Ministro das Comunicações desmente Estadão pelo Twitter

Buzz This
Post to Google Buzz
Bookmark this on Delicious
Bookmark this on Digg
Share on FriendFeed
Share on Facebook
Share on LinkedIn

Logo cedo tive uma aparente má notícia, nesta quinta-feira. Matéria do jornal O Estado de São Paulo, assinada pelo chefão Ricardo Gandour, afirmava a seguinte barbaridade: “Convergência de mídias leva governo a desistir de veto à propriedade cruzada”.

Dizia a matéria:

O governo vai abandonar o debate sobre a proibição da propriedade cruzada nos meios de comunicação por estar convencido de que o desenvolvimento tecnológico tornou a discussão obsoleta. O conceito de convergência das mídias, que consolidou o tráfego simultâneo de dados e noticiários em todas as plataformas – da impressa à digital -, pôs na mesa do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, um projeto de concessão única. Propriedade cruzada é o domínio, pelo mesmo grupo de comunicação, de concessões para operar diferentes plataformas ( TV, jornal e portais) (…)”

Trata-se de um absurdo. Nem os Estados Unidos permitem a propriedade cruzada. Equiparar televisão, rádio e imprensa escrita por conta da internet em um país em que a inclusão digital é tão baixa – e sem perspectiva de reversão plena da situação no curto e médio prazos – seria a virtual rendição do governo Dilma à direita midiática.

Inconformado, fui ao Twitter e fiz uma cobrança ao ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que me respondeu. Vejam, abaixo, o que ele disse.

Tags: , , , , , ,

112 Comentário

  1. O veto à propriedade cruzada é o âmago da questão.
    Se cair, adeus Ley de Medios. Não precisa fazer mais nada.

    • Esta é a exata questão, propriedade cruzada leva ao monopólio de opinião. Não importa muito que tenha havido por parte do ministro desmentido cabal ou desmentido meia-bomba, se há decisão a ser tomada, a preocupação passa a ser se tal “decisão” teria sido reservada como moeda de troca, sendo a reportagem do Estadão uma puxada de brasa para a sardinha dos reacionários.

      • São 140 caracteres…

        • Sabe o que realmente está me preocupando há tempos nesta questão? A lei da mídia vai enfrentar resistência feroz e não vejo o governo buscando apoio na sociedade para alicerçar uma proposta em bases progressistas. Eis porque todo mundo arrepiou com a notícia do Estadão, sem acumulação de forças e com a proposta gestada nos gabinetes, esta certamente deixará a desejar.

          • Exatamente Marcelo.
            O Governo falha em buscar apoio da população! Quem quer se informar mesmo no Brasil tem que fuçar muuuuito pra fugir da mídia.
            Pra mim esse É O GRANDE PROBLEMA!

      • Nessas horas tenho inveja da Venezuela, país no qual o Governo MOBILIZA a população para participar das decisões. Como diz o Presidente Chávez, “é preciso organização popular” – video 1 da série “A Revolução Não Será Televisionada”.

        Aqui o Governo parece que quer resolver tudo nos gabinetes. O PT sumiu dos sindicatos, dos movimentos populares. O pouco que restou é trabalho individual de um ou outro vereador. Assim, as coisas não andam…

        • Isso, vamos copiar a Venezuela. Vamos formar falanges, à la Hitler, para invadir jornais, ameaçar empresários, botar tudo literalmente pra baixo. se vc não sabe, meu caro, esse é o ”modelo” de mobilização do senhor Chávez. Felizmente, o Brasil é uma democracia de verdade, discute essas questões no seu devido lugar, o Congresso, e onde nenhum aprendiz de tiranete vai dar as ordens.

          • Você não sabe do que fala, não conhece a Venezuela, nunca esteve lá, do contrário não diria isso, e ainda acusa a esquerda pelo que a sua turma é que fez no Brasil, na vossa adorada “revolução” de 64

    • Sei que talvez esteja fora de pauta: Mas, eu gostaria de ouvir a opinião do Eduardo (Ele que é um nacionalista convicto) sobre um assuntro que me deixa encabulado:
      Porque não há nos Blogues incentivos a Firmas de Tecnologias de ponta (Chinesas) em vir para o Brasil pela Presidenta Dilma) para concorrer aqui na BANDA LARGA?
      Pelo que se sabe a China está décadas tecnológicas e preços compatíveis na frente destas jurássicas firmas instaladas no Brasil!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Em um passado próximo a mídia (principalmente os jornalões) e certos políticos proferiam qualquer bobagem que quisessem inventar e não tínhamos como desmentí-los. Atualmente temos o poder de desmentí-los ou ir atrás da verdade de forma on line. A internet é uma maravilha!

    Está ficando ridículo. Os jornalões de São Paulo estão sendo desmentidos pelo twitter. É como ser dispensado do emprego via recado na secretária eletrônica. Uma verdadeira desmoralização.

    Recentemente o jornal Folha de São Paulo também foi desmentido pelo twitter por uma Ministra da Dilma em relação à publicação da materia relacionada à retirada do crucifixo e da bíblia do gabinete da Presidenta Dilma.

    Em suma: jornal que é desmentido até pelo twitter não tem credibilidade alguma.

    • A FSP, mais que qualquer outra agência do PIG, perdeu muito daquilo que mais prezava e que alardeava como característica de seu “jornalismo imparcial” – “a credibilidade”. Para verificar, considere apenas alguns fatos como os assuntos “Ditabranda”, “Falha de São Paulo”, etc. e verá que, a tal credibilidade dela está mais suja que pau de galinheiro.

      Prefiro, mais do que nunca, ler o jornaleco gratuito aqui da minha cidade, distribuido em semáforos todas as manhãs. Deste não tenho por que reclamar, não o pago e, junto com suas matérias relativamente atualizadas, sou bombardeado por anunciantes querendo vender de tudo – bons para os negócios, ajudando o “dono do jornal” a formar sua “network” com os políticos da região. Assim sendo, apesar de pequeno, também veicula matérias pagas por políticos da região e até “puxa o saco” de alguns do governo estadual.

      O bom de ler este tipo de jornal é conhecer políticos e seus métodos de lavar suas sujeiras; o público que buscam atingir são aqueles que fazem valer a atuação vergonhosa deles políticos em cargos mais baixos. Vê-se assim que, o “jardim da infância” (ou a Fundação Casa) da formação do políticos são as Câmaras de Vereadores.

  3. Edu,

    Disse o ministro: “Bom dia, meu caro! Basta ler a matéria para concluir que não decidimos nada.”

    Aonde está o desmentido? Se, de acordo com o minsitro, basta ler a matéria para concluir, em momento algum Paulo Bernardo está dizendo que a matéria é um engodo. Muito pelo contrário, ele está endossando a matéria.

    Um desmentido seria mais ou menos assim:

    “Bom dia, meu caro! A matéria está equivocada, ainda não decidimos nada. ”

    Aí sim teríamos um desmentido.

    Abraço!

    • Matéria diz que governo abandonou veto à propriedade cruzada e ministro diz que governo não decidiu nada

      • Concordo com o Wellington. Se ele disse que é possível concluir pela matéria que ainda nada foi decidido, significa que ele corrobora a reportagem.

        • Estadão diz que governo “abandonou” propriedade cruzada e ministro diz que governo não tomou qualquer decisão. É o segundo desmentido que Paulo Bernardo faz neste mês. Na primeira vez, mídia disse que governo tinha engavetado projeto de Franklin Martins. Novo desmentido é claro

      • Ministro diz que “basta ler a matéria” e blogueiro diz que ministro desmente Estadão. Podemos dizer que blogueiro desmente ministro?

        • Ministro diz que governo não tomou decisão e Estadão diz que tomou. O resto é papo de espertalhão querendo deturpar os fatos.

          • Me desculpe Eduardo, mais sou obrigado a concordar com os comentarios acima, o desmentido não foi convincente. Quando ele disse que não tem nada decidido, na melhor das hipoteses deixou aberta a questão. Ja disse e repito, não estou gostando nada da postura do governo em relaçao a midia, tudo bem que ainda é cedo, mais os passos iniciais não estão me cheirando bem, vamos aguardar.CADE A DEFESA DO LULA?????

          • OK, tudo bem… não vamos discutir interpretação de texto agora, vamos discutir a mídia.

            Vamos supor que dentro de uma semana o governo anuncie que realmente o governo desistiu de vetar a propriedade cruzada, o Estadão então teria dado um furo, correto?

            Ou, vamos supor que dentro de uma semana o governo anuncie que vetará a propriedade cruzada. Teríamos uma bela barriga do Estadão. Sim?

            Não é papel da imprensa apurar os fatos e eventualmente antecipar uma decisão ainda não divulgada? Pois se apenas os anúncios oficiais fossem fonte de informação suficiente, não precisaríamos de imprensa.

            O Estadão apurou um fato e o divulgou. Pode ter apurado corretamente ou não. Pode ter inventado ou não. De qualquer maneira, a credibilidade em jogo é a do próprio veículo.

            No mundo ideal a imprensa só divulgaria fatos corretamente apurados. No mundo ideal, nem precisaríamos de imprensa. Mas como vivemos no mundo real, prefiro uma imprensa barriguenta ao release oficial de governo. Qualquer que seja.

          • Você está supondo. Pela última vez, que não sou gravador pra ficar repetindo: O ESTADÃO DISSE QUE O GOVERNO TOMOU UMA DECISÃO E O MINISTRO DISSE QUE NENHUMA DECISÃO FOI TOMADA. Ponto.

          • Edu,

            OK, não vamos nos exaltar. Não há necessidade para tanto. Tendo relido todos os textos (do estadão, do blog e os comentários), realmente começa a ficar mais claro pra mim o desmentido do ministro. Um pouco tímido, diria eu, apenas delicado, diria você.

            Minha intenção era tão somente desenvolver o debate a respeito do papel da imprensa a partir do seu texto, e não gerar reações exultadas em CAPS LOCK, muito menos fazer-me alvo das acusações de má-fe e vira-latice às quais já fui impingido.

            Abraços a todos.

          • Desculpe, também, mas é que está tão claro que o ministro desmentiu, meu Deus, que fiquei irritado.

          • Ok Eduardo, vamos esquecer o estadão. Vamos apenas supor que voce indagou ao Ministro se ele é contra a propriedade cruzada. Voce ha de concordar que pela resposta dele existe a possibilidade de se admitir a propriedade cruzada, pois ele quando diz que não tem nada decidido, existe “n” possibilidades, inclusive de se admitir a propriedade cruzada. Eu ficaria mais confortavel se ele respondesse algo do tipo… não vamos admitir a propriedade cruzada… Voltando ao estadão, se voce não tivesse questionado, a informação passaria como verdadeira e aí???

          • Caro Eduardo,

            não tenho a pretensão de dizer que tua interpretação está errada ou ficar discutindo interpretação de texto, porem não vi nenhum desmentido na mensagem do ministro.

            Concordo que a matéria dizia explicitamente que a decisão estava tomada e o ministro disse que ainda está em aberto, porem não podemos ser ingênuos a ponto de acreditar que uma negativa tão simplória (mesmo que em 140 caracteres) seja um desmentido. Afinal, faz parte da arte política enrolar uma situação indefinidamente, o que a meu ver foi o que o ministro fez.

            Abraço.

          • Você está fazendo uma suposição e eu estou me atendo ao fato. Pela décima vez: o Estadão disse que o governo tomou uma decisão e o governo nega que tenha tomado alguma decisão. Agora, fazer suposições pode transformar essa discussão numa odisséia. Podemos ficar supondo aqui até amanhã. Eu, infelizmente, não tenho tempo.

          • Me desculpe Eduardo, mais sou obrigado a concordar com os comentarios acima, o desmentido não foi convincente. Quando ele disse que não tem nada decidido, na melhor das hipoteses deixou aberta a questão. Ja disse e repito, não estou gostando nada da postura do governo em relaçao a midia, tudo bem que ainda é cedo, mais os passos iniciais não estão me cheirando bem, vamos aguardar.

          • Exatamente, Marcos: aguardar. A questão objetiva é que o Estadão afirmou que o governo tomou uma decisão e essa decisão não foi tomada, segundo o ministro. Foi um desmentido cabal. Não se pode exigir que uma autoridade escreva um tratado em 140 caracteres. Juízo, cara. A intenção do Estadão foi justamente provocar reações como a sua.

        • Na verdade o pig “se auto-desmente a si mesmo”. Isso acontece muito com quem mente o tempo todo. É tanta mentira, que até eles próprios acabam se enrolando e se desmentem sem perceber

      • A matéria diz ““O governo vai abandonar o debate…” mas não cita a fonte de onde extraiu essa ilação.

        Portanto, como o Ministro observou, trata-se apenas de uma suposição do jornal, sem consistência alguma.

        Seria diferente se a matéria dissesse: “O governo abandonou o debate…conforme se depreende de tal fato”.

        • Impressiona a má fé de alguns de negarem que é desmentido o jornal dizer que governo tomou uma decisão e o ministro da área dessa decisão dizer que não houve decisão nenhuma

          • Talvez não seja má-fé mas simplismente o tal “espírito de vira-lata”, de subordinação, tão citado por Lula, que nesse caso específico faz o sujeito acreditar que tudo proferido pela imprensa de oposição ao Governo Federal seja a mais pura verdade, tal qual um axioma. Apesar do próprio Governo afirmar o contrário, ou seja , desmentir.

            Já não me espanto. Encaro essa atitude com naturalidade, eis que é parte das regras desse jogo. Nossa labuta é exatamente desfazer essa tendência.

          • O ‘Espirito de Vira Lata’ esta na cara desse governo, mas precisamente na cara do ministro das comunicações, do Palocci, do Cardozo, do Temer e…

  4. Sinto muito dizer mas, esse governo está me parecendo candidato ao ‘fracasso’ até antes da hora, até agora não sei a que veio, apesar que votei na Dilma, ainda não sentir nada do que se achava que ia acontecer, nesse caso pior…

    • Camarada, vai ser espírito de porco assim lá nos cafundós!!! Estmaos no dia 27 de janeiro, nem um mês completou-se de governo e o cara já está achando o pior??? Pé de pato, mangalô tres veis!!! Sai de retro!!! Gerson, vos mecê que é da Bahia, tem tradição, dá um jeito nele!!!

      • Dava para o Sr. ser menos ridículo/preconceituoso/sem cultura, estou torcendo que der certo (o governo) mas, do que isso queria que fosse uma continuação do governo LULA melhorado, mas devido as informações que tenho, acho que não vai ser possível com pessoas tipo: Palocci e Paulo Bernardo, eternos barganheiros da elite midiática/econômica do Brasil, afinal de conta eles não estão lá por acaso, ou você acha que estão? Bob?

        • Ola companheiro, você já leu a dialética de Lula…Lula, o filho da dialética.
          então de uma lida, e provavelmente entenderá, o rumo que está tomando as ações de Dilma…
          Leia…É longo, mas bastante elucidativo…
          Lula não é e nunca foi um revolucionário que quer fazer a História dar saltos, mas um visionário que quer empurrá-la aos poucos. É a personificação da síntese entre contrários na visão dialética: é a negação da negação, a continuação da política por meio da política. Não o confundam, porém, com o estereótipo do político mineiro tradicional: o político mineiro é um protótipo do príncipe de Lampeduza, que quer mudar para que as coisas continuem como estão. Lula quer efetivamente mudar, e, no seu jeito de fazer composição, arranca compromissos aos poucos, sem ruptura. O artigo é de J. Carlos de Assis.
          ler mais>http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=17324

        • O Governo da Presidenta Dilma tem um estilo diferente. Ela parece que não querer usar o confronto, mas isto é o que parece, mas como estamos menos de um mes do Governo dela, só nos rsta esperar. Vamos ver!

    • Não consigo imaginar má-fé maior do que dizer que “este governo está fadado ao fracasso” apenas 27 dias depois que ele tomou posse.

      Essas trollagens toscas são um saco.

      Uma coisa é o espírito democrático em publicar o contraditório, outra é publicar boçalidades escritas por trolls medíocres.

      Neste mesmo tópico o mesmo sujeito insiste em uma tese absurda, dizendo que o ministro não disse o que disse (que não houve a decisão do governo, que o jornal colocou de forma mentiros em sua manchete).

      Qualquer um vê que o ministro afirmou categoricamente que não houve tal decisão do governo. Apenas acrescentou que o corpo da matéria já desmente a manchete, o que aliás é comum nessa imprensa plantadora de mentiras.

      Poi o cara fez sua afirmação, recebeu a ráplica, fez a tréplica e insistiu muitas e muitas vezes mais, simplesmente poluindo o tópico com repetições que não acrescentam nada ao debate, mas que dificultam a leitura da opinião de outras pessoas.

      Trollagem é um saco!!!

  5. Prezado Eduardo,
    O Ministro respondeu a sua pergunta via tuiter e não vai fazer mais nada. A desinformação campeia e fica tudo porisso mesmo?
    E quem não tem acesso a internet, não conhece o seu blog, não sabe sequer o que é tuiter?

  6. Desesperado, o PIG tenta impor pela mentira a sua versão. Eduardo, um ponto no qual o governo não pode ceder é com relação aa inclusão da mídia impressa no projeto que finalmente vai disciplinar a ação dos meios de comunicação. É fundamental que esteja prevista a criação de comitês populares (formados por representantes de sindicatos, ONGs e entidades) para atuar junto aos veículos no sentido de se analisar previamente o que se pretende divulgar. O objetivo principal é evitar que se perpetuem os costumeiros ataques aa reputação de pessoas ilibadas e a divulgação de denúncias sem fundamentação comprobatória. Sem isso, jamais haverá liberdade de imprensa no Brasil.

    • Desculpe, mas o que você propõe chama-se “censura”. Não pode ser isso que defendem os blogueiros progressistas e os jornalistas honestos. O que se quer é pluralidade no jornalismo, e responsabilização dos culpados por abusos.
      Por favor, censura prévia, NUNCA MAIS!!!

      • RIDÍCULO!!!!!!! E elevado a décima potência X um milhão!!!!

      • Não queremos censura, mas sim responsabilidades de quem publica. A Mídia hoje é usada para mentir e aufefir lucros com chantagem. Só não vê quem não quer. O que está ai é um complô de uma meia dúzia que agem de maneira orquestrada para achacar as pessoas , governos com um “modus operandi” de ganhar muitodinheiro. É um covil de cobras.

    • Opa!

      Gostei da ideia; vamos analisar:

      1) Cada veículo teria um “comite popular” dentro de suas redações – OK

      2) O “comite popular” seria formado por representantes de sindicatos (financiados diretamente pelo governo), ONGs (financiados indiretamente pelo governo) e entidades (?) (financiadas por Deus sabe quem) – OK

      3) Todas as matérias teriam que ser “analisadas previamente” pelo comite antes de serem veiculadas, para evitar “ataques infundados” e “denúncias sem comprovação” – OK

      Mas peraí! Isso já existiu no Brasil. Chamava-se censura prévia, durou de 1968 a 1978 e foi instituída pelo ATO INSTITUCIONAL NÚMERO CINCO – conhecido carinhosamente como AI-5.

      Isso é uma ideia verdadeiramente democrática!

      Abraços!

      • É uma idéia tão estapafúrdia quanto querer afogar nordestinos. Assim como tem gente que é contra a mídia e diz essas barbaridades, há gente que defende a coitadinha da mídia e diz outras barbaridades. Isso, porém, não te torna assassino de nordestinos, como não me torna apoiador da censura prévia.

        • Caro Edu,

          Não precisa se posicionar tão defensivamente; jamais passou pela minha cabeça que você fosse um defensor da censura. Todos nós leitores do cidadania sabemos que a tua luta tem a liberdade como objetivo maior.

          Minha análise, talvez irônica, tinha como objetivo demonstrar a barbaridade defendida pelo comentarista, e não atingir o dono do blog.

          De todos os defeitos que temos os dois, tenho certeza que não estão entre eles o afogamento de nordestinos e a defesa da censura.

          Abraço!

          • Não precisamos nos preocupar com ameças à liberdade de expressão da mídia, no Brasil. Ela tem toda liberdade que quer e que eu também quero, até onde não tolha a minha ou a sua. Não se preocupe com a mídia. Ela sabe se defender sozinha. Não é uma proposta boba dessas que corre risco de prosperar, é a situação vigente, de supressão do meu e do seu direito de expressão, o que deve ser foco de quem tem que ter foco.

          • Edu,

            Eu não me preocupo com a mídia. A mídia como conhecemos vai acabar independente do que nós dois pensamos, e independente do Ministério das comunicações. É um futuro negro e imutável para os grandes veículos de mídia.

            Também não me preocupo com uma suposta falta de liberdade de expressão que possa nos atingir. Temos hoje toda a liberdade necessária. Mino Carta e Olavo de Carvalho, PHA e Diogo Mainardi, Nassif e Reinaldo Azevedo, Eduardo Guimarães e Arnaldo Jabor, Renato Rovai e Gravataí Merengue. Estão todos aí, se expressando como desejam, absolutamente livres, para aqueles que desejam ouvir.

          • Menos em concessões públicas que pertencem a todos, como a Globo, e sem receber dinheiro público de montão, como o Estadão

          • Edu, eu sei que nós dois não recebemos, mas tem bastante gente naquela lista que recebe dinheiro público… não sei se é de montão. Mas recebe…

          • Cite quem recebe dinheiro público.

          • Edu,

            Permita-me silenciar nesse quesito. Há os que recebem dinheiro público sim, você sabe disso. Tanto do governo federal, como do estadual. Tanto entre os progressistas como entre os reacionários. Em momento algum disse que é ilegal ou imoral, nem que defendem um ideal ou outro em troca de financiamento. Digo apenas que acontece. Prefiro não me esticar nesse assunto, visto que esse pessoal preza muito a liberdade de expressão, mas gosta mesmo é de lascar processo em quem ousa critica-los. E eu não passo de um leitor sem posses pra encarar um processo de jornalista ou blogueiro pelas fuças.

          • Não sei de nada, não me envolva nas suas acusações. Não conheço blogueiro nenhum, entre os progressistas, que receba dinheiro do governo federal. Sei de umas versões mentirosas da mídia golpista, que distorceu fatos. Se não quer citar, fica difícil dar credibilidade à sua acusação. Só recomendo que veja bem o que vai dizer, pois um dos que eventualmente for caluniado pode não gostar.

          • Edu, não estou fazendo acusação nenhuma. Não quero credibilidade. O que estou dizendo não é segredo, não é acusação, muito menos calúnia.

            A rede Globo de televisão recebeu dinheiro público através do BNDES. Recebe dinheiro público através da venda de anúncios para os governos municipal, estadual e federal. Recebe dinheiro público através da venda de anúncios para empresas estatais (BNDES, Petrobras, CEF, Sabesp, Cetesb, etc.).

            O mesmo acontece com diversos veículos de comunicação. O Estadão é só um deles. Alguns blogs também. É só disso que estou falando.

          • A mídia recebe dinheiro diretamente do governo federal, não de empresas públicas. E mesmo que fosse verdade o que você diz – e da forma como diz é mentira ou desinformação -, o mais grave é

          • A imprensa golpista e censora recebe dinheiro diretamente do governo federal, não estou falando de empresas públicas, que vendem anúncios. Essas empresas anunciam por conveniências comerciais. Estou falando de dinheiro do governo federal aplicado diretamente em empresas de comunicação. Blogueiro nenhum recebe. Você está divulgando uma mentira. Além disso, nem se fosse verdade empanaria a questão maior, que é das concessões públicas, que pertencem a todos e que a mídia usa para fazer política-partidária. Comparar um banner da Caixa em um ou dois blogs com as centenas de milhões de dólares entregues à mídia, é uma vergonha. Sobretudo deixando de lado a questão central, que é a das concessões.

          • Edu, eu não estou divulgando uma mentira. Você está colocando palavras na minha boca. Eu nunca disse (releia minhas mensagens, se for o caso) que alguém recebe dinheiro diretamente do governo federal. Eu simplesmente não escrevi isso em lugar algum. Disse que há quem receba dinheiro público. Se veio da venda de banners para a Caixa – como você citou, que fique claro – continua sendo dinheiro público.

            E vamos falar do que importa: por que raios o governo federal entrega milhões de dólares a veículos de comunicação? Não é mais fácil fechar a torneira logo de uma vez e deixar a mídia morrer de sede? Não é disso que deveríamos estar falando?

          • Estou com você. Seria muito mais fácil o Governo botar ordem neste tipo de chantagem tãocomum !

        • Censura seria se fosse determinada pelo poder central. Comitês populares são a base de um governo democrático por estarem respaldados pelo povo.

      • Wellington, no tempo do AI 5 havia o SNI. O que eu defendo não é censura prévia. Aliás, quem pratica censura prévia velada é o PIG, ao omitir deliberadamente os atos dos movimentos populares. A criação de comitês estaria amparada por lei e legitimaria o poder do povo nas decisões. Fico surpreso ao ver as reações contrárias, mas respeito a liberdade de pensamento, já que as divegências se deram de uma maneira educada e polida. Mas, reflitam mais a respeito da proposta.
        Paulo Ribeiro

        • Paulo,

          Vamos lembrar que o AI-5 também era amparado por lei; alguma coisa ser legal não quer dizer que ela é correta.

  7. Nos últimos meses, o PIG (Partido da Imrensa Golpista) mostrou que quer governar o Brasil no lugar de Dilma e de seus ministros.

  8. Também o Ministro-Chefe da CGU, Jorge Hage, divulgou (desmentiu) “Nota da CGU sobre matéria da revista Veja”, em virtude dessa “mídia democrática” sempre negar o DIREITO DE RESPOSTA”

    Vale a pena conferir a nota no original em:

    http://www.cgu.gov.br/Imprensa/Noticias/2011/noticia00411.asp

    ou O PiG SEMPRE RECUSA O DIREITO DE RESPOSTA em:

    http://gilbertodeazevedo.blogspot.com/

  9. Eu acho interessante como há sempre pessoas “em prontidão” para desiludirem-se cedo demais. Calma gente, pautar-se pelo que diz os jornalões não é, definitivamente, uma maneira sensata de formar opinião.

  10. A propriedade cruzada é o X. Esse argumento “Poliana”, que simplifica tudo na “virtualidade”, lembra a celeuma sobre os creative commons envolvendo o Minc, que corretamente retirou a “exclusividade” na divulgação dos CC. A matéria parece mais uma jogada do PIG tentando salvação. Lei de meios neles, já!

  11. “Basta ler a matéria para concluir que não decidimos nada” Estou tentando abrir a notícia para poder concluir mas a página não está abrindo. Será que é um problema momentâneo ou foi retirada do ar pelo estadão?

  12. Aos insistentes:
    “Estar em cima da mesa” do ministro quer dizer exatamente o que quiz dizer:
    Está em cima da mesa. Se houvesse uma decisão, pró ou contra, não estaria mais “EM CIMA DA MESA”. Já teria tomado outra destinação…

  13. Eduardo, não precisa ficar bravo comigo, a mensagem foi repetida porque quando enviei a primeira vez apareceu um texto acusando alguma falha, não me lembro bem, ai repeti novamente. Me desculpe, não precisa colocar que voce não é gravador em caixa alta, tenho a maior consideração por voce e admiro muito a sua luta, mais neste aspecto me reservo o direito de manter a minha opinião. Peço novamente desculpas pela falha do sistema, se soubesse que voce ficaria tão irritado teria deixado para lá, se quizer fique a vontade para não divulgar minha ultima argumentação. Abraços fraternos

  14. Desculpe, Edu, mas Paulo Bernardo ou não leu a matéria ou deve estar se referindo a outra.

    Porque a matéria é afirmativa: “O governo VAI abandonar…”

    Então o Ministro não poderia ter dito jamais que “basta ler a matéria para concluir” que nada foi decidido, quando a matéria diz afirmativamente que o governo VAI “abandonar o debate…”

    A confusão está toda ai.

    Me parece que o Ministro apenas tergiversou invés de desmentir mais cabalmente a matéria.

    Parece que o Ministério das Comunicações está com vazamentos graves.

    Aliás, às vezes vendo as medidas e o estilo do governo Dilma eu me pergunto se não foi o Serra que ganhou.

    Tá osso de aguentar esse começo de governo.

    Só retrocessos.

    Na política externa

    Na Cultura

    Na área de direitos humanos

    Na área de comunicações.

    Dilma escondida dentro do palácio.

    Às vezes eu penso que não temos Presidente, estamos acéfalos e sem liderança.

    E a mídia vai deitando e rolando.

    E os Ministros tergiversam e nada mais.

    • Eu só posso dizer o que está claro: o jornal disse que o governo decidiu e o ministro desse governo disse que não decidiu.

      • Mesmo entendendo que o ministro quis desmentir a reportagem, gostaria muito que ele tivesse sido mais enfático no desmentido. A verdade é que precisamos cobrar muito desse governo a fim de não permitir que ele retroceda um milímetro. Votamos na Dilma apostando em avanço, não em retrocesso.

      • Sim, Edu, o ministro desmentiu sim. foi o que eu disse o jornal afirma que o governa vai fazer algo que o Ministro diz que ainda não está decidido. Vc está correto.

        Só que quem for ler o jornal não vai concluir isso que o Ministro disse.

        Mas ele desmentiu sim .

  15. Me parece que aos poucos o PIG está comendo o governo Dilma pelas beiradas. Nada justifica a inercia deste governo!
    Espeto estar errado!!

  16. “Basta ler a matéria para concluir que não decidimos nada”
    tentei abrir a matéria para “concluir”, mas não consegui. Será que é um problema momentâneo ou foi tirada do ar?

  17. O que acontece, na verdade, é que por enquanto não estamos sentindo firmeza no ministro Paulo Bernardo.

  18. Caraca meu amigo …!!!

    Vc virou peixe grande … Que LINDO ver a comunicação e a verdade nas mãos da “verdadeira” sociedade…

    Me parece que uma parte da “galera” aqui não entende a ABSURDA e ENORME quebra de paradigma que teu simples pequeno e despretensioso post significa …

    “Um cidadão brasileiro comum, acabou de quebrar a noticia de um dos maiores meios de comunicação nacional” .. MEUUUU … PARABENSS !!!! VC é FOD#%& !!!!

    Abraços Edu…

    PARABENS CARA, HOJE VC CHEGOU AO ÁPICE…!!!!

  19. Aos leitores com certo analfabetismo funcional.
    O ministro confirmou a matéria e desmentiu o título e a conclusão espertalhona do Gandour. mas quem ler a matéria verá que a própria materia desmente o título e o Gandour.
    Confuso, não? mas é que o PIG está aí é pra confundir mesmo.

  20. Olá, desculpe Sr. Eduardo, mas a resposta do ministro foi muito dúbia, não foi um desmentido categórico, pode ser como pode não ser. O problema é que o governo da Dilma está como a resposta do ministro, titubeante, é certo que estamos no início, mas o começo não é muito animador.

    • Não dá pra um ministro de Estado detalhar nada sobre um projeto como esse pelo Twitter. Tal seria se o ministro dissesse que vai implantar esta ou aquela medida inclusive sem ouvir a presidente da República. Não consigo entender essa posição.

  21. Caro, Edu

    É o velho jornalão paulista querendo pautar a discussão do jeito deles, ou seja, esvaziando, engavetando, tergiversando. Exemplo clássico de antimatéria: de imediato, já impõe a tese do jornal (que o governo vai abandonar a discussão sobre propriedade cruzada), emendando uma declaração de uma suposta “fonte ligada ao governo” com outras informações jogadas, além de uma declaração do Paulo Bernardo em uma entrevista dada ao jornal no começo do ano. Você termina de ler a matéria e percebe que o texto não diz nada, tampouco justifica o título. É o velho jornalão “trollando” a discussão.

    Edu, acho que você deveria bloquear esse “troll” chamado “Estadão” rsrs.

    Um abraço, meu caro!

  22. Eita midiazinha desgraçada so!
    E… Eita dificuldade ou ma fé em
    acreditar no que foi dito em 140 digitos.

  23. Infelizmente, meu comentário saiu no lugar errado. Aliás, parece que tá acontecendo muito, os comentários não estão sendo postados em ordem cronológica…

    Carlos Cwb

    27/01/2011 • 11:47 .Aos insistentes:
    “Estar em cima da mesa” do ministro quer dizer exatamente o que quiz dizer:
    Está em cima da mesa. Se houvesse uma decisão, pró ou contra, não estaria mais “EM CIMA DA MESA”. Já teria tomado outra destinação

    Parece que têm gente que PRECISA de MAIS explicações????

    ESTE comment foi escrito as 13:14hs…

  24. Marcelo Rodrigues, a questão nem é tanto a resistência feroz, porque são poucos que parecem muitos. O governo tem que dar mostras que vai jogar pesado… “só” isso. Se o governo adotar postura hesitante, os caras pulam na jugular. É simples.

  25. Ainda bem que Bernardo(que anda muito reticente quanto à regulação da ditadura midiática)te deu essa resposta. Por sinal, vem surgindo um discurso absurdo, adotado até por pessoas supostamente do lado progressista(como PHA)que tenta convercer-nos de que a proibição à propriedade privada seria obsoleta porque hoje a INTERNET acumularia todas as mídias eletrônicas(como rádio e televisão). Esse “raciocínio” é estapafúrdio, uma vez que comparar os “videozinhos”, “televisoesinhas” ou “radiozinhas” de alguns sites(assistidas pela minoria da minoria. Uma vez que se já uma minoria tem acesso à INTERNET, desse grupo só uma parte tem a Banda Larga)com o alcance a e abrangência da Globo, Record e das rádios(veículo que ainda continua possuindo uma forte penetração nas classes baixas, principalmente as rádios AM)é um absurdo, um despautério e muitas vezes um exercício de má fé. POR ISSO A PROIBIÇÃO DA PROPRIEDADE CRUZADA É ESSENCIAL, TANTO PARA IMPEDIR-SE O MONOPÓLIO NO CONTROLE DA INFORMAÇÃO, COMO TAMBÉM PARA POSSIBILITAR-SE O CRESCIMENTO DA PROGRAMAÇÃO REGIONALIZADA, FEITA POR REGIONAIS, E NÃO A “REGIONALIDADE MASCARADA” A QUAL OS VEÍCULOS DA “GRANDE” MÍDIA TELEVISIVA ABREM UMA HIPÓCRITA CONCESSÃO, RELEGANDO-A A ALGUNS MINUTOS DE SUA PROGRAMAÇÃO “SULISTA” PADRONIZADA. Além dessa questão, que Bernardo também não se esqueça das outras “espinhas dorsais” da democratização da informação : a garantia do “direito de resposta”; o estímulo ao surgimento de uma rede midiática plural, representante dos diversos setores da sociedade organizada, e não apenas do empresariado privado, como é hoje; e a ampliação da comunicação pública.

  26. Sou mais o Paulo Bernardo. O popular “Urtigão” que não tem medo de cara feia.

  27. Apesar do Pig, o Brasil bate novo record de desemprego!

  28. Discutir com troll é pura perda de tempo. Quando vc acaba com os argumentos idiotas deles, mudam de assunto e inventam uma outra idiotice…

  29. Vamos acabar com essa imprensa golpista sem disparar nenhum tiro, sem depredar nenhum prédio público ou privado. Apenas com palavras espalhadas pelo país, como as seguintes:
    NÃO VEJO A GLOBO
    NÃO LEIO O GLOBO
    NEM A REVISTA Veja.
    NÃO SOU IMBECIL!
    Aos companheiros de São Paulo, troquem o Globo pela Folha. Ponham nas janelas dos carros, das casas,etc…

  30. No meu entender o ministro não tinha nada a dizer por não saber o que está ocorrendo nem qual a fonte da notícia.
    Quem não ouviu, não disse e nem sequer discutiu o assunto não tem nada a dizer.

  31. Pra agradar a galera aqui, o ministro deveria escrever assim (dá menos de 140 cacteres):

    ” Esses caras do Estadão fumaram um ? ” ou ” Cadê o audio ? cadê ? !! ”

    rsrsrrs

  32. Meu caro Edu, sei que você apostou todas as fichas no governo da Dilma, como eu e quase todos os que participam do seu blog, Mas temos que também reconhecer que está havendo uma certa nebulosidade nas atitudes ou melhor, nos deslocamentos do governo, que já começam a dar alguns sinais de que algo não está caminhando para a proposta que todos nós abraçamos. Segue do site do Azenha opinião do mesmo sobre os rumos da política externa que já começam a mostrar uma outra faceta, bem diferente da dupla LulaxCelso Amorim http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/para-onde-vai-a-politica-externa.html.
    Confesso que estou ficando preocupada com algumas posições da Dilma e ainda não consigo entender o por quê dela ter colocado no governo, e em especial na Casa Civil o Antonio Palocci. O PHA também está cantando a pedra. Sei não……………………

  33. Edu, meu caro, parabéns pelo seu trabalho “jornalístico”. Agora, sinceramente, não sei como você tem culhão pra aguentar tanto papo furado, de neguinho metido a besta. Acho que são os tal troll que você comentou outro dia.

  34. O ministro Paulo Bernardo, já teria afirmado em outra ocasião que este assunto será tratado com cautela e sem pressa. Desta afirmação posso concluir muita coisa, inclusive que o governo não tem ainda a decisão se compra ou se não compra esta briga. Será que a nossa presidenta vai partir para o necessário enfrentamento com os barões da mídia? Torço para que sim, mas ainda não estou seguro disso.
    http://easonfn.wordpress.com

  35. Paulo Bernardo também disse sem claramente dizer. Ele não disse que não haverá mais propriedade cruzada. Ele não des-disse o Estadão . Só disse que nada está resolvido, mas não negou que esta hipótese seja possível e mais, que esteja sendo aventada. a típica resposta de político, que não esclarece nada e despista o interessado.

  36. Edu,

    Parece que tem gente por aqui acreditando mais no PIG do que nas palavras do ministro …

    • Tá igualzinho aquela resposta do político Mineiro: Não sou contra nem a favor muito pelo contrário!
      Pode ser que o Ministro Bernardo esteja cozinhando esta mídia podre com pouco fogo e na hora certa dê o bote!
      “Qui que ocê acha Edú”?

  37. Essa tá com cara de ser a mais nova armação do PIG : já q diante de uma blogosfera ativista, a opinião conservadora deles já não tem a mesma força,tão qrendo destruir os progressistas ‘por dentro’,estapeando as teses que nos são mais caras e assim nos colocando uns contra os outros. Parece q tá dando certo,heim?! Depois do caso ‘Ana Holanda’ X ‘o pudico ‘Creative Comons’,agora esse disse-que-me-disse com Paulo Bernardo. E já tem até gente pulando fora do barco,com 27 dias de governo. Bom que esses caiam foram mesmo e só fiquem os sensatos,pq,até q haja um pronunciamento do Ministro à esse respeito,tda e qlqr nota baseada no PIG e q seja levada à sério pelos ditos ‘progressistas’,é canalhice das brabas!

  38. Só gostaria que o Governo desmentisse essa e outras ilações do pig em igual tamanho e força. Por exemplo, uma resposta em rede nacional e ponto. Claro que a resposta no Twiter tem seu valor, mas não alcança a todos.

  39. Fica a impressão de que ministro e governo estão adorando este jogo. Deixar a platéia atônita parece ser o objetivo. A imprensa pressiona nesta pauta e o governo desconversa. Não sei se esse tipo de jogo está sendo bem jogado pelo governo, mas que estão jogando não há dúvida. Quanta diferença… Com Lula a velha imprensa não ousaria tanto.

  40. Seria um desrespeito a todos os brasileiros se o governo desistisse de controlar a propriedade cruzada dos meios de comunicação.

  41. Caro Eduardo, queria abordar esse assunto por um ponto de vista diferente.

    Não me importa tanto a manchete mentirosa do jornal, a mentira é a regra e não a exceção na imprensa brasileira.

    E não vou entrar neste comentário no mérito da questão em sí (a propriedade cruzada dos meios de comunicação).

    Queria observar o fato em sí do seu questionamento e da resposta do ministro.

    Que coisa fantástica um cidadão ter um canal direto para questionar um ministro de Estado e receber dele uma resposta direta. É certo que sua credibilidade é notória, caro Eduardo, portanto não se trata de um desconhecido. Mas tampouco você é um jornalista profissional e muito menos representante de uma grande empresa de comunicação. É um cidadão que construiu seu nome na rede, pela ação direta e publicação de suas idéias sem a menor estrutura empresarial dando suporte.

    E mesmo assim tem a oportunidade de dirigir-se diretamente ao ministro e dele obter um posicionamento.

    Acho que é um fato maravilhoso que todos nós, que acreditamos na democracia devemos observar e comemorar.

Trackbacks

  1. Tweets that mention Ministro das comunicações desmente Estadão pelo Twitter | Blog da Cidadania -- Topsy.com
  2. Blogueiro da Veja crê no Estadão | Blog da Cidadania

Leave a Response

Please note: comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.