O limite da fé

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Antes de tudo, quero esclarecer uma coisa: considero que devem ser respeitadas todas as posições das pessoas que lutaram pelo projeto político que venceu a eleição presidencial do ano passado, sejam elas contra ou a favor do que vai se tornando um divisor de águas da política nacional, o armistício da presidenta Dilma com a oposição e a mídia.

Devido ao meu ativismo político, muitos, erroneamente, consideram-me um radical – o que nunca fui. Radicalizei com a mídia, chegando a promover atos públicos e ações na Justiça contra ela, só depois de, por anos, ter tentado, vez após outra, dialogar com os que passaram os oito anos do governo Lula tentando sabotá-lo.

Não me verão, portanto, xingando companheiros de luta que não viram nada de mais na aproximação de Dilma com a oposição e a mídia, que culminou com a participação dela na festa de 80 anos da Folha. Até porque, essas pessoas podem estar certas e eu, que como tantos outros companheiros considero um escândalo o que está acontecendo, posso estar errado.

Todavia, não posso me furtar a dizer o que penso. Até porque, se for aceitar patrulhamento é melhor parar com o blog. No momento em que tiver que escrever aquilo em que não acredito terei me tornado igual àqueles que critico, os paus-mandados da imprensa assumidamente golpista.

Já provei, aqui, que posso ser convencido a mudar de opinião se me mostrarem que estou errado. Para isso, no entanto, preciso de argumentos. E os que tenho recebido a favor da presença de Dilma no dito “rega-bofe” do principal braço do PIG na imprensa escrita e da relação dela com o resto dessa imprensa, não me convenceram nem um pouco.

Dizem, por exemplo, que ir à festa da Folha ou ao programa das garotas-propaganda do Cansei Ana Maria Braga e Hebe Camargo seria “estratégia” de Dilma. Mas que estratégia é essa? Seria, dizem, para não fazer desfeita se recusando a prestigiar os convites. Então pergunto: como o governo Dilma irá propor uma “ley de medios” se não quer contrariar o PIG?

Outros dizem que Dilma foi à festa da Folha para dar um “tapa de luva de pelica” no PIG. Minha dúvida: se foi isso o que aconteceu, por que o jornal não foi ao ataque nos dias seguintes e, ao invés disso, vem aumentando a intensidade dos elogios à presidenta? Ou será que o Otavinho não entendeu o “tapa” que teria levado?

Outra comparação imprópria é sobre o início dos governos Lula e Dilma. Quando Lula assumiu a Presidência, em 2003, o país estava arrebentado. A inflação e o desemprego estavam em dois dígitos e havia uma fuga de capitais que se estendia desde o primeiro ano do segundo mandato de FHC. O ex-presidente não podia reagir à altura às acusações de que era ele o causador do desastre que herdou do antecessor.

Ainda assim, Lula dava as suas estocadas, como no caso da Herança Maldita ou sobre o que os seus antecessores deixaram de fazer. Pouco mais adiante, há alguns anos, em entrevista à revista Piauí desancou a mídia tucana dizendo que não a lia e que jamais precisara almoçar com donos de jornais.

Comparações entre a presença do ex-presidente no enterro de Roberto Marinho e a presença de Dilma na festa da Folha tampouco me parecem fazer sentido. Roberto Marinho faleceu no primeiro ano do primeiro mandato de Lula, em 2003, ano de “lua de mel” entre o ex-presidente  e a mídia. As relações com ela só se agravaram no início de 2005.

Dilma recebeu um país organizado, com um governo montado em uma popularidade estratosférica, com uma oposição desarticulada e com representação parlamentar muito menor, praticamente sem condições de enfrentar a base governista. Além do que, ela está no poder desde 2003, enquanto que Lula, naquele ano, mal chegara ao poder.

O que mais tenho ouvido e lido para explicar a postura da presidenta, repito, são os termos “acho”, “talvez”, “quem sabe”, “pode ser que” etc., no que diz respeito à razão pela qual não apenas foi à festança da Folha, mas para explicar outros fatos que sinalizam uma sua vontade de se “entender” com as forças do atraso neste país.

É possível conseguir suposições para qualquer coisa, nesta vida. Contudo, essas sobre os motivos da presidenta para, até agora, ter endurecido com aliados – sindicalistas e PMDB – e amolecido com adversários – oposição imprensa – não me convencem, até porque são meras especulações contra fatos concretos.

Quero muito que o governo Dilma dê certo, mas quero deixar claro que não apoiei as idéias de Lula ou a candidatura de Dilma por causa do ex-presidente. Apoiei o ex-presidente e a candidata que escolheu pelas idéias dele e pelo governo que fez. Ou seja, eu jamais apoiaria um político sem saber por que estou apoiando, e é isso o que estou vendo acontecer com algumas pessoas respeitáveis.

Uma coisa posso garantir: do lado em que estiver o PIG, não fico nem que a vaca tussa. Se o governo de Dilma se tornar o queridinho da imprensa golpista assim como foi o de FHC, vou para a oposição. Porque essa imprensa é a causa e o efeito de tudo que há de ruim neste país e representa as oligarquias podres que tornaram o Brasil um dos campeões de injustiça social.

Neste momento, dois textos da mídia resumem o clima político que vai se formando. O primeiro, é de Leonardo Attuch, da revista IstoÉ, citado recentemente neste blog. O segundo, é uma reportagem do jornal O Globo sobre o derretimento do apoio dos movimentos sociais a Dilma, com o desânimo até da CUT, aliada desde sempre ao PT.

Leiam, abaixo, os textos. Depois continuo comentando.

—–

Dilma e FHC, tudo a ver

Leonardo Attuch, IstoÉ

Brotou uma faísca entre os dois que pode reaproximar PT e PSDB. Seria bom para o País

Pintou um clima. Ela gosta dele, ele gosta dela. A cena se deu na Sala São Paulo, na festa de 90 anos do jornal “Folha de São Paulo”.

Do encontro entre Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso, brotou aquela faísca que alguns especialistas definem como  paixão. Sorrisos furtivos, coração acelerado e promessas de encontros futuros.

FHC sugeriu levar a Brasília, ao Palácio do Planalto, um grupo de velhinhos, conhecido como The Elders, que, além dele, inclui outros líderes políticos, como Nelson Mandela, Jimmy Carter e Felipe Gonzalez.  Dilma retrucou de imediato: “Vá também sozinho.”

Nos últimos anos, FHC sempre reclamou pelos cantos do seu sucessor, dizendo que, nesse tempo todo, Lula nunca o convidou para tomar um café no Palácio do Planalto. E Lula vivia dizendo a interlocutores que FHC não era confiável. Apostava no seu fracasso para que um dia voltasse ao poder, carregado nos braços do povo.

Essa relação tensa entre os dois determinou o distanciamento progressivo entre PT e PSDB, partidos que estiveram juntos em diversos momentos históricos, mas que migraram para polos opostos. Mas que antagonismo é esse? Tanto PT quanto PSDB ocupam o campo ideológico da social-democracia. Ambos têm, entre seus fundadores, pessoas que lutaram contra a ditadura. No poder, lançaram mão de políticas sociais compensatórias.

Acertaram de maneiras parecidas, assumindo compromissos com a estabilidade, e também erraram de modo semelhante – quase sempre, escolhendo vencedores na economia. Na prática, os petistas deveriam ter mais afinidades com os tucanos do que com as velhas e novas oligarquias do PMDB. Assim como o PSDB deveria estar mais próximo do PT do que do DEM.

Essa aproximação seria benéfica para o País e tem defensores no núcleo duro do governo Dilma. Um deles, o ministro Antônio Palocci, da Casa Civil, que sempre reconheceu méritos no governo FHC.

Ao mesmo tempo, boa parte do PSDB – José Serra talvez seja a única exceção – gostaria de aderir a um governo que deve passar quatro anos com crescimento próximo a 5%. No fim, pode ser bom também para os dois.

A presidenta Dilma, mulher livre, carrega, com todo o respeito, um quê de Ruth Cardoso. E FHC, viúvo boa-pinta, que também anda com saudades da piscina aquecida do Palácio da Alvorada, daria um ótimo primeiro-marido. Só vai ser difícil administrar as crises de ciúme de Lula.

—–

Esquerda petista critica ajuste e juros altos

Silvia Amorim, O Globo

O descontentamento de setores do PT e entidades historicamente ligadas ao partido com o início do governo da presidente Dilma Rousseff começa a sair dos bastidores e pautar o discurso da militância mais à esquerda.

O foco de insatisfação é a área econômica, precisamente o corte de gastos para 2011 e a previsão de alta dos juros.

A Coordenação dos Movimentos Sociais, ligada à Central Única dos Trabalhadores, aprovou documento em que diz que as ações adotadas nos dois meses de governo “seguem num caminho diferente do apontado pelas urnas” e promete uma “jornada unificada de lutas” no primeiro semestre, em defesa de mudanças na política econômica.

Trechos do documento estavam até ontem no site da CUT. “As ações implantadas nesse início de mandato pela equipe econômica sob justificativas do controle da inflação e das contas públicas seguem num caminho diferente do apontado pelas urnas e reproduzem a pauta imposta pelos interesses do setor financeiro, sustentadas no Banco Central”, diz o texto, que ataca “o aumento dos juros, o congelamento das contratações públicas, o contingenciamento de R$ 50 bilhões e o pouco diálogo no debate sobre o reajuste do salário mínimo”.

Cerca de 80 dirigentes de entidades sindicais de 11 estados participaram do encontro. O presidente da CUT, Artur Henrique, classificou como retrocesso o corte de R$ 50 bilhões.

—–

Sobre a previsão do presidente da CUT de que a “lua de mel” de Dilma com a mídia durará apenas seis meses, talvez ele esteja enganado. Pode durar muito mais. Para isso, basta que ela não contrarie o PIG. Mas como promover a distribuição de renda que os patrões do mesmo PIG rejeitam sem contrariá-los? Só aderindo aos seus desejos…

Tudo se resume a uma questão de fé, pois é a mais pura fé no intangível o que tem sido dado como argumento para justificar essa aproximação do governo Dilma com a direita golpista. “Acho”, “talvez”, “quem sabe”, “pode ser”… É fé, não é razão.

A fé é ilimitada, ou não é fé. Acreditar no intangível quando os fatos mostram o contrário, é fé, messianismo. Se essa crença tiver algum limite, aí deixa de ser fé e passa a ser confiança.

Que alguns tenham confiança maior do que a minha, acho perfeitamente justificável – mesmo sendo eu o blogueiro que tantos, durante os últimos anos, disseram que era mais petista do que qualquer filiado de carteirinha ao PT.

Então, qual é o limite da sua fé? Você aceitaria, por exemplo, que o governo Dilma desistisse da “ley de médios”? Sim, porque se não dá para a presidenta rejeitar convite para participar da festa decenal da Folha para “não parecer vingativa”, como ela fará para propor uma lei que essa mesma mídia não aceita sequer analisar?

Tags: , , , , , ,

235 Comentário

  1. Caro Eduardo,
    uma lei para controlar e democratizar a nossa mídia é muito pouco: na minha opinião pessoal a questão deveria ser resolvida no paredão (ou guilhotina).
    Mas quem quer a “ley de medios” somos nós, formados, concientes, progressistas; o povão não tem a menor idéia, tá ca****o e andando.

    • Reis, o que precisa de fato ser implantada é uma Ley de Medios que tenha como alicerce a participação popular. Como? Com a criação de comitês populares (formados por sindicatos, ONGs e entidades), que atuariam dentro dos veículos de comunicação analisando previamente o material a ser divulgado. Para isso, haveria aprovação no Congresso de um Código de Ética que regularia a forma como uma informação poderia ser levada a público. Ou seja, denúncias precisariam ser fundamentadas em documentos ou em depoimentos em “on”, por exemplo. O direito de resposta passaria a ser uma atribuição constitucional. É inadmissível que um sindicato dos jornailstas não possa atuar diretamente nos veículos em que seus filiados trabalhem, concorda? Os comitês populares representam a base da democracia por permitir ao povo manifestar a sua expressão. Ninguém é obrigado a ver as obscenidades de um Big Brother apenas por que a Globo nos impinge sua vontade. Sem isso, jamais teremos uma mídia isenta neste país. Agora, será que Dilma terá respaldo para isso? Tenho minhas dúvidas….

      • Paulo,
        sem entrar no mérito dos comites populares como melhor caminho para uma Democracia qualificada, a questão é o RESPALDO.
        A própria eleição da Dilma mostra que é o respaldo do povo que supera o poder econômico e os interresses das elites – que a mídia representa, e dos próprios políticos – senadores e deputados são detentores de mídias!
        Menos ansiedade: o ansioso blogueiro PHA, que muito cobra a “ley de meios”, já arrefeceu a sua. Talvez tenha percebido que HÁ uma estratégia para promover o debate e angariar o apoio da população, na qual se incluí o PNBL – a banda larga, e o jogo do “bom” e do “mau” entre Dilma e Lula frente a mídia reacionária.
        Correndo o risco de me repetir, a “ley de medios” é muito significativa para nós que somos “sem mídia”, mas para o povo, a nação Brasil, as prioridades são: EDUCAÇÃO, SAÚDE, DESENVOLVIMENTO.

    • Estou chegando hoje nesta discussão, por problemas profissionais estive no interior de São Paulo 2a. e 3a. feira, mas vamos lá.

      1. Realmente, os primeiros movimentos políticos do governo Dilma não entusiasmam os que lutaram com unhas e dentes na defesa da sua candidatura, pela continuidade do projeto do governo Lula e que votamos nela contra o retrocesso certo que seria uma vitória do tucano José Serra.

      Mas as primeiras medidas do governo Dilma realmente parecem a implementação da agenda neoliberal e midiática derrotada no ano passado, com o aumento dos juros da taxa selic; o corte de 50 bilhõe do orçamento federal para 2011 e o aumento pífio do salário mínimo e seu confronto com as centrais sindicais.

      Mas isso não deve surpreender quando temos agora na Casa Civil um Palocci, que já foi apelidado de Antonio Malocci, uma espécie de cruzamento genético/político de Pedro Malan + Antonio Palocci, que já foi visto no primeiro governo Lula como uma pedra no caminho do crescimento da economia brasileira naquele período, foram célebres as discussões dos ministros do governo Lula dito desenvolvimentistas ( incluida a então Ministra Dilma) x ortodoxos, como Palocci e Meireles no BC;

      2.- Outro sintoma estranho do governo Dilma é o derretimento do PIG em relação a nova Presidenta.
      Isso realmente não é um bom sinal, pois essa turma da imprensa conservadora nunca primou por apoiar nenhum governo que tivesse víés trabalhista e social, sempre cairam de pau em cima, sem dó nem piedade;

      3.- Agora, se o governo Dilma realmente desistir de implementar a regulamentação da mídia, que está acéfala após a revogação da antiga lei de imprensa, lei 5250/67, por lobby escancarado dessa própria mídia, os motivos para dúvidas em relação aos rumos desse governo serão enormes;

      O que consola é que já se disse e é um fato que o PIG não quer nem ouvir, é que nesse jogo na defesa dos reais interesses da maioria do povo brasileiro, que acredito que a Presidenta Dilma não renegará, apesar desse início algo desanimador, é que temos um PELÉ POLÍTICO NO BANCO DE RESERVAS, o ex- PRESIDENTE LULA, prontinho para entrar em campo em 2014 se for necessário , por sinal o ano da Copa do Mundo de Futebol no Brasil.

      Espero que não seja preciso colocar nosso Pelé político em campo em 2014 para resolver esse jogo, vital para o futuro do nosso Brasil e da maioria do nosso povo.

  2. Somos apressados demais. Leiamos, releiamos o comentário de Ruy Acquaviva acima. Releiamos. Não entendemos? Acho que é aquilo mesmo.
    Digo eu, Dilma não é propriedade nossa. Algumas pessoas pensam ser traição ela flertar com a direitona, Hebe, Ana Braga, Otávio Filho e outros. O cargo dela é pra nós. Eu, você, Ana Braga, Hebe, e todo mundo.

    • Só, Evaristo, que por enquanto ela só esta sendo presidenta da hebe, ana e sua turma, explique para uma pessoa que precisa urgente fazer uma hemodialise que a Dilma não tem coragem para recriar a CPMF, agora para enfrentar trabalhadores ela tem. Só esta faltando a famosa frase: temos que esperar o bolo crescer

      • Política sem algum nível de enfrentamento não existe. Conciliação, nunca existiu entre elites e ralé (prá usar um termo tucano).
        A máfia midiática não quer, nunca quis e não acredita em Democracia. Ou melhor: Democracia tem um valor monetário prá essa cambada. “Fez-se a Revolução democrática”, na manchete do Globo em 64.

        Quem está enfrentando quem no Brasil de hoje? A presidenta chamada de terrorista, abortista, ladra, sapatão, corruputa, “poste”, é um lado do debate.

        Do outro lado está a direita do salário mínimo de R$ 600,00, os cristãos que combateram a Seita Satânica do Michel Temer (Papa incluso), e por vamos.

        Nunca existiu acordo de cavalheiros quando em um dos lados não há cavalheiros. Pobre da Dilma se quiser conquistar a máfia. Tem mais é que agir e falar como hoje em Irecê. E dái prá frente. E vai levar porrada, cacete, porque do outro lado é a máfia, são os torturadores (por favor, a Elite econômica é respeitável, mas a direita-burra enche o saco porque tem ainda alguma mídia).

    • Eu diria que é não ser como o Ex-Cristopher ou o Ex-Campineiro ou qualquer heterônimo que ele possa usar!

  3. Eduardo, viciados em drógas e criminosos têm direitos de se recuperarem.

    Você por não aceitar e dizer que vai para a oposição, mostra um radicalismo muito forte.

    Não foi isto que Lula pregou no seu governo, nem Dilma está pregando.

    Sabemos do mal que a mídia fez a este pais, mas não lhes dar o direito de mudança, é difícil de se aceitar.

    Esta é a primeira vez que discordo da sua pessoa.

  4. Se Dilma não cumprir com a criação da ley de medios, lógico que ficarei muito aborrecido, a propriedade cruzada é uma anomalia que tem que ser combatida. Ficarei mais chateado se ela, de fato, se unir com a grande mídia e fizer tudo que ela quiser, como privatizar a Petrobrás, Privatizar o Pré-Sal, acabar com os programas desenvolvimentistas criados por Lula, etc…. Aí eu iria apoiar a esquerda mais radical.

  5. Abdicar da “Lei de Meios de Comunicação” é abdicar da Democracia – que ainda não temos – em nosso País.

    Ley de Medios pra ontem, sempre!

  6. Bom dia Eduardo, repito aqui o post de ontem que você me pediu pra repetir. Aguardo sua opinião:

    Eduardo, percebo que a presença da Presidenta na festa da Folha causou mais repercussão negativa do que o corte de R$ 50 bilhões no orçamento.

    O corte, traz consigo a justificativa de que as políticas adotadas durante a crise econômica mundial de 2008 compromteu o crescimento brasileiro, e levou o Governo a cortar impostos, auemntar o crédito e estimular (inclusive com um depoimento pessoal do Presindete Lula na TV) o consumo. Se a equipe econômica diz que isso pode reascender a inflação e que este corte se faz necessário, acho que devemos confiar e observar os próximos capítulos.

    O que não se justifica é a negativa em negociar. E não digo negociar com as Centrais Sindicais o valor do salário-mínimo. Estas tiveram o reajuste acordado de inflação + PIB de 2 anos atrás, o que leva a esse aumento pequeno em 2011 mas a um patamr mais aceitável no próximo ano. Mas o servidores federais por exemplo, ainda não foram recebidos para uma conversa, o que levou a um indicativo de greve nas Universidades Federais previsto para o fim de março.

    Voltando ao “rega-bofe” da Folha, o simbolismo do ato é realmente desastroso. Trouxe uma revolta totalmente justificável em todos que “compraram a briga” em defesa da candidatura e da pessoa da Presidenta Dilma durante o perído eleitoral.

    Nada contra uma aproximação do PSDB com o governo, se aquele abandonar o discurso de oposição pura e simples e vier a contribuir. Mas este movimento, embora na mesma direção do que está sendo sugerido, deveria ter um sentido contrário. Ou seja, de lá pra cá. E veja bem, isso não significaria se aproximar da grande mídia, que está atrás de recuperar as verbas de publicidade descentralizadas pelo Ministro Franklin Martins no Governo Lula.

    A “Ley de Medios” deve ser enviada ao Congresso após garantia de aprovação na base aliada, mas a pulverização das verbas publicitárias ou sua nova concentração nas maõs e bolsos dos neo-Dilmistas do PIG é que vai realmente servir de termômetro pra entender a tal estratégia que está incomodando a (quase) todos nós!

    Um abraço;

    Flávio Sereno

    PS: Parabéns pelo blog, está referenciado no nosso:

    http://blogdafamliasereno.blogspot.com

    • Que dizer, Flavio, além de “só sei que nada sei”?

      • Eduardo, acho que o discurso de Irecê bota um rumo nessa conversa, né? Juntando com as entrevistas prá Hebe e a Ana Maria Braga, parece que a Presidenta, que os änalistas” do Egoto acusavam de poste e de “muda”terão que mudar sua estratégia.
        Agora gastarão milhões para criticar o que “a muda” fala.
        É divertido ver a direita sem rumo, os saudosos da ditadura e do neoliberalismo, os Gadaffi brasileiros, os Mubarak, todos ciscando.
        Enquanto a direita-burra curte seu dinheiro roubado e tenta salvar-se como Gadaffi, o povo brasileiro faz o Carnaval, e a Presidenta governa em fina sintonia com o País.
        Aliás, ela estava linda hoje, não acham?….rsrsrrs

  7. Ontem escrevi que me recolheria, mais não aguentei, portanto vamos la:

    Eduardo, infelizmente sou obrigado a concordar em genero , numero e grau com voce, ontem foi o limite:

    -Levei minha filha para fazer a inscrição em disciplinas na Universidade Publica que ela passou , cujo novo campus tinha sido recentemente inaugurado, mais ainda faltam biblioteca, laboratorios, etc. Enquanto ela fazia a inscrição andei pelo local e perguntei aos funcionarios se iriam concluir as instalações, me informaram que estavam suspensas pelo corte de verbas. Ha! me lembrei imediatamente que algum amigo do blog, ainda inocente, que me disse uma ocasião para minha filha ficar tranquila, pois ele acreditou na DIlma no discurso que fez sobre educação, pois é, minha filha é nova acreditou e lutou pela eleição da Dilma, sofrendo na pele muitas agresões, pois vivemos numa cidade reacionaria agora esta decepcionada, é lógico que com o Serra seria pior, mais não podemos dizer que um bandido é melhor que o outro porque cometeu menos crimes.
    -Corte de 40% no programa minha casa minha vida, prejudica quem???
    -Corte de quase 3 bi na educação,prejudica quem???
    -Corte no ministério das cidades (lembram das enchentes??) , prejudica quem???
    – Corte na convocação de quase 40.000 aprovados em concurso, prejudica quem???
    – Ida a FSP, para agradar quem??
    -Postergação da ley de médios, para agradar quem????
    -Aumento de juros, quem lucra????
    Olha que com apenas 60 dias de governo esta lista poderia continuar, mais não precisa,se responderem a estas perguntas fica facil perceber de que lado esta o Governo, ao lado das elites financeiras, apoiadas pelo PIG, que é quem verdadeiramente manda neste Pais

    Outro fato interessante é o seguinte, ja que a DIlma esta com uma base parlamentar tão solida ao ponto de aprovar com facilidade o SM, porque que ela não tem coragem de recriar o imposto socialmente mais justo que este pais ja teve (CPMF). Falar duro para os trabalhadores é facil, agora encarar os poderosos fica dificil
    Temos medo de crescer???PO… quando conseguimos chegar a apenas 7,5%, temos que reduzir???? quem perde e quem ganha???

    Agora veja a diferença, a Cristina na Argentina enfrentou o PIG local e as Elites e esta crescendo 10%

    Perdi a Fé tambem, e o pior correr para onde????

    • Antonio, acho que não se pode dizer que tudo isso seja “estratégia”. Acredito que seja a identidade da presidenta mesmo.
      Infelizmente já estou de barbas de molho… mas ainda é cedo. Vou esperar mais. Só não acredito que as leis dos meios saiam após tanta troca de gentilezas.

  8. Concluindo, como bem diz O PHA se a Dilma não enfrentar o PIG, na próxima eleição a classe C elege o Berlusconi

  9. Tô com a sensação de ter perdido a eleição… Esse governo tá parecendo o PSDB.

    Corte de 40% no programa minha casa minha vida;

    -Corte de quase 3 bi na educação;

    Dilma na Folha de São Paulo;

    Dilma na Ana Maria Braga;

    Dilma na Hebe;

    Espero que isso passe quando a Ley de Medios sair do papel.

    Se sair.

    Se não sair, vou embora pra Argentina ou para os E.U.A

    Na Argentina e nos E.U.A. há confronto entre direita e esquerda, inclusive na mídia. Assim caminha a humanidade. Quando não há debates, vem o sedentarismo político. E quem sempre ganha com o sedentarismo político é o P.I.G e a direita, que são a mesma coisa.

  10. Caro Eduardo,

    Compartilho com sua opinião. Veja bem, Em Minas Gerais O petista tucano Fernando Pimentel que contribuiu para tirar o PT da prefeitura de Belo Horizonte depois de 16 anos no poder, foi agraciado com um ministério por, supostamente, ser amigo pessoal da Dilma.

    Enquanto que por pressão do Lula o PT e de alguns petistas tucanos como o citado acima, o Dep. Reginaldo Lopes, presidente do PT mineiro, entre outros aceitou ter o vice na chapa para governador de um representante do PIG, Hélio Costa.

    E quem fez o sacrifício, Patrus Ananias, tudo para ajudar a alavancar a Candidatura de Dilma no estado.
    Há boatos que a Dilma não se dá muito bem com Patrus Ananias e mesmo ele fazendo o sacrifício foi abandonado por ela.

    Hoje, Patrus Ananias voltou ao antigo cargo, técnico administrativo na Assembléia de Minas Gerais. Para mim não é um comportamento muito digno.

    Contudo, gostaria de fazer uma sugestão: que os blogueiros progressitas solicite uma entrevista com a Presidenta e, aí poderia esclarecer ou comprovar várias dúvidas.

  11. A Lei dos Médios vai sair por que é a hora, nem eles se agüentam mais. Pode não sair do tamanho que eu e tu esperamos, mas se sair 50% desta vontade nossa, já é um avanço. Minha maior angústia nem é pela doma dos meios, mas pela miséria que ainda temos no país. Acho esta briga da Dilma mais importante do que a luta contra o pig.

  12. Resumindo, Governo COVARDE!!! não adianta acreditar em boas intenções o que vale são as ações

    • Não considero o governo covarde, mas não adianta ter somente boas intenções, é necessário colocá-las em prática. Então o Governo Dilma tem que mostrar que é continuidade do Governo Lula e aprofundar as mudanças sociais e não regredi-las.

  13. Assisti parte do programa da Ana Maria Braga. Posso ter perdido algo importante, mas baseado no que vi e ouvi insisto no que alguns já dissemos: só o tempo nos dará as respostas que tanto queremos. Dilma Roussef, a meu ver, é uma excelente estrategista. Poderá dentro de alguns meses dizer: ok, respeito a imprensa, converso com a imprensa, quero que ela continue livre, e precisamos de uma lei que atenda aos interessas dela e também aos interesses do povo desse país. Com esta atitude ela faria a proposta que sairia dolorosa para a imprensa e benéfica para o país. Cenário de sonho, certo? E como é difícil achar matizes nessa relação, a outra possibilidade – não me sinto capaz de acreditar nela – é um acordão com a imprensa: olha gente, eu vou lá, mostro que sou um ser humano, uma mulher como qualquer outra, e a gente suspende essa lei – ou pelo menos faz uma lei que lhes prejudique menos, senão eu fico mal com meu eleitorado.

    Sinceramente, depois de ter sonhado – é mole? – que minha mãe era ministra da presidenta, prefiro simplesmente alimentar minha esperança, mesmo estando ciente do que pode estar cheirando mal nesse reino. Caso um odor insuportável tome conta do país e o tal do acordão se confirme, direi: tudo dentro da normalidade, a política nesse país é mesmo uma piada. E pior do que está, sempre fica!

  14. Só tenho um reparo a fazer ao comportamento da Pres. Dilma e refere-se à sua ida à Folha: não é de bom tom ir a um velório usando vestido vermelho.

    • Era só o que faltava ela ir com a roupa da cor da bandeira dos tucanos srsrsrsrsrsr !!!!!!! acho que a Dilma não seja tão tapada!!! acho …por enquanto…pois não sei se minha opinião mude!!!as vezes as atitudes de quem defendemos possam nos magoar, mas se faz bem para o povo brasileiro, quem sou eu para julgar!!! vou só torcer que prevaleça o bom senso para com quem acreditou nela!!!saudades do LULA!!!!

  15. Votei e fiz campanha para Dilma Roussef. Também não estou contente com a tendência que este governo Dilma vem assumindo.

    Não considero que a economia brasileira esteja em crise para que o Governo Dilma corte gastos, não contrate servidores novos e defina o salário mínimo em 545 reais.

    Se a economia está em crise, por que este governo não corta os juros da dívida que tanto prejuízos causam ao erário público e que só beneficiam os banqueiros. Para sair da crise tem que investir e fazer com que a sociedade usuflua do turismo, do comércio, dos serviços diversos, que isto gerará empregos e receitas para o Governo. O que não vai gerar receitas para o Governo é continuar pagando os altos juros ao sistema mercenário e sanguessuga financeiro do país, onde o dinheiro de uma nação inteira escoa para os bolsos dos bandidos (aqui sinônimo de banqueiros e agiotas).

    Lembro muito bem de uma entrevista que o Guido Mantega fez no final do Governo FHC, ele disse textualmente (num programa da então jornalista Maria Lidia da Gazeta) que era necessário que o Estado investisse nas áreas sociais, mesmo que houvesse aumento da inflação, era necessário que o Governo colocasse dinheiro nas mãos dos mais pobres e isto faria a economia brasileira girar, isto melhoraria a situação econômica dos mais pobres…Mas hoje a equipe econômica da Dilma, parece ter esquecido o que o Governo Lula fez e pretende seguir o receituário do FMI e dos bandidos que controlam e ganham dinheiro com o sistema financeiro do país.

    A nossa presidenta Dilma Roussef tem que acordar e ver que não foi eleita para fazer as ações neo-liberais do PSDB e sim para continuar e aprofundar as ações sociais do Governo Lula.

    A nossa “Ley de Medios” também é muito necessário para o desenvolvimento do país…mas parece que a nossa presidenta foi entorpecida pelo PIG e não quer saber da nossa “Ley de Medios”.

    Continuo apoiando o Governo Dilma, mas com ressalvas. Desejo sucesso para este governo, desde que este sucesso redunde no aprofundamento das ações sociais iniciadas no Governo Lula.

  16. estrategista ao extremo…

  17. A esquerda e suas correntes.
    Muitos falam que o PT mudou.
    Esta analize simplista das coisas leva muitos que nunca militarão a criar muitas teses.
    Mas sabemos que o PT foi e é a unica via que realmente chegou a alguma mudança neste pais .
    Em sua fundação foi a via possivel para muitos ,assim tivemos os mais a esquerda ,os radicais e até os sonhadores onde tudo que pregavam não passava de sonhos afinal com democracia e 3 poderes ou mudamos com maioria e tempo ,ou ficaremos vagando entre suposições e novos caciques .
    Mudanças se constroi nas bases ,pois a cupula esta tomada por aqueles que sempre estiveram la .
    Mas temos os que critam,usam os seus meios para gritar e conquistar espaço,gritam na real ou gritam nos papais .
    O PT passou anos mantendo suas bases ,os mais a esquerda nunca se deram ao trabalho de ganhar as bases,fazendo a politica dos encostados como fazem até hoje ,ficaram disputando bases prontas como sindicatos e faculdades ,lugares onde não colocam a mão no bolso para mante-las .
    Hoje o PT é dominado por uma corrente que mantem e procura o dialogo ,tem consciencia dos 3 poderes e sabe do potencial e concequencia de partir para o radicalismo.
    Esperamos tudo do governo,afinal a geração que se organizava cobrava ,com articulação proposta viaveis agora espera do governo.
    Vemos o PSTU,PCO,PSOL fazer o obvio gritar para conquistar votos ,mas a efetiva mudança ,dentro de um campo que ninguem pode contestar o campo da democracia onde os mais ferrenhos opositores não pode contestar quem fez foi o PT, atraves de uma corrente moderada onde alguns chaga a chamala de centro,mas que centro é este que nos da maradia, trabalho,educação e se propoe a dar uma melhor saude .
    Não me coloco como funadador do PT como muitos embora ja panfletava gratuitamente na primeira eleição ,fiz isto para Miguel Guillen enmSto Andre .
    Assim posso dizer que nunca vi os mais a esquerda em dzs ou bases ,os caciques dos mais a esquerda ,querem tudo pronto o mais facil ,nunca vi um Pomar .ou representantes das correntes que sairam vir as bases perguntar oque era nessessario para manter aquilo.pois mantinham e mantem suas bases em locais prontos sem custo ou trabalho,sindicatos e faculdades fora isto tente achar os mais a esquerda .
    encostam em movimentos mas quando alguem vai em cana veja de que partido é a não ser que seja os locais prontos sem custo.
    A porta esta aberta ,dialogo ,cobrança e participação ,agora não da para analisar a real atraves de blogues ou pelo PIG,pois o jogo não se da neste campo, ele chega a este campo e as veses ja chega com seu fim definido.
    Devemos mudar ,sim é um direito ,mas falar que não vai participar de um partido não impede de conhece-lo e saber que em reunião dos dzs em SP vcs nunca achara os mais a esquerda ,mantendo pagando e politizando pois so querem os prontos ,assim o PT tomara as atitudes votadas pela sua maioria ,manupulada ou não ,quer mudar milite filie-se e vote .

  18. Que eu esteja equivocado, mas essa lua-de-mel da nossa presidenta com pig está me parecendo uma versão microcósmica do Pacto de Não Agressão Hitler-Stalin (ou Pacto Molotov-Ribbentrop), assinado em 1931 e que terminou com a invasão alemã ao território soviético em 1939.
    É a Pax Dilmapiguemista.

    • Espero que você esteja certa. Que a nossa Dilma comece logo a grande batalha de Stalingrado e derrote o mais rápido possível os nazifascistas do PIG.

      Também poderia derrotar os banqueiros, diminuindo os juros pagos à esses bandidos e aplicando esse dinheiro nas áreas sociais!

  19. O que ‘e isto? Fico fora umas duas semaninhas e me confronto com esta noticia, eu diria, auspiciosa?
    Desculpem, mas ‘e engracado. Muito. Ainda mais as reacoes dos esquerdistas frustrados. Aprendam. Ser como foi o lula nao leva a nada. Nao a longo prazo. Tanto ‘e assim que ele esta’, digamos, ficando de escanteio, nacional e internacionalmente. Pode tardar mas assim sera’.

    Vai reagir da pior forma que conhece e conhecemos.
    Quem viver vera’.

  20. Boa tarde;

    Eduardo, acompanho este blog desde 2008, portanto não sei se em 2007 a entrevista de Pach Adams ao Roda Viva da TV Cultura teve alguma repercussão neste espaço.
    De todos os documentários e entrevistas que assisti, posso dizer que este homem possui um dos discursos mais eloqüentes, envolventes e emocionantes! Simplesmente imperdível.
    Consegui comprar o DVD com a entrevista neste endereço : “http://artmosfera.webstorelw.com.br/products?keywords=pach+adams”, mas à links disponíveis na internet, para assistir on-line.
    Mesmo que já tenha repercutido em seu blog, acho importante traze-lo de volta para que mais pessoas tenham acesso a esta relíquia que está perdida na grande rede, eu mesmo achei por acaso. A entrevista não traz nenhuma informação nova, mas faz uma crítica clara e direta ao sistema, nos obrigando a repensar nossos próprios valores sociais, geralmente impostos pela minoria dominante.

    Fica a sugestão!

    Alcides Luiz Egewarth
    Palhoça – SC

  21. Criticar Dilma por ela ter ido na Folha, Hebe ou Ana Maria Braga é bobagem, já se ela não avançar na banda larga e na democratização da mídia……

  22. Edu, concordo plenamente com quase tudo que tu falou. Não sou simpatizante deste governo mas não vejo problema algum na presidenta comparecer a festa da Folha. Não pretendo fazer oposição “infantil” ou radical como faz o PiG.
    Mas só não entendo como na nossa situação, que apesar de MUITO MELHOR ainda é lastimável, tu podes achar normal a popularidade estratosférica do governo. Seria possível isso ser normal? Em uma análise rápida podemos achar “possível”, mas em uma completa vemos que tem alguma coisa de errado!
    Acho que é um dos principais pontos que bato contra este governo, que é a política que considero populista. É minha opinião. Portanto, temo que tu possa um dia vir pro meu lado, como tu comentou. Apesar de eu não achar isso tão simples de acontecer. Mas é sim possível.
    Pra terminar, vi o comentário do Julio Cesar e me espantei! Caramba, eu acho que oq ele “reclamou” deste governo não passa de situação normal. Nada mais do que decisões corretas. Eu, oposição, em! E estamos só no fim de Fevereiro. Crescimento populista, insustentável e inflação batendo na porta. Para mim este é o cenário do fim do governo Lula.
    Será que Plínio estava certo? Ainda é cedo para afirmar.

    t+

  23. Enoja; causa ânsia de vômito; ler o lixo escrito por Leonardo Attuch(um dos capachos do “Sistema Dantas de Comunicação”, termo brilhantemente criado pro Paulo Henrique Amorim para definir o séquito de “jornalistas” e políticos destinado a defender os interesses do “banqueiro-marginal”, Daniel Dantas, mais uma das tantas aberrações surgidas das privatizações de FHC). O “texto”, além de machista e vulgar, é claramente parte da maquinaria propagandística, acionada pela ditadura midiática para tentar cooptar Dilma(como também o é o artigo do Globo). Mas, diga-se de passagem, a maior culpada pelo início do funcionamento dessa máquina nefasta é a própria Dilma, que empreendeu uma “alisação” asquerosa com os barões da comunicação, postura que gera repugnância, temor e desapontamento naqueles que tanto lutaram por sua vitória. NÃO DÁ PARA SE CONFRATERNIZAR COM A DIREITA : CONFRATERNIZAÇÃO COM A DIREITA ACABA EM PERNICIOSIDADE, EM RECUO. E POR UM MOTIVO BEM ÓBVIO : A DIREITA BRASILEIRA NÃO CEDE, OU ELA COOPTA OU PARTE PARA A GUERRA, MAS NÃO NEGOCIA. ESSE DIAGNÓSTICO QUE APRESENTO(AO CONTRÁRIO DO QUE PODEM PENSAR OS POLITICAMENTE CORRETOS DE PLANTÃO), NÃO SE TRATA DE NENHUM PRECONCEITO OU EXTREMISMO, TRATA-SE DE UMA CONSTATAÇÃO SOCIOLÓGICA, BASEADA NO CONHECIMENTO PRÉVIO DE QUAL A BASE SOCIAL QUE COMPÕE NOSSA CLASSE DOMINANTE(A DOS DESCENDENTES DOS ANTIGOS SENHORES ESCRAVISTAS COLONIAIS), QUE, DEVIDO À SUA ORIGEM, FOI MOLDADA NA ARROGÂNCIA E NA CERTEZA “DO MANDO”, NÃO ACEITA NEGOCIAR POR ACREDITAR-SE DESTINADA AO PODER POR DIREITO DIVINO E POR POSSUIR UM DESPREZO INTRÍNSECO CONTRA TODOS OS QUE A ELA SE OPÕEM. Em suma, não adianta Dilma “alisar” a direita se acredita que isso facilitará o caminho para as mudanças que necessita implantar em seu Governo : não facilitará nada, porque a direita não negocia! “Alisá-la” só levará Dilma a perder credibilidade entre os seus apôiadores e/ou a ceder aos conservadores. Além do mais que, como já disse no comentário anterior, ao contrário de Lula e também graças a ele, Dilma chegou ao poder num momento em que o país precisa sair das “amenizações”, que Lula implementou em nossa ordem social excludente, para reformas concretas, capazes de realmente modificarem essa ordem(como as Reformas Agrária, Midiática e a Mudança de Nossa Inserção Subalterna na Economia Internacional). Esse momento só pôde ocorrer para Dilma graças ao seu antecessor, o que permite à Presidenta a possibilidade de ser a líder das mudanças verdadeiramente contundentes que construirão um novo país; mas também gera-lhe o ônus de ter que enfrentar conflitos bem mais pesados que os enfrentados por Lula, uma vez que irá destruir privilégios seculares. Contudo, enfrentará tais conflitos num país robusto, organizado e com a Economia em crescimento, ao contrário de Lula, que teve que assumir o Governo de um país à beira do caos. De qualquer forma, não será confraternizando-se com a direita que Dilma cumprirá seu mister, essa postura só a levará à paralisia, à cooptação e até mesmo à desintegração das “amenizações” feitas por Lula(as quais, apesar de suas limitações, já melhoraram a vida de milhões de brasileiros), que serão as primeiras vítimas de um retrocesso conservador, o qual ocorrerá inexoravelmente se Dilma não confrontar os interesses dos donos do poder. Por último, quero lembrar que, se por um lado procede o seu argumento de que Lula estava, em 2003, numa posição bem mais fragilizada do que a Dilma neste momento; ainda assim TAMBÉM CONSIDERO UM ABSURDO A IDA DELE AO ENTERRO DE UM CANALHA COMO ROBERTO MARINHO(QUE PASSOU 30 ANOS TENTANDO DESTRUIR O MAIOR PRESIDENTE DA HISTÓRIA DESTE PAÍS); como também algumas outras “alisações” que empreendeu na ditadura midiática(como enviar dois dos mais importantes Ministros de seu Governo, Dilma e Mantega, à festa da Veja. Contudo, essa discussão é irrelevante, já que o fato de medirmos quem atingiu o maior grau de “puxa-saquismo” com os barões da mídia; se Lula ou Dilma; não torna menor o erro de Dilma, que é o erro do presente, o qual nos interessa, já que suas consequências poderão ameaçar toda a luta que empreendemos.

  24. Sr EDUARDO!!! ouvi essa tarde : A DILMA TÁ SOLTEIRA E FHC TAMBÉM SRSRSRSRS !!!

  25. Por acaso, hoje ouvi uns podcasts de um tal gurú da direita brasileira, chamado Olavo alguma coisa. E ouvi sua fala em 2008, dizendo, entre outras besteiras, que a economia da China depende dos Estados Estados Unidos.
    Não errou por pouco: simplesmente inverteu os fatos, como está provado.
    Este imbecil, que usa dois palavrões em torno do nome de Nossa Senhora, vive nos Estados Unidos às custas do vice-governador de São Paulo, Afgif Domingos.
    A mesada que o Afif paga ao velhinho pornô, deve ser muito alta, e sai da Associação Comercial de São Paulo, da qual Afif é presidente eterno.
    Será que a ACP não tem um diretor, ou conselheiro fiscal para indagar onde estão sendo gastos os milhões pagos para esta entidade? Serão todos os comerciantes de São Paulo admiradores do canalha golpista Olavo, a ponto de sustentá-lo nos EUA para agredir a Democracia brasileira?

  26. Eduardo, esse foi o melhor post que já li nos últimos tempos sobre o que vem ocorrendo desde o início do governo Dilma. Eu fico cada vez mais desanimado quando leios os editoriais enaltecendo o governo Dilma, por que todos sabemos que isso não tem nada a ver com arrependimentos ou revisão de postura, mas tão somente uma mudança na estratégia fracassada desses veículos nos últimos anos a qual também possui o intuito de desconstruir o sucesso em torno do governo Lula.
    Eu fico relembrando as horas a fio que gastei no período de eleições escrevendo milhares de e-mails para a minha lista com o intuito de rebater cada um dos ataques mais absurdos e ofensivos que eram feitos contra o governo. Enquanto a oposição demo-tucana de fato era expert em criar centrais de boataria e despejavam um sem número de mensagens diariamente com os ataques mais caluniosos possíveis, nós, os militantes, ficamos responsáveis pelo contra-ataque, até mesmo porque o PT mostrou-se jurássico na utilização da internet, como ocorreu na eleição de 2006. Agora, Eduardo, me pergunto o seguinte… caso essa lua de mel termine, será que teremos o mesmo ânimo em desconstruir a mentirada da imprensa golpista como fizemos nas eleições? Com que moral nós ficamos se, depois de todo o esforço que temos feito para denunciar o PIG, a nossa presidenta optou por confraternizar com esses veículos? Na Argentina, a Cristina está em primeiro lugar na disputa eleitora, com todas as dificuldades que tem enfrentado, e eu duvido que ela comparecesse a um evento promovido pelos grupos Clarin ou La Nación. A política pressupõe divergência de interesses e é inevitável que alguma parte fique contrariada. Querer agradar a todos é a melhor forma de não agradar ninguém. Eu, sinceramente, não acredito que algum marco regulatório vá sair, a não ser que seja algo apenas para constar e que não desagrade aos grandes meios de comunicação. Caso contenha algo que seja mais polêmico, duvido que o sr. Palocci não mande cortar imediatamente. Um exemplo foi essa exoneração do Emir Sader de hoje… Bastou apenas dois dias de campanha negativa contra ele por parte de Folha e O Globo para que o fato fosse consumado. No governo Lula, pelo menos, a grande mídia se esforçava bem mais para derrubar alguém…

  27. Eduardo, tambem estou descontente com este inicio de governo demo-tucano da presidente Dilma.
    O que mais mostra que a mesma esta se preocupando muito mais com a direita exploradora deste pais do que com a massa popular que a elegeu.

Trackbacks

  1. O limite da fé | Blog da Cidadania | Via Media

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.