A vida eterna de José Alencar

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Com informações da Wikipedia editadas por Eduardo Guimarães

José Alencar Gomes da Silva  (Muriaé,1931 + São Paulo, 2011) foi senador por Minas Gerais e vice-presidente do Brasil de 2003 a 2011. Foi um dos maiores empresários de Minas Gerais. Construiu um império no ramo têxtil, sendo a Coteminas sua principal empresa. Elegeu-se vice-presidente da República na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2003, conseguindo a reeleição em 2006.

Filho de Antônio Gomes da Silva e Dolores Peres Gomes da Silva, começou a trabalhar com sete anos de idade, ajudando o pai em sua loja. Tinha 14 irmãos e irmãs. Quando fez quinze anos, em 1946, foi trabalhar como balconista numa loja de tecidos conhecida por “A Sedutora”. Em maio de 1948, mudou-se para Caratinga para trabalhar na “Casa Bonfim”.

Notabilizou-se como grande vendedor, tanto neste último emprego, quanto no anterior. Ainda durante sua infância, tornou-se escoteiro. Aos dezoito anos, iniciou seu próprio negócio. Contou com a ajuda do irmão Geraldo Gomes da Silva, que lhe emprestou quinze mil cruzeiros.

Em 1950, abriu a sua primeira empresa, denominada “A Queimadeira”, localizada na cidade de Caratinga. Vendia diversos artigos: chapéus, calçados, tecidos, guarda-chuvas, sombrinhas, etc. .

Em 1953, iniciou seu segundo negócio, na área de cereais por atacado, ainda em Caratinga. Logo em seguida participou – em sociedade com José Carlos de Oliveira, Wantuil Teixeira de Paula e seu irmão Antônio Gomes da Silva Filho – de uma fábrica de macarrão, a “Fábrica de Macarrão Santa Cruz”.

No final de 1959, seu irmão Geraldo faleceu. Assumiu então os negócios deixados por ele na empresa União dos Cometas. Em homenagem ao irmão, a razão social foi alterada para Geraldo Gomes da Silva, Tecidos S.A.

Em 1963, constituiu a Companhia Industrial de Roupas União dos Cometas, que, mais tarde, passaria a se chamar Wembley Roupas S.A.

Em 1967, em parceria com o empresário e deputado Luiz de Paula Ferreira, fundou, em Montes Claros, a Companhia de Tecidos Norte de Minas, Coteminas. Em 1975, inaugurava a mais moderna fábrica de fiação e tecidos que o país já conheceu.

A Coteminas cresceu e hoje são onze unidades que fabricam e distribuem os produtos: fios, tecidos, malhas, camisetas, meias, toalhas de banho e de rosto, roupões e lençóis para o mercado interno, para os Estados Unidos, Europa e Mercosul.

Na vida política, foi presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, presidente da FIEMG (SESI, SENAI, IEL, CASFAM) e vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria. Candidatou-se às eleições para o governo de Minas Gerais em 1994 e, em 1998, disputou uma vaga no Senado Federal, elegendo-se com quase três milhões de votos.

No Senado, foi presidente da Comissão Permanente de Serviço de Infra-Estrutura – CI, membro da Comissão Permanente de Assuntos Econômicos e membro da Comissão Permanente de Assuntos Sociais.

Foi, ao início, um vice-presidente polêmico, ao assumir o cargo em 2003, tendo sido uma voz discordante dentro do governo contra a política econômica defendida pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, que mantém os juros altos na tentativa de conter a inflação e manter a economia sob controle.

Já a partir de 2004, passou a acumular a vice-presidência com o cargo de ministro da Defesa. Por diversas oportunidades, demonstrou-se reticente quanto à sua permanência em um cargo tão distinto de seus conhecimentos empresariais, mas a pedidos do presidente Lula, exerceu a função até 2006. Na ocasião, renunciou para cumprir as determinações legais com o intuito de poder participar das eleições de 2006.

José Alencar tinha um delicado histórico médico. A partir de 2000, enfrentou um câncer na região abdominal, tendo passado por mais de 15 cirurgias – uma delas com duração superior a 20 horas. Em sua longa batalha contra o câncer, submeteu-se a um tratamento experimental nos Estados Unidos, com resultado inconclusivo. Em 2010, após repetidas internações e intervenções médicas, decidiu desistir de se candidatar ao Senado, por considerar uma injustiça com os eleitores.

No final de seu mandato como vice-presidente, em 2010, apresentou o complexo estado de saúde, sendo até mesmo necessário interromper o tratamento contra o câncer. No dia 22 de dezembro de 2010, foi submetido a uma cirurgia para tentar conter uma hemorragia no abdome. Voltou a ser internado em março de 2011, vindo a morrer no dia 29 devido a parada cardíaca e falência múltipla dos órgãos.

São poucos os políticos brasileiros que nos fazem chorar quando morrem. José Alencar é um deles.

Tags:

80 Comentário

  1. Eduardo, por gentileza, tira uma dúvida minha, ouvi e vi o sociólogo Demétrio Magnoli, dizer no Jornal da Cultura que o José Alencar foi quem criou o Mensalão. Procede essa informação?

    • Eu o escutei no PIG-Band News FM falar algo próximo disso. Mas este comentarista tem um forte viés anti-Lula e pró-Tucano e é o “especialista em tudo” preferido do PIG.

    • Para mim ele era um típico homem de família do interior, com um caráter bem formado, uma simplicidade na prosa, uma sabedoria que se adquire ao longo da vida e que, os jovens, gostamos de sentar e papear com estas pessoas. Quando via falar, não via apenas um empresário, mas via serenidade e sabedoria.

      Não o conhecia a percepção que tinha dele era através da imprensa, mas passei a respeita-lo não por ele ser político ou empresário, passei a respeita-lo pela fé em Deus que ele me passava. A fé é um dom divino, creio assim, por isso via nele um homem temente a Deus. “O temor ao Senhor é o princípio da sabedoria.

      Não fomos criados para morrer, ele não ficava apavorado, mesmo sabendo que o seu momento chegaria, haja vista a gravidade de sua doença e a sobrevida que o tratamento lhe deu, mas não foi suficiente para ele se abater. E não era qualquer um, era o temível sarcoma. Quando via a maneira como ele reagia diante de tão invasivo tumor, mais ficava admirada pela sua fé.

      O que me faz respeitá-lo foi essa sinceridade, essa convicção de não se curvar diante da morte. Para estes, a morte não é eterna, ela é apenas um sonho que, ao soar das trombetas, ouvirão a voz do Senhor, “Despertai, despertai, vós que estais no pó da terra. O que haverá na ressurreição? Apenas o poder do Senhor em fazer ressurgir aqueles que morreram em Cristo.

      Alencar compreendeu a mensagem do Senhor para ele, “A doença me fez um ser humano melhor”. Ele foi para nós, uma espécie de Jó . Não havia mais nada para tirar-lhe internamente, não ficou abatido, não renegou o Senhor, não se curvou diante do que sabia que seria derrotado, mas fez disso, um ser melhor, uma criatura melhor e desenvolveu de maneira impressionante a sua fé, que tornou-se inabalável.

      Para você, senhor vice-presidente, o respeito de nosso povo, a afeição dos céus.

      Aos seus familiares neste momento de dor há a esperança no Deus que ele cria.

      “Não se turbe o vosso coração, credes em Deus e credes também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas e, se não fosse assim, Eu não vo-lo teria dito. Vou preparar lugar e quando Eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estarão vós também”. Ele dorme até a ressurreição, esta é a crença que várias vezes mostrou crer.

    • Sou de Belo Horizonte e tenho muitos amigos e parentes publicitários. Pelo que se sabe o caixa 2 com uso de agências de publicidade foi criado por gente a serviço do hoje senador por Minas Gerais, Clésio Andrade. E este a serviço do tucanato mais emplumado. Esse senhor – presidente da CNT – nunca teve um voto sequer, mas já foi vice no primeiro governo do Aécio e chegou ao senado com a morte do ungido pelo ex-governador quando das eleições de 2006, Eliseu Resende.
      Na época nem se imaginava a possibilidade do PT usufruir de tal criação. Na verdade nem se imaginava que o PT tivesse condições para isso, já que seria necessário que chegasse ao poder.
      Era a época das privatizações, do “limite da irresponsabilidade”, da reeleição com parlamentares comprados, ou seja, os puros tempos tucanos.
      Há também a obviedade da participação do brilhante – segundo FHC – Daniel Dantas.
      Quanto à participação de José Alencar, não tinha ouvido falar, ainda. Portanto, criador do esquema sei que não era. Mas, sinceramente, grandes empresários como ele estavam sempre metidos nessa m…
      Abraços,

  2. Eduardo, concordo com quase tudo, apenas não consigo fazer loas e acompanhar a mídia da unanimidade a quem não reconhece filha apesar de um caminhão de provas. Por que se recusou a fazer o exame de DNA? Machismo e preconceito? E pior, pela lei brasileira o simples fato de se recusar a fazer exame de DNA estabelece a presunção de paternidade. E a explicação de que não se responsabilizava pelo que aconteceu em bordel? No mérito, prefiro Pelé que tardou, mas reconheceu a filha através de seus netos.

  3. Francisco José Teixeira Nogueira
    “MINHA HOMENAGEM A UM GRANDE GUERREIRO, POR NOME DE: – JOSÉ ALENCAR”.
    ANTOLOGIA: CP-46 = Poeta: FRANCISCO NOGUEIRA.
    *****************************************

    Em sua história de vida, na humanidade existida,
    Chegou a triste partida, que finalizou essa etapa vivida,
    Em meio às alegrias bem sentidas, as agonias sofridas, das lágrimas escorridas, Em face de uma moléstia impiedosa, sucumbiu em verso e prosa…
    O corpo de um extraordinário guerreiro, um grande homem brasileiro,
    Um mineiro altaneiro, de fibra forte, e, que nunca se deixou abalar,
    O ex-presidente republicano, que atende pelo nome: JOSÉ ALENCAR!

    Deixando saudades nos corações brasileiros,
    Este grande guerreiro, agora segue em sua outra eterna jornada…
    Incansável em sua luta terrena, deixou para todos um grande legado,
    De sua vida bem construida, ao longo de toda empreitada…
    Enfrentando os desafios com altivez e coragem,
    Agora segue o nosso grande guerreiro, um honrado senhor mineiro,
    Que atende pelo nome: JOSÉ ALENCAR!
    Até mesmo a perversa doença, a tratou de forma honrada,
    Quando sempre a desafiava, com bom humor e grande resignação,
    Dizendo sempre não ter medo da morte, pois ela seria o seu tranporte,
    Para uma outra vida em outras longas jornadas, a serem novamente vividas,
    De uma forma eternizada, e, por outros caminhos a desbravar,
    Segue agora adiante, o grande cavaleiro andante,
    Que sempre atenderá pelo nome: JOSÉ ALENCAR!

    Siga em paz meu companheiro, nosso grande e eterno guerreiro brasileiro,
    Baluarte ao tempo inteiro, na construção de uma nova filosofia de vida…
    Na política, na econômia e na social democracia, para toda a nação brasileira!
    Braço direito do nosso presidente Lula, sempre esteve à altura das suas dígnas decisões, e, até mesmo com opiniões contrárias, a algumas ações de governo…
    Criticava vez por outra a política de juros altos, com veemência e protresto, Defendendo o capital do trabalhador brasileiro,
    Sacrificado e massacrado, em sua renda mensal!…
    Assim era esse baluarte, da política brasileira, o respeitável homem mineiro,
    Legado do povo brasileiro, chamado: JOSÉ ALENCAR!

    (Francisco Nogueira).

  4. É verdade! Senti essa vontade hoje, ao saber do falecimento de José Alencar, o qual, foi-me informado no final da tarde, através de uma notícia que ouvi no rádio do carro. Meus sinceros pêsames a todos os seus familiares! Alencar era uma figura querida e admirável!

  5. Eduardo, enviei um comentário em que prestei homenagem ao grande José Alencar! Talvez tenha perdido-se entre os tantos remetidos. De qualquer forma, reitero mais uma vez minhas sinceras saudações a Alencar! Que os brasileiros nunca esqueçam a figura de José Alencar!

  6. Francisco José Teixeira Nogueira
    “MINHA SINGELA E SAUDOSA HOMENAGEM A UM GRANDE GUERREIRO, POR NOME DE: – JOSÉ ALENCAR”.
    ANTOLOGIA: CP-46 = Poeta: FRANCISCO NOGUEIRA.
    *****************************************

    Em sua história de vida, na humanidade existida,
    Chegou a triste partida, que finalizou essa etapa vivida,
    Em meio às alegrias bem sentidas, as agonias por ele sofridas, das lágrimas agora escorridas,
    Em face de uma moléstia impiedosa, sucumbiu em verso e prosa, o nosso grande guerreiro…
    O corpo de um extraordinário mineiro, um grande homem brasileiro,
    Um exemplar de político altaneiro, de fibra rara e forte, que, nunca se deixou abalar,
    Este é o grande ex-presidente republicano, que atende pelo nome de: JOSÉ ALENCAR!

    Deixando saudades nos corações brasileiros,
    Este grande guerreiro, agora segue em sua outra eterna jornada…
    Incansável em sua luta terrena, deixou para todos um grande legado,
    De sua vida bem construida, ao longo de toda a sua empreitada,
    Enfrentando os desafios com altivez, humildade, sapiência e coragem…
    Agora segue o nosso grande guerreiro, um honrado senhor mineiro,
    Que atende pelo nome de: JOSÉ ALENCAR!

    Até mesmo a perversa doença, a tratou de forma honrada,
    Quando sempre a desafiava, com bom humor e grande resignação,
    Dizendo sempre não ter medo da morte, pois ela seria o seu tranporte,
    Para uma outra vida, noutras longas jornadas, a serem novamente vividas,
    Numa forma eternizada, e, por outros caminhos seguirá a desbravar,
    Novas missões desafiantes, seguindo agora adiante, o grande cavaleiro andante,
    Que sempre atenderá pelo nome de: JOSÉ ALENCAR!

    Siga em paz meu companheiro, nosso grande e eterno guerreiro, brasileiro, mineiro…
    Baluarte o tempo inteiro, na construção de uma nova filosofia da vida plena,
    Na política, na econômia e na social democracia, para toda a nação brasileira!
    Braço direito do nosso presidente Lula, sempre esteve à altura das suas dígnas decisões, e, até mesmo com opiniões contrárias, a algumas ações de governo…
    Criticava vez por outra a política de juros altos, com veemência e protresto,
    Defendendo o capital do sofrido e massacrado trabalhador brasileiro,
    Sacrificado e explorado em sua renda mensal, pela especulação dos mercados em dinheiro…
    Assim era esse baluarte, da política brasileira, o respeitável homem mineiro,
    Patrimônio do Brasil inteiro, assinando-se pelo nome de: – JOSÉ ALENCAR – O GRANDE GUERREIRO BRASILEIRO!

    (Francisco Nogueira).

  7. Eu discordo politicamente dele em quase tudo: ele é representante da burguesia nacional, e eu sou um mero trabalhador. Mas a alegria que ele via a vida era bonito de se ver. O povo chora mesmo, pois na hora da morte, sabia que iria descansar em paz. Como ser humano, é um exemplo. É o vida é bela aqui e agora.

  8. Exemplo que pode, muito bem, paraninfar a formação de qualquer cidadão deste país. Antes nascessem mais iguais a ele; o Brasil, infelizmente, está por demais cheio de Josés Serra!

  9. Talvez, o maior acerto de Lula tenha sido a escolha de José Alencar para ser seu vice, maior ainda, por tê-lo mantido em suas 2 gestões.
    É intrigante a grandeza da confiança mútua, diante da crítica veemente dele, Alencar, da política de juros praticada pelo BC.
    Nunca vimos e talvez nunca venhamos a ver um outro exemplo de relacionamento político, como o de Lula e Alencar.
    Ponto pra eles.

  10. Com certeza Edu, estou de pleno acordo. VIVA ZÉ ALENCAR. Obrigada pela bela e boa contribuição para o Brasil

  11. LULA da SILVA e ZE da SILVA

    Nem todo irmao e’ um grande companheiro mas todo companheiro e’ um grande irmao.

  12. Agora, com a morte de José Alencar, aparece um monte de oportunistas de plantão fazendo homenagens a ele.
    ACM Neto, mesmo, é um.
    Esta ontem na câmara fazendo homenagem, mas parece que ele já esqueceu que disse que ia dar uma surra em Lula e todos os seus. Eu considero José Alencar como um dos de Lula.
    Veja três vídeos de passagens memoráveis de ACM Neto e e avô, mostrando suas verdadeiras faces.

    http://todeolhomalandragem.blogspot.com

  13. Exemplo de HOMEM, exemplo de VIDA.

  14. O Brasil é quem perde.

  15. Escrevi para vários veículos, saites e blogs, avaliando que houve excessos deculto ao heroísmo nas homenagens póstumas ao Vice Alencar. Inacreditável como blogueiros ditos de esquerda embarcaram nesta canoa do personalismo tão bem urdido pelo Presidente Lula. O Politico-Empresário desaparecido na semana passada foi um capitalista brasileiro tal qual a maioria que explora, expolia, escravisa e marginaliza os seus trabalhadores. Vai ver o que ocorre nos galpões de produção da Coteminas. Ele espertamente foi fiador de Lula na campanha de 2002, da mesma forma que o PT beijou as mõas de Viaviane Senna ao entregar a carta a nação, se compromentendo em honrar com os contratos da gestão anterior. Quem hoje ocupa o poder não pode cair no fácil deslumbramento do poder. Meus respeitos humanos ao velho mineiro, mas vamos com calma.

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.