Nunca tive partido

Toda vez que escrevo alguma coisa que prova que nunca tive partido, quem achava que tinha se decepciona. Apesar de sempre ter dito que se durante os oito anos passados escrevi em defesa do governo Lula era porque achava que era disso que o Brasil precisava, parece que alguns não acreditaram.

Não, nunca tive partido. Nunca me envolvi com políticos. Não lhes dou bom dia, boa tarde ou boa noite nas redes sociais assim que dão sinal de vida. E não é por nada pessoal, mas porque não me relaciono com políticos. Poderia até me relacionar, mas só se ficasse conhecendo algum e com ele simpatizasse. Não porque ocupa este ou aquele cargo.

Jamais estabeleceria relações pessoais com políticos por outra razão que não fosse estritamente social. E como todos os que conheci até hoje foi de forma institucional, jamais me tornei “amigo” de algum deles. Simplesmente porque não os procuro. Não por simpatia ou por antipatia, mas porque não vejo razão para deles me aproximar.

Posso elogiá-los ou descer a lenha neles e isso só depende de uma coisa: a forma como se portam.

Já me sugeriram que entrasse em algum partido. No PT, por exemplo, que sempre defendi. Se fiz isso, porém, é porque, de meus 29 anos para cá (tenho 51), é o partido com o qual mais me identifiquei. Isso não significa, porém, que esteja disposto a fazer defesas incondicionais dele ou de qualquer outra agremiação político-partidária.

Infelizmente, vivemos em uma sociedade na qual o que se afirma nunca é considerado verdade, mas estratégia. Se eu digo que não tenho partido ou que nada quero com a política, pensam que é estratégia. Não é. Sou sincero. Não me disponho a defender ou atacar políticos ou partidos por razões pessoais.

Durante o governo passado, porém, creio que dei a entender que era “petista” porque defendi não apenas o partido do ex-presidente Lula, mas o próprio. Fiz isso porque era o que me parecia certo fazer, o que melhor atendia aos interesses do meu país. E por nada mais.

Contudo, se alguém espera de Eduardo Guimarães que defenda ou ataque partidos ou políticos de forma sistemática e incondicional, danou-se. Não faço isso. O endereço de quem faz, é outro. E nem me disponho a fornecer porque execro quem age assim. Considero a política como um simples meio de melhorar o país em que vivo. Nada mais.

Neste blog, só posso garantir defesa de uma coisa: da verdade. Não a minha verdade, porque não tenho nenhuma. Refiro-me àquilo que me parece ser verdade, o que significa que posso me enganar. Contudo, se defendo alguma coisa, meu leitor pode ter uma certeza: defendo porque julgo que é o certo.

Tags:

63 Comentário

  1. Edu, sem partidos não há democracia, sem participação das pessoas de bem, a política fica viciada, somente aqueles que não têm escrúpulos ficam na política.

    Este é o intento afastar os que não são corruptos, desta forma o poder fica ao bel-prazer daqueles que visam o ilícito.

    • Eu concordo, mas o que escreveu o Eduardo não me parece um repúdio aos partidos ou a quem opta por um deles e por ter uma “vida partidária”; está falando unicamente da sua opção política. De minha parte, eu que sou filiado ao PT faz 17 anos, sempre digo a meus companheiros: o partido não é a minha religião; ou seja, não aceito e não assimilo dogmas. A base da minha relação com o partido não é a fé; eu não “acredito a priori” no partido, eu considero que ele, hoje, é o melhor espaço de atuação para a transformação das relações sociais em algo mais positivo para todos. Por isso o questiono quase que diariamente. Discuto e contesto algumas de suas posições, critico o que considero necessário, sou solidário apenas com aquilo de que estou sinceramente convencido e ao partido não entrego, por exemplo, a decisão sobre o meu voto. Explico-me: voto, em geral, nos candidatos do partido, mas não porque são do partido, senão porque acho que são os melhores candidatos. Se um dia o meu partido apresentar em uma disputa eleitoral alguém que eu considere absolutamente inadequado para ocupar determinada função, deixo claro que a relação entre mim e a urna é orientada pela minha consciência e responsabilidade como cidadão, e não pelo que determinaram caciques. E tenho horror à idéia de que um único partido arvorar-se em representar a toda a sociedade e confundir-se com o Estado, experiência que já sabemos no que deu. E não falo apenas das experiências de comunismo real, não; falo também do patrimonialismo da elite brasileira que nos relegou tantos problemas estruturais.

    • ¨sem a participação de pessoas de bem a politica fica viciada?¨.A que pessoas de bem o senhor Aliança Liberal se refere?Porque em se tratando do senhor Aliança Liberal o termo¨pessoas de bem¨pode se aplicar tanto ao tucano Senador Alvaro¨Botox¨Dias como ao defensor de torturadores Jair Bolsonaro.A pergunta é:pode se considerar os dois citados cidadãos como pessoas de bem?

    • Para o sr. Aliança de Sandice Neo-Liberal, todo homem de bem só pode estar em partidos como o PSDB e o PFL. Estes homens de bem que o senhor Aliança de Sandice Neo-Liberal deve estar se referindo são pessoas como o Daniel Dantas, o juiz do STF Gilmar Dantas, o finado Sergio Naya, o juiz Nicolau, Paulo Maluf e outras pessoas de bem!

  2. Caro Edu

    Dois grandes amigos meus sempre proferiram essa mesma frase:
    “Eu não sou do PT,… o PT é que é MEU… partido sim senhor !!!”

    Um era o autor da frase, o grande publicitário Carlito Maia que já se foi
    O outro é o grande “J”ornalista Ricardo Kotscho

    Duas pessoas identificadas diretamente com toda a história do PT mas que JAMAIS foram filiados

    Tu não é do PT, mas esteja certo meu amigo, o PT é todo teu !!!.

  3. “Infelizmente, vivemos em uma sociedade na qual o que se afirma nunca é considerado verdade, mas estratégia. Se eu digo que não tenho partido ou que nada quero com a política, pensam que é estratégia. Não é. Sou sincero. Não me disponho a defender ou atacar políticos ou partidos por razões pessoais.”

    Cada um mede o outro usando sua própria régua.

    Aqueles que só se movem por dinheiro ou ganhos pessoais acreditam que todo mundo é assim.

    Não lhes passa pela cabeça que algumas pessoas agem movidas por um ideal.

  4. Caro Eduardo, você adota uma postura que deveria caracterizar a grande imprensa; mas esta, como todos sabemos, prefere estar exclusivamente a serviço de uma determinada corrente política e distante de seu verdadeiro papel… A grande imprensa brasileira, na verdade, publica apenas panfletos e perdeu a noção da grandeza de sua função; enquanto você, aqui no Blog da Cidadania, faz jornalismo de verdade, presta o serviço que os jornalões deveriam prestar… Esteja certo de que é esse o motivo do sucesso deste espaço e é isto que o torna ponto de referência para um grande número de leitores. É simples assim. Parabéns, Eduardo!

  5. Tem um monte de amigo meu que jura que sou petista. Claro, eles são de direita, e daqueles que não conseguem distinguir um socialista de um comunista, então qualquer um de esquerda é imediatamente “comunista”, “vermelho” e “petista” – todos termos intercambiáveis em seu pequeno e simples mundinho afastado da realidade.

    É até engraçado que eles sempre falam (ou melhor, repetem) em “lulo-petismo”, sem serem capazes de definir o que isso significa e qual sua diferença em relação ao simples “petismo” e ainda assim acham que podem de “catalogar” como tal.

    Mas o que é mais hilário é que nunca gostei muito do PT. Na faculdade, eu fiz questão de fazer parte de um partido político acadêmico contrário ao que era infiltrado de petistas “xiitas”, que queriam queimar pneus na rua pra protestar contra o aumento das mensalidades.

    Aliás, nossa política acadêmica sempre foi uma coisa gozada, pois a “oposição” era cheia de petistas, mas tbm era infiltrada por estudantes profissionais da direita, enquanto no “meu” partido, petistas e comunistas (ironicamente, quebrando a surreal simetria, não havia nenhum comunista “do outro lado”) também conviviam com direitistas, e detestavam os petistas “do outro lado”!

    Era divertido, embora um tanto complicado.

    Mas eu tenho, sim partido. E não é o do coração partido, embora pareça ser assim na maior parte das vezes, de tanta decepção com tanta gente. Meu partido é a esquerda – não toda ela ou qualquer uma delas, mas a “minha” esquerda, a esquerda do meu jeito. Sou um socialista e sigo o meu socialismo, aquele que acho correto, e não o socialismo “de manual” que a direita acha que existe e gostaria que lhes facilitemos a vida o seguindo.

    E, diferentemente do que muitos pensam, não penso que tenho todas as respostas, muito ao contrário, não tenho resposta nenhuma, só um caminho e uma esperança de um dia chegar perto de uma.

    Na verdade, o que mais irrita meus amigos, meus oponentes, alguns inimigos e até mesmo alguns membros da minha família é que tenho muitas perguntas, daquelas que eles nunca se perguntaram, e preferiam nunca ter que se perguntar. Acho que é melhor – e mais irritante – do que achar que sei as respostas… Acho que prefeririam se eu fosse “apenas” um “dono da verdade” rs

    Sou chato, é verdade. Por vezes, obsessivo, e odeio tanto os detalhes que não os largo, só pra puni-los. Tenho um monte de defeitos e até algumas virtudes.

    Há quem diga que é impossível me convencer de qualquer coisa, mas ninguém jamais me convenceu disso.

    Sou um monte de coisas, mas não sou petista.

    • Tambem sou de esquerda,o que não significa pertencer a um partido de esquerda.Sou simpatico ao PT mas não sou filiado ao PT.Sem apelar para a demagogia,afirmo categoricamente que o meu partdo é o Brasil.Quem acredita que o meu Brasil seja um pouco mais vermelho,se engana.Eu não luto por um Brasil mais vermelho ou mais rosa,eu luto por um Brasil mais justo,um Brasil para todos.Não como certo tipo de Liberal cujo unico proposito é lutar para que o Brasil volte a ser governado para uma porcentagem minima da população.Luto por um Brasil sem exclusão,sem fome,sem injustiças e sem desigualdades gritantes.Seria isto uma utopia apenas?Não creio,porque utopias não são impossiveis de se tornarem realidades,desde que haja uma irresistivel vontade politica e uma disposição enorme para um trabalho arduo.E isso não falta ao povo brasileiro,que optou pelo caminho de sua redenção ao optar por um caminho original com a eleição de Lula em 2002,confirmar essa opção com a reeleição do ex lider sindical em 2006 e legitimar esse proposito com a eleição de Dilma 2010.

  6. .
    A verdade te libertarás! basta crer nisto.
    .
    Eu sou filiado ao PCdoB desde o final da década de 1980. Mas, nem por isso, faria defesa incondicional de qualquer partido, político, nem também de qualquer padre, médico, religião, música, pai, filósofo, pedreiro, etc.
    .
    O que vale para os outros, vale aos políticos. E aos políticos, aos outros.
    .
    Mas fazer política é nosso cotidiano, nós que pretendemos um mundo melhor.
    .
    E fazemos, isto em casa, na rua, no trabalho. E com as novas possibilidades, via internet e blogosfera.
    .
    Para alguns que fazem de forma diferente, é difícil mesmo crer. Tiram-no por si.
    .

  7. é isso ..eu sempre soube ..mantenha a sua identidade, a sua imagem e dignidade ..os partidos e governos vão, nossa consciência fica, e nos acompanha todo dia, por toda vida

    ..se “eles” podem defender as suas ideias e interesses (na maioria individualistas e corporativistas) , pq nós não podemos tb defender livremente o que achamos ser o mais certo, o mais apropriado aos nossos ideais?

  8. Não só acho que vc tenha que agir assim, mas todos nós devemos agir da mesma forma. Eu mesmo tenho muitas críticas ao governo, acho que muitas coisas poderiam ser feitas de outra forma ou de uma forma melhor. Como os partigos de oposição vêm murchando gradativamente, incluindo o próprio PIG, então chegou a hora dos apoiadores do governo fazerem as críticas construtivas e parar de defender o governo dos atuais “Cachorros mortos”. Até porque o governo atual melhorou e muito o nosso país e construiu condições iniciais para o desenvolvimento, e ele tem que saber como continuar com isto.

  9. Parabéns pelo texto, cheio de dignidade! Também não sou filiado a nenhum partido político, todavia, declaro-me, desde os 16 anos de idade, como petista. E, por um motivo bem simples, desde essa época identifiquei-me com as ideias do partido, como sendo as melhores e mais viáveis para o Brasil, dentro da realidade de nossa época. Com o tempo, o aumento de instrução e cultura só serviram para fortalecer ainda mais minhas convicções; contudo jamais filiei-me ao partido(e, como participei do Movimento Estudantil, não faltaram-me oportunidades para fazê-lo)por acreditar que assim mantinha minha liberdade de expressão crítica, já que a participação em uma agremiação censuraria-me diante das posturas por ela adotadas. Além do que nunca ambicionei a carreira política(não tenho temperamento para isso), preferindo a participação político-ideológica, a qual, sem dúvida nenhuma é motriz, conteúdo e vanguarda para a ação partidária. Isso não quer dizer que concorde com os “raciocínios” simplistas e esteriotipados que tentam incutir nas pessoas o desprezo pela política : como qualquer atividade; a escola, o trabalho, a academia; a política é feita por seres humanos e reflete o que eles são : muitos defeitos, mas também grandes qualidades. Essa campanha desmoralizadora da política; levada a cabo pela ditadura midiática e todos os seus “produtos propagandísticos”(de jornais a programas humorísticos, passando pelos “jornalistas” amestrados)só tem o objetivo de afastar as pessoas da participação política, único caminho para construirmos uma Sociedade mais justa, ou seja, uma existência mais feliz , deixando os destinos do país nas mãos de uma minoria(o tal “sonho” das elites de uma democracia sem povo, como já dizia Raymundo Faoro). Por jamais admitir que esse absurdo possa concretizar-se, e por acreditar na possibilidade de o homem poder realizar um ordenamento moral em sua existência, sempre estarei na linhe de frente da participação política, combatendo os canalhas e individualistas, e defendendo as ideias em que sempre acreditei.

  10. Simples assim.

  11. Sim, tudo muito bonito. Mas venha alguém aqui criticar o PT e dizer que não tem partido pra ver o que vai ouvir…

    • Só se mentir. Assim como, neste blog, já defendi FHC ou Kassab de injustiças, defendo petistas. O fato de os petistas serem mais injustiçados e me obrigarem a defendê-los mais, não me torna petista.

      • Defina “mentir”. Alguém me conhece pra chamar de tucano ou te conhece pra chamar de petista? Falei que já votei no Lula, você mesmo fez escárnio…

        E essa do PT sofrer mais injustiças é forçar a amizade…

        • Tem surdo ,cego que nao ouviu nem viu o pais dele, desde 2000 até hoje.

        • Ai Deus!zzzzzzzzzzzz!

        • Caro Rodrigo Leme, não force a amizade. Que história é essa de você ter votado no Lula? Primeiro de Abril já passou!

          Talvez você seja o maior exemplo do termo “mentir” que você pediu para definir!

          Outro detalhe: que coisa feia! Por que você não admite de uma vez por toda que você é filiado e militante do PSDB-PFL?

          Eu, por exemplo, não tenho vergonha de dizer que sou filiado no PCdoB.

  12. Humala em queda no Peru, pesquisas indicam que os peruanos estão com medo de mudanças, eu heim
    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-vantagem-de-humala-no-peru

    • Essa de pesquisa nós vimos muito no 1º semestre do ano passado. E deu no que deu. Espero que lá também tenha MSM. Edu, você que é letrado em espanhol, como se escreveria MSM no Peru?

  13. O meu partido chama-se Brasil.

    • É isso aí Leonardo, o meu partido é o mesmo que o seu : o Brasil!
      Eu voto naqueles que acredito que defendem o nosso povo e nosso país, e qq um que NÃO aja assim tem meu desprezo e meus ataques diuturnos. O pt tem meu voto e de muitos de minha familia desde sempre, e na minha própria família a disputa é grande e nunca fui ‘convencida’ por ninguem a votar em quem eu não acreditava! Hoje já vivo uma situacão bem estranha: não se pode criticar o governo ou o pt sob pena de ser enxovalhada do avesso e do direito, e eu continuo a reclamar e a reinvindicar o que acho certo, não me interessa se o governo é do partido com o qual mais me identifico…por enquanto. Não fui lobotomizada para defender incondicionalmente nenhum politico, mas o critério é sempre o que for melhor para o POVO brasileiro. O diferencial do pt sempe foi a luta por condicões de vida melhores para a maioria, se esse diferencial estiver mudando para defesa das benesses para a minoria sempre privilegiada desde 1500 vou redirecionar minha energia para despejá-lo do poder porque ser sacaneado pelos poderosos de sempre é uma coisa mas ser TRAÍDO pelos fiéis depositários da sua esperanca é IMPERDOÁVEL, espero que eles estejam cientes disso!

      • Exato! eu não sigo o PT, nem ninguém… Acontece apenas que ele está indo pro mesmo lado que eu vou no momento… Quando divergir (e pode ser logo… Se os “3 porquinhos” não perderem a mania de quererem controlar o governo como eminências pardas) , aí vou dirigir minhas baterias anti-aéreas contra os mesmos…

  14. Prezado Eduardo: Tambem não tenho partido politico e olha que já fui convidado a me filiar à maçonaria, ao PT, ao PDT, ao PFL, ao Lions Clube e outros bichos mais. Quando você se filia, você se submete a regras e códigos de conduta que muitíssimas vezes entra em choque com os seus principios.Esta é a razão da minha recusa.Por outro lado sabemos que se você quer mudar alguma coisa precisa de poder e este poder político só se dá atraves de partidos políticos . Na minha concepção são pouquissimos os políticos partidários que merecem a confiança do povo.Para mim a quase totalidade são oportunistas e venais. A história está aí demonstrando tudo isso.Infelizmente temos que dar razão ao filósolfo Platão – 428 a 347 A.C. .” O castigo dos homens capazes que se recusam a tomar parte nas questões governamentais é viver sob o regime dos homens incapazes” . Ou este cara era uma visionário ou tambem via no seu tempo a safadeza que estamos vendo hoje.

  15. Caro Edu, Partido é, neste caso, parecido com religião. Quem acredita faz parte, e mesmo assim quem não acredita não é pior pessoa por causa disso. Como diz o ditado popular:”Cada um no seu quadrado”. Esse o espírito que move o PT e que o faz diferente dos demais (com todo o respeito aos outros). Conheço muitas pessoas que se declaram simpatizantes, que como você vislumbra um país melhor para todos.

    No entanto, nunca é demais anunciar: sou petista, de carteirinha e tenho orgulho disso, apesar dos muito erros passados. Não tenho cargos na administração, e nem quero tê-los. Milito, e de graça, por acreditar no programa partidário e por entender que é o melhor para país e pelo andar da carruagem não só eu.

    Creio que, pela sua retidão, pelo seu caráter, te considero mais petista do que muitos dos nossos filiados.

  16. Parabéns pela posição, com a qual me identifico. Acho que pertencer a um partido, com frequencia, se torna como paixão por clube de futebol: ficamos cegos e abandonamos a razão em nome de defender as cores da bandeira. Mas o que ganhamos com isso? Ou melhor, como melhoramos nosso país com este tipo de cegueira?

    Fui petista por alguns anos, quando mais jovem, mas me dei conta que isso me tolhia o espírito crítico. Repetia alguns “mantras” do partido que, poucos anos depois, o próprio partido disse que eram “bravatas” (fui pra rua, com o PT, por exemplo, criticar a Lei de Responsabilidade Fiscal…)

    Espírito crítico, sempre.

  17. Respeito sobremaneira pessoas políticas, jornalistas e bloqueiros(políticos ou não) que, além de seus próprios interesses, conseguem manter suas ações sempre focadas em compartilhar visões universais para um povo e Nação.

    A Democracia pede e muitas vezes exige, atitudes acima de partidos e posicionamentos; observar pessoas que se dedicam a partidos e cultuam políticos acima do respeito ao povo e toda sua diversidade, inclusive algumas vezes acima da própria nacionalidade, não é realmente uma boa maneira de se fazer política.

  18. Caro COMPANHEIRO Eduardo,não é necessário escrever muito mais; Enio Barroso Filho já lhe “disse” tudo.

  19. Eu confio em você Eduardo. Tomar partido de algo é diferente de ter partido!

  20. Eduardo. Afinal, você é de esquerda ou de direita. Estou perguntando porque acabo de receber um e-mail com essa questão. Peço permissão para repassá-lo para que tanto você como os comentaristas façam o teste. Eu ia deletar o e-mail, mas, antes dei uma olhada no seu último post e resolvi mandálo. Bom teste.

    De um jornal de Portugal ! Verdade Verdadeira

    Quando um tipo de direita não gosta das armas, não as compra.

    Quando um tipo de esquerda não gosta das armas, quer proibi-las.

    Quando um tipo de direita é vegetariano, não come carne.
    Quando um tipo de esquerda é vegetariano, quer fazer campanha contra os produtos à base de proteínas animais.

    Quando um tipo de direita é homossexual, vive tranquilamente a sua vida como tal.
    Quando um tipo de esquerda é homossexual, faz um chinfrim para que todos o respeitem.

    Quando um tipo de direita é prejudicado no trabalho, reflete sobre a forma de sair desta situação e age em conformidade.

    Quando um tipo de esquerda é prejudicado no trabalho, levanta uma queixa contra a discriminação que foi alvo.

    Quando um tipo de direita não gosta de um debate emitido por televisão, apaga a televisão ou muda de canal.
    Quando um tipo de esquerda não gosta de um debate emitido por televisão, quer prosseguir em justiça contra os sacanas que dizem essas sacanices.

    Se for caso disso, uma pequena queixa por difamação será bem-vinda.
    (Ou até mesmo, se possível, estatizar a TV e proibir que este tipo de programas aconteçam)

    Quando um tipo de direita é ateu, não vai à igreja, nem à sinagoga, nem à mesquita.
    Quando um tipo de esquerda é ateu, quer que nenhuma alusão à Deus ou à uma religião seja feita na esfera pública, exceto para o Islã (com medo de retaliações provavelmente).

    Quando um tipo de direita tem necessidade de cuidados médicos, vai ver o seu médico e seguidamente compra os medicamentos receitados.
    Quando um tipo de esquerda tem necessidade de cuidados médicos, recorre à solidariedade nacional.

    Quando a economia vai mal, o tipo de direita diz-se que é necessário arregaçar as mangas e trabalhar mais.
    Quando a economia vai mal, o tipo de esquerda diz-se que os sacanas dos proprietários são os responsáveis e punem o país.

    Teste:
    Quando um tipo de direita lê esse teste, ele o repassa.
    Quando um tipo de esquerda o lê, cuida de jamais repassá-lo!
    Deleta-o e envia uma resposta malcriada, ignorante, cheia de chavões e até de palavrões!

    • Quando um tipo de direita escreve coisas de forma preconceituosa sobre supostas reações de um tipo de esquerda em relação a determinadas situações, um tipo de esquerda dá uma boa risada da pretensa inteligência do tipo de direita.

    • SENSACIONAL O TEXTO!!! CHEIO DE VERDADE!!

    • Aposto que isso é tradução do inglês.

      E já era um lixo preconceituoso no original.

      • ¨Sensacional o texto.Cheio de verdades.¨Que verdades,senhor Abel Botelho?As verdades que a direita acha que são verdades mas que aos olhos de qualquer pessoa de bom senso são balelas?Se o texto diz alguma verdade é trocar por¨esquerda¨onde se le¨direita¨.A direita defende os delirios fascistoides de um Olavo de Carvalho,a direita defende a privatização dos lucros e a socialização dos prejuizos,a direita sempre defendeu a desigualdade alegando que ela é algo inerente à natureza humana,a direita defende assassinos terroristas como Carlos Alberto Brilhante Ulstra,a direita defende o privilegio de uma minoria e direito algum para o resto.A direita tem as mãos sujas de sangue e o senhor Abel Botelho vem dizer que o texto está cheio de verdades?

    • Quando um tipo de direita sente seus privilégios ameaçados, ele se une a outros tipos de direita.
      Quando um tipo de esquerda sente seus privilégios ameaçados, torna-se um tipo (asqueroso) de direita.

  21. Edu, eu sou um simples filiado ao PT, já fui candidato a vereador e na primeira vez obtive apenas 30 votos na segunda tentativa obtive 122 votos, sei que precisamos de pessoas idôneas na nossa pobre política, sei que o Sr. já esteve até mesmo com o presidente Lula, más eu humildemente te convido para feliar-se ao PT e tenho absoluta certeza que serias o melhor deputado no congresso nacional, pois seria além de muito combativo, um parlamentar que estaria caminhando junto aos interesses das classes sociais.Perdão acho que falei bobagens, porque vc não se interessa por partidos políticos, más falei bobagens que meu coração mandou dizé-las, pois te admiro mais que meu próprio Pai…

  22. Eduardo, os partidos respresentam a essência da democracia, é dentro deles que se discutem as propostas para melhorar o Brasil. Tenho fé em Deus que um dia irei ás urnas para votar em Eduardo Guimarães como Deputado Federal pelo Partido dos Trabalhadores!

  23. Também não tenho partido, mas sou de esquerda e admiro o comunismo, embora não creia que o ser humano esteja pronto para viver, ou sequer criar verdadeiramente um sistema assim.

    Por isso que temos que conviver nessa democracia falha e limitada de estilo capitalista onde o dinheiro e a vontade do dono dele é o que conta e fala mais alto.

    Diante disso quando um partido se dispõe de forma realista e dentro das limitações do jogo criar um sistema menos perverso nesse país com a pior distribuição de renda do planeta não me resta outra alternativa senão apoiá-lo.

    Senão o que teríamos nesse país?

    De um lado a turma que não quer mudar nada e que tudo continue como há 500 anos – num espectro que vai dos filhotes da ditadura estilo DEM até o PSDB cada vez mais direitista; de outro os sempre bem intencionados mas totalmente fora da realidade partidos de esquerda que imaginam fazer socialismo num país só na improvável hipótese de ganhar a eleição.

    Mesmo que o PT esteja hoje com os pés no chão e tendo que fazer o jogo miúdo da política (que existe em qualquer lugar do mundo é a única alternativa viável nesse momento.

  24. Eduardo, a título de curiosidade, veja como na televisão Argentina a audiência entre as emissoras é mais é um pouco mais equilibrada que no Brasil:

    Média dia Argentina

    Canal A 10.9
    Canal B 10.3
    Canal C 5.6
    Canal D 4.8
    Canal E 1.5

    Média dia Brasil

    Globo 16.9
    Record 8.3
    SBT 5.6
    Band 3.4
    Rede TV 1.4

    Será que não está na hora de aprovarmos a Lei dos Médios que já foi aprovada na Argentina?

  25. Eu sou petista,filiado desde 2002.Por isso critico o PT,pesadamente,quando vejo o que julgo serem erros.
    Você,Edu,não pode se filiar mesmo.Sua função é outra:mostrar para todo mundo que a política define a vida de todos e todos devem participar dela,mesmo sem ser filiado a algum partido político.
    Pela mesma razão que você não pode se filiar(acho eu),evito criar um blog ou site para emitir minhas opiniões.Elas estariam comprometidas porque sou petista,filiado e isso(mesmo com toda a racionalidade) cria vieses em minhas análises.
    Enfim,Edu,você serve mais ao Brasil dessa forma.

  26. A postura crítica perante a vida ajuda a nos manter humildes.O certo e o errado não é um dado à priori alheio as circunstâncias.Valeu Edu.

  27. No fundo companheiro Eduardo,somos Petistas dêsde pequeninos,não participamos da vida interna partidária,não somos filiados,porém nossas lutas foram sempre em defesa das grandes lutas Sociais,das Minorias,dos Movimentos Sindicais Organizados,da Justiça Social,Diminuição das Desigualdades,etc.etc Lutas que nasceram de uma Visão Política Socialista,que é o cerne ideológico do nosso PT.Certo?

  28. Eduardo. Entendo, concordo e estou na mesma posição política que você. Meu partido também é o Brasil, da mesma forma que a minha religião é a humanidade. Grande abraço

  29. Paulo Ribeiro, parabéns pela colocação já que eu moro no interiorde Goiás, e não poderei votar no Edu, por favor vote nete e arrume mais um voto por mim, pelo amor de Deus prometa-me que arrumarás mais um voto para me substituir, posso crer nisso meu nobre companheiro??….

  30. Não, nunca tive partido. Nunca me envolvi com políticos. Não lhes dou bom dia, boa tarde ou boa noite nas redes sociais assim que dão sinal de vida. E não é por nada pessoal, mas porque não me relaciono com políticos. Poderia até me relacionar, mas só se ficasse conhecendo algum e com ele simpatizasse. Não porque ocupa este ou aquele cargo.
    bem acho que melhor é perguntar ,questionar pedir prestação de conta de mandato.
    agora viver do ouvi falar fica dificil.
    para politicos não pesso autografo,não tiro fotos e não tive e não fiz convite para jantarem em minha casa .
    porem por educação dou bom dia ,boa tarde e pergunto sobre mandato e obrigações do cargo ,vou a prestação de conta do mandato ,quem não faz não tem meu voto .
    questiono por imail ou atravez dos seus assessores .
    agora politico ou quem faz politica não deve ser tratada como algo que devemos propagar como alguem a ser mantidos a distancia .
    Assim sou petista e meus amigos estão na base ,meu amigo é o partido e nunca um nome dentro do partido pois por ter um trabalho e liderança alguns acabaram por nos representar e sem estes não teriamos um partido .
    agora como condenar quem se propos a encarar uma urna e tornar sua vida publica ,pelo contrario se tivemos melhora devemos muito a estes.
    Vivemos com os iguais ,nos relacionamos com os iguais e melhor que se preocupar com os politicos é concientizar os diferentes nos buracos da periferia ,sobre a importancia de um bom politico ,da importancia de este politico não necessariamente ser seu amigo mas estar presente em sua comunidade em seu bairro cidade e se possivel estar presente fisicamente para ouvir que podemos e devemos ter uns bons dias.
    Vamos dar mais bom dia ,mais boa tarde e sabermos em quem estamos votando .oque eles pensam ,como é seu partido ,qual a participação do povo neste partido e os atos ,feitos dos nossos politicos .

  31. Como disse o amigo Carlos Veloso: simples assim.

  32. Edu, eu confio e acredito em você e por isso sei que você não tem partido é simplesmente simpatizante do PT e do Lula é também um cara de ideais e valores progressista e de esquerda é assim que eu o vejo apartir do que você escreve. Eu penso que é bom e saudável para a democracia pessoas assim como você ajuda no equilíbrio, por isso tem meu total apoio, continue assim está ajudando muito a nossa NAÇÃO, parabéns grande Eduardo Guimarães. E não dê muita importância para os que não acreditam nessa sua tese o importante é o que você é, e o que você diz é sincero e verdadeiro, isso basta.
    Um abraço

  33. Na hora de votar toda gente tem partido.

  34. Eduardo,
    como sempre, li teu texto. Quando me deparei com tua referência à “verdade”, ou do que te parece ser a “verdade”, como objeto de tua defesa constante, me deu vontade de postar algo aqui e é uma paráfrase do sofista Gorgias: “a verdade não existe, se existisse seria incompreensível, e se pudesse ser compreendida seria incomunicável”. Para evitar qualquer melindre com a expressão “sofista”, já que sofisma tem atualmente conotação pejorativa, lembro que os sofistas, apesar de atacados por Platão, eram educadores práticos de política e moral na Grécia antiga. Alguns eram muito respeitados e procurados pela “clientela”, outros eram crápulas mesmo, farsantes e enganadores, como sempre ocorre. Suponho que daí venha o sentido pejorativo a que antes referi.

    • Carlos, na verdade, sofisma significa um raciocínio que aparenta ser logicamente válido, mas não é. São falácias lógicas.

      O termo é pejorativo por definição, e não por costume, lamento.

  35. Os partidos no Brasil são muito fracos e muito fisiológicos.

    Nem sei se podem ser chamados de partidos.

  36. Eduardo.
    Você deixou claro seu carater ilibado.
    Tambem eu nunca fui filiado a partido algum.
    Confesso que sou LULISTA e DILMISTA.

  37. Muito bem , Eduardo. Essa foi a impressão que sempre tive desde que passei a acompanhar o blog.

  38. Nobre presidente do Movimento dos Sem-Mídia, que tal fundar também o partido dos Sem-Partido?
    Sua posição de independência é coisa preciosa, precisamos aproveitá-la.
    Filiei-me ao PT neste feudo tucano-aloysista em 2004, acreditando que ele seria oposição aos prefeitiranos bicudos. Ledo engano. Pedi desfiliação por escrito, não fizeram. Então continuo “petista”.
    Sou é Lulo-Dilmista na esfera federal, simpatizante de Alckmin na estadual.
    Se vc resolver encampar a ideia, espero ter a honra de ser convidada.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.