A verdade vem do Norte

Há pelo menos dois grandes mitos com os quais as eternas potências estrangeiras do Norte contaminaram o imaginário do Ocidente: o terrorismo seria preponderantemente um fenômeno islâmico e a imprensa seria uma espécie de voz “divina” que só transmitiria a verdade e defenderia os interesses da coletividade, sendo, portanto, inatacável e inimputável. Fatos recentes, no entanto, colocaram tais dogmas em xeque.

A pretensão dos países ricos de defenderem para si o uso da força contra populações civis de outras nacionalidades como forma de pressão a nações com as quais aquelas potências econômicas, tecnológicas e militares do Norte mantêm contenciosos de todas as naturezas (econômicos, territoriais, culturais e até religiosos), foi um sucesso estrondoso.

Além de caracterizar seus atos desumanos contra mulheres, velhos e crianças como “guerra ao terror”, aquelas potências também conseguiram transformar a reação de grupos oriundos das populações atacadas dentro de seus territórios em “terrorismo”. Ou seja: conta-se como foi a reação, mas não que foi reação em vez de agressão imotivada.

Por razões culturais, de supremacia de classe e etnia ou por puro preconceito, a imprensa do Ocidente finge que, quando os Estados Unidos e União Européia interferem militarmente em outras nações distantes, vitimando legiões de civis nessas ações, o fim justificaria os meios. Mas quando, dessas populações agredidas, brota um grupo disposto a causar o mesmo tipo de tragédia nas sociedades que desencadearam as ações genocidas com as quais aquele grupo foi atingido, aí o que prevalece é o que interessa: o crime contra inocentes.

Em 22 de julho último, porém, essa visão hipócrita da realidade se veria fortemente ameaçada, pois um único homem conseguiu provocar uma chacina digna de figurar entre os maiores “atentados terroristas” da história.

Naquele dia, uma grande explosão foi provocada em Oslo, na Noruega, junto aos prédios onde se situa o gabinete do primeiro-ministro, Jens Stoltenberg, danificando edifícios contíguos e provocando oito mortos e numerosos feridos. Poucas horas depois, na ilha de Utoeya, ao norte da capital, um homem armado abriu fogo contra os participantes de um acampamento de jovens organizado pelo Partido Trabalhista Norueguês, que, atualmente, governa o país. Pelo menos 68 pessoas foram mortas.

Imediatamente após o ataque começam a surgir versões vinculando-o a “grupos islâmicos”, como a notícia divulgada pelo jornal norte-americano The New York Times de que um determinado “grupo jihadista” teria assumido a autoria do atentado. Era uma hipótese tão boa quanto qualquer outra, pois é comum que esse tipo de ação seja reivindicada por vários grupos e indivíduos que tentam ganhar projeção. Contudo, essa versão, em particular, ganhou todo aquele destaque.

A surpresa, porém, não tardaria. O cidadão norueguês Anders Behring Breivik é um fundamentalista cristão ligado à extrema-direita e à maçonaria, neoconservador e ardoroso defensor do Estado de Israel, segundo descreve a si mesmo em um manifesto de mais de mil páginas. Entrou no acampamento de jovens do Partido Trabalhista norueguês disfarçado de policial e, fortemente armado, abriu fogo contra os presentes. Entregou-se à polícia após a chacina e assumiu a autoria também do carro-bomba em Oslo.

Apesar de a máquina de propaganda conservadora-ocidental tentar vincular as ações de Breivik a uma sua suposta “loucura”, seus escritos ou os vídeos pregressos ao ataque deixam claro que haveria um envolvimento profundamente ideológico e sistemático nas ações do terrorista cristão e europeu. Um envolvimento que, agora, o mesmo New York Times atribui à ideologia conservadora-cristã de ultra-direita norte-americana da qual o Movimento Tea Party é a maior expressão.

O jornal norte-americano acaba de divulgar, em manchete de primeira página, reportagem com o sugestivo título “Massacre põe linha de pensamento antimuçulmana americana em foco”. Com base em um tomo de mil e quinhentas páginas divulgado pelo terrorista pouco antes dos ataques em Oslo e na Ilha de Utoeya, a matéria deu conta de que Breivik foi profundamente influenciado por blogueiros e escritores norte-americanos como Pamela Geller.

Geller é uma blogueira e escritora dos Estados Unidos que mantém fortes laços com o Movimento Tea Party e que, recentemente, lançou uma “cruzada contra a islamização da América”.  Financiou a colocação de anúncios no transporte público de sua cidade contendo insultos aos muçulmanos, pregando “um fatwa” contra eles – fatwa é uma pena de morte que pode ser decretada por líderes islâmicos que todos os seguidores do islamismo, em tese, estariam obrigados a tentar cumprir. Em seu site, ela também exorta os muçulmanos a deixarem a “falsidade do Islã” e afirma que não se importa se ficarem ofendidos.

A norte-americana aparece sendo incensada nos escritos de Breivik junto a Paul Belien, Diana West, o Barão do blog Gates of Vienna e muitos outros radicais da ultradireita fundamentalista-cristã norte-americana. O que une os fundamentalistas norte-americanos e o terrorista norueguês, acima de tudo, é o repúdio ao “marxismo”, tão presente inclusive por aqui, em terras tupiniquins.

As diferenças de Geller e de seus pares para os líderes religiosos muçulmanos e seus “fatwas”, são duas: uns são cristãos e outros, muçulmanos. E, ao passo que o estímulo à violência muçulmana é feito abertamente, os fundamentalistas cristãos são menos explícitos, mas igualmente virulentos.

Chega-se, assim, à licença para tudo que deveria ter a imprensa, uma licença que é vendida às sociedades ocidentais – sobretudo em países do Terceiro Mundo, como os latino-americanos – pela mídia, e à tese de que qualquer tipo de regulação seria “censura”. Tais premissas acabam de sofrer um duro golpe, apesar das tentativas de distorção.

O escândalo da imprensa escrita que eclodiu na Inglaterra devido à revelação de métodos criminosos para obter informações usados pelo centenário jornal britânico The News of the World, até então controlado pelo magnata da mídia Rupert Murdoch, inseriu no debate público e no imaginário das sociedades  menos desenvolvidas uma realidade sobre a qual até então pouco ou nada pensavam: regras para a imprensa e para as outras mídias são uma necessidade e já existem nas sociedades mais avançadas, como a britânica.

A distorção desse fato corre solta, aqui no Brasil. A grande imprensa foge de analisar com a devida profundidade o processo de revisão até daquilo que nem há no Brasil, a autorregulação da imprensa que vige na Inglaterra e que na maioria dos países industrializados não existe porque a regulação vem do Estado mesmo. Alguns blogueiros e colunistas ligados aos grandes conglomerados de mídia nacionais tentam vender a idéia de que haveria dispositivos legais no Brasil para regular excessos midiáticos.

Não existem tais mecanismos. Com a revogação da Lei de Imprensa, considerada inconstitucional pelo STF, fica extinto, por exemplo, o direito de resposta previsto e detalhado naquela Lei. Dessa maneira, um jornal pode escrever o que quiser sobre qualquer um, mesmo sendo mentira, e o processo judicial para conseguir espaço para dar uma outra versão dos fatos pode levar anos.

Quando a decisão judicial sai, muitas vezes passaram-se anos ou mais de década e os efeitos maléficos de uma reportagem inverídica ou de uma acusação grave em uma coluna de jornal já terão produzido toda a sorte de prejuízos. Em especial, os prejuízos eleitorais. Um meio de comunicação cujo dono é amigo deste ou daquele grupo político pode inviabilizar a eleição dos adversários sob acusação sem provas e a publicação da versão do acusado só sairá quando for tarde para reverter o resultado daquela eleição.

Essa situação não existe nos países ditos de “Primeiro Mundo”. Eles têm regras, organismos como pretendia ser o natimorto Conselho Federal de Jornalismo ou como a pretensa Agência Nacional de Comunicações, aprovada em 2009 na Conferência Nacional de Comunicação. A criação de instituições civilizatórias como essas, porém, é incessantemente torpedeada pela grande imprensa nacional como se fosse proposta de caráter “censor”,  atentatória à “liberdade de imprensa”.

Como no caso da versão sobre o caráter “muçulmano” do “terrorismo”, a idéia de que na verdadeira democracia a imprensa não pode sofrer qualquer tipo de controle externo, sendo lícita apenas a sua autorregulação, perde força entre o público que se informa quando este toma contato com conceitos como o do império de comunicação de Rubert Murdoch e de que a imprensa, sem controle, pode até cometer crimes.

Vivemos em uma sociedade planetária muito diferente daquela que já houve em qualquer outro período da história. Nunca houve tal fartura de informação disponível a qualquer um que decida se informar. Nem em regimes em que vige a mais completa censura é possível bloquear completamente o tsunami comunicacional que varre a nossa era.

A despeito das iniciativas para controlar esse fluxo incontrolável de informações, as novas tecnologias só fazem aprofundar a inserção do homem nesse vagalhão de conhecimento que varre o planeta. E, agora, a verdade sobre dogmas cruciais para as elites planetárias vem da mesma fonte que os criou para consumo dos povos oprimidos do Terceiro Mundo, vem do Norte rico e desenvolvido.

Irônico, não?

Tags: , , , , , , , , , ,

44 Comentário

  1. De fato, para o capitalismo, os fins justificam os meios.

    E “os fins” são um único fim: lucro. Se os EUA tiverem que invadir um país para se apropriar de seu petróleo, eles fazem. Morrem centenas de milhares, às vezes milhões. Mas isso não importa, desde que eles consigam o petróleo. A mídia e os políticos se encarregarão de mentir ao público, dizendo que a guerra é para levar democracia àquele país cujo nome eles não sabem pronunciar.

    Foi assim que os EUA se aliaram aos talibãs para derrotar os vilões de então: a União Soviética. Depois, os talibãs passaram a ser os vilões.

    Foi assim que os EUA se aliam a Saddam Hussein, para derrotar o Irã. Depois, Saddam virou o demônio.

    E ainda há gente que não vê necessidade de o Brasil ter submarinos nucleares…

    • Aos talibãs, treinando e financiando Osama Bin Laden!

    • O terrorismo da OTAN, liderado pelos terroristas norte-americanos (os estadunidenses) tem armas nucleares. O Brasil, não sendo um Estado terrorista, tem que se precaver e se preocupar com as ações terroristas dos estadunidenses ( estes que a pretexto de defender a liberdade e a democracia impõem a sua força bruta, violenta e insana), dessa forma tem que dominar a tecnologia nuclear e usá-la para todos os fins: medicinais, industriais e militares.

      As armas nucleares são boas armas de dissuassão, o Brasil precisa tê-las.

  2. Quando aparecerem os de sempre com argumentos falaciosos da supremacia do Mercado, da liberdade individual irretrita, a culpa dos pobres serem deles mesmos, que o Estado não funciona, etc, etc. dá vontade de fazer assim; Ctrl c e ctrl v. deste post.
    Por ora faço assim destacando a auto regulação

    “Como no caso da versão sobre o caráter “muçulmano” do “terrorismo”, a idéia de que na verdadeira democracia a imprensa não pode sofrer qualquer tipo de controle externo, sendo lícita apenas a sua autorregulação, perde força entre o público que se informa quando este toma contato com conceitos como o do império de comunicação de Rubert Murdoch e de que a imprensa, sem controle, pode até cometer crimes.”

    Nós defendiamos não um Palocci como pessoa e sim por causa da inexistencia de provas. Para não dar força ao PIG. Porem não há argumento hegemonico que abafe todos os outros. O Palocci lá no Instituto Milennium ainda antes do inicio da campanha eleitoral dizia em seu nome espero, que a auto regulação estava de “bom tamanho para controlar a imprensa” e então contraditoria e incoerente campanha iniciada pela Folha. E ainda se constatou que houve um “vazamento” dos dados da empresa dele pela prefeitura de Kassab.

    Este post e aquele outro “Não concorde que o Estado permita a propriedade cruzada dos meios de comunicação”

    Eu na minha intuição percebo o que eu chamo de “dominó cósmico”. A cada dogma do velho ciclo vai dia a dia sendo fulminado por ele mesmo. Com a nossa colaboração é claro.
    Somos assumidos “vasos eleitos” e “assumidos não alimentarmos com o nosso medo o “nada” da Historia sem fim”. Alem é lógico do cotidiano de cada um o que nos causa uma “volúpia” na pratica da cidadania”

  3. Edu, coloquei no post anterior, mas acho que aqui está mais dentro do assunto. Sobre o direitista norueguês e a mistura de raças no Brasil, um texto para contraditar algumas de suas opiniões:

    http://migre.me/5nTow

    Abraços a todos!

  4. E a Líbia, hein?
    Uma típica guerra civil, em que dois grupos políticos opostos se enfrentam militarmente, é tratada pelos “heróis” do Ocidente como se fosse a luta do bem contra o mal. E o “bem”, é óbvio, a ser defendido pela OTAN. Atacam um país, matando civis, mulheres e crianças, simplesmente para defender seus interesses econômicos, militares e estratégicos, que certamente não são aqueles do povo líbio.
    E o mundo assiste de braços cruzados a mais essa agressão covarde.

    • O impressionante é que a OTAN se apegou a uma decisão da ONU sobre uma zona de exclusão aérea na Líbia, para evitar o bombardeamento de civis, para eles mesmos passarem a bombardear civis.

      E ninguém fala nada…

      Dá nojo.

  5. Parabéns pelo texto conciso e profundo.

  6. Todo grupo que luta contra a ocupação de sua terra por potências estrangeiras e taxado de terrorista…do mal, já essa potência é a heroina e libertadora….a midia se ocupou nos últimos anos de transformar isso em realidade através de suas reportagens pró-império…..o que me deixa chocado é que milhares de brasileiros acreditam nisso….ou se calam por puro medo do império e de uma possivel invasão caso tomem partido…sei lá…só sei que a nossa mídia todos os dias passa do limite e nada é feito….o novo governo esqueceu a blogsfera que tanto apoio deu durante a campanha e se cala para a velha mídia!!!!!!!!

  7. Essa mesma mídia, que endeusa os EUA e Europa, nos impinge uma lavagem cerebral para acreditarmos que nós somos o pior povo do planeta, que tudo de ruim está aqui, que “isso só acontece no Brasil”. E as pessoas, hipnotizadas, repetem o mantra.

  8. A virulência dos textos subreptícios sobre o Islã,vide livro de Ali Kamel ,que pretende”comparar”as três religiões(Cristianismo,Judaísmo e Islamismo)mas que na verdade tem a intenção de nos conduzir,suavemente,sutilmente,hipnóticamente,a ridicularizar o Islã e apoiar as posições…do Bush!
    Agora este livro saiu das vitrines,e por mim nem em sebo será econtrado,rasguei o meu exemplar.
    O Islã deve ser entendido nas suas fontes,a mídia nos dá a visão parcial e tendenciosa qure lhe interessa.
    Entretanto,é a religião que mais cresce em conversões.Por que será?Para dizer um detalhe_a mulher é extremamente valorizada.
    Que Deus nos proteja da”direita”do mundo.

    • Se a Maria Clara está se referindo ao livro de Kamel “Sobre o Islâ, A Afinidade entre Muçulmanos, Judeus e Cristãos e as Origens do Terrorismo.” com certeza ela não o leu.
      O livro pode não ser uma obra prima mas não tenta “comparar” as religiões e sim estabelecer relações entre si. Kamel faz um bom apanhado histórico sobre o islamismo e suas origens mas peca por superficialidade ao abordar os motivos que suscitaram o terrorismo.
      Recado para Maria Clara; “Ne sutor ultra crepidam”

  9. Mais uma vez o Edu,de forma brilhante bota o dedo na ferida.A imprensa se utiliza da liberdade de expressão para cometer crimes.A imprensa,está mais do que nunca aparelhada,para distorcer a verdade,para deformar a realidade,mais do que para informar.Jornalistas,salvo exceções,se transformaram em membros de quadrilhas que tem nas palavras uma potentissima arma letal.Se podem publicar a ficha falsa de uma pessoa,como foi o caso de Dilma Rousseff,se podem transformar uma bolinha de papel em instrumento capaz de produzir uma grave lesão,como no episodio envolvendo o então candidato José Serra, imagina o que esses elementos que se dizem jornalistas não são capazes de fazer para satisfazer os interesses de seus patrões e dos associados aos seus patrões?E depois dizem que são isentos,depois dizem que qualquer forma de controle social é censura.O que eles querem na verdade,é que se continue a produzir esse verdadeiro festival de mentiras e manipulação sem a necessaria responsabilização penal e civil não só do autor de tal mentira,como do veiculo que a publicou,Depois não conseguem entender porque a credibilidade da dita¨grande imprensa¨ está no chão.

    • Episódios como esse da “bolinha de papel” vão existir sempre, enquanto não houver uma real conscientização do povo no sentido de ignorar os jornais, canais de televisão, rádios e revistas do PIG. É a única saída.
      Espero que algum dia deixemos de ser “macacos de auditório” dessa direitalha canalha.

  10. A elite é a mesma ignorancia em qualquer parte do mundo, por aqui a moda agora é madame usar helicoptero para levar o cãozinho de estimação ao veterinário

  11. A elite é a mesma em qualquer lugar, ´por aqui a moda agora é usar helicoptero para levar o caozinho ao veterinário depois que o bicho comeu a comida do segurança

  12. “When a Muslim commits terror, every Muslim in the world somehow shares responsibility. When it’s a white Christian, he’s always a lone wolf.” (Walid Zafar).

  13. Edu,

    Existe uma cidade , sobre o Trópico de Capricórnio, latitude sul, que possui moradores de mente tão tacanha como os citados da latitude norte.
    Quantas vezes já me envergonhei com as idéias fascistas dos moradores mais “abastados” de Sampa, que esquecem suas origens, e julgam as pessoas pela aparência.,

  14. A história já mostrou que o mundo vive em ciclos.
    Os romanos estiveram no topo invadindo, matando, escravizando, conquistando,….
    Agora é a hora dos Estados Unidos, vilão de tantos povos, na ância de poder, escravizando, invadindo, matando,……, já nos colocaram contra a parede para pagarmos somas aviltantes ao FMI, mesmo com o povo sendo massacrado para que este objetivo fosse alcançado. No momento estão implorando para não serem jogados na sarjeta.
    Já começo a ver um horizonte onde uma “Escola Base”, destruída junto com seus donos, para que imprensa vendesse jornais e tvs tivessem platéia. Não demora teremos o PIG em todos os seus meandros tendo que vender jornal no almoço para garantir o jantar. E jornalista oportunista vendendo peixe embrulhado no jornal que outrora trabalhou.

  15. Dentre as grandes contribuições do norte e de seus brancos de olhos azuis, temos: obscurantismo, inquisição, feudalismo, absolutismo, escravidão, racismo, guerras, nazismo, sionismo, colonialismo, liberalismo, neoliberalismo, consumismo, militarismo, xenofobia…..

  16. Incrível, Eduardo, é você julgar que existe um terrorismo do bem (a reação daqueles que se insurgem contra as forças imperialistas ocidentais, não importando os valores professadospor esses insurgentes) e um terrorismo do mal (todos os outros). Vá racionalizar assim para umas das mães de Beslan; vá racionalizar assim para um dos que tiveram um ou todos os seus familiares mortos por terroristas do ETA, do IRA, das FARCS. Vá racionalizar assim para qualquer um que sofra os efeitos desses ataques covardes, que só vitimam inocentes.

    • Sem precisar usar de passaporte para ir RACIONALIZAR em outros países, que tal ficarmos por aqui mesmo e RACIONALIZAR com muitos jóvens, com as mães, esposas, pais, maridos e filhos dos que foram desaparecidos e torturados no nosso próprio Pais por um sistema que teve a ajuda e foi substancialmente sustentado pela imprensa brasileira?
      Que tal RACIONALIZAR com as famílias que foram desrespeitadas, pessoas que tiveram a vida destruída por denúncias sem comprovação, RACIONALIZAR com aqueles que nunca ficam sabendo dos roubos e desvios que acontecem em seus estados porque a imprensa não noticia o que os políticos são amiguinhos e esta mídia leva vantagem?

  17. Os espoliadores chegam, tomam as riquezas dos dominados na maior cara dura, e fica tudo por isso mesmo. Quem discordar é radical. Quem resistir é terrorista. E ainda aparece neocolonizads aqui pra dizer que devemos ser “sensatos”, isto é, entregar tudo sem reclamar.

  18. Caro blogueiro sujo .
    Mesmo que nossa internet lenta e de péssima qualidade ainda não chegue a todos os rincões deste nosso país , ainda temos a propaganda boca a boca .
    Ainda que nossa imprensa tente formar opínião , existem as pessoas que se informam fora da grande mídia e podem contrapor-se . Enfim , os Murdochs não tem monopólio sobre a internet e nem sobre as pessoas , enquanto eles continuarem a distorcer as noticias , nós continuaremos a desmenti-los no boca a boca . Foi assim que , amparados em fatos e obviedades que desmantelamos a campanha feita no chiqueiro pelo Cerra que elegemos a primeira mulher para presidir esta grande nação .

  19. SR. EDU , TUDO BEM ? Passou já o medinho do tal hotel mal- assombrado? srsrsr
    Lembrar da guerra suja do IRAQUE E IRÃ, me faz sentir nauseas!! Iraque foi covarde, usou armas quimicas contra o povo do IRÃ, eu não esqueço de uma cena ; um pai com um filho este abraçando sua cria amada, e o corpo inchado queimado, imaginem o sofrimento!!! e adivinhem quem , sempre metendo o bedelho? EUA. Na verdade é o propio povo árabe que tem culpa, pois não consegue ter diálago com seu própio irmão!!!Como seria maravilhoso ver o povo JUDEU E O POVO PALESTINO TEREM PAZ, PORQUE NÃO TEM? Esta semana chorei muito ao saber da morte do jovem , filho de judeus,e tamanha mesquinharia da assassina e seu acompanhante!!!Um filho… tal qual os meus!! um dia ouvi meu filho elogiar um professor judeu , ele me falava : mãe tens que ver que gente fina, muito inteligente. Fiquei feliz… pois sei que JUDEU OU MUÇULMANO OU CRISTÃO, são todos iguais perante Deus! Minhas netinhas… chegaram em casa e pediram para meu genro: PAI QUEREMOS SER INDIANAS, ..estavam empolgadas!!! Na escolinha que elas estudam , no Canadá , aprendem a respeitar a religião de cada um, cada um mostra sua cultura , seus costumes , aprendem a respeitar seu semelhante!! Nao que eu seja a favor de invasão , como a OTAM está fazendo, mas e o ditador Saddam? quem poderia dar um basta de tamanha arrogância? O Terror não escolhe a pessoa…mata inocentes , amanha posso estar num lugar… hora…. e então posso ser uma vitima de bomba ou não? Lá bomba, aqui bala perdida esse mundo é uma doidera …. o mundo não, mas certas pessoas que nascem só para fazer o mal!!!um fim de semana cheio de paz para todos !!!

  20. Prezado Eduardo: Para a leitora Maria Clara – Veja o que diz Domenico Losurdo no livro A LINGUAGEM DO IMPERIO, ed. Boitempo. Ele cita S.P.Huntington ” O departamento de defesa estadunidense relata que, nos quinze anos entre 1980 e 1995, os Estados Unidos se envolveram em dezessete operações militares no Oriente médio, todas dirigidas contra Estados muçulmanos. Não existe registro nem de longe comparável a esse das operações militares estadunidenses contra a população de qualquer outra civilização” . É isso aí. A bola da vez é a religião muçulmana e o ocidente está chutando essa turma adoidada e criminosamente. Estamos vivendo a história e assistindo a matança de povos inteiros só porque têm religião diferente ou não aceitam a submissão a uma cultura que nada tem a ver com suas raizes. Afinal de contas os mandadários americamos sempre usaram a religião como trampolim político. O autor Domenico Losurdo cita como exemplos – 1° -Eisenhower ” a liberdade está em luta contra a escravidão . A luz contra as trevas” .Aqui eu acrescento.Este general levou a luz das bombas , arrazando literalmente as cidades de Caretan, Montebourg e Valognes, onde só tinha população civil.Ainda voltando ao nosso general “que tudo possa redundar para o bem do nosso pais e para tua glória”. 2°- O nosso George W.Bush ” Nossa nação é eleita por Deus e tem o mandato da história para ser um modelo para o mundo” – Se o modelo é Iraque (cadê os tesouros dos museus do Iraque.Onde estão ?) , afeganistão e Guantânamo, a coisa tá feia .O nosso amigo B.Clinton”Do alto dessa celebração ouvimos um chamado ao serviço do vale.Escutamos as trombetas.Fizemos a mudança de guarda.E agora, cada um ao seu modo e com a ajuda de Deus,devemos responder ao chamado.Obrigado e que Deus abeñçoa a todos nós.”.Eu digo, O Sudão, a Bósnia agradecem pelas bombas. Amém.E a hipocrisia vai sendo disseminada pela nossa imprensa, afinal essa turma tem familia para alimentar.”Mateus, primeiro os meus.

  21. Esta é uma reflexão necessária. É preciso aprofundar esse debate na tentativa de desfazer muitas ilusões, pois a hegemonia do norte, construída à ferro e a fogo, é uma tremenda crueldade. É muito importante este texto.

  22. Acredito que o matador da Noruega não é louco nem tem qualquer problema mental.

    O que ele fez foi um assassinato político.

    Ao invés de matar um líder de governo, ou um primeiro ministro, Anders Behring Breivik acabou com toda a nova geração de políticos da esquerda trabalhista norueguesa: jovens talentos politicamente ativos.

    As pessoas se perguntam: se ele odeia muçulmanos, por que motivo matou pessoas de seu próprio povo?

    Uma possível resposta é: ele matou a maior parte da juventude política trabalhista da Noruega e que futuramente assumiriam cargos políticos ou fariam parte da sociedade engajada e que impediriam legislativamente as restrições ao fluxo de imigrantes para a Noruega.

    Veja a lista das vítimas com nome e foto, ainda em elaboração:
    http://www.tv2.no/nyheter/spesial/terror-ofrene-fra-utoya-og-oslo

  23. A organização terrorista OTAN, capitaneada por terroristas norte-qmericanos, tentou tirar a tevê líbia do ar!

    • Essa é a “democracia” desses canalhas do Ocidente.
      Uma parte do povo líbio PODE querer de livrar do Kadafi, mas a outra parte NÃO PODE desejar defendê-lo.
      Ou então como se explica que depois de quatro meses a OTAN ainda não conseguiu derrubá-lo.

  24. O pensamento que já Nasceu Morto(e aqui acrescento)ou A síndrome do Pensamento Capitalista,escrito no meu bloguinho concorda com esse texto,o que vem do norte e contamina é a democracia capitalista,que não passa de violência,violência para gerar lucro,e aqui no Brasil acha abrigo na cabeça vazia,maliciosa e gananciosa de trolls psdbestas.A meu ver o natimorto neoliberalismo é uma extensão de movimentos perigosos de ultra direitistas que se dizem conservadores.

  25. Eles (elite mundial) já não tem mais argumentos convincentes para continuar espoliando,praticando degradação ambiental sem que sejam denunciados.Com o fracasso desse modelo falido,pilantra e cretino chamado Neoliberalismo a falsa aurea de modernidade cai por terra.Gostaria de saber se ainda vão defender o estado mínimo ? Se ainda acham que o estado não deve se meter em assuntos econômicos ? Se ainda acham que o Deus Mercado Tudo resolve , sem crises ou pertubações maiores ? Que essa jogatina desenfreada sem que se produza um único parafuso é sustentável ? O psdb e o dem certamente ainda não só acreditam como não teriam hesitação nenhuma em entregar nos setores estratégicos ao interesses das Multis como queria fhc doar a base de Alcântara sem nenhuma contrapartida;O psdb sucateou e liquidou setores inteiros na economia.Um exemplo ? Os FERTILIZANTES que ao desmembrarem as subsidiárias da Petrobrás caíram em mãos estrangeiras.(Monsanto). Sabem o que aconteceu? Elas não investiram e ficaram importando e desenvolvendo tecnologia lá fora e enviando Royalties EVERY YEAR.Esses caras (psdb+ dem) são completamente ANTINACIONAIS.. Nunca realizaram nada que fosse para proteger nos RECURSOS (Naturais-financeiros-humanos) .Prova : è só ver a proibição de se contruir ESCOLAS TECNICAS e a não contrução de UNIVERSIDADES em 08 anos. Será que nos 02 mandatos do fhc não deu tempo para contruir nehuma Universidade ?…..

  26. O entretenimento venceu o jornalismo. Ou talvez as tradicionais concepções de jornalismo estejam ultrapassadas. Fosse islâmico, baixinho, barbudo e com semblante do Oriente Médio, qual seria a reação do jornalismo mundial? Como se daria a cobertura de mais um atentado de um discípulo de Bin Laden (que, mesmo morto, parece continuar a comandar uma rede internacional mais poderosa que muitos Estados, na visão sempre sensacionalista da mídia)?

    O jornalismo foi substituído por um misto de hipocrisia e melodrama. Um terrorista cristão não serve aos propósitos midiáticos. Não é um inimigo fácil e se parece demais com muitos articulistas de grande revista semanal ou de diários conceituados.

    A extrema-direita fundamentalista se parece, não importa o país, e o Brasil vem sendo vítima de uma onda fundamentalista cristã que busca perseguir a comunidade LGBT tanto através da via política (bancada evangélica, tentativas de deslegitimar o Judiciário e de vetar qualquer lei contra a homofobia), quanto através da violência nas ruas mesmo contra um pai que abraça seu filho e são “confundidos” com um casal gay, como se a possibilidade de que fossem efetivamente gays pudesse mudar o sentido ou o significado da violência.

    Extrema-direita cristã, fundamentalista, se vê na Fox News, canal de grande audiência dos EUA. A mesma ideologia se nota nos programas evangélicos das madrugadas (e até dos horários nobres) de muitas redes de TV brasileiras ou em revistas e jornais de grande circulação. Ou seja, é incômodo classificar os atos terroristas de Andres Breivik como “terrorismo cristão”.

    Para escapar do “problema”, foca-se em outros assuntos e suaviza-se a realidade. Maior foco na reação do primeiro-ministro norueguês, maior foco no salvamento das vítimas de Utoya e mesmo na morte de Amy Winehouse, a melhor desculpa que poderia ter caído no colo dos tubarões da mídia neste momento.

    http://www.tsavkko.com.br/2011/07/atentados-na-noruega-uma-questao-de.html

  27. Excelente texto! Acrescento apenas o detalhe de que o mesmo Norte que criou os dogmas conservadores, quase que paralelamente também desenvolveu os conceitos democráticos para combatê-los(a regulação midiática existe nos EUA e Europa há pelo menos cinquenta anos e o marxisto é uma Sistema Teórico desenvolvido por um europeu há mais de 150 anos); contudo, as “elites” dos países oprimidos, com a intenção de preservar seu poder ditatorial, permitiram que apenas as teorias conservadoras chegassem aos ouvidos da grande maioria da população. Os conceitos democráticos e libertários no máximo eram-lhes apresentados de forma deformada(podemos ver a forma como os barões da comunicação e seus lacaios falam sobre a regulação midiática). Todavia, a rapidez da comunicação em nossa época, a qual com a INTERNET alcançou um grau de liberdade e independência antes inamignável; e a própria evolução natural dos acontecimentos(embora só possamos de fato saber como foram esses acontecimentos, escapando das versões “filtradas” da mídia conservadora, graças ao advento da web)estão derrubando pedaço por pedaço das mentiras construídas pelas classes dominantes das nações “menos desenvolvidas”, destinadas a justitficar seu domínio ditatatorial e opressão. Assim, é através da informação independente da INTERNET que muitos começam a conscientizar-se do que antes era conhecido no máximo por pequenos grupos de “iniciados”, ou seja, por pessoas muito interessadas em política, a ponto de procurarem fontes menos acessíveis de informação, como a literartura, para construírem uma visão mais ampla e independete da realidade. Agora, qualquer cidadão pode tomar conhecimento dos horrores que estadunidenses e europeus praticam contra as nações muçulmanas pelo mundo, atacando populações civis(principalmente os componentes mais indefesos daquelas populações, como velhos, mulheres e crianças, cujo genocídio causa um terror ainda maior nos povos agredidos, “facilitando” a sua capitulação diante dos terroristas fardados dos exércitos estadunidenses e europeus). Transmissões ao vivo pela web(que podem ser feitas até mesmo de aparelhos celulares), mostrando atos criminosos covardes das “potências” ocidentais(atos que praticaram durante séculos desde a época do colonialismo, cujas vítimas na época não possuíam meios de contar a sua versão), agora são divulgados por todo o planeta, derrubando a mentira(ainda relinchada por nossa mídia conservadora e por seus “jornalistas” amestrados)de que o monopólio do uso da força seria um “direito” de ianques e europeus, uma vez que ambos só a usariam para “promover a justiça e a democracia contra os malvados”. Tais hipocrisias agora são desmestificadas, desmentidas de forma indiscutível através das imagens que varrem o mundo e mostram EUA e Europa(ou seja, o homem branco)como o que são : ASSASSINOS, TERRORISTAS E COVARDES, CUJO ÚNICO INTERESSE É MATAR PESSOAS INOCENTES COM O FIM DE IMPOR SEU DOMÍNIO, COM O ÚNICO OBJETIVO DE ROUBAR AS RIQUEZAS DOS POVOS MUÇULMANOS. Assim também são divulgados pelo mundo os horrores do Estado artificial de Israel; um enclave europeu e ianque, enfiado goela abaixo dos povos do Oriente Médio para garantir a “presença” ocidental, ou seja o domínio e a apropriação de riquezas, num território habitado por suas populações originárias(palestinos, arábes)há milênios. A divulgação de informações como essas, antes censuradas pela mídia ocidental, levam as pessoas a questionarem-se sobre o maniqueímo idiota que lhes é vendido por Globo e sua turma(o qual sempre apresenta os muçulmanos como monstros terroristas; enquanto EUA, Europa e Israel são vendidos como um conjunto de homens bonzinhos, sinceros e equilibrados), fazendo com que percebam que a realidadee é bem mais complexa do que o simplismo que a mídia conservadora tenta colocar em suas cabeças. Como também entendam que os muçulmanos agridem porque já foram agredidos(aliás o são no mínimo desde o Século XIX, com o Neo-Colonialismo inglês e francês. Isso sem contar as Cruzadas), tão somente revidando os que os atacaram primeiro. E ainda percebam que se o terrorismo contra inocentes é condenável, também o é o terrorismo contra inocentes praticados por EUA e Europa(os quais por sinal têm poderio para vitimar muito mais pessoas do que os povos muçulmanos)e que não dá para pedir “sensatez” ou “amor à vida” a povos que vêem seus pais, mulheres e filhos sendo mortos por covardes ocidentais(alguém teria essa “sensatez” se estivesse no lugar deles?); que o único caminho para a paz está no fim do Imperialismo; que não ocorrerá sem o fim do Capitalismo; já que são a face da mesma moeda; e que os que não discutem essas questões(Globo e seus comparsas), não promovem debates sérios sobre o assunto, e ainda escondem fatos, o fazem porque têm interesses envolvidos no assunto, fazem parte do Sistema como componentes de sua estrutura de dominação. E é essa estrutura de dominação que começa a ser questionada no mínimo em duas frentes, de uma lado o já citado alcance a outras fontes de informação, muitas vezes oriundas de cidadãos comuns, que a INTERNET possibilitou, e do outro a eclosão de escândalos como os grampos ilegais promovidos pelo império midiático de Rupert Murdoch(um espécie de Roberto Marinho, só que muito mais poderoso e consequentemente perigoso), um magnata, um ditador midiático que, com a influência do controle de conglomerados midiáticos(isso em países onde a mídia é regulada pela Sociedade e onde a propriedade cruzada é combatida, o que significa que se Murdoch fôsse brasileiro a coisa seria bem pior. Na verdade, significa que os “Murdochs” brasileiros têm uma lista de crimes ainda maior do que seu coleguinha australianos/inglês/estadunidense). É verdade que os crimes de Murdoch foram praticados num país onde a regulação midiática é frouxa(se comparada a dos outros países “desenvolvidos”, embora ainda seja um milhão de vezes melhor do que a brasileira, que não existe). Todavia, ao que tudo indica, evidentemente a bandidagem de Murdoch não limitou-se à Inglaterra, chegando a EUA e Austrália, os outros dois países onde seu império atua(todos sabem da perseguição que a Rede Fox, pertencente a Murdoch, desencadeia contra Obama desde a campanha eleitoral, continuando até hoje, o que levou o Presidente a recusar-se a dar entrevistas à emissora. Nos EUA, a Sociedade encarou com naturalidade a postura de Obama, justificada pelo evidente partidarismo da emissora contra o Presidente. Se o mesmo ocorresse no Brasil, os barões da comunicação fariam um estardalhaço, bradando o seu patético argumento sobre “censura”, censurando o verdadeiro debate, o qual deveria realizar-se SOBRE A CENSURA QUE A MÍDIA FAZ COM AS IDEIAS E PESSOAS QUE, COMO OBAMA NOS EUA, AQUI NO BRASIL POSICIONAM-SE DE FORMA CONTRÁRIA AOS INTERESSES DOS BARÕES DA COMUNICAÇÃO). Assim, os crimes de Murdoch evidenciaram a necessidade de algo que a mídia conservadora das nações “em desenvolvimento” sequer permite que os cidadãos desses países tomem conhecimento : a importância da regulação social da mídia que, ao contrário do que falsamente é divulgado pelos barões da comunicação de nosso país, não trata-se de censura, MAS EXATAMENTRE DO CONTRÁRIO, DE UMA MEDIDA DESTINADA A IMPEDIR A CENSURA QUE OS DONSO DA MÍDIA IMPÕEM À SOCIEDADE, PERMITINDO SOMENTE A DIVULGAÇÃO DAQUILO QUE LHES INTERESSA. PELA REGULAÇÃO, TODA A SOCIEDADE VIGIARÁ A MÍDIA NÃO PARA QUE ELA SE CALE, MAS PARA QUE FALE TUDO, DIVULGANMDO TODOS OS PONTOS DE VISTAS E OPINIÕES(CONSERVADORES E PROGRESSISTAS), ENCERRANDO DEFINITIVAMENTE A CENSURA QUE A MÍDIA IMPÔS À SOCIEDADE ATUALMENTE, ATRAVÉS DA QUAL SÓ A VISÃO CONSERVADOAR É DIVULGADA, ENQUANTO A PROGRESSIA É CENSURADA. Além disso, aspectos da esfera criminal; como a difamação e a calúnia serão punidos; como também se poderá garantir a reparação daqueles caluniados de modo imediato, antes que suas vidas sejam prejudicadas, encerrando com a monstruosa situação de impunidade e tirania que os barões da comunicação desfrutam atualmente, pela qual pessoas têm suas reputações destruídas por mentiras(o que é uma forma de matá-las em vida), sem que possam respoder às difamações com a rapidez necessária para preservar suas honras(alguém se lembra da “Escola de Base”, em Brasília, onde uma falsa acusação de pedofilia levou o proprietário da escola à falência, portanto à miséria, já que sequer conseguiu mais um emprego como professor? O desmentido às calúnias apresentadas no fato deu-se após um tempo enorme, sem nenhum destaque, quando a vida daquela pessoa já estava destroçada). Sem contar as mentiras coletivas, capazes de causar pânico e histeria na Sociedade, como a da falsa epidemia de febre amrela, que levou cidadãos a adoecerem, dois morreram, por ingerirem sem necessidade a vacina contra a doença, quando suas condições físicas não permitiam que tomassem a medicação. São questões como essas, as quais evidentemente destinam-se a garantir TÃO SOMENTE O DIREITO DE TODOS FALAREM, OU SEJA, A ACABAR COM A CENSURA HOJE PROMOVIDA PELOS DONOS DA MÍDIA À PARTE DA SOCIEDADE QUE EXPRESSA IDIEAS CONTRÁRIAS À IDEOLOGIA DOS BARÕES DA COMUNICAÇÃO, que são levantadas por aqueles que lutam pela regulação da mídia pela Sociedade, que já existe há quase um século nas Sociedades mais democráticas do mundo, com a qual pretende-se apenas garantir a todos os direitos de expresarem suas diferentes opiniões e a impedir que calúnias, preconceito religioso, ódio, racismo e violência sejam propagandeados impunemente(apresentar os muçulmanos como loucos malvados e os ianques como santos, sem que possa-se ouvir os dois lados, é uma forma explícita de cultuar-se o racismo e ódio), propagação mentirosa que torna os por ela responsáveis cúmplices de atos como os do terrorista branco e ocidental da Noruega.

  28. No blog “Diário do centro do mundo”(excelente) do jornalista Paulo Nogueira, há um depoimento de um jornalista norueguês que estudou com Anders Breivik por quatro anos, em Oslo. Muito interessante.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/

  29. Os impérios caem. Alguns pequenos crescem. Uns se armam para atacar e roubar. Outros começam a se armar até os dentes pra defender o que é seu. Estamos chegando ao fim. “E assim caminha a humanidade.”

  30. Caro Paulo Henrique !!! Parabéns !!! VC tentou mandar esse seu belo texto pra algum blog de ultra-direita ? Fico imaginando a cara do Cara de Arroz Azedo lendo seu texto !!!! Bye bye direita raivosa !!!!

  31. Foi mal !!! Troquei seu nome, Carlos Henrique !!! Abração !!!

  32. Acredito ser um ciclo vicioso e tortuoso em nome da “liberdade de expressão” ditada por seus governos despreparados e mediatistas. Quando pararmos de olhar a grama do vizinho e cuidarmos do nosso quintal, acredito que começaremos uma democracia limpa e não alienada por modismos e flertes racionais. Como dizia minha Vó: “Tudo é culpa do diabo. Mesmo o próprio nem ter participado de nada. “

    Parabéns pelo texto. Muito Bom!

    Grande Abraço!

Trackbacks

  1. A verdade vem do Norte « Ficha Corrida

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.