas e outros profissionais do turismo. O projeto foi aprovado menos de sete horas após o início da sua análise. Sem matricular ninguém, a ONG já recebeu R$ 3 milhões.

    A situação dos irmãos Paulo Sérgio Costa Pinto Cavalcanti e Ismael César Cavalcanti Neto, donos da Sasil e da Triflex, complicou-se ainda mais depois da série de depoimentos colhidos pela Polícia Federal desde o início da Operação Alquimia. Pelo menos 12 investigados confessaram ter participado de fraudes fiscais em empresas dos dois irmãos. O grupo é acusado de sonegar pouco mais de R$ 1 bilhão.

    Dois meses após o acidente de helicóptero no litoral da Bahia que tornou pública a proximidade entre o governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), e o empresário Fernando Cavendish, dono da Delta Construções, a administração estadual fluminense voltou a firmar com a empreiteira contratos emergenciais, aqueles que dispensam licitação. Nos quatro anos e sete meses da gestão de Cabral, a construtora faturou mais de R$ 1,3 bilhão em contratos com o governo do Estado – sendo R$ 214 milhões em contratos emergenciais. Cabral e Cavendish já viajaram com suas famílias para as Bahamas, no Caribe, em um jato do empresário Eike Batista, cujas empresas são beneficiadas por anistias e incentivos fiscais do governo do Rio.

    O radar do Palácio do Planalto está apontado desde a semana passada para o gabinete do ministro Mário Negromonte (PP), das Cidades. Em guerra aberta com uma parte da legenda pelo controle do partido, Negromonte estaria transformando o ministério num apêndice partidário e usando seu gabinete para tentar cooptar apoio. Segundo relatos colhidos por Ideli Salvatti, ministra das Relações Institucionais, as ofertas em troca de apoio incluem uma mesada de 30.000 reais para o deputado que aderir a Negromonte.

    Por quatro vezes nos últimos 40 dias, a revista ÉPOCA perguntou a Paulo Bernardo sobre suas eventuais viagens em um avião particular quando exercia o cargo de ministro do Planejamento no governo Lula. Trata-se do King Air, matrícula PR-AJT, que pertence ao empresário Paulo Francisco Tripoloni, dono da construtora Sanches Tripoloni. Em nenhuma dessas ocasiões, Bernardo respondeu à pergunta. A indagação tem duas razões. Um parlamentar que integra a base de apoio do governo Dilma no Congresso disse que viu Paulo Bernardo embarcar no ano passado no avião da construtora Sanches Tripoloni em um terminal do Aeroporto de Brasília. Outro parlamentar, de oposição ao governo, também afirmou que a chefe da Casa Civil da Presidência da República, a ministra Gleisi Hoffmann, mulher de Paulo Bernardo, usou o avião em sua pré-campanha ao Senado Federal pelo Paraná. Como ministro do Planejamento, Paulo Bernardo mostrou um empenho especial na construção do Contorno Norte de Maringá, no Paraná – uma obra tocada pela empreiteira Sanches Tripoloni, que já custa o dobro de seu preço original.

    Em uma sessão de julgamento que durou 44 horas e meia, o prefeito de Campinas, no interior de São Paulo, Hélio de Oliveira Santos, o Dr. Hélio (PDT), teve o mandato cassado pela Câmara Municipal por 32 votos a um. A Câmara entendeu haver responsabilidade de Dr. Hélio em três episódios: fraudes em contratos da empresa de saneamento da cidade; irregularidades no sistema de liberação de loteamentos e de empreendimentos imobiliários; e ilegalidades no modelo de operação de antenas celulares.

    A Fundação São Paulo, mantenedora da PUC-SP, se dispôs a devolver o dinheiro do contrato que assinou com o Ministério da Agricultura após uma licitação fraudada com documentos forjados com o timbre da FGV (Fundação Getúlio Vargas). A fundação recebeu até agora R$ 5 milhões dos R$ 9,1 milhões do valor original do contrato, cujo objetivo é a realização de cursos para funcionários do ministério.

    A “faxina ética” no governo causa enorme desconforto no PT. Dirigentes do partido temem que, com a escalada de escândalos, o governo de Lula acabe carimbado como corrupto. Afinal, todos os ministros abatidos até agora foram “herdados” de Lula. Uma vez que foi ao chão o terceiro ministro do governo Dilma por conta de denúncias de irregularidades, o empresariado brasileiro diz que a presidente terá apoio total para seguir em frente com a “faxina ética”.

    De acordo com estudo da Federação da Indústria do Estado de S. Paulo, a corrupção custa ao país pelo menos R$ 50,8 bilhões por ano, dinheiro suficiente para construir 78 aeroportos ou 57 mil escolas ou rede de esgoto para 15 milhões de domicílios:

    Comentário meu

    Que legado!!!!

    • Christoph,
      Vc esqueceu de enumerar a lista de corrupção dos governos estaduais paulista e mineiro da última década …. foi só esquecimento ou falta de espaço?

      • Falta de espaço.

        Não tenho no PIG nenhum levantamento das falcatruas paulistas e mineiras para juntar ao comentário.
        Mesmo assim o comentário é válido apesar de ser parcial.

        Sermos roubados em 50 bilhões por ano independe de sigla partidária. É sacanagem mesmo.

        PS. O que coloquei acima refere-se tão somente ao último fim de semana.

        Certamente faltaria espaço se eu fosse me dedicar à décadas como é seu desejo.

        • só quero acrescentar que, o que a fiesp fala ou publica, é bobagem e digo porque, qual é a industria produtiva do paulo skaf? nenhuma.,do paulo francini? nenhuma, então não podem falar absolutamente nada, pois não produzem e nem empregam nada/ninguem, somente ficam mamando ( e muito) lá no sistema S e na arrecadacão que a fiesp cobra dos seus sócios.
          reinaldo carletti

        • A oposição, sua mídia e seus admiradores estão querendo dizer que o combate à corrupção vai colar a pecha de corrupto no governo de Dilma ou de Lula, porque ” o que está sendo roubado daria para construir tantos hospitais, tantos aeroportos, etc, e acham que com esse discurso podem vencer as próximas eleições. Esquecem que o que deixou de ser roubado está dando para construir portos, ferrovias, rodovias, refinarias, usinas elétricas, linhas de transmissão, transposição de rio, usinas siderúrgicas, refinarias de petróleo, formação de reservas bilionárias, pagamento de dívidas externas, crédito farto para indústria, comércio, serviços, moradias, automóveis, geladeiras, móveis, TV, salários, empregos, escolas, universidades, bolsas de estudos, etc, etc, quando no governo passado TODO o dinheiro dos impostos, os mesmos de hoje, simplesmente desaparecia. Não havia dinheiro para nada disso. Não sobrava dinheiro nem para manutenção de estradas, nem pagamentos de coisa alguma. Nem mesmo o dinheiro das privatizações serviu para aliviar nada. Desapareceu também. Ninguém sabe explicar o que era feito com os trilhões que desapareceram. Ou sabe, mas não pode.

    • Falou o porta-voz da direitalha!
      Só na venda fictícia da Vale do Rio Doce vocês, neoliberais fracassados, roubaram dez vêzes mais do que isso. E o que é pior, essa roubalheira monstruosa é PARA SEMPRE!
      Sem falar nos negócios de mãe para filho, que são os pedágios, as telefônicas, as usinas hidroelétricas, as siderúrgicas, etc., etc., etc.
      E, bem lembrado, numa manobra digna de qualquer Tea Party tupiniquim, surrupiaram 40 bilhões de dólares anuais da saúde pública para que os zelitistaszinhos da vida deixassem de pagar 30 reais mensais de CPMF.

      • 40 bilhões de reais….

        • “mãe para filho,” não coloca a Eurenice na jogada.
          Pedro na base do repetir ate virar verdade não cola mais.
          Faz assim vê o preço da Rio TInto na epoca e depois volta a comentar sobre isso e para de repetir o que o partido te manda falar não vale a sinecura que lhe dão talvez, deixa de ser um apparatchik e pense por conta própria..

          miniglossário para entender os termo na imprensa.(roberto campos)

          ESQUERDISTA, adj. também usado como s.m. e s.f. – Denominação aplicada aos que não estão no centro, nem na direita, nem no alto. Habitualmente estão a Leste. Desejam distribuir a propriedade alheia e gostam de votar impostos porém não de pagá-los. De um modo geral, acham que a sociedade deve distribuir mais do que produz, desde que as esquerdas (quer dizer, eles mesmos) se encarreguem da distribuição. Donde o provérbio: “muitos dos interessados na distribuição do bolo querem sobretudo o controle da faca”. A tradução latina de homem de esquerda é “homo sinistrae”.

          BURGUÊS DE ESQUERDA – Homem rico, latifundiário ou industrial, que deseja conciliar opulência com popularidade. Adora promover medidas para que o Estado distribua a renda dos outros, preservando a sua através de incentivos fiscais. Uma variedade particularmente daninha é o genrocrata, isto é, o pobre que casa com mulher rica. Acha que sendo seu patrimônio imerecido, também o deve ser o dos que o adquiriram no eito e não no leito. Defendem a justiça social e a opção pelos pobres, mas não abrem mão de seus direitos mínimos – “whisky” legítimo e videocassete contrabandeado. No máximo aceitam a reforma agrária nas terras dos cunhados e concunhados. Geralmente não recolhem o INPS e o FGTS, mas não tem objeção à expansão da atividades assistenciais do Estado, em favor primordialmente dos burocratas e, secundariamente, dos pobres. Dizem-se “nacionalistas” e também “socialistas”, esquecendo-se de que as duas palavras juntas configuram o nacional-socialismo, partido muito popular na Alemanha até o fim da II Guerra Mundial.

          • Sr. Aliança Liberal,

            … tenho certeza que nem mesmo vc acredita nessas bobagens que escreve… entendo suas manifestações como um desejo – sórdido, porém – mas desejo de ver os “liberais” de novo no poder no Brasil … mas, tanto quanto a maioria no mundo todo, sabemos que vcs da direita histérica estão com os dias contados: o mundo civilizado, o Brasil civilizado, jamais aceitarão vcs novamente no poder… porque o que vcs represetam são o atraso, a falta de respeito intelectual e humano; na defesa de suas posições reacionárias e atrasadas… seus valores constrõem o discenso, a ruína de países e seus povos, provocam guerras, desmatamentos, desumanidades estarrecedoras…. vcs, suas ideologias tão sólidas quanto uma bolinha de papel, interpretam o “canto do cisne” no processo da evolução da humanidade…
            … aproveitando o slogan da moda, vc e seus iguais, tipo o “ex-campineiro”, devem fazer uma faxina ética em v. ideologia piguenta…

          • Ô bobalhão. Você não tem o direito de me insultar pois nós nem nos conhecemos. Aliás, você não tem argumentos e por isso ofende.
            Quanto à sua ideologia fracassada, vocês não vão mais roubar o país pois o povo brasileiro deixou de ser idiota há muito tempo.

        • “muitos dos interessados na distribuição de renda (bolo) querem sobretudo o controle da faca”.

    • Por que nos oito anos de FHC, (um governo sem corrupção não) mão se construiram 78 aeroportos e as 47 mil escolas?
      Só uma perguntinha: Ex Campineiro, onde foram parar os 100 bilhões das privatizações?

    • Interessante que todos conhecem o Sarney não é de hoje! Visto que até pagou o congresso em 1988 para ficar mais um ano na presidência da república. Nos tempos FHC, Sarney estava lá no congresso, perticipava da maioria de opoio ao PSDB e nunca o PIG chiou um há por ele! Por que agora esta indignação toda? Resolveram ficar honestos ou apenas uma manobra política para quebrar a maioria do congresso do PT? Quando o PSDB e mídia voltarem ao poder, se é que um dia o povo brasileiro vai ser idiota de votar neles, será que seram éticos de cobrarem novamente a corrupção brasileira ou vão fazer como no áureso tempos FHC ou atualmente nos governos estaduais do PSDB, não engavetar toda a corrupção e bloquear qualquer CPI? Fazer papel de tolo é ser inteligente, ser tolo é idiotice!

  6. Concordo com o augusto, acima.
    O pior cenário que pode vir é os EUA entrarem em recessão.
    A China é o maior credor dos titulos americanos, o maior importador mundial de commodities e maior parceiro comercial do Brasil. Se cair seu ritmo de crescimento é claro que afeta a economia brasileira, mas pelo lado das exportações.

    Nossa balança comercial ao se perceber negativa, trará a redução da SELIC e o Real se desvaloriza. Até onde? Até onde as reservas brasileiras permitirem! Com cuidado, pode-se conter a inflação e reduzir as importações; o saldo de emprego perde pelo lado exportador mas ganha pelo menor esforço importador.

    Outro fator importante é que 2012 é ano eleitoral dos EUA e Obama não vai permitir que a recessão lhe tome a reeleição. Grande parte do “terror” americano pela recessão é causado pela oposição do tea party que quer minar, desde já, as chances dos Democratas. Não fosse por isso, a negociação da rolagem da divida americana teria sido muito mais fácil.

    Compreendamos uma coisa: nossa dependência dos movimentos econômicos internacionais é muito mais facilmente controlada hoje que nos tempos das baixas reservas e do FMI. Ainda, temos o mercado interno fervilhando por consumo; temos a politica de redução de impostos sobre produtos pontuais e estratégica, que permite que determinados setores mantenham o ritmo aquecido pela demanda.

    Mesmo assim, com nossa capacidade interna de passar pela crise com leves arranhões, precisamos estar atentos para o inicio de 2012: ano eleitoral no Brasil, quando as oposições – sobretudo a midia – vai querer provar que o PT e Dilma fracassaram.

    No ritmo da economia mundial, hoje, esta crise – que é o rescaldo da de 2008 – não pode durar até 2013 sob pena de compremeter a estabilidade politica das nações mais industrializadas. E, se mesmo assim ocorrer, em economia, quando se chega ao fundo, a única expectativa é subir e recomeçar!

  7. Por outro lado será que existem investidores loucos? Eu acho que não!

    A FIAT está implantando uma nova fábrica em Pernambuco gerando mais de 4000 empregos diretos e com investimentos de quase CINCO BILHÕES!

    Entre outras empresas e investidores na produção, temos a BUMGE vai investir quase TRÊS BILHÕES!

    A questão política o governo DILMA tirar de letra com a ajuda justamente desses investidores, o que vai ajudar, ou compensar, numa possível retração das nossas exportações de commodities.

    O Brasil ainda tem muito espaço no mercado interno para BOMBAR!

    NÓS TEMOS QUE TER MEDO É DO CAPITAL GIGOLÔ E ESPECULATIVO E DA INGERÊNCIA GEOPOLÍTICA DO POVO DO NORTE!!!

  8. Eduardo

    Meio fora do tema, mas esta bola eu cantei uns dois post atras.

    “A situação de Marta, que já era muito difícil tendo Lula como adversário interno, piorou muito depois que Mário Moyses, seu braço-direito, foi preso pela Operação Voucher, da Polícia Federal. No petismo, acham que a candidatura foi ferida de morte. Não que sua vida fosse ser muito fácil caso decidisse enfrentar o Lula.
    Agora, dá-se internamente a situação por liquidada.”

    RA (com alterações minhas no texto para que se torne viável a publicação neste espaço)

  9. Prezado Eduardo: ” o empresariado é a favor da presidenta continuar com a faxiba ética” disse um leitor citando um blogueiro.Concordo que a limpeza deve continuar. Mas, faço uma pergunta : Empresário que não paga imposto está ou não cometendo corrupção ? Se não, por que tanto dinheiro de empresários brasileiros está escondido em contas secretas em paraiso fiscal ? será que o zé povinho tem dinheiro lá?

  10. O Estadão é uma comédia! Achar um economista americano na China similar a nossa urubóloga Dona Leitão é um feito jornalístico e tanto.
    A China crescer 3% a partir de 2013?! Até eu que sou leigo para burro em economia, morri de ri.
    Por isso Edu, não li a entrevista toda, parei nessa “previsão Nostradâmica exdrúxula”.
    Apesar de você não ter sido feliz em pegar essa matéria como exemplo, tens toda razão em chamar atenção quanto ao excesso de otimismo em relação a nossa economia.
    O custo de vida tem subido. Os reajustes de salário não tem sido acima da inflação. Não estamos mais no milagre econômico do período Lula. É essa a razão da queda da popularidade da Dilma, ao meu ver.

  11. Eduardo, acho que agora o Estadão é que merecia um protesto na frente do jornal…

    ESTADÃO CRAVA A ESPADA EM DILMA

    Publicado em 22/08/2011

    http://www.conversaafiada.com.br/wp-content/uploads/2011/08/dilma-espada2.jpg
    ( aqui o link da matéria e a foto )

    O Conversa Afiada reproduz post de Rodrigo Vianna, no Escrevinhador:

    “Estadão” crava a espada em Dilma

    por Rodrigo Vianna

    A foto está na página A-7, na edição impressa do Estadão. Dilma surge levemente arqueada, e a espada de um cadete parece trespassar o corpo da presidenta. Abaixo da foto, o título “Honras Militares” – e um texto anódino, sobre a participação de Dilma numa cerimônia militar.

    Faço a descrição minuciosa da foto porque a princípio só contava com uma reprodução de má qualidade (tive que fotografar a página do jornal com uma máquina amadora). Mas um amigo acaba de me mandar a imagem por email – e essa está um pouco mais nítida. Estranhamente, não encontro a foto no site do Estadão. Talvez apareça naquela versão digital para assinantes…

    O editor deve ter achado genial mostrar a presidenta como se estivese sendo golpeada pelas costas. É a chamada metáfora de imagem. Mas, expliquem-me: qual a metáfora nesse caso? O que a foto tinha a ver com a solenidade de que fala o jornal? Há, no meio militar, quem queira golpear Dilma pelas costas? O jornal sabe e não vai dizer?

    Ou, quem sabe, a turma do “Estadão” tenha achado graça em “brincar” com a imagem. No mínimo, um tremendo mau gosto com uma mulher que já passou por tortura na mão de militares, e hoje é a presidenta de todos os brasileiros.

    Sintomático que a foto não apareça ao lado da mesma notícia na edição digital. Alguém deve ter pensado melhor e concluído: não vai pegar bem.

    Por isso tudo, sou levado a pensar que Freud talvez explique a escolha da foto: a mão militar, na imagem, cumpre a função de eliminar a presidenta. E, com isso, talvez agrade a certa parcela dos leitores do jornal. Passeando pelo site do Estadão, é comum ver a presidenta chamada de “terrorista”. Exemplo, aqui:
    Walter BenedetteComentado em: Dilma participa de solenidade em escola de oficiais

    20 de Agosto de 2011 | 20h52

    A Dilminha tá fazendo certinho, adulando um pouco os milicos, ai eles se derretem todos e se dobram ficando de quatro para a ex-terrorista.

    Volto eu. Para essa gente, terroristas não foram os que mataram, torturaram e impediram o país de viver em regime democrático. Não. Para eles, “terroristas” são os que lutaram contra a ditadura.

    A foto da página A-7 cumpre o papel de agradar essa gente.

  12. Prezado Eduardo: Por favor, publique. No meu comentário, às 15:08, onde se lê faxiba ética, leia-se faxina ética. Obrigado.

  13. Quem acredita em economista deveria ver pesquisa que o FT fez sobre previsões. Cartomantes acertam mais que os colegas “ilustrados”.
    Em 2008, o prêmio Nobel de economia foi para Paul Krugman um americano(?)… rarrararar
    Doutores, me expliquem como pode, no ano da bolha “Prime” dos EUA, a academia em Oslo premiar um americano ? Risível!

    Alguém conhece a estória do jovem economista filho de pipoqueiro?rarrarra

  14. “•••Tudo de que não precisamos, neste momento, é de que a mídia comece a insuflar alarmismo como em 2008. Naquele ano, funcionou muito bem, durante algum tempo, porque o Brasil jamais havia saído com poucos danos de pequenas crises econômicas nos rincões do mundo. E desta vez?•••”:

    Dessa vez, inocente Eduardo, voce esta esquecendo o que aconteceu em 2008: um hedge fund tinha apostado BILHOES DE DOLARES contra o Brasil e a unica coisa importante era derrubar o Brasil e o cambio o suficiente para que o hedge fund nao falisse.

    Dessa vez o hedge fund esta apostando na ALTA do cambio em 6 meses, entendeu? Entendeu?

    Entenderam, gente? Entenderam porque a media esta tao boazinha agora? O cambio ainda vai subir, entenderam? O dinheiro brasileiro ainda vai ficar mais “podre de rico” ainda. Eh sabotagem, eh espionagem, e voces sao o alvo.

    (Alguem por favor me instrua em como colocar italicos e boldface aqui que eu ja nao sei!)

  15. Caro Eduardo
    Os economistas de mercado, comentam do mundo todo, eles são mais que globalizados, votlados para o neoliberalismo, vide a rede globo, estamos na fase do capitalismo ficticio, onde um tal Eike Batista reclamou de deixar de “ganhar”, aproximadamente, R$ 8 bi, ele é um exemplo de trabalhador, da economia assassina.
    Veremos a palavra crise mais de 1 bilhão de vezes por dia, mas não será citada Somália, nem a invasão da Libia, do Afeganistão, do Iraque, para a pilhagem, e assassinato em massa, dos mesmos donos do capital ficticio.
    Quanto ao Brasil, nem Lula nem Dilma significam perigo ao capitalismo. Avançar para o futuro significa retornar na década de 30, com o Welfare State, e é isso que está ocorrendo no Brasil.
    Seguramente o Brasil sentirá o tremor da crise, alguns adorariam que ele caisse de vez, são os cumplices desses assassinos econômicos, que se escondem no anonimato.
    Saudações

  16. Sabe Eduardo, a sessão de comentários de seu blog está deixando de ser um espaço para o debate franco de idéias, para ser palco de provocações de trolls profissionais e das respostas a esses mesmsos trolls.

    Todo tópico vira uma guerra entre as provocações e as reações, coisa que em nada acrescenta a ninguém.

    Ninguém vai mudar a posição de trolls profissionais, pois são pagos para fazer as provocações, que por serem grosseiras e mal formuladas também não convence ninguém.

    E pior, o nível se mantém rasteiro pois quaisquer tentativas de aprofundar um assunto batem de frente com deturpações, distorções, mentiras e tergiversações que visam justamente imedir que a troca de idéias e a apresentação de argumentações fundamentedas ocorra.

    Cuidado Eduardo, a trollagem está querendo monopolizar esse espaço e espantar os leitores que tentam fazer seu comentário de boa-fé.

    • está difícil. não quero bloquear, mas não vou ter jeito. o campineiro não se emenda. eu não quero vetá-lo, mas ele acha que me faz de idiota. quer provocar confusão mesmo

    • Me permita, Ruy.

      “E pior, o nível se mantém rasteiro pois quaisquer tentativas de aprofundar um assunto batem de frente com deturpações, distorções, mentiras e tergiversações…”

      Isso quando, simplesmente, não somem após plantarem seus toletes neste espaço precioso.

      Não gosto de reclamar de trolls, mas você tem razão, tá enchendo o saco essa estorinha de postar provocações a toda hora.

      Um abraço.

      • André

        Estou aqui

        não tenho medo da divergência.

        Caso o Eduardo não queiro publicar as agressões suas e do Ruy, estejam a vontade para usar meu Blog.

        Vou colocar minha opinião, a que vcs chamam de provocação enquanto o Eduardo não me expulsar.

        A grande lição para mim é ver como a verdade é irritante, como as pessoas odeiam sair de seu quadradinho e a quantas chega o ódio de classes.

        Veja as respostas do Henrique a cada contestação ao texto dele. Parece um psicopata, ávido por sangue, descontrolado e totalmente doente.

        Depois falam que eu sou provocador.

        É uma lição de vida, de profissão, apesar do Ruy achar que sou pago para postar aqui, colocarei de forma clara, sou pago por isto tanto quanto o Eduardo é pago para manter o Blog dele.
        OK este tema encerrou, para a decepção do Ruy.

        Minhas opiniões estão lotadas de verdade, e vcs se irritam pq não tem como justificar o injustificável.

        Quanto ao Ruy, prezado comentarista, quem sabe se ele parar de só postar “olho o Troll, pega o Troll, veja o Troll, abaixo o Troll. vamos acabar com o Troll, elimina o Troll,expulsa o Troll, vamos pegá-lo, o Brasil contra o Troll, possamos partir para uma discussão mais profunda.

        Não consigo imaginar e me recusa a acreditar que uma pessoa como o Ruy, que mostra trabalhos maravilhosos (inclusive na versão iPad) em seu site, seja tão limitado intelectualmente.

        André,eu nunca fugi da raia para discutir, mas relamente não vou entrar em bate boca, com imbecilidade, com ofensas, com acusações das mais torpes possiveis.

        Se a zona de conforto é tão importante para vcs, então façam de conta que eu não existo, ignorem meus comentários, não respondam, mas não me venham a pedir censura e depois venha a pousar de democratas.

        • Cristoph,
          fique tranquilo não foi uma referência à sua atuação exclusiva aqui, embora não tenha faltado “fora de assuntos” seus com o único intuito de satisfazer o seu intento, que é discordar e provocaros “cegos petistas daqui”. Fosse com relação a você, eu teria me reprtado à resposta do Eduardo, porque, esta, sim, se referia, especificamente, a você.

          Agora, para com isso, cara, tô me lixando pra opiniões provocativas de viés direitista, quase nem comento, e para falar a verdade eu me divirto muito com réplica e tréplicas entre vocês, o Eduardo e outros comentaristas.

          Nunca agredi ninguém, não é do meu feitio, no entanto, já fui agredido até por esquerdista. Não me importo, minha zona de conforto é onde frequento, se não tenho conforto, não voumais. Mais ainda, fui educado para aceitar as divergências, tenha certeza.

          Agora, do que eu falei foi sobre as provocações e comentários off-topic para criar redemoinhos que não agregam nada à discussão, descambando para a agressões de parte a parte. Não vou a blogs de “tios reis da vida” pra afrontar pensamento direitista nenhum, não vai dar boa discussão. É, pois é, lá também quem discorda – se publicado – toma sarrafo, não é como você tenta, para variar, tributar somente aos esquerdistas um certo “pavio curto” por desconforto. Mas tudo bem, você não veio aqui para aprender, mas, tão somente, para ensinar e, à conta-gotas, nos saciar a sede por pensamentos que vemos diuturnamente na mídia, e todos nós temos que nos dar em reverência a você e a outros sapientíssimos direitistas, afinal, somos nós a escória, os insociáveis.

          Quero reafirmar, estou de pleno acordo com o sr. Ruy Acquaviva.

          Saiba, muitas vezes me divirto com você, não é pejorativamente, não, é sincero.

          De toda, forma, obrigado pela forma respeitosa com que se reportou a mim.

          Paro por aqui.

          Um abraço.

      • Santa ingenuidade.
        Conta prá ele Blogueiro. Conta as inumeras vezes que você bloqueia a réplica porque coloca o comentarista pró-blog em situação constrangedora.
        Ah Sim. Você pode usar o famoso ; ” bloqueio porque voces são mediocres no argumento e só sabem insultar e escrever impropérios”. Sabemos que isso não é verdade e sabemos tambem que você não vai admitir por causa da lógica ricuperiana.
        O fato é que os comentaristas da sua claque são “fator Ideli”, ou seja, são fraquinhos e partem para a agressão fácil. Dá uma olhada nos comentários dos posts recentes e você vai encontrar termos como “bobalhão”, “imbecil”, “idiota”, “cavalgadura”, “merda”.

  17. hoje as 22hs na TV Brasil Nassif falara sobre o tema,Economia,mundo e Brasil.

  18. tudo a ver com economia e Brasil.
    como tem quem tem a mesma visão do PIG,e esquece de telefone internet e outros meios de comunicação que unem Dilma e Lula pois até onde sei eles se falam pelo menos 3 vezes por semana .
    Nenhuma novidade: Lula no centro da política brasileira

    por Luiz Carlos Azenha

    Às vezes é preciso relembrar mesmo o passado recente para avaliar a conjuntura política brasileira.

    Vocês ainda se lembram de Dilma Rousseff, a guerrilheira?

    Vocês ainda se lembram de Dilma Rousseff, o poste de Lula?

    Vocês ainda se lembram de Dilma Rousseff, a mentirosa que encontrou Lina Vieira?

    É só consultar as edições dos jornais de 2010 para ler os copiosos textos e análises definitivas sobre a incapacidade política de Lula e de sua “criatura”.

    Bem, Dilma Rousseff venceu a eleição.

    Sem corar de vergonha, os analistas que produziram os textos supra-citados passaram a pregar o rompimento entre Lula e Dilma.

    As teorias são crescentemente sofisticadas.

    Uma delas sugere que, ao combater a corrupção, Dilma estaria carimbando negativamente o governo anterior.

    É uma teoria estúpida, já que Dilma foi um quadro importante do governo anterior.

    Mas os jornais não só insistem na teoria, como “repercutem” as próprias besteiras que escrevem.

    É a ficção 2.0, turbinada. Mentira sobre mentira, com a esperança de que a repetição tenha algum impacto na realidade.

    A realidade é que, gostem ou não, Lula continua o principal personagem da política brasileira. Não só elegeu a sucessora, como pode voltar ao poder pelo voto, em 2018 (o único risco para Dilma em 2014 é a crise econômica atropelar o Brasil).

    Peço a quem tiver tempo que consulte os arquivos e aponte, nos comentários, os copiosos exemplos de textos que falavam sobre o fracasso de Lula e de Dilma, a — na linguagem deles — “criatura” que até recentemente diziam ser um zero à esquerda.

  19. “Brasil apóia Conselho Rebelde na Líbia”
    O que houve, Celso Amorim? Está andando pra trás?
    Quem sabe amanhã farão o mesmo com o Chávez, na Venezuela. Leia o Brizola Neto, que esteve por lá.

  20. Devem os governos tomar providencias contra a crise gerada pela farra do boi nos paises centrais do capitalismo mundial?Sem duvida alguma.Mas sem que os mais pobres e a classe media paguem integralmente a conta.Está na hora de os ricos e super ricos serem chamados a contribuir com sua cota de sacrificios,assim como quer Warren Buffet,multimilionario norteamericano,para debelar a crise?Sim,está na hora.Alias ja passou da hora,já que muitos desses ricos e principalmente super ricos se enriqueceram à custa da miseria e da super exploração de povos miseraveis e a situação da Africa é um exemplo mais do que eloquente.O que eu acho muito engraçado,embora a situação não seja nem um pouco engraçada,é que eles(norte americanos,ingleses,franceses e alemães)deitam e rolam,fazem e acontecem,provocam guerras no mundo inteiro em nome de supostos valores que estariam sendo postos em riscos em algumas regiões do globo e quando a conta chega,todo mundo entra na dança,mesmo aqueles que nunca tiveram nada a ver com essas guerras,como nós brasileiros.Porém uma coisa é certa,anteontem foi o Afeganistão,ontem foi o Iraque,hoje está sendo a Libia e amanhã,com toda a probabilidade pode vir a ser o Brasil,em virtude de nossas riquezas serem cobiçada por dez entre dez nações do mundo dito desenvolvido.E ja se sabe que os EUA e seus cumplices,quando não conseguem uma coisa por bem,conseguem essa mesma coisa por mal.

  21. Mas uma vez fica evidenciado os danos terríveis causados à Economia pelo fracassado modelo agrícola do latifúndio monocultor. Sem contar os gravíssimos danos sociais e ambientais. A dependência das commodities na pauta de exportações brasileira tem origem na formação histórica de nossa Economia, a qual, surge baseada nesse modelo agrícola deformado(não praticado em nenhum país desenvolvido)e que ainda hoje sobrevive em nosso terra. Apesar de sobrevalorizadas, as commodities constituem um tipo de riqueza econômica por si só primária e falsamente rentável. Afinal, mesmo diante do cenário mais “positivo” de supervalorização desses produtos, não podemos compará-lo com o valor atribuído aos que têm maior valor agregado, como os de alta tecnologia, os quais, além da vantagem no preço, ainda possuem o diferencial de que são produzidos por poucas Nações, o que dá àqueles que os vendem um grande poder de barganha econômica e força política. A mesma lógica vale para as “commodities”(nome modierno para matérias-primas) não alimentares, afinal o extrativismo é somente uma “outra versão”, igualmente tenebrosa, do latifúndio. As mesmas críticas quanto à desvantagem e fragilização econômicas, como também à fraqueza política que propiciam aos seus produtores diante das negociações inetrnacionais, podem ser dirigidas a elas, principalmente se lembrarmos(como uma ilustração da burrice que coroa o direcionamento de uma economia para o modelo agro-extrativista, ao invés de projetá-la visando o investimento em alta tecnoloigia e em produtos com valor agregado)que vivemos em uma Nação capaz de exportar minério de ferro para a China e posteriormente comprar, por uma valor muito maior do que o ganho com a venda do ferro, esse mesmo minério transformado em aço pelos chineses. Contudo, como “crise” também o momento para oportunidades, o Governo Dilma pode aproveitar os necessários enfretamentos que virão com a crise internacional para realizar, ou mesmo acelerar, algumas modificações indispensáveis para a construção de um modelo econômico desenvolvimentista neste país, ou seja, para a implantação de um projeto nacional de desenvolvimento autônomo e independente. Começando pelo que está em andamento, podemos acelerar os investimentos em tecnologia e mão-de-obra qualificada(o que já começa a ser feito pelo Governo através de projetos como o Pronatec, destinado à qualificação da mão-de-obra e o Brasil Maior, que tem no desenvolviemnto tecnológico uma de suas bandeiras). Programas como esses precisam ser acelerados e aprofundados. Além disso, a modificação de nossa política financeira neo-liberal(abrandada por Lula, mas ainda bastante danosa ao país)precisa concretizar-se. O Governo levemente ensaia algumas medidas que indicam uma participação mais efetiva do Estado na farra dos especuladores : mas é pouco. Concomitantemente ao nosso fortalecimento comercial(tanto nas parcerais – devemos aumentar ainda mais a integração com a América Latina e a África – como na qualidade dos produtos vendidos)devemos iniciar uma redução progressiva da taxa de juros e controlar o câmbio, direcionado-os para tronarem-se armas destinadas a impedir que aas riquezas do nosso país sejam sugadas pelos especuladores internacionais, como também para impedir uma ainda maior destruição de nosso parque industrial por uma taxa cambial absurda; e ainda preparar o Brasil, diminuindo sua entrada em nossa Nação, para a debandada de dólares que mais cedo ou mais tarde ocorrerá, quando o Mercado, caracterizado por seu conservadorismo e visão política estreita, resolver correr para EUA e Europa, ainda que ambos constituam-se nos centros da crise. Por último devemos aproveitar a crise para atacar algo ainda não alterado desde que as forças populares chegaram ao poder com Lula : a concentração agrária. Realizar uma reforma agrária que extinga o latifúndio e viabilize a ampliação de nossa Mercado Consumidor, integrando a ele milhões de miseráveis ainda existentes no campo, que passarão a consumir e a mandar seus filhos estudarem , formando mais mão-de-obra para o futuro; e também reduza a participação das commodities em nossa pauta de exportações ao que devem ser na pauta de qualquer país que pretenda-se desenvolvido : um elemento secundário na receita total, vendido após a satisfação das necessidades internas(e conforme seja interessante para o país), através de sobras resultantes do excesso produzido pela associação entre pequenos e médios produtores em cooperativas(para os reacionários de plantão, é esse o modelo agrário dominante num dos maiores produtores agrícolas do mundo, os EUA, que mesmo com a elevada exportação, não possuem as commodities no topo da lista dos produtos que mais contribuem no total de recursos obtidos pelas exportações, posição ocupada pelos produtos industrializados). Se seguir sugestões como essas e outras relacionadas à fortificação do Mercado Interno e à elaboração de um projeto nacional de desenvolvimento autônomo; evidentemente repudiadas pelos reacionários, Dilma Rousseff poderá aproveitar essa crise para consolidar ainda mais o Brasil como um país não apenas poderoso, mas justo.

  22. Até onde sei, Dilma está muito atenta a toda a situação e já está tomando precauções. Inclusive já falou publicamente que o Brasil está muito mais preparado agora do que em 2008, com mais reservas, mais depósitos compulsórios, mais mercado interno, e mais margem de manobra com juros e impostos. Tanto que já lançou um programa de proteção à indústria nacional para compensar a apreciação do Real, já está movimentando a UNASUL, junto com América Central e Caribe. E ainda tem o grande professor Lula, aquele que sabe transformar tsunami em marolinha, sempre ao seu alcance.

  23. Confia na capacidade deste govêrno,mas desconfiando, traduzindo para o português :em cima do muro.

  24. Ou confia ou não confia,ficar no meio ermo é que não dá.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.